SlideShare uma empresa Scribd logo
Seminários Acadêmicos
COMO PESQUISAR, ESTRUTURAR
E DEFENDER UM SEMINÁRIO
ACADÊMICO.
Rafael Gonçalves Lima*
Universidade
Estadual do Ceará
*Discente do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas – 9º Semestre – Turno Noite.
Introdução
O objetivo de um seminário é de informar à uma plateia sobre um
determinado tema. De forma geral, o seminário prevê uma série de
exposições orais de aspectos diferenciados de um tema comum.
Trata-se de uma situação comunicativa que prevê exposições orais
articuladas, mediadas por um coordenador que, ao final, pode
tentar articular as diferentes exposições procurando a melhor
compreensão do tema pela audiência.
Para que Serve um Seminário
Aprofundar um tema;
Propiciar o debate;
Socializar o conhecimento;
Despertar o interesse;
Estimular a participação;
Tornar o estudo aprazível.
Facilitar a aprendizagem daqueles que
apresentam.
Por onde começar?
Faça um Cronograma:
Dia Responsável Atividade
01/07 Professor Divisão dos Temas e Formação dos Grupos
01/07 à 08/07 Grupo Pesquisas – Artigos, Dissertações, Teses e Livros Acadêmicos
09/07 à 15/07 Grupo Estruturar, Organizar e Montar a Apresentação
16/07 à 28/07 Individual Estudar, Estudar e Estudar...
22/07 Grupo Ensaiar a Defesa do Seminário
29/07 Grupo Defesa do Seminário
Por onde começar?
Pesquisar na literatura textos
que tratem do tema...
Ler é fundamental para
alcançar o conhecimento
teórico necessário para
construção e defesa de um
seminário.
A exposição oral pressupõe articulação de
informações e seleção daquelas que forem
consideradas fundamentais para o tratamento do
assunto, de modo a garantir a compreensão da
audiência.
Obs.: Em caso de seminário em grupo, todos os
participantes deverão participar do processo de
organização, pesquisa e construção do Seminário.
Nada de dividi-lo em parte e esperar que cada um
faça a sua.
Por onde começar?
Onde Pesquisar?
EvitarAconselhável
Construção dos Slides
Após algumas pesquisas é
importante que você comece a
organizar e estruturar os tópicos
que seu seminário ira abordar;
Uma vez estruturado, você
continuará a pesquisar e ler mais
sobre cada tópico que você definiu.
Construção dos Slides
Obs1.: Alguns professores solicitam
que determinados pontos sejam
abordados, porém quando ele não a
fizer caberá a você selecionar tópicos
relevantes para a exposição.
Obs2.: Novamente... Quando houver,
todas as atividades deverão ser feitas
em grupo.
Construção dos Slides...
 Na hora de construir os slides, alguns pontos deverão
ser levados em consideração:
A quantidade de slides é proporcional a quantidade de
tempo disponível.
Editar a fonte no tamanho mínimo de 20;
Incluir até 7 linhas por slides;
Harmonizar a cor da letra com a cor do fundo;
Exemplificar sempre que possível;
Fonte
Texto com Fonte 14
Texto com Fonte 16
Texto com Fonte 18
Texto com Fonte 20
Texto com Fonte 24
Texto com Fonte 28
Texto com Fonte 30
Texto com Fonte 36
Mínimo
Ideal
Obs.: Dependendo das informações do slide você poderá optar po
fontes maiores.
Exemplo
Tente
Cor da Fonte e Plano de Fundo
Evitar Cores Que Não Harmonizam
Exemplo
Vejamos Exemplos: Cor da Fonte e
Plano de Fundo
Use para Destacar Palavras
PeloOpte Contraste
Construção dos Slides...
Evitar o uso de fotos como plano de fundo;
Comedir-se nos efeitos especiais;
Apoiar-se 80% na fala e 20% no material
áudio visual;
Reconhecer os slides de apresentação como
recuso;
Restingas
A restinga é um espaço geográfico formado sempre por
depósitos arenosos paralelos à linha da costa, de forma
geralmente alongada, produzido por processos de
sedimentação, onde se encontram diferentes comunidades que
recebem influência marinha, podendo ter cobertura vegetal em
mosaico. Esse tipo de vegetação também pode ser encontrado
em praias, cordões arenosos, dunas e depressões em diversos
estágios sucessionais existentes fora da restinga na parte
interiorana do continente. A restinga também pode se formar
nos estuários dos rios, pela deposição de sedimentos, dando
origem à formação de rios ou assoreamentos.
Exemplo
Construção dos Slides... Dicas!
Seja Objetivo e expresse as ideias de forma clara;
Conceitue os termos chave que compõe a ideia;
Compor as frases com seis a oito palavras;
Empregar o vocabulário adequado;
Construção dos Slides...
Dimensionar o tamanho da fonte em função
da distância do observador.
Fonte: Arial, Verdana ou Tahoma.
Revisar os Slides (Erros ortográficos,
Concordância das Frases, Imagens, etc.).
 Resumir as tabelas com muitos dados numéricos;
 Cuidar da estética e da funcionalidade dos elementos
gráficos;
 Referencie tudo que for citado na apresentação.
 Cuidar para salvar a apresentação corretamente em
uma mídia de gravação.
 Ensaiar antes de apresentar;
Construção dos Slides...
Use mais imagens do que textos...
Imagens facilitam ó processo de construção do
conhecimento;
Observações:
 Use um elemento gráfico por slide – Evite a poluição
visual;
 Associe a imagem ao texto;
 Combine cor do fundo e dos elementos gráficos;
DNA – Marcos Históricos
1910
1866
Johan Gregor Mendel
Thomas Hunt Morgan
1943
1970 a 1973
Watson e CrickOswald Avery
Paul BergChargaffGriffith
1928 1952
1954
Projeto Genoma Humano
Exemplo
Quando não há imagens?
O ideal é utilizar pequenos textos ou criar tópicos...
Estruturação do Seminário
Abertura da Apresentação: Exposição do Tema, da instituição da qual
faz parte, nome do apresentador (Grupo e Professor);
Introdução: (3 a 4 minutos) – Contextualização do Tema e
Apresentação da Estrutura de Tópicos;
Desenvolvimento: (7 a 10 minutos) – Análise de cada tópico e o
encadeamento lógico e coerente entre os mesmo;
Conclusão: (5 a 6 minutos) – Reflexão, síntese e ênfase nos pontos
chave sobre tema e;
Discussão: Consolidação dos aspectos fundamentais a cerca do tema
com a plateia.
Domínio do tema e do tópico (visão geral e
do detalhe);
Fala fluente e espontânea (sem leitura do
texto ou exposição decorada);
Exposição do assunto dentro de uma
sequência lógica;
Defesa do Seminário – Formas de
Apresentar
 Priorização dos aspectos essências nos 5 minutos iniciais;
 Preparo do encadeamento para o próximo tópico;
 Prevenir situações que desviam a atenção do público;
 Uso correto do tempo pré-estabelecido (média de 15 a
20 minutos).
Defesa do Seminário – Formas de
Apresentar
Defesa do Seminário – O que evitar?
 Ficar com as mãos nos bolsos;
 Braços cruzados;
 Rosto Inclinado;
 Olhar Fixamente para uma
pessoa;
 Gestos rápidos e mãos trêmulas;
 Dar as costas à plateia;
 Gírias e Situações Cômicas.
Sabe o que da segurança
na hora de defender uma
apresentação? DOMÍNIO DE
CONTEÚDO...
 Sorrir;
 Tentar Ficar Calmo;
 Rosto Erguido;
 Olhar Para Toda a Plateia;
 Colocar-se de pé;
 Falar de modo que todos
possam ouvir;
Defesa do Seminário – Postura Ideal
 Gesticular;
 Deslocar-se lentamente
dentro do espaço da
apresentação;
 Usar o vestuário correto;
 Evitar a gíria e as situações
cômicas;
 Esboçar semblante que
revele confiança e simpatia;
Resumindo Tudo
Vejamos um Exemplo de
Apresentação
Os Malefícios do Cigarro
Centro de Educação Ciências e Tecnologia da Região dos
Inhamuns
Licenciatura Plena em Ciências Biológicas
Professor: João Gláucio
Aluno: Rafael Gonçalves Lima
Universidade
Estadual do
Ceará
Introdução
O tabagismo é o ato de se consumir cigarros ou outros
produtos que contenham tabaco, cuja droga ou princípio
ativo é a nicotina. A Organização Mundial da Saúde
(OMS) afirma que o tabagismo deve ser considerado
uma pandemia, ou seja, uma epidemia generalizada, e
como tal precisa ser combatido.
Nesta apresentação abordaremos os principais malefícios
relacionados com o consumo do cigarro, o cenário atual
da doença, os tratamentos e os desafios enfrentados
pela OMS para conscientizar as pessoas.
12%
88%
MULHERES
Fumantes Não Fumantes
Tabagismo
O tabagismo é considerado pela
Organização Mundial da Saúde (OMS)
a principal causa de morte evitável no
mundo. A organização estima que um
terço da população mundial adulta, isto
é, cerca de 1 bilhão e 200 milhões
de pessoas, sejam fumantes.
Os Malefícios do Cigarro
47%
53%
HOMENS
Fumantes Não Fumantes
A fumaça do cigarro tem mais de 4,7 mil substâncias
tóxicas.
Os Malefícios do Cigarro
Fumaça do Cigarro
Substância Efeitos
Alcatrão + 40 compostos cancerígenos
Monóxido de Carbono Dificulta a oxigenação de alguns órgãos
Nicotina Droga psicoativa que causa dependência
• O tabagismo está
relacionado a mais de
50 doenças sendo
responsável;
• Todo ano 5 milhões de
pessoas morrem no
mundo por causa do
cigarro. E, em 20 anos,
esse número chegará a
10 milhões (Fonte:
Organização Mundial da
Saúde).
Mortes Relacionadas ao
Tabagismo
Doença % de Mortes
Câncer de Boca 30%
Câncer de Pulmão 90%
Doença do Coração 25%
Bronquite e
Enfisema
85%
Derrame Cerebral 25%
Os Malefícios do Cigarro
Mortes Por Tabagismo
Fumante Passivo
• O tabaco também tem relação com
a impotência sexual e
infertilidade masculina(Instituto
Nacional do Câncer (INCA));
• O fumante passivo também tem
risco de doença. Sete não
fumantes morrem por dia em
consequência do fumo passivo. O
tabagismo passivo aumenta em
30% o risco para câncer de pulmão
e 24% o risco para infarto.
Os Malefícios do Cigarro
Tratamentos e Benefícios
Os tratamentos mais eficazes
unem apoio medicamentoso
com mudanças de hábitos.
A combinação é importante
porque o tabaco causa
dependência física, psicológica
e comportamental.
Física
ComportamentalPsicológica
Dia Nacional do Combate ao Fumo
Criado em 1986, pela Lei
Federal 7.488, foi a
primeira legislação em
âmbito federal relacionada
à regulamentação do
tabagismo no Brasil.
35
• NUSSUBAUM, Robert - Thompson & Thompson Genética Médica. Vol. 7 (2008), actual.
2008. [consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na internet: <URL
http://books.google.com.br/books?id=vjOET7ul_R0C&hl=pt-BR&source=gbs_navlinks_s>
• TEIXEIRA, Sálvio de Figueiredo; VELLOSO, Carlos Mário da Silva - Direito e medicina. Vol.
1 (2000), actual. 2000. [consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na internet: <URL
http://books.google.com.br/books?id=izzd31Z7GWYC&dq>
• LEVITOV, Alexander B.; DALLAS, Apostolos P.; SLONIM, Anthony D. - Bioquímica Ilustrada
de Harper (Lange). Vol. 29 (2013), actual. 2013. [consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na
internet: <URL http://books.google.com.br/books?id=lM06AgAAQBAJ&dq>
• TORTORA, Gerard J.; FUNKE, Berdell R.; CASE, Christine L. Case - Microbiologia. Vol 10.
[consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na internet: <URL
http://books.google.com.br/books?id=qJB74Coy-QMC&dq>
Referências
Exemplo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNTModelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Rosineia Oliveira dos Santos
 
Slide relatório (estrutura)
Slide relatório (estrutura)Slide relatório (estrutura)
Slide relatório (estrutura)
Jerfson Abreu Brito
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Patrícia Éderson Dias
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
mauricio aquino
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
rivanialeao
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em word
Mister B
 
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de PesquisaExemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
richard_romancini
 
Normas Abnt
Normas AbntNormas Abnt
Normas Abnt
verafurlan
 
Modelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorioModelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorio
Camila Neitzke
 
Artigo cientifico (como fazer)
Artigo cientifico (como fazer)Artigo cientifico (como fazer)
Artigo cientifico (como fazer)
Fernanda Câmara
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
José Antonio Ferreira da Silva
 
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
Portal do Vestibulando
 
Resenha crítica
Resenha crítica Resenha crítica
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
jlpaesjr
 
Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120
PotenzaWD
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
Felipe Pereira
 
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumárioNormas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Mike Barria
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
taise_paz
 
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
Arão Sousa Lima
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmica
megainfoin
 

Mais procurados (20)

Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNTModelo de artigo científico básico - com normas ABNT
Modelo de artigo científico básico - com normas ABNT
 
Slide relatório (estrutura)
Slide relatório (estrutura)Slide relatório (estrutura)
Slide relatório (estrutura)
 
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicosNormas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
Normas ABNT Apresentação de trabalhos acadêmicos
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 
Slide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisaSlide projeto de pesquisa
Slide projeto de pesquisa
 
Modelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em wordModelo de-fichamento em word
Modelo de-fichamento em word
 
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de PesquisaExemplos de Cronogramas de Pesquisa
Exemplos de Cronogramas de Pesquisa
 
Normas Abnt
Normas AbntNormas Abnt
Normas Abnt
 
Modelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorioModelo padrao relatorio
Modelo padrao relatorio
 
Artigo cientifico (como fazer)
Artigo cientifico (como fazer)Artigo cientifico (como fazer)
Artigo cientifico (como fazer)
 
Modelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de PesquisaModelo de Projeto de Pesquisa
Modelo de Projeto de Pesquisa
 
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
 
Resenha crítica
Resenha crítica Resenha crítica
Resenha crítica
 
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
 
Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120Modelo banner 90 x 120
Modelo banner 90 x 120
 
Projeto de pesquisa exemplo
Projeto de pesquisa   exemploProjeto de pesquisa   exemplo
Projeto de pesquisa exemplo
 
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumárioNormas abnt - Referências. figuras, sumário
Normas abnt - Referências. figuras, sumário
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
 
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmica
 

Semelhante a Como Apresentar um Seminário Acadêmico

Seminários powerpoint
Seminários powerpointSeminários powerpoint
Seminários powerpoint
Marines Bomfim
 
Guia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de semináriosGuia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de seminários
Estude Mais
 
Dicas de como apresentar seminários powerpoint imprimir
Dicas de como apresentar seminários powerpoint imprimirDicas de como apresentar seminários powerpoint imprimir
Dicas de como apresentar seminários powerpoint imprimir
Vanusia Santana
 
Como Preparar Uma Apresentação
Como Preparar Uma ApresentaçãoComo Preparar Uma Apresentação
Como Preparar Uma Apresentação
Maria João Gehl Baptista da Costa, PMP, PMD, CSM
 
Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]
PatriciaCosta
 
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva MuñozApresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Defesademonografias
DefesademonografiasDefesademonografias
Defesademonografias
Anadelyc
 
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
AgriPoint
 
Comunicacao oral e transmissão de idéias
Comunicacao oral e transmissão de idéiasComunicacao oral e transmissão de idéias
Comunicacao oral e transmissão de idéias
gisa_legal
 
Como Apresentar Tcc Banca Ii
Como Apresentar Tcc   Banca IiComo Apresentar Tcc   Banca Ii
Como Apresentar Tcc Banca Ii
Flaviacristina74
 
Como fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhosComo fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhos
Anaigreja
 
Apresentacao de Alto Impacto
Apresentacao de Alto ImpactoApresentacao de Alto Impacto
Apresentacao de Alto Impacto
Imagecomm Interactive
 
Melhore a sua apresentação PPT
Melhore a sua apresentação PPTMelhore a sua apresentação PPT
Melhore a sua apresentação PPT
Ricardo Leocádio
 
Perfeitas apresentações
Perfeitas apresentaçõesPerfeitas apresentações
Perfeitas apresentações
sartremixnoga
 
Apresentacao-de-slides de TCC, pesquisas .
Apresentacao-de-slides de TCC,  pesquisas .Apresentacao-de-slides de TCC,  pesquisas .
Apresentacao-de-slides de TCC, pesquisas .
PalavraViva2
 
SEMINÁRIO
SEMINÁRIOSEMINÁRIO
SEMINÁRIO
RenatoSantos87
 
SEMINÁRIO
SEMINÁRIOSEMINÁRIO
SEMINÁRIO
RenatoSantos87
 
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdfComo elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
ZoraideVieiraCruz
 
Apresentacao de-tcc
Apresentacao de-tccApresentacao de-tcc
Apresentacao de-tcc
Unisinos
 
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdfSEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
louisevictori924
 

Semelhante a Como Apresentar um Seminário Acadêmico (20)

Seminários powerpoint
Seminários powerpointSeminários powerpoint
Seminários powerpoint
 
Guia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de semináriosGuia de apresentação de seminários
Guia de apresentação de seminários
 
Dicas de como apresentar seminários powerpoint imprimir
Dicas de como apresentar seminários powerpoint imprimirDicas de como apresentar seminários powerpoint imprimir
Dicas de como apresentar seminários powerpoint imprimir
 
Como Preparar Uma Apresentação
Como Preparar Uma ApresentaçãoComo Preparar Uma Apresentação
Como Preparar Uma Apresentação
 
Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]Palestra maria ines[1]
Palestra maria ines[1]
 
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva MuñozApresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
Apresentação Oral de Trabalhos Científicos - Profa. Rilva Muñoz
 
Defesademonografias
DefesademonografiasDefesademonografias
Defesademonografias
 
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
10 DICAS PARA FALAR EM PÚBLICO
 
Comunicacao oral e transmissão de idéias
Comunicacao oral e transmissão de idéiasComunicacao oral e transmissão de idéias
Comunicacao oral e transmissão de idéias
 
Como Apresentar Tcc Banca Ii
Como Apresentar Tcc   Banca IiComo Apresentar Tcc   Banca Ii
Como Apresentar Tcc Banca Ii
 
Como fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhosComo fazer uma apresentação oral trabalhos
Como fazer uma apresentação oral trabalhos
 
Apresentacao de Alto Impacto
Apresentacao de Alto ImpactoApresentacao de Alto Impacto
Apresentacao de Alto Impacto
 
Melhore a sua apresentação PPT
Melhore a sua apresentação PPTMelhore a sua apresentação PPT
Melhore a sua apresentação PPT
 
Perfeitas apresentações
Perfeitas apresentaçõesPerfeitas apresentações
Perfeitas apresentações
 
Apresentacao-de-slides de TCC, pesquisas .
Apresentacao-de-slides de TCC,  pesquisas .Apresentacao-de-slides de TCC,  pesquisas .
Apresentacao-de-slides de TCC, pesquisas .
 
SEMINÁRIO
SEMINÁRIOSEMINÁRIO
SEMINÁRIO
 
SEMINÁRIO
SEMINÁRIOSEMINÁRIO
SEMINÁRIO
 
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdfComo elaborar um bom seminário_ (1).pdf
Como elaborar um bom seminário_ (1).pdf
 
Apresentacao de-tcc
Apresentacao de-tccApresentacao de-tcc
Apresentacao de-tcc
 
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdfSEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
SEMIÁRIOS_APRENTAÇÃODESEMINARIO_EDUCAÇÃO.pdf
 

Último

Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Como Apresentar um Seminário Acadêmico

  • 1. Seminários Acadêmicos COMO PESQUISAR, ESTRUTURAR E DEFENDER UM SEMINÁRIO ACADÊMICO. Rafael Gonçalves Lima* Universidade Estadual do Ceará *Discente do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas – 9º Semestre – Turno Noite.
  • 2. Introdução O objetivo de um seminário é de informar à uma plateia sobre um determinado tema. De forma geral, o seminário prevê uma série de exposições orais de aspectos diferenciados de um tema comum. Trata-se de uma situação comunicativa que prevê exposições orais articuladas, mediadas por um coordenador que, ao final, pode tentar articular as diferentes exposições procurando a melhor compreensão do tema pela audiência.
  • 3. Para que Serve um Seminário Aprofundar um tema; Propiciar o debate; Socializar o conhecimento; Despertar o interesse; Estimular a participação; Tornar o estudo aprazível. Facilitar a aprendizagem daqueles que apresentam.
  • 4. Por onde começar? Faça um Cronograma: Dia Responsável Atividade 01/07 Professor Divisão dos Temas e Formação dos Grupos 01/07 à 08/07 Grupo Pesquisas – Artigos, Dissertações, Teses e Livros Acadêmicos 09/07 à 15/07 Grupo Estruturar, Organizar e Montar a Apresentação 16/07 à 28/07 Individual Estudar, Estudar e Estudar... 22/07 Grupo Ensaiar a Defesa do Seminário 29/07 Grupo Defesa do Seminário
  • 5. Por onde começar? Pesquisar na literatura textos que tratem do tema... Ler é fundamental para alcançar o conhecimento teórico necessário para construção e defesa de um seminário.
  • 6. A exposição oral pressupõe articulação de informações e seleção daquelas que forem consideradas fundamentais para o tratamento do assunto, de modo a garantir a compreensão da audiência. Obs.: Em caso de seminário em grupo, todos os participantes deverão participar do processo de organização, pesquisa e construção do Seminário. Nada de dividi-lo em parte e esperar que cada um faça a sua. Por onde começar?
  • 8. Construção dos Slides Após algumas pesquisas é importante que você comece a organizar e estruturar os tópicos que seu seminário ira abordar; Uma vez estruturado, você continuará a pesquisar e ler mais sobre cada tópico que você definiu.
  • 9. Construção dos Slides Obs1.: Alguns professores solicitam que determinados pontos sejam abordados, porém quando ele não a fizer caberá a você selecionar tópicos relevantes para a exposição. Obs2.: Novamente... Quando houver, todas as atividades deverão ser feitas em grupo.
  • 10. Construção dos Slides...  Na hora de construir os slides, alguns pontos deverão ser levados em consideração: A quantidade de slides é proporcional a quantidade de tempo disponível. Editar a fonte no tamanho mínimo de 20; Incluir até 7 linhas por slides; Harmonizar a cor da letra com a cor do fundo; Exemplificar sempre que possível;
  • 11. Fonte Texto com Fonte 14 Texto com Fonte 16 Texto com Fonte 18 Texto com Fonte 20 Texto com Fonte 24 Texto com Fonte 28 Texto com Fonte 30 Texto com Fonte 36 Mínimo Ideal Obs.: Dependendo das informações do slide você poderá optar po fontes maiores. Exemplo
  • 12. Tente Cor da Fonte e Plano de Fundo Evitar Cores Que Não Harmonizam Exemplo
  • 13. Vejamos Exemplos: Cor da Fonte e Plano de Fundo Use para Destacar Palavras PeloOpte Contraste
  • 14. Construção dos Slides... Evitar o uso de fotos como plano de fundo; Comedir-se nos efeitos especiais; Apoiar-se 80% na fala e 20% no material áudio visual; Reconhecer os slides de apresentação como recuso;
  • 15. Restingas A restinga é um espaço geográfico formado sempre por depósitos arenosos paralelos à linha da costa, de forma geralmente alongada, produzido por processos de sedimentação, onde se encontram diferentes comunidades que recebem influência marinha, podendo ter cobertura vegetal em mosaico. Esse tipo de vegetação também pode ser encontrado em praias, cordões arenosos, dunas e depressões em diversos estágios sucessionais existentes fora da restinga na parte interiorana do continente. A restinga também pode se formar nos estuários dos rios, pela deposição de sedimentos, dando origem à formação de rios ou assoreamentos. Exemplo
  • 16. Construção dos Slides... Dicas! Seja Objetivo e expresse as ideias de forma clara; Conceitue os termos chave que compõe a ideia; Compor as frases com seis a oito palavras; Empregar o vocabulário adequado;
  • 17. Construção dos Slides... Dimensionar o tamanho da fonte em função da distância do observador. Fonte: Arial, Verdana ou Tahoma. Revisar os Slides (Erros ortográficos, Concordância das Frases, Imagens, etc.).
  • 18.  Resumir as tabelas com muitos dados numéricos;  Cuidar da estética e da funcionalidade dos elementos gráficos;  Referencie tudo que for citado na apresentação.  Cuidar para salvar a apresentação corretamente em uma mídia de gravação.  Ensaiar antes de apresentar; Construção dos Slides...
  • 19. Use mais imagens do que textos... Imagens facilitam ó processo de construção do conhecimento; Observações:  Use um elemento gráfico por slide – Evite a poluição visual;  Associe a imagem ao texto;  Combine cor do fundo e dos elementos gráficos;
  • 20. DNA – Marcos Históricos 1910 1866 Johan Gregor Mendel Thomas Hunt Morgan 1943 1970 a 1973 Watson e CrickOswald Avery Paul BergChargaffGriffith 1928 1952 1954 Projeto Genoma Humano Exemplo
  • 21. Quando não há imagens? O ideal é utilizar pequenos textos ou criar tópicos...
  • 22. Estruturação do Seminário Abertura da Apresentação: Exposição do Tema, da instituição da qual faz parte, nome do apresentador (Grupo e Professor); Introdução: (3 a 4 minutos) – Contextualização do Tema e Apresentação da Estrutura de Tópicos; Desenvolvimento: (7 a 10 minutos) – Análise de cada tópico e o encadeamento lógico e coerente entre os mesmo; Conclusão: (5 a 6 minutos) – Reflexão, síntese e ênfase nos pontos chave sobre tema e; Discussão: Consolidação dos aspectos fundamentais a cerca do tema com a plateia.
  • 23. Domínio do tema e do tópico (visão geral e do detalhe); Fala fluente e espontânea (sem leitura do texto ou exposição decorada); Exposição do assunto dentro de uma sequência lógica; Defesa do Seminário – Formas de Apresentar
  • 24.  Priorização dos aspectos essências nos 5 minutos iniciais;  Preparo do encadeamento para o próximo tópico;  Prevenir situações que desviam a atenção do público;  Uso correto do tempo pré-estabelecido (média de 15 a 20 minutos). Defesa do Seminário – Formas de Apresentar
  • 25. Defesa do Seminário – O que evitar?  Ficar com as mãos nos bolsos;  Braços cruzados;  Rosto Inclinado;  Olhar Fixamente para uma pessoa;  Gestos rápidos e mãos trêmulas;  Dar as costas à plateia;  Gírias e Situações Cômicas. Sabe o que da segurança na hora de defender uma apresentação? DOMÍNIO DE CONTEÚDO...
  • 26.  Sorrir;  Tentar Ficar Calmo;  Rosto Erguido;  Olhar Para Toda a Plateia;  Colocar-se de pé;  Falar de modo que todos possam ouvir; Defesa do Seminário – Postura Ideal  Gesticular;  Deslocar-se lentamente dentro do espaço da apresentação;  Usar o vestuário correto;  Evitar a gíria e as situações cômicas;  Esboçar semblante que revele confiança e simpatia;
  • 27. Resumindo Tudo Vejamos um Exemplo de Apresentação
  • 28. Os Malefícios do Cigarro Centro de Educação Ciências e Tecnologia da Região dos Inhamuns Licenciatura Plena em Ciências Biológicas Professor: João Gláucio Aluno: Rafael Gonçalves Lima Universidade Estadual do Ceará
  • 29. Introdução O tabagismo é o ato de se consumir cigarros ou outros produtos que contenham tabaco, cuja droga ou princípio ativo é a nicotina. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o tabagismo deve ser considerado uma pandemia, ou seja, uma epidemia generalizada, e como tal precisa ser combatido. Nesta apresentação abordaremos os principais malefícios relacionados com o consumo do cigarro, o cenário atual da doença, os tratamentos e os desafios enfrentados pela OMS para conscientizar as pessoas.
  • 30. 12% 88% MULHERES Fumantes Não Fumantes Tabagismo O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável no mundo. A organização estima que um terço da população mundial adulta, isto é, cerca de 1 bilhão e 200 milhões de pessoas, sejam fumantes. Os Malefícios do Cigarro 47% 53% HOMENS Fumantes Não Fumantes
  • 31. A fumaça do cigarro tem mais de 4,7 mil substâncias tóxicas. Os Malefícios do Cigarro Fumaça do Cigarro Substância Efeitos Alcatrão + 40 compostos cancerígenos Monóxido de Carbono Dificulta a oxigenação de alguns órgãos Nicotina Droga psicoativa que causa dependência
  • 32. • O tabagismo está relacionado a mais de 50 doenças sendo responsável; • Todo ano 5 milhões de pessoas morrem no mundo por causa do cigarro. E, em 20 anos, esse número chegará a 10 milhões (Fonte: Organização Mundial da Saúde). Mortes Relacionadas ao Tabagismo Doença % de Mortes Câncer de Boca 30% Câncer de Pulmão 90% Doença do Coração 25% Bronquite e Enfisema 85% Derrame Cerebral 25% Os Malefícios do Cigarro Mortes Por Tabagismo
  • 33. Fumante Passivo • O tabaco também tem relação com a impotência sexual e infertilidade masculina(Instituto Nacional do Câncer (INCA)); • O fumante passivo também tem risco de doença. Sete não fumantes morrem por dia em consequência do fumo passivo. O tabagismo passivo aumenta em 30% o risco para câncer de pulmão e 24% o risco para infarto. Os Malefícios do Cigarro
  • 34. Tratamentos e Benefícios Os tratamentos mais eficazes unem apoio medicamentoso com mudanças de hábitos. A combinação é importante porque o tabaco causa dependência física, psicológica e comportamental. Física ComportamentalPsicológica
  • 35. Dia Nacional do Combate ao Fumo Criado em 1986, pela Lei Federal 7.488, foi a primeira legislação em âmbito federal relacionada à regulamentação do tabagismo no Brasil. 35
  • 36. • NUSSUBAUM, Robert - Thompson & Thompson Genética Médica. Vol. 7 (2008), actual. 2008. [consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na internet: <URL http://books.google.com.br/books?id=vjOET7ul_R0C&hl=pt-BR&source=gbs_navlinks_s> • TEIXEIRA, Sálvio de Figueiredo; VELLOSO, Carlos Mário da Silva - Direito e medicina. Vol. 1 (2000), actual. 2000. [consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na internet: <URL http://books.google.com.br/books?id=izzd31Z7GWYC&dq> • LEVITOV, Alexander B.; DALLAS, Apostolos P.; SLONIM, Anthony D. - Bioquímica Ilustrada de Harper (Lange). Vol. 29 (2013), actual. 2013. [consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na internet: <URL http://books.google.com.br/books?id=lM06AgAAQBAJ&dq> • TORTORA, Gerard J.; FUNKE, Berdell R.; CASE, Christine L. Case - Microbiologia. Vol 10. [consult. 27 Jan. 2014]. Disponível na internet: <URL http://books.google.com.br/books?id=qJB74Coy-QMC&dq> Referências Exemplo