SlideShare uma empresa Scribd logo
Page 1 of 3
Parte I
(10 pontos- 1 ponto/alternativa certa)
Escolhas múltiplas: Copie para a tua folha de execícios a alternativa correcta!
1. O pescado consumido como alimento pela humanidade provém de extração (pesca) e de
criação (aquacultura). Indique os percentuais aproximados relativos ao volume produzido
por cada uma destas vias em 2010:
a. 25% pesca e 75% aquacultura.
b. 70% pesca e 30% aquacultura.
c. 47% pesca e 53% aquacultura.
d. 95% pesca e 5% aquacultura.
e. 15% pesca e 85% aquacultura.
2. Com base nas estatísticas da produção aquícola moçambicana divulgadas pelo Ministério
Das Pescas, a produção total de peixes da aquacultura em 2009 foi de aproximadamente:
a. 65 toneladas.
b. 165 toneladas.
c. 265 toneladas.
d. 365 toneladas.
e. 1.650 toneladas.
3. Porquê a indústria da aquacultura esta em expansão nos últimos tempos?
a. Pelos seus baixos custos.
b. Pela sua simplicidade.
c. Por causa da sobrepesca.
d. Nenhuma das outras alternativas está correcta.
e. Só as alternativas a), b) e c) estão correctas.
4. Das características abaixo, qual é levada em consideração antes da escolha dos organísmos
aquáticos a serem produzidos?
a. O tamanho do organismo.
b. O habito reprodutivo do organismo.
c. O tempo de vida do organismo.
d. Nenhuma das outras alternativas está correcta.
e. Só as alternativas a), b) e c) estão correctas.
5. Os oceanos abrigam uma grande biodiversidade, desde minúsculas bactérias e algas, até
grandes mamíferos. De modo geral, podemos separar os seres marinhos em planctônicos,
nectônicos e bentônicos de acordo com seu modo de vida. Diante disto é CORRETO afirmar
que:
a. Os planctônicos vivem junto ao fundo dos oceanos, como estrelas-do-mar, esponjas,
caranguejos, etc…
b. Os bentônicos constituem seres, geralmente microscópicos, que vivem flutuando na
água do mar, e não são capazes de nadar contra as correntes, sendo carregados por
elas.
c. Organismos nectônicos são organismos que vivem na água do mar e são capazes de
nadar e vencer as correntes, como as baleias, peixes e tartarugas.
d. As três condições se referem a indivíduos autotróficos.
e. Nenhuma das outras alternativas está correcta.
6. Ainda sobre a biodiversidade do maio aquático é CORRETO afirmar que:
a. Os osganísmos betônicos são exclusivamente heterótrofos.
b. O plâncton é constituido por organismos autótrofos, hetótrofos e mixotróficos.
c. A comunidade planctônica é caracterizada pela capacidade natatória.
d. Animais como peixes, lulas, baleias, copépodes e taartarugas constituem o nécton.
e. Nos oceanos, a biomassa dos produtores primários é maior que a dos herbívoros.
Page 2 of 3
7. Os sistemas lênticos têm no fluxo vertical das correntes suas principais vias de transporte
de nutrientes que estão concentrados nas zonas mais profundas e que, quando
transportados para as camadas superficiais eufóticas, entram na cadeia produtiva,
proporcionando aumentos consideráveis de produtividade. Em relação aos sistemas
lênticos é CORRETO afirmar que:
a. A productividade é maior em ambientes oligotróficos.
b. As regiões mais ricas em produtividade são as zonas mais profundas porque nela se
depositam e ocorrem as maiores quantidades de nutrientes.
c. O nível de penetração da luz tem pouca influência sobre a distribuição de peixes que
ocorrem em lagos.
d. A zona litorânea apresenta maior produtividade por constituir um ecótono em que o
aporte de matéria alóctone mais a matéria desta região de baixa profundidade
proporcionam, comparativamente, maiores taxas de produção.
e. Nenhuma das outras alternativas está correcta.
8. Os estuários são áreas de grande produtividade de recursos aquáticos, entre eles muitos
peixes que os utilizam como área de criação. Indique a alternativa que caracteriza os
estuários como áreas de elevada produtividade:
a. Estabilidade das variáveis ambientais e grande aporte de nutrientes trazidos pelos
rios.
b. Estabilidade das variáveis ambientais e grandes aporte de nutrientes trazidos pelas
marés.
c. Grande aporte e armazenamento de nutrientes trazidos pelos rios e pelas marés.
d. Grande incremento da produtividade primária devido à elevada penetração da luz.
e. Nenhuma das acima caracteriza os estuários como áreas de elevada produtividade.
9. Em criações onde há grande densidade de produtores primários no ambiente aquático, os
níveis de oxigênio na água:
a. Não são afectados.
b. Tendem a ser maiores.
c. Tendem a ser menores.
d. Podem ser maiores ou menores, independentemete do horário.
e. Nenhuma das alternativas está correta.
10. A respeito da concentração de oxigênio dissolvido na água, é CORRETO afirmar que:
a. A solubilidade do oxogênio na água é inversamente proporcional à temperatura.
b. A solubilidade do oxigênio na água não é influenciada pela salinidade.
c. Ambientes aquáticos (viveiros) com bastante fitoplâncton não apresentam
problemas com baixos valores de oxigênio dissolvido.
d. As maiores concentrações de oxigênio dissolvido ocorrem no início da manhã.
e. O ideal é manter a concentração de oxigênio dissolvido abaixo de 1mg/L.
Parte II
(10 Pontos)
Discursivas: Responda de forma clara e objectiva as questões que se seguem!
1. Dê quatro (4) características que distinguem os peixes cartilaginosos dos ósseos! (4.0
pontos)
2. Caracterize os peixes quanto à anatomia do coração e quanto ao tipo de sistema
respiratório! (1.0 ponto)
3. Analisando um peixe, um estudante verificou a presença de uma beixiga natatória e de
linhas laterais nos dois lados do corpo do animal. Que tipo de peixe ele analisava e quais são
as funções das duas estruturas que ele observou? (3.0 valores)
Page 3 of 3
4. Os peixes podem ser, entre outras formas alimentares, carnívoros ou herbívoros. Quanto a
essas duas formas de alimentação; como são os peixes marinhos que vivem em grandes
profundidades (regiões abissais)? Justifiqe sua resposta! (2 pontos)
1 Ponto = 1 Valor BOM TRABALHO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vereador visita eco park
Vereador visita eco parkVereador visita eco park
Vereador visita eco park
Marcos DA Aurora
 
Atividade de Ciências IV bimestre / 6º ano
Atividade de Ciências  IV bimestre  /  6º anoAtividade de Ciências  IV bimestre  /  6º ano
Atividade de Ciências IV bimestre / 6º ano
Mary Alvarenga
 
Ecologia 2011 2ª Etapa
Ecologia 2011  2ª EtapaEcologia 2011  2ª Etapa
Ecologia 2011 2ª Etapa
BIOGERALDO
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
Dinny Rubini
 
Sal marinho versus sal comum
Sal marinho versus sal comumSal marinho versus sal comum
Sal marinho versus sal comum
Luiz Dias
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
ilce marinho
 
Hidrosfera
HidrosferaHidrosfera
Hidrosfera
Nuno Correia
 
Gêneros de texto – conceito e aplicação
Gêneros de texto – conceito e aplicaçãoGêneros de texto – conceito e aplicação
Gêneros de texto – conceito e aplicação
Jose Robson Santiago
 
Trabalho de conclusão de curso avaliação da qualidade da água
Trabalho de conclusão de curso  avaliação da qualidade da águaTrabalho de conclusão de curso  avaliação da qualidade da água
Trabalho de conclusão de curso avaliação da qualidade da água
Rodrigo Aquino
 
Uni teste 6º ano
Uni teste 6º anoUni teste 6º ano
Uni teste 6º ano
Dayse Raquel
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
mariacferreira
 
Sal marinho x sal comum1
Sal marinho x sal comum1Sal marinho x sal comum1
Sal marinho x sal comum1
Dekkomusic
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
Auto-hemoterapia Portugal
 
10º Ano Geologia A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)
10º Ano   Geologia   A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)10º Ano   Geologia   A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)
10º Ano Geologia A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)
Nuno Correia
 
Qualidade da água
Qualidade da águaQualidade da água
Qualidade da água
Limnos Ufsc
 
17 b joao_rei
17 b joao_rei17 b joao_rei
17 b joao_rei
duartejanuario
 
SAUDE - Sal marinho x Sal comum*
SAUDE - Sal marinho x Sal comum*SAUDE - Sal marinho x Sal comum*
SAUDE - Sal marinho x Sal comum*
Cristiane Freitas
 

Mais procurados (17)

Vereador visita eco park
Vereador visita eco parkVereador visita eco park
Vereador visita eco park
 
Atividade de Ciências IV bimestre / 6º ano
Atividade de Ciências  IV bimestre  /  6º anoAtividade de Ciências  IV bimestre  /  6º ano
Atividade de Ciências IV bimestre / 6º ano
 
Ecologia 2011 2ª Etapa
Ecologia 2011  2ª EtapaEcologia 2011  2ª Etapa
Ecologia 2011 2ª Etapa
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
 
Sal marinho versus sal comum
Sal marinho versus sal comumSal marinho versus sal comum
Sal marinho versus sal comum
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
 
Hidrosfera
HidrosferaHidrosfera
Hidrosfera
 
Gêneros de texto – conceito e aplicação
Gêneros de texto – conceito e aplicaçãoGêneros de texto – conceito e aplicação
Gêneros de texto – conceito e aplicação
 
Trabalho de conclusão de curso avaliação da qualidade da água
Trabalho de conclusão de curso  avaliação da qualidade da águaTrabalho de conclusão de curso  avaliação da qualidade da água
Trabalho de conclusão de curso avaliação da qualidade da água
 
Uni teste 6º ano
Uni teste 6º anoUni teste 6º ano
Uni teste 6º ano
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
 
Sal marinho x sal comum1
Sal marinho x sal comum1Sal marinho x sal comum1
Sal marinho x sal comum1
 
Sal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comumSal marinho x sal comum
Sal marinho x sal comum
 
10º Ano Geologia A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)
10º Ano   Geologia   A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)10º Ano   Geologia   A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)
10º Ano Geologia A Terra E Os Seus Subsistemas Em InteracçãO (Aula PráTica)
 
Qualidade da água
Qualidade da águaQualidade da água
Qualidade da água
 
17 b joao_rei
17 b joao_rei17 b joao_rei
17 b joao_rei
 
SAUDE - Sal marinho x Sal comum*
SAUDE - Sal marinho x Sal comum*SAUDE - Sal marinho x Sal comum*
SAUDE - Sal marinho x Sal comum*
 

Destaque

Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...
Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...
Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...
Inacio Mateus Assane
 
Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.
Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.
Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.
Inacio Mateus Assane
 
Prova gabarito
Prova gabaritoProva gabarito
Prova gabarito
Rachel Monroe
 
Prova bioquímica a3 2011 gabarito
Prova bioquímica a3 2011   gabaritoProva bioquímica a3 2011   gabarito
Prova bioquímica a3 2011 gabarito
Ana Claudia Rodrigues
 
Bioquímica ii 04 ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 04   ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)Bioquímica ii 04   ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 04 ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)
Jucie Vasconcelos
 
Princípios de Contagem
Princípios de ContagemPrincípios de Contagem
Princípios de Contagem
Chromus Master
 
CONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAIS
CONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAISCONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAIS
CONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAIS
Rodrigo de Oliveira
 
Cc avaliacao estoques
Cc avaliacao estoquesCc avaliacao estoques
Cc avaliacao estoques
simuladocontabil
 
Exercício sobre parasitologia veterinária- Filo Artropoda
Exercício sobre parasitologia veterinária- Filo ArtropodaExercício sobre parasitologia veterinária- Filo Artropoda
Exercício sobre parasitologia veterinária- Filo Artropoda
Inacio Mateus Assane
 
Sistema de inventário periódico
Sistema de inventário periódicoSistema de inventário periódico
Sistema de inventário periódico
simuladocontabil
 
Bioquímica ii 09 ciclo da uréia (arlindo netto)
Bioquímica ii 09   ciclo da uréia (arlindo netto)Bioquímica ii 09   ciclo da uréia (arlindo netto)
Bioquímica ii 09 ciclo da uréia (arlindo netto)
Jucie Vasconcelos
 
Bioquímica ii 03 via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 03   via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)Bioquímica ii 03   via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 03 via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)
Jucie Vasconcelos
 
Bioquímica ii 02 glicólise e gliconeogênese
Bioquímica ii 02   glicólise e gliconeogêneseBioquímica ii 02   glicólise e gliconeogênese
Bioquímica ii 02 glicólise e gliconeogênese
Jucie Vasconcelos
 
Pesca
PescaPesca
Ed fisica 2 ano
Ed fisica 2 anoEd fisica 2 ano
Ed fisica 2 ano
João Vitor
 
Pesca
PescaPesca

Destaque (16)

Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...
Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...
Guião de correção dos exercícios de bioquímica, sobre metabolismo, cíclo cítr...
 
Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.
Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.
Exercícios de bioquímica- Metabolismo, ciclo cítrico e ciclo da ureia.
 
Prova gabarito
Prova gabaritoProva gabarito
Prova gabarito
 
Prova bioquímica a3 2011 gabarito
Prova bioquímica a3 2011   gabaritoProva bioquímica a3 2011   gabarito
Prova bioquímica a3 2011 gabarito
 
Bioquímica ii 04 ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 04   ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)Bioquímica ii 04   ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 04 ciclo de krebs - med resumos (arlindo netto)
 
Princípios de Contagem
Princípios de ContagemPrincípios de Contagem
Princípios de Contagem
 
CONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAIS
CONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAISCONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAIS
CONTROLE DE ESTOQUE DE MATERIAIS
 
Cc avaliacao estoques
Cc avaliacao estoquesCc avaliacao estoques
Cc avaliacao estoques
 
Exercício sobre parasitologia veterinária- Filo Artropoda
Exercício sobre parasitologia veterinária- Filo ArtropodaExercício sobre parasitologia veterinária- Filo Artropoda
Exercício sobre parasitologia veterinária- Filo Artropoda
 
Sistema de inventário periódico
Sistema de inventário periódicoSistema de inventário periódico
Sistema de inventário periódico
 
Bioquímica ii 09 ciclo da uréia (arlindo netto)
Bioquímica ii 09   ciclo da uréia (arlindo netto)Bioquímica ii 09   ciclo da uréia (arlindo netto)
Bioquímica ii 09 ciclo da uréia (arlindo netto)
 
Bioquímica ii 03 via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 03   via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)Bioquímica ii 03   via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)
Bioquímica ii 03 via das pentose fosfato - med resumos (arlindo netto)
 
Bioquímica ii 02 glicólise e gliconeogênese
Bioquímica ii 02   glicólise e gliconeogêneseBioquímica ii 02   glicólise e gliconeogênese
Bioquímica ii 02 glicólise e gliconeogênese
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 
Ed fisica 2 ano
Ed fisica 2 anoEd fisica 2 ano
Ed fisica 2 ano
 
Pesca
PescaPesca
Pesca
 

Semelhante a Execícios sobre aquacultura.

Eutrofização e Maré Vermelha
Eutrofização e Maré VermelhaEutrofização e Maré Vermelha
Eutrofização e Maré Vermelha
Andrea Barreto
 
bioma Abrolhos
bioma Abrolhosbioma Abrolhos
bioma Abrolhos
RAFAELA BARBOSA
 
abrolhos
abrolhosabrolhos
abrolhos
Jade
 
Aquários feira
Aquários feiraAquários feira
Aquários feira
Thiago Silva
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
Annalu Jannuzzi
 
Aula 05
Aula 05Aula 05
Ecossistemas Marinhos Para Monitores
Ecossistemas Marinhos Para MonitoresEcossistemas Marinhos Para Monitores
Ecossistemas Marinhos Para Monitores
Marcus Corradini
 
Ficha8.ºano
Ficha8.ºanoFicha8.ºano
Ficha8.ºano
projectovida
 
Ficha de trabalho 9
Ficha de trabalho 9Ficha de trabalho 9
Ficha de trabalho 9
joseeira
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
elisamello
 
Estuários
EstuáriosEstuários
Estuários
ocestuarios
 
Apostila Sistemática de Peixes
Apostila Sistemática de PeixesApostila Sistemática de Peixes
Apostila Sistemática de Peixes
João Monteiro
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
DinaBrtolo
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
DinaBrtolo
 
Bioma Maritmo Costeiro
Bioma   Maritmo CosteiroBioma   Maritmo Costeiro
Bioma Maritmo Costeiro
RAFAELA BARBOSA
 
Bioma Maritmo Costeiro
Bioma   Maritmo CosteiroBioma   Maritmo Costeiro
Bioma Maritmo Costeiro
Jade
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
emanuel
 
Proposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºanoProposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºano
sofiapimentaesag
 
Proposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºanoProposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºano
sofiapimentaesag
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Alessandra Tome
 

Semelhante a Execícios sobre aquacultura. (20)

Eutrofização e Maré Vermelha
Eutrofização e Maré VermelhaEutrofização e Maré Vermelha
Eutrofização e Maré Vermelha
 
bioma Abrolhos
bioma Abrolhosbioma Abrolhos
bioma Abrolhos
 
abrolhos
abrolhosabrolhos
abrolhos
 
Aquários feira
Aquários feiraAquários feira
Aquários feira
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Ecologia - Biosfera - Parte 3.
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Biologia - Ecologia - Biosfera - Parte 3.
 
Aula 05
Aula 05Aula 05
Aula 05
 
Ecossistemas Marinhos Para Monitores
Ecossistemas Marinhos Para MonitoresEcossistemas Marinhos Para Monitores
Ecossistemas Marinhos Para Monitores
 
Ficha8.ºano
Ficha8.ºanoFicha8.ºano
Ficha8.ºano
 
Ficha de trabalho 9
Ficha de trabalho 9Ficha de trabalho 9
Ficha de trabalho 9
 
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 RevisadoAulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
Aulas EspecíFicas Biologia 2 Fase Aula 02 2007 Revisado
 
Estuários
EstuáriosEstuários
Estuários
 
Apostila Sistemática de Peixes
Apostila Sistemática de PeixesApostila Sistemática de Peixes
Apostila Sistemática de Peixes
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
 
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docxFicha.Bio.10º.Leya.docx
Ficha.Bio.10º.Leya.docx
 
Bioma Maritmo Costeiro
Bioma   Maritmo CosteiroBioma   Maritmo Costeiro
Bioma Maritmo Costeiro
 
Bioma Maritmo Costeiro
Bioma   Maritmo CosteiroBioma   Maritmo Costeiro
Bioma Maritmo Costeiro
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
 
Proposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºanoProposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºano
 
Proposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºanoProposta desafio 8ºano
Proposta desafio 8ºano
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 

Mais de Inacio Mateus Assane

Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...
Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...
Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...
Inacio Mateus Assane
 
Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...
Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...
Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...
Inacio Mateus Assane
 
Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...
Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...
Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...
Inacio Mateus Assane
 
Entomologia Veterinária- Parte I
Entomologia Veterinária- Parte IEntomologia Veterinária- Parte I
Entomologia Veterinária- Parte I
Inacio Mateus Assane
 
Metabolismo de aminoácidos
Metabolismo de aminoácidosMetabolismo de aminoácidos
Metabolismo de aminoácidos
Inacio Mateus Assane
 
Polinização: Formas e
Polinização: Formas e Polinização: Formas e
Polinização: Formas e
Inacio Mateus Assane
 
Litchia
LitchiaLitchia
Pepino
PepinoPepino

Mais de Inacio Mateus Assane (8)

Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...
Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...
Screening of synthetic peptides for antimicrobial activity against fish patho...
 
Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...
Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...
Effects of dietary thyme essential oil on hemato-immunological indices, intes...
 
Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...
Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...
Trichodinids of Nile tilapia Oreochromis niloticus in Brazil: first record of...
 
Entomologia Veterinária- Parte I
Entomologia Veterinária- Parte IEntomologia Veterinária- Parte I
Entomologia Veterinária- Parte I
 
Metabolismo de aminoácidos
Metabolismo de aminoácidosMetabolismo de aminoácidos
Metabolismo de aminoácidos
 
Polinização: Formas e
Polinização: Formas e Polinização: Formas e
Polinização: Formas e
 
Litchia
LitchiaLitchia
Litchia
 
Pepino
PepinoPepino
Pepino
 

Último

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 

Execícios sobre aquacultura.

  • 1. Page 1 of 3 Parte I (10 pontos- 1 ponto/alternativa certa) Escolhas múltiplas: Copie para a tua folha de execícios a alternativa correcta! 1. O pescado consumido como alimento pela humanidade provém de extração (pesca) e de criação (aquacultura). Indique os percentuais aproximados relativos ao volume produzido por cada uma destas vias em 2010: a. 25% pesca e 75% aquacultura. b. 70% pesca e 30% aquacultura. c. 47% pesca e 53% aquacultura. d. 95% pesca e 5% aquacultura. e. 15% pesca e 85% aquacultura. 2. Com base nas estatísticas da produção aquícola moçambicana divulgadas pelo Ministério Das Pescas, a produção total de peixes da aquacultura em 2009 foi de aproximadamente: a. 65 toneladas. b. 165 toneladas. c. 265 toneladas. d. 365 toneladas. e. 1.650 toneladas. 3. Porquê a indústria da aquacultura esta em expansão nos últimos tempos? a. Pelos seus baixos custos. b. Pela sua simplicidade. c. Por causa da sobrepesca. d. Nenhuma das outras alternativas está correcta. e. Só as alternativas a), b) e c) estão correctas. 4. Das características abaixo, qual é levada em consideração antes da escolha dos organísmos aquáticos a serem produzidos? a. O tamanho do organismo. b. O habito reprodutivo do organismo. c. O tempo de vida do organismo. d. Nenhuma das outras alternativas está correcta. e. Só as alternativas a), b) e c) estão correctas. 5. Os oceanos abrigam uma grande biodiversidade, desde minúsculas bactérias e algas, até grandes mamíferos. De modo geral, podemos separar os seres marinhos em planctônicos, nectônicos e bentônicos de acordo com seu modo de vida. Diante disto é CORRETO afirmar que: a. Os planctônicos vivem junto ao fundo dos oceanos, como estrelas-do-mar, esponjas, caranguejos, etc… b. Os bentônicos constituem seres, geralmente microscópicos, que vivem flutuando na água do mar, e não são capazes de nadar contra as correntes, sendo carregados por elas. c. Organismos nectônicos são organismos que vivem na água do mar e são capazes de nadar e vencer as correntes, como as baleias, peixes e tartarugas. d. As três condições se referem a indivíduos autotróficos. e. Nenhuma das outras alternativas está correcta. 6. Ainda sobre a biodiversidade do maio aquático é CORRETO afirmar que: a. Os osganísmos betônicos são exclusivamente heterótrofos. b. O plâncton é constituido por organismos autótrofos, hetótrofos e mixotróficos. c. A comunidade planctônica é caracterizada pela capacidade natatória. d. Animais como peixes, lulas, baleias, copépodes e taartarugas constituem o nécton. e. Nos oceanos, a biomassa dos produtores primários é maior que a dos herbívoros.
  • 2. Page 2 of 3 7. Os sistemas lênticos têm no fluxo vertical das correntes suas principais vias de transporte de nutrientes que estão concentrados nas zonas mais profundas e que, quando transportados para as camadas superficiais eufóticas, entram na cadeia produtiva, proporcionando aumentos consideráveis de produtividade. Em relação aos sistemas lênticos é CORRETO afirmar que: a. A productividade é maior em ambientes oligotróficos. b. As regiões mais ricas em produtividade são as zonas mais profundas porque nela se depositam e ocorrem as maiores quantidades de nutrientes. c. O nível de penetração da luz tem pouca influência sobre a distribuição de peixes que ocorrem em lagos. d. A zona litorânea apresenta maior produtividade por constituir um ecótono em que o aporte de matéria alóctone mais a matéria desta região de baixa profundidade proporcionam, comparativamente, maiores taxas de produção. e. Nenhuma das outras alternativas está correcta. 8. Os estuários são áreas de grande produtividade de recursos aquáticos, entre eles muitos peixes que os utilizam como área de criação. Indique a alternativa que caracteriza os estuários como áreas de elevada produtividade: a. Estabilidade das variáveis ambientais e grande aporte de nutrientes trazidos pelos rios. b. Estabilidade das variáveis ambientais e grandes aporte de nutrientes trazidos pelas marés. c. Grande aporte e armazenamento de nutrientes trazidos pelos rios e pelas marés. d. Grande incremento da produtividade primária devido à elevada penetração da luz. e. Nenhuma das acima caracteriza os estuários como áreas de elevada produtividade. 9. Em criações onde há grande densidade de produtores primários no ambiente aquático, os níveis de oxigênio na água: a. Não são afectados. b. Tendem a ser maiores. c. Tendem a ser menores. d. Podem ser maiores ou menores, independentemete do horário. e. Nenhuma das alternativas está correta. 10. A respeito da concentração de oxigênio dissolvido na água, é CORRETO afirmar que: a. A solubilidade do oxogênio na água é inversamente proporcional à temperatura. b. A solubilidade do oxigênio na água não é influenciada pela salinidade. c. Ambientes aquáticos (viveiros) com bastante fitoplâncton não apresentam problemas com baixos valores de oxigênio dissolvido. d. As maiores concentrações de oxigênio dissolvido ocorrem no início da manhã. e. O ideal é manter a concentração de oxigênio dissolvido abaixo de 1mg/L. Parte II (10 Pontos) Discursivas: Responda de forma clara e objectiva as questões que se seguem! 1. Dê quatro (4) características que distinguem os peixes cartilaginosos dos ósseos! (4.0 pontos) 2. Caracterize os peixes quanto à anatomia do coração e quanto ao tipo de sistema respiratório! (1.0 ponto) 3. Analisando um peixe, um estudante verificou a presença de uma beixiga natatória e de linhas laterais nos dois lados do corpo do animal. Que tipo de peixe ele analisava e quais são as funções das duas estruturas que ele observou? (3.0 valores)
  • 3. Page 3 of 3 4. Os peixes podem ser, entre outras formas alimentares, carnívoros ou herbívoros. Quanto a essas duas formas de alimentação; como são os peixes marinhos que vivem em grandes profundidades (regiões abissais)? Justifiqe sua resposta! (2 pontos) 1 Ponto = 1 Valor BOM TRABALHO