SlideShare uma empresa Scribd logo
FIGURAS DE
LINGUAGEM
AS FIGURAS DE LINGUAGEM...
[...]São recursos de expressão, utilizados por um escritor, com o
objetivo de ampliar o significado de um texto literário ou também para
suprir a falta de termos adequados em uma frase. É um recurso que dá
uma grande expressividade ao texto literário.
Classificação
das figuras de
linguagem
Figuras da
palavra
Figuras de
pensamento
Figuras de
sintaxe
AS PRINCIPAIS FIGURAS DE
LINGUAGEM
• Metáfora
• Comparação
• Metonímia
• Antítese
• Paradoxo
• Personificação (ou prosopopeia)
• Hipérbole
• Eufemismo
• Ironia
• Elipse
• Zeugma
• Pleonasmo
• Polissíndeto
• Assíndeto
• Onomatopeia
• Anáfora
• Sinestesia
• Gradação
• Aliteração.
FIGURAS DA
PALAVRA
METÁFORA
EXEMPLO: Percebemos neste exemplo a relação implícita,
onde o tempo é tão valoroso quanto o dinheiro, por
isso ele é colocado como semelhante à moeda.Tempo é dinheiro
A metáfora é um tipo de comparação, mas sem os termos comparativos (tal como, como, são
como, tanto quanto, etc). Na metáfora, a comparação entre dois elementos está implícita,
trazendo uma relação de semelhança entre eles.
COMPARAÇÃO
A comparação consiste na aproximação entre dois objetos por meio de uma característica
semelhante entre eles, dando a um as características do outro. Difere da metáfora porque
possui, obrigatoriamente, termos comparativos. Em suma, é uma comparação explícita.
EXEMPLO:
Tempo é como dinheiro.
Neste exemplo vemos o principal definidor de
uma comparação: a palavra como traz
explicitamente a ideia de que o tempo é
valoroso como o dinheiro.
METONÍMIA
É a substituição de uma palavra por outra sendo que, entre ambas, há uma
proximidade de sentidos, uma relação de implicação
EXEMPLO:
• Não leu Machado de
Assis.
• Não leu a obra de
Machado de Assis.
Vemos no exemplo que a obra de
Machado de Assis foi substituída só
pelo nome do autor. A metonímia
consiste nessa substituição de
palavras, dando o mesmo sentido a
uma frase.
SINESTESIA
A sinestesia traz textos que expressam as sensações humanas, com o cruzamento de
palavras referentes aos cinco sentidos.
EXEMPLO:
Recordação
Agora, o cheiro áspero das flores
leva-me os olhos por dentro de suas
pétalas.
- Cecília Meireles
Aqui, vamos uma característica do
olfato (cheiro) misturada com outra do
tato (áspero).
FIGURAS DE
PENSAMENTO
ANTÍTESE
A antítese consiste no uso de palavras, expressões ou ideias que se opõem.
EXEMPLO:
Soneto da Separação
De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o
espanto
-Vinícius de Moraes
Neste soneto vemos claramente a antítese
por trás da temática da separação amorosa:
o que antes era riso trouxe lágrimas com a
separação; as bocas unidas pelo beijo no
amor se separam como a espuma que se
espalha e se dissolve. A oposição de
sentimentos e atos forma claramente a
antítese.
EUFEMISMO
O eufemismo ocorre quando utilizamos palavras ou expressões que
atenuam e substituem outras que produzem um efeito desagradável e
chocante.
EXEMPLO:
• Faltei com a verdade ao dizer que
fui à igreja.
• Menti ao dizer que fui à igreja.
A expressão e o impacto negativo
que a palavra menti traz é
"suavizado" ao dizer que "faltei com
a verdade“.
HIPÉRBOLE
Esta figura de linguagem consiste no emprego de palavras que
expressam uma ideia de exagero de forma intencional.
EXEMPLO:
Ela chorou rios de
lágrimas.
Chorar rios remete a um choro
contínuo, exagerado e o termo
rios vem para enfatizar a ideia
de que foi um choro intenso.
IRONIA
É a expressão de ideias com significado oposto ao que se realmente
pensa ou acredita.
EXEMPLO:
Moça linda, bem tratada,
Três séculos de família,
Burra como uma porta:
Um amor!
- Mário de Andrade
O trecho é o exemplo claro de ironia: a
moça é descrita como, bonita e bem
tratada, tradicional, conservadora (é de
família) e burra. O destaque em "um
amor", apoiando-se na descrição da moça,
mostra que ela, ao contrário de ser esse
"amor de pessoa", é, na verdade, alguém
sem atrativos, sem graça.
PERSONIFICAÇÃO
(PROSOPOPÉIA)
A personificação, também chamada prosopopeia, consiste na atribuição
de características humanas, como sentimentos, linguagem humana e
ações do homem, a coisas não-humanas.
EXEMPLO:
Congresso Internacional do Medo
Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços,
não cantaremos o ódio, porque esse não existe,
existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro.
-Carlos Drummond de Andrade
Neste exemplo, o medo,
uma sensação, é
transformado em pai e
companheiro, algo que
só é atribuído a um ser
humano.
GRADAÇÃO
Nesta figura as ideias aparecem de forma crescente ou decrescente
dentro de um texto.
EXEMPLO:
Meia noite em ponto em Xangai
A mulher foi-se encolhendo, agarrada aos
braços da poltrona. Cravou o olhar esgazeado
no retângulo negro do céu. Encolheu-se mais
ainda, cruzando os braços. Limpou as
mãos pegajosas no brocado da bata. Susteve a
respiração.
- Lygia Fagundes Telles
Aqui a gradação crescente vem
trazendo uma ideia da
sensação do medo que vai
aumentando.
FIGURAS DE
SINTAXE
ELIPSE
Temos elipse quando, em um texto, alguns elementos são omitidos sem ocasionar
a perda de sentido, uma vez que as palavras omitidas ficam subentendidas
através do contexto.
EXEMPLO:
• Ela está passando mal! Depressa,
um médico!
• Ela está passando mal!
Depressa, chamem um médico!
Na primeira frase temos a elipse ao
vermos que a palavra chamem está
escondida. Não é necessário colocá-la e
não há perda de sentido, porque mesmo
sem ela entendemos que é necessário
chamar um médico depressa porque ela
está passando mal.
ZEUGMA
É parecido com a elipse, no entanto, só podemos identificar desta
forma esta figura de linguagem quando há omissão de algo que já foi
expresso no texto. Sabemos que o termo foi omitido porque já foi
apresentado.
EXEMPLO:
Canção do Exílio
Nosso céu tem mais estrelas
Nossas várzeas tem mais flores
Nossos bosques tem mais vida
Nossa vida mais amores
-Gonçalves Dias
Neste trecho vemos a
omissão da palavra tem no
último trecho. Não foi
necessário o emprego dessa
palavra para entender que a
vida tem mais amores, pois
já houve repetição da palavra
nos outros versos.
POLISSÍNDETO
Consiste na repetição de conjunções para garantir um texto mais
expressivo.
EXEMPLO:
O olhar para trás
E o olhar estaria ansioso esperando
E a cabeça ao sabor da mágoa balançada
E o coração fugindo e o coração voltando
E os minutos passando e os minutos
passando...
- Vinícius de Moraes
A conjunção e vem para
caracterizar o polissíndeto,
trazendo ações e sensações que
ocorrem de forma contínua e
rápida.
ASSÍNDETO
O assíndeto ocorre quando há omissão das conjunções.
EXEMPLO:
Morte no avião
Acordo para a morte.
Barbeio-me, visto-me, calço-me.
-Carlos Drummond de Andrade
A conjunção geralmente é
substituída por vírgula, como
no exemplo.
PLEONASMO
Repetição de uma ideia por meio de outras palavras. É utilizado como
forma de ênfase e, além de ser figura de linguagem, é classificada como
vício. A diferença entre a figura de linguagem e o vício de linguagem é
simples: para ser figura de linguagem, o pleonasmo vem de forma
intencional, para dar mais expressividade no texto, enquanto no vício
vem como uma repetição não intencional e desnecessária.
EXEMPLO:
Quando hoje acordei, ainda fazia escuro
(Embora a manhã já estivesse avançada).
Chovia.
Chovia uma triste chuva de resignação
Como contraste e consolo ao calor tempestuoso
da noite.
- Manuel Bandeira
A repetição proposital de
Manuel Bandeira ao dizer
que "chovia uma chuva"
intensifica a ideia de que
estava chovendo.
ANÁFORA
Consiste na repetição de palavras ou expressões com o objetivo de
enfatizar uma ideia.
EXEMPLO:
Elegia Desesperada
Tende piedade, Senhor, de todas as mulheres
Que ninguém mais merece tanto amor e amizade
Que ninguém mais deseja tanto poesia e sinceridade
Que ninguém mais precisa tanto de alegria e
serenidade
-Vinícius de Moraes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
ma.no.el.ne.ves
 
Predicados e predicativos
Predicados e predicativosPredicados e predicativos
Predicados e predicativos
Edson Alves
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
Fábio Guimarães
 
Classes gramaticais das palavras
Classes gramaticais das palavrasClasses gramaticais das palavras
Classes gramaticais das palavras
Bruna Lívia
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Carolina Loçasso Pereira
 
SLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptx
SLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptxSLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptx
SLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptx
Nathaly Teresa Paulino
 
Adjetivo 6 ano
Adjetivo 6 anoAdjetivo 6 ano
Adjetivo 6 ano
Fábio Guimarães
 
Figuras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumoFiguras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumo
Elaine Blogger
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
colveromachado
 
Numerais
NumeraisNumerais
Numerais
Diego Prezia
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
Simone Peixoto
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Joyce de Oliveira
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
Péricles Penuel
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Ivan Barreto Dos Santos
 
Figuras de pensamento
Figuras de pensamentoFiguras de pensamento
Figuras de pensamento
Rita Cunha
 
Variação linguistica aulão
Variação linguistica   aulãoVariação linguistica   aulão
Variação linguistica aulão
eeepadrianonobre
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
Alice Silva
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
EstudareLegal
 

Mais procurados (20)

Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
Relações de palavra e de sentido, sinonímia, homonímia, paronímia, hipon...
 
Predicados e predicativos
Predicados e predicativosPredicados e predicativos
Predicados e predicativos
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Classes gramaticais das palavras
Classes gramaticais das palavrasClasses gramaticais das palavras
Classes gramaticais das palavras
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
SLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptx
SLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptxSLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptx
SLIDES-FIGURAS-DE-LINGUAGEM-8º-ANO.pptx
 
Adjetivo 6 ano
Adjetivo 6 anoAdjetivo 6 ano
Adjetivo 6 ano
 
Figuras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumoFiguras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumo
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
 
Numerais
NumeraisNumerais
Numerais
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
 
Período Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e SubordinaçãoPeríodo Composto por Coordenação e Subordinação
Período Composto por Coordenação e Subordinação
 
Aula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuaçãoAula sinais de pontuação
Aula sinais de pontuação
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de pensamento
Figuras de pensamentoFiguras de pensamento
Figuras de pensamento
 
Variação linguistica aulão
Variação linguistica   aulãoVariação linguistica   aulão
Variação linguistica aulão
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 

Semelhante a Figuras de linguagem

Aula13 figuras de linguagem
Aula13  figuras de linguagemAula13  figuras de linguagem
Aula13 figuras de linguagem
André Figundio
 
Figuras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercíciosFiguras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercícios
Sônia Sochiarelli
 
Figuras de-linguagem862010121047
Figuras de-linguagem862010121047Figuras de-linguagem862010121047
Figuras de-linguagem862010121047
Ricardo Novelli
 
Lpt
LptLpt
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
Antonio Filho
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Andriane Cursino
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Kauana Manika
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Marilda Marilda
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Amanda Sena
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
Bárbara Oliveira
 
ESTILÍSTICA.pptx
ESTILÍSTICA.pptxESTILÍSTICA.pptx
ESTILÍSTICA.pptx
MonizeYasminMartinsA
 
Figuras de-linguagem 1
Figuras de-linguagem 1Figuras de-linguagem 1
Figuras de-linguagem 1
Refferson
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Marta Morais
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
Daniele Silva
 
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptxExercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
LidiaLerbach1
 
figuras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.pptfiguras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.ppt
ErikaFigueiredo21
 
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
rosangelajoao
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
sandyprofessora
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
sandyprofessora
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
ISJ
 

Semelhante a Figuras de linguagem (20)

Aula13 figuras de linguagem
Aula13  figuras de linguagemAula13  figuras de linguagem
Aula13 figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercíciosFiguras de linguagem com exercícios
Figuras de linguagem com exercícios
 
Figuras de-linguagem862010121047
Figuras de-linguagem862010121047Figuras de-linguagem862010121047
Figuras de-linguagem862010121047
 
Lpt
LptLpt
Lpt
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
ESTILÍSTICA.pptx
ESTILÍSTICA.pptxESTILÍSTICA.pptx
ESTILÍSTICA.pptx
 
Figuras de-linguagem 1
Figuras de-linguagem 1Figuras de-linguagem 1
Figuras de-linguagem 1
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptxExercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
 
figuras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.pptfiguras-de-linguagem.ppt
figuras-de-linguagem.ppt
 
Figuras de-linguagem
Figuras de-linguagemFiguras de-linguagem
Figuras de-linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Último

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 

Figuras de linguagem

  • 2. AS FIGURAS DE LINGUAGEM... [...]São recursos de expressão, utilizados por um escritor, com o objetivo de ampliar o significado de um texto literário ou também para suprir a falta de termos adequados em uma frase. É um recurso que dá uma grande expressividade ao texto literário.
  • 3. Classificação das figuras de linguagem Figuras da palavra Figuras de pensamento Figuras de sintaxe
  • 4. AS PRINCIPAIS FIGURAS DE LINGUAGEM • Metáfora • Comparação • Metonímia • Antítese • Paradoxo • Personificação (ou prosopopeia) • Hipérbole • Eufemismo • Ironia • Elipse • Zeugma • Pleonasmo • Polissíndeto • Assíndeto • Onomatopeia • Anáfora • Sinestesia • Gradação • Aliteração.
  • 6. METÁFORA EXEMPLO: Percebemos neste exemplo a relação implícita, onde o tempo é tão valoroso quanto o dinheiro, por isso ele é colocado como semelhante à moeda.Tempo é dinheiro A metáfora é um tipo de comparação, mas sem os termos comparativos (tal como, como, são como, tanto quanto, etc). Na metáfora, a comparação entre dois elementos está implícita, trazendo uma relação de semelhança entre eles.
  • 7. COMPARAÇÃO A comparação consiste na aproximação entre dois objetos por meio de uma característica semelhante entre eles, dando a um as características do outro. Difere da metáfora porque possui, obrigatoriamente, termos comparativos. Em suma, é uma comparação explícita. EXEMPLO: Tempo é como dinheiro. Neste exemplo vemos o principal definidor de uma comparação: a palavra como traz explicitamente a ideia de que o tempo é valoroso como o dinheiro.
  • 8. METONÍMIA É a substituição de uma palavra por outra sendo que, entre ambas, há uma proximidade de sentidos, uma relação de implicação EXEMPLO: • Não leu Machado de Assis. • Não leu a obra de Machado de Assis. Vemos no exemplo que a obra de Machado de Assis foi substituída só pelo nome do autor. A metonímia consiste nessa substituição de palavras, dando o mesmo sentido a uma frase.
  • 9. SINESTESIA A sinestesia traz textos que expressam as sensações humanas, com o cruzamento de palavras referentes aos cinco sentidos. EXEMPLO: Recordação Agora, o cheiro áspero das flores leva-me os olhos por dentro de suas pétalas. - Cecília Meireles Aqui, vamos uma característica do olfato (cheiro) misturada com outra do tato (áspero).
  • 11. ANTÍTESE A antítese consiste no uso de palavras, expressões ou ideias que se opõem. EXEMPLO: Soneto da Separação De repente do riso fez-se o pranto Silencioso e branco como a bruma E das bocas unidas fez-se a espuma E das mãos espalmadas fez-se o espanto -Vinícius de Moraes Neste soneto vemos claramente a antítese por trás da temática da separação amorosa: o que antes era riso trouxe lágrimas com a separação; as bocas unidas pelo beijo no amor se separam como a espuma que se espalha e se dissolve. A oposição de sentimentos e atos forma claramente a antítese.
  • 12. EUFEMISMO O eufemismo ocorre quando utilizamos palavras ou expressões que atenuam e substituem outras que produzem um efeito desagradável e chocante. EXEMPLO: • Faltei com a verdade ao dizer que fui à igreja. • Menti ao dizer que fui à igreja. A expressão e o impacto negativo que a palavra menti traz é "suavizado" ao dizer que "faltei com a verdade“.
  • 13. HIPÉRBOLE Esta figura de linguagem consiste no emprego de palavras que expressam uma ideia de exagero de forma intencional. EXEMPLO: Ela chorou rios de lágrimas. Chorar rios remete a um choro contínuo, exagerado e o termo rios vem para enfatizar a ideia de que foi um choro intenso.
  • 14. IRONIA É a expressão de ideias com significado oposto ao que se realmente pensa ou acredita. EXEMPLO: Moça linda, bem tratada, Três séculos de família, Burra como uma porta: Um amor! - Mário de Andrade O trecho é o exemplo claro de ironia: a moça é descrita como, bonita e bem tratada, tradicional, conservadora (é de família) e burra. O destaque em "um amor", apoiando-se na descrição da moça, mostra que ela, ao contrário de ser esse "amor de pessoa", é, na verdade, alguém sem atrativos, sem graça.
  • 15. PERSONIFICAÇÃO (PROSOPOPÉIA) A personificação, também chamada prosopopeia, consiste na atribuição de características humanas, como sentimentos, linguagem humana e ações do homem, a coisas não-humanas. EXEMPLO: Congresso Internacional do Medo Provisoriamente não cantaremos o amor, que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos. Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços, não cantaremos o ódio, porque esse não existe, existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro. -Carlos Drummond de Andrade Neste exemplo, o medo, uma sensação, é transformado em pai e companheiro, algo que só é atribuído a um ser humano.
  • 16. GRADAÇÃO Nesta figura as ideias aparecem de forma crescente ou decrescente dentro de um texto. EXEMPLO: Meia noite em ponto em Xangai A mulher foi-se encolhendo, agarrada aos braços da poltrona. Cravou o olhar esgazeado no retângulo negro do céu. Encolheu-se mais ainda, cruzando os braços. Limpou as mãos pegajosas no brocado da bata. Susteve a respiração. - Lygia Fagundes Telles Aqui a gradação crescente vem trazendo uma ideia da sensação do medo que vai aumentando.
  • 18. ELIPSE Temos elipse quando, em um texto, alguns elementos são omitidos sem ocasionar a perda de sentido, uma vez que as palavras omitidas ficam subentendidas através do contexto. EXEMPLO: • Ela está passando mal! Depressa, um médico! • Ela está passando mal! Depressa, chamem um médico! Na primeira frase temos a elipse ao vermos que a palavra chamem está escondida. Não é necessário colocá-la e não há perda de sentido, porque mesmo sem ela entendemos que é necessário chamar um médico depressa porque ela está passando mal.
  • 19. ZEUGMA É parecido com a elipse, no entanto, só podemos identificar desta forma esta figura de linguagem quando há omissão de algo que já foi expresso no texto. Sabemos que o termo foi omitido porque já foi apresentado. EXEMPLO: Canção do Exílio Nosso céu tem mais estrelas Nossas várzeas tem mais flores Nossos bosques tem mais vida Nossa vida mais amores -Gonçalves Dias Neste trecho vemos a omissão da palavra tem no último trecho. Não foi necessário o emprego dessa palavra para entender que a vida tem mais amores, pois já houve repetição da palavra nos outros versos.
  • 20. POLISSÍNDETO Consiste na repetição de conjunções para garantir um texto mais expressivo. EXEMPLO: O olhar para trás E o olhar estaria ansioso esperando E a cabeça ao sabor da mágoa balançada E o coração fugindo e o coração voltando E os minutos passando e os minutos passando... - Vinícius de Moraes A conjunção e vem para caracterizar o polissíndeto, trazendo ações e sensações que ocorrem de forma contínua e rápida.
  • 21. ASSÍNDETO O assíndeto ocorre quando há omissão das conjunções. EXEMPLO: Morte no avião Acordo para a morte. Barbeio-me, visto-me, calço-me. -Carlos Drummond de Andrade A conjunção geralmente é substituída por vírgula, como no exemplo.
  • 22. PLEONASMO Repetição de uma ideia por meio de outras palavras. É utilizado como forma de ênfase e, além de ser figura de linguagem, é classificada como vício. A diferença entre a figura de linguagem e o vício de linguagem é simples: para ser figura de linguagem, o pleonasmo vem de forma intencional, para dar mais expressividade no texto, enquanto no vício vem como uma repetição não intencional e desnecessária. EXEMPLO: Quando hoje acordei, ainda fazia escuro (Embora a manhã já estivesse avançada). Chovia. Chovia uma triste chuva de resignação Como contraste e consolo ao calor tempestuoso da noite. - Manuel Bandeira A repetição proposital de Manuel Bandeira ao dizer que "chovia uma chuva" intensifica a ideia de que estava chovendo.
  • 23. ANÁFORA Consiste na repetição de palavras ou expressões com o objetivo de enfatizar uma ideia. EXEMPLO: Elegia Desesperada Tende piedade, Senhor, de todas as mulheres Que ninguém mais merece tanto amor e amizade Que ninguém mais deseja tanto poesia e sinceridade Que ninguém mais precisa tanto de alegria e serenidade -Vinícius de Moraes