SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 49
DST’S
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISIVEIS
O que são DST
As doenças sexualmente
transmissíveis (DST) são
transmitidas, principalmente, por
contato sexual sem o uso
de camisinha com uma pessoa que
esteja infectada, e geralmente se
manifestam por meio de feridas,
corrimentos, bolhas ou verrugas.
Sífilis
 É uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. Manifesta-se
em três estágios: primária, secundária e terciária.
Sinais e
Sintomas
 A sífilis manifesta-se inicialmente como
uma pequena ferida nos órgãos sexuais
(cancro duro) e com ínguas (caroços)
nas virilhas, que surgem entre a 2ª ou
3ª semana após a relação sexual
desprotegida com pessoa infectada.
Transmissão da sífilis
 A sífilis pode ser passada de uma
pessoa para outra por meio de
relações sexuais desprotegidas
(sem preservativos), através de
transfusão de sangue
contaminado (que hoje em dia é
muito raro em razão do controle
do sangue doado), e durante a
gestação e o parto (de mãe
infectada para o bebê).
Prevenção
Como não há perspectiva de desenvolvimento de vacina, em curto
prazo, a prevenção recai sobre a educação em saúde: uso regular de
preservativos, diagnóstico precoce em mulheres em idade reprodutiva e
parceiros, e realização do teste diagnóstico por mulheres com intenção
de engravidar.
Tratamento
O tratamento mais
indicado para a sífilis é a
utilização do mais antigo
dos antibióticos: a
penicilina.
Se não tratada, a sífilis progride, torna-se
crônica e pode comprometer várias partes
do corpo ou levar à morte.
CONDILOMA
GENITAL
Condiloma
Genital
O condiloma genital é
uma lesão na região
genital, causada pelo
Papilomavirus Humano
(HPV). A doença é
também conhecida
como crista de galo,
figueira ou cavalo de
crista.
Sinais e Sintomas
O HPV provoca verrugas, com
aspecto de couve-flor e de
tamanhos variáveis, nos órgãos
genitais. Pode ainda estar
relacionado ao aparecimento de
alguns tipos de câncer,
principalmente no colo do
útero, mas também no pênis ou
no ânus. Porém, nem todo caso
de infecção pelo HPV irá causar
câncer.
Formas de contágio
A infecção pelo HPV é muito
comum. Esse vírus é transmitido
pelo contato direto com a pele
contaminada, mesmo quando
essa não apresenta lesões
visíveis. A transmissão também
pode ocorrer durante o sexo
oral. Há, ainda, a possibilidade
de contaminação por meio de
objetos como toalhas, roupas
íntimas, vasos sanitários ou
banheiras.
Prevenção
Não existe forma de prevenção
100% segura, já que o HPV pode
ser transmitido até mesmo por
meio de uma toalha ou outro
objeto. Calcula-se que o uso da
camisinha consiga barrar entre
70% e 80% das transmissões, e sua
efetividade não é maior porque o
vírus pode estar alojado em outro
local, não necessariamente no
pênis, mas também na pele da
região pubiana, períneo e ânus.
Tratamento
O tratamento do HPV
pode ser feito por meio de
diversos métodos:
químicos, quimioterápicos,
imunoterápicos e
cirúrgicos. A maioria deles
destruirá o tecido doente.
HERPES
GENITAL
Herpes Genital
É uma doença que
aparece e desaparece
sozinha, de tempos em
tempos, dependendo de
certos fatores como
estresse, cansaço, esforço
exagerado, febre,
exposição ao sol,
traumatismo e
menstruação.
Sinais e Sintomas
Manifesta-se através de
pequenas bolhas localizadas
principalmente na parte
externa da vagina e na ponta
do pênis. Essas bolhas podem
arder e causam coceira
intensa. Ao se coçar, a pessoa
pode romper a bolha,
causando uma ferida.
Formas de contágio
O herpes genital é transmitido
por meio de relação sexual (oral,
anal ou vaginal) desprotegida
(sem uso da camisinha). Essa
doença é bastante contagiosa e
a transmissão ocorre quando as
pequenas bolhas, que se
formam durante a manifestação
dos sintomas, se rompem,
ocasionando uma ferida e
eliminando o líquido do seu
interior.
Prevenção
Uso de preservativo em todas as relações
sexuais, vaginais, orais e anais.
Tratamento
A herpes é altamente
transmissível. Por isso, a
primeira orientação aos
pacientes sempre diz respeito
aos cuidados locais de higiene:
lavar bem as mãos, evitar
contato direto com outras
pessoas e não furar as bolhas
sob nenhum pretexto são
recomendações importantes.
GONORRÉIA
Doença infecto-contagiosa que se
caracteriza pela presença de
abundante secreção purulenta
(corrimento) pela uretra no homem e
vagina e/ou uretra na mulher. Este
quadro frequentemente é precedido
por prurido (coceira) na uretra e
ardência ao urinar. Em alguns casos
podem ocorrer sintomas gerais,
como a febre. Nas mulheres os
sintomas são mais brandos ou
podem estar ausentes (maioria dos
casos).
Gonorréia
Complicações/Consequências
Aborto espontâneo, parto de
bebê morto, parto
prematuro, baixo peso,
endometrite pós-parto.
Doenças Inflamatórias em
geral.
Transmissão
Relação sexual. O risco de
transmissão é superior a 90%, isto
é, ao se ter um relacionamento
sexual com um(a) parceiro(a)
doente, o risco de contaminar-se é
de cerca de 90%.
Tratamento
O tratamento é feito por
antibióticos, mas só o médico
pode orientar. Remédios caseiros
não adianta. Vergonha de ir ao
médico é bobagem: só piora as
coisas.
Prevenção
Camisinha. Higiene pós-
coito.
DONOVANOSE
O que é
É uma infecção causada pela
bactéria Klebsiella granulomatis,
que afeta a pele e mucosas das
regiões da genitália, da virilha e do
ânus. Causa úlceras e destrói a pele
infectada. É mais frequente no
Norte do Brasil e em pessoas com
baixo nível socioeconômico e
higiênico.
Sinais e sintomas
Os sintomas incluem caroços e
feridas vermelhas e sangramento
fácil. Após a infecção, surge uma
lesão nos órgãos genitais que
lentamente se transforma em
úlcera ou caroço vermelho.
Tratamento
O tratamento, com uso de
antibióticos, deve ser
prescrito pelo profissional de
saúde após avaliação
cuidadosa.
PREVENÇÃO
USE CAMASINNHA!!!
CANCRO MOLE
O que é
O cancro mole pode ser
chamado de cancro venéreo,
mas seu nome mais popular é
“cavalo”. Provocado pela
bactéria Haemophilus ducreyi,
é mais frequente nas regiões
tropicais, como o Brasil.
Formas de contágio
A transmissão ocorre pela
relação sexual com uma
pessoa infectada, sendo o
uso da camisinha a melhor
forma de prevenção.
Sinais e sintomas
Os primeiros sintomas - dor de
cabeça, febre e fraqueza -
aparecem de dois a 15 dias após o
contágio. Depois, surgem pequenas
e dolorosas feridas com pus nos
órgãos genitais, que aumentam
progressivamente de tamanho e
profundidade. A seguir, aparecem
outras lesões em volta das
primeiras.
Tratamento
Na presença de qualquer
sinal ou sintoma dessa DST,
é recomendado procurar um
profissional de saúde, para o
diagnóstico correto e
indicação do tratamento
com antibiótico adequado.
Tricomoníase
Tricomoníase
O que é
É uma infecção causada
pelo
protozoário Trichomonas
vaginalis. Nas mulheres,
ataca o colo do útero, a
vagina e a uretra, e nos
homens, o pênis.
Sinais e Sintomas
Os sintomas mais comuns
são dor durante a relação
sexual, ardência e dificuldade
para urinar, coceira nos
órgãos sexuais, porém a
maioria das pessoas
infectadas não sente
alterações no organismo.
Formas de contágio
A doença pode ser transmitida
pelo sexo sem camisinha com uma
pessoa infectada. Para evitá-la, é
necessário usar camisinha em
todas as relações sexuais (vaginais,
orais ou anais). É a forma mais
simples e eficaz de evitar uma
doença sexualmente transmissível.
Tratamento
Na presença de qualquer sinal ou
sintoma dessa DST, é recomendado
procurar um profissional de saúde,
para o diagnóstico correto e
indicação do tratamento adequado.
Os parceiros também precisam de
tratamento, para que não haja nova
contaminação da doença.
AIDS
O perigo da AIDS
Embora a AIDS seja
comumente identificada
como doença, na verdade
trata-se de uma síndrome. A
palavra síndrome caracteriza
um conjunto de sinais e de
sintomas que podem ser
produzidos por mais de uma
causa.
O termo AIDS vem da sigla da expressão
inglesa acquired immuno deficiency syndrome, que
significa síndrome da imunodeficiência adquirida.
É causado por um grupo de vírus, chamadoHIV, que invadem
certas células – alguns tipos de glóbulos brancos do sangue –
responsáveis pela defesa do organismo.
USE CAMISINHA SEMPRE!
 ALUNOS:
 Franciele
 Felipe
 Rebeca
 Sabrina
 SÉRIE: 1°:B
 POFESSORA:
 Fernanda

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças Sexualmente Transmissíveis - DST
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DSTDoenças Sexualmente Transmissíveis - DST
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DSTGrazi Grazi
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisEdvaldo S. Júnior
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveislipe98
 
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Carlos Priante
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)Fernanda Gonçalves
 
IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)
IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)
IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)António Matias
 
Doenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sidaDoenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sidaRicardo Pais
 
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de AcaoPrevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de AcaoAlexandre Naime Barbosa
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..tiafer96
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Marcelo Henrique
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsSaúde Hervalense
 

Mais procurados (20)

Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DST
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DSTDoenças Sexualmente Transmissíveis - DST
Doenças Sexualmente Transmissíveis - DST
 
Ists
IstsIsts
Ists
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
DST
DSTDST
DST
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
 
Ist 01
Ist 01Ist 01
Ist 01
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
 
Dst aids para adolescentes
Dst   aids para adolescentesDst   aids para adolescentes
Dst aids para adolescentes
 
Aids
AidsAids
Aids
 
IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)
IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)
IST´s (Infecções Sexualmente Transmissíveis)
 
Doenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sidaDoenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sida
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Hiv
HivHiv
Hiv
 
Infecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveisInfecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveis
 
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de AcaoPrevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
 

Destaque (20)

1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
1EM #27 Anticoncepcionais e DSTs
 
Apres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens SexualidadeApres Abordagens Sexualidade
Apres Abordagens Sexualidade
 
3EM #06 Anatomia genital (2016)
3EM #06 Anatomia genital (2016)3EM #06 Anatomia genital (2016)
3EM #06 Anatomia genital (2016)
 
1EM #23 Ciclo menstrual (2016)
1EM #23 Ciclo menstrual (2016)1EM #23 Ciclo menstrual (2016)
1EM #23 Ciclo menstrual (2016)
 
3EM #05 Sistemas genitais (2016)
3EM #05 Sistemas genitais (2016)3EM #05 Sistemas genitais (2016)
3EM #05 Sistemas genitais (2016)
 
Evolução Humana
Evolução HumanaEvolução Humana
Evolução Humana
 
3EM #05 Hormônios reprodução
3EM #05 Hormônios reprodução3EM #05 Hormônios reprodução
3EM #05 Hormônios reprodução
 
AIDS
AIDSAIDS
AIDS
 
Doenças Causadas pelas DSTs
Doenças Causadas pelas DSTsDoenças Causadas pelas DSTs
Doenças Causadas pelas DSTs
 
Dsts
DstsDsts
Dsts
 
Doenassexualmentetransmissveisdsts 101030200843-phpapp02
Doenassexualmentetransmissveisdsts 101030200843-phpapp02Doenassexualmentetransmissveisdsts 101030200843-phpapp02
Doenassexualmentetransmissveisdsts 101030200843-phpapp02
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Lançamento da campanha de prevenção às DSTs/Aids
Lançamento da campanha de prevenção às DSTs/AidsLançamento da campanha de prevenção às DSTs/Aids
Lançamento da campanha de prevenção às DSTs/Aids
 
1EM #26 Ciclo menstrual
1EM #26 Ciclo menstrual1EM #26 Ciclo menstrual
1EM #26 Ciclo menstrual
 
DST's
DST'sDST's
DST's
 
Ds ts
Ds tsDs ts
Ds ts
 
DST's....
DST's....DST's....
DST's....
 
1EM #02 Intro Ecologia (2017)
1EM #02 Intro Ecologia (2017)1EM #02 Intro Ecologia (2017)
1EM #02 Intro Ecologia (2017)
 
O Avanço do HIV/Aids e DSTs entre os Jovens
O Avanço do HIV/Aids e DSTs entre os JovensO Avanço do HIV/Aids e DSTs entre os Jovens
O Avanço do HIV/Aids e DSTs entre os Jovens
 
Doencas Sexualmente Transmissiveis
Doencas Sexualmente TransmissiveisDoencas Sexualmente Transmissiveis
Doencas Sexualmente Transmissiveis
 

Semelhante a Dst’s

Hiv mario martins pereira
Hiv  mario martins pereiraHiv  mario martins pereira
Hiv mario martins pereiraSANTOS Odirley
 
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Pelo Siro
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]Cristina0910
 
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Pelo Siro
 
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptxdoenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptxLarissaNunes853369
 
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Luis Augusto
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivoslucia_nunes
 
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdfINFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdfMARCELACARNEIROGOMES
 
Trabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST'sTrabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST'sguest2e51e6
 

Semelhante a Dst’s (20)

Hiv mario martins pereira
Hiv  mario martins pereiraHiv  mario martins pereira
Hiv mario martins pereira
 
Slide do curso
Slide do cursoSlide do curso
Slide do curso
 
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
 
Dst
DstDst
Dst
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
 
Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
 
Dst
DstDst
Dst
 
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptxdoenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
doenas-sexualmente-transmissveis-160516215946.pptx
 
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
Doenças sexualmente transmissíveis (DST)
 
IST.pdf
IST.pdfIST.pdf
IST.pdf
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
 
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdfINFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS.pdf
 
PALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdfPALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdf
 
DST
DSTDST
DST
 
DST-AIDS.pptx
DST-AIDS.pptxDST-AIDS.pptx
DST-AIDS.pptx
 
Trabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST'sTrabalho Sobre DST's
Trabalho Sobre DST's
 
Dst
DstDst
Dst
 

Dst’s

  • 2. O que são DST As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de camisinha com uma pessoa que esteja infectada, e geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas.
  • 3.
  • 4. Sífilis  É uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. Manifesta-se em três estágios: primária, secundária e terciária.
  • 5. Sinais e Sintomas  A sífilis manifesta-se inicialmente como uma pequena ferida nos órgãos sexuais (cancro duro) e com ínguas (caroços) nas virilhas, que surgem entre a 2ª ou 3ª semana após a relação sexual desprotegida com pessoa infectada.
  • 6. Transmissão da sífilis  A sífilis pode ser passada de uma pessoa para outra por meio de relações sexuais desprotegidas (sem preservativos), através de transfusão de sangue contaminado (que hoje em dia é muito raro em razão do controle do sangue doado), e durante a gestação e o parto (de mãe infectada para o bebê).
  • 7. Prevenção Como não há perspectiva de desenvolvimento de vacina, em curto prazo, a prevenção recai sobre a educação em saúde: uso regular de preservativos, diagnóstico precoce em mulheres em idade reprodutiva e parceiros, e realização do teste diagnóstico por mulheres com intenção de engravidar.
  • 8. Tratamento O tratamento mais indicado para a sífilis é a utilização do mais antigo dos antibióticos: a penicilina. Se não tratada, a sífilis progride, torna-se crônica e pode comprometer várias partes do corpo ou levar à morte.
  • 9.
  • 11. Condiloma Genital O condiloma genital é uma lesão na região genital, causada pelo Papilomavirus Humano (HPV). A doença é também conhecida como crista de galo, figueira ou cavalo de crista.
  • 12. Sinais e Sintomas O HPV provoca verrugas, com aspecto de couve-flor e de tamanhos variáveis, nos órgãos genitais. Pode ainda estar relacionado ao aparecimento de alguns tipos de câncer, principalmente no colo do útero, mas também no pênis ou no ânus. Porém, nem todo caso de infecção pelo HPV irá causar câncer.
  • 13. Formas de contágio A infecção pelo HPV é muito comum. Esse vírus é transmitido pelo contato direto com a pele contaminada, mesmo quando essa não apresenta lesões visíveis. A transmissão também pode ocorrer durante o sexo oral. Há, ainda, a possibilidade de contaminação por meio de objetos como toalhas, roupas íntimas, vasos sanitários ou banheiras.
  • 14. Prevenção Não existe forma de prevenção 100% segura, já que o HPV pode ser transmitido até mesmo por meio de uma toalha ou outro objeto. Calcula-se que o uso da camisinha consiga barrar entre 70% e 80% das transmissões, e sua efetividade não é maior porque o vírus pode estar alojado em outro local, não necessariamente no pênis, mas também na pele da região pubiana, períneo e ânus.
  • 15. Tratamento O tratamento do HPV pode ser feito por meio de diversos métodos: químicos, quimioterápicos, imunoterápicos e cirúrgicos. A maioria deles destruirá o tecido doente.
  • 17. Herpes Genital É uma doença que aparece e desaparece sozinha, de tempos em tempos, dependendo de certos fatores como estresse, cansaço, esforço exagerado, febre, exposição ao sol, traumatismo e menstruação.
  • 18. Sinais e Sintomas Manifesta-se através de pequenas bolhas localizadas principalmente na parte externa da vagina e na ponta do pênis. Essas bolhas podem arder e causam coceira intensa. Ao se coçar, a pessoa pode romper a bolha, causando uma ferida.
  • 19. Formas de contágio O herpes genital é transmitido por meio de relação sexual (oral, anal ou vaginal) desprotegida (sem uso da camisinha). Essa doença é bastante contagiosa e a transmissão ocorre quando as pequenas bolhas, que se formam durante a manifestação dos sintomas, se rompem, ocasionando uma ferida e eliminando o líquido do seu interior.
  • 20. Prevenção Uso de preservativo em todas as relações sexuais, vaginais, orais e anais.
  • 21. Tratamento A herpes é altamente transmissível. Por isso, a primeira orientação aos pacientes sempre diz respeito aos cuidados locais de higiene: lavar bem as mãos, evitar contato direto com outras pessoas e não furar as bolhas sob nenhum pretexto são recomendações importantes.
  • 23. Doença infecto-contagiosa que se caracteriza pela presença de abundante secreção purulenta (corrimento) pela uretra no homem e vagina e/ou uretra na mulher. Este quadro frequentemente é precedido por prurido (coceira) na uretra e ardência ao urinar. Em alguns casos podem ocorrer sintomas gerais, como a febre. Nas mulheres os sintomas são mais brandos ou podem estar ausentes (maioria dos casos). Gonorréia
  • 24. Complicações/Consequências Aborto espontâneo, parto de bebê morto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Doenças Inflamatórias em geral.
  • 25. Transmissão Relação sexual. O risco de transmissão é superior a 90%, isto é, ao se ter um relacionamento sexual com um(a) parceiro(a) doente, o risco de contaminar-se é de cerca de 90%.
  • 26. Tratamento O tratamento é feito por antibióticos, mas só o médico pode orientar. Remédios caseiros não adianta. Vergonha de ir ao médico é bobagem: só piora as coisas.
  • 28.
  • 30. O que é É uma infecção causada pela bactéria Klebsiella granulomatis, que afeta a pele e mucosas das regiões da genitália, da virilha e do ânus. Causa úlceras e destrói a pele infectada. É mais frequente no Norte do Brasil e em pessoas com baixo nível socioeconômico e higiênico.
  • 31. Sinais e sintomas Os sintomas incluem caroços e feridas vermelhas e sangramento fácil. Após a infecção, surge uma lesão nos órgãos genitais que lentamente se transforma em úlcera ou caroço vermelho.
  • 32. Tratamento O tratamento, com uso de antibióticos, deve ser prescrito pelo profissional de saúde após avaliação cuidadosa.
  • 34.
  • 36. O que é O cancro mole pode ser chamado de cancro venéreo, mas seu nome mais popular é “cavalo”. Provocado pela bactéria Haemophilus ducreyi, é mais frequente nas regiões tropicais, como o Brasil.
  • 37. Formas de contágio A transmissão ocorre pela relação sexual com uma pessoa infectada, sendo o uso da camisinha a melhor forma de prevenção.
  • 38. Sinais e sintomas Os primeiros sintomas - dor de cabeça, febre e fraqueza - aparecem de dois a 15 dias após o contágio. Depois, surgem pequenas e dolorosas feridas com pus nos órgãos genitais, que aumentam progressivamente de tamanho e profundidade. A seguir, aparecem outras lesões em volta das primeiras.
  • 39. Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento com antibiótico adequado.
  • 41. Tricomoníase O que é É uma infecção causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis. Nas mulheres, ataca o colo do útero, a vagina e a uretra, e nos homens, o pênis.
  • 42. Sinais e Sintomas Os sintomas mais comuns são dor durante a relação sexual, ardência e dificuldade para urinar, coceira nos órgãos sexuais, porém a maioria das pessoas infectadas não sente alterações no organismo.
  • 43. Formas de contágio A doença pode ser transmitida pelo sexo sem camisinha com uma pessoa infectada. Para evitá-la, é necessário usar camisinha em todas as relações sexuais (vaginais, orais ou anais). É a forma mais simples e eficaz de evitar uma doença sexualmente transmissível.
  • 44. Tratamento Na presença de qualquer sinal ou sintoma dessa DST, é recomendado procurar um profissional de saúde, para o diagnóstico correto e indicação do tratamento adequado. Os parceiros também precisam de tratamento, para que não haja nova contaminação da doença.
  • 45. AIDS
  • 46. O perigo da AIDS Embora a AIDS seja comumente identificada como doença, na verdade trata-se de uma síndrome. A palavra síndrome caracteriza um conjunto de sinais e de sintomas que podem ser produzidos por mais de uma causa. O termo AIDS vem da sigla da expressão inglesa acquired immuno deficiency syndrome, que significa síndrome da imunodeficiência adquirida. É causado por um grupo de vírus, chamadoHIV, que invadem certas células – alguns tipos de glóbulos brancos do sangue – responsáveis pela defesa do organismo.
  • 48.
  • 49.  ALUNOS:  Franciele  Felipe  Rebeca  Sabrina  SÉRIE: 1°:B  POFESSORA:  Fernanda