SlideShare uma empresa Scribd logo
Metodologia do Trabalho Científico Capítulo III – Teoria e Prática Científica Elis Gabriela Copa dos Santos - RA405230
Introdução No início, a ciência surge com a pretensão de ser um saber único, a ser construído sob um único paradigma e conduzido sob um único método. Foi o que garantiu a unidade do sistema das Ciências Naturais. No entanto, quando se passou a estudar cientificamente o homem, com suas peculiaridades, através das Ciências Humanas, rompeu-se esse monolitismo metodológico...
Método como caminho do conhecimento científico A Ciência se faz quando o pesquisador aborda os fenômenos aplicando recursos técnicos, seguindo  um método e apoiando-se em fundamentos epistemológicos.
O Método Quando observamos a prática científica concreta, o que nos aparece de forma mais evidente é a aplicação de atividades de caráter operacional técnico. Mas todo esse sofisticado arsenal de técnicas não é usado aleatoriamente. Ao contrário, ele segue um cuidadoso plano de utilização, ou seja, ele cumpre um roteiro preciso, ele se dá em função de um método.
O Método Científico Elemento fundamental do processo do conhecimento realizado pela ciência para diferenciá-la não só do senso comum, mas também das demais modalidades de expressão da subjetividade humana, como a filosofia, a arte, a religião. Trata-se de um conjunto de procedimentos lógicos e de técnicas operacionais que permitem o acesso às relações causais constantes entre os fenômenos.
A Indagação Científica Ao trabalhar com seu método, a primeira atividade do cientista é a observação dos fatos, o que fará surgir a indagação. A percepção de uma situação problemática que envolve um objeto é o fator que desencadeia a indagação científica.
A Hipótese A criação de uma problemática induz a formação de uma hipótese. Hipótese:  Proposição explicativa provisória de relações entre fenômenos, a ser comprovada ou infirmada pela experimentação. E se confirmada, transforma-se na lei.
A Verificação Experimental Formulada a hipótese, o cientista volta ao campo experimental para verificá-la. É o momento da verificação experimental, do teste da hipótese. Isolam-se, em condições laboratoriais, as variáveis que se supõem em relação e observa-se o seu comportamento. Se confirmada a hipótese, tem-se então a lei.
A Lei Científica Enunciado de uma relação causal constante entre fenômenos ou elementos de um fenômeno. Relações necessárias, naturais e invariáveis. Fórmula geral que sintetiza um conjunto de fatos naturais, expressando uma relação funcional constante entre variáveis.
A Teoria Conjunto de concepções, sistematicamente organizadas; síntese geral que se propõe a explicar um conjunto de fatos cujos subconjuntos foram explicados pelas leis.
Indução x Dedução Indução e Dedução são  duas formas de raciocínio, isto é, procedimentos racionais de argumentação ou de justificação de uma hipótese. A ciência trabalha, pois, com raciocínios indutivos e com raciocínios dedutivos. Quando passa dos fatos às leis, mediante hipóteses, está trabalhando com a indução; quando passa das leis às teorias ou destas aos fatos, está trabalhando com a dedução.
Indução e Dedução - Conceito Indução: Procedimento lógico pelo qual se passa de alguns fatos particulares a um princípio geral. Trata-se de um processo de generalização, fundado no pressuposto filosófico do determinismo universal. Dedução:  Procedimento lógico, raciocínio, pelo qual se pode tirar de uma ou de várias proposições (premissas) um conclusão que delas ocorre por força puramente lógica. A conclusão segue-se necessariamente das premissas.
Os fundamentos teórico-metodológicos da ciência. A Ciência, no sentido que a conhecemos hoje, nasceu na modernidade, quando se fez uma crítica cerrada ao modo metafísico de pensar e de, supostamente, conhecer.
A Ciência é simultaneamente um saber teórico (que explica o real) e um poder prático (maneja o real pela prática).
Para que o conhecimento produzido pela ciência tenha consistência, é preciso admitir algumas verdades universais, ou seja, a ciência precisa apoiar-se em alguns pressupostos.
Cada modalidade de conhecimento pressupõe um tipo de relação entre sujeito e objeto e, dependentemente dessa relação, temos conclusões diferentes. Assim, está implicada no conhecimento científico uma afirmação prévia da parte que cabe a cada um desses polos. Por isso, o pesquisador, ao construir seu conhecimento, está “aplicando” esse pressuposto epistemológico  e, por coerência interna com ele, vai utilizar recursos metodológicos e técnicos pertinentes e compatíveis com o paradigma que catalisa esses pressupostos. Daí se falar de referencial teórico-metodológico.
A formação das ciências humanas e os novos paradigmas epistemológicos Depois de conhecer o mundo físico mediante a aplicação da metodologia experimental-matemática, a ciência se propôs a conhecer também o mundo humano, seguindo o mesmo caminho...
A Ciência Humana Na sua gênese, as Ciências Humanas procuraram praticar a metodologia experimental/matemática da ciência, assumindo os pressupostos ontológicos e epistemológicos do Positivismo. Mas as peculiaridades do modo de ser humano foram mostrando a complexidade do fenômeno humano e a insuficiência da metodologia positivista para sua apreensão e explicação. Por isso, mesmo sem abandonar a inspiração da tradição positivista, foram enriquecendo-a e aprimorando-a. Desse modo, as pesquisas em Ciências Humanas passaram a se realizar sob a referência teórico-metodológica do Funcionalismo.
O Funcionalismo O Funcionalismo apoia-se no pressuposto da analogia que aproxima as relações existentes entre os diversos órgãos de um organismo biológico e aquelas existentes entre as formas de organização social e cultural. Para esse paradigma, a sociedade humana e a cultura são como um organismo, cujas partes funcionam para atender às necessidades do conjunto. Toda atividade social e cultural é funcional, ou seja, desempenha uma função determinada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Aula 2 metodologia científica
Aula 2   metodologia científicaAula 2   metodologia científica
Aula 2 metodologia científica
Wellington Costa de Oliveira
 
21 o método científico
21 o método científico21 o método científico
21 o método científico
Joao Balbi
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
Isabella Marra
 
Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)
Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)
Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)
Rogerio Abreu
 
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos CientíficosEstruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Herbert Santana
 
Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1
queenbianca
 
Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
Raylon Gabriel
 
Metodologia científica – a construção do conhecimento
Metodologia científica – a construção do conhecimentoMetodologia científica – a construção do conhecimento
Metodologia científica – a construção do conhecimento
Nicemara Cardoso
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
David Daniel Abacar
 
Introdução ao estudo do direito aula
Introdução ao estudo do direito   aulaIntrodução ao estudo do direito   aula
Introdução ao estudo do direito aula
jovenniu
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
Laís Berlatto
 
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
jlpaesjr
 
Os Tipos de Conhecimento
Os Tipos de ConhecimentoOs Tipos de Conhecimento
Os Tipos de Conhecimento
Jonathan Nascyn
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
Maria José Rodrigues
 
Teoria geral do direito
Teoria geral do direitoTeoria geral do direito
Teoria geral do direito
Thiago José de Souza Oliveira
 
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Rosane Domingues
 
Metodologia científica
Metodologia científica Metodologia científica
Metodologia científica
Maria Clara Silva
 
Conhecimento cientifico
Conhecimento cientificoConhecimento cientifico
Conhecimento cientifico
Lucila Pesce
 

Mais procurados (20)

Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
 
Aula 2 metodologia científica
Aula 2   metodologia científicaAula 2   metodologia científica
Aula 2 metodologia científica
 
21 o método científico
21 o método científico21 o método científico
21 o método científico
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
 
Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)
Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)
Teoria Geral do Processo - UNIPE (slides)
 
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos CientíficosEstruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
 
Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1Métodos quantitativos e_qualitativos1
Métodos quantitativos e_qualitativos1
 
Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
 
Metodologia científica – a construção do conhecimento
Metodologia científica – a construção do conhecimentoMetodologia científica – a construção do conhecimento
Metodologia científica – a construção do conhecimento
 
Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
 
Introdução ao estudo do direito aula
Introdução ao estudo do direito   aulaIntrodução ao estudo do direito   aula
Introdução ao estudo do direito aula
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
 
Os Tipos de Conhecimento
Os Tipos de ConhecimentoOs Tipos de Conhecimento
Os Tipos de Conhecimento
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Teoria geral do direito
Teoria geral do direitoTeoria geral do direito
Teoria geral do direito
 
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
Pesquisa - Quantitativa e Qualitativa
 
Metodologia científica
Metodologia científica Metodologia científica
Metodologia científica
 
Conhecimento cientifico
Conhecimento cientificoConhecimento cientifico
Conhecimento cientifico
 

Destaque

Contibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis Monteiro
Contibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis MonteiroContibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis Monteiro
Contibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis Monteiro
Renata Aquino
 
Métodos de pesquisa - Unidade I
Métodos de pesquisa - Unidade IMétodos de pesquisa - Unidade I
Métodos de pesquisa - Unidade I
Fernando Souza
 
Metodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientificoMetodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientifico
renatacopi
 
Conhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico
Conhecimento Empirico X Conhecimento CientificoConhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico
Conhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico
Julio Siqueira
 
Aula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologiaAula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologia
bioalvarenga
 
Senso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científicoSenso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científico
José Antonio Ferreira da Silva
 

Destaque (6)

Contibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis Monteiro
Contibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis MonteiroContibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis Monteiro
Contibuicoes e Reflexoes De Um Pesquisador por Aneridis Monteiro
 
Métodos de pesquisa - Unidade I
Métodos de pesquisa - Unidade IMétodos de pesquisa - Unidade I
Métodos de pesquisa - Unidade I
 
Metodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientificoMetodologia do Trabalho cientifico
Metodologia do Trabalho cientifico
 
Conhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico
Conhecimento Empirico X Conhecimento CientificoConhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico
Conhecimento Empirico X Conhecimento Cientifico
 
Aula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologiaAula 3 revisão de literatura e metodologia
Aula 3 revisão de literatura e metodologia
 
Senso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científicoSenso comum x conhecimento científico
Senso comum x conhecimento científico
 

Semelhante a Metodologia do trabalho científico

Metodologias do trabalho científico
Metodologias do trabalho científicoMetodologias do trabalho científico
Metodologias do trabalho científico
Josemara-Moraes
 
Metodologia do Trabalho Científico - Cap. III
Metodologia do Trabalho Científico - Cap. IIIMetodologia do Trabalho Científico - Cap. III
Metodologia do Trabalho Científico - Cap. III
laisegalla
 
Teoria e prática científica – antônio joaquim severino
Teoria e prática científica – antônio joaquim severinoTeoria e prática científica – antônio joaquim severino
Teoria e prática científica – antônio joaquim severino
Ana Faracini
 
Metodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim Severino
Metodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim SeverinoMetodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim Severino
Metodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim Severino
Ana Faracini
 
MTC_ProfLuciana
MTC_ProfLucianaMTC_ProfLuciana
MTC_ProfLuciana
Paulo Silva
 
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio SeverinoCap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Nayara Gaban
 
teoria e pratica cientifica
teoria e pratica cientificateoria e pratica cientifica
teoria e pratica cientifica
Ana Tereza Padua Oliveira
 
Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção
 Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção
Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção
helenabci
 
Teoria e prática científica
Teoria e prática científicaTeoria e prática científica
Teoria e prática científica
afcarvalho
 
Metodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática CientíficaMetodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática Científica
AndreaDItaliano
 
Teoria e prática científica
Teoria e prática científicaTeoria e prática científica
Teoria e prática científica
AndreaDItaliano
 
teoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINOteoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINO
Bianca Casonato
 
Teoria e Prática Científica - Antônio Severino
Teoria e Prática Científica - Antônio SeverinoTeoria e Prática Científica - Antônio Severino
Teoria e Prática Científica - Antônio Severino
Klicia Mendonca
 
Teoria e Prática Científica - Lucas Pessota
Teoria e Prática Científica - Lucas PessotaTeoria e Prática Científica - Lucas Pessota
Teoria e Prática Científica - Lucas Pessota
Lucas Pessota
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
A epistemologia crítica
A epistemologia críticaA epistemologia crítica
A epistemologia crítica
Elisngela9
 
Cap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho Científico
Cap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho CientíficoCap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho Científico
Cap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho Científico
Gabriel Ribeiro
 
Teoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicosTeoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicos
Mauricio Serafim
 
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICATEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
jlpaesjr
 
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Anna Keyla Polle
 

Semelhante a Metodologia do trabalho científico (20)

Metodologias do trabalho científico
Metodologias do trabalho científicoMetodologias do trabalho científico
Metodologias do trabalho científico
 
Metodologia do Trabalho Científico - Cap. III
Metodologia do Trabalho Científico - Cap. IIIMetodologia do Trabalho Científico - Cap. III
Metodologia do Trabalho Científico - Cap. III
 
Teoria e prática científica – antônio joaquim severino
Teoria e prática científica – antônio joaquim severinoTeoria e prática científica – antônio joaquim severino
Teoria e prática científica – antônio joaquim severino
 
Metodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim Severino
Metodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim SeverinoMetodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim Severino
Metodologia do trabalho científico - Antônio Joaquim Severino
 
MTC_ProfLuciana
MTC_ProfLucianaMTC_ProfLuciana
MTC_ProfLuciana
 
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio SeverinoCap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
Cap.3 Teoria e prática científica - Antonio Severino
 
teoria e pratica cientifica
teoria e pratica cientificateoria e pratica cientifica
teoria e pratica cientifica
 
Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção
 Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção
Teoria e Prática Científica - Helena Assumpção
 
Teoria e prática científica
Teoria e prática científicaTeoria e prática científica
Teoria e prática científica
 
Metodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática CientíficaMetodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática Científica
 
Teoria e prática científica
Teoria e prática científicaTeoria e prática científica
Teoria e prática científica
 
teoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINOteoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINO
 
Teoria e Prática Científica - Antônio Severino
Teoria e Prática Científica - Antônio SeverinoTeoria e Prática Científica - Antônio Severino
Teoria e Prática Científica - Antônio Severino
 
Teoria e Prática Científica - Lucas Pessota
Teoria e Prática Científica - Lucas PessotaTeoria e Prática Científica - Lucas Pessota
Teoria e Prática Científica - Lucas Pessota
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
 
A epistemologia crítica
A epistemologia críticaA epistemologia crítica
A epistemologia crítica
 
Cap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho Científico
Cap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho CientíficoCap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho Científico
Cap. 3 do Livro: Metodologia do Trabalho Científico
 
Teoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicosTeoria - alguns tópicos
Teoria - alguns tópicos
 
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICATEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
TEORIA E PRÁTICA CIENTÍFICA
 
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
 

Metodologia do trabalho científico

  • 1. Metodologia do Trabalho Científico Capítulo III – Teoria e Prática Científica Elis Gabriela Copa dos Santos - RA405230
  • 2. Introdução No início, a ciência surge com a pretensão de ser um saber único, a ser construído sob um único paradigma e conduzido sob um único método. Foi o que garantiu a unidade do sistema das Ciências Naturais. No entanto, quando se passou a estudar cientificamente o homem, com suas peculiaridades, através das Ciências Humanas, rompeu-se esse monolitismo metodológico...
  • 3. Método como caminho do conhecimento científico A Ciência se faz quando o pesquisador aborda os fenômenos aplicando recursos técnicos, seguindo um método e apoiando-se em fundamentos epistemológicos.
  • 4. O Método Quando observamos a prática científica concreta, o que nos aparece de forma mais evidente é a aplicação de atividades de caráter operacional técnico. Mas todo esse sofisticado arsenal de técnicas não é usado aleatoriamente. Ao contrário, ele segue um cuidadoso plano de utilização, ou seja, ele cumpre um roteiro preciso, ele se dá em função de um método.
  • 5. O Método Científico Elemento fundamental do processo do conhecimento realizado pela ciência para diferenciá-la não só do senso comum, mas também das demais modalidades de expressão da subjetividade humana, como a filosofia, a arte, a religião. Trata-se de um conjunto de procedimentos lógicos e de técnicas operacionais que permitem o acesso às relações causais constantes entre os fenômenos.
  • 6. A Indagação Científica Ao trabalhar com seu método, a primeira atividade do cientista é a observação dos fatos, o que fará surgir a indagação. A percepção de uma situação problemática que envolve um objeto é o fator que desencadeia a indagação científica.
  • 7. A Hipótese A criação de uma problemática induz a formação de uma hipótese. Hipótese: Proposição explicativa provisória de relações entre fenômenos, a ser comprovada ou infirmada pela experimentação. E se confirmada, transforma-se na lei.
  • 8. A Verificação Experimental Formulada a hipótese, o cientista volta ao campo experimental para verificá-la. É o momento da verificação experimental, do teste da hipótese. Isolam-se, em condições laboratoriais, as variáveis que se supõem em relação e observa-se o seu comportamento. Se confirmada a hipótese, tem-se então a lei.
  • 9. A Lei Científica Enunciado de uma relação causal constante entre fenômenos ou elementos de um fenômeno. Relações necessárias, naturais e invariáveis. Fórmula geral que sintetiza um conjunto de fatos naturais, expressando uma relação funcional constante entre variáveis.
  • 10. A Teoria Conjunto de concepções, sistematicamente organizadas; síntese geral que se propõe a explicar um conjunto de fatos cujos subconjuntos foram explicados pelas leis.
  • 11. Indução x Dedução Indução e Dedução são duas formas de raciocínio, isto é, procedimentos racionais de argumentação ou de justificação de uma hipótese. A ciência trabalha, pois, com raciocínios indutivos e com raciocínios dedutivos. Quando passa dos fatos às leis, mediante hipóteses, está trabalhando com a indução; quando passa das leis às teorias ou destas aos fatos, está trabalhando com a dedução.
  • 12. Indução e Dedução - Conceito Indução: Procedimento lógico pelo qual se passa de alguns fatos particulares a um princípio geral. Trata-se de um processo de generalização, fundado no pressuposto filosófico do determinismo universal. Dedução: Procedimento lógico, raciocínio, pelo qual se pode tirar de uma ou de várias proposições (premissas) um conclusão que delas ocorre por força puramente lógica. A conclusão segue-se necessariamente das premissas.
  • 13. Os fundamentos teórico-metodológicos da ciência. A Ciência, no sentido que a conhecemos hoje, nasceu na modernidade, quando se fez uma crítica cerrada ao modo metafísico de pensar e de, supostamente, conhecer.
  • 14. A Ciência é simultaneamente um saber teórico (que explica o real) e um poder prático (maneja o real pela prática).
  • 15. Para que o conhecimento produzido pela ciência tenha consistência, é preciso admitir algumas verdades universais, ou seja, a ciência precisa apoiar-se em alguns pressupostos.
  • 16. Cada modalidade de conhecimento pressupõe um tipo de relação entre sujeito e objeto e, dependentemente dessa relação, temos conclusões diferentes. Assim, está implicada no conhecimento científico uma afirmação prévia da parte que cabe a cada um desses polos. Por isso, o pesquisador, ao construir seu conhecimento, está “aplicando” esse pressuposto epistemológico e, por coerência interna com ele, vai utilizar recursos metodológicos e técnicos pertinentes e compatíveis com o paradigma que catalisa esses pressupostos. Daí se falar de referencial teórico-metodológico.
  • 17. A formação das ciências humanas e os novos paradigmas epistemológicos Depois de conhecer o mundo físico mediante a aplicação da metodologia experimental-matemática, a ciência se propôs a conhecer também o mundo humano, seguindo o mesmo caminho...
  • 18. A Ciência Humana Na sua gênese, as Ciências Humanas procuraram praticar a metodologia experimental/matemática da ciência, assumindo os pressupostos ontológicos e epistemológicos do Positivismo. Mas as peculiaridades do modo de ser humano foram mostrando a complexidade do fenômeno humano e a insuficiência da metodologia positivista para sua apreensão e explicação. Por isso, mesmo sem abandonar a inspiração da tradição positivista, foram enriquecendo-a e aprimorando-a. Desse modo, as pesquisas em Ciências Humanas passaram a se realizar sob a referência teórico-metodológica do Funcionalismo.
  • 19. O Funcionalismo O Funcionalismo apoia-se no pressuposto da analogia que aproxima as relações existentes entre os diversos órgãos de um organismo biológico e aquelas existentes entre as formas de organização social e cultural. Para esse paradigma, a sociedade humana e a cultura são como um organismo, cujas partes funcionam para atender às necessidades do conjunto. Toda atividade social e cultural é funcional, ou seja, desempenha uma função determinada.
  • 20. Metafísica x Ciência no estudo do homem Para a metafísica, era possível à razão humana chegar à essência das coisas. Já para a ciência, a essência dos objetos é inacessível, uma vez que eles se revelam à nossa experiência apenas como fenômenos, como aparências...
  • 21. Referência Textos retirados de: SEVERINO, Antônio Joaquim. Teoria e Prática Científica. In: SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007. Cap. 3, p. 99-118.