SlideShare uma empresa Scribd logo
Fundamentos do Turismo (I)
Prof. Me. Aristides Faria Lopes dos Santos
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
MINISTÉRIO DO TURISMO (BRASIL). Marcos Conceituais do Turismo. Brasília: MTur, 2003.
Segmentação
• Forma de organizar o turismo para
fins de planejamento, gestão e
mercado.
• "Segmentos turísticos" podem ser
estabelecidos a partir dos
elementos de identidade da oferta
e também das características e
variáveis da demanda.
Turismo
Social
Ecoturismo
Turismo
Cultural
Turismo de
Estudos e
Intercâmbio
Turismo
de
Esportes
Turismo
de Pesca
Turismo
Náutico
Turismo
de
Aventura
Turismo
de Sol e
Praia
Turismo de
Negócios e
Eventos
Turismo
Rural
Turismo
de Saúde
Turismo de Sol e Praia
• Turismo de Sol e Praia constitui-se das atividades turísticas
relacionadas à recreação, entretenimento ou descanso em praias, em
função da presença conjunta de água, sol e calor.
Turismo de Sol e Praia
• A recreação, o entretenimento e o descanso estão relacionados ao
divertimento, à distração ou ao usufruto e contemplação da paisagem.
• Considera-se praia:
– A área situada ao longo de um corpo de água, constituída comumente de
areia, lama ou diferentes tipos de pedras.
– Deste modo, estão contempladas:
• Praias marítimas
• Praias fluviais e lacustres (margens de rios, lagoas e outros corpos de água doce)
• Praias artificiais (construções similares às praias naturais à beira de lagos, represas e
outros corpos de água)
• Presença conjunta de água, sol e calor
Turismo de Negócios e Eventos
• Turismo de Negócios e Eventos compreende o conjunto de atividades
turísticas decorrentes dos encontros de interesse profissional,
associativo, institucional, de caráter comercial, promocional, técnico,
científico e social.
• A globalização, a formação de blocos econômicos, a aceleração da
economia mundial e o crescimento das multinacionais são alguns dos
fatores que configuraram um movimento internacional sem
precedentes para a efetivação de transações e relacionamentos de
caráter comercial, e a realização de eventos com finalidades e
interesses diversos.
Turismo de Negócios e Eventos
• O Brasil vem se posicionando como um destino de negócios, com
destaque para as áreas de telecomunicações, biotecnologia, finanças,
moda, entre outras.
• No que se refere à realização de eventos, a profissionalização do setor
e as opções de lazer relacionadas à diversidade dos recursos naturais e
culturais são alguns dos fatores para o crescimento do segmento.
• Os eventos, por sua vez, compreendem encontros programados e
organizados como congressos, convenções, simpósios, lançamentos,
mostras, exposições e feiras.
Turismo de Negócios e Eventos
• Encontros de interesse profissional, associativo e institucional
• Referem-se a contatos e relacionamentos de trabalho, corporativos,
sob diferentes formas tais como reuniões, visitas, missões e eventos
de diferentes naturezas.
• Importante!
– Caráter comercial, promocional, técnico, científico e social
Turismo de Negócios e Eventos
• Está relacionado à natureza das relações:
– Comerciais quando associadas a transações de compra e venda de produtos e
serviços;
– Promocionais quando apenas de divulgação de um produto ou serviço;
– Técnicas e científicas ao abarcar especialidades, processos, habilidades,
domínio de uma prática, arte ou ciência; e
– Sociais por envolver assuntos próprios da sociedade, comunidade ou
agremiação, com vistas ao bem comum.
Turismo de Negócios e Eventos
• Características:
– Oportunidade de equacionamento de períodos sazonais, proporcionando
equilíbrio na relação entre oferta e demanda durante o ano, pois independe
de condições climáticas e períodos de férias escolares;
– Caracteriza-se como de alta rentabilidade, uma vez que o turista de negócios
e eventos possui maior gasto médio que o turista de lazer, normalmente
retorna mais vezes e com maior tempo de permanência no destino;
Turismo de Negócios e Eventos
• Características (continuação):
– Os eventos e atividades de negócio funcionam como ferramenta de marketing
para o destino, expondo-o significativamente na mídia e estimulando que o
turista volte para fins de lazer e divulgue-o a outras pessoas;
– As atividades de outros segmentos turísticos são incrementadas com as
visitas realizadas por esses turistas em seus horários livres, em períodos pré
ou pós-eventos, e em retornos futuros com familiares e amigos;
– Possibilidade de interiorização da atividade turística, pois podem ser
realizados em cidades menores, desde que apresentem as condições e
estruturas necessárias para a realização de eventos, reuniões e visitas de
negócio.
Turismo de Negócios e Eventos
• Mercado M.I.C.E.: Meetings (Encontros), Incentives (Incentivos),
Conferences (Conferências) and Exhibitions (Feiras)
– Por Octavio Neto, CEO do Grupo Radar de Comunicação
– Popularmente conhecido no Brasil como Turismo de Negócios e de Eventos,
estes são segmentos importantes e que dão vitalidade para a economia
turística do País, ocupando as primeiras posições entre os que mais
aumentaram em termos de faturamento nos últimos anos.
– Turismo de eventos, por exemplo, é o segundo maior fator de atração de
visitantes estrangeiros para o Brasil: 25,6% dos turistas internacionais vêm ao
país com essa finalidade, e seu gasto médio diário, US$ 127, é quase duas
vezes maior que o desembolso dos turistas de lazer segundo informações do
Ministério do Turismo brasileiro.
Turismo de Negócios e Eventos
• Continuação:
– Estou inserido a cerca de 20 anos no setor de turismo de negócios e
acompanhei de perto o desenvolvimento do setor de feiras.
– Vi o processo de segmentação, o surgimento e modernização de pavilhões e a
especialização e profissionalização cada vez maior das promotoras que são
agentes fundamentais deste mercado.
Turismo de Negócios e Eventos
• Continuação:
– O resultado não poderia ser outro: somente na capital paulista as Feiras de
Negócios movimentam cerca de 16 bilhões de reais e impulsionam a
economia nacional como um todo.
– São Paulo e Rio de Janeiro destacam-se por concentrar grande parcela dos
eventos e feiras, contudo outras cidades já assumem um importante polo de
turismo de negócios como Recife, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Foz
do Iguaçu, Brasília e Fortaleza.
Turismo de Negócios e Eventos
• Continuação:
– Em São Paulo as expectativas para aumento de eventos e feiras são grandes
com a construção de um novo pavilhão da ABUP (na Casa Verde) e
remodelação do Imigrantes Exhibition & Convention Center e expansão do
Expo Center Norte. Isto falando apenas na capital paulista. Ao todo, pelo
Brasil, o Ministério do Turismo está investindo um total R$ 461 milhões em 11
centros de convenções pelo País.
– A modernização destes espaços promete fazer com que o Brasil atrai mais
eventos internacionais e melhore ainda mais seu posicionamento no ranking
da ICCA (International Congress & Convention Association). Atualmente
ocupamos a 7ª posição.
Turismo de Negócios e Eventos
• Continuação:
– Seja no turismo de lazer ou nos de eventos e negócios, o Brasil ainda tem
muito a avançar, principalmente no que se refere a infraestrutura, mas com
trabalho sério dos profissionais ligados a este setor e grandes eventos como o
WTM Latin America, é certeza que chegaremos lá e que estamos no caminho
certo!
• Fonte: http://www.wtmlatinamerica.com/pt-br/imprensa/Blogs/A-sigla-internacional-
MICE-significa-Meetings-Encontros-Incentives-Incentivos-Conferences-Conferencias-
and-Exhibitions-Feiras-e-esta-a-cada-ano-mais-presente-no-Brasil-e-no-mundo/
Bons estudos!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - ApresentaçãoFUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
Elton Rodrigues
 
Empresas de animação turística carina catia nº78 1ºt
Empresas de animação turística carina catia nº78 1ºtEmpresas de animação turística carina catia nº78 1ºt
Empresas de animação turística carina catia nº78 1ºt
Karyn XP
 
Turismo geografia
Turismo   geografiaTurismo   geografia
Turismo geografia
Fátima Cunha Lopes
 
Manual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismo
Manual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismoManual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismo
Manual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismo
Beacarol
 
Turismo de negocios
Turismo de negociosTurismo de negocios
Turismo de negocios
Carlos Serra
 
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aulaFUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
Elton Rodrigues
 
Projeto formador pp1
Projeto formador pp1Projeto formador pp1
Projeto formador pp1
MnicaFerreira80
 
A regionalização turística e a valorização do pólo
A regionalização turística e a valorização do póloA regionalização turística e a valorização do pólo
A regionalização turística e a valorização do pólo
Universitur Empresa Júnior
 
Marketing Territorial
Marketing TerritorialMarketing Territorial
Marketing Territorial
Rita Rocha
 
1935
19351935
1935
Pelo Siro
 
Turismo
TurismoTurismo
Turismo
Joanasoph
 

Mais procurados (11)

FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - ApresentaçãoFUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
 
Empresas de animação turística carina catia nº78 1ºt
Empresas de animação turística carina catia nº78 1ºtEmpresas de animação turística carina catia nº78 1ºt
Empresas de animação turística carina catia nº78 1ºt
 
Turismo geografia
Turismo   geografiaTurismo   geografia
Turismo geografia
 
Manual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismo
Manual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismoManual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismo
Manual tavt ufcd_3480_organizacoes_e_funcionamento_do_setor_do_turismo
 
Turismo de negocios
Turismo de negociosTurismo de negocios
Turismo de negocios
 
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aulaFUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
 
Projeto formador pp1
Projeto formador pp1Projeto formador pp1
Projeto formador pp1
 
A regionalização turística e a valorização do pólo
A regionalização turística e a valorização do póloA regionalização turística e a valorização do pólo
A regionalização turística e a valorização do pólo
 
Marketing Territorial
Marketing TerritorialMarketing Territorial
Marketing Territorial
 
1935
19351935
1935
 
Turismo
TurismoTurismo
Turismo
 

Semelhante a Fundamentos do Turismo (I): aulas 08 e 09

Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)
Aristides Faria
 
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
Ignacio Amigó
 
Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)
Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)
Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)
Aristides Faria
 
Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.
EcoHospedagem
 
Turismo de eventos
Turismo de eventosTurismo de eventos
Turismo de eventos
Cairo Aparecido Campos
 
Gestão Pública: aula 12
Gestão Pública: aula 12Gestão Pública: aula 12
Gestão Pública: aula 12
Aristides Faria
 
Importância dos eventos para a economia da UE
Importância dos eventos para a economia da UEImportância dos eventos para a economia da UE
Importância dos eventos para a economia da UE
EdnaEngenheiro
 
Armando Arruda (Ubrafe)
Armando Arruda (Ubrafe)Armando Arruda (Ubrafe)
Armando Arruda (Ubrafe)
Sistema CNC
 
Módulo 10
Módulo 10Módulo 10
Módulo 10
Carlos Serra
 
Legislação turismo 02
Legislação turismo 02Legislação turismo 02
Legislação turismo 02
Ivan Furmann
 
Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)
Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)
Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)
Aristides Faria
 
Palestra Senac
Palestra SenacPalestra Senac
Palestra Senac
Flavia Amorim
 
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Gabriel Rodrigues
 
Apostila fundamentos turismo
Apostila fundamentos turismoApostila fundamentos turismo
Apostila fundamentos turismo
Acrópole - História & Educação
 
Apresentação Beja 01.04.2014
Apresentação Beja 01.04.2014Apresentação Beja 01.04.2014
Apresentação Beja 01.04.2014
Luís Coito
 
Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3
Vinicius Raszl
 
GiovanaParente.pdf
GiovanaParente.pdfGiovanaParente.pdf
GiovanaParente.pdf
710200148
 
Plano promocao brasil
Plano promocao brasilPlano promocao brasil
Plano promocao brasil
Diógenes "Dhonas" Cordeiro
 
City break
City breakCity break
City break
jmf1972
 
City break
City breakCity break
City break
jmf1972
 

Semelhante a Fundamentos do Turismo (I): aulas 08 e 09 (20)

Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)
Disciplina Fundamentos do Turismo (I) (IFSP Campus Cubatao) (aula 08)
 
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
De La Hoz Advisor [Modo de Compatibilidade] (1)
 
Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)
Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)
Disciplina Ecoturismo e Turismo de Aventura (IFSP Campus Cubatao) (aula 05)
 
Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.
 
Turismo de eventos
Turismo de eventosTurismo de eventos
Turismo de eventos
 
Gestão Pública: aula 12
Gestão Pública: aula 12Gestão Pública: aula 12
Gestão Pública: aula 12
 
Importância dos eventos para a economia da UE
Importância dos eventos para a economia da UEImportância dos eventos para a economia da UE
Importância dos eventos para a economia da UE
 
Armando Arruda (Ubrafe)
Armando Arruda (Ubrafe)Armando Arruda (Ubrafe)
Armando Arruda (Ubrafe)
 
Módulo 10
Módulo 10Módulo 10
Módulo 10
 
Legislação turismo 02
Legislação turismo 02Legislação turismo 02
Legislação turismo 02
 
Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)
Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)
Disciplina Gestao Publica (IFSP Campus Cubatao) (aula 12)
 
Palestra Senac
Palestra SenacPalestra Senac
Palestra Senac
 
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10Trabalho de otet nº1, 8 , 10
Trabalho de otet nº1, 8 , 10
 
Apostila fundamentos turismo
Apostila fundamentos turismoApostila fundamentos turismo
Apostila fundamentos turismo
 
Apresentação Beja 01.04.2014
Apresentação Beja 01.04.2014Apresentação Beja 01.04.2014
Apresentação Beja 01.04.2014
 
Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3Teoria e técnica profissional 3
Teoria e técnica profissional 3
 
GiovanaParente.pdf
GiovanaParente.pdfGiovanaParente.pdf
GiovanaParente.pdf
 
Plano promocao brasil
Plano promocao brasilPlano promocao brasil
Plano promocao brasil
 
City break
City breakCity break
City break
 
City break
City breakCity break
City break
 

Mais de Aristides Faria

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Aristides Faria
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Aristides Faria
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Aristides Faria
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Aristides Faria
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Aristides Faria
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
Aristides Faria
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Aristides Faria
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
Aristides Faria
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Aristides Faria
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Aristides Faria
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Aristides Faria
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Aristides Faria
 
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Aristides Faria
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism Research
Aristides Faria
 
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Aristides Faria
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Aristides Faria
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Aristides Faria
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Aristides Faria
 

Mais de Aristides Faria (20)

Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. II)
 
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptxObservatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
Observatório do Turismo & Economia do Mar - 2023-2024 (v. I).pptx
 
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
Síntese da Lei n° 10.973, de 2 de dezembro de 2004​
 
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao PauloPorto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
Porto de Santos: desenvolvimento regional do turismo no litoral de Sao Paulo
 
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
Apresentacao de trabalho no EPTEN 2021
 
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e InovaçãoSEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
SEMEI IFRR: Oficina Turismo e Inovação
 
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
Apresentação sobre o projeto SIGESTur na SEMATUR IFSP CBT 2021
 
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides FariaWorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
WorkIF 2021 - IFMT - SIGESTur - Aristides Faria
 
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
IFSP.CBT | Meios de Hospedagem (aula 08.04.2021)
 
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
IFSP.CBT | Pesquisa em Turismo (aula 06.04.2021)
 
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidadeAssociativismo, cooperacao e hospitalidade
Associativismo, cooperacao e hospitalidade
 
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
Mercado imobiliário: Praia Grande, São Paulo (AirDNA: 02/2019)
 
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneosTendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
Tendências e perspectivas para a gestão de destinos turísticos litorâneos
 
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
Marketing & Turismo: estudo de caso sobre o potencial mercadológico do municí...
 
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
Tendências recentes e perspectivas futuras do turismo no Polo Costa dos Coque...
 
Seminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism ResearchSeminário: Annals of Tourism Research
Seminário: Annals of Tourism Research
 
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
Mobilização, Participação e Controle Social (III CGPOP Unifesp)
 
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
Apresentação no V FCGTurH (Univali) 2017
 
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
Formação Superior em Turismo & Hospitalidade: um fator de competitividade de ...
 
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
Projeto de pesquisa (Doutorado em Hospitalidade)
 

Último

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 

Último (20)

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 

Fundamentos do Turismo (I): aulas 08 e 09

  • 1. Fundamentos do Turismo (I) Prof. Me. Aristides Faria Lopes dos Santos
  • 2. CONCEITOS FUNDAMENTAIS MINISTÉRIO DO TURISMO (BRASIL). Marcos Conceituais do Turismo. Brasília: MTur, 2003.
  • 3. Segmentação • Forma de organizar o turismo para fins de planejamento, gestão e mercado. • "Segmentos turísticos" podem ser estabelecidos a partir dos elementos de identidade da oferta e também das características e variáveis da demanda. Turismo Social Ecoturismo Turismo Cultural Turismo de Estudos e Intercâmbio Turismo de Esportes Turismo de Pesca Turismo Náutico Turismo de Aventura Turismo de Sol e Praia Turismo de Negócios e Eventos Turismo Rural Turismo de Saúde
  • 4. Turismo de Sol e Praia • Turismo de Sol e Praia constitui-se das atividades turísticas relacionadas à recreação, entretenimento ou descanso em praias, em função da presença conjunta de água, sol e calor.
  • 5. Turismo de Sol e Praia • A recreação, o entretenimento e o descanso estão relacionados ao divertimento, à distração ou ao usufruto e contemplação da paisagem. • Considera-se praia: – A área situada ao longo de um corpo de água, constituída comumente de areia, lama ou diferentes tipos de pedras. – Deste modo, estão contempladas: • Praias marítimas • Praias fluviais e lacustres (margens de rios, lagoas e outros corpos de água doce) • Praias artificiais (construções similares às praias naturais à beira de lagos, represas e outros corpos de água) • Presença conjunta de água, sol e calor
  • 6. Turismo de Negócios e Eventos • Turismo de Negócios e Eventos compreende o conjunto de atividades turísticas decorrentes dos encontros de interesse profissional, associativo, institucional, de caráter comercial, promocional, técnico, científico e social. • A globalização, a formação de blocos econômicos, a aceleração da economia mundial e o crescimento das multinacionais são alguns dos fatores que configuraram um movimento internacional sem precedentes para a efetivação de transações e relacionamentos de caráter comercial, e a realização de eventos com finalidades e interesses diversos.
  • 7. Turismo de Negócios e Eventos • O Brasil vem se posicionando como um destino de negócios, com destaque para as áreas de telecomunicações, biotecnologia, finanças, moda, entre outras. • No que se refere à realização de eventos, a profissionalização do setor e as opções de lazer relacionadas à diversidade dos recursos naturais e culturais são alguns dos fatores para o crescimento do segmento. • Os eventos, por sua vez, compreendem encontros programados e organizados como congressos, convenções, simpósios, lançamentos, mostras, exposições e feiras.
  • 8. Turismo de Negócios e Eventos • Encontros de interesse profissional, associativo e institucional • Referem-se a contatos e relacionamentos de trabalho, corporativos, sob diferentes formas tais como reuniões, visitas, missões e eventos de diferentes naturezas. • Importante! – Caráter comercial, promocional, técnico, científico e social
  • 9. Turismo de Negócios e Eventos • Está relacionado à natureza das relações: – Comerciais quando associadas a transações de compra e venda de produtos e serviços; – Promocionais quando apenas de divulgação de um produto ou serviço; – Técnicas e científicas ao abarcar especialidades, processos, habilidades, domínio de uma prática, arte ou ciência; e – Sociais por envolver assuntos próprios da sociedade, comunidade ou agremiação, com vistas ao bem comum.
  • 10. Turismo de Negócios e Eventos • Características: – Oportunidade de equacionamento de períodos sazonais, proporcionando equilíbrio na relação entre oferta e demanda durante o ano, pois independe de condições climáticas e períodos de férias escolares; – Caracteriza-se como de alta rentabilidade, uma vez que o turista de negócios e eventos possui maior gasto médio que o turista de lazer, normalmente retorna mais vezes e com maior tempo de permanência no destino;
  • 11. Turismo de Negócios e Eventos • Características (continuação): – Os eventos e atividades de negócio funcionam como ferramenta de marketing para o destino, expondo-o significativamente na mídia e estimulando que o turista volte para fins de lazer e divulgue-o a outras pessoas; – As atividades de outros segmentos turísticos são incrementadas com as visitas realizadas por esses turistas em seus horários livres, em períodos pré ou pós-eventos, e em retornos futuros com familiares e amigos; – Possibilidade de interiorização da atividade turística, pois podem ser realizados em cidades menores, desde que apresentem as condições e estruturas necessárias para a realização de eventos, reuniões e visitas de negócio.
  • 12. Turismo de Negócios e Eventos • Mercado M.I.C.E.: Meetings (Encontros), Incentives (Incentivos), Conferences (Conferências) and Exhibitions (Feiras) – Por Octavio Neto, CEO do Grupo Radar de Comunicação – Popularmente conhecido no Brasil como Turismo de Negócios e de Eventos, estes são segmentos importantes e que dão vitalidade para a economia turística do País, ocupando as primeiras posições entre os que mais aumentaram em termos de faturamento nos últimos anos. – Turismo de eventos, por exemplo, é o segundo maior fator de atração de visitantes estrangeiros para o Brasil: 25,6% dos turistas internacionais vêm ao país com essa finalidade, e seu gasto médio diário, US$ 127, é quase duas vezes maior que o desembolso dos turistas de lazer segundo informações do Ministério do Turismo brasileiro.
  • 13. Turismo de Negócios e Eventos • Continuação: – Estou inserido a cerca de 20 anos no setor de turismo de negócios e acompanhei de perto o desenvolvimento do setor de feiras. – Vi o processo de segmentação, o surgimento e modernização de pavilhões e a especialização e profissionalização cada vez maior das promotoras que são agentes fundamentais deste mercado.
  • 14. Turismo de Negócios e Eventos • Continuação: – O resultado não poderia ser outro: somente na capital paulista as Feiras de Negócios movimentam cerca de 16 bilhões de reais e impulsionam a economia nacional como um todo. – São Paulo e Rio de Janeiro destacam-se por concentrar grande parcela dos eventos e feiras, contudo outras cidades já assumem um importante polo de turismo de negócios como Recife, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Foz do Iguaçu, Brasília e Fortaleza.
  • 15. Turismo de Negócios e Eventos • Continuação: – Em São Paulo as expectativas para aumento de eventos e feiras são grandes com a construção de um novo pavilhão da ABUP (na Casa Verde) e remodelação do Imigrantes Exhibition & Convention Center e expansão do Expo Center Norte. Isto falando apenas na capital paulista. Ao todo, pelo Brasil, o Ministério do Turismo está investindo um total R$ 461 milhões em 11 centros de convenções pelo País. – A modernização destes espaços promete fazer com que o Brasil atrai mais eventos internacionais e melhore ainda mais seu posicionamento no ranking da ICCA (International Congress & Convention Association). Atualmente ocupamos a 7ª posição.
  • 16. Turismo de Negócios e Eventos • Continuação: – Seja no turismo de lazer ou nos de eventos e negócios, o Brasil ainda tem muito a avançar, principalmente no que se refere a infraestrutura, mas com trabalho sério dos profissionais ligados a este setor e grandes eventos como o WTM Latin America, é certeza que chegaremos lá e que estamos no caminho certo! • Fonte: http://www.wtmlatinamerica.com/pt-br/imprensa/Blogs/A-sigla-internacional- MICE-significa-Meetings-Encontros-Incentives-Incentivos-Conferences-Conferencias- and-Exhibitions-Feiras-e-esta-a-cada-ano-mais-presente-no-Brasil-e-no-mundo/