SlideShare uma empresa Scribd logo
Redes 3G: Alternativa Femto-célula
De forma bastante simplificada Femto-células são células que possuem funcionalidades semelhantes às de
uma macro-célula das redes celulares, porém com alcance e capacidade de tráfego bastante limitados, em
geral a apenas alguns metros de raio e 2 a 4 usuários simultâneos de voz.

Originalmente as Femto-células foram planejadas para serem instaladas diretamente na residência dos clientes,
já que em geral 60% dos usuários de telefone celular o utilizam em ambientes cobertos (interiores de edifícios),
onde a cobertura em geral do serviço é mais deficiente. Atualmente existem modelos de Femto-células com
capacidade um pouco maior, destinadas a serem instaladas em pequenas empresas. A Femto-célula permite a
convergência fixo-móvel (FMC), já que utiliza o acesso banda larga fixo para interconectar e prover serviço
móvel celular no interior da residência.




                                  Figura 1: Conceito de Femto-célula
                       Fonte: www.femtoforum.org/fem2/about-femtocells.php




                Figura 2: Arquitetura de Femto-célula conforme discutido dentro do 3GPP
                             Fonte: www.gsm.org/documents/fcg0310.pdf

Nota:
       UE – User Equipment. É o terminal do assinante.
       HNB – Home NodeB. É Femto-célula
       HNB-GW – HNB Gateway, interconecta as Femto-células com o CORE da rede da operadora celular.
       HNB Mgm System, sistema de gerência das Femto-células
       Iuh – Interface proposta pelo 3GPP entre a Femto-célula e o HNB-GW. Note que esta interface
        atravessa o modem banda larga da residência, a rede do ISP (Internet Service Provider) e
        eventualmente a internet caso o ISP não possua interconexão com a Operadora Celular.

Vantagens da Femto-célula:
    Utilizam as frequências licenciadas destinadas à telefonia celular. Assim sendo, a operadora tem em
      teoria controle sobre o uso do espectro.
   São esteticamente atraentes, semelhantes a roteadores de redes sem fio (Wireless LAN) destinados a
       residências.
      Proporcionam redução de custos de Opex para a operadora já que o custo de backhaul é pago pelo
       usuário (conexão de banda larga da residência).
      Serviços fixo e móvel integrados pelas operadoras (serviço 3G com banda larga fixa).
      Diminui o churn na medida em que melhora a cobertura do serviço 3G no interior das residências. Como
       a Femto-célula suporta 2 a 4 usuários (8 a 16 no modelo corporativo) simultâneos, melhora o serviço
       para vários membros da família que utilizam celulares da mesma operadora.
      Pode ou não possuir modem banda larga (cable-modem ou ADSL), além de radio 802.11 WLAN.
      Pode-se oferecer tarifas diferenciadas de serviço quando o usuário utilizar o telefone celular dentro de
       sua residência (acessando a Femto-célula) ou a rede celular convencional.

Desvantagens da Femto-célula:
          o Há pontos obscuros quanto à regulamentação por parte da Anatel: deverá homologar a Femto-
             célula como ERB ou como CPE (Customer Premisses Equipment)?
          o Podem haver interferências entre Femto-células de apartamentos próximos e vizinhos.
          o Cobertura limitada em construções com áreas grandes e muitas paredes
          o Questões de handover e roaming de rede. Por exemplo, se um visitante chega em uma
             residência com Femto-célula, ele poderá ou não acessar o serviço celular por ela?
          o A velocidade dos serviços de dados será limitada pelo número de usuários simultâneos na
             Femto-célula e pelo serviço de banda larga contratada pelo usuário para a residência.
          o Somente permitir a conexão de terminais celulares. As Femto-células que possuem rádio WLAN
             integrado poderão permitir um leque ainda maior de terminais a serem conectados.
          o Preço da tecnologia: enquanto não ganha escala, a Femto-célula possui um custo alto por
             usuário. Além disso, ela necessita de uma arquitetura de rede que se sobrepõe e se integra à
             arquitetura da rede celular. No entanto, a escala só é viável quando se tem dezenas de milhares
             de Femto-células concentradas em uma determinada cidade ou região.
          o Modelo de negócios: ainda não está claro. O usuário terá que pagar pela Femto-célula?
          o A penetração e escala do uso de Femto-células é dependente da penetração do serviço de
             banda larga nas residências, assim como o número de usuários pós-pago, o principal alvo desta
             tecnologia.
          o Complexidade de arquitetura. O tráfego do usuário deve atravessar a rede do ISP de banda
             larga, chegar ao Gateway HNB e atravessar o CORE da operadora celular.
          o Como a Femto-célula somente possui uma portadora, ela naturalmente não suporta
             compartilhamento de infraestrutura entre múltiplas operadoras celulares, bem como modelo
             MVNO.
Redes 3G: Alternativa Wireless LAN 802.11
A tecnologia WLAN 802.11 utiliza frequências não licenciadas nas faixas de 2.4 e 5GHz e apresentam uma
evolução considerável nos últimos 10 anos, tanto em confiabilidade, velocidade de transmissão, arquitetura de
rede (com controladoras de pontos de acesso) centralizada e segurança. O usuário está familiarizado com o
uso da tecnologia e praticamente todos os bens de consumo hoje já saem com interface WLAN (smartphones,
netbooks e notebooks, tablets, consoles de videogames e até os televisores).

Tradicionalmente as operadoras celulares ignoraram a tecnologia WLAN porque esta era vista como insegura,
de uso pouco profissional, pouco confiável, carente de uma série de funcionalidades requeridas pelas
tecnologias celulares e utilizando espectro não licenciado, sem controle. No entanto, várias destas
características hoje foram contornadas e corrigidas. A mobilidade na rede WLAN existe, a segurança evoluiu
significativamente e existem ferramentas para se manejar as limitações com o espectro. O custo por Mbit torna
ainda a tecnologia extremamente competitiva e atraente.

Vantagens do WLAN / 3G:
    Usuário está familiarizado com a tecnologia
    Preço atraente. Custo do Access Point WiFi é menor que o custo de uma Femto-célula. O core de rede
      necessário para Femto-célula também é mais complexo e caro do que o requerido para WiFi.
    Os Access Points padrão 802.11n suportam hoje até 300 Mbit/s agregado, sendo que até 600 Mbit/s é
      possível de acordo com o padrão, o que é superior as células 3G e mesmo LTE.
    Amplo espectro disponível para ser utilizado nas faixas de 2.4 e 5GHz.
    Permite a mesma infraestrutura ser compartilhada por várias operadoras (múltiplos SSIDs no mesmo
      Access Point)
    Implementações de Access Point com Controladoras permite implantações de WiFi com maior
      visibilidade da rede por parte da operadora, melhor segurança, mobilidade e escalabilidade.
    Pode suportar autenticação por EAP-SIM ou EAP-AKA, acessando os mesmos sistemas HLR/VLR das
      operadoras celulares.
    Variedade de terminais dual-mode Celular / WiFi
    Permite diferentes modelos de negócios, telcos com infraestrutura WiFi própria, acordos de
      compartilhamento/uso de redes privadas (exemplo, cadeia de lojas/restaurantes, etc.) e hot-spots,
      projetos específicos como Estádios de Futebol e Arena de Esportes (fundamentais para os eventos
      esportivos de 2014 e 2016 no Brasil), etc.

Desvantagens do WLAN / 3G:
    Frequências não licenciadas são difíceis de serem gerenciadas. Há grande quantidade de fontes de
      interferência, principalmente na faixa de 2.4GHz, a mais popular para WLAN.
    A configuração dos terminais celulares para uso de WiFi ainda é complicada para o usuário comum.
    Insegurança de redes abertas.
    Mobilidade 3G – WiFi de forma transparente para o usuário em serviços de dados.
    Consumo de bateria de terminais dual-mode com 2 interfaces de rádio ativas: 3G e WiFi.
    Integração da rede 3G e WiFi, para bilhetagem, autenticação, acesso internet, visibilidade do usuário
      pela operadora, etc.

Como implementar o WiFi para permitir o 3G Offload? Várias alternativas são possíveis.

TAL - Transparent Auto Login (Login automático transparente)

Na primeira vez que o usuário acessa o serviço ele é desviado para um portal, onde deve entrar com as
credenciais (login/senha) que recebeu ou adquiriu da operadora. As credenciais podem ser obtidas de várias
formas, tais como utilizar dados da conta do serviço celular, cadastro em site, adquirir cartões pré/pós pagos
pelo serviço, receber por SMS via celular, etc. Neste primeiro acesso, um Banco de Dados associa o Endereço
MAC do dispositivo do usuário aos seus dados de acesso. O Endereço MAC pode ser armazenado por tempo
determinado. Os próximos acessos da rede são feitos através da autenticação pela conferência do Endereço
MAC do terminal utilizado pelo usuário com o Endereço previamente armazenado.

Esta modalidade torna o acesso mais cômodo para o usuário, porém só é válido se o usuário utilizar o mesmo
terminal em todas as conexões. Além disso, o controle de acesso a rede pelo endereço MAC não é uma forma
segura de acesso. O endereço MAC é facilmente descoberto por softwares sniffer e clonado, o que poderá
ocorrer com freqüência, principalmente se o serviço WLAN for pago. Não há integração de fato com a rede
celular.
WISPr 1.0

Wireless Internet Service Provider Roaming é uma proposta de protocolo submetida ao WiFi Alliance (órgão de
certificação de interoperabilidade de dispositivos 802.11, mas que abandonou a proposta algum tempo depois)
e atualmente fomentada pelo WBA – Wireless Broadband Alliance, para permitir que usuários utilizem redes de
diferentes ISPs, de maneira semelhante aquela em que um usuário celular ganha acesso em outras redes
celulares. A versão 1.0, de 2003 e largamente utilizada, descreve as melhores práticas, de configuração e
operação técnica de ISPs e AAA e para permitir o roaming do usuário. Um servidor RADIUS é utilizado na
autenticação das credenciais do usuário, sendo que assim que o usuário abre o Browser ele é desviado para
um Captive Portal para entrar com as credenciais onde poderá ganhar acesso à rede. Este método é também
conhecido como Universal Access Method. Como este método é utilizado por WISPs, o mais provável é que a
operadora celular faça acordos de roaming ou compartilhe a infraestrutura do WISP para permitir que seus
usuários acessem os hot-spots deste WISP. Este é o caso da operadora VEX no Brasil que oferece acordo com
várias das operadoras celulares no país. O tráfego do usuário pode cursar do Access Point diretamente para a
Internet (ou da infraestrutura do WISP) ou ser desviado para o CORE da operadora celular, caso seja
necessário acessar serviços específicos da mesma. Não há integração real com a rede celular.




                                  Figura 3: Visão Geral do WISPr 1.0
     Fonte: Documento “Best Current Practices for 5 Wireless Internet Service Provider (WISP) Roaming”,
                                     WiFi Alliance, Fevereiro de 2003

WISPr 2.0

Elaborado pela Wireless Broadband Alliance, é uma evolução do WISPR 1.0 com os primeiros testes já
acontecendo em meados de 2010. A versão 2.0 apresenta uma série de melhorias sobre a versão anterior,
mantendo-se compatibilidade com a mesma. Entre as principais melhorias está o suporte a autenticação EAP,
inclusive EAP-SIM, que permite a utilização do mesmo banco de dados utilizado pela operadora celular
(HLR/VLR) para autenticar os seus usuários na rede WLAN. Para que este tipo de autenticação possa ocorrer,
alguns itens devem ser observados. A infraestrutura WLAN bem como o terminal cliente devem ser capazes de
realizar autenticação EAP-SIM.

Além disso, o AAA da rede WLAN deve repassar as solicitações EAP para o HLR/VLR da operadora celular e
para isso um gateway deve ser utilizado. Outro ponto de atenção é que a rede WLAN utiliza naturalmente o
protocolo TCP/IP, enquanto muitos HLRs ainda operam sob protocolo SS7 e uma conversão de protocolos se
faz necessária. Apesar de a autenticação do usuário celular sem o uso de login/senha, mas com os próprios
dados do SIM-CARD GSM/3G ser um fator extremamente importante para a operadora celular, a configuração
da interface WLAN dos smartphones para cada SSID, de hot-spot ou da operadora com EAP-SIM, não é uma
tarefa fácil para o usuário comum. Este ponto é um limitador do uso massivo desta tecnologia.

802.11u

É uma extensão do padrão 802.11 2007 com o intuito de melhorar o funcionamento de uma WLAN com redes
externas e foi publicada em Fevereiro de 2011. Demonstrações públicas da tecnologia ocorreram no
evento Mobile World Congress em Barcelona na mesma época (um vídeo de demonstração pode ser assistido
no site do youtube em http://www.youtube.com/watch?v=f1C-3W4duck). Tanto o terminal do cliente quanto a
infraestrutura WLAN devem ser atualizadas para suportar este protocolo.
Em áreas urbanas é comum um cliente WLAN fazer a varredura das frequências WLAN e encontrar dezenas ou
até centenas de SSIDs. Isso pode tornar a decisão de qual SSID se associar difícil para o usuário, além de
exigir o consumo de tempo e bateria do dispositivo, item crítico quando se trata de terminais pequenos como os
Smartphones. O padrão 802.11u permite a seleção automática do SSID correto, sem intervenção do usuário,
permitindo o uso do smartphones em hotspots wifi de maneira tão fácil quanto em redes 3G.

O terminal do cliente periodicamente realiza uma varredura nas frequências de WLAN para identificar a rede na
qual ele pode se associar. Com o 80.11u, o cliente pode seletivamente varrer o tipo de rede desejado. Com o
802.11u, bits específicos são configurados nas mensagens de probe request que alertam o Access Point para o
tipo de rede WLAN o cliente está procurando. Da mesma forma, bits específicos podem ser configurados
no beacon transmitido pelo Access Point de modo a informar ao cliente diferentes informações tais como tipo de
rede (se é uma rede privada, uma rede pública aberta ou uma rede pública fechada), se existe um consórcio de
roaming e informação local.

Dois protocolos auxiliares são utilizados no processo. Se o terminal do cliente não reconhece o SSID como um
SSID válido, ele utiliza o protocolo GAS – Generic Advertisment Service (Serviço de Anuncio Genérico, que
fornece transporte em camada 2 de quadros de anúncio entre o dispositivo do cliente e um servidor antes da
autenticação) para colocar uma requisição usando o protocolo ANQP – Access Network Query
Protocol (Protocolo de Interrogação de Acesso) para cada um dos SSIDs descobertos. Os Access Points
envolvidos respondem com as informações de nome de domínio da operadora, parceiros de roaming acessíveis
via hot-spot, tipo de credencial e método EAP suportado para autenticação, disponibilidade de tipo de endereço
IP (Ipv4 ou Ipv6) e outros dados úteis para o processo de seleção de rede pelo terminal móvel.

O terminal móvel então compara as informações recebidas com dados previamente armazenados nele (em
geral configurados pela operadora antes da aquisição do smartphone ou efetuado upgrade remotamente pela
operadora) de modo a fazer um ranking dos SSIDs e assim selecionar a rede (SSID) com nível de preferência
mais alto e inicia o processo de autenticação com a mesma.

O protocolo 802.11u é uma enorme contribuição para a integração de redes 3G e WiFi, facilitando o a
identificação dos Hot-spots que pertencem à operadora ou possuem acordo de roaming com a mesma,
realizando esse processo de forma automatizada, sem a intervenção do usuário, que deverá dar um novo
impulso ao 3G offload via redes WLAN.

Hotspot 2.0:

É uma força-tarefa liderada pela empresa Cisco e que reúne algumas das melhores práticas e protocolos
abertos mencionados anteriormente, em uma solução para melhorar ainda mais a experiência do usuário de
Smartphones com redes WiFi para desafogar tráfego de redes 3G. A certificação de produtos pelo WiFi Alliance
para Hotspot 2.0 é esperado para o primeiro semestre de 2012. O Hotspot 2.0 reúne o protocolo 802.11u, a
segurança WPA2-Enterprise que utiliza criptografia segura para os tráfegos em redes WiFi e autenticação EAP
(EAP-SIM, EAP-AKA (USIM-3G), EAP-TLS e EAP-FAST).

Além da evolução nos processos de identificação automática de rede que permite roaming da operadora
celular, da melhor segurança com uso de criptografia confiável e de métodos de autenticação que realmente
integram com os mesmos sistemas de autenticação já utilizados pelas redes celulares (EAP-SIM/EAP-AKA), o
Hot-spot 2.0 ainda introduz funcionalidades que permitem novos serviços e aumento de receitas por parte da
operadora, com o protocolo MSAP – Mobility Services Advertisement Protocol. Este protocolo é transportado
via o GAS do 802.11u e é utilizado para descobrir e habilitar usuários a serviços locais.

Por exemplo, em um estádio de futebol, os usuários associados e autenticados a um Access Point do estádio,
terão temporariamente um ícone instalado no menu ou tela do terminal com link para um portal de informações
sobre o clube de futebol, sobre o jogo, com replay de lances, informações de localização no estádio,
propaganda, promoções de produtos com a marca do clube, etc.
Redes 3G: Considerações finais
Para um usuário leigo, se o celular está cursando tráfego de dados pela rede 3G ou pela rede WiFi é
indiferente. Já para um usuário familiarizado com a tecnologia, em geral tenderá a utilizar dados via redes WiFi,
quando disponível, principalmente se o custo for zero ou próximo desse valor. Assim, o importante é que o
terminal esteja conectado seja rede 3G ou WiFi, ao menor custo, de forma simples para o usuário.

A Femto-célula é uma forma de melhorar a cobertura de redes celulares onde a penetração do serviço tende a
ser mais deficitária, principalmente nas áreas urbanas e onde o usuário mais tempo utiliza o aparelho celular.
Em sua residência ou na empresa onde trabalha.

Dada a utilização de redes WLAN em praticamente todos os lugares, sejam hotspots de franquias, shopping-
centers, empresas e praticamente qualquer lugar, é uma tecnologia que as operadoras celulares devem prestar
atenção. As recentes melhorias e avanços de protocolos tais como o WISPr 2.0, o 802.11u e o mais recente
Hotspot 2.0 tornam a experiência do usuário simples, a seleção do serviço WLAN automática, segura e
confiável, o que deve alavancar a sinergia entre WLAN e 3G/LTE.

As operadoras que durante anos não deram a devida atenção para o WLAN devem começar já a investir nesta
tecnologia, seja com rede própria ou roaming com WISPs e Hotspots privados, de forma a estar preparada para
quando os Smartphones suportarem 802.11u e Hotspot 2.0, o que deve ocorrer a partir do início de 2012.




Assim, as operadoras celulares podem decidir utilizar todas as tecnologias a seu alcance para melhorar a
experiência do usuário, seja dentro de sua casa com Femto-células, seja em um estádio de futebol com o WiFi,
por exemplo.


Referências

SVERZUT, J. U. Redes GSM, GPRS, EDGE e UMTS - Evolução a Caminho da Quarta Geração (4G) . Editora
Érica, 3a Edição Revisada e Atualizada.

COLEMAN, D. D.; WESTCOTT, D. A.CWNA – Certified Wireless Network Administrator – Official Study Guide.
SYBEX, 2009.

http://www.gsm.org/documents/fcg0310.pdf
Acessado em 19/08/2011 às 21:10hs

http://www.cisco.com/en/US/solutions/collateral/ns341/ns524/ns673/white_paper_c11-649337.pdf

http://www.wballiance.net/component/files/request.html?files=774c7e5c8c4dba1a00e22dad02c429543b5
debc2
Acessado em 20/08/2011 às 20:06hs
http://www.youtube.com/watch?v=f1C-3W4duck
Acessado em 20/08/2011 às 20:51hs

Diversos Tutoriais disponíveis no site Teleco:
http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhsdpad/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhsdpacb/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhspaplus/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhspamais/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutoriallte/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialtrafdados/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialwcdma3g/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 21:15hs

http://www.femtoforum.org/fem2/about-femtocells.php
Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialredeswlanII/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialwlan/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs

http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialwmn/Default.asp
Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010
Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010
Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010
Fabricia Graça
 
Baggio & Know Apresentacao Idc E Internet V1.1
Baggio & Know   Apresentacao Idc E Internet V1.1Baggio & Know   Apresentacao Idc E Internet V1.1
Baggio & Know Apresentacao Idc E Internet V1.1
Frederico Baggio
 
Computação móvel i unidade aula 05
Computação móvel i unidade  aula 05Computação móvel i unidade  aula 05
Computação móvel i unidade aula 05
João Freire Abramowicz
 
Introdução rede- I unidade
Introdução rede- I unidadeIntrodução rede- I unidade
Introdução rede- I unidade
João Freire Abramowicz
 
Intenet
IntenetIntenet
S.c.s.f 02 evoluções das comunicações celulares
S.c.s.f 02 evoluções das comunicações celularesS.c.s.f 02 evoluções das comunicações celulares
S.c.s.f 02 evoluções das comunicações celulares
Milione Changala
 
Apresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV Digital
Apresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV DigitalApresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV Digital
Apresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV Digital
Fernando Gomes Chaves
 
Gsm curso
Gsm cursoGsm curso
Rede óptica passiva pon
Rede óptica passiva   ponRede óptica passiva   pon
Rede óptica passiva pon
Adriano Ramos
 
Sistemas Celulares
Sistemas CelularesSistemas Celulares
Sistemas Celulares
Mayara Mônica
 
Redes 5
Redes 5Redes 5
Internet sua Evolução
Internet sua EvoluçãoInternet sua Evolução
Internet sua Evolução
Rafael Fernandes
 
Embratel
EmbratelEmbratel
07 tecnologia cdma
07 tecnologia cdma07 tecnologia cdma
07 tecnologia cdma
Alessandro Baptista
 
GSM
GSMGSM
Cala webinar on mbh august por 2012 - v02 pt-br-1
Cala webinar on mbh   august por 2012 - v02 pt-br-1Cala webinar on mbh   august por 2012 - v02 pt-br-1
Cala webinar on mbh august por 2012 - v02 pt-br-1
Rafael Junquera
 
Benefícios das redes sem fio
Benefícios das redes sem fioBenefícios das redes sem fio
Benefícios das redes sem fio
Carlos Melo
 
Bt sspi_vsat_day_2009
Bt  sspi_vsat_day_2009Bt  sspi_vsat_day_2009
Bt sspi_vsat_day_2009
SSPI Brasil
 
Redes moveis celulares
Redes moveis celularesRedes moveis celulares
Redes moveis celulares
Angelo Furtado
 
Convergencia art02
Convergencia art02Convergencia art02
Convergencia art02
Gabriel Martins
 

Mais procurados (20)

Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010
Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010
Apresentação POS PUC_LTE 21_3_2010
 
Baggio & Know Apresentacao Idc E Internet V1.1
Baggio & Know   Apresentacao Idc E Internet V1.1Baggio & Know   Apresentacao Idc E Internet V1.1
Baggio & Know Apresentacao Idc E Internet V1.1
 
Computação móvel i unidade aula 05
Computação móvel i unidade  aula 05Computação móvel i unidade  aula 05
Computação móvel i unidade aula 05
 
Introdução rede- I unidade
Introdução rede- I unidadeIntrodução rede- I unidade
Introdução rede- I unidade
 
Intenet
IntenetIntenet
Intenet
 
S.c.s.f 02 evoluções das comunicações celulares
S.c.s.f 02 evoluções das comunicações celularesS.c.s.f 02 evoluções das comunicações celulares
S.c.s.f 02 evoluções das comunicações celulares
 
Apresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV Digital
Apresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV DigitalApresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV Digital
Apresentação redes 1 - Redes sem fio, ADSL e TV Digital
 
Gsm curso
Gsm cursoGsm curso
Gsm curso
 
Rede óptica passiva pon
Rede óptica passiva   ponRede óptica passiva   pon
Rede óptica passiva pon
 
Sistemas Celulares
Sistemas CelularesSistemas Celulares
Sistemas Celulares
 
Redes 5
Redes 5Redes 5
Redes 5
 
Internet sua Evolução
Internet sua EvoluçãoInternet sua Evolução
Internet sua Evolução
 
Embratel
EmbratelEmbratel
Embratel
 
07 tecnologia cdma
07 tecnologia cdma07 tecnologia cdma
07 tecnologia cdma
 
GSM
GSMGSM
GSM
 
Cala webinar on mbh august por 2012 - v02 pt-br-1
Cala webinar on mbh   august por 2012 - v02 pt-br-1Cala webinar on mbh   august por 2012 - v02 pt-br-1
Cala webinar on mbh august por 2012 - v02 pt-br-1
 
Benefícios das redes sem fio
Benefícios das redes sem fioBenefícios das redes sem fio
Benefícios das redes sem fio
 
Bt sspi_vsat_day_2009
Bt  sspi_vsat_day_2009Bt  sspi_vsat_day_2009
Bt sspi_vsat_day_2009
 
Redes moveis celulares
Redes moveis celularesRedes moveis celulares
Redes moveis celulares
 
Convergencia art02
Convergencia art02Convergencia art02
Convergencia art02
 

Destaque

2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps
2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps
2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps
Glauco Soto
 
Pregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍA
Pregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍAPregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍA
Pregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍA
JdJuan Guadalinfo
 
Apresentação - Dra. Valéria Valls
Apresentação - Dra. Valéria VallsApresentação - Dra. Valéria Valls
Apresentação - Dra. Valéria Valls
Glauco Soto
 
Naro 2011 ondorioak
Naro 2011 ondorioakNaro 2011 ondorioak
Naro 2011 ondorioak
Jaione Fraile
 
Uma biblioteca é...
Uma biblioteca é...Uma biblioteca é...
Uma biblioteca é...
Ana Paula Brites
 
Treinamento de service – captação de hosts
Treinamento de service – captação de hostsTreinamento de service – captação de hosts
Treinamento de service – captação de hosts
Paulo Oliveira
 
EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...
EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA  PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA  PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...
EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...
Cecy_Rodriguez
 
Cautivo cuaresma 2009
Cautivo cuaresma 2009Cautivo cuaresma 2009
Cautivo cuaresma 2009
Jesus Bejarano Vera
 
Presentación proyecto ecotur la roda
Presentación proyecto ecotur la rodaPresentación proyecto ecotur la roda
Presentación proyecto ecotur la roda
JdJuan Guadalinfo
 
Costos de Congestión en la ZMVM
Costos de Congestión en la ZMVMCostos de Congestión en la ZMVM
Costos de Congestión en la ZMVM
Boris
 
TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1
TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1
TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1
glennayala
 
Projeto Território Livro
Projeto Território LivroProjeto Território Livro
Projeto Território Livro
Glauco Soto
 
3 ll44
3 ll443 ll44
Médicos julho 2013
Médicos julho 2013Médicos julho 2013
Médicos julho 2013
Claudia Paola Aguilar
 
Texto luisa alvim
Texto luisa alvimTexto luisa alvim
Texto luisa alvim
angelaencarncao
 
Vdl sin canal bellvitge 2 2012 fin
Vdl sin canal bellvitge 2 2012 finVdl sin canal bellvitge 2 2012 fin
Vdl sin canal bellvitge 2 2012 finPere Vila Caral
 
CADE Universitaria 2010
CADE Universitaria 2010CADE Universitaria 2010
CADE Universitaria 2010
Juan José Román
 
Informe Anual Metrobús 2011
Informe Anual Metrobús 2011Informe Anual Metrobús 2011
Informe Anual Metrobús 2011
Boris
 

Destaque (20)

2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps
2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps
2012.02.apresentacao.bibliotecas.pps
 
Pregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍA
Pregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍAPregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍA
Pregón 2001 JOSÉ ANTONIO TORRALBA GARCÍA
 
Apresentação - Dra. Valéria Valls
Apresentação - Dra. Valéria VallsApresentação - Dra. Valéria Valls
Apresentação - Dra. Valéria Valls
 
Naro 2011 ondorioak
Naro 2011 ondorioakNaro 2011 ondorioak
Naro 2011 ondorioak
 
Uma biblioteca é...
Uma biblioteca é...Uma biblioteca é...
Uma biblioteca é...
 
Treinamento de service – captação de hosts
Treinamento de service – captação de hostsTreinamento de service – captação de hosts
Treinamento de service – captação de hosts
 
EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...
EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA  PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA  PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...
EDUCACION DEL SIGLO XXI SE CONVIERTA EN UNA PUERTA DE ENTRADA E INCLUSIÒN A ...
 
Cautivo cuaresma 2009
Cautivo cuaresma 2009Cautivo cuaresma 2009
Cautivo cuaresma 2009
 
Presentación proyecto ecotur la roda
Presentación proyecto ecotur la rodaPresentación proyecto ecotur la roda
Presentación proyecto ecotur la roda
 
Costos de Congestión en la ZMVM
Costos de Congestión en la ZMVMCostos de Congestión en la ZMVM
Costos de Congestión en la ZMVM
 
TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1
TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1
TTS Presentacao Em Portuguese Ver 1
 
Projeto Território Livro
Projeto Território LivroProjeto Território Livro
Projeto Território Livro
 
3 ll44
3 ll443 ll44
3 ll44
 
Médicos julho 2013
Médicos julho 2013Médicos julho 2013
Médicos julho 2013
 
Texto luisa alvim
Texto luisa alvimTexto luisa alvim
Texto luisa alvim
 
Vdl sin canal bellvitge 2 2012 fin
Vdl sin canal bellvitge 2 2012 finVdl sin canal bellvitge 2 2012 fin
Vdl sin canal bellvitge 2 2012 fin
 
CADE Universitaria 2010
CADE Universitaria 2010CADE Universitaria 2010
CADE Universitaria 2010
 
Borrador fotos
Borrador fotosBorrador fotos
Borrador fotos
 
Jogo da memória letras
Jogo da memória letrasJogo da memória letras
Jogo da memória letras
 
Informe Anual Metrobús 2011
Informe Anual Metrobús 2011Informe Anual Metrobús 2011
Informe Anual Metrobús 2011
 

Semelhante a Fem-to celula alternativa a redes 3 g

Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]
Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]
Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]
Ministério Público da Paraíba
 
Redes sem fios power point
Redes sem fios power pointRedes sem fios power point
Redes sem fios power point
André bogas
 
4G Comunicação Móvel
4G Comunicação Móvel4G Comunicação Móvel
4G Comunicação Móvel
Kleber Bernardo
 
Proposta técnica - TTH Telecom
Proposta técnica - TTH TelecomProposta técnica - TTH Telecom
Proposta técnica - TTH Telecom
Leonardo de Paula
 
trabalhos de grupo
trabalhos de grupotrabalhos de grupo
trabalhos de grupo
francisco quiss
 
Wireless Lan: Uma nova alternativa de redes locais
Wireless Lan: Uma nova alternativa de redes locaisWireless Lan: Uma nova alternativa de redes locais
Wireless Lan: Uma nova alternativa de redes locais
Jerônimo Medina Madruga
 
Relatório banda larga
Relatório banda largaRelatório banda larga
Relatório banda larga
Verônica Veiga
 
Introdução de redes sem fio
Introdução de redes sem fioIntrodução de redes sem fio
Introdução de redes sem fio
Tiago
 
Trabalho final de ipd
Trabalho final de ipdTrabalho final de ipd
Trabalho final de ipd
Giulliana Marialva
 
Wireless - Aula 3
Wireless - Aula 3Wireless - Aula 3
Wireless - Aula 3
Guilherme Nonino Rosa
 
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fioaula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
Marco Guimarães
 
Droidlar 2011
Droidlar 2011Droidlar 2011
Droidlar 2011
Clayton Monteiro
 
Wireless
WirelessWireless
Wireless
simoesflavio
 
Redes Wireless_Montagem de Redes de Computadores
Redes Wireless_Montagem de  Redes de ComputadoresRedes Wireless_Montagem de  Redes de Computadores
Redes Wireless_Montagem de Redes de Computadores
Jorge Muchacuar
 
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos AutomatizadosTecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
EVM33
 
SLIDE 4G
SLIDE 4GSLIDE 4G
Ambiente wifi
Ambiente wifiAmbiente wifi
REDE SEM FIO(1).pptx
REDE SEM FIO(1).pptxREDE SEM FIO(1).pptx
REDE SEM FIO(1).pptx
Faculdades Santo Agostinho
 
Redes de quarta geração
Redes de quarta geraçãoRedes de quarta geração
Redes de quarta geração
Felipe Cesar Costa
 
LTE (Long Term Evolution) - 4G
LTE (Long Term Evolution) - 4GLTE (Long Term Evolution) - 4G
LTE (Long Term Evolution) - 4G
Rafael Berto
 

Semelhante a Fem-to celula alternativa a redes 3 g (20)

Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]
Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]
Tecnologias Atuais de Redes - Aula 2 - Redes Sem Fio [Apostila]
 
Redes sem fios power point
Redes sem fios power pointRedes sem fios power point
Redes sem fios power point
 
4G Comunicação Móvel
4G Comunicação Móvel4G Comunicação Móvel
4G Comunicação Móvel
 
Proposta técnica - TTH Telecom
Proposta técnica - TTH TelecomProposta técnica - TTH Telecom
Proposta técnica - TTH Telecom
 
trabalhos de grupo
trabalhos de grupotrabalhos de grupo
trabalhos de grupo
 
Wireless Lan: Uma nova alternativa de redes locais
Wireless Lan: Uma nova alternativa de redes locaisWireless Lan: Uma nova alternativa de redes locais
Wireless Lan: Uma nova alternativa de redes locais
 
Relatório banda larga
Relatório banda largaRelatório banda larga
Relatório banda larga
 
Introdução de redes sem fio
Introdução de redes sem fioIntrodução de redes sem fio
Introdução de redes sem fio
 
Trabalho final de ipd
Trabalho final de ipdTrabalho final de ipd
Trabalho final de ipd
 
Wireless - Aula 3
Wireless - Aula 3Wireless - Aula 3
Wireless - Aula 3
 
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fioaula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
 
Droidlar 2011
Droidlar 2011Droidlar 2011
Droidlar 2011
 
Wireless
WirelessWireless
Wireless
 
Redes Wireless_Montagem de Redes de Computadores
Redes Wireless_Montagem de  Redes de ComputadoresRedes Wireless_Montagem de  Redes de Computadores
Redes Wireless_Montagem de Redes de Computadores
 
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos AutomatizadosTecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
 
SLIDE 4G
SLIDE 4GSLIDE 4G
SLIDE 4G
 
Ambiente wifi
Ambiente wifiAmbiente wifi
Ambiente wifi
 
REDE SEM FIO(1).pptx
REDE SEM FIO(1).pptxREDE SEM FIO(1).pptx
REDE SEM FIO(1).pptx
 
Redes de quarta geração
Redes de quarta geraçãoRedes de quarta geração
Redes de quarta geração
 
LTE (Long Term Evolution) - 4G
LTE (Long Term Evolution) - 4GLTE (Long Term Evolution) - 4G
LTE (Long Term Evolution) - 4G
 

Mais de Scorpion Power PC

APRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊS
APRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊSAPRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊS
APRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊS
Scorpion Power PC
 
PROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATO
PROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATOPROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATO
PROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATO
Scorpion Power PC
 
VIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETING
VIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETINGVIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETING
VIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETING
Scorpion Power PC
 
PROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESA
PROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESAPROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESA
PROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESA
Scorpion Power PC
 
MULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMN
MULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMNMULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMN
MULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMN
Scorpion Power PC
 
MULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITAL
MULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITALMULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITAL
MULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITAL
Scorpion Power PC
 
Apresentacao teldiux oficial em portugues brasil
Apresentacao teldiux oficial em portugues brasilApresentacao teldiux oficial em portugues brasil
Apresentacao teldiux oficial em portugues brasil
Scorpion Power PC
 
PROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOS
PROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOSPROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOS
PROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOS
Scorpion Power PC
 
Presentación de Negocios Teldiux Yakey marca de Franquicia
Presentación de Negocios Teldiux Yakey marca de FranquiciaPresentación de Negocios Teldiux Yakey marca de Franquicia
Presentación de Negocios Teldiux Yakey marca de Franquicia
Scorpion Power PC
 
Teldiux Europa universo el vehículo más económico del mundo
Teldiux Europa universo el vehículo más económico del mundoTeldiux Europa universo el vehículo más económico del mundo
Teldiux Europa universo el vehículo más económico del mundo
Scorpion Power PC
 
Teldiux Ecuador universo el vehículo más económico
Teldiux Ecuador universo el vehículo más económicoTeldiux Ecuador universo el vehículo más económico
Teldiux Ecuador universo el vehículo más económico
Scorpion Power PC
 
Teldiux Canada the vehicle more economical universe
Teldiux Canada the vehicle more economical universe Teldiux Canada the vehicle more economical universe
Teldiux Canada the vehicle more economical universe
Scorpion Power PC
 
TELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASIL
TELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASILTELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASIL
TELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASIL
Scorpion Power PC
 
TALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOME
TALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOMETALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOME
TALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOME
Scorpion Power PC
 
EL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLD
EL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLDEL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLD
EL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLD
Scorpion Power PC
 
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHIFICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
Scorpion Power PC
 
Descubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfree
Descubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfreeDescubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfree
Descubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfree
Scorpion Power PC
 
CERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRE
CERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRECERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRE
CERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRE
Scorpion Power PC
 
Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus
Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus
Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus
Scorpion Power PC
 
Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013
Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013
Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013
Scorpion Power PC
 

Mais de Scorpion Power PC (20)

APRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊS
APRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊSAPRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊS
APRESENTAÇÃO VIDCOMMX EM PORTUGUÊS
 
PROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATO
PROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATOPROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATO
PROMOTERFACE TERMO DE USO E CONTRATO
 
VIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETING
VIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETINGVIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETING
VIVER COMPANY SUCESSO TOTAL NO JORNAL LOUCOS POR MARKETING
 
PROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESA
PROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESAPROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESA
PROMOTERFACE ALAVANCA PODEROSA PARA SUA EMPRESA
 
MULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMN
MULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMNMULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMN
MULTICLICK BRASIL DOCUMENTOS PROVA A LEGALIDADE NO MMN
 
MULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITAL
MULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITALMULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITAL
MULTICLICK OTIMIZAÇÃO COLOCA SUA EMPRESA NO MUNDO DIGITAL
 
Apresentacao teldiux oficial em portugues brasil
Apresentacao teldiux oficial em portugues brasilApresentacao teldiux oficial em portugues brasil
Apresentacao teldiux oficial em portugues brasil
 
PROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOS
PROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOSPROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOS
PROJETO DE LEI PONTOS DE RECARGA PARA VEICULOS ELÉTRICOS
 
Presentación de Negocios Teldiux Yakey marca de Franquicia
Presentación de Negocios Teldiux Yakey marca de FranquiciaPresentación de Negocios Teldiux Yakey marca de Franquicia
Presentación de Negocios Teldiux Yakey marca de Franquicia
 
Teldiux Europa universo el vehículo más económico del mundo
Teldiux Europa universo el vehículo más económico del mundoTeldiux Europa universo el vehículo más económico del mundo
Teldiux Europa universo el vehículo más económico del mundo
 
Teldiux Ecuador universo el vehículo más económico
Teldiux Ecuador universo el vehículo más económicoTeldiux Ecuador universo el vehículo más económico
Teldiux Ecuador universo el vehículo más económico
 
Teldiux Canada the vehicle more economical universe
Teldiux Canada the vehicle more economical universe Teldiux Canada the vehicle more economical universe
Teldiux Canada the vehicle more economical universe
 
TELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASIL
TELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASILTELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASIL
TELDIUX ABRE AS PORTAS PARA TELE-TRABALHO NO BRASIL
 
TALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOME
TALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOMETALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOME
TALKFUSION COMPENSATION PLAN AWESOME
 
EL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLD
EL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLDEL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLD
EL REY DE LOS PLANES DE COMPENSACIÓN DE ORGANO GOLD
 
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHIFICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
FICHA TECNICA GANODERMA LUCIDUM REISHI
 
Descubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfree
Descubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfreeDescubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfree
Descubra em tres passos de ouro como ter sucesso na telexfree
 
CERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRE
CERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRECERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRE
CERTIDÃO NADA CONSTA TELEXFREE YMPACTUS X PODER JUDICIARIO DO ACRE
 
Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus
Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus
Denuncia Procon Acre e Ministerio Publico Telexfree Ympactus
 
Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013
Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013
Novo contrato telexfree pt3 10-02_2013
 

Fem-to celula alternativa a redes 3 g

  • 1. Redes 3G: Alternativa Femto-célula De forma bastante simplificada Femto-células são células que possuem funcionalidades semelhantes às de uma macro-célula das redes celulares, porém com alcance e capacidade de tráfego bastante limitados, em geral a apenas alguns metros de raio e 2 a 4 usuários simultâneos de voz. Originalmente as Femto-células foram planejadas para serem instaladas diretamente na residência dos clientes, já que em geral 60% dos usuários de telefone celular o utilizam em ambientes cobertos (interiores de edifícios), onde a cobertura em geral do serviço é mais deficiente. Atualmente existem modelos de Femto-células com capacidade um pouco maior, destinadas a serem instaladas em pequenas empresas. A Femto-célula permite a convergência fixo-móvel (FMC), já que utiliza o acesso banda larga fixo para interconectar e prover serviço móvel celular no interior da residência. Figura 1: Conceito de Femto-célula Fonte: www.femtoforum.org/fem2/about-femtocells.php Figura 2: Arquitetura de Femto-célula conforme discutido dentro do 3GPP Fonte: www.gsm.org/documents/fcg0310.pdf Nota:  UE – User Equipment. É o terminal do assinante.  HNB – Home NodeB. É Femto-célula  HNB-GW – HNB Gateway, interconecta as Femto-células com o CORE da rede da operadora celular.  HNB Mgm System, sistema de gerência das Femto-células  Iuh – Interface proposta pelo 3GPP entre a Femto-célula e o HNB-GW. Note que esta interface atravessa o modem banda larga da residência, a rede do ISP (Internet Service Provider) e eventualmente a internet caso o ISP não possua interconexão com a Operadora Celular. Vantagens da Femto-célula:  Utilizam as frequências licenciadas destinadas à telefonia celular. Assim sendo, a operadora tem em teoria controle sobre o uso do espectro.
  • 2. São esteticamente atraentes, semelhantes a roteadores de redes sem fio (Wireless LAN) destinados a residências.  Proporcionam redução de custos de Opex para a operadora já que o custo de backhaul é pago pelo usuário (conexão de banda larga da residência).  Serviços fixo e móvel integrados pelas operadoras (serviço 3G com banda larga fixa).  Diminui o churn na medida em que melhora a cobertura do serviço 3G no interior das residências. Como a Femto-célula suporta 2 a 4 usuários (8 a 16 no modelo corporativo) simultâneos, melhora o serviço para vários membros da família que utilizam celulares da mesma operadora.  Pode ou não possuir modem banda larga (cable-modem ou ADSL), além de radio 802.11 WLAN.  Pode-se oferecer tarifas diferenciadas de serviço quando o usuário utilizar o telefone celular dentro de sua residência (acessando a Femto-célula) ou a rede celular convencional. Desvantagens da Femto-célula: o Há pontos obscuros quanto à regulamentação por parte da Anatel: deverá homologar a Femto- célula como ERB ou como CPE (Customer Premisses Equipment)? o Podem haver interferências entre Femto-células de apartamentos próximos e vizinhos. o Cobertura limitada em construções com áreas grandes e muitas paredes o Questões de handover e roaming de rede. Por exemplo, se um visitante chega em uma residência com Femto-célula, ele poderá ou não acessar o serviço celular por ela? o A velocidade dos serviços de dados será limitada pelo número de usuários simultâneos na Femto-célula e pelo serviço de banda larga contratada pelo usuário para a residência. o Somente permitir a conexão de terminais celulares. As Femto-células que possuem rádio WLAN integrado poderão permitir um leque ainda maior de terminais a serem conectados. o Preço da tecnologia: enquanto não ganha escala, a Femto-célula possui um custo alto por usuário. Além disso, ela necessita de uma arquitetura de rede que se sobrepõe e se integra à arquitetura da rede celular. No entanto, a escala só é viável quando se tem dezenas de milhares de Femto-células concentradas em uma determinada cidade ou região. o Modelo de negócios: ainda não está claro. O usuário terá que pagar pela Femto-célula? o A penetração e escala do uso de Femto-células é dependente da penetração do serviço de banda larga nas residências, assim como o número de usuários pós-pago, o principal alvo desta tecnologia. o Complexidade de arquitetura. O tráfego do usuário deve atravessar a rede do ISP de banda larga, chegar ao Gateway HNB e atravessar o CORE da operadora celular. o Como a Femto-célula somente possui uma portadora, ela naturalmente não suporta compartilhamento de infraestrutura entre múltiplas operadoras celulares, bem como modelo MVNO.
  • 3. Redes 3G: Alternativa Wireless LAN 802.11 A tecnologia WLAN 802.11 utiliza frequências não licenciadas nas faixas de 2.4 e 5GHz e apresentam uma evolução considerável nos últimos 10 anos, tanto em confiabilidade, velocidade de transmissão, arquitetura de rede (com controladoras de pontos de acesso) centralizada e segurança. O usuário está familiarizado com o uso da tecnologia e praticamente todos os bens de consumo hoje já saem com interface WLAN (smartphones, netbooks e notebooks, tablets, consoles de videogames e até os televisores). Tradicionalmente as operadoras celulares ignoraram a tecnologia WLAN porque esta era vista como insegura, de uso pouco profissional, pouco confiável, carente de uma série de funcionalidades requeridas pelas tecnologias celulares e utilizando espectro não licenciado, sem controle. No entanto, várias destas características hoje foram contornadas e corrigidas. A mobilidade na rede WLAN existe, a segurança evoluiu significativamente e existem ferramentas para se manejar as limitações com o espectro. O custo por Mbit torna ainda a tecnologia extremamente competitiva e atraente. Vantagens do WLAN / 3G:  Usuário está familiarizado com a tecnologia  Preço atraente. Custo do Access Point WiFi é menor que o custo de uma Femto-célula. O core de rede necessário para Femto-célula também é mais complexo e caro do que o requerido para WiFi.  Os Access Points padrão 802.11n suportam hoje até 300 Mbit/s agregado, sendo que até 600 Mbit/s é possível de acordo com o padrão, o que é superior as células 3G e mesmo LTE.  Amplo espectro disponível para ser utilizado nas faixas de 2.4 e 5GHz.  Permite a mesma infraestrutura ser compartilhada por várias operadoras (múltiplos SSIDs no mesmo Access Point)  Implementações de Access Point com Controladoras permite implantações de WiFi com maior visibilidade da rede por parte da operadora, melhor segurança, mobilidade e escalabilidade.  Pode suportar autenticação por EAP-SIM ou EAP-AKA, acessando os mesmos sistemas HLR/VLR das operadoras celulares.  Variedade de terminais dual-mode Celular / WiFi  Permite diferentes modelos de negócios, telcos com infraestrutura WiFi própria, acordos de compartilhamento/uso de redes privadas (exemplo, cadeia de lojas/restaurantes, etc.) e hot-spots, projetos específicos como Estádios de Futebol e Arena de Esportes (fundamentais para os eventos esportivos de 2014 e 2016 no Brasil), etc. Desvantagens do WLAN / 3G:  Frequências não licenciadas são difíceis de serem gerenciadas. Há grande quantidade de fontes de interferência, principalmente na faixa de 2.4GHz, a mais popular para WLAN.  A configuração dos terminais celulares para uso de WiFi ainda é complicada para o usuário comum.  Insegurança de redes abertas.  Mobilidade 3G – WiFi de forma transparente para o usuário em serviços de dados.  Consumo de bateria de terminais dual-mode com 2 interfaces de rádio ativas: 3G e WiFi.  Integração da rede 3G e WiFi, para bilhetagem, autenticação, acesso internet, visibilidade do usuário pela operadora, etc. Como implementar o WiFi para permitir o 3G Offload? Várias alternativas são possíveis. TAL - Transparent Auto Login (Login automático transparente) Na primeira vez que o usuário acessa o serviço ele é desviado para um portal, onde deve entrar com as credenciais (login/senha) que recebeu ou adquiriu da operadora. As credenciais podem ser obtidas de várias formas, tais como utilizar dados da conta do serviço celular, cadastro em site, adquirir cartões pré/pós pagos pelo serviço, receber por SMS via celular, etc. Neste primeiro acesso, um Banco de Dados associa o Endereço MAC do dispositivo do usuário aos seus dados de acesso. O Endereço MAC pode ser armazenado por tempo determinado. Os próximos acessos da rede são feitos através da autenticação pela conferência do Endereço MAC do terminal utilizado pelo usuário com o Endereço previamente armazenado. Esta modalidade torna o acesso mais cômodo para o usuário, porém só é válido se o usuário utilizar o mesmo terminal em todas as conexões. Além disso, o controle de acesso a rede pelo endereço MAC não é uma forma segura de acesso. O endereço MAC é facilmente descoberto por softwares sniffer e clonado, o que poderá ocorrer com freqüência, principalmente se o serviço WLAN for pago. Não há integração de fato com a rede celular.
  • 4. WISPr 1.0 Wireless Internet Service Provider Roaming é uma proposta de protocolo submetida ao WiFi Alliance (órgão de certificação de interoperabilidade de dispositivos 802.11, mas que abandonou a proposta algum tempo depois) e atualmente fomentada pelo WBA – Wireless Broadband Alliance, para permitir que usuários utilizem redes de diferentes ISPs, de maneira semelhante aquela em que um usuário celular ganha acesso em outras redes celulares. A versão 1.0, de 2003 e largamente utilizada, descreve as melhores práticas, de configuração e operação técnica de ISPs e AAA e para permitir o roaming do usuário. Um servidor RADIUS é utilizado na autenticação das credenciais do usuário, sendo que assim que o usuário abre o Browser ele é desviado para um Captive Portal para entrar com as credenciais onde poderá ganhar acesso à rede. Este método é também conhecido como Universal Access Method. Como este método é utilizado por WISPs, o mais provável é que a operadora celular faça acordos de roaming ou compartilhe a infraestrutura do WISP para permitir que seus usuários acessem os hot-spots deste WISP. Este é o caso da operadora VEX no Brasil que oferece acordo com várias das operadoras celulares no país. O tráfego do usuário pode cursar do Access Point diretamente para a Internet (ou da infraestrutura do WISP) ou ser desviado para o CORE da operadora celular, caso seja necessário acessar serviços específicos da mesma. Não há integração real com a rede celular. Figura 3: Visão Geral do WISPr 1.0 Fonte: Documento “Best Current Practices for 5 Wireless Internet Service Provider (WISP) Roaming”, WiFi Alliance, Fevereiro de 2003 WISPr 2.0 Elaborado pela Wireless Broadband Alliance, é uma evolução do WISPR 1.0 com os primeiros testes já acontecendo em meados de 2010. A versão 2.0 apresenta uma série de melhorias sobre a versão anterior, mantendo-se compatibilidade com a mesma. Entre as principais melhorias está o suporte a autenticação EAP, inclusive EAP-SIM, que permite a utilização do mesmo banco de dados utilizado pela operadora celular (HLR/VLR) para autenticar os seus usuários na rede WLAN. Para que este tipo de autenticação possa ocorrer, alguns itens devem ser observados. A infraestrutura WLAN bem como o terminal cliente devem ser capazes de realizar autenticação EAP-SIM. Além disso, o AAA da rede WLAN deve repassar as solicitações EAP para o HLR/VLR da operadora celular e para isso um gateway deve ser utilizado. Outro ponto de atenção é que a rede WLAN utiliza naturalmente o protocolo TCP/IP, enquanto muitos HLRs ainda operam sob protocolo SS7 e uma conversão de protocolos se faz necessária. Apesar de a autenticação do usuário celular sem o uso de login/senha, mas com os próprios dados do SIM-CARD GSM/3G ser um fator extremamente importante para a operadora celular, a configuração da interface WLAN dos smartphones para cada SSID, de hot-spot ou da operadora com EAP-SIM, não é uma tarefa fácil para o usuário comum. Este ponto é um limitador do uso massivo desta tecnologia. 802.11u É uma extensão do padrão 802.11 2007 com o intuito de melhorar o funcionamento de uma WLAN com redes externas e foi publicada em Fevereiro de 2011. Demonstrações públicas da tecnologia ocorreram no evento Mobile World Congress em Barcelona na mesma época (um vídeo de demonstração pode ser assistido no site do youtube em http://www.youtube.com/watch?v=f1C-3W4duck). Tanto o terminal do cliente quanto a infraestrutura WLAN devem ser atualizadas para suportar este protocolo.
  • 5. Em áreas urbanas é comum um cliente WLAN fazer a varredura das frequências WLAN e encontrar dezenas ou até centenas de SSIDs. Isso pode tornar a decisão de qual SSID se associar difícil para o usuário, além de exigir o consumo de tempo e bateria do dispositivo, item crítico quando se trata de terminais pequenos como os Smartphones. O padrão 802.11u permite a seleção automática do SSID correto, sem intervenção do usuário, permitindo o uso do smartphones em hotspots wifi de maneira tão fácil quanto em redes 3G. O terminal do cliente periodicamente realiza uma varredura nas frequências de WLAN para identificar a rede na qual ele pode se associar. Com o 80.11u, o cliente pode seletivamente varrer o tipo de rede desejado. Com o 802.11u, bits específicos são configurados nas mensagens de probe request que alertam o Access Point para o tipo de rede WLAN o cliente está procurando. Da mesma forma, bits específicos podem ser configurados no beacon transmitido pelo Access Point de modo a informar ao cliente diferentes informações tais como tipo de rede (se é uma rede privada, uma rede pública aberta ou uma rede pública fechada), se existe um consórcio de roaming e informação local. Dois protocolos auxiliares são utilizados no processo. Se o terminal do cliente não reconhece o SSID como um SSID válido, ele utiliza o protocolo GAS – Generic Advertisment Service (Serviço de Anuncio Genérico, que fornece transporte em camada 2 de quadros de anúncio entre o dispositivo do cliente e um servidor antes da autenticação) para colocar uma requisição usando o protocolo ANQP – Access Network Query Protocol (Protocolo de Interrogação de Acesso) para cada um dos SSIDs descobertos. Os Access Points envolvidos respondem com as informações de nome de domínio da operadora, parceiros de roaming acessíveis via hot-spot, tipo de credencial e método EAP suportado para autenticação, disponibilidade de tipo de endereço IP (Ipv4 ou Ipv6) e outros dados úteis para o processo de seleção de rede pelo terminal móvel. O terminal móvel então compara as informações recebidas com dados previamente armazenados nele (em geral configurados pela operadora antes da aquisição do smartphone ou efetuado upgrade remotamente pela operadora) de modo a fazer um ranking dos SSIDs e assim selecionar a rede (SSID) com nível de preferência mais alto e inicia o processo de autenticação com a mesma. O protocolo 802.11u é uma enorme contribuição para a integração de redes 3G e WiFi, facilitando o a identificação dos Hot-spots que pertencem à operadora ou possuem acordo de roaming com a mesma, realizando esse processo de forma automatizada, sem a intervenção do usuário, que deverá dar um novo impulso ao 3G offload via redes WLAN. Hotspot 2.0: É uma força-tarefa liderada pela empresa Cisco e que reúne algumas das melhores práticas e protocolos abertos mencionados anteriormente, em uma solução para melhorar ainda mais a experiência do usuário de Smartphones com redes WiFi para desafogar tráfego de redes 3G. A certificação de produtos pelo WiFi Alliance para Hotspot 2.0 é esperado para o primeiro semestre de 2012. O Hotspot 2.0 reúne o protocolo 802.11u, a segurança WPA2-Enterprise que utiliza criptografia segura para os tráfegos em redes WiFi e autenticação EAP (EAP-SIM, EAP-AKA (USIM-3G), EAP-TLS e EAP-FAST). Além da evolução nos processos de identificação automática de rede que permite roaming da operadora celular, da melhor segurança com uso de criptografia confiável e de métodos de autenticação que realmente integram com os mesmos sistemas de autenticação já utilizados pelas redes celulares (EAP-SIM/EAP-AKA), o Hot-spot 2.0 ainda introduz funcionalidades que permitem novos serviços e aumento de receitas por parte da operadora, com o protocolo MSAP – Mobility Services Advertisement Protocol. Este protocolo é transportado via o GAS do 802.11u e é utilizado para descobrir e habilitar usuários a serviços locais. Por exemplo, em um estádio de futebol, os usuários associados e autenticados a um Access Point do estádio, terão temporariamente um ícone instalado no menu ou tela do terminal com link para um portal de informações sobre o clube de futebol, sobre o jogo, com replay de lances, informações de localização no estádio, propaganda, promoções de produtos com a marca do clube, etc.
  • 6. Redes 3G: Considerações finais Para um usuário leigo, se o celular está cursando tráfego de dados pela rede 3G ou pela rede WiFi é indiferente. Já para um usuário familiarizado com a tecnologia, em geral tenderá a utilizar dados via redes WiFi, quando disponível, principalmente se o custo for zero ou próximo desse valor. Assim, o importante é que o terminal esteja conectado seja rede 3G ou WiFi, ao menor custo, de forma simples para o usuário. A Femto-célula é uma forma de melhorar a cobertura de redes celulares onde a penetração do serviço tende a ser mais deficitária, principalmente nas áreas urbanas e onde o usuário mais tempo utiliza o aparelho celular. Em sua residência ou na empresa onde trabalha. Dada a utilização de redes WLAN em praticamente todos os lugares, sejam hotspots de franquias, shopping- centers, empresas e praticamente qualquer lugar, é uma tecnologia que as operadoras celulares devem prestar atenção. As recentes melhorias e avanços de protocolos tais como o WISPr 2.0, o 802.11u e o mais recente Hotspot 2.0 tornam a experiência do usuário simples, a seleção do serviço WLAN automática, segura e confiável, o que deve alavancar a sinergia entre WLAN e 3G/LTE. As operadoras que durante anos não deram a devida atenção para o WLAN devem começar já a investir nesta tecnologia, seja com rede própria ou roaming com WISPs e Hotspots privados, de forma a estar preparada para quando os Smartphones suportarem 802.11u e Hotspot 2.0, o que deve ocorrer a partir do início de 2012. Assim, as operadoras celulares podem decidir utilizar todas as tecnologias a seu alcance para melhorar a experiência do usuário, seja dentro de sua casa com Femto-células, seja em um estádio de futebol com o WiFi, por exemplo. Referências SVERZUT, J. U. Redes GSM, GPRS, EDGE e UMTS - Evolução a Caminho da Quarta Geração (4G) . Editora Érica, 3a Edição Revisada e Atualizada. COLEMAN, D. D.; WESTCOTT, D. A.CWNA – Certified Wireless Network Administrator – Official Study Guide. SYBEX, 2009. http://www.gsm.org/documents/fcg0310.pdf Acessado em 19/08/2011 às 21:10hs http://www.cisco.com/en/US/solutions/collateral/ns341/ns524/ns673/white_paper_c11-649337.pdf http://www.wballiance.net/component/files/request.html?files=774c7e5c8c4dba1a00e22dad02c429543b5 debc2 Acessado em 20/08/2011 às 20:06hs
  • 7. http://www.youtube.com/watch?v=f1C-3W4duck Acessado em 20/08/2011 às 20:51hs Diversos Tutoriais disponíveis no site Teleco: http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhsdpad/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhsdpacb/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhspaplus/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialhspamais/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutoriallte/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialtrafdados/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 21:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialwcdma3g/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 21:15hs http://www.femtoforum.org/fem2/about-femtocells.php Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialredeswlanII/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialwlan/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialwmn/Default.asp Acessado em 16/06/2011 às 22:00hs