SlideShare uma empresa Scribd logo
EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 
6º ANO 
ESTRUTURAS 
2013/14
Unidade de trabalho: Estruturas 
Dimensão - Projeto 
Objetivos: 
- Conhecer tipos de estruturas; 
- Explorar estruturas no âmbito da forma e função; 
- Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um objeto.
Conteúdos: 
Conceito de estrutura 
O que é a estrutura? É o modo como as diferentes partes de um todo estão 
organizadas. 
Também se costuma dizer que a estrutura é o suporte da forma. 
Exemplo: O esqueleto humano – a organização das partes (ossos) formam 
o todo (esqueleto), que por sua vez suporta o corpo humano. 
O nosso esqueleto tem 206 ossos. A forma como estão organizados permite-nos 
realizar as várias tarefas. 
As estruturas dão resistência aos objetos 
construídos pelo homem, desde uma pequena 
ponte até um prédio de vários andares. 
Torre São Rafael, Ponte de madeira parque das nações. 
Atividade: organiza uma 
lista com exemplos de 
estruturas . 
Estrutura ponte (maquete)
Estruturas modulares 
Algumas estruturas estão organizadas de forma modular. 
O que é o módulo? Chamamos Módulo a uma unidade da estrutura que se repete de 
uma determinada maneira, criando um Padrão. 
Muitas obras de arquitetura e engenharia aproveitam esta forma de organização 
modular. 
Entrada do Museu do 
Louvre (Paris) . O Módulo 
repete-se (losango) ao 
longo de toda a estrutura 
Ponte 25 de Abril (Lisboa). 
O módulo repete-se ao 
longo da estrutura 
O telhado de uma casa. O 
módulo repete-se (telha) 
formando o padrão (telhado) 
Como vimos, construir módulos ajuda a racionalizar e simplificar os processos de organização, de 
produção e de montagem. Repare-se que, a partir do mesmo módulo, pode-se construir padrões 
diferentes, em diferentes materiais.
Na natureza também se encontram estruturas modulares que servem de exemplo ao 
homem. 
Os favos do mel também 
estão organizados segundo 
uma estrutura modelar. 
A couraça do tatu está 
organizada segundo uma 
estrutura modular. 
A teia da aranha está 
organizada segundo uma 
estrutura modular. 
Atividades: 
- Procura outras estruturas modulares na natureza; 
- Compara-as com as criadas pelo homem.
Tipos de Estruturas 
Se a estrutura suporta/sustenta/define a forma, então todas as formas têm uma estrutura. 
Existem dois tipos de estruturas 
Estruturas artificiais – são criadas pelo homem. 
Exemplos: Uma escada, um gradeamento, uma ponte , uma torre, um edifício, 
um arranha-céus, etc. 
A este tipo de estruturas chamamos estruturas artificiais, porque são criadas 
pelo homem.
Estruturas Naturais - existem na natureza. 
Exemplos: Esqueletos (homem ou animais), o interior de um búzio, as asas de um 
pássaro, tronco e galhos das árvores, as nervuras de uma folha, etc. 
Folha da Palmeira Interior do búzio Esqueleto do peixe 
A este tipo de estruturas chamamos estruturas naturais, porque são criadas pela 
natureza.
As estruturas podem ainda ser: 
Estruturas fixas – estruturas sem partes móveis. 
- São construídas para resistirem a esforços garantindo estabilidade. 
Estruturas móveis – estruturas que contém alguns componentes articulados, 
permitindo o seu movimento.
Elementos das estruturas 
Tipos de elementos : 
- O Trílito; A Armadura; A Treliça; Os Arcos e O Tirante 
O tipo de elementos utilizados, a forma como estão ligados entre si e o material escolhido, 
são opções que se devem ter em conta para quando se concebe uma estrutura. 
O Trílito – é constituído por uma barra horizontal, 
chamada viga, e duas barras verticais, chamadas 
pilares. Os pilares sustentam as vigas. 
A Armadura – é a estrutura utilizada na 
construção de prédios e arranha-céus. 
É constituída por vigas e pilares
A Treliça – é o conjunto de 
elementos que, ligados entre si, 
formam uma rede triangular 
Treliça - Sistema cruzado de barras 
O Arco – permite criar espaços 
vazios maiores, pois desvia as 
forças de compressão para os 
lados. 
O Tirante - pode ser feito em ferro 
ou em cabos de aço. Estes 
sustentam os esforços de tração 
dos outros elementos da estrutura
Tipos de esforços a que estão sujeitas as estruturas 
Os esforços são: Compressão; Tração; Flexão; Torção e Corte 
Compressão – é a força de pressão 
que se faz numa estrutura, de forma a 
que ela reduza o volume – (apertar) 
As paredes, os pilares e os alicerces 
estão sujeitos a compressão. O betão 
resiste melhor à compressão 
Tração – é a força que se faz 
numa estrutura, de forma a que 
ela se alongue (esticar) 
A corda e os cabos de aço resistem à 
bem à tração , mas não são indicados 
para resistir à compressão.
Flexão – é a força que obriga a 
estrutura a dobrar-se. Por 
exemplo o peso exercido no 
meio de uma ponte 
Torção – é a força exercida 
sobre a estrutura que a 
obriga a torcer. 
Corte – é a força exercida 
sobre a estrutura que a obriga 
a cortar. Por exemplo, quando 
cortamos uma folha de papel. 
Atividade: Assenta uma cartolina sobre 2 pilhas de 
livros. Coloca uma borracha ao meio da cartolina. 
Verifica que a borracha obriga a cartolina a fletir-se. 
Que deves fazer para que esta não flita?
FIM 
Ano letivo 2013/2014 
Prof: Agostinho Silva

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Objeto tecnico
Objeto tecnicoObjeto tecnico
Objeto tecnicoPelo Siro
 
Objeto Técnico - 5º/6º
Objeto Técnico - 5º/6ºObjeto Técnico - 5º/6º
Objeto Técnico - 5º/6ºCristiana Gomes
 
Operadores mecânicos educação tecnológica
Operadores mecânicos  educação tecnológicaOperadores mecânicos  educação tecnológica
Operadores mecânicos educação tecnológicaAgostinho NSilva
 
Educação Tecnológica, Técnica e Tecnologia
Educação Tecnológica, Técnica e TecnologiaEducação Tecnológica, Técnica e Tecnologia
Educação Tecnológica, Técnica e TecnologiaAgostinho NSilva
 
Elementos Visuais da Forma
Elementos Visuais da FormaElementos Visuais da Forma
Elementos Visuais da FormaSara Veludo
 
Comunicação em Tecnologia - Educacão Tecnológica
Comunicação em Tecnologia - Educacão TecnológicaComunicação em Tecnologia - Educacão Tecnológica
Comunicação em Tecnologia - Educacão TecnológicaAgostinho NSilva
 
Modulo / Padrao - Rotacao
Modulo / Padrao - RotacaoModulo / Padrao - Rotacao
Modulo / Padrao - Rotacaorufalmeida
 
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)Rita Godinho
 
Expressão e composição da forma
Expressão e composição da formaExpressão e composição da forma
Expressão e composição da formaFernando Mendes
 
módulo e padrão
módulo e padrãomódulo e padrão
módulo e padrãopampocas
 
Ficha de trabalho figura - fundo
Ficha de trabalho   figura - fundoFicha de trabalho   figura - fundo
Ficha de trabalho figura - fundoruiseixas
 
Metodo Resolução de Problemas
Metodo Resolução de  Problemas Metodo Resolução de  Problemas
Metodo Resolução de Problemas Agostinho NSilva
 
Técnica e Tecnologia -5ºano
Técnica e Tecnologia -5ºanoTécnica e Tecnologia -5ºano
Técnica e Tecnologia -5ºanoAgostinho NSilva
 

Mais procurados (20)

Módulo padrão
Módulo padrãoMódulo padrão
Módulo padrão
 
Movimento
MovimentoMovimento
Movimento
 
Objeto tecnico
Objeto tecnicoObjeto tecnico
Objeto tecnico
 
Rosto Humano
Rosto HumanoRosto Humano
Rosto Humano
 
A LINHA
A LINHAA LINHA
A LINHA
 
Objeto Técnico - 5º/6º
Objeto Técnico - 5º/6ºObjeto Técnico - 5º/6º
Objeto Técnico - 5º/6º
 
Operadores mecânicos educação tecnológica
Operadores mecânicos  educação tecnológicaOperadores mecânicos  educação tecnológica
Operadores mecânicos educação tecnológica
 
Educação Tecnológica, Técnica e Tecnologia
Educação Tecnológica, Técnica e TecnologiaEducação Tecnológica, Técnica e Tecnologia
Educação Tecnológica, Técnica e Tecnologia
 
Elementos Visuais da Forma
Elementos Visuais da FormaElementos Visuais da Forma
Elementos Visuais da Forma
 
Comunicação em Tecnologia - Educacão Tecnológica
Comunicação em Tecnologia - Educacão TecnológicaComunicação em Tecnologia - Educacão Tecnológica
Comunicação em Tecnologia - Educacão Tecnológica
 
Modulo / Padrao - Rotacao
Modulo / Padrao - RotacaoModulo / Padrao - Rotacao
Modulo / Padrao - Rotacao
 
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
Educação visual e tecnológica ( o ponto e a linha)
 
Expressão e composição da forma
Expressão e composição da formaExpressão e composição da forma
Expressão e composição da forma
 
módulo e padrão
módulo e padrãomódulo e padrão
módulo e padrão
 
Ficha de trabalho figura - fundo
Ficha de trabalho   figura - fundoFicha de trabalho   figura - fundo
Ficha de trabalho figura - fundo
 
Elementos estruturais 1
Elementos estruturais 1Elementos estruturais 1
Elementos estruturais 1
 
Metodo Resolução de Problemas
Metodo Resolução de  Problemas Metodo Resolução de  Problemas
Metodo Resolução de Problemas
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
 
Técnica e Tecnologia -5ºano
Técnica e Tecnologia -5ºanoTécnica e Tecnologia -5ºano
Técnica e Tecnologia -5ºano
 
Meios riscadores
Meios riscadoresMeios riscadores
Meios riscadores
 

Semelhante a ESTRUTURAS

AULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptx
AULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptxAULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptx
AULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptxAroldoMenezes1
 
Estrutura de concreto armado i (1 - classificação das estruturas e concepç...
Estrutura de concreto armado i    (1 - classificação das estruturas e concepç...Estrutura de concreto armado i    (1 - classificação das estruturas e concepç...
Estrutura de concreto armado i (1 - classificação das estruturas e concepç...Luiz Fagundes
 
Questoes sistemas 1 22 a 33
Questoes sistemas 1   22 a 33Questoes sistemas 1   22 a 33
Questoes sistemas 1 22 a 33stephaneosorio
 

Semelhante a ESTRUTURAS (6)

Estrutura.pptx
Estrutura.pptxEstrutura.pptx
Estrutura.pptx
 
AULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptx
AULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptxAULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptx
AULA_DE_RESISTENCIA_DOS_MATERIAIS PARA AU.pptx
 
Estrutura de concreto armado i (1 - classificação das estruturas e concepç...
Estrutura de concreto armado i    (1 - classificação das estruturas e concepç...Estrutura de concreto armado i    (1 - classificação das estruturas e concepç...
Estrutura de concreto armado i (1 - classificação das estruturas e concepç...
 
2. estrutura e elementos estruturais básicos.
2. estrutura e elementos estruturais básicos.2. estrutura e elementos estruturais básicos.
2. estrutura e elementos estruturais básicos.
 
Aço projeto estrutural
Aço projeto estruturalAço projeto estrutural
Aço projeto estrutural
 
Questoes sistemas 1 22 a 33
Questoes sistemas 1   22 a 33Questoes sistemas 1   22 a 33
Questoes sistemas 1 22 a 33
 

Mais de Agostinho NSilva

ARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS AZUIS (2).ppsx
ARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS  AZUIS (2).ppsxARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS  AZUIS (2).ppsx
ARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS AZUIS (2).ppsxAgostinho NSilva
 
Trabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º ciclo
Trabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º cicloTrabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º ciclo
Trabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º cicloAgostinho NSilva
 
Exposição Online Educação Visual 2020
Exposição Online  Educação Visual 2020 Exposição Online  Educação Visual 2020
Exposição Online Educação Visual 2020 Agostinho NSilva
 
Educação Visual vs instrumentos musicais.
Educação Visual vs instrumentos musicais.Educação Visual vs instrumentos musicais.
Educação Visual vs instrumentos musicais.Agostinho NSilva
 
Construção de Horta Biológica - 2020
Construção de Horta Biológica - 2020Construção de Horta Biológica - 2020
Construção de Horta Biológica - 2020Agostinho NSilva
 
Carnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historia
Carnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historiaCarnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historia
Carnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historiaAgostinho NSilva
 
Alterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e India
Alterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e IndiaAlterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e India
Alterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e IndiaAgostinho NSilva
 
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento GlobalALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento GlobalAgostinho NSilva
 
Receita Culinária Anti - Ciberbullying
Receita Culinária Anti - CiberbullyingReceita Culinária Anti - Ciberbullying
Receita Culinária Anti - CiberbullyingAgostinho NSilva
 
Cartooons ambiente e sustentabilidade
Cartooons   ambiente e sustentabilidadeCartooons   ambiente e sustentabilidade
Cartooons ambiente e sustentabilidadeAgostinho NSilva
 

Mais de Agostinho NSilva (20)

ARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS AZUIS (2).ppsx
ARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS  AZUIS (2).ppsxARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS  AZUIS (2).ppsx
ARTISTAS DIGITAIS CIDADES VERDES OCEANOS AZUIS (2).ppsx
 
LETTERING - TIPOGRAFIA
LETTERING - TIPOGRAFIALETTERING - TIPOGRAFIA
LETTERING - TIPOGRAFIA
 
A COR
A CORA COR
A COR
 
Trabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º ciclo
Trabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º cicloTrabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º ciclo
Trabalhos alunos Educação Tecnológica - 2º ciclo
 
Exposição Online Educação Visual 2020
Exposição Online  Educação Visual 2020 Exposição Online  Educação Visual 2020
Exposição Online Educação Visual 2020
 
Rosto - Regras Básicas
Rosto - Regras BásicasRosto - Regras Básicas
Rosto - Regras Básicas
 
Educação Visual vs instrumentos musicais.
Educação Visual vs instrumentos musicais.Educação Visual vs instrumentos musicais.
Educação Visual vs instrumentos musicais.
 
Mascarilhas 5º ano
Mascarilhas 5º anoMascarilhas 5º ano
Mascarilhas 5º ano
 
O Ponto
O PontoO Ponto
O Ponto
 
Construção de Horta Biológica - 2020
Construção de Horta Biológica - 2020Construção de Horta Biológica - 2020
Construção de Horta Biológica - 2020
 
Carnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historia
Carnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historiaCarnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historia
Carnaval na EB Mota Pinto 10 anos de historia
 
Alterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e India
Alterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e IndiaAlterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e India
Alterações Climáticas - Consequências do aquecimento Global Austrália e India
 
Livro Artista
Livro ArtistaLivro Artista
Livro Artista
 
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento GlobalALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
 
Wassily Kandinsky
Wassily KandinskyWassily Kandinsky
Wassily Kandinsky
 
Vincent Van Gogh
Vincent Van GoghVincent Van Gogh
Vincent Van Gogh
 
Georges Seraut
Georges SerautGeorges Seraut
Georges Seraut
 
Receita Culinária Anti - Ciberbullying
Receita Culinária Anti - CiberbullyingReceita Culinária Anti - Ciberbullying
Receita Culinária Anti - Ciberbullying
 
Estudo do Cartaz - 2019
Estudo do Cartaz  - 2019Estudo do Cartaz  - 2019
Estudo do Cartaz - 2019
 
Cartooons ambiente e sustentabilidade
Cartooons   ambiente e sustentabilidadeCartooons   ambiente e sustentabilidade
Cartooons ambiente e sustentabilidade
 

Último

Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 

Último (20)

Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 

ESTRUTURAS

  • 1. EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 6º ANO ESTRUTURAS 2013/14
  • 2. Unidade de trabalho: Estruturas Dimensão - Projeto Objetivos: - Conhecer tipos de estruturas; - Explorar estruturas no âmbito da forma e função; - Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um objeto.
  • 3. Conteúdos: Conceito de estrutura O que é a estrutura? É o modo como as diferentes partes de um todo estão organizadas. Também se costuma dizer que a estrutura é o suporte da forma. Exemplo: O esqueleto humano – a organização das partes (ossos) formam o todo (esqueleto), que por sua vez suporta o corpo humano. O nosso esqueleto tem 206 ossos. A forma como estão organizados permite-nos realizar as várias tarefas. As estruturas dão resistência aos objetos construídos pelo homem, desde uma pequena ponte até um prédio de vários andares. Torre São Rafael, Ponte de madeira parque das nações. Atividade: organiza uma lista com exemplos de estruturas . Estrutura ponte (maquete)
  • 4. Estruturas modulares Algumas estruturas estão organizadas de forma modular. O que é o módulo? Chamamos Módulo a uma unidade da estrutura que se repete de uma determinada maneira, criando um Padrão. Muitas obras de arquitetura e engenharia aproveitam esta forma de organização modular. Entrada do Museu do Louvre (Paris) . O Módulo repete-se (losango) ao longo de toda a estrutura Ponte 25 de Abril (Lisboa). O módulo repete-se ao longo da estrutura O telhado de uma casa. O módulo repete-se (telha) formando o padrão (telhado) Como vimos, construir módulos ajuda a racionalizar e simplificar os processos de organização, de produção e de montagem. Repare-se que, a partir do mesmo módulo, pode-se construir padrões diferentes, em diferentes materiais.
  • 5. Na natureza também se encontram estruturas modulares que servem de exemplo ao homem. Os favos do mel também estão organizados segundo uma estrutura modelar. A couraça do tatu está organizada segundo uma estrutura modular. A teia da aranha está organizada segundo uma estrutura modular. Atividades: - Procura outras estruturas modulares na natureza; - Compara-as com as criadas pelo homem.
  • 6. Tipos de Estruturas Se a estrutura suporta/sustenta/define a forma, então todas as formas têm uma estrutura. Existem dois tipos de estruturas Estruturas artificiais – são criadas pelo homem. Exemplos: Uma escada, um gradeamento, uma ponte , uma torre, um edifício, um arranha-céus, etc. A este tipo de estruturas chamamos estruturas artificiais, porque são criadas pelo homem.
  • 7. Estruturas Naturais - existem na natureza. Exemplos: Esqueletos (homem ou animais), o interior de um búzio, as asas de um pássaro, tronco e galhos das árvores, as nervuras de uma folha, etc. Folha da Palmeira Interior do búzio Esqueleto do peixe A este tipo de estruturas chamamos estruturas naturais, porque são criadas pela natureza.
  • 8. As estruturas podem ainda ser: Estruturas fixas – estruturas sem partes móveis. - São construídas para resistirem a esforços garantindo estabilidade. Estruturas móveis – estruturas que contém alguns componentes articulados, permitindo o seu movimento.
  • 9. Elementos das estruturas Tipos de elementos : - O Trílito; A Armadura; A Treliça; Os Arcos e O Tirante O tipo de elementos utilizados, a forma como estão ligados entre si e o material escolhido, são opções que se devem ter em conta para quando se concebe uma estrutura. O Trílito – é constituído por uma barra horizontal, chamada viga, e duas barras verticais, chamadas pilares. Os pilares sustentam as vigas. A Armadura – é a estrutura utilizada na construção de prédios e arranha-céus. É constituída por vigas e pilares
  • 10. A Treliça – é o conjunto de elementos que, ligados entre si, formam uma rede triangular Treliça - Sistema cruzado de barras O Arco – permite criar espaços vazios maiores, pois desvia as forças de compressão para os lados. O Tirante - pode ser feito em ferro ou em cabos de aço. Estes sustentam os esforços de tração dos outros elementos da estrutura
  • 11. Tipos de esforços a que estão sujeitas as estruturas Os esforços são: Compressão; Tração; Flexão; Torção e Corte Compressão – é a força de pressão que se faz numa estrutura, de forma a que ela reduza o volume – (apertar) As paredes, os pilares e os alicerces estão sujeitos a compressão. O betão resiste melhor à compressão Tração – é a força que se faz numa estrutura, de forma a que ela se alongue (esticar) A corda e os cabos de aço resistem à bem à tração , mas não são indicados para resistir à compressão.
  • 12. Flexão – é a força que obriga a estrutura a dobrar-se. Por exemplo o peso exercido no meio de uma ponte Torção – é a força exercida sobre a estrutura que a obriga a torcer. Corte – é a força exercida sobre a estrutura que a obriga a cortar. Por exemplo, quando cortamos uma folha de papel. Atividade: Assenta uma cartolina sobre 2 pilhas de livros. Coloca uma borracha ao meio da cartolina. Verifica que a borracha obriga a cartolina a fletir-se. Que deves fazer para que esta não flita?
  • 13. FIM Ano letivo 2013/2014 Prof: Agostinho Silva