SlideShare uma empresa Scribd logo
UMA IGREJA
CENTRADA NO
EVANGELHO
Marcos 8.34-38
Romanos 1.9,16-17
1-VISÃO TEOLÓGICA
• Jonathan Edwards denominava: “os códigos de conduta do
Evangelho”.
• Nossa base doutrinária retirada da bíblia é o ponto de
partida de todas as coisas.
• Pergunta: De que maneira suas crenças doutrinária podem
se relacionar com o mundo moderno.
• Em outras palavras, a visão teológica é aplicada ao que você
fará com sua doutrina em um tempo e em lugar específico.
VISÃO TEOLÓGICA
• De onde vem a visão teológica? Reflexão bíblica + como
entendemos a cultura ao redor. Temos que examinar nosso
entorno.
• A VISÃO TEOLÓGICA MODERNA DEVE BUSCAR LEVAR TODO
O CONHECIMENTO DE DEUS À SOCIEDADE DE SUA ÉPOCA
PARA QUE SUA ÉPOCA SEJA TRANSFORMADA.
A FORMAÇÃO DA VISÃO
TEOLÓGICA
• Richard Lints
• Quatro fatores influenciam a formação da visão teológica:
• 1º - Ouvir a Bíblia para alcançarmos nossas crenças
doutrinárias;
• 2º - Refletir sobre a cultura – quais os seus impulsos devem
ser validados e quais devem ser criticados.
• 3º - A nossa própria Compreensão da Razão-
• 4º - O papel da tradição teológica-
VISÃO TEOLÓGICA
• O que é o evangelho e como aplicamos ao coração das
pessoas hoje?
• Como é esta cultura e como podemos estabelecer uma
conexão com ela e ao mesmo tempo desafiá-la?
• Onde estamos localizados-grande centro urbano, bairro
elegante e mais afastado da cidade, cidade pequena,
zona rural – e como isso afeta o nosso ministério.
• Como os vários ministérios da igreja – palavras e ações,
comunidade e instrução – se relacionam uns com os
outros?
• Até que ponto e de que maneira os cristãos devem se
envolver na vida da cidade e na produção cultural?
VISÃO TEOLÓGICA
• Como nossa igreja vai se relacionar com outras igrejas da
cidade e da região?
• Até que ponto nossa igreja será inovadora e até que ponto
será tradicional?
• Como defenderemos a verdade do cristianismo diante da
cultura?
VISÃO TEOLÓGICA
• Esse conceito de visão teológica irá explica como como,
nossa denominação presbiteriana conservadora, na qual
todas as igrejas seguem a mesma base doutrinária(C.F.
Westminster) pode ser completamente dividida quanto a
métodos e modalidades ministerias como música, estilo de
pregação, maneiras de enxergar a organização e a liderança,
formas de alcançar a comunidade e assim por diante.
MODALIDADE MINISTERIAL
• O QUE FAZER- com que modalidade o Evangelho é expresso
em certa igreja, de certa comunidade em determinada
época.
• Adaptação cultural ao contexto local
• Estilo e programação de culto
• Processos de discipulados e de evangelismo
• Governo e administrativa
VISÃO TEOLÓGICA
• COMO ENXERGAR – Uma reafirmação fiel do evangelho,
implicações valiosas para a vida, para o ministério e para a
missão, em determinado tipo de cultura e em certo
momento da história.
• Visão e valores
• DNA do ministério
• Ênfases e posturas
• Filosofia de ministério
BASE DOUTRINÁRIA
• EM QUE CRER – Verdades eternas da Bíblia a respeito de
Deus, de nosso relacionamento com e de seus propósitos no
mundo.
• Tradição teológica
• Filiação denominacional
• Teologia Bíblica e sistemática.
IGREJA CENTRADA
• 1-O Evangelho está no centro
• 2-O Centro é o lugar de Equilíbrio.
• 3-Essa visão teológica é moldada por e para centros urbanos
e culturais.
• 4-A visão teológica está no centro do ministério
COMPROMISSO DA IGREJA
CENTRADA
• 1-EVANGELHO-
• 2-CIDADE-
• 3-MOVIMENTO-
• *DNA – É um conjunto de instruções no interior da célula de
um organismo que orienta seu desenvolvimento,
crescimento e autorreprodução. A teologia evangélica
ortodoxa – as doutrinas clássicas do evangelho bíblico é o
cerne do ministério da IP Centrada.
COMPROMISSO DA IGREJA
CENTRADA
• Queremos que nossa doutrina funcione como um controlador
e propulsor do nosso ministério, e isso só acontecerá se
usarmos a doutrina como geradora da visão teológica.
• Como a nossa doutrina deve ser comunicada e incorporada
em nossa cidade hoje? Nossa respostas- nossa visão
teológica – são o DNA que nos capacita a escolher ou
desenvolver modalidades de ministério não apenas com
nossos compromissos doutrinários, mas que se adaptem ao
nosso tempo, lugar e cultura
O EQULÍBRIO DO TRÊS
EIXOS
• Legalismo religião ______________ __________________Relativismo, Irreligião
• Subadaptação, ___________________ _________________ Subadaptação,
• É apenas desafiada é apenas valorizada
• Organização estruturada ________ _______________Organismo flexível
• Tradição e autoridad e Cooperação e unidade
EVANGELHO
CIDADE
MOVIMENT
O
PRIMEIRA SEÇÃO: O
EVANGELHO
• 1-TEOLOGIA A PARTIR DO EVANGELHO- procuramos ser
caracterizados por nossa profundidade teológica em relação
ao evangelho, e não pela superficialidade doutrinária, pelo
pragmatismo, pela falta de reflexão e por uma filosofia
motivada por métodos.
• 2-RENOVAÇÃO PELO EVANGELHO- Uma dose de graça é
constante aplicada a tudo, para que o ministério não seja
marcado pelo legalismo nem pelo intelectualismo frio.
O EVANGELHO
1- O EVANGELHO NOS SINTONIZA COM DEUS-
1 Co 14.24,25; 1 Pe 1.12;
2-O EVANGELHO É UM RELATO SOBRE A OBRA DE CRISTO A
NOSSO FAVOR – POR ESTA RAZÃO ELE É O EVANGELHO DA
GRAÇA
3- O EVANGELHO PRECISA SER CONECTADO COM O ENREDO
E COM OS TEMAS DA BÍBLIA.
O EVANGELHO
• O enredo bíblico nos revela pelo menos quatro coisas:
1-O que Deus quer para nós(Criação);
2-O que nos aconteceu e deu errado com o mundo(Queda);
3-O que Deus fez por meio de Jesus Cristo para endireitar as
coisas(Redenção);
4-Em defesa de tudo isso, qual será o fim da
história(restauração).
SEGUNDA SEÇÃO: CIDADE
3- CONTEXTUALIZAÇÃO DO EVANGELHO-Somos sensíveis a
cultura e não desconsideramos nosso momento cultural nem
somos diferentes às diversidades culturais entre os grupos.
4-VISÃO PARA CIDADE-Adotamos maneiras de ministrar com
amor à cidade em vez de usar abordagens hostis e
indiferentes a ela.
5-ENGAJAMENTO CULTURAL- Somos engajados com a cultura
e evitamos ser muito triunfalistas ou muito afastados e
subculturais em nosso posicionamento.
TERCEIRA
SEÇÃO:MOVIMENTO
6-COMUNIDADE MISSIONAL-Cada aspecto da igreja é voltado
para fora, preparando-se para a presença de não cristãos e
apoiando os leigos em seu ministério na sociedade.
7-MINISTÉRIO INTEGRATIVO- Ministramos em palavra e ação
ajudando a satisfazer as necessidades espirituais e físicas do
pobre bem como das pessoas que vivem e trabalham em
centros culturais.
8-DINÂMICA DO MOVIMENTO – Temos uma modalidade de
boa vontade e cooperação com outros cristãos, sem sermos
fechados e sem desconfianças, mas desejosos de promover
uma visão para a cidade inteira.
EVANGELH
O
• O evangelho não é religião nem irreligião, mas algo
completamente diferente- uma terceira via de
relacionamento com Deus por meio da graça.
E
EVANGELHO
• O ministério centrado no Evangelho é mais pautado pela
teologia do que por programas. Para buscá-lo, temos de
passar tempo refletindo sobre a essência, sobre as verdades
e sobre os próprios padrões do evangelho.
• Teologia e vida.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

10 aconselhamento pastoral
10 aconselhamento pastoral10 aconselhamento pastoral
10 aconselhamento pastoral
faculdadeteologica
 
Missões_Lição 2 - Missão de deus nas escrituras
Missões_Lição 2 - Missão de deus nas escriturasMissões_Lição 2 - Missão de deus nas escrituras
Missões_Lição 2 - Missão de deus nas escrituras
Natalino das Neves Neves
 
8 capelania escolar
8 capelania escolar8 capelania escolar
8 capelania escolar
faculdadeteologica
 
9 capelania pastoral
9 capelania pastoral9 capelania pastoral
9 capelania pastoral
faculdadeteologica
 
Mídia e religiões
Mídia e religiõesMídia e religiões
Mídia e religiões
Janaineaires
 
Resumo geral do livro "Igreja Simples"
Resumo geral do livro "Igreja Simples"Resumo geral do livro "Igreja Simples"
Resumo geral do livro "Igreja Simples"
Nilton Barros
 
Geografia das religiões
   Geografia das religiões   Geografia das religiões
Geografia das religiões
rdbtava
 
Opus dei
Opus deiOpus dei
Opus dei
João Pereira
 
Missão é serviço - Santas Missões Populares
Missão é serviço - Santas Missões PopularesMissão é serviço - Santas Missões Populares
Missão é serviço - Santas Missões Populares
Bernadetecebs .
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
Andreia Oliveira
 
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitzA+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
ERABELO
 
Anthropologia cordis
Anthropologia cordisAnthropologia cordis
Anthropologia cordis
Afonso Murad (FAJE)
 
4 o evangelismo e o crescimento
4   o evangelismo e o crescimento4   o evangelismo e o crescimento
4 o evangelismo e o crescimento
José Santos
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
Bernadetecebs .
 
O que é missão Integral?
O que é missão Integral?O que é missão Integral?
O que é missão Integral?
Jean Francesco
 
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Escola em saída
Escola em saídaEscola em saída
Escola em saída
Afonso Murad (FAJE)
 
Textos sagrados
Textos sagradosTextos sagrados
Textos sagrados
gislaine martin
 
Missão Integral Jailson Santos
Missão Integral Jailson SantosMissão Integral Jailson Santos
Missão Integral Jailson Santos
guest67557bd1
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
Eponina Alencar
 

Mais procurados (20)

10 aconselhamento pastoral
10 aconselhamento pastoral10 aconselhamento pastoral
10 aconselhamento pastoral
 
Missões_Lição 2 - Missão de deus nas escrituras
Missões_Lição 2 - Missão de deus nas escriturasMissões_Lição 2 - Missão de deus nas escrituras
Missões_Lição 2 - Missão de deus nas escrituras
 
8 capelania escolar
8 capelania escolar8 capelania escolar
8 capelania escolar
 
9 capelania pastoral
9 capelania pastoral9 capelania pastoral
9 capelania pastoral
 
Mídia e religiões
Mídia e religiõesMídia e religiões
Mídia e religiões
 
Resumo geral do livro "Igreja Simples"
Resumo geral do livro "Igreja Simples"Resumo geral do livro "Igreja Simples"
Resumo geral do livro "Igreja Simples"
 
Geografia das religiões
   Geografia das religiões   Geografia das religiões
Geografia das religiões
 
Opus dei
Opus deiOpus dei
Opus dei
 
Missão é serviço - Santas Missões Populares
Missão é serviço - Santas Missões PopularesMissão é serviço - Santas Missões Populares
Missão é serviço - Santas Missões Populares
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
 
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitzA+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
 
Anthropologia cordis
Anthropologia cordisAnthropologia cordis
Anthropologia cordis
 
4 o evangelismo e o crescimento
4   o evangelismo e o crescimento4   o evangelismo e o crescimento
4 o evangelismo e o crescimento
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
 
O que é missão Integral?
O que é missão Integral?O que é missão Integral?
O que é missão Integral?
 
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
 
Escola em saída
Escola em saídaEscola em saída
Escola em saída
 
Textos sagrados
Textos sagradosTextos sagrados
Textos sagrados
 
Missão Integral Jailson Santos
Missão Integral Jailson SantosMissão Integral Jailson Santos
Missão Integral Jailson Santos
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 

Destaque

Obstacles in learning coding
Obstacles in learning coding Obstacles in learning coding
Obstacles in learning coding
Laura Toma
 
RER V43 #3 Cannon Article
RER V43 #3 Cannon ArticleRER V43 #3 Cannon Article
RER V43 #3 Cannon Article
Susanne Cannon
 
Новый год 2016
Новый год 2016Новый год 2016
Новый год 2016
Kholodnyak
 
Galaxy North Avenue 2 Residential Project
Galaxy North Avenue 2 Residential ProjectGalaxy North Avenue 2 Residential Project
Galaxy North Avenue 2 Residential Project
galaxygroup11
 
SWAPNIL Patki
SWAPNIL PatkiSWAPNIL Patki
SWAPNIL Patki
Swapnil Patki
 
Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West
 Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West
Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West
galaxygroup11
 
Galaxy group Present Galaxy Vega housing
Galaxy group Present Galaxy Vega housingGalaxy group Present Galaxy Vega housing
Galaxy group Present Galaxy Vega housing
galaxygroup11
 
Ms project
Ms projectMs project
Ms project
Kevin Palacios
 

Destaque (8)

Obstacles in learning coding
Obstacles in learning coding Obstacles in learning coding
Obstacles in learning coding
 
RER V43 #3 Cannon Article
RER V43 #3 Cannon ArticleRER V43 #3 Cannon Article
RER V43 #3 Cannon Article
 
Новый год 2016
Новый год 2016Новый год 2016
Новый год 2016
 
Galaxy North Avenue 2 Residential Project
Galaxy North Avenue 2 Residential ProjectGalaxy North Avenue 2 Residential Project
Galaxy North Avenue 2 Residential Project
 
SWAPNIL Patki
SWAPNIL PatkiSWAPNIL Patki
SWAPNIL Patki
 
Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West
 Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West
Galaxy North Avenue 2 affordable plans at Greater Noida West
 
Galaxy group Present Galaxy Vega housing
Galaxy group Present Galaxy Vega housingGalaxy group Present Galaxy Vega housing
Galaxy group Present Galaxy Vega housing
 
Ms project
Ms projectMs project
Ms project
 

Semelhante a Igreja centrada

Igreja Centrada, primeiro capítulo do livro
Igreja Centrada, primeiro capítulo do livroIgreja Centrada, primeiro capítulo do livro
Igreja Centrada, primeiro capítulo do livro
Igreja Cristã MIssional Ágape
 
Formação Servos
Formação ServosFormação Servos
Formação Servos
adrianojose1983
 
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
Natalino das Neves Neves
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
Fábio Vasconcelos
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
Rodrigo Catini Flaibam
 
Doc aparecida
Doc aparecidaDoc aparecida
Doc aparecida
Manoel Nunes
 
PLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdf
PLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdfPLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdf
PLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdf
ZILMARMELOPEREIRA
 
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Paulo Dias Nogueira
 
Slides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdf
Slides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdfSlides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdf
Slides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdf
Samuel567795
 
Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105 CNBB -
Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105  CNBB -Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105  CNBB -
Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105 CNBB -
GRUPO DE ORAÇÃO ANJO RAFAEL
 
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
Paulo David
 
Documento 105 CNBB - Ano do Laicato
Documento 105 CNBB - Ano do LaicatoDocumento 105 CNBB - Ano do Laicato
Documento 105 CNBB - Ano do Laicato
Amélio Barbosa
 
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptxplanejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
freivalentimpesente
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
Andre Nascimento
 
Um culto bem preparado
Um culto bem preparadoUm culto bem preparado
Um culto bem preparado
Estevão Ribeiro
 
Visão
VisãoVisão
Missiologia
MissiologiaMissiologia
Missiologia
Hebert Balieiro
 
Apostila missiologia
Apostila missiologiaApostila missiologia
Apostila missiologia
BispoAlberto
 
O-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptxO-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptx
IvairCampos1
 
Doutrinas Bíblicas - Eclesiologia
Doutrinas Bíblicas - EclesiologiaDoutrinas Bíblicas - Eclesiologia
Doutrinas Bíblicas - Eclesiologia
Roberto Trindade
 

Semelhante a Igreja centrada (20)

Igreja Centrada, primeiro capítulo do livro
Igreja Centrada, primeiro capítulo do livroIgreja Centrada, primeiro capítulo do livro
Igreja Centrada, primeiro capítulo do livro
 
Formação Servos
Formação ServosFormação Servos
Formação Servos
 
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
MISSIOLOGIA - IBADEP - LIÇÃO 1
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
 
Doc aparecida
Doc aparecidaDoc aparecida
Doc aparecida
 
PLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdf
PLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdfPLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdf
PLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL.pdf
 
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
 
Slides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdf
Slides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdfSlides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdf
Slides do Plano Diocesano de Pastoral 2021-2023.pdf
 
Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105 CNBB -
Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105  CNBB -Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105  CNBB -
Cristãos Leigos-e-Leigas- DOCUMENTO 105 CNBB -
 
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
 
Documento 105 CNBB - Ano do Laicato
Documento 105 CNBB - Ano do LaicatoDocumento 105 CNBB - Ano do Laicato
Documento 105 CNBB - Ano do Laicato
 
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptxplanejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
 
Um culto bem preparado
Um culto bem preparadoUm culto bem preparado
Um culto bem preparado
 
Visão
VisãoVisão
Visão
 
Missiologia
MissiologiaMissiologia
Missiologia
 
Apostila missiologia
Apostila missiologiaApostila missiologia
Apostila missiologia
 
O-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptxO-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptx
 
Doutrinas Bíblicas - Eclesiologia
Doutrinas Bíblicas - EclesiologiaDoutrinas Bíblicas - Eclesiologia
Doutrinas Bíblicas - Eclesiologia
 

Mais de Eli Vieira

A mensagem da seca
A mensagem da secaA mensagem da seca
A mensagem da seca
Eli Vieira
 
Catecismo maior-de-westminster
Catecismo maior-de-westminsterCatecismo maior-de-westminster
Catecismo maior-de-westminster
Eli Vieira
 
Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1
Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1
Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1
Eli Vieira
 
Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
Credo dos apóstolos
Eli Vieira
 
Os propósitos da providência no sofrimento do crente
Os propósitos da providência no sofrimento do crenteOs propósitos da providência no sofrimento do crente
Os propósitos da providência no sofrimento do crente
Eli Vieira
 
O chamado à cidade
O chamado à cidadeO chamado à cidade
O chamado à cidade
Eli Vieira
 
Leonard ravenhil
Leonard ravenhilLeonard ravenhil
Leonard ravenhil
Eli Vieira
 
Estudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminsterEstudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminster
Eli Vieira
 
A diferença que jesus faz na família
A diferença que jesus faz na famíliaA diferença que jesus faz na família
A diferença que jesus faz na família
Eli Vieira
 
AS OBRAS DA CRIAÇÃO
AS OBRAS DA CRIAÇÃOAS OBRAS DA CRIAÇÃO
AS OBRAS DA CRIAÇÃO
Eli Vieira
 
OS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUSOS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUS
Eli Vieira
 
ESTUDO NO BREVE CATECISMO
ESTUDO NO BREVE CATECISMOESTUDO NO BREVE CATECISMO
ESTUDO NO BREVE CATECISMO
Eli Vieira
 
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTOAPOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
Eli Vieira
 
O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO
Eli Vieira
 

Mais de Eli Vieira (14)

A mensagem da seca
A mensagem da secaA mensagem da seca
A mensagem da seca
 
Catecismo maior-de-westminster
Catecismo maior-de-westminsterCatecismo maior-de-westminster
Catecismo maior-de-westminster
 
Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1
Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1
Hernandesdiaslopes.com.br prontos a morrer não a pecar-1
 
Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
Credo dos apóstolos
 
Os propósitos da providência no sofrimento do crente
Os propósitos da providência no sofrimento do crenteOs propósitos da providência no sofrimento do crente
Os propósitos da providência no sofrimento do crente
 
O chamado à cidade
O chamado à cidadeO chamado à cidade
O chamado à cidade
 
Leonard ravenhil
Leonard ravenhilLeonard ravenhil
Leonard ravenhil
 
Estudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminsterEstudos na confissão de fé de westminster
Estudos na confissão de fé de westminster
 
A diferença que jesus faz na família
A diferença que jesus faz na famíliaA diferença que jesus faz na família
A diferença que jesus faz na família
 
AS OBRAS DA CRIAÇÃO
AS OBRAS DA CRIAÇÃOAS OBRAS DA CRIAÇÃO
AS OBRAS DA CRIAÇÃO
 
OS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUSOS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUS
 
ESTUDO NO BREVE CATECISMO
ESTUDO NO BREVE CATECISMOESTUDO NO BREVE CATECISMO
ESTUDO NO BREVE CATECISMO
 
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTOAPOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
 
O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO
 

Último

ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 

Último (12)

ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 

Igreja centrada

  • 1. UMA IGREJA CENTRADA NO EVANGELHO Marcos 8.34-38 Romanos 1.9,16-17
  • 2. 1-VISÃO TEOLÓGICA • Jonathan Edwards denominava: “os códigos de conduta do Evangelho”. • Nossa base doutrinária retirada da bíblia é o ponto de partida de todas as coisas. • Pergunta: De que maneira suas crenças doutrinária podem se relacionar com o mundo moderno. • Em outras palavras, a visão teológica é aplicada ao que você fará com sua doutrina em um tempo e em lugar específico.
  • 3. VISÃO TEOLÓGICA • De onde vem a visão teológica? Reflexão bíblica + como entendemos a cultura ao redor. Temos que examinar nosso entorno. • A VISÃO TEOLÓGICA MODERNA DEVE BUSCAR LEVAR TODO O CONHECIMENTO DE DEUS À SOCIEDADE DE SUA ÉPOCA PARA QUE SUA ÉPOCA SEJA TRANSFORMADA.
  • 4. A FORMAÇÃO DA VISÃO TEOLÓGICA • Richard Lints • Quatro fatores influenciam a formação da visão teológica: • 1º - Ouvir a Bíblia para alcançarmos nossas crenças doutrinárias; • 2º - Refletir sobre a cultura – quais os seus impulsos devem ser validados e quais devem ser criticados. • 3º - A nossa própria Compreensão da Razão- • 4º - O papel da tradição teológica-
  • 5. VISÃO TEOLÓGICA • O que é o evangelho e como aplicamos ao coração das pessoas hoje? • Como é esta cultura e como podemos estabelecer uma conexão com ela e ao mesmo tempo desafiá-la? • Onde estamos localizados-grande centro urbano, bairro elegante e mais afastado da cidade, cidade pequena, zona rural – e como isso afeta o nosso ministério. • Como os vários ministérios da igreja – palavras e ações, comunidade e instrução – se relacionam uns com os outros? • Até que ponto e de que maneira os cristãos devem se envolver na vida da cidade e na produção cultural?
  • 6. VISÃO TEOLÓGICA • Como nossa igreja vai se relacionar com outras igrejas da cidade e da região? • Até que ponto nossa igreja será inovadora e até que ponto será tradicional? • Como defenderemos a verdade do cristianismo diante da cultura?
  • 7. VISÃO TEOLÓGICA • Esse conceito de visão teológica irá explica como como, nossa denominação presbiteriana conservadora, na qual todas as igrejas seguem a mesma base doutrinária(C.F. Westminster) pode ser completamente dividida quanto a métodos e modalidades ministerias como música, estilo de pregação, maneiras de enxergar a organização e a liderança, formas de alcançar a comunidade e assim por diante.
  • 8. MODALIDADE MINISTERIAL • O QUE FAZER- com que modalidade o Evangelho é expresso em certa igreja, de certa comunidade em determinada época. • Adaptação cultural ao contexto local • Estilo e programação de culto • Processos de discipulados e de evangelismo • Governo e administrativa
  • 9. VISÃO TEOLÓGICA • COMO ENXERGAR – Uma reafirmação fiel do evangelho, implicações valiosas para a vida, para o ministério e para a missão, em determinado tipo de cultura e em certo momento da história. • Visão e valores • DNA do ministério • Ênfases e posturas • Filosofia de ministério
  • 10. BASE DOUTRINÁRIA • EM QUE CRER – Verdades eternas da Bíblia a respeito de Deus, de nosso relacionamento com e de seus propósitos no mundo. • Tradição teológica • Filiação denominacional • Teologia Bíblica e sistemática.
  • 11. IGREJA CENTRADA • 1-O Evangelho está no centro • 2-O Centro é o lugar de Equilíbrio. • 3-Essa visão teológica é moldada por e para centros urbanos e culturais. • 4-A visão teológica está no centro do ministério
  • 12. COMPROMISSO DA IGREJA CENTRADA • 1-EVANGELHO- • 2-CIDADE- • 3-MOVIMENTO- • *DNA – É um conjunto de instruções no interior da célula de um organismo que orienta seu desenvolvimento, crescimento e autorreprodução. A teologia evangélica ortodoxa – as doutrinas clássicas do evangelho bíblico é o cerne do ministério da IP Centrada.
  • 13. COMPROMISSO DA IGREJA CENTRADA • Queremos que nossa doutrina funcione como um controlador e propulsor do nosso ministério, e isso só acontecerá se usarmos a doutrina como geradora da visão teológica. • Como a nossa doutrina deve ser comunicada e incorporada em nossa cidade hoje? Nossa respostas- nossa visão teológica – são o DNA que nos capacita a escolher ou desenvolver modalidades de ministério não apenas com nossos compromissos doutrinários, mas que se adaptem ao nosso tempo, lugar e cultura
  • 14. O EQULÍBRIO DO TRÊS EIXOS • Legalismo religião ______________ __________________Relativismo, Irreligião • Subadaptação, ___________________ _________________ Subadaptação, • É apenas desafiada é apenas valorizada • Organização estruturada ________ _______________Organismo flexível • Tradição e autoridad e Cooperação e unidade EVANGELHO CIDADE MOVIMENT O
  • 15. PRIMEIRA SEÇÃO: O EVANGELHO • 1-TEOLOGIA A PARTIR DO EVANGELHO- procuramos ser caracterizados por nossa profundidade teológica em relação ao evangelho, e não pela superficialidade doutrinária, pelo pragmatismo, pela falta de reflexão e por uma filosofia motivada por métodos. • 2-RENOVAÇÃO PELO EVANGELHO- Uma dose de graça é constante aplicada a tudo, para que o ministério não seja marcado pelo legalismo nem pelo intelectualismo frio.
  • 16. O EVANGELHO 1- O EVANGELHO NOS SINTONIZA COM DEUS- 1 Co 14.24,25; 1 Pe 1.12; 2-O EVANGELHO É UM RELATO SOBRE A OBRA DE CRISTO A NOSSO FAVOR – POR ESTA RAZÃO ELE É O EVANGELHO DA GRAÇA 3- O EVANGELHO PRECISA SER CONECTADO COM O ENREDO E COM OS TEMAS DA BÍBLIA.
  • 17. O EVANGELHO • O enredo bíblico nos revela pelo menos quatro coisas: 1-O que Deus quer para nós(Criação); 2-O que nos aconteceu e deu errado com o mundo(Queda); 3-O que Deus fez por meio de Jesus Cristo para endireitar as coisas(Redenção); 4-Em defesa de tudo isso, qual será o fim da história(restauração).
  • 18. SEGUNDA SEÇÃO: CIDADE 3- CONTEXTUALIZAÇÃO DO EVANGELHO-Somos sensíveis a cultura e não desconsideramos nosso momento cultural nem somos diferentes às diversidades culturais entre os grupos. 4-VISÃO PARA CIDADE-Adotamos maneiras de ministrar com amor à cidade em vez de usar abordagens hostis e indiferentes a ela. 5-ENGAJAMENTO CULTURAL- Somos engajados com a cultura e evitamos ser muito triunfalistas ou muito afastados e subculturais em nosso posicionamento.
  • 19. TERCEIRA SEÇÃO:MOVIMENTO 6-COMUNIDADE MISSIONAL-Cada aspecto da igreja é voltado para fora, preparando-se para a presença de não cristãos e apoiando os leigos em seu ministério na sociedade. 7-MINISTÉRIO INTEGRATIVO- Ministramos em palavra e ação ajudando a satisfazer as necessidades espirituais e físicas do pobre bem como das pessoas que vivem e trabalham em centros culturais. 8-DINÂMICA DO MOVIMENTO – Temos uma modalidade de boa vontade e cooperação com outros cristãos, sem sermos fechados e sem desconfianças, mas desejosos de promover uma visão para a cidade inteira.
  • 20. EVANGELH O • O evangelho não é religião nem irreligião, mas algo completamente diferente- uma terceira via de relacionamento com Deus por meio da graça. E
  • 21. EVANGELHO • O ministério centrado no Evangelho é mais pautado pela teologia do que por programas. Para buscá-lo, temos de passar tempo refletindo sobre a essência, sobre as verdades e sobre os próprios padrões do evangelho. • Teologia e vida.