SlideShare uma empresa Scribd logo
DoençasDoenças
SexualmenteSexualmente
TransmissíveisTransmissíveis
O que são DST?O que são DST?
 Sigla de Doença Sexualmente
Transmissível. Engloba qualquer doença
infecciosa causada por micro organismos
transmitidos por contacto sexual.
Doenas s1-1198788038494860-3
DST’s mais comunsDST’s mais comuns
 hepatite B;
 herpes genital;
 Gonorreia;
 Sífilis;
 Candidíase;
 Tricomoníase;
 Papiloma Humano;
 Verruga genital;
 HIV ( SIDA)
Hepatite B
O que é?O que é?
 A hepatite B, provocada pelo vírus VHB´, é a
mais perigosa das hepatites e uma das
doenças mais frequentes do mundo, estimando-
se que existem 350 milhões de portadores
crónicos do vírus. Estes portadores podem
desenvolver:
 Doenças hepáticas graves (cirrose, cancro do
fígado);
 Patologias
Como se transmite?Como se transmite?
 Sangue e fluidos corporais de uma
pessoa infectada.
SintomasSintomas
 Mal estar generalizado;
 Dores de cabeça e no corpo;
 Cansaço fácil;
 Falta de apetite;
 Febre;
 Coloração amarelada das mucosas e da pele (ictericia)
 Coceira no corpo;
 Urina escura (cor de chá escuro ou Coca-Cola);
 Fezes claras (cor de massa de vidraceiro)
TratamentoTratamento
 Não requer tratamento medicamentoso
especifico;
 Remédio para as náuseas, vómitos e
coceira (uso ocasional).
PrevençãoPrevenção
 Vacina;
 Uso de preservativo;
Herpes genitalHerpes genital
O que é?O que é?
 É uma doença de transmissão sexual da zona genital (a
pele que rodeia o recto ou as áreas adjacentes),
causada pelo vírus do Herpes simples;
 Existem dois tipos de vírus de herpes simples:
 VHS-1 -> em geral infecta a boca;
 VHS-2 -> Transmite-se por via sexual.
-> Ambos os tipos podem infectar os órgãos
genitais, e a pele que rodeia o recto ou as mãos, e
podem ser transmitidos a outras partes (superfície dos
olhos).
Doenas s1-1198788038494860-3
TransmissãoTransmissão
 Via sexual;
 A infecção genital do tipo 2 é mais comum
nas mulheres provavelmente porque a
transmissão Homem – para - Mulher seja
mais provável do que Mulher – para –
Homem;
SintomasSintomas
 Formigueiro e dores;
 Pequena placa avermelhada;
 Bolhas pequenas dolorosas;
 Dificuldade em urinar;
 Dor ao andar;
 Sensibilidade ao tacto nas virilhas;
 Febre e mal-estar.
Onde aparece?Onde aparece?
Doenas s1-1198788038494860-3
HomemHomem
 Vesículas e úlceras podem aparecer em
qualquer parte do pénis, incluído o
prepúcio.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
MulherMulher
 Aparece na vulva, dentro e fora da vagina
e no colo do útero.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
TratamentoTratamento
 Não há tratamento que cure herpes,
porem medicamentos anti virais podem
diminuir e prevenir as erupções.
 Adicionalmente, terapia diária de
repressão ao Herpes sintomático pode
reduzir o risco de transmissão para o
parceiro sexual.
PrevençãoPrevenção
 Não ter relações sexuais com o parceiro
sexual infectado;
 Usar preservativo de látex;
 Teste sanguíneo para determinar o risco
de contagio.
GonorreiaGonorreia
O que é?O que é?
 Causa pela bactéria Neisseria
gororrhoeae, que infecta o revestimento
mucoso da uretra, do colo uterino, do
recto e da garganta ou da membrana
branco (conjuntiva) dos olhos.
Doenas s1-1198788038494860-3
Como se transmite?Como se transmite?
 È transmitida de pessoa para pessoa
durante o sexo vaginal, anal ou oral.
 Os recém-nascidos podem ser infectados
à nascença com possíveis danos
oculares.
SintomasSintomas
 Os sintomas aparecem normalmente 10
dias depois da exposição.
No homemNo homem
 Os primeiros sintomas aparecem de 2 a 7 dias
depois da infecção.
 Dores ligeiras na uretra.
 Dor intensa a urinar;
 Secreção de pus provenientes do pénis;
 Necessidade frequentes de urinar.
 Orifício do pénis pode adoptar uma cor
vermelha e inchar.
 Pode provocar a infertilidade.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Na mulherNa mulher
 Os primeiros sintomas surgem entre 7 e 21 dias após a
infecção.
 Necessidade frequente de urinar;
 Dor ao urinar;
 Secreção vaginal;
 Febre;
 Causa infertilidade,
 As mulheres infectadas não apresentam habitualmente sintomas
durante semanas ou meses e a doença só se descobre depois de
se ter diagnosticado a mesma afecção no seu parceiro masculino.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
TratamentoTratamento
 Medicação diária (duas a quatro vezes ao
dia) durante uma semana;
 Evitar sexo durante o tratamento;
 Diagnosticar os parceiros.
PrevençãoPrevenção
 Adopção de comportamentos sexuais seguros;
 Evitar múltiplos parceiros sexuais;
 Usar preservativo;
 As mulheres (em especial as que têm um
dispositivo intra-uterino) devem ser vigiadas
regularmente para despiste de infecções
silenciosas porque existe o risco de propagação
da infecção as trompas e aos ovários.
SífilisSífilis
O que é?O que é?
 DST causada pela bactéria treponema
pallidum;
 Propaga-se por todo o organismo através
do sangue;
 Pode causar infertilidade.
Doenas s1-1198788038494860-3
Transmissão
 Durante as relações sexuais (oral, vaginal
ou anal);
 Durante o parto.
SintomasSintomas
 Costumam começar de 1 a 13 semanas
depois do contagio. Passando por vários
estádios.
 A infecção pode durar muitos anos e
raramente provoca lesões cardíacas,
cerebrais ou a morte.
Fase 1: IncubaçãoFase 1: Incubação
 Quando ocorre primeira infecção.
 Não existem sintomas nesta fase;
 Podem decorrer entre 10 a 90 dias ate
que um teste de sangue revela a doença.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Fase 2: Sífilis primáriaFase 2: Sífilis primária
 Aparece um lesão rosada ou ulcerada,
geralmente indolor que podendo passar
despercebida (no pénis, vagina, boca ou
ânus).
 Gânglios linfáticos inchados;
Doenas s1-1198788038494860-3
Fase 3: sífilisFase 3: sífilis
secundáriasecundária
 Lesões generalizadas especialmente nas
mãos e pés,
 Manchas ou pápulas com escamação.
 Facilmente transmissível e detectável num
teste de sangue.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Fase 4: Sífilis latenteFase 4: Sífilis latente
 Esta fase pode durar de 5 a 20 anos sem
sintomas específicos;
 Apesar da bactéria permanecer no corpo
e de poder causar diversos problemas
sérios de saúde, não é transmissível
nesta fase.
Fase 5: Sífilis terciáriaFase 5: Sífilis terciária
 São visíveis os danos causados no
organismo;
 Problemas na pele;
 Cérebro;
 Coração ou articulações;
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
TratamentoTratamento
 Injecções de antibióticos ( normalmente
penicilina) para elimina a bactéria;
 Teste de sangue regulares.
PrevençãoPrevenção
 uso de preservativo;
 Abstinência sexual enquanto os sintomas
tiverem presentes.
CandidíaseCandidíase
O que é?O que é?
 É uma infecção causada por uma
levedura (fungos), este existe na maioia
das pessoas e é controlado pelo sistema
imunitário, afectando a vagina ou o pénis;
 É habitualmente causada por candida
albicans;
Doenas s1-1198788038494860-3
TransmissãoTransmissão
 Reside na pele e nos intestinos
propagando-se para os órgãos genitais;
 Não é habitualmente transmitida por via
sexual.
SintomasSintomas
 Na mulher:Na mulher:
 Irritação na vagina e na vulva;
 Secreção vaginal ligeira;
 Vermelhidão e inflamação da vulva;
 A pele pode ficar em carne viva;
 A parede vaginal cobre-se de uma substancia
semelhante a um queijo branco.
Doenas s1-1198788038494860-3
SintomasSintomas
 No homem:No homem:
 Não apresenta habitualmente sintomatologia;
 Dor e irritação no pénis e no prepúcio;
 Cor avermelhado do pénis;
 Pequenas ulcerações ou vesículas com crosta e
esta coberto por uma substancia semelhante ao
queijo branco.
Doenas s1-1198788038494860-3
TratamentoTratamento
 O tratamento da candídiase não conduz a sua
eliminação. O tratamento apenas a mantém sob
controlo;
 Dois tipos de tratamento:
 Localizado (no sitio onde esta a infecção):
 Cremes;
 Óvulos para a vaginite;
 Líquidos;
 Pastilhas para se dissolver na boca.
 Sistémicos (actua em todo o corpo);
PrevençãoPrevenção
 Não se pode evitar a exposição ao fungo. Não
se utilizam em regra medicamentos para
prevenir a candidíase. Há vários motivos para
tal:
 Não é uma situação muito perigosa;
 Não a medicamentos eficazes para o seu tratamento;
 O fungo pode criar resistência aos medicamentos.
O fortalecimento do sistema imunitário tomando
as associações de antiretrovirais é a melhor
forma e prevenir a candidíase.
TricomoníaseTricomoníase
O que é?O que é?
 É uma DST da vagina e da uretra
causada por trichomonas vaginalis, um
organismo unicelular com flagelo
semelhante a um chicote;
 Os sintomas são mais frequentes entre as
mulheres. Cerca de 20% delas sofrem de
tricomoníase vaginal durante os seus
anos férteis.
Como se transmite?Como se transmite?
 É transmitida durante o sexo vaginal, não
parece ser possível a transmissão através
de sexo oral ou anal.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
SintomasSintomas
 Mulher:Mulher:
Secreção espumosa de cor verde amarelada,
proveniente da vagina;
 Dor e irritação da vulva;
Inflamação;
Dor ao urinar ou aumento da frequência de
micções;
SintomasSintomas
 Homens:Homens:
Não manifesta habitualmente sintomas mas
podem infectar as suas parceiras sexuais;
Se apresentarem sintomas:
 Secreção proveniente da uretra, que é espumosa
e semelhante ao pus;
 Frequência e dor a urinar;
 Infecção do epidídimo (dores testiculares).
TratamentoTratamento
 O tratamento é simples e eficaz através
de uma toma única, eventualmente pode
haver lugar a aplicação local de creme
diário;
 Os parceiros também devem ser tratados
mesmo que não têm sintomas;
 Evitar o sexo vaginal ate que passe uma
semana após o tratamento.
PrevençãoPrevenção
 O uso de preservativo;
 Cuidado com os instrumentos
ginecológicos; toalhas; roupas intimas;
Verruga GenitalVerruga Genital
O que é?O que é?
 São irrupções da pela semelhantes as
verrugas vulgares que aparecem nos
dedos, mas localizadas nos órgãos
genitais (pénis, testículos, vagina, vulva,
colo do útero) e na região a volta do ânus;
 É provocado pelo vírus HPV (vírus do
papiloma humano).
Doenas s1-1198788038494860-3
Como se transmite?Como se transmite?
 Através do contacto sexual;
 O HPV é pouco resistente fora do corpo
humano, no entanto pode sobreviver por
períodos curtos em objectos húmidos, o
que torna possível - embora raro – a sua
transmissão através da partilha de toalhas
e roupa interior molhada ou objectos
sexuais.
Sintomas
 Não da sintomas e as pessoas não sabem que
estão infectadas;
 No entanto, podem aparecer alguns sintomas:
 Corrimento;
 Comichão na região genital;
 Dor local que se agrava durante as relações sexuais.
 Este vírus, nas mulheres pode provocar o cancro do
colo do útero.
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
TratamentoTratamento
 Não actualmente cura definitiva para a infecção
pelo HPV;
»Há métodos mecânicos:
 Laser;
 Crioterapia;
 Excisão cirúrgica;
» Há métodos químicos
Aplicação local de uma solução cáustica;
-Vacina para o HPV.
Doenas s1-1198788038494860-3
PrevençãoPrevenção
 Abstinência sexual;
 Vacina contra o HPV.
SIDASIDA
O que é?O que é?
 Síndrome da Imunodeficiência Adquirida.
 É uma doença provocado por vírus, designados HIV-1 e
HIV-2, na família dos retro vírus.
 Uma vez instalado, este vírus, para se desenvolver e
reproduzir, invade e destrói certo tipo de células do
sangue (os linfócitos t-4), que são responsáveis pela
despreza do organismo contra infecções e contra
tumores.
 Esta doença na fase final de evolução provoca portanto
uma diminuição total da capacidade do nosso organismo
resistir a infecções mesmo as mais simples, tomando-as
tão graves e tão difíceis de tratar, que acabam por
conduzir a morte.
Doenas s1-1198788038494860-3
Como se transmite?Como se transmite?
- Através do sangue;
- Infecções na veia;
- Relações sexuais;
- Pela gravidez;
SintomasSintomas
 Fase 1:Fase 1:
 (Dura semanas a 6 meses);
 Sentimo-nos doentes.
 O teste pode dar negativo mas pode
haver transmissão do vírus.
SintomasSintomas
 Fase 2:Fase 2:
 (Geralmente pode durar de 1 a 5 anos);
 Aparência saudável mas o teste já dá
positivo;
SintomasSintomas
 Fase 3:Fase 3:
 (Não tem tempo determinado);
 Cansaço e fraqueza;
 Emagrecimento sem causa aparente;
 Febre continua;
 Suores nocturnos;
 Tosse seca, prolongada, sem ter bronquite ou
ser fumador;
 Diarreia prolongada.
Doenas s1-1198788038494860-3
SintomasSintomas
 Fase 4:Fase 4:
 (Pode ocorrer no período de meses ou anos);
 Diminuição das defesas do corpo;
 Pneumonia;
 Cancro;
 Diversos tipos de infecções e problemas no
cérebro;
Doenas s1-1198788038494860-3
TratamentoTratamento
 Não há um verdadeiro e eficaz tratamento
para a doença, que irradique
definitivamente o vírus do organismo;
 Existe, no entanto, um grupo de
medicamentos que podem diminuir a
multiplicação dos vírus.
PrevençãoPrevenção
 Uso de preservativo
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
Doenas s1-1198788038494860-3
 http://www.aides.org/multimedia/clips-videos-e
 http://www.youtube.com/watch?v=APNof8TV2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalhoDoenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
joselene beatriz
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
MayaraJoventino1
 
mosquito da Dengue
mosquito da Denguemosquito da Dengue
mosquito da Dengue
Vanderley Da Silva Acstro
 
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Janielson Lima
 
Ist (1)
Ist (1)Ist (1)
Ist (1)
Conju1
 
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
CELEYCOELHODESOUZA
 
Prevenção e controle de infecção
Prevenção e controle de infecçãoPrevenção e controle de infecção
Prevenção e controle de infecção
Sallus Consultoria e Treinamento em Saúde
 
ESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptx
ESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptxESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptx
ESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptx
ElissandraMalaquias
 
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Carlos Priante
 
Candidiase - tratamento candidiase vulvovaginal
Candidiase - tratamento candidiase vulvovaginalCandidiase - tratamento candidiase vulvovaginal
Candidiase - tratamento candidiase vulvovaginal
Karen Zanferrari
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
Socorro Carneiro
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
Monara Bittencourt
 
Hanseníase resumo
Hanseníase resumoHanseníase resumo
Hanseníase resumo
Nathy Oliveira
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
Soraya Lima
 
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Bio Sem Limites
 
biossegurança
biossegurançabiossegurança
biossegurança
João Junior
 
Apresentação1 vaginite
Apresentação1 vaginiteApresentação1 vaginite
Apresentação1 vaginite
Cláudia Sofia
 
Aula técnica de higiene das mãos
Aula  técnica de higiene das mãosAula  técnica de higiene das mãos
Aula técnica de higiene das mãos
Áurea Fabrícia Amâncio Quirino
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
Leonardo Souza
 
5ª aula desinfecção e esterilização
5ª aula   desinfecção e esterilização5ª aula   desinfecção e esterilização
5ª aula desinfecção e esterilização
Jeremias Salomão
 

Mais procurados (20)

Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalhoDoenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
 
mosquito da Dengue
mosquito da Denguemosquito da Dengue
mosquito da Dengue
 
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
Doença sexualmente transmissível HPV, Clamídia, Gonorreia e Linfogranuloma ve...
 
Ist (1)
Ist (1)Ist (1)
Ist (1)
 
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
_Administrao_de_Medicamentos-1.ppt
 
Prevenção e controle de infecção
Prevenção e controle de infecçãoPrevenção e controle de infecção
Prevenção e controle de infecção
 
ESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptx
ESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptxESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptx
ESCOVAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS-convertido.pptx
 
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
Aula 6 dst (doenças sexualmente transmissíveis)
 
Candidiase - tratamento candidiase vulvovaginal
Candidiase - tratamento candidiase vulvovaginalCandidiase - tratamento candidiase vulvovaginal
Candidiase - tratamento candidiase vulvovaginal
 
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
1a Aula- A enfermagem como profissão,_Cnceitos SAE e PE.pptx
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Hanseníase resumo
Hanseníase resumoHanseníase resumo
Hanseníase resumo
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
 
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)Doenças sexualmente  transmissíveis (dst’s)
Doenças sexualmente transmissíveis (dst’s)
 
biossegurança
biossegurançabiossegurança
biossegurança
 
Apresentação1 vaginite
Apresentação1 vaginiteApresentação1 vaginite
Apresentação1 vaginite
 
Aula técnica de higiene das mãos
Aula  técnica de higiene das mãosAula  técnica de higiene das mãos
Aula técnica de higiene das mãos
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
 
5ª aula desinfecção e esterilização
5ª aula   desinfecção e esterilização5ª aula   desinfecção e esterilização
5ª aula desinfecção e esterilização
 

Destaque

DST's....
DST's....DST's....
DST's....
Gabriela Bruno
 
Doenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dstDoenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dst
Mariana Rei Ferreira
 
Hepatites 120426075922-phpapp01
Hepatites 120426075922-phpapp01Hepatites 120426075922-phpapp01
Hepatites 120426075922-phpapp01
Pelo Siro
 
Ist01 100704154404-phpapp02
Ist01 100704154404-phpapp02Ist01 100704154404-phpapp02
Ist01 100704154404-phpapp02
Pelo Siro
 
Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01
Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01
Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01
Pelo Siro
 
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Pelo Siro
 
Dst 1231-1212703957830499-9
Dst 1231-1212703957830499-9Dst 1231-1212703957830499-9
Dst 1231-1212703957830499-9
Pelo Siro
 
Métodos Contraceptivos e DST´s
Métodos Contraceptivos e DST´sMétodos Contraceptivos e DST´s
Métodos Contraceptivos e DST´s
Patrícia Santos
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
Saúde Hervalense
 
Dst Vulnerabilidades
Dst VulnerabilidadesDst Vulnerabilidades
Dst Vulnerabilidades
marazuen
 
Cad hivaids hepatites e outras dst
Cad hivaids  hepatites e outras dstCad hivaids  hepatites e outras dst
Cad hivaids hepatites e outras dst
Gabriela Santa Cruz
 
Hpv tira15
Hpv tira15Hpv tira15
Hpv tira15
Lukas Rodrigo
 
Dani apresenta HPV sintomas e prevenções
Dani apresenta HPV sintomas e prevenções Dani apresenta HPV sintomas e prevenções
Dani apresenta HPV sintomas e prevenções
Danidepaula
 
Vírus
VírusVírus
DST- Hpv
DST- HpvDST- Hpv
DST- Hpv
Miriã Sartin
 
Hpv
HpvHpv
Vírus do papiloma humano
Vírus do papiloma humanoVírus do papiloma humano
Vírus do papiloma humano
ketymendes1
 
Educação Para A Saúde - Sexualidade
Educação Para A Saúde - SexualidadeEducação Para A Saúde - Sexualidade
Educação Para A Saúde - Sexualidade
dulcemarr
 
Consenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulva
Consenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulvaConsenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulva
Consenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulva
Arquivo-FClinico
 
HPV - Virus do Papiloma Humano
HPV - Virus do Papiloma HumanoHPV - Virus do Papiloma Humano
HPV - Virus do Papiloma Humano
João Paulo Leite
 

Destaque (20)

DST's....
DST's....DST's....
DST's....
 
Doenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dstDoenças sexualmente transmissiveis dst
Doenças sexualmente transmissiveis dst
 
Hepatites 120426075922-phpapp01
Hepatites 120426075922-phpapp01Hepatites 120426075922-phpapp01
Hepatites 120426075922-phpapp01
 
Ist01 100704154404-phpapp02
Ist01 100704154404-phpapp02Ist01 100704154404-phpapp02
Ist01 100704154404-phpapp02
 
Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01
Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01
Doenasxesoalmentetotalmentetransmissiveis 121022092744-phpapp01
 
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
Doenassexualmentetransmissiveis2 100404123423-phpapp02
 
Dst 1231-1212703957830499-9
Dst 1231-1212703957830499-9Dst 1231-1212703957830499-9
Dst 1231-1212703957830499-9
 
Métodos Contraceptivos e DST´s
Métodos Contraceptivos e DST´sMétodos Contraceptivos e DST´s
Métodos Contraceptivos e DST´s
 
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTsDOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - DSTs
 
Dst Vulnerabilidades
Dst VulnerabilidadesDst Vulnerabilidades
Dst Vulnerabilidades
 
Cad hivaids hepatites e outras dst
Cad hivaids  hepatites e outras dstCad hivaids  hepatites e outras dst
Cad hivaids hepatites e outras dst
 
Hpv tira15
Hpv tira15Hpv tira15
Hpv tira15
 
Dani apresenta HPV sintomas e prevenções
Dani apresenta HPV sintomas e prevenções Dani apresenta HPV sintomas e prevenções
Dani apresenta HPV sintomas e prevenções
 
Vírus
VírusVírus
Vírus
 
DST- Hpv
DST- HpvDST- Hpv
DST- Hpv
 
Hpv
HpvHpv
Hpv
 
Vírus do papiloma humano
Vírus do papiloma humanoVírus do papiloma humano
Vírus do papiloma humano
 
Educação Para A Saúde - Sexualidade
Educação Para A Saúde - SexualidadeEducação Para A Saúde - Sexualidade
Educação Para A Saúde - Sexualidade
 
Consenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulva
Consenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulvaConsenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulva
Consenso sobre infecção hpv e lesões intraepiteliais do colo, vagina e vulva
 
HPV - Virus do Papiloma Humano
HPV - Virus do Papiloma HumanoHPV - Virus do Papiloma Humano
HPV - Virus do Papiloma Humano
 

Semelhante a Doenas s1-1198788038494860-3

DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
tiafer96
 
Aids
AidsAids
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Marcelo Henrique
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
Débora França Baltar
 
Dst’s
Dst’sDst’s
DSTs
DSTsDSTs
DST
DSTDST
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
Vania Ribeiro
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
Vania Ribeiro
 
DST
DSTDST
DST
DSTDST
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdfaids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
TiagoSantos74563
 
IST'S.pdf
IST'S.pdfIST'S.pdf
IST'S.pdf
TrcioSantos4
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
Cristina0910
 
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Alina del Carmen Cowen
 
DSTs
DSTsDSTs
PALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdfPALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdf
MarcileneFerreira6
 
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsxDoenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
mariafernandes
 
Dst’s
Dst’s Dst’s
Dst’s
Cris Marques
 
Dst
DstDst

Semelhante a Doenas s1-1198788038494860-3 (20)

DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Dst’s
Dst’sDst’s
Dst’s
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
DST
DSTDST
DST
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
 
DST
DSTDST
DST
 
DST
DSTDST
DST
 
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdfaids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
aids-120503054146-phpapp02 (1).pdf
 
IST'S.pdf
IST'S.pdfIST'S.pdf
IST'S.pdf
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
 
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
PALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdfPALESTRA SOBRE DST.pdf
PALESTRA SOBRE DST.pdf
 
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsxDoenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
Doenças sexualmente transmissíveis 1.ppsx
 
Dst’s
Dst’s Dst’s
Dst’s
 
Dst
DstDst
Dst
 

Mais de Pelo Siro

1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas
Pelo Siro
 
11955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 111955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 1
Pelo Siro
 
1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros
Pelo Siro
 
1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais
Pelo Siro
 
119625756 motsser2
119625756 motsser2119625756 motsser2
119625756 motsser2
Pelo Siro
 
119999888 revisoes
119999888 revisoes119999888 revisoes
119999888 revisoes
Pelo Siro
 
119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos
Pelo Siro
 
2146
21462146
2146
Pelo Siro
 
2079
20792079
2079
Pelo Siro
 
2080
20802080
2080
Pelo Siro
 
2064
20642064
2064
Pelo Siro
 
2061
20612061
2061
Pelo Siro
 
2060
20602060
2060
Pelo Siro
 
2032
20322032
2032
Pelo Siro
 
2031
20312031
2031
Pelo Siro
 
2019
20192019
2019
Pelo Siro
 
2018
20182018
2018
Pelo Siro
 
2017
20172017
2017
Pelo Siro
 
2015
20152015
2015
Pelo Siro
 
2014
20142014
2014
Pelo Siro
 

Mais de Pelo Siro (20)

1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas1195593414 substancias quimicas
1195593414 substancias quimicas
 
11955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 111955889 121.derrames 1
11955889 121.derrames 1
 
1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros1196259117 primeiros socorros
1196259117 primeiros socorros
 
1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais1199995673 riscos profissionais
1199995673 riscos profissionais
 
119625756 motsser2
119625756 motsser2119625756 motsser2
119625756 motsser2
 
119999888 revisoes
119999888 revisoes119999888 revisoes
119999888 revisoes
 
119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos119558341 123.avaliacao de_riscos
119558341 123.avaliacao de_riscos
 
2146
21462146
2146
 
2079
20792079
2079
 
2080
20802080
2080
 
2064
20642064
2064
 
2061
20612061
2061
 
2060
20602060
2060
 
2032
20322032
2032
 
2031
20312031
2031
 
2019
20192019
2019
 
2018
20182018
2018
 
2017
20172017
2017
 
2015
20152015
2015
 
2014
20142014
2014
 

Doenas s1-1198788038494860-3

  • 2. O que são DST?O que são DST?  Sigla de Doença Sexualmente Transmissível. Engloba qualquer doença infecciosa causada por micro organismos transmitidos por contacto sexual.
  • 4. DST’s mais comunsDST’s mais comuns  hepatite B;  herpes genital;  Gonorreia;  Sífilis;  Candidíase;  Tricomoníase;  Papiloma Humano;  Verruga genital;  HIV ( SIDA)
  • 6. O que é?O que é?  A hepatite B, provocada pelo vírus VHB´, é a mais perigosa das hepatites e uma das doenças mais frequentes do mundo, estimando- se que existem 350 milhões de portadores crónicos do vírus. Estes portadores podem desenvolver:  Doenças hepáticas graves (cirrose, cancro do fígado);  Patologias
  • 7. Como se transmite?Como se transmite?  Sangue e fluidos corporais de uma pessoa infectada.
  • 8. SintomasSintomas  Mal estar generalizado;  Dores de cabeça e no corpo;  Cansaço fácil;  Falta de apetite;  Febre;  Coloração amarelada das mucosas e da pele (ictericia)  Coceira no corpo;  Urina escura (cor de chá escuro ou Coca-Cola);  Fezes claras (cor de massa de vidraceiro)
  • 9. TratamentoTratamento  Não requer tratamento medicamentoso especifico;  Remédio para as náuseas, vómitos e coceira (uso ocasional).
  • 12. O que é?O que é?  É uma doença de transmissão sexual da zona genital (a pele que rodeia o recto ou as áreas adjacentes), causada pelo vírus do Herpes simples;  Existem dois tipos de vírus de herpes simples:  VHS-1 -> em geral infecta a boca;  VHS-2 -> Transmite-se por via sexual. -> Ambos os tipos podem infectar os órgãos genitais, e a pele que rodeia o recto ou as mãos, e podem ser transmitidos a outras partes (superfície dos olhos).
  • 14. TransmissãoTransmissão  Via sexual;  A infecção genital do tipo 2 é mais comum nas mulheres provavelmente porque a transmissão Homem – para - Mulher seja mais provável do que Mulher – para – Homem;
  • 15. SintomasSintomas  Formigueiro e dores;  Pequena placa avermelhada;  Bolhas pequenas dolorosas;  Dificuldade em urinar;  Dor ao andar;  Sensibilidade ao tacto nas virilhas;  Febre e mal-estar.
  • 18. HomemHomem  Vesículas e úlceras podem aparecer em qualquer parte do pénis, incluído o prepúcio.
  • 22. MulherMulher  Aparece na vulva, dentro e fora da vagina e no colo do útero.
  • 25. TratamentoTratamento  Não há tratamento que cure herpes, porem medicamentos anti virais podem diminuir e prevenir as erupções.  Adicionalmente, terapia diária de repressão ao Herpes sintomático pode reduzir o risco de transmissão para o parceiro sexual.
  • 26. PrevençãoPrevenção  Não ter relações sexuais com o parceiro sexual infectado;  Usar preservativo de látex;  Teste sanguíneo para determinar o risco de contagio.
  • 28. O que é?O que é?  Causa pela bactéria Neisseria gororrhoeae, que infecta o revestimento mucoso da uretra, do colo uterino, do recto e da garganta ou da membrana branco (conjuntiva) dos olhos.
  • 30. Como se transmite?Como se transmite?  È transmitida de pessoa para pessoa durante o sexo vaginal, anal ou oral.  Os recém-nascidos podem ser infectados à nascença com possíveis danos oculares.
  • 31. SintomasSintomas  Os sintomas aparecem normalmente 10 dias depois da exposição.
  • 32. No homemNo homem  Os primeiros sintomas aparecem de 2 a 7 dias depois da infecção.  Dores ligeiras na uretra.  Dor intensa a urinar;  Secreção de pus provenientes do pénis;  Necessidade frequentes de urinar.  Orifício do pénis pode adoptar uma cor vermelha e inchar.  Pode provocar a infertilidade.
  • 35. Na mulherNa mulher  Os primeiros sintomas surgem entre 7 e 21 dias após a infecção.  Necessidade frequente de urinar;  Dor ao urinar;  Secreção vaginal;  Febre;  Causa infertilidade,  As mulheres infectadas não apresentam habitualmente sintomas durante semanas ou meses e a doença só se descobre depois de se ter diagnosticado a mesma afecção no seu parceiro masculino.
  • 38. TratamentoTratamento  Medicação diária (duas a quatro vezes ao dia) durante uma semana;  Evitar sexo durante o tratamento;  Diagnosticar os parceiros.
  • 39. PrevençãoPrevenção  Adopção de comportamentos sexuais seguros;  Evitar múltiplos parceiros sexuais;  Usar preservativo;  As mulheres (em especial as que têm um dispositivo intra-uterino) devem ser vigiadas regularmente para despiste de infecções silenciosas porque existe o risco de propagação da infecção as trompas e aos ovários.
  • 41. O que é?O que é?  DST causada pela bactéria treponema pallidum;  Propaga-se por todo o organismo através do sangue;  Pode causar infertilidade.
  • 43. Transmissão  Durante as relações sexuais (oral, vaginal ou anal);  Durante o parto.
  • 44. SintomasSintomas  Costumam começar de 1 a 13 semanas depois do contagio. Passando por vários estádios.  A infecção pode durar muitos anos e raramente provoca lesões cardíacas, cerebrais ou a morte.
  • 45. Fase 1: IncubaçãoFase 1: Incubação  Quando ocorre primeira infecção.  Não existem sintomas nesta fase;  Podem decorrer entre 10 a 90 dias ate que um teste de sangue revela a doença.
  • 48. Fase 2: Sífilis primáriaFase 2: Sífilis primária  Aparece um lesão rosada ou ulcerada, geralmente indolor que podendo passar despercebida (no pénis, vagina, boca ou ânus).  Gânglios linfáticos inchados;
  • 50. Fase 3: sífilisFase 3: sífilis secundáriasecundária  Lesões generalizadas especialmente nas mãos e pés,  Manchas ou pápulas com escamação.  Facilmente transmissível e detectável num teste de sangue.
  • 54. Fase 4: Sífilis latenteFase 4: Sífilis latente  Esta fase pode durar de 5 a 20 anos sem sintomas específicos;  Apesar da bactéria permanecer no corpo e de poder causar diversos problemas sérios de saúde, não é transmissível nesta fase.
  • 55. Fase 5: Sífilis terciáriaFase 5: Sífilis terciária  São visíveis os danos causados no organismo;  Problemas na pele;  Cérebro;  Coração ou articulações;
  • 58. TratamentoTratamento  Injecções de antibióticos ( normalmente penicilina) para elimina a bactéria;  Teste de sangue regulares.
  • 59. PrevençãoPrevenção  uso de preservativo;  Abstinência sexual enquanto os sintomas tiverem presentes.
  • 61. O que é?O que é?  É uma infecção causada por uma levedura (fungos), este existe na maioia das pessoas e é controlado pelo sistema imunitário, afectando a vagina ou o pénis;  É habitualmente causada por candida albicans;
  • 63. TransmissãoTransmissão  Reside na pele e nos intestinos propagando-se para os órgãos genitais;  Não é habitualmente transmitida por via sexual.
  • 64. SintomasSintomas  Na mulher:Na mulher:  Irritação na vagina e na vulva;  Secreção vaginal ligeira;  Vermelhidão e inflamação da vulva;  A pele pode ficar em carne viva;  A parede vaginal cobre-se de uma substancia semelhante a um queijo branco.
  • 66. SintomasSintomas  No homem:No homem:  Não apresenta habitualmente sintomatologia;  Dor e irritação no pénis e no prepúcio;  Cor avermelhado do pénis;  Pequenas ulcerações ou vesículas com crosta e esta coberto por uma substancia semelhante ao queijo branco.
  • 68. TratamentoTratamento  O tratamento da candídiase não conduz a sua eliminação. O tratamento apenas a mantém sob controlo;  Dois tipos de tratamento:  Localizado (no sitio onde esta a infecção):  Cremes;  Óvulos para a vaginite;  Líquidos;  Pastilhas para se dissolver na boca.  Sistémicos (actua em todo o corpo);
  • 69. PrevençãoPrevenção  Não se pode evitar a exposição ao fungo. Não se utilizam em regra medicamentos para prevenir a candidíase. Há vários motivos para tal:  Não é uma situação muito perigosa;  Não a medicamentos eficazes para o seu tratamento;  O fungo pode criar resistência aos medicamentos. O fortalecimento do sistema imunitário tomando as associações de antiretrovirais é a melhor forma e prevenir a candidíase.
  • 71. O que é?O que é?  É uma DST da vagina e da uretra causada por trichomonas vaginalis, um organismo unicelular com flagelo semelhante a um chicote;  Os sintomas são mais frequentes entre as mulheres. Cerca de 20% delas sofrem de tricomoníase vaginal durante os seus anos férteis.
  • 72. Como se transmite?Como se transmite?  É transmitida durante o sexo vaginal, não parece ser possível a transmissão através de sexo oral ou anal.
  • 75. SintomasSintomas  Mulher:Mulher: Secreção espumosa de cor verde amarelada, proveniente da vagina;  Dor e irritação da vulva; Inflamação; Dor ao urinar ou aumento da frequência de micções;
  • 76. SintomasSintomas  Homens:Homens: Não manifesta habitualmente sintomas mas podem infectar as suas parceiras sexuais; Se apresentarem sintomas:  Secreção proveniente da uretra, que é espumosa e semelhante ao pus;  Frequência e dor a urinar;  Infecção do epidídimo (dores testiculares).
  • 77. TratamentoTratamento  O tratamento é simples e eficaz através de uma toma única, eventualmente pode haver lugar a aplicação local de creme diário;  Os parceiros também devem ser tratados mesmo que não têm sintomas;  Evitar o sexo vaginal ate que passe uma semana após o tratamento.
  • 78. PrevençãoPrevenção  O uso de preservativo;  Cuidado com os instrumentos ginecológicos; toalhas; roupas intimas;
  • 80. O que é?O que é?  São irrupções da pela semelhantes as verrugas vulgares que aparecem nos dedos, mas localizadas nos órgãos genitais (pénis, testículos, vagina, vulva, colo do útero) e na região a volta do ânus;  É provocado pelo vírus HPV (vírus do papiloma humano).
  • 82. Como se transmite?Como se transmite?  Através do contacto sexual;  O HPV é pouco resistente fora do corpo humano, no entanto pode sobreviver por períodos curtos em objectos húmidos, o que torna possível - embora raro – a sua transmissão através da partilha de toalhas e roupa interior molhada ou objectos sexuais.
  • 83. Sintomas  Não da sintomas e as pessoas não sabem que estão infectadas;  No entanto, podem aparecer alguns sintomas:  Corrimento;  Comichão na região genital;  Dor local que se agrava durante as relações sexuais.  Este vírus, nas mulheres pode provocar o cancro do colo do útero.
  • 89. TratamentoTratamento  Não actualmente cura definitiva para a infecção pelo HPV; »Há métodos mecânicos:  Laser;  Crioterapia;  Excisão cirúrgica; » Há métodos químicos Aplicação local de uma solução cáustica; -Vacina para o HPV.
  • 93. O que é?O que é?  Síndrome da Imunodeficiência Adquirida.  É uma doença provocado por vírus, designados HIV-1 e HIV-2, na família dos retro vírus.  Uma vez instalado, este vírus, para se desenvolver e reproduzir, invade e destrói certo tipo de células do sangue (os linfócitos t-4), que são responsáveis pela despreza do organismo contra infecções e contra tumores.  Esta doença na fase final de evolução provoca portanto uma diminuição total da capacidade do nosso organismo resistir a infecções mesmo as mais simples, tomando-as tão graves e tão difíceis de tratar, que acabam por conduzir a morte.
  • 95. Como se transmite?Como se transmite? - Através do sangue; - Infecções na veia; - Relações sexuais; - Pela gravidez;
  • 96. SintomasSintomas  Fase 1:Fase 1:  (Dura semanas a 6 meses);  Sentimo-nos doentes.  O teste pode dar negativo mas pode haver transmissão do vírus.
  • 97. SintomasSintomas  Fase 2:Fase 2:  (Geralmente pode durar de 1 a 5 anos);  Aparência saudável mas o teste já dá positivo;
  • 98. SintomasSintomas  Fase 3:Fase 3:  (Não tem tempo determinado);  Cansaço e fraqueza;  Emagrecimento sem causa aparente;  Febre continua;  Suores nocturnos;  Tosse seca, prolongada, sem ter bronquite ou ser fumador;  Diarreia prolongada.
  • 100. SintomasSintomas  Fase 4:Fase 4:  (Pode ocorrer no período de meses ou anos);  Diminuição das defesas do corpo;  Pneumonia;  Cancro;  Diversos tipos de infecções e problemas no cérebro;
  • 102. TratamentoTratamento  Não há um verdadeiro e eficaz tratamento para a doença, que irradique definitivamente o vírus do organismo;  Existe, no entanto, um grupo de medicamentos que podem diminuir a multiplicação dos vírus.