SlideShare uma empresa Scribd logo
Massagem
Miofascial
A massagem miofascial é um tipo de massagem
terapêutica que age sobre o tecido conjuntivo
para soltar as aderências fasciais e recuperar a
elasticidade normal.
http://www.fisioterapiaparatodos.com/p/terapia/massagem-miofascial/
Pode ser chamada em algumas pesquisas de
liberação miofascial e mioterapia.
HISTÓRIA:
• Adler (1900) – Reumatismo muscular
• Gowers (1904) – Fibrosite
• Schade (1919) – Miogelose
• Travell (1952) – Ponto-gatilho Miofascial, dor referida de 32
padrões
• Travell e Simons (1983) – Vol. 1 Manual dos Pontos-gatilho
• Travell e Simons (1992) – Vol. 2 Manual dos Pontos-gatilho
Michael Gutstein (Good) – Polônia
12 artigos entre 1938 e 1957
• Pontos miálgicos
• Constrição vascular local pela superatividade das fibras simpáticas
dos mesmos
Michael Kelly – Austrália
12 artigos entre 1941 e 1963
• Fibrosite
• Distúrbio funcional neurológico de origem miálgica, causador de
dor referida
Janet Travell (1901-1997) – EUA
40 artigos entre 1942 e 1990
• Ponto-gatilho miofascial
• Mecanismo de retroalimentação entre os Pontos-gatilho e o SNC
• 1952 definiu padrão de dor para 32 músculos, o que foi
considerado “a gênese miofascial da dor”
• 1983 – Vol. 1 do Manual dos Pontos-gatilho
• 1992 – Vol. 2 do Manual dos Pontos-gatilho
Muitas das técnicas miofasciais se
originaram da Osteopatia nos EUA
(Rubik, 1992 apud Dixon, 2007).
Marcel Bienfait (1999) apresentou
estas técnicas através do livro Fáscias e
Pompagens, e hoje estão incorporadas
a fisioterapia tendo como principal
indicação a manutenção das tensões
miofasciais.
No que se refere à designação
"Libertação Miofascial", Robert Ward
sugere que esse termo enquanto
técnica terá sido utilizado pela
primeira vez em 1981 quando foi
utilizado como título de um curso na
Universidade do Estado de Michigan.
http://mioterapia.blogspot.com.br/
http://professoralexandrefisio.blogspot.com.br/2010/12/artigo-tecnica-miofascial.html
http://www.portalmassagem.com/index.php/tecnicas-e-terapias?massagensTask=massagensDetails&catid=3&massagensId=36
1) PONTO-GATILHO MIOFASCIAL
• PG central: localizado no centro das fibras musculares; associado as placas terminais disfuncionais
• PG de inserção: localizado na junção musculotendínea e/ou na êntese muscular
• PG ativo: provoca dor espontânea e sensação de franqueza, limita o alongamento do músculo, e ao ser
pressionado produz dor na sua zona de referência
• PG latente: não provoca dor espontânea, mas sendo pressionado pode produzir dor na sua zona de referência
e/ou local, ou não
• PG primário ou principal: geralmente ativado de forma direta por sobrecarga aguda ou crônica ou por uso
excessivo e/ou repetitivo. É o responsável pela ativação dos PG satélites
• PG satélite: é ativado pela ação do PG primário por uma ligação neurogênica, antagonismo a um músculo com
tensão aumentada ou sinérgico sobrecarregado
2) PONTO-GATILHO NÃO MIOFASCIAL
• Fasciais
• Tendíneos
• Ligamentares
• Cápsulares
• Cicatriciais
• Cutâneos
• Periosteais
CARACTERÍSTICAS:
• Banda tensa
• Nódulo sensível
• Resposta contrátil local
• Aumento da temperatura local
• Sinais sensoriais referidos
• ADM diminuída
• Contração dolorosa
• Sensação de franqueza
• 85% destes tem referência de dor ao menos parcial para região
distal
• 48% tem referência somente para região distal
• 20% tem referências tanto mediais como distais
• 10% tem referências no próprio local
• Apenas 5% tem referência medial
Eletromiografia de superfície:
• Resposta aumentada
• Fadiga aumentada
• Recuperação retardada
• Relaxamento retardado
Estrutura da fáscia, anatomia do músculo bigstockphoto.com
• Avaliar a causa primária
• Restaurar e manter a saúde do músculo
• PG em crises agudas não tratado, podem se
tornar PG latentes, podem ser ativado por
diversos fatores
• Síndrome da Dor Miofascial devido a PG
http://mioterapia.blogspot.com.br/
A Síndrome Dolorosa Miofascial pode estar presente em qualquer músculo, e
na grande maioria das vezes é acompanhada de pontos hipersensíveis,
chamados de trigger points. Clinicamente, é um foco irritável no músculo
associado com o nódulo palpável hipersensível na zona de tensão. O foco é
doloroso a compressão e pode desencadear padrões característicos de dor,
sensibilidade a distância, fenômenos autônomos e disfunção motora.
A Síndrome Dolorosa Miofascial é definida como uma disfunção
neuromuscular regional que tem como característica a presença de regiões
sensíveis em bandas musculares contraturadas/tensas, produzindo dor
referida em áreas distantes ou adjacentes. Entre as causas, estão traumas
(macro e microtraumas), infecção ou inflamação devido a uma patologia de
base, alterações biomecânicas (discrepância de membros, aumento
acentuado dos seios) e posturais, distensões crônicas, esfriamento de
músculos fatigados e miosite aguda.
http://posugf.com.br/noticias/todas/892-sindrome-dolorosa-miofascial-por-milena-dutra
1) COMPONENTE DA CRISE DE ENERGIA
Atividade contrátil sustentada dos sarcômeros
Aumento demandas metabólicas
Compressão pequenos feixes neurovasculares
Diminuição da nutrição e oxigenação da região
Crise local de energia
Falha na recaptação de Ca++ para o retículo sarcoplasmático (transporte ativo)
Pela presença do Ca++ no sarcômero, ocorre a perpetuação da sua atividade contrátil, completando assim o círculo
vicioso
Em conseqüência disto, é estimulada a produção de substâncias vasorreativas que sensibilizam os nociceptores locais
2) NEUROPÁTICA
Neuropatia do nervo que serve o músculo afetado
Compressão dos nervos motores pode ativar e perpetuar a disfunção primária do PG na placa terminal motora
3) CICLO DOR-ESPASMO-DOR
Espasmo muscular focal provocando aumento da sensibilidade
Identificação do mesmo pelo SNC
Resposta de proteção com contração adicional, aumentando o espasmo e a dor, perpetuando assim o ciclo
Justificativa para as posições antálgicas nos casos de crises agudas
4) TECIDO CICATRICIAL FIBRÓTICO
A firmeza palpável dos tecidos no PG representa um tecido fibrótico (cicatriz)
Possível conseqüência da disfunção da placa terminal motora por longo período de tempo
Adaptação ao encurtamento do endomísio que reveste a fibra muscular
http://mioterapia.blogspot.com.br/
• Injeção do Ponto-gatilho
• Spray e alongamento
• Eletroterapia
• TEM: relaxamento pós-isometria, inibição recíproca, contração-relaxamento
• Técnicas posicionais: JONES / PRT
• Massagem transversa profunda (CYRIAX)
• Liberação miofascial por deslizamento profundo
• Liberação por pressão
LIBERAÇÃO POR PRESSÃO
• Libera os sarcômeros contraídos dos nós de contração no Ponto-gatilho (liberação
de barreira)
• Diferente do conceito de compressão isquêmica
• Mais agradável ao paciente
• Requer habilidade manual
• O músculo e mantido no seu comprimento livre durante o processo
http://mioterapia.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial
FUAD HAZIME
 
Massagem Desportiva
Massagem DesportivaMassagem Desportiva
Massagem Desportiva
Hugo Pedrosa
 
A importância do toque
A importância do toque A importância do toque
A importância do toque
Rita Barros
 
Manual de massagem.
Manual de massagem.Manual de massagem.
Manual de massagem.
inteligente19
 
As massagens e os seus benefícios
As massagens e os seus benefíciosAs massagens e os seus benefícios
As massagens e os seus benefícios
Teresa Batista
 
Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e DesportivaPortfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Hugo Pedrosa
 
Massagens
MassagensMassagens
Massagens
Adriana Alves
 
Eletroterapia Resumo
Eletroterapia ResumoEletroterapia Resumo
Eletroterapia Resumo
Danillo Aguiar
 
CONTRATURAS
CONTRATURASCONTRATURAS
Reabilitação domiciliar de Joelho
Reabilitação domiciliar de JoelhoReabilitação domiciliar de Joelho
Reabilitação domiciliar de Joelho
Daniel Xavier
 
Massagens de Pedras Quentes
Massagens de Pedras QuentesMassagens de Pedras Quentes
Massagens de Pedras Quentes
Gessilene Martins
 
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapia
Renan Malaquias
 
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
FUAD HAZIME
 
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Cleanto Santos Vieira
 
Hidroterapia
Hidroterapia Hidroterapia
Hidroterapia
Cristiane Surya
 
Fisioterapia traumato ortopédica
Fisioterapia traumato ortopédica Fisioterapia traumato ortopédica
Fisioterapia traumato ortopédica
Brasil Telecom/OI
 
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
Eliseu Correa
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxante
Rosiane Bezerra
 
Recursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoRecursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducao
Nay Ribeiro
 
Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet
Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet   Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet
Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet
fabricioboscolo
 

Mais procurados (20)

Corrente interferencial
Corrente interferencial Corrente interferencial
Corrente interferencial
 
Massagem Desportiva
Massagem DesportivaMassagem Desportiva
Massagem Desportiva
 
A importância do toque
A importância do toque A importância do toque
A importância do toque
 
Manual de massagem.
Manual de massagem.Manual de massagem.
Manual de massagem.
 
As massagens e os seus benefícios
As massagens e os seus benefíciosAs massagens e os seus benefícios
As massagens e os seus benefícios
 
Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e DesportivaPortfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
 
Massagens
MassagensMassagens
Massagens
 
Eletroterapia Resumo
Eletroterapia ResumoEletroterapia Resumo
Eletroterapia Resumo
 
CONTRATURAS
CONTRATURASCONTRATURAS
CONTRATURAS
 
Reabilitação domiciliar de Joelho
Reabilitação domiciliar de JoelhoReabilitação domiciliar de Joelho
Reabilitação domiciliar de Joelho
 
Massagens de Pedras Quentes
Massagens de Pedras QuentesMassagens de Pedras Quentes
Massagens de Pedras Quentes
 
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapia
 
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
 
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
Eletroterapia - corrente russa - capitulo 7 aula 17
 
Hidroterapia
Hidroterapia Hidroterapia
Hidroterapia
 
Fisioterapia traumato ortopédica
Fisioterapia traumato ortopédica Fisioterapia traumato ortopédica
Fisioterapia traumato ortopédica
 
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
248047190 apostila-massagem-estetica-modeladora
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxante
 
Recursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducaoRecursos terapeuticos manuais introducao
Recursos terapeuticos manuais introducao
 
Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet
Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet   Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet
Aula sobre Reabilitação - Ft Msdo Marcos Zanchet
 

Semelhante a Massagem miofascial

Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatóriaDiagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Luana Chagas Miguel
 
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxPalestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Linda Moreira
 
Sistema muscular
Sistema muscularSistema muscular
Sistema muscular
Mel Medina
 
Articulação temporomandibular
Articulação temporomandibularArticulação temporomandibular
Articulação temporomandibular
grupoatm
 
Lesoes Musculares
Lesoes MuscularesLesoes Musculares
Lesoes Musculares
Hugo Pedrosa
 
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdfAula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
GustavoArouche1
 
sindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.ppt
sindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.pptsindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.ppt
sindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.ppt
karol castellon
 
Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02
Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02
Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02
youtuber yt
 
Cefaléia Cervicogênica
Cefaléia CervicogênicaCefaléia Cervicogênica
Cefaléia Cervicogênica
Dr. Rafael Higashi
 
Aula 2 fisiologia humana (2)
Aula 2   fisiologia humana (2)Aula 2   fisiologia humana (2)
Aula 2 fisiologia humana (2)
Daniel Moura
 
212 -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...
212  -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...212  -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...
212 -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...
josselina mjosselina
 
Fasciculo3
Fasciculo3Fasciculo3
Fasciculo3
cristianocpt
 
Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.
Cleusa Kochhann
 
DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)
DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)
DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)
GabrielaSoares07
 
5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf
5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf
5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf
JulianaAlves632912
 
Sindrome miofascial
Sindrome miofascialSindrome miofascial
Sindrome miofascial
Paulo Alambert
 
klinger o jogador de video game
klinger o jogador de video gameklinger o jogador de video game
klinger o jogador de video game
Antonio de Vasconcelos II
 
Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013
pauloalambert
 
Ler dort
Ler dort Ler dort
Ler dort
Ana Hollanders
 
Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos
Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos
Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos
Brunno Rosique
 

Semelhante a Massagem miofascial (20)

Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatóriaDiagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
Diagnóstico e tratamento da dor muscular mastigatória
 
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptxPalestra alongamento x flexionamento.pptx
Palestra alongamento x flexionamento.pptx
 
Sistema muscular
Sistema muscularSistema muscular
Sistema muscular
 
Articulação temporomandibular
Articulação temporomandibularArticulação temporomandibular
Articulação temporomandibular
 
Lesoes Musculares
Lesoes MuscularesLesoes Musculares
Lesoes Musculares
 
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdfAula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
 
sindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.ppt
sindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.pptsindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.ppt
sindromemiofascialsindromemiofascial-160322012716.ppt
 
Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02
Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02
Articulaotemporomandibular 110527121644-phpapp02
 
Cefaléia Cervicogênica
Cefaléia CervicogênicaCefaléia Cervicogênica
Cefaléia Cervicogênica
 
Aula 2 fisiologia humana (2)
Aula 2   fisiologia humana (2)Aula 2   fisiologia humana (2)
Aula 2 fisiologia humana (2)
 
212 -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...
212  -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...212  -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...
212 -o_tratamento_da_cefaleia_de_origem_tensional_atrav_ys_da_tycnica_e_pont...
 
Fasciculo3
Fasciculo3Fasciculo3
Fasciculo3
 
Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.
 
DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)
DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)
DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR (DTM)
 
5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf
5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf
5- Farmacologia dos Relaxantes musculares farmaco1 paraalunos2015 (1).pdf
 
Sindrome miofascial
Sindrome miofascialSindrome miofascial
Sindrome miofascial
 
klinger o jogador de video game
klinger o jogador de video gameklinger o jogador de video game
klinger o jogador de video game
 
Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013Teórico prático l 2013
Teórico prático l 2013
 
Ler dort
Ler dort Ler dort
Ler dort
 
Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos
Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos
Fasciculo 3 Lesao de Nervos Periféricos
 

Massagem miofascial

  • 2. A massagem miofascial é um tipo de massagem terapêutica que age sobre o tecido conjuntivo para soltar as aderências fasciais e recuperar a elasticidade normal. http://www.fisioterapiaparatodos.com/p/terapia/massagem-miofascial/ Pode ser chamada em algumas pesquisas de liberação miofascial e mioterapia.
  • 3. HISTÓRIA: • Adler (1900) – Reumatismo muscular • Gowers (1904) – Fibrosite • Schade (1919) – Miogelose • Travell (1952) – Ponto-gatilho Miofascial, dor referida de 32 padrões • Travell e Simons (1983) – Vol. 1 Manual dos Pontos-gatilho • Travell e Simons (1992) – Vol. 2 Manual dos Pontos-gatilho Michael Gutstein (Good) – Polônia 12 artigos entre 1938 e 1957 • Pontos miálgicos • Constrição vascular local pela superatividade das fibras simpáticas dos mesmos Michael Kelly – Austrália 12 artigos entre 1941 e 1963 • Fibrosite • Distúrbio funcional neurológico de origem miálgica, causador de dor referida Janet Travell (1901-1997) – EUA 40 artigos entre 1942 e 1990 • Ponto-gatilho miofascial • Mecanismo de retroalimentação entre os Pontos-gatilho e o SNC • 1952 definiu padrão de dor para 32 músculos, o que foi considerado “a gênese miofascial da dor” • 1983 – Vol. 1 do Manual dos Pontos-gatilho • 1992 – Vol. 2 do Manual dos Pontos-gatilho Muitas das técnicas miofasciais se originaram da Osteopatia nos EUA (Rubik, 1992 apud Dixon, 2007). Marcel Bienfait (1999) apresentou estas técnicas através do livro Fáscias e Pompagens, e hoje estão incorporadas a fisioterapia tendo como principal indicação a manutenção das tensões miofasciais. No que se refere à designação "Libertação Miofascial", Robert Ward sugere que esse termo enquanto técnica terá sido utilizado pela primeira vez em 1981 quando foi utilizado como título de um curso na Universidade do Estado de Michigan. http://mioterapia.blogspot.com.br/ http://professoralexandrefisio.blogspot.com.br/2010/12/artigo-tecnica-miofascial.html http://www.portalmassagem.com/index.php/tecnicas-e-terapias?massagensTask=massagensDetails&catid=3&massagensId=36
  • 4. 1) PONTO-GATILHO MIOFASCIAL • PG central: localizado no centro das fibras musculares; associado as placas terminais disfuncionais • PG de inserção: localizado na junção musculotendínea e/ou na êntese muscular • PG ativo: provoca dor espontânea e sensação de franqueza, limita o alongamento do músculo, e ao ser pressionado produz dor na sua zona de referência • PG latente: não provoca dor espontânea, mas sendo pressionado pode produzir dor na sua zona de referência e/ou local, ou não • PG primário ou principal: geralmente ativado de forma direta por sobrecarga aguda ou crônica ou por uso excessivo e/ou repetitivo. É o responsável pela ativação dos PG satélites • PG satélite: é ativado pela ação do PG primário por uma ligação neurogênica, antagonismo a um músculo com tensão aumentada ou sinérgico sobrecarregado 2) PONTO-GATILHO NÃO MIOFASCIAL • Fasciais • Tendíneos • Ligamentares • Cápsulares • Cicatriciais • Cutâneos • Periosteais
  • 5. CARACTERÍSTICAS: • Banda tensa • Nódulo sensível • Resposta contrátil local • Aumento da temperatura local • Sinais sensoriais referidos • ADM diminuída • Contração dolorosa • Sensação de franqueza • 85% destes tem referência de dor ao menos parcial para região distal • 48% tem referência somente para região distal • 20% tem referências tanto mediais como distais • 10% tem referências no próprio local • Apenas 5% tem referência medial Eletromiografia de superfície: • Resposta aumentada • Fadiga aumentada • Recuperação retardada • Relaxamento retardado Estrutura da fáscia, anatomia do músculo bigstockphoto.com
  • 6. • Avaliar a causa primária • Restaurar e manter a saúde do músculo • PG em crises agudas não tratado, podem se tornar PG latentes, podem ser ativado por diversos fatores • Síndrome da Dor Miofascial devido a PG http://mioterapia.blogspot.com.br/
  • 7. A Síndrome Dolorosa Miofascial pode estar presente em qualquer músculo, e na grande maioria das vezes é acompanhada de pontos hipersensíveis, chamados de trigger points. Clinicamente, é um foco irritável no músculo associado com o nódulo palpável hipersensível na zona de tensão. O foco é doloroso a compressão e pode desencadear padrões característicos de dor, sensibilidade a distância, fenômenos autônomos e disfunção motora. A Síndrome Dolorosa Miofascial é definida como uma disfunção neuromuscular regional que tem como característica a presença de regiões sensíveis em bandas musculares contraturadas/tensas, produzindo dor referida em áreas distantes ou adjacentes. Entre as causas, estão traumas (macro e microtraumas), infecção ou inflamação devido a uma patologia de base, alterações biomecânicas (discrepância de membros, aumento acentuado dos seios) e posturais, distensões crônicas, esfriamento de músculos fatigados e miosite aguda. http://posugf.com.br/noticias/todas/892-sindrome-dolorosa-miofascial-por-milena-dutra
  • 8. 1) COMPONENTE DA CRISE DE ENERGIA Atividade contrátil sustentada dos sarcômeros Aumento demandas metabólicas Compressão pequenos feixes neurovasculares Diminuição da nutrição e oxigenação da região Crise local de energia Falha na recaptação de Ca++ para o retículo sarcoplasmático (transporte ativo) Pela presença do Ca++ no sarcômero, ocorre a perpetuação da sua atividade contrátil, completando assim o círculo vicioso Em conseqüência disto, é estimulada a produção de substâncias vasorreativas que sensibilizam os nociceptores locais 2) NEUROPÁTICA Neuropatia do nervo que serve o músculo afetado Compressão dos nervos motores pode ativar e perpetuar a disfunção primária do PG na placa terminal motora 3) CICLO DOR-ESPASMO-DOR Espasmo muscular focal provocando aumento da sensibilidade Identificação do mesmo pelo SNC Resposta de proteção com contração adicional, aumentando o espasmo e a dor, perpetuando assim o ciclo Justificativa para as posições antálgicas nos casos de crises agudas 4) TECIDO CICATRICIAL FIBRÓTICO A firmeza palpável dos tecidos no PG representa um tecido fibrótico (cicatriz) Possível conseqüência da disfunção da placa terminal motora por longo período de tempo Adaptação ao encurtamento do endomísio que reveste a fibra muscular http://mioterapia.blogspot.com.br/
  • 9. • Injeção do Ponto-gatilho • Spray e alongamento • Eletroterapia • TEM: relaxamento pós-isometria, inibição recíproca, contração-relaxamento • Técnicas posicionais: JONES / PRT • Massagem transversa profunda (CYRIAX) • Liberação miofascial por deslizamento profundo • Liberação por pressão LIBERAÇÃO POR PRESSÃO • Libera os sarcômeros contraídos dos nós de contração no Ponto-gatilho (liberação de barreira) • Diferente do conceito de compressão isquêmica • Mais agradável ao paciente • Requer habilidade manual • O músculo e mantido no seu comprimento livre durante o processo http://mioterapia.blogspot.com.br/