SlideShare uma empresa Scribd logo
Biossegurança e
Boas Práticas Laboratoriais
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Visão Geral
• Introdução
• Biossegurança
• Nível de Biossegurança
• Boas práticas de laboratório
• Normas Gerais de Higiene;
• Descontaminação, Limpeza e Esterilização;
• Descarte de Resíduos;
• Equipamentos de Segurança;
• EPI’S
• EPC’S
Prof. Dr. Hermínio Benítez
• Os professores reconhecem o perigo da manipulação de agentes
infecciosos e tóxicos em laboratórios escolares?
• As diretrizes desenvolvidas para proteger os professores e alunos nos
laboratórios, por meio de controles, políticas de gestão e práticas de
trabalho são suficientes?
Porque a Biossegurança é importante?
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Conceito
• Biossegurança é o conjunto de ações voltadas para a prevenção,
minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de
pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e
prestação de serviço, visando à saúde do homem, dos animais, a
preservação do meio ambiente e a qualidade dos resultados.
Prof. Dr. Hermínio Benítez
• Brasil
• No Brasil o surgimento da Biossegurança ocorreu a partir de 1984, porém
somente em 1995 foi sancionada a Lei da Biossegurança:
Primeiro
Workshop de
Biossegurança
(em
laboratórios) –
FIOCRUZ
1984
Primeiro
levantamento de
risco em
laboratórios na
FIOCRUZ –
INCQS
1986 1990-95
Biossegurança começa a
ser direcionada para a
tecnologia do DNA
recombinante.
Lei de brasileira de
Biossegurança – Lei nº
8.974/95
1995-99
Fundação da
Associação
Nacional de
Biossegurança –
ANBio
introdução da
Biossegurança
como disciplina
científica no
currículo
universitário.
Regulamentação
da lei 8.974/95
2000-05
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• As boas práticas são fundamentais e referem-se às normas de
conduta que regem os trabalhos de laboratórios, de modo a garantir
a segurança individual e coletiva, bem como a reprodutibilidade da
metodologia e dos resultados obtidos.
Garantia a integridade física de
professores e alunos, bem como
proceder o correto armazenamento
e descarte de materiais no meio
ambiente
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Como surgiram os Princípios de Boas Práticas de Laboratório?
Saúde Humana Meio Ambiente
resultantes da utilização de substâncias químicas e/ou biológicas
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Nível de Biossegurança
• NB é o nível de contenção que permita o trabalho em laboratório
com materiais infecciosos de forma segura e com risco mínimo
• Existem quatro níveis de biossegurança: NB-1, NB-2, NB-3 e NB-4,
crescentes no maior grau de contenção e complexidade do nível de
proteção.
• O NB será determinado segundo o organismo de maior classe de
risco envolvido no experimento.
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Nível de Biossegurança
• Qual nível de Biossegurança dos Laboratórios da Rede Integral?
• Nível de contenção laboratorial que se aplica aos laboratórios de ensino
básico, onde são manipulados os microrganismos pertencentes a classe de
risco 1.
• Não é requerida nenhuma característica de desenho estrutural, além de um
bom planejamento espacial e funcional e a adoção de Boas Práticas
Laboratoriais.
NB1
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Nível de Biossegurança
• Quais as medidas básicas que um laboratório NB1 precisa adotar?
Reduzir derramamentos
e aerossóis
Descontaminação
diária de superfícies
Descontaminação do Lixo
Manter programa de controle
de insetos e roedores
BARREIRAS PRIMÁRIAS
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Nível de Biossegurança
• Barreiras Secundárias
• Laboratório com porta;
• Pias para lavar as mãos;
• Superfícies fáceis de limpar;
• Bancos impermeáveis à água;
• Mobiliário resistente;
• Janelas fechadas e com telas protetoras;
• Construção normal, ventilação facultativa;
Supervisão:
Professor/Gestor com treinamento geral na
área de ciências e afins
Pessoal do Laboratório:
Com treinamento especifico em
procedimentos laboratoriais
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Câmara de exaustão -
projetado para limitar a
exposição a emanações
tóxicas, vapores
perigosos ou pós
perigosos
Chuveiro e lava-olhos
semi-automático
Identificação de risco e
acesso restrito ao público
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Normas Gerais de Higiene
• Fundamentais e expressão as condutas básicas de higiene
dentro de um ambiente laboratorial.
Publicado em 2021 – Link
disponível em
• Manter cabelos longos presos;
• Usar exclusivamente sapatos fechados no laboratório;
• O ideal é não usar lentes de contato. Se for indispensável usá-las, não podem
ser manuseadas durante o trabalho e devem ser protegidas por óculos de
segurança;
• Não aplicar cosméticos quando estiver na área laboratorial;
• Não usar piercing;
• Manter as unhas cortadas e limpas;
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Normas Gerais de Higiene
• Qual a Importância de
Higienização das Mãos?
Fonte: ANVISA, 2021
• Evitar a propagação de infecções;
• Remoção de sujidade, suor, oleosidade,
pelos, células descamativas e da
microbiota da pele;
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Limpeza, Descontaminação e Esterilização;
• Limpeza – primeiro passo
• Antes de qualquer processo de descontaminação ou desinfecção é preciso ter a certeza
da remoção das matérias orgânicas e outros resíduos que possam atrapalhar os
processos seguintes.
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Limpeza, Descontaminação e Esterilização;
• Descontaminação
• É processo que vem logo em seguida da limpeza e é comumente
confundindo com desinfecção.
• A descontaminação, nada mais é do que a continuação da limpeza, visa
tornar mais seguro o manuseio dos objetos, diminuindo o risco de
contaminação. É um processo conhecido como uma ação preventiva de
biossegurança.
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Desinfecção
• É nesse processo que ocorre a destruição na forma mais vegetativa de todos
os microrganismos. Pode ser de maneira química (uso de desinfetantes) ou
física (radiações ultravioleta).
• A desinfecção pode ser classificada em baixo ou alto nível e varia de acordo
com as soluções utilizadas e adotadas no procedimento.
• Esses procedimentos são indispensáveis para garantir mais segurança
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Esterilização
• Pode ser realizada de forma física ou química, sendo a primeira mais comum,
principalmente em laboratórios: através do calor úmido (autoclaves) ou calor
seco (estufas).
Prof. Dr. Hermínio Benítez
Boas Práticas de Laboratório
• Equipamentos e Reagentes
• Os equipamentos devem ter especificações adequadas e estar localizados de
modo conveniente.
• Os fornecedores devem ser qualificados e capazes de dar assistência técnica.
• Devem existir manuais e procedimentos de manutenção e calibração.
• Os livros de registos devem estar actualizados.
• Reagentes:
• atender a especificações, condições de conservação e prazos de validade.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Formação em Biossegurança e Boas Práticas Laboratoriais.pptx

aula- sobre- biossegurança- 01 .....pptx
aula- sobre- biossegurança- 01 .....pptxaula- sobre- biossegurança- 01 .....pptx
aula- sobre- biossegurança- 01 .....pptx
keyzsilva
 
Procedimentos em caso de acidentes
Procedimentos em caso de acidentesProcedimentos em caso de acidentes
Procedimentos em caso de acidentes
amaiarolim
 
Biossegurança em laboratorios
Biossegurança em laboratoriosBiossegurança em laboratorios
Biossegurança em laboratorios
Simone A. Ferreira Masioli
 
Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1
clinicansl
 
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas CorretasManual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
Rodrigo Nunes
 
7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial
William Dutra
 
Biosseguridade em suínos e aves
Biosseguridade em suínos e avesBiosseguridade em suínos e aves
Biosseguridade em suínos e aves
Marília Gomes
 
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
keyzsilva
 
Biorrisco avaliação de risco em biossegurança
Biorrisco  avaliação de risco em biossegurançaBiorrisco  avaliação de risco em biossegurança
Biorrisco avaliação de risco em biossegurança
ElezerLemes
 
Aula_CME_Atualizada.pptx
Aula_CME_Atualizada.pptxAula_CME_Atualizada.pptx
Aula_CME_Atualizada.pptx
VanessaAlvesDeSouza4
 
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
Gregorio Leal da Silva
 
Manual biosseguranca
Manual biossegurancaManual biosseguranca
Manual biosseguranca
sofiatech
 
Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014
Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014
Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014
Bárbara Ostrosky de Oliveira
 
RISCOS_BIOLOGICOS_0.ppt
RISCOS_BIOLOGICOS_0.pptRISCOS_BIOLOGICOS_0.ppt
RISCOS_BIOLOGICOS_0.ppt
ssuser095000
 
Atividade Febre Aftosa 1.docx
Atividade Febre Aftosa 1.docxAtividade Febre Aftosa 1.docx
Atividade Febre Aftosa 1.docx
Rosete Lima
 
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdfK_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
KatiaRegina87
 
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
Fonte Medicina Diagnóstica
 
Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765
Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765
Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765
EvertonMonteiro19
 
AULA 1 BIOSSEG..pdf
AULA 1 BIOSSEG..pdfAULA 1 BIOSSEG..pdf
AULA 1 BIOSSEG..pdf
ssusera9a884
 
Atividade febre aftosa 1
Atividade febre aftosa 1Atividade febre aftosa 1
Atividade febre aftosa 1
Rosete Lima
 

Semelhante a Formação em Biossegurança e Boas Práticas Laboratoriais.pptx (20)

aula- sobre- biossegurança- 01 .....pptx
aula- sobre- biossegurança- 01 .....pptxaula- sobre- biossegurança- 01 .....pptx
aula- sobre- biossegurança- 01 .....pptx
 
Procedimentos em caso de acidentes
Procedimentos em caso de acidentesProcedimentos em caso de acidentes
Procedimentos em caso de acidentes
 
Biossegurança em laboratorios
Biossegurança em laboratoriosBiossegurança em laboratorios
Biossegurança em laboratorios
 
Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1Biossegurança parte 1
Biossegurança parte 1
 
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas CorretasManual Biosseguranca Praticas Corretas
Manual Biosseguranca Praticas Corretas
 
7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial7 biossegurança laboratorial
7 biossegurança laboratorial
 
Biosseguridade em suínos e aves
Biosseguridade em suínos e avesBiosseguridade em suínos e aves
Biosseguridade em suínos e aves
 
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
2- biossegurança e higienização das mãos.pdf
 
Biorrisco avaliação de risco em biossegurança
Biorrisco  avaliação de risco em biossegurançaBiorrisco  avaliação de risco em biossegurança
Biorrisco avaliação de risco em biossegurança
 
Aula_CME_Atualizada.pptx
Aula_CME_Atualizada.pptxAula_CME_Atualizada.pptx
Aula_CME_Atualizada.pptx
 
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
 
Manual biosseguranca
Manual biossegurancaManual biosseguranca
Manual biosseguranca
 
Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014
Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014
Biossegurança em laboratórios de análises clínicas 2014
 
RISCOS_BIOLOGICOS_0.ppt
RISCOS_BIOLOGICOS_0.pptRISCOS_BIOLOGICOS_0.ppt
RISCOS_BIOLOGICOS_0.ppt
 
Atividade Febre Aftosa 1.docx
Atividade Febre Aftosa 1.docxAtividade Febre Aftosa 1.docx
Atividade Febre Aftosa 1.docx
 
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdfK_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
K_AISA_Aula4_biosseguranca.pdf
 
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
(Fonte md) treinamento em biosseguranca site
 
Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765
Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765
Biossegurança de OGMs_2015.pptx099978765
 
AULA 1 BIOSSEG..pdf
AULA 1 BIOSSEG..pdfAULA 1 BIOSSEG..pdf
AULA 1 BIOSSEG..pdf
 
Atividade febre aftosa 1
Atividade febre aftosa 1Atividade febre aftosa 1
Atividade febre aftosa 1
 

Mais de HerminioMendes3

identification of new microorganisms with probiotic potential and.pptx
identification of new microorganisms with probiotic potential and.pptxidentification of new microorganisms with probiotic potential and.pptx
identification of new microorganisms with probiotic potential and.pptx
HerminioMendes3
 
AULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.ppt
AULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.pptAULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.ppt
AULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.ppt
HerminioMendes3
 
Os Padrões e os Processos da Evolução.pptx
Os Padrões e os Processos da Evolução.pptxOs Padrões e os Processos da Evolução.pptx
Os Padrões e os Processos da Evolução.pptx
HerminioMendes3
 
FORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptx
FORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptxFORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptx
FORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptx
HerminioMendes3
 
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).pptgenetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
HerminioMendes3
 
Aula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
Aula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).pptAula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
Aula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
HerminioMendes3
 
aula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdf
aula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdfaula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdf
aula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdf
HerminioMendes3
 
Saúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIAS
Saúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIASSaúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIAS
Saúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIAS
HerminioMendes3
 
celulas do sistema imune e suas principais características de
celulas do sistema imune e suas principais características decelulas do sistema imune e suas principais características de
celulas do sistema imune e suas principais características de
HerminioMendes3
 
Introdução Anatomia Humana e suas características
Introdução Anatomia Humana e suas característicasIntrodução Anatomia Humana e suas características
Introdução Anatomia Humana e suas características
HerminioMendes3
 
mapa e mapeamento de riscos ambientais aula
mapa e mapeamento de riscos ambientais aulamapa e mapeamento de riscos ambientais aula
mapa e mapeamento de riscos ambientais aula
HerminioMendes3
 
CONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdf
CONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdfCONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdf
CONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdf
HerminioMendes3
 
aula sobre gametogenese e fertilização sistema saude
aula sobre gametogenese e fertilização sistema saudeaula sobre gametogenese e fertilização sistema saude
aula sobre gametogenese e fertilização sistema saude
HerminioMendes3
 

Mais de HerminioMendes3 (13)

identification of new microorganisms with probiotic potential and.pptx
identification of new microorganisms with probiotic potential and.pptxidentification of new microorganisms with probiotic potential and.pptx
identification of new microorganisms with probiotic potential and.pptx
 
AULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.ppt
AULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.pptAULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.ppt
AULA SOBRE herancamonogenica-160830171513.ppt
 
Os Padrões e os Processos da Evolução.pptx
Os Padrões e os Processos da Evolução.pptxOs Padrões e os Processos da Evolução.pptx
Os Padrões e os Processos da Evolução.pptx
 
FORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptx
FORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptxFORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptx
FORMAÇAO biossegurança e boas praticas MOMENTO 2.pptx
 
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).pptgenetica conceitos  basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
genetica conceitos basicos (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
 
Aula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
Aula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).pptAula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
Aula_5 Genetica e Embriologia (2020_03_19 15_11_22 UTC).ppt
 
aula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdf
aula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdfaula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdf
aula sobre SEDE E fisiologia da INGESTAO.pdf
 
Saúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIAS
Saúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIASSaúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIAS
Saúde Coletiva - Aula NASSAU - ESTRATEGIAS
 
celulas do sistema imune e suas principais características de
celulas do sistema imune e suas principais características decelulas do sistema imune e suas principais características de
celulas do sistema imune e suas principais características de
 
Introdução Anatomia Humana e suas características
Introdução Anatomia Humana e suas característicasIntrodução Anatomia Humana e suas características
Introdução Anatomia Humana e suas características
 
mapa e mapeamento de riscos ambientais aula
mapa e mapeamento de riscos ambientais aulamapa e mapeamento de riscos ambientais aula
mapa e mapeamento de riscos ambientais aula
 
CONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdf
CONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdfCONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdf
CONTEÚDO-PROGRAMÁTICO-IEMA-atualizado (2).pdf
 
aula sobre gametogenese e fertilização sistema saude
aula sobre gametogenese e fertilização sistema saudeaula sobre gametogenese e fertilização sistema saude
aula sobre gametogenese e fertilização sistema saude
 

Formação em Biossegurança e Boas Práticas Laboratoriais.pptx

  • 1. Biossegurança e Boas Práticas Laboratoriais Prof. Dr. Hermínio Benítez
  • 2. Prof. Dr. Hermínio Benítez Visão Geral • Introdução • Biossegurança • Nível de Biossegurança • Boas práticas de laboratório • Normas Gerais de Higiene; • Descontaminação, Limpeza e Esterilização; • Descarte de Resíduos; • Equipamentos de Segurança; • EPI’S • EPC’S
  • 3. Prof. Dr. Hermínio Benítez • Os professores reconhecem o perigo da manipulação de agentes infecciosos e tóxicos em laboratórios escolares? • As diretrizes desenvolvidas para proteger os professores e alunos nos laboratórios, por meio de controles, políticas de gestão e práticas de trabalho são suficientes? Porque a Biossegurança é importante?
  • 4. Prof. Dr. Hermínio Benítez Conceito • Biossegurança é o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e prestação de serviço, visando à saúde do homem, dos animais, a preservação do meio ambiente e a qualidade dos resultados.
  • 5. Prof. Dr. Hermínio Benítez • Brasil • No Brasil o surgimento da Biossegurança ocorreu a partir de 1984, porém somente em 1995 foi sancionada a Lei da Biossegurança: Primeiro Workshop de Biossegurança (em laboratórios) – FIOCRUZ 1984 Primeiro levantamento de risco em laboratórios na FIOCRUZ – INCQS 1986 1990-95 Biossegurança começa a ser direcionada para a tecnologia do DNA recombinante. Lei de brasileira de Biossegurança – Lei nº 8.974/95 1995-99 Fundação da Associação Nacional de Biossegurança – ANBio introdução da Biossegurança como disciplina científica no currículo universitário. Regulamentação da lei 8.974/95 2000-05
  • 6. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • As boas práticas são fundamentais e referem-se às normas de conduta que regem os trabalhos de laboratórios, de modo a garantir a segurança individual e coletiva, bem como a reprodutibilidade da metodologia e dos resultados obtidos. Garantia a integridade física de professores e alunos, bem como proceder o correto armazenamento e descarte de materiais no meio ambiente
  • 7. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Como surgiram os Princípios de Boas Práticas de Laboratório? Saúde Humana Meio Ambiente resultantes da utilização de substâncias químicas e/ou biológicas
  • 8. Prof. Dr. Hermínio Benítez Nível de Biossegurança • NB é o nível de contenção que permita o trabalho em laboratório com materiais infecciosos de forma segura e com risco mínimo • Existem quatro níveis de biossegurança: NB-1, NB-2, NB-3 e NB-4, crescentes no maior grau de contenção e complexidade do nível de proteção. • O NB será determinado segundo o organismo de maior classe de risco envolvido no experimento.
  • 9. Prof. Dr. Hermínio Benítez Nível de Biossegurança • Qual nível de Biossegurança dos Laboratórios da Rede Integral? • Nível de contenção laboratorial que se aplica aos laboratórios de ensino básico, onde são manipulados os microrganismos pertencentes a classe de risco 1. • Não é requerida nenhuma característica de desenho estrutural, além de um bom planejamento espacial e funcional e a adoção de Boas Práticas Laboratoriais. NB1
  • 10. Prof. Dr. Hermínio Benítez Nível de Biossegurança • Quais as medidas básicas que um laboratório NB1 precisa adotar? Reduzir derramamentos e aerossóis Descontaminação diária de superfícies Descontaminação do Lixo Manter programa de controle de insetos e roedores BARREIRAS PRIMÁRIAS
  • 11. Prof. Dr. Hermínio Benítez Nível de Biossegurança • Barreiras Secundárias • Laboratório com porta; • Pias para lavar as mãos; • Superfícies fáceis de limpar; • Bancos impermeáveis à água; • Mobiliário resistente; • Janelas fechadas e com telas protetoras; • Construção normal, ventilação facultativa; Supervisão: Professor/Gestor com treinamento geral na área de ciências e afins Pessoal do Laboratório: Com treinamento especifico em procedimentos laboratoriais
  • 12. Prof. Dr. Hermínio Benítez Câmara de exaustão - projetado para limitar a exposição a emanações tóxicas, vapores perigosos ou pós perigosos Chuveiro e lava-olhos semi-automático Identificação de risco e acesso restrito ao público
  • 13. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Normas Gerais de Higiene • Fundamentais e expressão as condutas básicas de higiene dentro de um ambiente laboratorial. Publicado em 2021 – Link disponível em • Manter cabelos longos presos; • Usar exclusivamente sapatos fechados no laboratório; • O ideal é não usar lentes de contato. Se for indispensável usá-las, não podem ser manuseadas durante o trabalho e devem ser protegidas por óculos de segurança; • Não aplicar cosméticos quando estiver na área laboratorial; • Não usar piercing; • Manter as unhas cortadas e limpas;
  • 14. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Normas Gerais de Higiene • Qual a Importância de Higienização das Mãos? Fonte: ANVISA, 2021 • Evitar a propagação de infecções; • Remoção de sujidade, suor, oleosidade, pelos, células descamativas e da microbiota da pele;
  • 15. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Limpeza, Descontaminação e Esterilização; • Limpeza – primeiro passo • Antes de qualquer processo de descontaminação ou desinfecção é preciso ter a certeza da remoção das matérias orgânicas e outros resíduos que possam atrapalhar os processos seguintes.
  • 16. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Limpeza, Descontaminação e Esterilização; • Descontaminação • É processo que vem logo em seguida da limpeza e é comumente confundindo com desinfecção. • A descontaminação, nada mais é do que a continuação da limpeza, visa tornar mais seguro o manuseio dos objetos, diminuindo o risco de contaminação. É um processo conhecido como uma ação preventiva de biossegurança.
  • 17. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Desinfecção • É nesse processo que ocorre a destruição na forma mais vegetativa de todos os microrganismos. Pode ser de maneira química (uso de desinfetantes) ou física (radiações ultravioleta). • A desinfecção pode ser classificada em baixo ou alto nível e varia de acordo com as soluções utilizadas e adotadas no procedimento. • Esses procedimentos são indispensáveis para garantir mais segurança
  • 18. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Esterilização • Pode ser realizada de forma física ou química, sendo a primeira mais comum, principalmente em laboratórios: através do calor úmido (autoclaves) ou calor seco (estufas).
  • 19. Prof. Dr. Hermínio Benítez Boas Práticas de Laboratório • Equipamentos e Reagentes • Os equipamentos devem ter especificações adequadas e estar localizados de modo conveniente. • Os fornecedores devem ser qualificados e capazes de dar assistência técnica. • Devem existir manuais e procedimentos de manutenção e calibração. • Os livros de registos devem estar actualizados. • Reagentes: • atender a especificações, condições de conservação e prazos de validade.