SlideShare uma empresa Scribd logo
Jania akamatsu eficiencia
Eficiência EnergéticaEficiência Energética
no Brasilno Brasil
JANIO ITIRO AKAMATSU
Diretoria de Tecnologia da Eletrobrás
Guaratinguetá, 20 de Novembro de 2008
Ministério de
Minas e Energia
ELETROBRÁS PETROBRÁS ANEEL
DDE
PROCEL CONPET PEE
Programas Nacionais em Eficiência EnergéticaProgramas Nacionais em Eficiência Energética
Outros agentes federais envolvidos comOutros agentes federais envolvidos com
Eficiência EnergéticaEficiência Energética
 Instituto Nacional de Metrologia – INMETRO
 Banco Nacional de Desenvolvimento – BNDES
 Programa de modernização do Setor de Saneamento – PMSS
 Programa nacional de combate ao Desperdício de água – PNCDA
 Caixa Econômica Federal
Programa de Eficiência Energética - PEEPrograma de Eficiência Energética - PEE
ANEELANEEL
Lei 9.991, de julho de 2000
Art. 1o
As concessionárias e permissionárias de serviços públicos de distribuição
de energia elétrica ficam obrigadas a aplicar, anualmente, o montante de, no
mínimo, setenta e cinco centésimos por cento de sua receita operacional líquida
em pesquisa e desenvolvimento do setor elétrico e, no mínimo, vinte e cinco
centésimos por cento em programas de eficiência energética no uso final...
I – até 31 de dezembro de 2005, os percentuais mínimos definidos no caput deste
artigo serão de cinqüenta centésimos por cento, tanto para pesquisa e
desenvolvimento, como para programas de eficiência energética na oferta e no
uso final da energia.
Lei nº 11.465, de março de 2007: I – até 31 de dezembro de 2010...
Ciclo
Número de
Empresas
Investimento
(milhões de R$)
Demanda Evitada
(MW)
Energia Econ.
(GWh/ano)
1998/1999 17 196 250 755
1999/2000 42 230 370 1.020
2000/2001 64 152 251 894
2001/2002 64 142 85 348
2002/2003 64 154 54 222
2003/2004 64 313 110 489
2004/2005 64 175 275 925
2005/2006 64 296 141 538
2006/2007* 44 183 104 293
Média** - 207 192 650
Total - 1.841 1.640 5.484
*Até 15/06/2007;
**Entre 1998/1999 e 2005/2006
PEEPEE
Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados
Síntese dos Investimentos Realizados e Resultados PrevistosSíntese dos Investimentos Realizados e Resultados Previstos
40%
14%
10%
10%
9%
6%
4%
Iluminação Pública
Residencial
Industrial
Serviços Públicos
Educação
Comércio e Serviços
Poder Público
Aquecimento Solar
Rural
Perdas
Gestão E. Municipal
Fator de Carga
PEEPEE
Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados
Resumo dos Ciclos 2000/2001 a 2004/2005Resumo dos Ciclos 2000/2001 a 2004/2005
Tipo de Projeto
Investimento
Apropriado (R$)
Investimento
Apropriado (%)
Energia Econ.
(MWh/ano)
Demanda
Evitada (kW)
Residencial 304.857.404,19 63,7 511.502 183.488
Poderes Públicos 58.054.933,90 12,1 64.786 16.525
Industrial 55.117.547,69 11,5 178.735 25.992
Serviços Públicos 26.355.705,27 5,5 38.899 7.706
Comércio e Serviços 22.862.519,95 4,8 27.067 6.103
Rural 6.389.850,12 1,3 7.634 3.597
Aquecimento Solar 4.623.665,12 1,0 1.355 1.335
Total 478.261.626,24 100 829.979 244.746
*Dados parciais
PEEPEE
Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados
Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007
2005/20062005/2006 2006/20072006/2007
Investimento (R$) 296.438.754,84 182.787.149,15
Baixa Renda 63% 66%
Indústria 15% 6%
Outros 22% 28%
2005/20062005/2006 2006/2007*2006/2007*
Investimento (R$) 184.731.222,36 107.817.181,83
Lâmpadas Eficientes 2.938.677 1.761.201
Geladeiras 30.710 26.177
Instalações Internas 130.025 n.d.
Aquecedores Solares 18.165 4.726
Padrão Entrada 94.720 n.d.
Residencial Baixa RendaResidencial Baixa Renda
*Dados parciais
PEEPEE
Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados
Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007*Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007*
Programa nacional da racionalização do uso dos
derivados do petróleo e do gás natural
Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE)
•O PBE é um programa de
conservação de energia que
visa orientar o consumidor
quanto à eficiência energética
de alguns produtos.
Selo Conpet
•É concedido anualmente a
todos os produtos que
obtiverem o conceito “A” nos
ensaios laboratoriais do PBE.
•Visa racionalizar o consumo de óleo
diesel e promover a melhoria da
qualidade do ar, reduzindo a emissão de
fumaça preta de ônibus e caminhões.
Conpet na Escola
Unidade Móvel
•Apresenta para alunos e
professores a importância do uso
racional de energia através de:
Oficinas para os professores.
Show de Energia para os alunos.
Conpet na Escola
Auditórios
Conpet na Escola
Vale : 10 000 alunos
Unidade Móvel: 20.000 alunos
Equipe no EMAS : 20 pessoas
Show de EnergiaShow de Energia
Dados de 2008Dados de 2008
 Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério das Minas e
Energia, criado em 1985 e executado pela Eletrobrás
 Articular o Setor Elétrico e a Sociedade, visando fomentar a eficiência
energética e o uso racional da energia, em benefício da própria
sociedade.
 Combater o desperdício de energia elétrica
 Estimular o uso eficiente e racional de energia elétrica
 Fomentar e apoiar a formulação de leis e regulamentos voltados para as
praticas de eficiência energética
 Aumentar a competitividade do país
 Reduzir os impactos ambientais
 Proporcionar benefícios à própria sociedade
PROCELPROCEL DefiniçãoDefinição
MissãoMissão
ObjetivosObjetivos
 Abrangência nacional;
 Grande diversidade de agentes;
 Disseminação da informação – Marketing de convencimento;
 Sensibilização
 Capacitação (para diversas categorias de profissionais)
 Viabilidade de implantação de projetos demonstração;
 Busca da perenização das ações;
 Atuação regulatória e/ou legislativa;
 Linhas de financiamento para replicação.
AUTO-SUSTENTABILIDADE COM BENEFÍCIOS SOCIO-ECONÔMICOS E AMBIENTAISAUTO-SUSTENTABILIDADE COM BENEFÍCIOS SOCIO-ECONÔMICOS E AMBIENTAIS
DIRETRIZES GERAIS DOS PROGRAMASDIRETRIZES GERAIS DOS PROGRAMAS
RESIDENCIAL
24%
INDÚSTRIA
46%
ILUMINAÇÃO
PÚBLICA
3%
SANEAMENTO
3%
PODER
PÚBLICO
3%
COMERCIAL
16%
OUTROS
5%
Consumo Faturado de Energia
Elétrica 2007 – 376,90 TWh
Fonte: EPE– Boletim Nº 04 JAN/2008
CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL (%)CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL (%)
PROCEL EPP
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NOS PRÉDIOS PÚBLICOS
 Colaborar na redução dos gastos com o insumo energia elétrica nos
prédios públicos, disseminando técnicas e metodologias para reaplicação
dos projetos de eficiência energética;
 Capacitar, em eficiência energética, funcionários e usuários dos prédios
públicos.
PROCEL GEM
GESTÃO ENERGÉTICA MUNICIPAL
 Ajudar as prefeituras a gastar menos com energia elétrica- planejamento
da gestão energética.
SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
resultados
resultados
PROCEL RELUZ
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA E SINALIZAÇÃO
SEMAFÓRICA
 Promover o desenvolvimento de sistemas de iluminação pública e
sinalização semafórica eficientes;
 Postergar investimentos na expansão do sistema elétrico;
 Colaborar na redução dos gastos públicos dos municípios com Energia
Elétrica;
 Melhorar as condições de vida noturna e segurança dos cidadãos.
resultados
SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
PROCEL EDIFICA
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NAS EDIFICAÇÕES
 Dar suporte a aplicação da Lei 10.295/01, por meio da regulamentação
da eficiência energética das edificações brasileiras (EEE)
 Fomentar a pesquisa e a capacitação no tema EEE
 Introdução do tema EEE na grade curricular dos cursos de arquitetura e
engenharia
 Fomentar o desenvolvimento de tecnologias e sistemas construtivos
adaptados às diferente regiões bioclimáticas
 Protocolo de cooperação técnica e financeira com a Caixa Econômica
Federal para considerar os preceitos de EEE nos financiamentos
habitacionais
resultados
SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
PROCEL SANEAR
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SANEAMENTO AMBIENTAL
 Promover a eficiência energética no setor de saneamento destacando a
sinergia entre a redução e controle de perdas de água e a redução do
consumo de energia elétrica.
PROCEL INDÚSTRIA
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA INDUSTRIAL
 Minimizar perdas nos sistemas motrizes já instalados na indústria
brasileiras através das seguintes ações:
Otimização de sistemas motrizes industriais através de convênios com as
federações de indústria;
Capacitação laboratorial através de convênios com universidades.
resultados
resultados
SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
PROCEL SELO
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EQUIPAMENTOS
 Criado em 8 de dezembro de 1993, é concedido aos mais eficientes em
uma determinada categoria de produtos
 Parceria PROCEL- INMETRO
 Orienta o consumidor e estimula a fabricação e a comercialização de
produtos mais eficientes
Selo Procel de
Economia de
Energia
resultados
SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
PROCEL EDUCAÇÃO
INFORMAÇÃO E CIDADANIA
 Levar os conceitos de conservação de energia à educação formal do país
e à sociedade;
 Na educação formal, atuar inserindo os temas Mudança de Hábitos e
Eficiência Energética nos ensinos Básico (infantil*, fundamental e médio)
técnico e superior.
resultados
SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
*Educação infantil é a categoria de 0 a 6 anos, que inclui
creches e pré-escolas. Essa categoria foi incorporada à nova Lei
de Diretrizes Básicas da Educação - LDB de 2006
 Portal PROCEL INFO
O que é:
 Centro de informação voltado
exclusivamente para o tema EE;
 Fácil acesso (web);
 Permanentemente atualizado, com
conteúdo qualificado;
 Livre acesso à informação (gratuito).
Oferece:
 Newsletter;
 Publicações Técnicas (teses, artigos,
livros, guias, relatórios...);
 Simuladores úteis para projetos de EE
 Relação dos agentes da área;
 Relação das Fontes de Financiamento
disponíveis;
 Legislação e Normas;
 Agenda de Cursos e Eventos;
 Indicadores da pesquisa (PPH);
 Ferramentas (escritórios virtuais, fórum,
pesquisa, chat).
PROCEL INFO
CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
www.procelinfo.com.brwww.procelinfo.com.br
resultados
SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
 O Projeto de Eficiência Energética,envolve recursos financeiros de
US$11,9 milhões e está sendo implantado com recursos do Global
Environment Facility – GEF
 O PEE tem como objetivo promover a eficiência energética através
de projetos de demonstração, atividades de suporte e de capacitação
conforme mostrado nos gráficos e tabelas a seguir:
BANCO MUNDIALBANCO MUNDIAL ObjetivosObjetivos
Total do Investimento: US$ 11,9 milhões
$800
$1.200
$400
$1.000 $200
$130
$1.150
$1.300
$4.420
$1.300
Centro de Referência em Eficiência
Energética ($1.300)
Estudos de Caso/Treinamento
($800)
Avaliação do M ercado ($1.200)
Simulador/Goniofotômetro/Equip.
Bombas Centrífugas ($1.150)
Video Conferência ($130)
Aquecedores Solares ($200)
Equipamentos p/ UGP ($1000)
Capacit. Laboratorial ($4.420)
Plano M arketing/Camp.Publicitária
($1.300)
Tecn.CATE/CEPEL ($400)
BANCO MUNDIALBANCO MUNDIAL Destino dos RecursosDestino dos Recursos
RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007
 Economia de 28,5 bilhões de kWh, em 22 anos de atuação,
equivalente:
 ao consumo anual de 16 milhões de residências em um ano; ou
 ao consumo do Sistema Norte Interligado, que compreende parte do Pará
e os estados do Tocantins e Maranhão em um ano; ou
 30% do consumo residencial do Brasil durante um ano;
 a investimentos postergados de cerca de R$ 19,9 bilhões.
RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007
Investimento Total
(R$ milhões)
1.024
Economia de Energia
(GWh/ano)
28.528
Usina Equivalente
(MW)
6.842
Redução de Demanda
(MW)
7.969
Investimento Postergado
(R$ milhões)
19.918
CALL CENTER PROCELCALL CENTER PROCEL
SITE PROCELSITE PROCEL
08005605060800560506
WWW.ELETROBRAS.COM/PROCELWWW.ELETROBRAS.COM/PROCEL
JANIO ITIRO AKAMATSU
Diretoria de Tecnologia da Eletrobrás
 (21) 2514-5669
 janio.akamatsu@eletrobras.com
OBRIGADOOBRIGADO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
CPFL Energia
 
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
CPFL Energia
 
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
CPFL Energia
 
Agua quente solar parte 4
Agua quente solar   parte 4Agua quente solar   parte 4
Agua quente solar parte 4
Jupira Silva
 
Pedro Mateus - ADENE
Pedro Mateus - ADENEPedro Mateus - ADENE
Pedro Mateus - ADENE
Construção Sustentável
 
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de EnergiaContribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
slides-mci
 
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
slides-mci
 
Artigo cilca jim
Artigo cilca jimArtigo cilca jim
Artigo cilca jim
Jim Naturesa
 
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
CPFL Energia
 
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
slides-mci
 
Mecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e Privados
Mecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e PrivadosMecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e Privados
Mecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e Privados
slides-mci
 
Geração Distribuída: Uma Opção Viável
Geração Distribuída: Uma Opção ViávelGeração Distribuída: Uma Opção Viável
Geração Distribuída: Uma Opção Viável
slides-mci
 
Apresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyIN
Apresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyINApresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyIN
Apresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyIN
EnergyIN - Pólo de Competitividade e Tecnologia da Energia
 
XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012 XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012
CBE2012
 
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
itgfiles
 
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São PauloO Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
slides-mci
 
Apresentação institucional 2010
Apresentação institucional 2010Apresentação institucional 2010
Apresentação institucional 2010
AES Tietê
 
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
slides-mci
 
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEESolenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
slides-mci
 
Nuno Baptista - ADENE
Nuno Baptista - ADENENuno Baptista - ADENE
Nuno Baptista - ADENE
Construção Sustentável
 

Mais procurados (20)

Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
Workshop EE 2014 - 04. Marcelo Sigoli - A Visão da Abesco Sobre Eficiência ...
 
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
 
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
Workshop EE 2014 - 08. Luiz Carlos Lopes Júnior - PEE CPFL Energia - Chamada ...
 
Agua quente solar parte 4
Agua quente solar   parte 4Agua quente solar   parte 4
Agua quente solar parte 4
 
Pedro Mateus - ADENE
Pedro Mateus - ADENEPedro Mateus - ADENE
Pedro Mateus - ADENE
 
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de EnergiaContribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
Contribuição da Eficiência Energética na Expansão da Oferta de Energia
 
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
Lei 13.280/2016. O que muda no Programa de Eficiência Energética?
 
Artigo cilca jim
Artigo cilca jimArtigo cilca jim
Artigo cilca jim
 
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
Workshop EE 2014 - 05. Alexandre Behrens - Eficiência Energética em Sistema...
 
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
 
Mecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e Privados
Mecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e PrivadosMecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e Privados
Mecanismos de Financiamento: Bancos Públicos e Privados
 
Geração Distribuída: Uma Opção Viável
Geração Distribuída: Uma Opção ViávelGeração Distribuída: Uma Opção Viável
Geração Distribuída: Uma Opção Viável
 
Apresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyIN
Apresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyINApresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyIN
Apresentação Queirós Almeida EDP PPEC na 3ª Conf Anual do EnergyIN
 
XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012 XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012
XIV CBE - MESA 5 - Fernando Perrone - 25 outubro 2012
 
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
 
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São PauloO Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
O Programa de Eficiência Energética no Estado de São Paulo
 
Apresentação institucional 2010
Apresentação institucional 2010Apresentação institucional 2010
Apresentação institucional 2010
 
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
10% de ganho em eficiência no setor elétrico até 2030. O que ainda é possível?
 
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEESolenidade de Abertura do 13º COBEE
Solenidade de Abertura do 13º COBEE
 
Nuno Baptista - ADENE
Nuno Baptista - ADENENuno Baptista - ADENE
Nuno Baptista - ADENE
 

Semelhante a Jania akamatsu eficiencia

O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptxO PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
Antonio Carlos Baltazar
 
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações PúblicasGuia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
ascommme
 
Agrener 2013 ee_vf_rev_jim
Agrener 2013 ee_vf_rev_jimAgrener 2013 ee_vf_rev_jim
Agrener 2013 ee_vf_rev_jim
Jim Naturesa
 
Agrener 08 02
Agrener 08 02Agrener 08 02
Agrener 08 02
Jim Naturesa
 
Guia gestao energetica
Guia gestao energeticaGuia gestao energetica
Guia gestao energetica
Silas Ferreira Alves
 
Procel_Relatorio_2022_web.pdf
Procel_Relatorio_2022_web.pdfProcel_Relatorio_2022_web.pdf
Procel_Relatorio_2022_web.pdf
chicoelihimas
 
Livro bombeamento
Livro bombeamentoLivro bombeamento
Livro bombeamento
Jonnathan Amaral de Freitas
 
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCELMecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
slides-mci
 
Programa Eficiência Energética
Programa Eficiência EnergéticaPrograma Eficiência Energética
Programa Eficiência Energética
InformaGroup
 
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdfRNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
JosAzevedo64
 
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Conrado Augustus de Melo
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENE
ken.nunes
 
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
ken.nunes
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel MannExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão
 
Prêmio procel – cidades eficientes
Prêmio procel – cidades eficientesPrêmio procel – cidades eficientes
Prêmio procel – cidades eficientes
ElinaldoMS
 
Draft of analysis report of national status quo may 2012_pt
Draft of analysis report of national status quo may 2012_ptDraft of analysis report of national status quo may 2012_pt
Draft of analysis report of national status quo may 2012_pt
Januário Esteves
 
PAINEL SOLAR | ENERGIA EÓLICA
PAINEL SOLAR |  ENERGIA EÓLICAPAINEL SOLAR |  ENERGIA EÓLICA
PAINEL SOLAR | ENERGIA EÓLICA
Diego Silvério, MBA, Eng.
 
Comitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdf
Comitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdfComitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdf
Comitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdf
A2020eletrotecnicano
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
CPFL RI
 
Racionalidade económica
Racionalidade económicaRacionalidade económica
Racionalidade económica
António Nunes
 

Semelhante a Jania akamatsu eficiencia (20)

O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptxO PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
 
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações PúblicasGuia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
 
Agrener 2013 ee_vf_rev_jim
Agrener 2013 ee_vf_rev_jimAgrener 2013 ee_vf_rev_jim
Agrener 2013 ee_vf_rev_jim
 
Agrener 08 02
Agrener 08 02Agrener 08 02
Agrener 08 02
 
Guia gestao energetica
Guia gestao energeticaGuia gestao energetica
Guia gestao energetica
 
Procel_Relatorio_2022_web.pdf
Procel_Relatorio_2022_web.pdfProcel_Relatorio_2022_web.pdf
Procel_Relatorio_2022_web.pdf
 
Livro bombeamento
Livro bombeamentoLivro bombeamento
Livro bombeamento
 
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCELMecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
 
Programa Eficiência Energética
Programa Eficiência EnergéticaPrograma Eficiência Energética
Programa Eficiência Energética
 
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdfRNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
 
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENE
 
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
 
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel MannExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
ExpoGestão 2023 - Futuro da Energia - Gabriel Mann
 
Prêmio procel – cidades eficientes
Prêmio procel – cidades eficientesPrêmio procel – cidades eficientes
Prêmio procel – cidades eficientes
 
Draft of analysis report of national status quo may 2012_pt
Draft of analysis report of national status quo may 2012_ptDraft of analysis report of national status quo may 2012_pt
Draft of analysis report of national status quo may 2012_pt
 
PAINEL SOLAR | ENERGIA EÓLICA
PAINEL SOLAR |  ENERGIA EÓLICAPAINEL SOLAR |  ENERGIA EÓLICA
PAINEL SOLAR | ENERGIA EÓLICA
 
Comitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdf
Comitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdfComitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdf
Comitê-Mudança-do-Clima-e-Ecoeconomia_2021_04_06_VF.pdf
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
 
Racionalidade económica
Racionalidade económicaRacionalidade económica
Racionalidade económica
 

Mais de Evandro Calisto

63922 ano racionalismo_e_empirismo
63922 ano racionalismo_e_empirismo63922 ano racionalismo_e_empirismo
63922 ano racionalismo_e_empirismo
Evandro Calisto
 
Comte
ComteComte
Fenomenologia
FenomenologiaFenomenologia
Fenomenologia
Evandro Calisto
 
Os+desafios+do+feminismo+contemporâneo
Os+desafios+do+feminismo+contemporâneoOs+desafios+do+feminismo+contemporâneo
Os+desafios+do+feminismo+contemporâneo
Evandro Calisto
 
Assedio moral revisado
Assedio moral revisadoAssedio moral revisado
Assedio moral revisado
Evandro Calisto
 
Por que dia da mulher
Por que dia da mulherPor que dia da mulher
Por que dia da mulher
Evandro Calisto
 

Mais de Evandro Calisto (6)

63922 ano racionalismo_e_empirismo
63922 ano racionalismo_e_empirismo63922 ano racionalismo_e_empirismo
63922 ano racionalismo_e_empirismo
 
Comte
ComteComte
Comte
 
Fenomenologia
FenomenologiaFenomenologia
Fenomenologia
 
Os+desafios+do+feminismo+contemporâneo
Os+desafios+do+feminismo+contemporâneoOs+desafios+do+feminismo+contemporâneo
Os+desafios+do+feminismo+contemporâneo
 
Assedio moral revisado
Assedio moral revisadoAssedio moral revisado
Assedio moral revisado
 
Por que dia da mulher
Por que dia da mulherPor que dia da mulher
Por que dia da mulher
 

Último

Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 

Jania akamatsu eficiencia

  • 2. Eficiência EnergéticaEficiência Energética no Brasilno Brasil JANIO ITIRO AKAMATSU Diretoria de Tecnologia da Eletrobrás Guaratinguetá, 20 de Novembro de 2008
  • 3. Ministério de Minas e Energia ELETROBRÁS PETROBRÁS ANEEL DDE PROCEL CONPET PEE Programas Nacionais em Eficiência EnergéticaProgramas Nacionais em Eficiência Energética
  • 4. Outros agentes federais envolvidos comOutros agentes federais envolvidos com Eficiência EnergéticaEficiência Energética  Instituto Nacional de Metrologia – INMETRO  Banco Nacional de Desenvolvimento – BNDES  Programa de modernização do Setor de Saneamento – PMSS  Programa nacional de combate ao Desperdício de água – PNCDA  Caixa Econômica Federal
  • 5. Programa de Eficiência Energética - PEEPrograma de Eficiência Energética - PEE ANEELANEEL Lei 9.991, de julho de 2000 Art. 1o As concessionárias e permissionárias de serviços públicos de distribuição de energia elétrica ficam obrigadas a aplicar, anualmente, o montante de, no mínimo, setenta e cinco centésimos por cento de sua receita operacional líquida em pesquisa e desenvolvimento do setor elétrico e, no mínimo, vinte e cinco centésimos por cento em programas de eficiência energética no uso final... I – até 31 de dezembro de 2005, os percentuais mínimos definidos no caput deste artigo serão de cinqüenta centésimos por cento, tanto para pesquisa e desenvolvimento, como para programas de eficiência energética na oferta e no uso final da energia. Lei nº 11.465, de março de 2007: I – até 31 de dezembro de 2010...
  • 6. Ciclo Número de Empresas Investimento (milhões de R$) Demanda Evitada (MW) Energia Econ. (GWh/ano) 1998/1999 17 196 250 755 1999/2000 42 230 370 1.020 2000/2001 64 152 251 894 2001/2002 64 142 85 348 2002/2003 64 154 54 222 2003/2004 64 313 110 489 2004/2005 64 175 275 925 2005/2006 64 296 141 538 2006/2007* 44 183 104 293 Média** - 207 192 650 Total - 1.841 1.640 5.484 *Até 15/06/2007; **Entre 1998/1999 e 2005/2006 PEEPEE Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados Síntese dos Investimentos Realizados e Resultados PrevistosSíntese dos Investimentos Realizados e Resultados Previstos
  • 7. 40% 14% 10% 10% 9% 6% 4% Iluminação Pública Residencial Industrial Serviços Públicos Educação Comércio e Serviços Poder Público Aquecimento Solar Rural Perdas Gestão E. Municipal Fator de Carga PEEPEE Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados Resumo dos Ciclos 2000/2001 a 2004/2005Resumo dos Ciclos 2000/2001 a 2004/2005
  • 8. Tipo de Projeto Investimento Apropriado (R$) Investimento Apropriado (%) Energia Econ. (MWh/ano) Demanda Evitada (kW) Residencial 304.857.404,19 63,7 511.502 183.488 Poderes Públicos 58.054.933,90 12,1 64.786 16.525 Industrial 55.117.547,69 11,5 178.735 25.992 Serviços Públicos 26.355.705,27 5,5 38.899 7.706 Comércio e Serviços 22.862.519,95 4,8 27.067 6.103 Rural 6.389.850,12 1,3 7.634 3.597 Aquecimento Solar 4.623.665,12 1,0 1.355 1.335 Total 478.261.626,24 100 829.979 244.746 *Dados parciais PEEPEE Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007
  • 9. 2005/20062005/2006 2006/20072006/2007 Investimento (R$) 296.438.754,84 182.787.149,15 Baixa Renda 63% 66% Indústria 15% 6% Outros 22% 28% 2005/20062005/2006 2006/2007*2006/2007* Investimento (R$) 184.731.222,36 107.817.181,83 Lâmpadas Eficientes 2.938.677 1.761.201 Geladeiras 30.710 26.177 Instalações Internas 130.025 n.d. Aquecedores Solares 18.165 4.726 Padrão Entrada 94.720 n.d. Residencial Baixa RendaResidencial Baixa Renda *Dados parciais PEEPEE Investimentos e ResultadosInvestimentos e Resultados Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007*Resumo dos Ciclos 2005/2006 a 2006/2007*
  • 10. Programa nacional da racionalização do uso dos derivados do petróleo e do gás natural
  • 11. Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) •O PBE é um programa de conservação de energia que visa orientar o consumidor quanto à eficiência energética de alguns produtos.
  • 12. Selo Conpet •É concedido anualmente a todos os produtos que obtiverem o conceito “A” nos ensaios laboratoriais do PBE.
  • 13. •Visa racionalizar o consumo de óleo diesel e promover a melhoria da qualidade do ar, reduzindo a emissão de fumaça preta de ônibus e caminhões.
  • 14. Conpet na Escola Unidade Móvel •Apresenta para alunos e professores a importância do uso racional de energia através de: Oficinas para os professores. Show de Energia para os alunos.
  • 16. Conpet na Escola Vale : 10 000 alunos Unidade Móvel: 20.000 alunos Equipe no EMAS : 20 pessoas Show de EnergiaShow de Energia Dados de 2008Dados de 2008
  • 17.  Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério das Minas e Energia, criado em 1985 e executado pela Eletrobrás  Articular o Setor Elétrico e a Sociedade, visando fomentar a eficiência energética e o uso racional da energia, em benefício da própria sociedade.  Combater o desperdício de energia elétrica  Estimular o uso eficiente e racional de energia elétrica  Fomentar e apoiar a formulação de leis e regulamentos voltados para as praticas de eficiência energética  Aumentar a competitividade do país  Reduzir os impactos ambientais  Proporcionar benefícios à própria sociedade PROCELPROCEL DefiniçãoDefinição MissãoMissão ObjetivosObjetivos
  • 18.  Abrangência nacional;  Grande diversidade de agentes;  Disseminação da informação – Marketing de convencimento;  Sensibilização  Capacitação (para diversas categorias de profissionais)  Viabilidade de implantação de projetos demonstração;  Busca da perenização das ações;  Atuação regulatória e/ou legislativa;  Linhas de financiamento para replicação. AUTO-SUSTENTABILIDADE COM BENEFÍCIOS SOCIO-ECONÔMICOS E AMBIENTAISAUTO-SUSTENTABILIDADE COM BENEFÍCIOS SOCIO-ECONÔMICOS E AMBIENTAIS DIRETRIZES GERAIS DOS PROGRAMASDIRETRIZES GERAIS DOS PROGRAMAS
  • 19. RESIDENCIAL 24% INDÚSTRIA 46% ILUMINAÇÃO PÚBLICA 3% SANEAMENTO 3% PODER PÚBLICO 3% COMERCIAL 16% OUTROS 5% Consumo Faturado de Energia Elétrica 2007 – 376,90 TWh Fonte: EPE– Boletim Nº 04 JAN/2008 CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL (%)CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL (%)
  • 20. PROCEL EPP EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NOS PRÉDIOS PÚBLICOS  Colaborar na redução dos gastos com o insumo energia elétrica nos prédios públicos, disseminando técnicas e metodologias para reaplicação dos projetos de eficiência energética;  Capacitar, em eficiência energética, funcionários e usuários dos prédios públicos. PROCEL GEM GESTÃO ENERGÉTICA MUNICIPAL  Ajudar as prefeituras a gastar menos com energia elétrica- planejamento da gestão energética. SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos resultados resultados
  • 21. PROCEL RELUZ EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA E SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA  Promover o desenvolvimento de sistemas de iluminação pública e sinalização semafórica eficientes;  Postergar investimentos na expansão do sistema elétrico;  Colaborar na redução dos gastos públicos dos municípios com Energia Elétrica;  Melhorar as condições de vida noturna e segurança dos cidadãos. resultados SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
  • 22. PROCEL EDIFICA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NAS EDIFICAÇÕES  Dar suporte a aplicação da Lei 10.295/01, por meio da regulamentação da eficiência energética das edificações brasileiras (EEE)  Fomentar a pesquisa e a capacitação no tema EEE  Introdução do tema EEE na grade curricular dos cursos de arquitetura e engenharia  Fomentar o desenvolvimento de tecnologias e sistemas construtivos adaptados às diferente regiões bioclimáticas  Protocolo de cooperação técnica e financeira com a Caixa Econômica Federal para considerar os preceitos de EEE nos financiamentos habitacionais resultados SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
  • 23. PROCEL SANEAR EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SANEAMENTO AMBIENTAL  Promover a eficiência energética no setor de saneamento destacando a sinergia entre a redução e controle de perdas de água e a redução do consumo de energia elétrica. PROCEL INDÚSTRIA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA INDUSTRIAL  Minimizar perdas nos sistemas motrizes já instalados na indústria brasileiras através das seguintes ações: Otimização de sistemas motrizes industriais através de convênios com as federações de indústria; Capacitação laboratorial através de convênios com universidades. resultados resultados SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
  • 24. PROCEL SELO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EQUIPAMENTOS  Criado em 8 de dezembro de 1993, é concedido aos mais eficientes em uma determinada categoria de produtos  Parceria PROCEL- INMETRO  Orienta o consumidor e estimula a fabricação e a comercialização de produtos mais eficientes Selo Procel de Economia de Energia resultados SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
  • 25. PROCEL EDUCAÇÃO INFORMAÇÃO E CIDADANIA  Levar os conceitos de conservação de energia à educação formal do país e à sociedade;  Na educação formal, atuar inserindo os temas Mudança de Hábitos e Eficiência Energética nos ensinos Básico (infantil*, fundamental e médio) técnico e superior. resultados SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos *Educação infantil é a categoria de 0 a 6 anos, que inclui creches e pré-escolas. Essa categoria foi incorporada à nova Lei de Diretrizes Básicas da Educação - LDB de 2006
  • 26.  Portal PROCEL INFO O que é:  Centro de informação voltado exclusivamente para o tema EE;  Fácil acesso (web);  Permanentemente atualizado, com conteúdo qualificado;  Livre acesso à informação (gratuito). Oferece:  Newsletter;  Publicações Técnicas (teses, artigos, livros, guias, relatórios...);  Simuladores úteis para projetos de EE  Relação dos agentes da área;  Relação das Fontes de Financiamento disponíveis;  Legislação e Normas;  Agenda de Cursos e Eventos;  Indicadores da pesquisa (PPH);  Ferramentas (escritórios virtuais, fórum, pesquisa, chat). PROCEL INFO CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA www.procelinfo.com.brwww.procelinfo.com.br resultados SUBPROGRAMASSUBPROGRAMAS ObjetivosObjetivos
  • 27.  O Projeto de Eficiência Energética,envolve recursos financeiros de US$11,9 milhões e está sendo implantado com recursos do Global Environment Facility – GEF  O PEE tem como objetivo promover a eficiência energética através de projetos de demonstração, atividades de suporte e de capacitação conforme mostrado nos gráficos e tabelas a seguir: BANCO MUNDIALBANCO MUNDIAL ObjetivosObjetivos
  • 28. Total do Investimento: US$ 11,9 milhões $800 $1.200 $400 $1.000 $200 $130 $1.150 $1.300 $4.420 $1.300 Centro de Referência em Eficiência Energética ($1.300) Estudos de Caso/Treinamento ($800) Avaliação do M ercado ($1.200) Simulador/Goniofotômetro/Equip. Bombas Centrífugas ($1.150) Video Conferência ($130) Aquecedores Solares ($200) Equipamentos p/ UGP ($1000) Capacit. Laboratorial ($4.420) Plano M arketing/Camp.Publicitária ($1.300) Tecn.CATE/CEPEL ($400) BANCO MUNDIALBANCO MUNDIAL Destino dos RecursosDestino dos Recursos
  • 29. RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007  Economia de 28,5 bilhões de kWh, em 22 anos de atuação, equivalente:  ao consumo anual de 16 milhões de residências em um ano; ou  ao consumo do Sistema Norte Interligado, que compreende parte do Pará e os estados do Tocantins e Maranhão em um ano; ou  30% do consumo residencial do Brasil durante um ano;  a investimentos postergados de cerca de R$ 19,9 bilhões.
  • 30. RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007RESULTADOS DO PROCEL ATÉ 2007 Investimento Total (R$ milhões) 1.024 Economia de Energia (GWh/ano) 28.528 Usina Equivalente (MW) 6.842 Redução de Demanda (MW) 7.969 Investimento Postergado (R$ milhões) 19.918
  • 31. CALL CENTER PROCELCALL CENTER PROCEL SITE PROCELSITE PROCEL 08005605060800560506 WWW.ELETROBRAS.COM/PROCELWWW.ELETROBRAS.COM/PROCEL JANIO ITIRO AKAMATSU Diretoria de Tecnologia da Eletrobrás  (21) 2514-5669  janio.akamatsu@eletrobras.com OBRIGADOOBRIGADO