SlideShare uma empresa Scribd logo
Gestão e Engenharia do Conhecimento: 
Perspectivas e Resultados Empresariais 
Roberto C. S. Pacheco 
pacheco@egc.ufsc.br 
Seminário 
Gestão do Conhecimento na Comercialização de Energia. 
09/10/2014. Auditório da Sede da CELESC. Florianópolis SC.
Perspectiva da qual falamos... 
QUEM SOMOS
EGC/UFSC 
Programa de PG em Engenharia e 
Gestão do Conhecimento 
Criado em 2004 
35 Doutores de diversas 
áreas 
(Psicologia, Administração, 
Engenharias, Computação, 
Semiótica, Educação) 
700 candidatos para 60 
ingressantes por ano 
(30 mestrado e 30 doutorado) 
Conceito 5 na CAPES
Instituto Stela 
TRANSFORMAMOS DADOS EM CONHECIMENTO 
Instituto de pesquisa sem fins econômicos (OSCIP) 
P&D em TIC e em Engenharia do conhecimento 
Referência no País em governo eletrônico (+ 6 milhões de usuários) 
2012 
2008 
2007 
1995-2002: Grupo Stela/UFSC 
2002-hoje: Instituto Stela
Como e para quem 
TRANSFORMAMOS DADOS EM CONHECIMENTO? 
Projetos 
Produtos
Agenda 
• O que é GC 
• O que é EC 
• Resultados 
Casos em que a EC leva a uma melhor GC 
• Perspectivas 
• Considerações finais
O que é Gestão do Conhecimento 
(para a Engenharia do Conhecimento)
O que é GC para nós? 
Combinamos as visões de processos e conteúdos 
GC é uma disciplina que estabelece meios para a organização gerir seus 
ativos intangíveis, percebidos tanto como resultados de suas atividades 
(Conteúdo) como nas atividades exercidas por seus indivíduos (Processos). 
Fonte: Pacheco, 2013
Múltiplas abordagens para a GC 
Práticas e tecnologias GC 
Fonte: Terra (2008) 
Alinhamento de estratégias 
Fonte:APO KM Facilitator’s guide 
(2009) 
Por que há diversos modelos e frameworks para implementar a GC? 
(i) Perspectiva com que concebe os intangíveis (Conteúdo e Processos) 
(ii) Diversidade de práticas e técnicas para exercê-la 
(iii) Diversidade de dimensões organizacionais onde se aplica (ex. inovação, competências, liderança, 
memória, aprendizagem, etc.) 
(iv) Diversidade de processos de conhecimento (ex. auditoria, criação, retenção/memória) 
(v) Propósito/estágio da GC (avaliação, difusão, etc.) 
(vi) Setor (domínio) da organização (ex. engenharia, finanças) 
(vii) Natureza da organização (público, privado) 
Adoção incremental da GC 
Fonte:APQC roadmap do KM (2003) 
Método OKA - Avaliação de GC 
Fonte:Fresneda (2009) 
Modelo de Choo (1998) 
Fonte:Dalkir (2005)
conhecimento organizacional e sua 
relação com os conhecimentos individuais e 
coletivos, observados tanto nas dimensões 
de processo como de conteúdo 
GC se relaciona com a estratégia da 
organização e prevê meios e práticas 
de colocar o conhecimento como fator 
de produção organizacional 
GC focaliza processos e as atividades desempenhadas 
por indivíduos para buscar meios de melhorar a 
performance organizacional 
GC se relaciona com gestão da informação, quando 
focaliza a dimensão conteúdo e quando prevê as TIC 
como instrumentos de apoio às suas práticas
Qual é o Papel das TICs na GC?
Evolução das TICs nas organizações 
TICs evoluíram dos dados ao conhecimento organizacional 
 As TICs evoluíram em forma bottom up 
nas organizações. 
 Primeiro automatizaram processos 
operacionais. Depois apoiaram atividades 
gerenciais, passando a dar suporte estratégico 
e apoio a soluções de conhecimento mais 
recentemente. 
 Esta evolução centra os projetos de TI 
em uma seqüência de ciclo 
dado-> informação-> conhecimento 
 Profissionais com formação tecnológica 
em engenharia de software (demandas 
da GC semi-compreendidas). 
FONTE: Pacheco 2004
É fundamental diferenciar TIC de EC 
TIC sozinha não oferece as soluções de conhecimento que a GC necessita 
 GC costuma atribuir a parte 
tecnológica às TICs ou, na melhor 
das hipóteses utiliza sistemas de 
conhecimento embutidos às TICS 
 A GC normalmente desconhece a 
existência da Engenharia do 
Conhecimento.
Maturidade da GC organizacional. 
Qual é o futuro da GC? 
Fatores estratégicos em projetos de GC 
Carla O’Dell Cindy Hubert 
http://www.slideshare.net/SIKM/trends-in-knowledge-management-16604522 
ENGENHARIA DO 
CONHECIMENTO 
2011 
Ubiquidade
O que é Engenharia do Conhecimento
Disciplina que se dedica à modelagem de conhecimento e à 
criação e inserção de sistemas de conhecimento nas 
organizações. 
Como ramo da Inteligência Artificial, EC 
era uma subdisciplina dedicada à criação 
de sistemas especialistas 
Fonte: KNUBLAUCH (2002) 
Fonte: PACHECO (2013) 
Em uma visão mais contemporânea, a EC se tornou 
uma disciplina, que tem na IA uma de suas 
disciplinas de contribuição e na GC e em outras 
áreas organizacionais fontes de demanda por 
sistemas de conhecimento.
Como a EC se posiciona em projetos GC 
(Instituto Stela)
Como a EC pode ajudar a se 
ter uma melhor GC?
Caso 1: SGC organizacionais integrados 
Instrumentalizando processos do cotidiano da organização (ubiquidade) 
Fonte: Instituto Stela e SENAI-CE, 204
Coprodução 
Promovendo círculos de 
coprodução em atividades do 
cotidiano da organização
Mapas de 
conhecimento 
Explorando conhecimentos 
estratégicos em documentos e 
portfólios de colaboradores
Representação do 
conhecimento 
Taxonomia baseada 
no SKOS
Taxonomia do SENAI
Assunto automação
Caso 2: Integridade e valores 
Mapeamento de eventos associados à integridade e aos valores dos 
colaboradores 
Que sistemas de conhecimento podem ajudar uma organização na 
gestão da integridade dos valores exercidos por seus funcionários? 
Gestão estratégica de ética e valores 
1. Que valores a organização preconiza? 
2. Que condutas espera de seus funcionários? 
3. Que mecanismos utiliza para acompanhar o 
cumprimento desses valores? 
4. Que fluxo de informações adota nesta gestão? 
5. Como avaliar o grau de integridade e 
de alinhamento em nossa organização? 
6. Estamos praticando os nossos valores? 
7. Como levar as normas, diretrizes e políticas ao 
cotidiano nas diversas agências e unidades da 
organização?
Caso 2: Setor Financeiro 
Gestão de integridade e valores 
O que é? Plataforma de gestão estratégica de informação sobre integridade e valores sobre 
os colaboradores da organização. Considera dados encaminhados de forma 
desestruturada, utiliza ontologia organizacional para descobrir conhecimentos relevantes e 
apresenta mapa estratégico de indicadores para acompanhamento da organização.
Caso 2: Setor Financeiro 
Gestão de integridade e valores 
O que faz? 
Permite que a organização 
gerencie ativos intangíveis 
(normas e regulamentos) e 
conecte-os às ações diárias 
de seus funcionários 
(mesmo diante de dados 
desestruturados). 
Revela fatos e 
conhecimentos estratégicos 
que influenciam as políticas 
organizacionais de 
educação corporativa e de 
avaliação de colaboradores.
Caso 2: Setor Financeiro 
Busca semântica 
Resultado de uma busca por “assédio” em todas as bases de 
dados e documentos geridos pelas diversas equipes que 
registram as manifestações e as medidas disciplinares 
O que faz? 
Depois de indexar as 
informações sobre 
denúncias 
encaminhadas ao 
ombudsman, o 
sistema utiliza busca 
semântica para 
relacioná-las com o 
código de ética e 
condutas da 
organização.
A empresa desenvolveu um conjunto de SGCs, 
mas não dispunha de visão integrada de seus 
serviços. 
Caso 3: Embraer 
Busca semântica para integrar SGC desenvolvidos independentemente 
Como utilizar busca semântica para integrar sistemas de gestão do 
conhecimento desenvolvidos de forma independente em uma 
organização? 
Integração de sistemas 
de conhecimento 
1. Quantos SGC 
desenvolvemos? 
2. O que eles têm em comum? 
3. Como definir um projeto de 
busca semântica para 
integrar os SGCs? 
4. Quais são os benefícios 
organizacionais? 
5. Como o projeto pode ser 
incremental e tratar cada 
SGC da organização?
Caso 3: Embraer 
Busca semântica para integrar informações internas e externas 
Technical 
Standards 
EC 
(Busca 
semântica 
) 
Technical 
Reports 
Artigos 
Manuais 
CoPs – 
Comunidade 
s de Prática 
Normas & 
Regulação 
SITUAÇÃO ATUAL 
• Demora na localização 
da informação. 
• Busca de informação a 
partir dos colegas. 
• Reinvenção da roda. 
PRINCÍPIOS DA BUSCA 
SEMÂNTICA 
Variações morfológicas 
Ex., avião => aviões 
Sinônimos 
Ex. carro => automóvel, veículo motor 
Generalizações 
Ex., doença => câncer, gripe, aids 
Descoberta de conceitos 
Ex., iPhone => telefone celular
Caso 3: Embraer 
Busca semântica para integrar informações internas e externas 
BUSCA INTEGRADA 
NAVEGAÇÃO VISUAL 
Sobre as diferentes bases de conhecimento da empresa 
DETALHAMENTO 
Acesso aos conteúdos das diferentes bases de 
conhecimento
Caso 4: Setor Elétrico 
Como conectar conhecimentos e competências com nossos processos? 
Questões estratégicas sobre o conhecimento organizacional
Caso 4: Setor Elétrico 
Identificar e mitigar o risco de perda de conhecimento (análise p/ pro 
Risco organizacional estratificado por processo.
Caso 4: Setor Elétrico 
Processos e conhecimentos, capital humano e relacional e impacto organizacional 
Para cada processo: 
Conhecimentos 
associados 
Análise de ilhas 
Análise de fluxo de 
conhecimento 
Previsão de impacto 
nos indicadores de 
resultado da perda 
eminente de pessoas 
(ex. previsão para 
aposentadorias 
associadas às tarefas 
selecionadas).
Caso 4: Setor Elétrico 
Modelagem de processos intensivos em conhecimento, sistemas e indicadores. 
A estratégia de modelagem 
compreende a identificação 
dos intangíveis a partir dos 
processos organizacionais e 
da contextualização dos 
conhecimentos críticos para a 
consecução da estratégia 
organizacional 
Processos organizacionais Competências essenciais, sistemas e indicadores
Caso 5: Gestão estratégica de P&D 
Como incluir sistemas de conhecimento e tornar P&D alinhada à inovação empresarial? 
Modelo Lógico Input-Output 
Kellogg Foundation. (2001) 
Recursos/ 
Entradas 
Atividades Saídas Resultados Impactos 
Planejamento do trabalho 
Kellogg Foundation. (2001) 
Resultados almejados 
Kellogg Foundation. (2001) 
Recursos 
humanos, 
financeiros, 
organizacionais 
e comunitários 
do programa 
Processos, 
ferramentas, 
eventos, 
tecnologias, 
ações para 
implementar 
o programa 
Produtos 
diretos das 
atividades 
dos 
programas 
(tipos, níveis 
e metas dos 
serviços do 
programa) 
Mudança nos 
participantes do 
programa: 
comportamento, 
conhecimentos, 
habilidades, 
status e nível de 
funcionamento 
(1 a 7 anos) 
Mudança 
fundamental 
intencional ou 
não que ocorre 
na organização, 
comunidades, 
sistemas como 
resultados do 
programa 
(7 a 10 anos)
Caso 5: Gestão estratégica de P&D 
Como incluir sistemas de conhecimento e tornar P&D alinhada à inovação empresarial?
Caso 5: Gestão estratégica de P&D 
Gestão estratégica de seu processo de contratação de P&D 
1. Programatização 
2. Seleção de avaliadores 
3. Seleção de Propostas 
4. Acompanhamento de 
projetos 
5. Análise executiva 
6. Memória e 
Aprendizagem
Perspectivas
EC e GC no Setor Elétrico 
Contribuições 
da EC 
Sistêmica 
Modelagem de conhecimento 
Posicionamento estratégico da TIC 
Tecnológica 
Acompanhamento e retenção de 
conhecimento 
Análise de impactos sobre a 
estratégia organizacional 
Monitoramento de consumo e 
recomendação 
Análise instantânea de Big Data 
(Smartgrid para o setor elétrico) 
Oportunidades 
estratégicas 
Capital Intelectual 
Retenção de conhecimentos 
Capital relacional (fornecedores) 
Processos estratégicos 
Regulação e governança no setor 
Inovação e P&D 
Educação Corporativa 
Comercialização 
Customização (consumo)
Considerações Finais 
• Tendência: Projetos contemporâneos de GC não 
podem prescindir da EC (e da MC). 
• Oportunidades: no setor elétrico, pode-se 
combinar EC e GC tanto em produtos como em 
P&D e inovação de impacto estratégico. 
• Cenário nacional: GC+EC é uma das 
possibilidades de “plataformas do conhecimento” 
que o MCTI acaba de definir como visão 
estratégica para o sistema brasileiro de inovação
Gestão e Engenharia do Conhecimento: 
Perspectivas e Resultados Empresariais 
Roberto C. S. Pacheco 
pacheco@egc.ufsc.br 
Seminário 
Gestão do Conhecimento na Comercialização de Energia. 
09/10/2014. Auditório da Sede da CELESC
Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Roberto C. S. Pacheco
 
Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)
Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)
Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)
Roberto C. S. Pacheco
 
Ensiso day talks
Ensiso day   talksEnsiso day   talks
Ensiso day talks
César França
 
Desenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágil
Desenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágilDesenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágil
Desenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágil
Rafael França
 
Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...
Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...
Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...
Rogerio P C do Nascimento
 
Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...
Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...
Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...
Felipe J. R. Vieira
 
Arquitetura Corporativa
Arquitetura  CorporativaArquitetura  Corporativa
Arquitetura Corporativa
Ivan Luizio Magalhães
 
Sistemas de informação e planejamento estratégico organizacional
Sistemas de informação e planejamento estratégico organizacionalSistemas de informação e planejamento estratégico organizacional
Sistemas de informação e planejamento estratégico organizacional
Roberto C. S. Pacheco
 
Aula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do Nascimento
Aula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do NascimentoAula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do Nascimento
Aula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do Nascimento
Rogerio P C do Nascimento
 

Mais procurados (9)

Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
Metodologia e Arquitetura e-Gov como propulsoras de cooperação internacional:...
 
Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)
Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)
Gestão estratégica do Conhecimento na Rede Nacional de Pesquisa (RNP)
 
Ensiso day talks
Ensiso day   talksEnsiso day   talks
Ensiso day talks
 
Desenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágil
Desenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágilDesenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágil
Desenvolvendo a REDEPESQ utilizando uma abordagem ágil
 
Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...
Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...
Disciplina Gestão da Informação | DCOMP, UFS | Prof. Dr. Rogério PC do Nascim...
 
Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...
Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...
Utilização da Gestão do Conhecimento nas Metodologias Ageis para Melhoria da ...
 
Arquitetura Corporativa
Arquitetura  CorporativaArquitetura  Corporativa
Arquitetura Corporativa
 
Sistemas de informação e planejamento estratégico organizacional
Sistemas de informação e planejamento estratégico organizacionalSistemas de informação e planejamento estratégico organizacional
Sistemas de informação e planejamento estratégico organizacional
 
Aula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do Nascimento
Aula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do NascimentoAula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do Nascimento
Aula Apresentação PETIC UFAM - Rogerio P C do Nascimento
 

Semelhante a Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais

Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...
Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...
Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...
Roberto C. S. Pacheco
 
Engenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes Colaborativos
Engenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes ColaborativosEngenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes Colaborativos
Engenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes Colaborativos
Roberto C. S. Pacheco
 
Gestão e Engenharia do Conhecimento e setor publico
Gestão e Engenharia do Conhecimento e setor publicoGestão e Engenharia do Conhecimento e setor publico
Gestão e Engenharia do Conhecimento e setor publico
Roberto C. S. Pacheco
 
Gestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuro
Gestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuroGestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuro
Gestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuro
Roberto C. S. Pacheco
 
Processo Ic
Processo IcProcesso Ic
Engenharia do conhecimento: quando os dados falam
Engenharia do conhecimento: quando os dados falamEngenharia do conhecimento: quando os dados falam
Engenharia do conhecimento: quando os dados falam
Roberto C. S. Pacheco
 
Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado e visão sistêmica do fu...
Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado  e  visão sistêmica do fu...Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado  e  visão sistêmica do fu...
Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado e visão sistêmica do fu...
Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento
 
Coprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e Inovação
Coprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e InovaçãoCoprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e Inovação
Coprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e Inovação
Roberto C. S. Pacheco
 
TESI - Apresentação Final
TESI - Apresentação FinalTESI - Apresentação Final
TESI - Apresentação Final
Kharylim Machado Sea
 
Indicadores e Sistema Nacional de Inovação
Indicadores e Sistema Nacional de Inovação Indicadores e Sistema Nacional de Inovação
Indicadores e Sistema Nacional de Inovação
Roberto C. S. Pacheco
 
Apresentação Final
Apresentação FinalApresentação Final
Apresentação Final
Thadeu Henrique
 
241 producaoonline 05
241 producaoonline 05241 producaoonline 05
241 producaoonline 05
Felipe Silva
 
Programa de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula Inaugural
Programa de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula InauguralPrograma de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula Inaugural
Programa de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula Inaugural
Roberto C. S. Pacheco
 
Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação
Coprodução e o Sistema Catarinense de InovaçãoCoprodução e o Sistema Catarinense de Inovação
Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação
Roberto C. S. Pacheco
 
Gestao conhecimento
Gestao conhecimentoGestao conhecimento
Gestao conhecimento
Andrielle Marques
 
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionaisPlataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Roberto C. S. Pacheco
 
CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...
CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...
CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...
Os Fantasmas !
 
UERJ - UMA NOVA ERA.ppt
UERJ - UMA NOVA ERA.pptUERJ - UMA NOVA ERA.ppt
UERJ - UMA NOVA ERA.ppt
Isaac Medeiros
 
Inteligência competiviva (baixado)
Inteligência competiviva (baixado)Inteligência competiviva (baixado)
Inteligência competiviva (baixado)
jairpopper
 
Modelos de Maturidade
Modelos de MaturidadeModelos de Maturidade
Modelos de Maturidade
nesi
 

Semelhante a Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais (20)

Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...
Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...
Techmining e Expertise Location: gestão estratégica do conhecimento organizac...
 
Engenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes Colaborativos
Engenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes ColaborativosEngenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes Colaborativos
Engenharia e Gestão do Conhecimento em Ambientes Colaborativos
 
Gestão e Engenharia do Conhecimento e setor publico
Gestão e Engenharia do Conhecimento e setor publicoGestão e Engenharia do Conhecimento e setor publico
Gestão e Engenharia do Conhecimento e setor publico
 
Gestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuro
Gestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuroGestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuro
Gestão do conhecimento empresarial no Brasil: aprendizados e futuro
 
Processo Ic
Processo IcProcesso Ic
Processo Ic
 
Engenharia do conhecimento: quando os dados falam
Engenharia do conhecimento: quando os dados falamEngenharia do conhecimento: quando os dados falam
Engenharia do conhecimento: quando os dados falam
 
Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado e visão sistêmica do fu...
Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado  e  visão sistêmica do fu...Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado  e  visão sistêmica do fu...
Fechamento: World Café:qual foi o nosso aprendizado e visão sistêmica do fu...
 
Coprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e Inovação
Coprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e InovaçãoCoprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e Inovação
Coprodução e Planejamento em Ciência, Tecnologia e Inovação
 
TESI - Apresentação Final
TESI - Apresentação FinalTESI - Apresentação Final
TESI - Apresentação Final
 
Indicadores e Sistema Nacional de Inovação
Indicadores e Sistema Nacional de Inovação Indicadores e Sistema Nacional de Inovação
Indicadores e Sistema Nacional de Inovação
 
Apresentação Final
Apresentação FinalApresentação Final
Apresentação Final
 
241 producaoonline 05
241 producaoonline 05241 producaoonline 05
241 producaoonline 05
 
Programa de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula Inaugural
Programa de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula InauguralPrograma de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula Inaugural
Programa de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento - Aula Inaugural
 
Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação
Coprodução e o Sistema Catarinense de InovaçãoCoprodução e o Sistema Catarinense de Inovação
Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação
 
Gestao conhecimento
Gestao conhecimentoGestao conhecimento
Gestao conhecimento
 
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionaisPlataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
Plataformas eGov em CTI: experiências nacionais e internacionais
 
CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...
CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...
CST EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS IFPB 6º PERÍODO GESTÃO DA TECNOL...
 
UERJ - UMA NOVA ERA.ppt
UERJ - UMA NOVA ERA.pptUERJ - UMA NOVA ERA.ppt
UERJ - UMA NOVA ERA.ppt
 
Inteligência competiviva (baixado)
Inteligência competiviva (baixado)Inteligência competiviva (baixado)
Inteligência competiviva (baixado)
 
Modelos de Maturidade
Modelos de MaturidadeModelos de Maturidade
Modelos de Maturidade
 

Mais de Roberto C. S. Pacheco

Capacitação e Coprodução
Capacitação e CoproduçãoCapacitação e Coprodução
Capacitação e Coprodução
Roberto C. S. Pacheco
 
Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...
Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...
Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...
Roberto C. S. Pacheco
 
Educação Digital e Desafios Contemporâneos
Educação Digital e Desafios ContemporâneosEducação Digital e Desafios Contemporâneos
Educação Digital e Desafios Contemporâneos
Roberto C. S. Pacheco
 
Plataforma Lattes : presente e futuro
Plataforma Lattes : presente e futuroPlataforma Lattes : presente e futuro
Plataforma Lattes : presente e futuro
Roberto C. S. Pacheco
 
Futuro (da Universidade) e (Programa) Future-se
Futuro (da Universidade) e (Programa) Future-seFuturo (da Universidade) e (Programa) Future-se
Futuro (da Universidade) e (Programa) Future-se
Roberto C. S. Pacheco
 
Commons e Commons digitais como Ativos Intangíveis Coletivos
Commons e Commons digitais como Ativos Intangíveis ColetivosCommons e Commons digitais como Ativos Intangíveis Coletivos
Commons e Commons digitais como Ativos Intangíveis Coletivos
Roberto C. S. Pacheco
 
Interdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos Commons
Interdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos CommonsInterdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos Commons
Interdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos Commons
Roberto C. S. Pacheco
 
Empreendedorismo e Inovação na Educação Superior
Empreendedorismo e Inovação na Educação SuperiorEmpreendedorismo e Inovação na Educação Superior
Empreendedorismo e Inovação na Educação Superior
Roberto C. S. Pacheco
 
CONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisa
CONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a PesquisaCONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisa
CONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisa
Roberto C. S. Pacheco
 
Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...
Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...
Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...
Roberto C. S. Pacheco
 
Desafios da Ciência Digital
Desafios da Ciência DigitalDesafios da Ciência Digital
Desafios da Ciência Digital
Roberto C. S. Pacheco
 
Repositório de Produção Intelectual para Programas Profissionais
Repositório de Produção Intelectual para Programas ProfissionaisRepositório de Produção Intelectual para Programas Profissionais
Repositório de Produção Intelectual para Programas Profissionais
Roberto C. S. Pacheco
 
Doutorados profissionais: oportunidades e desafios
Doutorados profissionais: oportunidades e desafiosDoutorados profissionais: oportunidades e desafios
Doutorados profissionais: oportunidades e desafios
Roberto C. S. Pacheco
 
Universidades Empreendedoras
Universidades Empreendedoras Universidades Empreendedoras
Universidades Empreendedoras
Roberto C. S. Pacheco
 
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Roberto C. S. Pacheco
 
Produção Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no Exterior
Produção Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no ExteriorProdução Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no Exterior
Produção Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no Exterior
Roberto C. S. Pacheco
 
Repositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliação
Repositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliaçãoRepositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliação
Repositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliação
Roberto C. S. Pacheco
 
Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...
Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...
Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...
Roberto C. S. Pacheco
 
Desafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-Graduação
Desafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-GraduaçãoDesafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-Graduação
Desafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-Graduação
Roberto C. S. Pacheco
 
Conhecimento e Coprodução em Energia
Conhecimento e Coprodução em EnergiaConhecimento e Coprodução em Energia
Conhecimento e Coprodução em Energia
Roberto C. S. Pacheco
 

Mais de Roberto C. S. Pacheco (20)

Capacitação e Coprodução
Capacitação e CoproduçãoCapacitação e Coprodução
Capacitação e Coprodução
 
Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...
Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...
Plataforma Intelitengia: solução integrada para o fomento estadual em CTI bas...
 
Educação Digital e Desafios Contemporâneos
Educação Digital e Desafios ContemporâneosEducação Digital e Desafios Contemporâneos
Educação Digital e Desafios Contemporâneos
 
Plataforma Lattes : presente e futuro
Plataforma Lattes : presente e futuroPlataforma Lattes : presente e futuro
Plataforma Lattes : presente e futuro
 
Futuro (da Universidade) e (Programa) Future-se
Futuro (da Universidade) e (Programa) Future-seFuturo (da Universidade) e (Programa) Future-se
Futuro (da Universidade) e (Programa) Future-se
 
Commons e Commons digitais como Ativos Intangíveis Coletivos
Commons e Commons digitais como Ativos Intangíveis ColetivosCommons e Commons digitais como Ativos Intangíveis Coletivos
Commons e Commons digitais como Ativos Intangíveis Coletivos
 
Interdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos Commons
Interdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos CommonsInterdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos Commons
Interdisciplinaridade e Sustentabilidade: a contribuição dos Commons
 
Empreendedorismo e Inovação na Educação Superior
Empreendedorismo e Inovação na Educação SuperiorEmpreendedorismo e Inovação na Educação Superior
Empreendedorismo e Inovação na Educação Superior
 
CONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisa
CONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a PesquisaCONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisa
CONFAP CRIS: Plataforma CRIS de Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisa
 
Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...
Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...
Public Management and ST&I Governance Based on Intellectual Capital and Socia...
 
Desafios da Ciência Digital
Desafios da Ciência DigitalDesafios da Ciência Digital
Desafios da Ciência Digital
 
Repositório de Produção Intelectual para Programas Profissionais
Repositório de Produção Intelectual para Programas ProfissionaisRepositório de Produção Intelectual para Programas Profissionais
Repositório de Produção Intelectual para Programas Profissionais
 
Doutorados profissionais: oportunidades e desafios
Doutorados profissionais: oportunidades e desafiosDoutorados profissionais: oportunidades e desafios
Doutorados profissionais: oportunidades e desafios
 
Universidades Empreendedoras
Universidades Empreendedoras Universidades Empreendedoras
Universidades Empreendedoras
 
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
Mapeando e construindo indicadores para avaliar a pós-graduação
 
Produção Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no Exterior
Produção Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no ExteriorProdução Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no Exterior
Produção Científica na Região Sul (SC) e contexto no País e no Exterior
 
Repositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliação
Repositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliaçãoRepositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliação
Repositórios de produção científica e seu potencial nos sistemas de avaliação
 
Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...
Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...
Internacionalização na Graduação: reflexões no Fórum Sul de Pró-Reitores de G...
 
Desafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-Graduação
Desafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-GraduaçãoDesafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-Graduação
Desafios da Ciência Digital e Sistemas de Informação para a Pós-Graduação
 
Conhecimento e Coprodução em Energia
Conhecimento e Coprodução em EnergiaConhecimento e Coprodução em Energia
Conhecimento e Coprodução em Energia
 

Último

SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
bentosst
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
RodrigoQuintilianode1
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
Consultoria Acadêmica
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
MaxwellBentodeOlivei1
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Sandro Marques Solidario
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
Consultoria Acadêmica
 

Último (6)

SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 

Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais

  • 1. Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais Roberto C. S. Pacheco pacheco@egc.ufsc.br Seminário Gestão do Conhecimento na Comercialização de Energia. 09/10/2014. Auditório da Sede da CELESC. Florianópolis SC.
  • 2. Perspectiva da qual falamos... QUEM SOMOS
  • 3. EGC/UFSC Programa de PG em Engenharia e Gestão do Conhecimento Criado em 2004 35 Doutores de diversas áreas (Psicologia, Administração, Engenharias, Computação, Semiótica, Educação) 700 candidatos para 60 ingressantes por ano (30 mestrado e 30 doutorado) Conceito 5 na CAPES
  • 4. Instituto Stela TRANSFORMAMOS DADOS EM CONHECIMENTO Instituto de pesquisa sem fins econômicos (OSCIP) P&D em TIC e em Engenharia do conhecimento Referência no País em governo eletrônico (+ 6 milhões de usuários) 2012 2008 2007 1995-2002: Grupo Stela/UFSC 2002-hoje: Instituto Stela
  • 5. Como e para quem TRANSFORMAMOS DADOS EM CONHECIMENTO? Projetos Produtos
  • 6. Agenda • O que é GC • O que é EC • Resultados Casos em que a EC leva a uma melhor GC • Perspectivas • Considerações finais
  • 7. O que é Gestão do Conhecimento (para a Engenharia do Conhecimento)
  • 8. O que é GC para nós? Combinamos as visões de processos e conteúdos GC é uma disciplina que estabelece meios para a organização gerir seus ativos intangíveis, percebidos tanto como resultados de suas atividades (Conteúdo) como nas atividades exercidas por seus indivíduos (Processos). Fonte: Pacheco, 2013
  • 9. Múltiplas abordagens para a GC Práticas e tecnologias GC Fonte: Terra (2008) Alinhamento de estratégias Fonte:APO KM Facilitator’s guide (2009) Por que há diversos modelos e frameworks para implementar a GC? (i) Perspectiva com que concebe os intangíveis (Conteúdo e Processos) (ii) Diversidade de práticas e técnicas para exercê-la (iii) Diversidade de dimensões organizacionais onde se aplica (ex. inovação, competências, liderança, memória, aprendizagem, etc.) (iv) Diversidade de processos de conhecimento (ex. auditoria, criação, retenção/memória) (v) Propósito/estágio da GC (avaliação, difusão, etc.) (vi) Setor (domínio) da organização (ex. engenharia, finanças) (vii) Natureza da organização (público, privado) Adoção incremental da GC Fonte:APQC roadmap do KM (2003) Método OKA - Avaliação de GC Fonte:Fresneda (2009) Modelo de Choo (1998) Fonte:Dalkir (2005)
  • 10. conhecimento organizacional e sua relação com os conhecimentos individuais e coletivos, observados tanto nas dimensões de processo como de conteúdo GC se relaciona com a estratégia da organização e prevê meios e práticas de colocar o conhecimento como fator de produção organizacional GC focaliza processos e as atividades desempenhadas por indivíduos para buscar meios de melhorar a performance organizacional GC se relaciona com gestão da informação, quando focaliza a dimensão conteúdo e quando prevê as TIC como instrumentos de apoio às suas práticas
  • 11. Qual é o Papel das TICs na GC?
  • 12. Evolução das TICs nas organizações TICs evoluíram dos dados ao conhecimento organizacional  As TICs evoluíram em forma bottom up nas organizações.  Primeiro automatizaram processos operacionais. Depois apoiaram atividades gerenciais, passando a dar suporte estratégico e apoio a soluções de conhecimento mais recentemente.  Esta evolução centra os projetos de TI em uma seqüência de ciclo dado-> informação-> conhecimento  Profissionais com formação tecnológica em engenharia de software (demandas da GC semi-compreendidas). FONTE: Pacheco 2004
  • 13. É fundamental diferenciar TIC de EC TIC sozinha não oferece as soluções de conhecimento que a GC necessita  GC costuma atribuir a parte tecnológica às TICs ou, na melhor das hipóteses utiliza sistemas de conhecimento embutidos às TICS  A GC normalmente desconhece a existência da Engenharia do Conhecimento.
  • 14. Maturidade da GC organizacional. Qual é o futuro da GC? Fatores estratégicos em projetos de GC Carla O’Dell Cindy Hubert http://www.slideshare.net/SIKM/trends-in-knowledge-management-16604522 ENGENHARIA DO CONHECIMENTO 2011 Ubiquidade
  • 15. O que é Engenharia do Conhecimento
  • 16. Disciplina que se dedica à modelagem de conhecimento e à criação e inserção de sistemas de conhecimento nas organizações. Como ramo da Inteligência Artificial, EC era uma subdisciplina dedicada à criação de sistemas especialistas Fonte: KNUBLAUCH (2002) Fonte: PACHECO (2013) Em uma visão mais contemporânea, a EC se tornou uma disciplina, que tem na IA uma de suas disciplinas de contribuição e na GC e em outras áreas organizacionais fontes de demanda por sistemas de conhecimento.
  • 17. Como a EC se posiciona em projetos GC (Instituto Stela)
  • 18. Como a EC pode ajudar a se ter uma melhor GC?
  • 19. Caso 1: SGC organizacionais integrados Instrumentalizando processos do cotidiano da organização (ubiquidade) Fonte: Instituto Stela e SENAI-CE, 204
  • 20. Coprodução Promovendo círculos de coprodução em atividades do cotidiano da organização
  • 21. Mapas de conhecimento Explorando conhecimentos estratégicos em documentos e portfólios de colaboradores
  • 22. Representação do conhecimento Taxonomia baseada no SKOS
  • 25. Caso 2: Integridade e valores Mapeamento de eventos associados à integridade e aos valores dos colaboradores Que sistemas de conhecimento podem ajudar uma organização na gestão da integridade dos valores exercidos por seus funcionários? Gestão estratégica de ética e valores 1. Que valores a organização preconiza? 2. Que condutas espera de seus funcionários? 3. Que mecanismos utiliza para acompanhar o cumprimento desses valores? 4. Que fluxo de informações adota nesta gestão? 5. Como avaliar o grau de integridade e de alinhamento em nossa organização? 6. Estamos praticando os nossos valores? 7. Como levar as normas, diretrizes e políticas ao cotidiano nas diversas agências e unidades da organização?
  • 26. Caso 2: Setor Financeiro Gestão de integridade e valores O que é? Plataforma de gestão estratégica de informação sobre integridade e valores sobre os colaboradores da organização. Considera dados encaminhados de forma desestruturada, utiliza ontologia organizacional para descobrir conhecimentos relevantes e apresenta mapa estratégico de indicadores para acompanhamento da organização.
  • 27. Caso 2: Setor Financeiro Gestão de integridade e valores O que faz? Permite que a organização gerencie ativos intangíveis (normas e regulamentos) e conecte-os às ações diárias de seus funcionários (mesmo diante de dados desestruturados). Revela fatos e conhecimentos estratégicos que influenciam as políticas organizacionais de educação corporativa e de avaliação de colaboradores.
  • 28. Caso 2: Setor Financeiro Busca semântica Resultado de uma busca por “assédio” em todas as bases de dados e documentos geridos pelas diversas equipes que registram as manifestações e as medidas disciplinares O que faz? Depois de indexar as informações sobre denúncias encaminhadas ao ombudsman, o sistema utiliza busca semântica para relacioná-las com o código de ética e condutas da organização.
  • 29. A empresa desenvolveu um conjunto de SGCs, mas não dispunha de visão integrada de seus serviços. Caso 3: Embraer Busca semântica para integrar SGC desenvolvidos independentemente Como utilizar busca semântica para integrar sistemas de gestão do conhecimento desenvolvidos de forma independente em uma organização? Integração de sistemas de conhecimento 1. Quantos SGC desenvolvemos? 2. O que eles têm em comum? 3. Como definir um projeto de busca semântica para integrar os SGCs? 4. Quais são os benefícios organizacionais? 5. Como o projeto pode ser incremental e tratar cada SGC da organização?
  • 30. Caso 3: Embraer Busca semântica para integrar informações internas e externas Technical Standards EC (Busca semântica ) Technical Reports Artigos Manuais CoPs – Comunidade s de Prática Normas & Regulação SITUAÇÃO ATUAL • Demora na localização da informação. • Busca de informação a partir dos colegas. • Reinvenção da roda. PRINCÍPIOS DA BUSCA SEMÂNTICA Variações morfológicas Ex., avião => aviões Sinônimos Ex. carro => automóvel, veículo motor Generalizações Ex., doença => câncer, gripe, aids Descoberta de conceitos Ex., iPhone => telefone celular
  • 31. Caso 3: Embraer Busca semântica para integrar informações internas e externas BUSCA INTEGRADA NAVEGAÇÃO VISUAL Sobre as diferentes bases de conhecimento da empresa DETALHAMENTO Acesso aos conteúdos das diferentes bases de conhecimento
  • 32. Caso 4: Setor Elétrico Como conectar conhecimentos e competências com nossos processos? Questões estratégicas sobre o conhecimento organizacional
  • 33. Caso 4: Setor Elétrico Identificar e mitigar o risco de perda de conhecimento (análise p/ pro Risco organizacional estratificado por processo.
  • 34. Caso 4: Setor Elétrico Processos e conhecimentos, capital humano e relacional e impacto organizacional Para cada processo: Conhecimentos associados Análise de ilhas Análise de fluxo de conhecimento Previsão de impacto nos indicadores de resultado da perda eminente de pessoas (ex. previsão para aposentadorias associadas às tarefas selecionadas).
  • 35. Caso 4: Setor Elétrico Modelagem de processos intensivos em conhecimento, sistemas e indicadores. A estratégia de modelagem compreende a identificação dos intangíveis a partir dos processos organizacionais e da contextualização dos conhecimentos críticos para a consecução da estratégia organizacional Processos organizacionais Competências essenciais, sistemas e indicadores
  • 36. Caso 5: Gestão estratégica de P&D Como incluir sistemas de conhecimento e tornar P&D alinhada à inovação empresarial? Modelo Lógico Input-Output Kellogg Foundation. (2001) Recursos/ Entradas Atividades Saídas Resultados Impactos Planejamento do trabalho Kellogg Foundation. (2001) Resultados almejados Kellogg Foundation. (2001) Recursos humanos, financeiros, organizacionais e comunitários do programa Processos, ferramentas, eventos, tecnologias, ações para implementar o programa Produtos diretos das atividades dos programas (tipos, níveis e metas dos serviços do programa) Mudança nos participantes do programa: comportamento, conhecimentos, habilidades, status e nível de funcionamento (1 a 7 anos) Mudança fundamental intencional ou não que ocorre na organização, comunidades, sistemas como resultados do programa (7 a 10 anos)
  • 37. Caso 5: Gestão estratégica de P&D Como incluir sistemas de conhecimento e tornar P&D alinhada à inovação empresarial?
  • 38. Caso 5: Gestão estratégica de P&D Gestão estratégica de seu processo de contratação de P&D 1. Programatização 2. Seleção de avaliadores 3. Seleção de Propostas 4. Acompanhamento de projetos 5. Análise executiva 6. Memória e Aprendizagem
  • 40. EC e GC no Setor Elétrico Contribuições da EC Sistêmica Modelagem de conhecimento Posicionamento estratégico da TIC Tecnológica Acompanhamento e retenção de conhecimento Análise de impactos sobre a estratégia organizacional Monitoramento de consumo e recomendação Análise instantânea de Big Data (Smartgrid para o setor elétrico) Oportunidades estratégicas Capital Intelectual Retenção de conhecimentos Capital relacional (fornecedores) Processos estratégicos Regulação e governança no setor Inovação e P&D Educação Corporativa Comercialização Customização (consumo)
  • 41. Considerações Finais • Tendência: Projetos contemporâneos de GC não podem prescindir da EC (e da MC). • Oportunidades: no setor elétrico, pode-se combinar EC e GC tanto em produtos como em P&D e inovação de impacto estratégico. • Cenário nacional: GC+EC é uma das possibilidades de “plataformas do conhecimento” que o MCTI acaba de definir como visão estratégica para o sistema brasileiro de inovação
  • 42. Gestão e Engenharia do Conhecimento: Perspectivas e Resultados Empresariais Roberto C. S. Pacheco pacheco@egc.ufsc.br Seminário Gestão do Conhecimento na Comercialização de Energia. 09/10/2014. Auditório da Sede da CELESC