SlideShare uma empresa Scribd logo
ECOLA TECNOLÓGICA DO ESTADO DO PARÁ – EETEPA
        CURSO TÉCNICO EM AGROECOLOGIA




Dendrologia
              PARAGOMINAS 2011
ECOLA TECNOLÓGICA DO ESTADO DO PARÁ – EETEPA
           CURSO TÉCNICO EM AGROECOLOGIA




     Dendrologia
Alunos: Julyane Sued e Kenedy Leno Fernandes




                 PARAGOMINAS 2011
Dendrologia
Definição
O    termo criado por Ulisse Aldrovandi
(naturalista   Italiano,  fundador Jardim
Botânico    de Bolonha) em 1668, com a
publicação de Dendrologia.
Dendron = Árvores
Logos = Estudo
Objetivos

•   Nomenclatura de árvores
•   Classificação de árvores
•   Reconhecimento de árvores
•   Distribuição das árvores
•   Importância das espécies
    florestais
Nomenclatura das árvores
Conhecer o nome das plantas é necessidade
básica para toda e qualquer atividade
florestal. A identificação correta facilita o
acesso ao conhecimento já existente sobre
uma determinada espécie.
As árvores são nomeadas por meio da
nomenclatura científica, nomes comuns e
termos botânicos.
Nomenclatura científica

São escritos em língua padrão, franqueada às
várias nacionalidades, e organizados e avaliados
de acordo com um sistema normativo, definido em
congressos    internacionais   de   nomenclatura
botânica.


Nome comum
Existe nomes que foram criados pelas populações
(vulgares, populares e comuns). Esses termos variam
de acordo com a região, língua e época.
Cedro: Nome dado pelos colonizadores europeus
para uma árvore na época desconhecida
(Cedrela fissilis), que apresentava algumas
semelhanças com a espécie européia Cedrus.
Classificação das árvores
As    características  das    principais
famílias botânicas e como as árvores
são classificadas em famílias, gêneros e
outros grupos.
Reino
        Filo

               Classe

                Ordem
                        Família
                                  Gênero
Dendrologia
Reconhecimento de árvores
Reconhecimento de espécies arbóreas a
partir    de     suas    características
morfológicas, chaves e manuais.
Dendrologia
Morfologia
           Pequena: 10m de altura, 15cm
           DAP;    Média:    10-25m  de
   Porte   altura, 15-50cm DAP; Grande:
           25m de altura, 50cm DAP.

           Subterrânea, superficial,
   Raiz    aérea, tabular.


           Geralmente convexa (folhosas)
   Copa    ou cônica (coníferas).
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Morfologia

           Formas: Cilíndrico, acanalado e
   Caule   irregular.                 Tipo:
           Reto, tortuoso, inclinado.

           Externa(áspera,    fissurada)   e
   Casca   interna(fibrosa,arenosa,pastosa).

           Uma folha para ser completa deve
           possuir limbo, pecíolo, bainha e
   Folha   estípulas. Simples: Limbo inteiro.
           Compostas: Limbo em partes
           (folíolos).
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Morfologia
            Completas e incompletas
   Flor     (monoperiantadas, aperiant
            adas, monóica e dióica).


            Simples (Carnosos, baga[limão
   Fruto    tomate], drupa[pêssego]
            Compostos (agregados[morango] e
            múltiplos[amora]).

  Semente
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Dendrologia
Distribuição das árvores
Como as árvores são distribuídas nas zonas
climáticas e formações florestais.
Dendrologia
Importância das espécies florestais

 A importância ecológica e econômica de
 espécies arbóreas.
 Anatomia da madeira,      tecnologia da
 madeira e outros produtos, cultivo das
 espécies arbóreas e manejo de florestas
 (Silvicultura).
Importância da Dendrologia
O correto reconhecimento da identidade
botânica das espécies arbóreas é essencial para o
uso adequado dos recursos florestais, para o
manejo de florestas visando sua exploração de
forma sustentável, para a conservação de áreas
naturais e para a restauração de áreas
degradadas. No entanto, se realizada de forma
inadequada, podem existir consequências
desastrosas, como, por exemplo, na indicação de
espécies para o reflorestamento ou para serem
utilizadas    na   arborização     urbana,    na
comercialização de madeira e no uso de árvores
com o propósito medicinal.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Producao de Sementes e Mudas florestais
Producao de Sementes e Mudas florestaisProducao de Sementes e Mudas florestais
Producao de Sementes e Mudas florestais
Urialisson Queiroz
 
4 Silvicultura
4 Silvicultura4 Silvicultura
4 Silvicultura
guest1405c7
 
Manejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de PragasManejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de Pragas
AgriculturaSustentavel
 
Sistemas Agroflorestais - SAFS
Sistemas Agroflorestais - SAFSSistemas Agroflorestais - SAFS
Sistemas Agroflorestais - SAFS
Guillermo Enrique Guedes Scheel
 
Manual de silvicultura
Manual de silvicultura Manual de silvicultura
Manual de silvicultura
Carlos Alberto Monteiro
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Sistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestaisSistemas agroflorestais
Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
siterra
 
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptxAULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
MateusGonalves85
 
Sistemas Agroflorestais
Sistemas AgroflorestaisSistemas Agroflorestais
Sistemas Agroflorestais
cineone
 
Aula de construções
Aula de construçõesAula de construções
Aula de construções
Adalberto Junior
 
Técnicas de Poda
Técnicas de PodaTécnicas de Poda
Técnicas de Poda
Leandro A. Machado de Moura
 
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropecFitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
Embrapa Milho e Sorgo
 
Curso de Engenharia Florestal para Concursos
Curso de Engenharia Florestal para ConcursosCurso de Engenharia Florestal para Concursos
Curso de Engenharia Florestal para Concursos
Estratégia Concursos
 
Aula 6 compostagem
Aula 6 compostagemAula 6 compostagem
Aula 6 compostagem
Giovanna Ortiz
 
Agricultura orgânica
Agricultura orgânicaAgricultura orgânica
Agricultura orgânica
Lilianlbl
 
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentaisAspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Robson de Aguiar
 
Dendrometria - Medidas de Volume de Madeira
Dendrometria - Medidas de Volume de MadeiraDendrometria - Medidas de Volume de Madeira
Dendrometria - Medidas de Volume de Madeira
Raví Emanoel de Melo
 
Apostila colheita
Apostila colheitaApostila colheita
Apostila colheita
Aldemy
 
PRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptx
PRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptxPRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptx
PRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptx
ALEXANDREDECASTROSAL
 

Mais procurados (20)

Producao de Sementes e Mudas florestais
Producao de Sementes e Mudas florestaisProducao de Sementes e Mudas florestais
Producao de Sementes e Mudas florestais
 
4 Silvicultura
4 Silvicultura4 Silvicultura
4 Silvicultura
 
Manejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de PragasManejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de Pragas
 
Sistemas Agroflorestais - SAFS
Sistemas Agroflorestais - SAFSSistemas Agroflorestais - SAFS
Sistemas Agroflorestais - SAFS
 
Manual de silvicultura
Manual de silvicultura Manual de silvicultura
Manual de silvicultura
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
Sistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestaisSistemas agroflorestais
Sistemas agroflorestais
 
Aula 2 introdução floricultura
Aula 2   introdução floriculturaAula 2   introdução floricultura
Aula 2 introdução floricultura
 
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptxAULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
AULA 1 INTRODUÇÃO A OLERICULTURA.pptx
 
Sistemas Agroflorestais
Sistemas AgroflorestaisSistemas Agroflorestais
Sistemas Agroflorestais
 
Aula de construções
Aula de construçõesAula de construções
Aula de construções
 
Técnicas de Poda
Técnicas de PodaTécnicas de Poda
Técnicas de Poda
 
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropecFitossanidade agronegocio mg_agropec
Fitossanidade agronegocio mg_agropec
 
Curso de Engenharia Florestal para Concursos
Curso de Engenharia Florestal para ConcursosCurso de Engenharia Florestal para Concursos
Curso de Engenharia Florestal para Concursos
 
Aula 6 compostagem
Aula 6 compostagemAula 6 compostagem
Aula 6 compostagem
 
Agricultura orgânica
Agricultura orgânicaAgricultura orgânica
Agricultura orgânica
 
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentaisAspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
Aspectos ambientais do agronegócio flores e plantas ornamentais
 
Dendrometria - Medidas de Volume de Madeira
Dendrometria - Medidas de Volume de MadeiraDendrometria - Medidas de Volume de Madeira
Dendrometria - Medidas de Volume de Madeira
 
Apostila colheita
Apostila colheitaApostila colheita
Apostila colheita
 
PRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptx
PRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptxPRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptx
PRATICAS CONSERVACIONISTAS DO SOLO E DA AGUA.pptx
 

Destaque

Apostila dendrologia agosto_2007[1]
Apostila dendrologia agosto_2007[1]Apostila dendrologia agosto_2007[1]
Apostila dendrologia agosto_2007[1]
jonhcarlo2
 
Curso dendrología
Curso dendrologíaCurso dendrología
Curso dendrología
Catie Capacitacion
 
Dendrologia Tropical
Dendrologia TropicalDendrologia Tropical
Dendrologia Tropical
rileblab
 
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Hawston Pedrosa
 
áLbum dendrológico
áLbum dendrológicoáLbum dendrológico
áLbum dendrológico
Heber Quispe Huyhua
 
Ficha dendrologica 2009_manoel_claudio
Ficha dendrologica 2009_manoel_claudioFicha dendrologica 2009_manoel_claudio
Ficha dendrologica 2009_manoel_claudio
Gislene Pinheiro
 
Cartilha hortalicas
Cartilha hortalicasCartilha hortalicas
Cartilha hortalicas
Joyce Muzy
 
Jardim ecológico
Jardim ecológicoJardim ecológico
Jardim ecológico
Sergilainematos
 
Novo código florestal 2011
Novo código florestal 2011Novo código florestal 2011
Novo código florestal 2011
Deborah Freire
 
Slideshare
SlideshareSlideshare
Slideshare
MariaQuiteria
 
Composicao quimica madeira
Composicao quimica madeiraComposicao quimica madeira
Composicao quimica madeira
Fernando Lucas
 
Aula biomas
Aula biomasAula biomas
Aula biomas
Mateus Baruci
 
Apostila 6ªsérie
Apostila 6ªsérieApostila 6ªsérie
Apostila 6ªsérie
renata_muner
 
Dispersao 1 ufra
Dispersao 1 ufraDispersao 1 ufra
Dispersao 1 ufra
FlaviaVelasco
 
Biomas mundiais (1ºano)
Biomas mundiais (1ºano)Biomas mundiais (1ºano)
Biomas mundiais (1ºano)
Matheus Boniatti
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
José Luís Alves
 

Destaque (16)

Apostila dendrologia agosto_2007[1]
Apostila dendrologia agosto_2007[1]Apostila dendrologia agosto_2007[1]
Apostila dendrologia agosto_2007[1]
 
Curso dendrología
Curso dendrologíaCurso dendrología
Curso dendrología
 
Dendrologia Tropical
Dendrologia TropicalDendrologia Tropical
Dendrologia Tropical
 
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
Manual de Identificação de Mudas e de Espécies Florestais (2ª Ed.)
 
áLbum dendrológico
áLbum dendrológicoáLbum dendrológico
áLbum dendrológico
 
Ficha dendrologica 2009_manoel_claudio
Ficha dendrologica 2009_manoel_claudioFicha dendrologica 2009_manoel_claudio
Ficha dendrologica 2009_manoel_claudio
 
Cartilha hortalicas
Cartilha hortalicasCartilha hortalicas
Cartilha hortalicas
 
Jardim ecológico
Jardim ecológicoJardim ecológico
Jardim ecológico
 
Novo código florestal 2011
Novo código florestal 2011Novo código florestal 2011
Novo código florestal 2011
 
Slideshare
SlideshareSlideshare
Slideshare
 
Composicao quimica madeira
Composicao quimica madeiraComposicao quimica madeira
Composicao quimica madeira
 
Aula biomas
Aula biomasAula biomas
Aula biomas
 
Apostila 6ªsérie
Apostila 6ªsérieApostila 6ªsérie
Apostila 6ªsérie
 
Dispersao 1 ufra
Dispersao 1 ufraDispersao 1 ufra
Dispersao 1 ufra
 
Biomas mundiais (1ºano)
Biomas mundiais (1ºano)Biomas mundiais (1ºano)
Biomas mundiais (1ºano)
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
 

Semelhante a Dendrologia

Guia ilustrado de 25 Árvores de Lisboa
Guia ilustrado de 25 Árvores de LisboaGuia ilustrado de 25 Árvores de Lisboa
Guia ilustrado de 25 Árvores de Lisboa
Lisboa E-Nova - Agência Municipal de Energia-Ambiente
 
Samambaias
SamambaiasSamambaias
Samambaias
Emerson Silva
 
Icnf especies indgenas_edicao2016-2
Icnf especies indgenas_edicao2016-2Icnf especies indgenas_edicao2016-2
Icnf especies indgenas_edicao2016-2
Clarisse Ferreira
 
Ordem commelinales
Ordem commelinalesOrdem commelinales
Ordem commelinales
Sheila Cassenotte
 
Erva-de-passarinho
Erva-de-passarinhoErva-de-passarinho
Erva-de-passarinho
arboreo.net
 
Araucárias cleusi e liana (reparado)
Araucárias cleusi e liana (reparado)Araucárias cleusi e liana (reparado)
Araucárias cleusi e liana (reparado)
munchemfest
 
Cartilha Árvores do campus Planaltina 2
Cartilha Árvores do campus Planaltina 2Cartilha Árvores do campus Planaltina 2
Cartilha Árvores do campus Planaltina 2
igor-oliveira
 
5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf
Rodolfo Antônio da Silva
 
Artigo bioterra v17_n1_04
Artigo bioterra v17_n1_04Artigo bioterra v17_n1_04
Artigo bioterra v17_n1_04
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Introdução1
Introdução1Introdução1
Introdução1
Gerdian Teixeira
 
Biologia trabalho
Biologia trabalhoBiologia trabalho
Biologia trabalho
Vitor.ls
 
250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt
250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt
250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt
ccruzvasconcelos
 
ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021
ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021
ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021
João Soares
 
Herbario =Dddd
Herbario  =DdddHerbario  =Dddd
Herbario =Dddd
anamendes21
 
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
PatriciaFerreiradaSi9
 
Caractéristicas da família Annonaceae
Caractéristicas da família AnnonaceaeCaractéristicas da família Annonaceae
Caractéristicas da família Annonaceae
Samanta Lacerda
 
PLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdf
PLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdfPLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdf
PLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdf
RamonRgo2
 
Agroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negroAgroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negro
Adriana Andrade
 
Família eriocaulaceae
Família eriocaulaceaeFamília eriocaulaceae
Família eriocaulaceae
Sauro Bacelar Martins
 
Bol pesq. unitins 2017. pequenos roedores
Bol pesq. unitins   2017. pequenos roedoresBol pesq. unitins   2017. pequenos roedores
Bol pesq. unitins 2017. pequenos roedores
José FERNANDO de Sousa LIMA
 

Semelhante a Dendrologia (20)

Guia ilustrado de 25 Árvores de Lisboa
Guia ilustrado de 25 Árvores de LisboaGuia ilustrado de 25 Árvores de Lisboa
Guia ilustrado de 25 Árvores de Lisboa
 
Samambaias
SamambaiasSamambaias
Samambaias
 
Icnf especies indgenas_edicao2016-2
Icnf especies indgenas_edicao2016-2Icnf especies indgenas_edicao2016-2
Icnf especies indgenas_edicao2016-2
 
Ordem commelinales
Ordem commelinalesOrdem commelinales
Ordem commelinales
 
Erva-de-passarinho
Erva-de-passarinhoErva-de-passarinho
Erva-de-passarinho
 
Araucárias cleusi e liana (reparado)
Araucárias cleusi e liana (reparado)Araucárias cleusi e liana (reparado)
Araucárias cleusi e liana (reparado)
 
Cartilha Árvores do campus Planaltina 2
Cartilha Árvores do campus Planaltina 2Cartilha Árvores do campus Planaltina 2
Cartilha Árvores do campus Planaltina 2
 
5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf5 nativas-em-extincao-ibf
5 nativas-em-extincao-ibf
 
Artigo bioterra v17_n1_04
Artigo bioterra v17_n1_04Artigo bioterra v17_n1_04
Artigo bioterra v17_n1_04
 
Introdução1
Introdução1Introdução1
Introdução1
 
Biologia trabalho
Biologia trabalhoBiologia trabalho
Biologia trabalho
 
250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt
250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt
250517749-Conceitos-iniciais-em-dendrologia.ppt
 
ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021
ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021
ICNF-Arvores Indigenas-Edicao2021
 
Herbario =Dddd
Herbario  =DdddHerbario  =Dddd
Herbario =Dddd
 
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
 
Caractéristicas da família Annonaceae
Caractéristicas da família AnnonaceaeCaractéristicas da família Annonaceae
Caractéristicas da família Annonaceae
 
PLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdf
PLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdfPLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdf
PLANTAS ORNAMENTAIS-1.pdf
 
Agroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negroAgroecologia - Cabeça de negro
Agroecologia - Cabeça de negro
 
Família eriocaulaceae
Família eriocaulaceaeFamília eriocaulaceae
Família eriocaulaceae
 
Bol pesq. unitins 2017. pequenos roedores
Bol pesq. unitins   2017. pequenos roedoresBol pesq. unitins   2017. pequenos roedores
Bol pesq. unitins 2017. pequenos roedores
 

Dendrologia

  • 1. ECOLA TECNOLÓGICA DO ESTADO DO PARÁ – EETEPA CURSO TÉCNICO EM AGROECOLOGIA Dendrologia PARAGOMINAS 2011
  • 2. ECOLA TECNOLÓGICA DO ESTADO DO PARÁ – EETEPA CURSO TÉCNICO EM AGROECOLOGIA Dendrologia Alunos: Julyane Sued e Kenedy Leno Fernandes PARAGOMINAS 2011
  • 4. Definição O termo criado por Ulisse Aldrovandi (naturalista Italiano, fundador Jardim Botânico de Bolonha) em 1668, com a publicação de Dendrologia. Dendron = Árvores Logos = Estudo
  • 5. Objetivos • Nomenclatura de árvores • Classificação de árvores • Reconhecimento de árvores • Distribuição das árvores • Importância das espécies florestais
  • 6. Nomenclatura das árvores Conhecer o nome das plantas é necessidade básica para toda e qualquer atividade florestal. A identificação correta facilita o acesso ao conhecimento já existente sobre uma determinada espécie. As árvores são nomeadas por meio da nomenclatura científica, nomes comuns e termos botânicos.
  • 7. Nomenclatura científica São escritos em língua padrão, franqueada às várias nacionalidades, e organizados e avaliados de acordo com um sistema normativo, definido em congressos internacionais de nomenclatura botânica. Nome comum Existe nomes que foram criados pelas populações (vulgares, populares e comuns). Esses termos variam de acordo com a região, língua e época.
  • 8. Cedro: Nome dado pelos colonizadores europeus para uma árvore na época desconhecida (Cedrela fissilis), que apresentava algumas semelhanças com a espécie européia Cedrus.
  • 9. Classificação das árvores As características das principais famílias botânicas e como as árvores são classificadas em famílias, gêneros e outros grupos.
  • 10. Reino Filo Classe Ordem Família Gênero
  • 12. Reconhecimento de árvores Reconhecimento de espécies arbóreas a partir de suas características morfológicas, chaves e manuais.
  • 14. Morfologia Pequena: 10m de altura, 15cm DAP; Média: 10-25m de Porte altura, 15-50cm DAP; Grande: 25m de altura, 50cm DAP. Subterrânea, superficial, Raiz aérea, tabular. Geralmente convexa (folhosas) Copa ou cônica (coníferas).
  • 21. Morfologia Formas: Cilíndrico, acanalado e Caule irregular. Tipo: Reto, tortuoso, inclinado. Externa(áspera, fissurada) e Casca interna(fibrosa,arenosa,pastosa). Uma folha para ser completa deve possuir limbo, pecíolo, bainha e Folha estípulas. Simples: Limbo inteiro. Compostas: Limbo em partes (folíolos).
  • 27. Morfologia Completas e incompletas Flor (monoperiantadas, aperiant adas, monóica e dióica). Simples (Carnosos, baga[limão Fruto tomate], drupa[pêssego] Compostos (agregados[morango] e múltiplos[amora]). Semente
  • 33. Distribuição das árvores Como as árvores são distribuídas nas zonas climáticas e formações florestais.
  • 35. Importância das espécies florestais A importância ecológica e econômica de espécies arbóreas. Anatomia da madeira, tecnologia da madeira e outros produtos, cultivo das espécies arbóreas e manejo de florestas (Silvicultura).
  • 36. Importância da Dendrologia O correto reconhecimento da identidade botânica das espécies arbóreas é essencial para o uso adequado dos recursos florestais, para o manejo de florestas visando sua exploração de forma sustentável, para a conservação de áreas naturais e para a restauração de áreas degradadas. No entanto, se realizada de forma inadequada, podem existir consequências desastrosas, como, por exemplo, na indicação de espécies para o reflorestamento ou para serem utilizadas na arborização urbana, na comercialização de madeira e no uso de árvores com o propósito medicinal.