SlideShare uma empresa Scribd logo
A Importância das Redes de Comunicação no Mundo  Grupo 9 :  Adriana Souza - 209000618 Giulliana Mendes - 20900438 Paulo Augusto - 20900488 Rosângela Almeida – 20900566 Thiago de Mota - 20900552
As Redes de Comunicação -Evolução
A  EVOLUÇÃO DA REVOLUÇÃO SAMUEL MORSE; INVENÇÃO DO TELÉGRAFO (1838);  SURGE A COMUNICAÇÃO MODERNA; SEC. XIX – INDUSTRIA DE TELECOMUNICAÇÕES;
1960 – INTRODUÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS 1960 – TELEX 1980 – FAX
SECULO XX – 1950  MAINFRAMES ERA DOS COMPUTADORES
Trabalhos Relacionados Informaticity, Digital Convergence &  new e|m-* Applications  -  Rogério P. C. do Nascimento. Redes de Computadores   -   Profº. Paulo R. V. Sarmento.
Conceitos e Tecnologias  CONCEITO DE REDES É um Conjunto de computadores interligados compartilhando, softwares, arquivos e periféricos. MEIOS DE TRANSMISSÃO Dispositivos que possibilitam a transferência de dados de um computador para outro, como cabo par trançado, coaxial, fibra óptica, wireless, etc.
Meios de transmissão Cabo par trançado Coaxial  Fibra óptica  Wireless
Coaxial -  Ligações de áudio;  - Ligações de rede de computadores; - Ligações de sinais freqüência de rádio e TV - (Transmissores/receptores); - A velocidade máxima de transmissão é de 10 Mbps; - Foi utilizado até meados dos anos 90; - Ainda é usado em telecomunicações;
Cabo par trançado Sistema originalmente produzido para transmissão telefônica analógica; A partir da década de 1990 passou a substituir os cabos coaxiais; As principais vantagens de uso do cabo par trançado são: uma maior taxa de transferência de arquivos, baixo custo do cabo e baixo custo de manutenção de rede. São 3 (três) os tipos de cabos de par trançado.
Par trançado sem blindagem - UTP É o mais usado atualmente. Fácil manuseio, instalação, permitindo taxas de transmissão de até 100 Mbps com a utilização do cabo CAT 5e; é o mais barato para distâncias de até 100 metros. Pela falta de blindagem este tipo de cabo não é recomendado ser instalado próximo a equipamentos que possam gerar campos magnéticos (fios de rede elétrica, motores, inversores de frequência) e também não podem ficar em ambientes com umidade.
Par trançado blindado - STP É recomendado para ambientes com interferência eletromagnética acentuada. Por causa de sua blindagem. Possui um custo mais elevado.
Screened Twisted Pair - ScTP também referenciado como FTP (Foil Twisted Pair), Os cabos são cobertos pelo mesmo composto do UTP. Uma película de metal é enrolada sobre cada par trançado, melhorando a resposta ao EMI, embora exija maiores cuidados quanto ao aterramento para garantir eficácia frente às interferências.
Fibra óptica Monomodo  Multimodo Permite o uso de apenas um sinal de luz pela fibra. Dimensões menores que os outros tipos de fibras. Maior banda passante por ter menor dispersão. Geralmente é usado laser como fonte de geração de sinal. Permite o uso de fontes luminosas de baixa ocorrência tais como LEDs (mais baratas). Diâmetros grandes facilitam o acoplamento de fontes luminosas e requerem pouca precisão nos conectores. Muito usado para curtas distâncias pelo preço e facilidade de implementação pois a longa distância tem muita perda.
Fibra óptica VANTAGENS DESVANTAGENS Dimensões Reduzidas Capacidade para transportar grandes quantidades de informação ( Dezenas de milhares de conversações num par de Fibra); Atenuação muito baixa, que permite grandes espaçamentos entre repetidores, com distância entre repetidores superiores a algumas centenas de quilômetros. Imunidade às interferências eletromagnéticas; Matéria-prima muito abundante; Custo ainda elevado de compra e manutenção; Fragilidade das fibras ópticas sem encapsulamento; Dificuldade de conexões das fibras ópticas; Acopladores tipo T com perdas muito grandes; Impossibilidade de alimentação remota de repetidores; Falta de padronização dos componentes ópticos.
Wireless Refere-se a sistemas de informação integrados em um ambiente de trabalho via ligações sem fio, utilizando tecnologias como radio freqüência (RF), infravermelho, microondas ou laser. Cada vez mais banais; Ausência de fios; O formato mais generalizado para as redes sem fios atuais é o 802.11b. Especifica uma interface de comunicações sem fios entre um cliente e uma estação base ou entre dois clientes; Opera na freqüência de 2,4Ghz e suporta transmissões de até 11Mbps;
Redes LAN, MAN e WAN As redes de computadores podem ser do tipo LAN (Local Area Network), MAN (Metropolitan Area Network) ou WAN (Wide Area Network).
Rede LAN Uma  LAN (Local Area Network) caracteriza-se por ocupar uma área limitada, no máximo um edifício, ou alguns edifícios próximos, muitas  vezes limitam-se a apenas um piso de um edifício, um conjunto de salas, ou até uma única sala. São redes de débito médio ou alto (desde 10 Mbps até 1 Gbps, sendo atualmente o valor de 100 Mbps o mais comum).
Rede MAN MAN (Metropolitan Area Network), é o nome dado às redes que ocupam o perímetro de uma cidade. São mais rápidas e permitem que empresas com filiais em bairros diferentes se conectem entre si.
Rede WAN A rede de área alargada  WAN(Wide Area Network) têm a dimensão correspondente a países, continentes ou vários continentes. São na realidade constituídas por múltiplas redes interligadas, por exemplo LANs e MANs. O exemplo mais divulgado é a "internet". Dada a sua dimensão e uma vez que englobam LANs e WANs, as tecnologias usadas para a transmissão dos dados são as mais diversas, contudo para que as trocas de informação se processem é necessário um elo comum assente sobre essa tecnologia heterogênea.
HUB Recebe dados vindos de um computador e os transmite às outras máquinas. Tem a função de interligar os componentes de uma rede local. HUB com 4 portas USB HUB com 7 entradas USB
Switch Os switchs criam uma espécie de canal  de comunicação exclusiva entre a origem  e o destino. Dessa forma, a rede não fica  "presa" a um único computador no envio  de informações.  O hub está cada vez mais em desuso. Isso porque existe um dispositivo chamado "hub switch" que possui preço parecido com o de um hub convencional. HUB Switch com 8 portas. Switch parecido com fones de ouvido.
O roteador (ou router) é um equipamento utilizado em redes de maior porte. Tem a capacidade de escolher a melhor rota que um determinado pacote de dados deve seguir para chegar em seu destino.  Os roteadores são capazes de interligar várias redes e geralmente trabalham em conjunto com hubs e switchs. Ainda, podem ser dotados de recursos extras, como firewall, por exemplo.  Roteadores Wireless. Roteador + Switch Switch
MODEM É utilizado para transferir informações entre vários computadores via um suporte de transmissão telegráfico (linhas telefónicas, por exemplo). É o aparelho sem fio que recebe e decodifica o sinal digital de alta velocidade transmitido pelas operadoras para aparelhos portáteis (celulares, smartphones e notebooks) compatíveis com a tecnologia 3G. MODEM 3G MINI   MODEM 3G PLACAS DE MODEM Internet banda larga 3G, TV digital e pendrive.
Exemplo de uma rede com os componentes conectados.
Redes de Sensores Sem Fio ( RSSF ) é uma sub-classe das  redes ad hoc . É uma rede de sensores com o objetivo de monitorar algum fenômeno. Tecnologias
Aplicação Das RSSF Militar  - funções de monitoramento, rastreamento, segurança, controle e manutenção; Industrial  - funções de monitoramento, particularmente em áreas de difícil acesso; Aviação  - substituindo as redes com fio, como já são usadas hoje; Ambiente  - monitorando variáveis ambientais em prédios, florestas oceanos, etc; Tráfego  - monitoramento de vias, estacionamentos, etc; Engenharia  - monitoramento (e modelagem) de estruturas. Redes de Sensores Sem Fio
Características Das Redes Sensoriais Sensor:  é quem faz a monitoração do fenômeno que esta sendo analisado. Observador:  é o usuário final que deseja estudar e obter respostas sobre o fenômeno.  Fenômeno:  é o objeto de estudo do observador, é o que esta sendo monitorado pela rede sensorial. Redes de Sensores Sem Fio
Broadband over Power Lines   ou   Power Line Communications  - Consiste em transmitir dados e voz em banda larga pela  rede de energia elétrica .  A internet sob rede elétrica é o encaminhamento do respectivo sinal no mesmo fio da energia elétrica, cada um na sua frequência. BPL  ou  PLC
BPL  ou  PLC   Vantagens: Utiliza uma  infra-estrutura já disponível “ Ponto de energia“ é  um potencial  ponto rede  S uporta  altas taxas de transmissão , podendo chegar até aos 200Mbps em várias frequências entre 1,7MHz e 30MHz.
Desvantagens: Qualquer "ponto de energia" pode se tornar um ponto de  interferência  (rádio, telefones sem fio, alguns tipos de interfone e, dependendo da situação, até televisores, podem sofrer interferência). Mídia compartilhada e estruturada de modo paralelo o  desempenho  da ligação pode variar de acordo com o número de pessoas que estiverem navegando ou baixando arquivos simultaneamente.  BPL  ou  PLC
Vantagens Compartilhamento de arquivos de trabalho; Compartilhamento de programas; Compartilhamento de periféricos;  Compartilhamento de acesso  à internet.   Exemplo de uma rede com os componentes conectados.
Desvantagens Ataque de vírus; Problemas generalizados; Invasão de hackers internos e externos; Falta de privacidade dos dados e de segurança ; Falta de ética .
Trabalhos futuros
O que é RFID ? Identificação por rádio frequência; Universidade de Massachusetts Nova tecnologia em coleta automática de dados; Revolucionário no setor de logística; Consegue localizar em tempo real estoque e mercadoria; Componentes RFID iPhone  leitor Rfid Etiquetas Rfid Leitores Leitor de painel Etiquetas inteligentes Computador portátil que utiliza radio frequência
Esquemática do Sistema Básico de RFID Como funciona?
Características Resistência Mecânica – Alta Formatos – Variados Exige Contato Visual – Não Vida Útil – Alta Possibilidade de Escrita –Sim Leitura Simultânea – Sim Dados Armazenados – Alta Funções Adicionais – Sim Segurança – Alta Custo Inicial – Alto Custo de Manutenção – Baixo Reutilização – Sim O equipamento pode ler através de diversos materiais como papel, cimento, plástico, madeira, vidro, etc. 
Sistema de entrada de chave
Sistema de pesagem
Transponder em seres humanos - verichip
Leitores RFID - ‘’Velha’’ tecnologia Módulo de leitura Antena
Novas aplicações RFID Etiqueta inteligente Leitor RFID Servidor RFID - Components - Máquina etiquetadora inteligente Gestão de demanda, faturamento, contabilidade, marketing direto, etc. LEITE
Bagagens em aeroportos
Identificação animal
RFID antenna $ RFID uso nas lojas new applications
A RFID deverá num futuro próximo, atuar paralelamente ao código de barras ou até mesmo substituí-lo, em situações que permitam e justifiquem sua aplicação. As RFID’s serão capazes de: reduzir o desperdício, manter os níveis conservados em estoque ao mínimo permitirão que alguns varejistas obtenham preços mais baixos, eliminando o custo em todos os níveis.
Setor primário da empresa Setor secundário da empresa Leitor RFID de saída Leitor RFID de entrada RFID no setor primário e secundário new applications Etiqueta RFID
Outras aplicações RFID new applications
Aspectos positivos Aumento de produtividade; Diminuição nos custos de trabalho;  Armazena grandes quantidades de dados; Melhorias no gerenciamento de estoques; Aspectos negativos Registra clientes e produtos, o que implica em invasão de privacidade; Custos de implementação hoje; 78% das pessoas estão preocupadas com o uso do RFID; Por que (não) usar RFID? Pois…  new applications

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução rede- I unidade
Introdução rede- I unidadeIntrodução rede- I unidade
Introdução rede- I unidade
João Freire Abramowicz
 
Redes sem fios power point
Redes sem fios power pointRedes sem fios power point
Redes sem fios power point
André bogas
 
Curso de redes sem fio
Curso de redes sem fioCurso de redes sem fio
Curso de redes sem fio
Cristiano Cristiano
 
As redes sem fio apresentam as seguintes vantagens
As redes sem fio apresentam as seguintes vantagensAs redes sem fio apresentam as seguintes vantagens
As redes sem fio apresentam as seguintes vantagens
Abraao Oliveira
 
Tecnologia%20 Wireless
Tecnologia%20 WirelessTecnologia%20 Wireless
Tecnologia%20 Wireless
maureen3008
 
Redes wlan
Redes wlanRedes wlan
Redes wlan
Gilson Martins
 
Tcvb2 marco gomes_wireless
Tcvb2 marco gomes_wirelessTcvb2 marco gomes_wireless
Tcvb2 marco gomes_wireless
Marco Gomes
 
Rede de computadores
Rede de computadoresRede de computadores
Rede de computadores
Francisco Marques
 
Introdução a rede sem fio
Introdução a rede sem fioIntrodução a rede sem fio
Introdução a rede sem fio
Jairo Sousa
 
Aula 2: Fundamentos e canais de redes sem fio
Aula 2: Fundamentos e canais de redes sem fioAula 2: Fundamentos e canais de redes sem fio
Aula 2: Fundamentos e canais de redes sem fio
camila_seixas
 
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fioAula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
camila_seixas
 
Aula 1 - Redes sem fios - Introdução
Aula 1 - Redes sem fios - IntroduçãoAula 1 - Redes sem fios - Introdução
Aula 1 - Redes sem fios - Introdução
Andre Peres
 
Introdução de redes sem fio
Introdução de redes sem fioIntrodução de redes sem fio
Introdução de redes sem fio
Tiago
 
Redes comunicação
Redes comunicaçãoRedes comunicação
Redes comunicação
Cristina Castro
 
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fioaula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
Marco Guimarães
 
Aula1 tipos de redes
Aula1 tipos de redesAula1 tipos de redes
Aula1 tipos de redes
Creonilton Amaral
 
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Ricardo Pinheiro
 
Interferencias Redes Sem Fio
Interferencias Redes Sem FioInterferencias Redes Sem Fio
Interferencias Redes Sem Fio
Fabricio Figueiredo Leao
 
Redes Sem Fios
Redes Sem FiosRedes Sem Fios
Redes Sem Fios
scb.carlos
 
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e TelecomunicaçõesAulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Jocelma Rios
 

Mais procurados (20)

Introdução rede- I unidade
Introdução rede- I unidadeIntrodução rede- I unidade
Introdução rede- I unidade
 
Redes sem fios power point
Redes sem fios power pointRedes sem fios power point
Redes sem fios power point
 
Curso de redes sem fio
Curso de redes sem fioCurso de redes sem fio
Curso de redes sem fio
 
As redes sem fio apresentam as seguintes vantagens
As redes sem fio apresentam as seguintes vantagensAs redes sem fio apresentam as seguintes vantagens
As redes sem fio apresentam as seguintes vantagens
 
Tecnologia%20 Wireless
Tecnologia%20 WirelessTecnologia%20 Wireless
Tecnologia%20 Wireless
 
Redes wlan
Redes wlanRedes wlan
Redes wlan
 
Tcvb2 marco gomes_wireless
Tcvb2 marco gomes_wirelessTcvb2 marco gomes_wireless
Tcvb2 marco gomes_wireless
 
Rede de computadores
Rede de computadoresRede de computadores
Rede de computadores
 
Introdução a rede sem fio
Introdução a rede sem fioIntrodução a rede sem fio
Introdução a rede sem fio
 
Aula 2: Fundamentos e canais de redes sem fio
Aula 2: Fundamentos e canais de redes sem fioAula 2: Fundamentos e canais de redes sem fio
Aula 2: Fundamentos e canais de redes sem fio
 
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fioAula 1: Conceitos de redes sem fio
Aula 1: Conceitos de redes sem fio
 
Aula 1 - Redes sem fios - Introdução
Aula 1 - Redes sem fios - IntroduçãoAula 1 - Redes sem fios - Introdução
Aula 1 - Redes sem fios - Introdução
 
Introdução de redes sem fio
Introdução de redes sem fioIntrodução de redes sem fio
Introdução de redes sem fio
 
Redes comunicação
Redes comunicaçãoRedes comunicação
Redes comunicação
 
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fioaula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
aula6-equipamentos-de-redes-redes-sem-fio
 
Aula1 tipos de redes
Aula1 tipos de redesAula1 tipos de redes
Aula1 tipos de redes
 
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
Fundamentos de Redes de Computadores parte 1
 
Interferencias Redes Sem Fio
Interferencias Redes Sem FioInterferencias Redes Sem Fio
Interferencias Redes Sem Fio
 
Redes Sem Fios
Redes Sem FiosRedes Sem Fios
Redes Sem Fios
 
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e TelecomunicaçõesAulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
Aulas 6 e 7 - Redes e Telecomunicações
 

Semelhante a Trabalho final de ipd

Trabalho final de ipd
Trabalho final de ipdTrabalho final de ipd
Trabalho final de ipd
Giulliana Marialva
 
Wi Fi
Wi FiWi Fi
9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx
9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx
9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx
BrancaSilva9
 
Aula TI 1 - Infra-estrutura e redes
Aula TI 1 - Infra-estrutura e redesAula TI 1 - Infra-estrutura e redes
Aula TI 1 - Infra-estrutura e redes
sionara14
 
Tecnologia wireless
Tecnologia wirelessTecnologia wireless
Tecnologia wireless
mcgsilva
 
Apresentação redes computacionais
Apresentação redes computacionaisApresentação redes computacionais
Apresentação redes computacionais
kylsonestellfran
 
trabalhos de grupo
trabalhos de grupotrabalhos de grupo
trabalhos de grupo
francisco quiss
 
Icc -redes_de_computadores_-_francisco_2
Icc  -redes_de_computadores_-_francisco_2Icc  -redes_de_computadores_-_francisco_2
Icc -redes_de_computadores_-_francisco_2
Francisco Sousa
 
Aula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadoresAula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadores
LucasMansueto
 
AULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdf
AULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdfAULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdf
AULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdf
rosenildolopes
 
Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10
JessicaDuarteAgostinho
 
Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10
JecaBarros
 
Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10
JecaBarros
 
Redes
RedesRedes
Redes
Nuno Sousa
 
Trabalho wireless
Trabalho wirelessTrabalho wireless
Trabalho wireless
jettaboris
 
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Leonardo Bruno
 
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos AutomatizadosTecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
EVM33
 
Wireless
WirelessWireless
Wireless
bolinhas69
 
Teleprocessamento de redes
Teleprocessamento de redesTeleprocessamento de redes
Teleprocessamento de redes
EltonGouvea
 
Comunicações ópticas
Comunicações ópticasComunicações ópticas
Comunicações ópticas
Heitor Galvão
 

Semelhante a Trabalho final de ipd (20)

Trabalho final de ipd
Trabalho final de ipdTrabalho final de ipd
Trabalho final de ipd
 
Wi Fi
Wi FiWi Fi
Wi Fi
 
9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx
9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx
9948 – Redes e protocolos multimédia.pptx
 
Aula TI 1 - Infra-estrutura e redes
Aula TI 1 - Infra-estrutura e redesAula TI 1 - Infra-estrutura e redes
Aula TI 1 - Infra-estrutura e redes
 
Tecnologia wireless
Tecnologia wirelessTecnologia wireless
Tecnologia wireless
 
Apresentação redes computacionais
Apresentação redes computacionaisApresentação redes computacionais
Apresentação redes computacionais
 
trabalhos de grupo
trabalhos de grupotrabalhos de grupo
trabalhos de grupo
 
Icc -redes_de_computadores_-_francisco_2
Icc  -redes_de_computadores_-_francisco_2Icc  -redes_de_computadores_-_francisco_2
Icc -redes_de_computadores_-_francisco_2
 
Aula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadoresAula 5 - Redes de computadores
Aula 5 - Redes de computadores
 
AULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdf
AULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdfAULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdf
AULA DE REDES - 1.2-Cabeamento.pdf
 
Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10
 
Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10
 
Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10Ficha de trabalho_10
Ficha de trabalho_10
 
Redes
RedesRedes
Redes
 
Trabalho wireless
Trabalho wirelessTrabalho wireless
Trabalho wireless
 
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redes
 
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos AutomatizadosTecnologia Wireless Em Processos Automatizados
Tecnologia Wireless Em Processos Automatizados
 
Wireless
WirelessWireless
Wireless
 
Teleprocessamento de redes
Teleprocessamento de redesTeleprocessamento de redes
Teleprocessamento de redes
 
Comunicações ópticas
Comunicações ópticasComunicações ópticas
Comunicações ópticas
 

Trabalho final de ipd

  • 1. A Importância das Redes de Comunicação no Mundo Grupo 9 : Adriana Souza - 209000618 Giulliana Mendes - 20900438 Paulo Augusto - 20900488 Rosângela Almeida – 20900566 Thiago de Mota - 20900552
  • 2. As Redes de Comunicação -Evolução
  • 3. A EVOLUÇÃO DA REVOLUÇÃO SAMUEL MORSE; INVENÇÃO DO TELÉGRAFO (1838); SURGE A COMUNICAÇÃO MODERNA; SEC. XIX – INDUSTRIA DE TELECOMUNICAÇÕES;
  • 4. 1960 – INTRODUÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS 1960 – TELEX 1980 – FAX
  • 5. SECULO XX – 1950 MAINFRAMES ERA DOS COMPUTADORES
  • 6. Trabalhos Relacionados Informaticity, Digital Convergence & new e|m-* Applications - Rogério P. C. do Nascimento. Redes de Computadores - Profº. Paulo R. V. Sarmento.
  • 7. Conceitos e Tecnologias CONCEITO DE REDES É um Conjunto de computadores interligados compartilhando, softwares, arquivos e periféricos. MEIOS DE TRANSMISSÃO Dispositivos que possibilitam a transferência de dados de um computador para outro, como cabo par trançado, coaxial, fibra óptica, wireless, etc.
  • 8. Meios de transmissão Cabo par trançado Coaxial Fibra óptica Wireless
  • 9. Coaxial - Ligações de áudio; - Ligações de rede de computadores; - Ligações de sinais freqüência de rádio e TV - (Transmissores/receptores); - A velocidade máxima de transmissão é de 10 Mbps; - Foi utilizado até meados dos anos 90; - Ainda é usado em telecomunicações;
  • 10. Cabo par trançado Sistema originalmente produzido para transmissão telefônica analógica; A partir da década de 1990 passou a substituir os cabos coaxiais; As principais vantagens de uso do cabo par trançado são: uma maior taxa de transferência de arquivos, baixo custo do cabo e baixo custo de manutenção de rede. São 3 (três) os tipos de cabos de par trançado.
  • 11. Par trançado sem blindagem - UTP É o mais usado atualmente. Fácil manuseio, instalação, permitindo taxas de transmissão de até 100 Mbps com a utilização do cabo CAT 5e; é o mais barato para distâncias de até 100 metros. Pela falta de blindagem este tipo de cabo não é recomendado ser instalado próximo a equipamentos que possam gerar campos magnéticos (fios de rede elétrica, motores, inversores de frequência) e também não podem ficar em ambientes com umidade.
  • 12. Par trançado blindado - STP É recomendado para ambientes com interferência eletromagnética acentuada. Por causa de sua blindagem. Possui um custo mais elevado.
  • 13. Screened Twisted Pair - ScTP também referenciado como FTP (Foil Twisted Pair), Os cabos são cobertos pelo mesmo composto do UTP. Uma película de metal é enrolada sobre cada par trançado, melhorando a resposta ao EMI, embora exija maiores cuidados quanto ao aterramento para garantir eficácia frente às interferências.
  • 14. Fibra óptica Monomodo Multimodo Permite o uso de apenas um sinal de luz pela fibra. Dimensões menores que os outros tipos de fibras. Maior banda passante por ter menor dispersão. Geralmente é usado laser como fonte de geração de sinal. Permite o uso de fontes luminosas de baixa ocorrência tais como LEDs (mais baratas). Diâmetros grandes facilitam o acoplamento de fontes luminosas e requerem pouca precisão nos conectores. Muito usado para curtas distâncias pelo preço e facilidade de implementação pois a longa distância tem muita perda.
  • 15. Fibra óptica VANTAGENS DESVANTAGENS Dimensões Reduzidas Capacidade para transportar grandes quantidades de informação ( Dezenas de milhares de conversações num par de Fibra); Atenuação muito baixa, que permite grandes espaçamentos entre repetidores, com distância entre repetidores superiores a algumas centenas de quilômetros. Imunidade às interferências eletromagnéticas; Matéria-prima muito abundante; Custo ainda elevado de compra e manutenção; Fragilidade das fibras ópticas sem encapsulamento; Dificuldade de conexões das fibras ópticas; Acopladores tipo T com perdas muito grandes; Impossibilidade de alimentação remota de repetidores; Falta de padronização dos componentes ópticos.
  • 16. Wireless Refere-se a sistemas de informação integrados em um ambiente de trabalho via ligações sem fio, utilizando tecnologias como radio freqüência (RF), infravermelho, microondas ou laser. Cada vez mais banais; Ausência de fios; O formato mais generalizado para as redes sem fios atuais é o 802.11b. Especifica uma interface de comunicações sem fios entre um cliente e uma estação base ou entre dois clientes; Opera na freqüência de 2,4Ghz e suporta transmissões de até 11Mbps;
  • 17. Redes LAN, MAN e WAN As redes de computadores podem ser do tipo LAN (Local Area Network), MAN (Metropolitan Area Network) ou WAN (Wide Area Network).
  • 18. Rede LAN Uma LAN (Local Area Network) caracteriza-se por ocupar uma área limitada, no máximo um edifício, ou alguns edifícios próximos, muitas vezes limitam-se a apenas um piso de um edifício, um conjunto de salas, ou até uma única sala. São redes de débito médio ou alto (desde 10 Mbps até 1 Gbps, sendo atualmente o valor de 100 Mbps o mais comum).
  • 19. Rede MAN MAN (Metropolitan Area Network), é o nome dado às redes que ocupam o perímetro de uma cidade. São mais rápidas e permitem que empresas com filiais em bairros diferentes se conectem entre si.
  • 20. Rede WAN A rede de área alargada WAN(Wide Area Network) têm a dimensão correspondente a países, continentes ou vários continentes. São na realidade constituídas por múltiplas redes interligadas, por exemplo LANs e MANs. O exemplo mais divulgado é a "internet". Dada a sua dimensão e uma vez que englobam LANs e WANs, as tecnologias usadas para a transmissão dos dados são as mais diversas, contudo para que as trocas de informação se processem é necessário um elo comum assente sobre essa tecnologia heterogênea.
  • 21. HUB Recebe dados vindos de um computador e os transmite às outras máquinas. Tem a função de interligar os componentes de uma rede local. HUB com 4 portas USB HUB com 7 entradas USB
  • 22. Switch Os switchs criam uma espécie de canal de comunicação exclusiva entre a origem e o destino. Dessa forma, a rede não fica "presa" a um único computador no envio de informações. O hub está cada vez mais em desuso. Isso porque existe um dispositivo chamado "hub switch" que possui preço parecido com o de um hub convencional. HUB Switch com 8 portas. Switch parecido com fones de ouvido.
  • 23. O roteador (ou router) é um equipamento utilizado em redes de maior porte. Tem a capacidade de escolher a melhor rota que um determinado pacote de dados deve seguir para chegar em seu destino. Os roteadores são capazes de interligar várias redes e geralmente trabalham em conjunto com hubs e switchs. Ainda, podem ser dotados de recursos extras, como firewall, por exemplo. Roteadores Wireless. Roteador + Switch Switch
  • 24. MODEM É utilizado para transferir informações entre vários computadores via um suporte de transmissão telegráfico (linhas telefónicas, por exemplo). É o aparelho sem fio que recebe e decodifica o sinal digital de alta velocidade transmitido pelas operadoras para aparelhos portáteis (celulares, smartphones e notebooks) compatíveis com a tecnologia 3G. MODEM 3G MINI MODEM 3G PLACAS DE MODEM Internet banda larga 3G, TV digital e pendrive.
  • 25. Exemplo de uma rede com os componentes conectados.
  • 26. Redes de Sensores Sem Fio ( RSSF ) é uma sub-classe das redes ad hoc . É uma rede de sensores com o objetivo de monitorar algum fenômeno. Tecnologias
  • 27. Aplicação Das RSSF Militar - funções de monitoramento, rastreamento, segurança, controle e manutenção; Industrial - funções de monitoramento, particularmente em áreas de difícil acesso; Aviação - substituindo as redes com fio, como já são usadas hoje; Ambiente - monitorando variáveis ambientais em prédios, florestas oceanos, etc; Tráfego - monitoramento de vias, estacionamentos, etc; Engenharia - monitoramento (e modelagem) de estruturas. Redes de Sensores Sem Fio
  • 28. Características Das Redes Sensoriais Sensor: é quem faz a monitoração do fenômeno que esta sendo analisado. Observador: é o usuário final que deseja estudar e obter respostas sobre o fenômeno. Fenômeno: é o objeto de estudo do observador, é o que esta sendo monitorado pela rede sensorial. Redes de Sensores Sem Fio
  • 29. Broadband over Power Lines ou Power Line Communications - Consiste em transmitir dados e voz em banda larga pela rede de energia elétrica . A internet sob rede elétrica é o encaminhamento do respectivo sinal no mesmo fio da energia elétrica, cada um na sua frequência. BPL ou PLC
  • 30. BPL ou PLC Vantagens: Utiliza uma infra-estrutura já disponível “ Ponto de energia“ é um potencial ponto rede S uporta altas taxas de transmissão , podendo chegar até aos 200Mbps em várias frequências entre 1,7MHz e 30MHz.
  • 31. Desvantagens: Qualquer "ponto de energia" pode se tornar um ponto de interferência (rádio, telefones sem fio, alguns tipos de interfone e, dependendo da situação, até televisores, podem sofrer interferência). Mídia compartilhada e estruturada de modo paralelo o desempenho da ligação pode variar de acordo com o número de pessoas que estiverem navegando ou baixando arquivos simultaneamente. BPL ou PLC
  • 32. Vantagens Compartilhamento de arquivos de trabalho; Compartilhamento de programas; Compartilhamento de periféricos; Compartilhamento de acesso à internet. Exemplo de uma rede com os componentes conectados.
  • 33. Desvantagens Ataque de vírus; Problemas generalizados; Invasão de hackers internos e externos; Falta de privacidade dos dados e de segurança ; Falta de ética .
  • 35. O que é RFID ? Identificação por rádio frequência; Universidade de Massachusetts Nova tecnologia em coleta automática de dados; Revolucionário no setor de logística; Consegue localizar em tempo real estoque e mercadoria; Componentes RFID iPhone leitor Rfid Etiquetas Rfid Leitores Leitor de painel Etiquetas inteligentes Computador portátil que utiliza radio frequência
  • 36. Esquemática do Sistema Básico de RFID Como funciona?
  • 37. Características Resistência Mecânica – Alta Formatos – Variados Exige Contato Visual – Não Vida Útil – Alta Possibilidade de Escrita –Sim Leitura Simultânea – Sim Dados Armazenados – Alta Funções Adicionais – Sim Segurança – Alta Custo Inicial – Alto Custo de Manutenção – Baixo Reutilização – Sim O equipamento pode ler através de diversos materiais como papel, cimento, plástico, madeira, vidro, etc. 
  • 38. Sistema de entrada de chave
  • 40. Transponder em seres humanos - verichip
  • 41. Leitores RFID - ‘’Velha’’ tecnologia Módulo de leitura Antena
  • 42. Novas aplicações RFID Etiqueta inteligente Leitor RFID Servidor RFID - Components - Máquina etiquetadora inteligente Gestão de demanda, faturamento, contabilidade, marketing direto, etc. LEITE
  • 45. RFID antenna $ RFID uso nas lojas new applications
  • 46. A RFID deverá num futuro próximo, atuar paralelamente ao código de barras ou até mesmo substituí-lo, em situações que permitam e justifiquem sua aplicação. As RFID’s serão capazes de: reduzir o desperdício, manter os níveis conservados em estoque ao mínimo permitirão que alguns varejistas obtenham preços mais baixos, eliminando o custo em todos os níveis.
  • 47. Setor primário da empresa Setor secundário da empresa Leitor RFID de saída Leitor RFID de entrada RFID no setor primário e secundário new applications Etiqueta RFID
  • 48. Outras aplicações RFID new applications
  • 49. Aspectos positivos Aumento de produtividade; Diminuição nos custos de trabalho; Armazena grandes quantidades de dados; Melhorias no gerenciamento de estoques; Aspectos negativos Registra clientes e produtos, o que implica em invasão de privacidade; Custos de implementação hoje; 78% das pessoas estão preocupadas com o uso do RFID; Por que (não) usar RFID? Pois… new applications