SlideShare uma empresa Scribd logo
Demografia
População brasileira e mundial
Introdução
• O crescimento da população
mundial até 1830 foi muito
lento. Havia alta taxa de
natalidade, mas a taxa de
mortalidade também era alta,
mantendo-se um equilíbrio.
• A partir dessa data a
população cresceu
rapidamente, graças a
avanços na medicina, saúde
pública e maior oferta de
alimentos.
População do planeta
Ano População estimada
1 D.C 250 Milhões
1830 1 bilhão
1927 2 bilhões
1960 3 bilhões
1974 4 bilhões
1987 5 bilhões
1999 6 bilhões
Atualmente a população estimada é de 7 bilhões
Quantos mais?
• Umas das grandes questões
apontam para o limite
racional da expansão
humana.
• Ecologistas afirmam que o
planeta teria que ser 50%
maior para sobreviver ao
atual nível de exploração.
• Alguns demógrafos
indicam que a população
mundial pode crescer até o
número de 18 bilhões de
almas.
Conceitos importantes
Censo: é o método utilizado para calcular o número da
população de um determinado lugar.
População absoluta: é o número total, real da população de
um determinado lugar.
População relativa ou densidade demográfica: é obtida
dividindo-se a população absoluta pela área de um
determinado lugar.
Populoso: é uma determinada área que apresenta grande
população.
Povoado: é uma determinada área que apresenta alta
densidade demográfica.
Brasil populoso
• Em 1872 quando foi realizado uma contagem da população
brasileira, descobriu-se que mal somávamos 10 milhões de
habitantes em todo o território nacional.
• Quase 140 anos depois, atingimos a marca de 190 milhões
de habitantes.Tornamo-nos um dos países mais populosos
do mundo.
• Contudo, devemos lembrar que apesar do Brasil ser um país
populoso, é também um país de baixa densidade
demográfica: em torno de 22 hab./km².
Demografia
Demografia
Países mais populosos
País Habitantes 2010
China 1.345.750.973
Índia 1.198.003.272
EUA 314.658.780
Indonésia 229.964.723
Brasil  190.755.799
Paquistão 180.808.096
País Habitantes 2010
Bangladesh 162.220.762
Nigéria 154.728.892
Rússia 140.873.647
Japão 127.156.225
Fontes: http://educacao.uol.com.br/geografia/ult1694u295.jhtm
Países mais povoados
Países Densidade demográfica
Mônaco 16.410 hab./km²
Cingapura 6396 hab./km²
Vaticano 2.093 hab./Km²
Malta 1267 hab./km²
Maldivas 1006 hab.km²
Bangladesh 975 hab.km²
Bahrein 884 hab.km²
Distribuição Populacional
• Ao analisar a distribuição geográfica da população mundial,
percebe-se que existem áreas de grandes concentrações
humanas e outras de vazios demográficos.
• Essa desigual distribuição está condicionada a três fatores
principais, que favorecem ou dificultam a ocupação
humana: os fatores naturais, históricos e econômicos.
As margens dos grandes rios, a faixa litorânea e mais
recentemente as grandes áreas urbanas industriais
apresentam as maiores concentrações populacionais.
Demografia
Demografia
Este mapa é um cartograma (um tipo de mapa temático) no qual a
cartografia é distorcida (anamorfose) para demonstrar uma informação sobre
os países. Neste caso, a referência é a população, onde o tamanho (área) de
cada país é modificado(a) para refletir o tamanho de sua população.
Por exemplo: em um mapa-múndi normal, a Austrália (7,7 milhões km2) é
quatro vezes maior que a Indonésia (1,9 milhões km2). Neste cartograma
baseado na população, acontece o oposto.
Outra distorção semelhante acontece entre a Rússia (17 milhões km2, 142
milhões de habitantes) e China (9,6 milhões km2, 1,3 bilhões de habitantes). O
“mapa de população” reduz a Rússia a um pequeno território, insignificante
comparado ao gigante que é China que quase toma toda a Ásia, menos a
Índia. Junto, estes dois países asiáticos respondem por um terço da população
do mundo.
Este cartograma também permite estimativas de qual países têm uma
população semelhante. A França e Egito parecem ter mesmo tamanho, como
a Alemanha e Etiópia. Irlanda é mais ou menos do mesmo do tamanho do
Haiti.
Chama a atenção a América do Sul onde os países apresentam uma
densidade demográfica aparentemente compatível com suas áreas, ou seja,
os países mantiveram um tamanho muito semelhante a sua realidade
cartográfica.
Este cartograma é o resultado de uma colaboração científica entre as
Curiosidades
• As áreas favoráveis a fixação humana são chamadas de
ecúmenas e as desfavoráveis são conhecidas como
anecúmenas.
• Representam excelentes exemplos de áreas favoráveis as
planícies do Mississipi e Chinesa, vales e deltas fluviais
(Nilo, Ganges e Reno).
• Entre as áreas anecúmenas destacamos como exemplos os
desertos (Gobi e Saara), as regiões montanhosas (Himalaia,
Andes e Rochosas) e densas florestas (Amazônica e Congo).
A distribuição da população no
Brasil
• Apresenta uma distribuição
muito desigual da população
pelo território, pois há uma forte
concentração da população na
faixa litorânea, enquanto no
interior do país vai se tornando
gradualmente menor.
A maior parte da população brasileira concentra-se em uma
faixa de até 300 km do litoral.
Demografia
Curiosidades
• No Rio de Janeiro a densidade demográfica passa dos 366
hab./km², contudo em algumas áreas da Amazônia
Ocidental, a densidade não chega a 2 hab./km².
• Predomínio de população urbana (hoje chega a 84%).
• Existem grandes aglomerações urbanas também no interior
do território, como Belo Horizonte, Goiânia e Brasília.
Taxa de fecundidade
• Representa o número
médio de filhos por mulher
em idade fértil.
• Os países desenvolvidos
passaram por um processo
de queda da taxa de
fecundidade no início do
século XX, resultado direto
da elevada urbanização.
Demografia
Demografia
Demografia
Curiosidades
• A taxa de fecundidade está caindo progressivamente. O número de
filhos por mulher encontra-se atualmente em torno de 1,8.
• A Organização das Nações Unidas (ONU), baseada em dados de
2009, divulgou os seguintes resultados de fecundidade: Europa (1,52),
Canadá e Estados Unidos da América (2,02), América Latina (2,17),
Ásia (2,3), Oceania (2,42), África (4,45). No Brasil, a taxa de
fecundidade é de 1,94 filho por mulher.
• Nos países desenvolvidos, a fecundidade está em torno de 1,7 filho
por mulher, o que significa que eles estão abaixo da linha de
reposição e com uma população que envelhece rapidamente.
• Quanto mais urbanizada e desenvolvida uma sociedade menor a taxa
de fecundidade;
Estrutura por idade
• Trata-se da distribuição da
população por idade,
tradicionalmente dividida
em três faixas:
jovens,adultos e idosos.
• Significativa variação
frente ao nível de
desenvolvimento das
sociedades.
Estrutura por idade
brasileira
1980 1991 2002 2010
Jovens
(0 a 19 anos)
48,5% 46,62
%
38,84
%
40%
Adultos
(20 a 59 anos)
45% 46,79
%
52,06
%
51%
Idosos
(acima de 60
anos)
6,5% 6,58% 9,1% 9%
Curiosidades
• Desde a década de 90, o perfil etário da população brasileira
tem apresentado significativas mudanças.
• Apresentamos atualmente um predomínio de população
adulta, com redução do número de jovens.
• Dentro de três décadas o Brasil vai estar entre os dez
maiores em contingente de idosos.
Os dados da estrutura etária de uma população são
fundamentais para a elaboração da pirâmide etária.
Pirâmide etária
• Trata-se da representação gráfica da composição de uma
população, segundo o sexo e a idade.
• Na construção da pirâmide as mulheres são representadas
do lado direito.
• A escala vertical representa o grupo de idade (o a 100 anos)
geralmente com intervalos de 5 em 5 anos.
• Na escala horizontal encontramos os valores absolutos de
população ou em porcentagens.
A forma da pirâmide é reflexo direto das taxas de
natalidade e de mortalidade de um país.
Histórico da pirâmide da
Alemanha
Pirâmide brasileira
Curiosidades
• A base larga de uma pirâmide indica um grande número de
jovens devido à alta natalidade.
• Ápice estreito, indica o pequeno número de idosos e a baixa
expectativa de vida.
• As pirâmides podem ser divididas em três conjuntos
básicos: pirâmides subdesenvolvidas, de transição e
pirâmides de países desenvolvidos.
Atualmente o Brasil apresenta uma pirâmide de transição
graças ao processo de urbanização, custo de vida e uso de
métodos contraceptivos.
Teorias demográficas
• O crescimento da população despertou preocupação no
mundo científico e nos economistas. Idéias e debates
surgiram para tentar solucionar o problema, criando-se
diversas teorias, entre as quais destacamos:
Teoria Malthusiana: elaborada por Thomas Robert Malthus
(1776-1834) que salientava que a população crescia em
progressão geométrica enquanto a produção de alimentos
crescia em progressão aritmética.
Teoria Neomalthusiana: destaca que o crescimento
populacional levava a situação de pobreza e miséria.
Teoria Reformista: Também chamada de Marxista,afirma
que as elevadas taxas de crescimento são conseqüência e
não causa do subdesenvolvimento.
Demografia
Estrutura por sexo
Sexo 1980 2000 2002 2010
Masculino 49,7% 49,2% 48,7% 49%
Feminino 50,3% 50,8% 51,3% 51%
Curiosidades
• O Brasil como a maior parte dos países ocidentais,
apresenta um ligeiro predomínio de população feminina.
• As diferenças são mais marcantes em estados com maiores
movimentos migratórios.
• Predomínio de população masculina em áreas de fronteira
agrícola.
No mundo podemos destacar o predomínio de população
masculina, em algumas áreas rurais afastadas da China e
algumas áreas do Oriente Médio.
Diversidade étnica
• Três grupos básicos deram origem à população brasileira: o
indígena de provável origem asiática, o branco
principalmente da área mediterrânea, germanos e eslavos, e
o negro, principalmente os Bantos e Sudaneses.
• A miscigenação da população ocorreu de forma intensa
desde o período colonial. A tendência é o Brasil se tornar
um país de pardos no futuro.
No século XX, mais um grupo veio a integrar a população
brasileira: o amarelo de origem asiática recente,
principalmente os japoneses.
Estrutura por cor da pele
1950 1980 1996 2002 2010
Branca 61,7% 54,8% 55,3% 53,06% 53,08%
Parda 26,5% 38,5% 39,3% 40,38% 39,1%
Negra 11% 5,9% 4,9% 5,64% 6%
Amarela 0,6% 0,6% 0,5% 0,46% 2,01
Indígena 1,8% 1,5% 1,3% 1,3% 0,4
Principais grupos de imigrantes
• Apesar da enorme diversidade de grupos, culturas e
religiões que compõem a população brasileira, alguns
grupos se destacam, recebendo o nome de períodos para
esses grupos:
Período Alemão (1850-1871)
Período Ítalo-eslavo (1872-1886)
Período Italiano (1887-1914)
Período Japonês (1920-1934)
O grupo dominante foi o português, com algo em torno de
32% do total de imigrantes, seguido pelos italianos com
30% do total.
Demografia
Demografia
Demografia
Demografia
Vídeos
• ABCD em Revista: Brasil: A Fronteira da
Esperança - 1/3
https://www.youtube.com/watch?v=FDjn1P2OtHM
• ABCD em Revista: Brasil: A Fronteira da
Esperança - 2/3
https://www.youtube.com/watch?v=UIpbmdaZrIY
• ABCD em Revista: Brasil: A Fronteira da
Esperança - 3/3
https://www.youtube.com/watch?v=7FPwQyY55PE
As migrações podem ser classificadas quanto:
•À tomada de decisão (livres, forçadas)
•Relação com o estado (legais, clandestinas)
•Estado (internas, externas)
•Tempo (definitivas , temporárias)
Curiosidades
• Além dos grupos principais, o Brasil foi destino de
correntes migratórias menores.
• Podemos destacar a importância em determinadas áreas do
território de grupos como os árabes, franceses,
holandeses,etc.
• Atualmente o Brasil se destaca pela saída de sua população
em busca de melhores condições de vida.
• Contudo, continuamos a receber imigrantes em menor
escala, destacando-se indivíduos de países vizinhos da
América do Sul, Africanos de língua portuguesa e orientais
(principalmente chineses e coreanos).
Fonte:
rudolfbmp.files.wordpress.com/20
10/09/demografia.ppt

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teorias demográficas e estrutura da população
Teorias demográficas e estrutura da populaçãoTeorias demográficas e estrutura da população
Teorias demográficas e estrutura da população
robertobraz
 
Pirâmide etária
Pirâmide etáriaPirâmide etária
Pirâmide etária
Vitor Pereira Rodrigues
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
Prof. Francesco Torres
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
André Luiz Marques
 
Território
TerritórioTerritório
Território
Pedro Neves
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
Prof.Paulo/geografia
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
Uilson Pereira da Silva
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasil
Professor
 
Geopolítica
Geopolítica Geopolítica
Geopolítica
Escola do Recife
 
Divisão internacional do trabalho
Divisão internacional do trabalhoDivisão internacional do trabalho
Divisão internacional do trabalho
recoba27
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
Pedro Neves
 
Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
Conceição Fontolan
 
Globalização, desigualdade e conflitos sociais
Globalização, desigualdade e conflitos sociaisGlobalização, desigualdade e conflitos sociais
Globalização, desigualdade e conflitos sociais
ADILSON RIBEIRO DE ARAUJO
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
Uilson Pereira da Silva
 
Demografia mundial
Demografia mundialDemografia mundial
Demografia mundial
Suely Takahashi
 
Demografia brasileira.
Demografia brasileira.Demografia brasileira.
Demografia brasileira.
Camila Brito
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
Anderson Cardozo
 
Capitalismo e Socialismo
Capitalismo e Socialismo Capitalismo e Socialismo
Capitalismo e Socialismo
Christie Freitas
 
Estados Unidos população - agropecuária - indústria slides
Estados Unidos   população - agropecuária - indústria slidesEstados Unidos   população - agropecuária - indústria slides
Estados Unidos população - agropecuária - indústria slides
Armando Sbragia
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evolução
Artur Lara
 

Mais procurados (20)

Teorias demográficas e estrutura da população
Teorias demográficas e estrutura da populaçãoTeorias demográficas e estrutura da população
Teorias demográficas e estrutura da população
 
Pirâmide etária
Pirâmide etáriaPirâmide etária
Pirâmide etária
 
Regionalização
RegionalizaçãoRegionalização
Regionalização
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
 
Território
TerritórioTerritório
Território
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasil
 
Geopolítica
Geopolítica Geopolítica
Geopolítica
 
Divisão internacional do trabalho
Divisão internacional do trabalhoDivisão internacional do trabalho
Divisão internacional do trabalho
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
 
Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
 
Globalização, desigualdade e conflitos sociais
Globalização, desigualdade e conflitos sociaisGlobalização, desigualdade e conflitos sociais
Globalização, desigualdade e conflitos sociais
 
A regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundialA regionalização do espaço geográfico mundial
A regionalização do espaço geográfico mundial
 
Demografia mundial
Demografia mundialDemografia mundial
Demografia mundial
 
Demografia brasileira.
Demografia brasileira.Demografia brasileira.
Demografia brasileira.
 
Industrialização
IndustrializaçãoIndustrialização
Industrialização
 
Capitalismo e Socialismo
Capitalismo e Socialismo Capitalismo e Socialismo
Capitalismo e Socialismo
 
Estados Unidos população - agropecuária - indústria slides
Estados Unidos   população - agropecuária - indústria slidesEstados Unidos   população - agropecuária - indústria slides
Estados Unidos população - agropecuária - indústria slides
 
Capitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evoluçãoCapitalismo e sua evolução
Capitalismo e sua evolução
 

Destaque

Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009
Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009
Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009
Antero Ferreira
 
Demografia geral
Demografia geralDemografia geral
Demografia geral
Colégio Nova Geração COC
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
aroudus
 
Demografía
DemografíaDemografía
Ficha Informativa - Breve História dos Censos
Ficha Informativa - Breve História dos CensosFicha Informativa - Breve História dos Censos
Ficha Informativa - Breve História dos Censos
guest324c898f
 
Demografia de brasil
Demografia de brasilDemografia de brasil
Demografia de brasil
Caio Sodré
 
Mod05 demografia
Mod05 demografiaMod05 demografia
Mod05 demografia
Tiago Tomazi
 
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and casesProspective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
Macroplan
 
DEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVO
DEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVODEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVO
DEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVO
Guilherme Lemos
 
Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08
Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08
Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08
Camila Bittar
 
Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia
Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídiaBrasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia
Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia
Macroplan
 
Geo h e_9_ano_cap3_site_edit
Geo h e_9_ano_cap3_site_editGeo h e_9_ano_cap3_site_edit
Geo h e_9_ano_cap3_site_edit
rdbtava
 
Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...
Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...
Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...
Município de Ponte de Lima
 
Demografia 2012
Demografia 2012Demografia 2012
Demografia 2012
aroudus
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
Positivo e Sesi
 
As Causas Das MigraçõEs
As Causas Das MigraçõEsAs Causas Das MigraçõEs
As Causas Das MigraçõEs
xagnog arievilo
 
Migrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e ConsequênciasMigrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e Consequências
lidia76
 
Migrações - Consequências
Migrações  - ConsequênciasMigrações  - Consequências
Migrações - Consequências
Pedro Damião
 
Migrações( Geografia)
Migrações( Geografia)Migrações( Geografia)
Migrações( Geografia)
turma8bjoaofranco
 
Comunidade Slideshare
Comunidade SlideshareComunidade Slideshare
Comunidade Slideshare
maranilde
 

Destaque (20)

Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009
Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009
Demografia Histórica e Estudos de Comunidade V2009
 
Demografia geral
Demografia geralDemografia geral
Demografia geral
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
Demografía
DemografíaDemografía
Demografía
 
Ficha Informativa - Breve História dos Censos
Ficha Informativa - Breve História dos CensosFicha Informativa - Breve História dos Censos
Ficha Informativa - Breve História dos Censos
 
Demografia de brasil
Demografia de brasilDemografia de brasil
Demografia de brasil
 
Mod05 demografia
Mod05 demografiaMod05 demografia
Mod05 demografia
 
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and casesProspective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
 
DEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVO
DEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVODEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVO
DEMOGRAFIA MUNDIAL - 2º ANO - OBJETIVO
 
Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08
Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08
Apresentação de slies oficina de prognóstico ambiental 06.08
 
Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia
Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídiaBrasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia
Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia
 
Geo h e_9_ano_cap3_site_edit
Geo h e_9_ano_cap3_site_editGeo h e_9_ano_cap3_site_edit
Geo h e_9_ano_cap3_site_edit
 
Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...
Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...
Bolsa de Terras de Ponte de Lima no 11º Encontro de Utilizadores Esri Portuga...
 
Demografia 2012
Demografia 2012Demografia 2012
Demografia 2012
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
As Causas Das MigraçõEs
As Causas Das MigraçõEsAs Causas Das MigraçõEs
As Causas Das MigraçõEs
 
Migrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e ConsequênciasMigrações: Causas e Consequências
Migrações: Causas e Consequências
 
Migrações - Consequências
Migrações  - ConsequênciasMigrações  - Consequências
Migrações - Consequências
 
Migrações( Geografia)
Migrações( Geografia)Migrações( Geografia)
Migrações( Geografia)
 
Comunidade Slideshare
Comunidade SlideshareComunidade Slideshare
Comunidade Slideshare
 

Semelhante a Demografia

Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
Raquel Avila
 
Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
Raquel Avila
 
Aula população 2
Aula população 2Aula população 2
Aula população 2
João Paulo Portela
 
Unidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcialUnidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcial
Christie Freitas
 
Aulas 3 e 4 População
Aulas 3 e 4 PopulaçãoAulas 3 e 4 População
População Mundial 2008
População Mundial 2008População Mundial 2008
População Mundial 2008
Rogerio Silveira
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
Professor
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
terceirob
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
Luciano Pessanha
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
Christie Freitas
 
Geo o crescimento da população mundial
Geo o crescimento da população mundialGeo o crescimento da população mundial
Geo o crescimento da população mundial
Adriana Gomes Messias
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
profleofonseca
 
Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.
Carson Souza
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
profleofonseca
 
demografia do brasil
demografia do brasildemografia do brasil
demografia do brasil
GustavoSilvadeSouza2
 
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
Edu Gonzaga
 
1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx
1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx
1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx
ericaalmeida78
 
Populacao - Aula 01
Populacao - Aula 01Populacao - Aula 01
Populacao - Aula 01
ProfGeoJean
 
A dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.pptA dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.ppt
JaneteMaura1
 
GB1F1M1
GB1F1M1GB1F1M1

Semelhante a Demografia (20)

Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
 
Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
 
Aula população 2
Aula população 2Aula população 2
Aula população 2
 
Unidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcialUnidade 1 e 2 parcial
Unidade 1 e 2 parcial
 
Aulas 3 e 4 População
Aulas 3 e 4 PopulaçãoAulas 3 e 4 População
Aulas 3 e 4 População
 
População Mundial 2008
População Mundial 2008População Mundial 2008
População Mundial 2008
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 
Geo o crescimento da população mundial
Geo o crescimento da população mundialGeo o crescimento da população mundial
Geo o crescimento da população mundial
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
demografia do brasil
demografia do brasildemografia do brasil
demografia do brasil
 
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
População brasileira e mundial Professor Edu Gonzaga 2015
 
1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx
1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx
1a Aula Estagio - IFRN demografiaaa.pptx
 
Populacao - Aula 01
Populacao - Aula 01Populacao - Aula 01
Populacao - Aula 01
 
A dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.pptA dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.ppt
 
GB1F1M1
GB1F1M1GB1F1M1
GB1F1M1
 

Mais de rdbtava

Geo h e_7ano_cap7_pronto
Geo h e_7ano_cap7_prontoGeo h e_7ano_cap7_pronto
Geo h e_7ano_cap7_pronto
rdbtava
 
Geo h e_7ano_cap6_site_pronto
Geo h e_7ano_cap6_site_prontoGeo h e_7ano_cap6_site_pronto
Geo h e_7ano_cap6_site_pronto
rdbtava
 
Geo h e_7ano_cap5_site_finalizado
Geo h e_7ano_cap5_site_finalizadoGeo h e_7ano_cap5_site_finalizado
Geo h e_7ano_cap5_site_finalizado
rdbtava
 
Geo h e_7_ano_cap3_site_edit
Geo h e_7_ano_cap3_site_editGeo h e_7_ano_cap3_site_edit
Geo h e_7_ano_cap3_site_edit
rdbtava
 
Geo 7o homem_espa_o_cap1_site
Geo 7o homem_espa_o_cap1_siteGeo 7o homem_espa_o_cap1_site
Geo 7o homem_espa_o_cap1_site
rdbtava
 
Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02
Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02
Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02
rdbtava
 
Cobertura vegetalbrasil
Cobertura vegetalbrasilCobertura vegetalbrasil
Cobertura vegetalbrasil
rdbtava
 
Brasil economia-e-sociedade
Brasil economia-e-sociedadeBrasil economia-e-sociedade
Brasil economia-e-sociedade
rdbtava
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
rdbtava
 
Geografia e o mundo
Geografia e o mundoGeografia e o mundo
Geografia e o mundo
rdbtava
 
Geo he 8o_ano_cap2_site
Geo he 8o_ano_cap2_siteGeo he 8o_ano_cap2_site
Geo he 8o_ano_cap2_site
rdbtava
 
Geo he 8ano_cap4_site
Geo he 8ano_cap4_siteGeo he 8ano_cap4_site
Geo he 8ano_cap4_site
rdbtava
 
Geo he 8ano_cap3_site
Geo he 8ano_cap3_siteGeo he 8ano_cap3_site
Geo he 8ano_cap3_site
rdbtava
 
Geo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_okGeo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_ok
rdbtava
 
Geo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_okGeo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_ok
rdbtava
 
Geo h e_8o_cap11_site_ok
Geo h e_8o_cap11_site_okGeo h e_8o_cap11_site_ok
Geo h e_8o_cap11_site_ok
rdbtava
 
Geo h e_8o_cap10_site_ok
Geo h e_8o_cap10_site_okGeo h e_8o_cap10_site_ok
Geo h e_8o_cap10_site_ok
rdbtava
 
Geo h e_8o_cap9_site_ok
Geo h e_8o_cap9_site_okGeo h e_8o_cap9_site_ok
Geo h e_8o_cap9_site_ok
rdbtava
 
Geo h e_8o_cap8_site_ok
Geo h e_8o_cap8_site_okGeo h e_8o_cap8_site_ok
Geo h e_8o_cap8_site_ok
rdbtava
 
Geo h e_8ano_cap17_site
Geo h e_8ano_cap17_siteGeo h e_8ano_cap17_site
Geo h e_8ano_cap17_site
rdbtava
 

Mais de rdbtava (20)

Geo h e_7ano_cap7_pronto
Geo h e_7ano_cap7_prontoGeo h e_7ano_cap7_pronto
Geo h e_7ano_cap7_pronto
 
Geo h e_7ano_cap6_site_pronto
Geo h e_7ano_cap6_site_prontoGeo h e_7ano_cap6_site_pronto
Geo h e_7ano_cap6_site_pronto
 
Geo h e_7ano_cap5_site_finalizado
Geo h e_7ano_cap5_site_finalizadoGeo h e_7ano_cap5_site_finalizado
Geo h e_7ano_cap5_site_finalizado
 
Geo h e_7_ano_cap3_site_edit
Geo h e_7_ano_cap3_site_editGeo h e_7_ano_cap3_site_edit
Geo h e_7_ano_cap3_site_edit
 
Geo 7o homem_espa_o_cap1_site
Geo 7o homem_espa_o_cap1_siteGeo 7o homem_espa_o_cap1_site
Geo 7o homem_espa_o_cap1_site
 
Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02
Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02
Geo7ohomemespaocap1site 110301175245-phpapp02
 
Cobertura vegetalbrasil
Cobertura vegetalbrasilCobertura vegetalbrasil
Cobertura vegetalbrasil
 
Brasil economia-e-sociedade
Brasil economia-e-sociedadeBrasil economia-e-sociedade
Brasil economia-e-sociedade
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Geografia e o mundo
Geografia e o mundoGeografia e o mundo
Geografia e o mundo
 
Geo he 8o_ano_cap2_site
Geo he 8o_ano_cap2_siteGeo he 8o_ano_cap2_site
Geo he 8o_ano_cap2_site
 
Geo he 8ano_cap4_site
Geo he 8ano_cap4_siteGeo he 8ano_cap4_site
Geo he 8ano_cap4_site
 
Geo he 8ano_cap3_site
Geo he 8ano_cap3_siteGeo he 8ano_cap3_site
Geo he 8ano_cap3_site
 
Geo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_okGeo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_ok
 
Geo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_okGeo h e_8o_cap12_site_ok
Geo h e_8o_cap12_site_ok
 
Geo h e_8o_cap11_site_ok
Geo h e_8o_cap11_site_okGeo h e_8o_cap11_site_ok
Geo h e_8o_cap11_site_ok
 
Geo h e_8o_cap10_site_ok
Geo h e_8o_cap10_site_okGeo h e_8o_cap10_site_ok
Geo h e_8o_cap10_site_ok
 
Geo h e_8o_cap9_site_ok
Geo h e_8o_cap9_site_okGeo h e_8o_cap9_site_ok
Geo h e_8o_cap9_site_ok
 
Geo h e_8o_cap8_site_ok
Geo h e_8o_cap8_site_okGeo h e_8o_cap8_site_ok
Geo h e_8o_cap8_site_ok
 
Geo h e_8ano_cap17_site
Geo h e_8ano_cap17_siteGeo h e_8ano_cap17_site
Geo h e_8ano_cap17_site
 

Último

Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 

Último (20)

Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 

Demografia

  • 2. Introdução • O crescimento da população mundial até 1830 foi muito lento. Havia alta taxa de natalidade, mas a taxa de mortalidade também era alta, mantendo-se um equilíbrio. • A partir dessa data a população cresceu rapidamente, graças a avanços na medicina, saúde pública e maior oferta de alimentos.
  • 3. População do planeta Ano População estimada 1 D.C 250 Milhões 1830 1 bilhão 1927 2 bilhões 1960 3 bilhões 1974 4 bilhões 1987 5 bilhões 1999 6 bilhões Atualmente a população estimada é de 7 bilhões
  • 4. Quantos mais? • Umas das grandes questões apontam para o limite racional da expansão humana. • Ecologistas afirmam que o planeta teria que ser 50% maior para sobreviver ao atual nível de exploração. • Alguns demógrafos indicam que a população mundial pode crescer até o número de 18 bilhões de almas.
  • 5. Conceitos importantes Censo: é o método utilizado para calcular o número da população de um determinado lugar. População absoluta: é o número total, real da população de um determinado lugar. População relativa ou densidade demográfica: é obtida dividindo-se a população absoluta pela área de um determinado lugar. Populoso: é uma determinada área que apresenta grande população. Povoado: é uma determinada área que apresenta alta densidade demográfica.
  • 6. Brasil populoso • Em 1872 quando foi realizado uma contagem da população brasileira, descobriu-se que mal somávamos 10 milhões de habitantes em todo o território nacional. • Quase 140 anos depois, atingimos a marca de 190 milhões de habitantes.Tornamo-nos um dos países mais populosos do mundo. • Contudo, devemos lembrar que apesar do Brasil ser um país populoso, é também um país de baixa densidade demográfica: em torno de 22 hab./km².
  • 9. Países mais populosos País Habitantes 2010 China 1.345.750.973 Índia 1.198.003.272 EUA 314.658.780 Indonésia 229.964.723 Brasil  190.755.799 Paquistão 180.808.096
  • 10. País Habitantes 2010 Bangladesh 162.220.762 Nigéria 154.728.892 Rússia 140.873.647 Japão 127.156.225
  • 12. Países mais povoados Países Densidade demográfica Mônaco 16.410 hab./km² Cingapura 6396 hab./km² Vaticano 2.093 hab./Km² Malta 1267 hab./km² Maldivas 1006 hab.km² Bangladesh 975 hab.km² Bahrein 884 hab.km²
  • 13. Distribuição Populacional • Ao analisar a distribuição geográfica da população mundial, percebe-se que existem áreas de grandes concentrações humanas e outras de vazios demográficos. • Essa desigual distribuição está condicionada a três fatores principais, que favorecem ou dificultam a ocupação humana: os fatores naturais, históricos e econômicos. As margens dos grandes rios, a faixa litorânea e mais recentemente as grandes áreas urbanas industriais apresentam as maiores concentrações populacionais.
  • 16. Este mapa é um cartograma (um tipo de mapa temático) no qual a cartografia é distorcida (anamorfose) para demonstrar uma informação sobre os países. Neste caso, a referência é a população, onde o tamanho (área) de cada país é modificado(a) para refletir o tamanho de sua população. Por exemplo: em um mapa-múndi normal, a Austrália (7,7 milhões km2) é quatro vezes maior que a Indonésia (1,9 milhões km2). Neste cartograma baseado na população, acontece o oposto. Outra distorção semelhante acontece entre a Rússia (17 milhões km2, 142 milhões de habitantes) e China (9,6 milhões km2, 1,3 bilhões de habitantes). O “mapa de população” reduz a Rússia a um pequeno território, insignificante comparado ao gigante que é China que quase toma toda a Ásia, menos a Índia. Junto, estes dois países asiáticos respondem por um terço da população do mundo. Este cartograma também permite estimativas de qual países têm uma população semelhante. A França e Egito parecem ter mesmo tamanho, como a Alemanha e Etiópia. Irlanda é mais ou menos do mesmo do tamanho do Haiti. Chama a atenção a América do Sul onde os países apresentam uma densidade demográfica aparentemente compatível com suas áreas, ou seja, os países mantiveram um tamanho muito semelhante a sua realidade cartográfica. Este cartograma é o resultado de uma colaboração científica entre as
  • 17. Curiosidades • As áreas favoráveis a fixação humana são chamadas de ecúmenas e as desfavoráveis são conhecidas como anecúmenas. • Representam excelentes exemplos de áreas favoráveis as planícies do Mississipi e Chinesa, vales e deltas fluviais (Nilo, Ganges e Reno). • Entre as áreas anecúmenas destacamos como exemplos os desertos (Gobi e Saara), as regiões montanhosas (Himalaia, Andes e Rochosas) e densas florestas (Amazônica e Congo).
  • 18. A distribuição da população no Brasil • Apresenta uma distribuição muito desigual da população pelo território, pois há uma forte concentração da população na faixa litorânea, enquanto no interior do país vai se tornando gradualmente menor. A maior parte da população brasileira concentra-se em uma faixa de até 300 km do litoral.
  • 20. Curiosidades • No Rio de Janeiro a densidade demográfica passa dos 366 hab./km², contudo em algumas áreas da Amazônia Ocidental, a densidade não chega a 2 hab./km². • Predomínio de população urbana (hoje chega a 84%). • Existem grandes aglomerações urbanas também no interior do território, como Belo Horizonte, Goiânia e Brasília.
  • 21. Taxa de fecundidade • Representa o número médio de filhos por mulher em idade fértil. • Os países desenvolvidos passaram por um processo de queda da taxa de fecundidade no início do século XX, resultado direto da elevada urbanização.
  • 25. Curiosidades • A taxa de fecundidade está caindo progressivamente. O número de filhos por mulher encontra-se atualmente em torno de 1,8. • A Organização das Nações Unidas (ONU), baseada em dados de 2009, divulgou os seguintes resultados de fecundidade: Europa (1,52), Canadá e Estados Unidos da América (2,02), América Latina (2,17), Ásia (2,3), Oceania (2,42), África (4,45). No Brasil, a taxa de fecundidade é de 1,94 filho por mulher. • Nos países desenvolvidos, a fecundidade está em torno de 1,7 filho por mulher, o que significa que eles estão abaixo da linha de reposição e com uma população que envelhece rapidamente. • Quanto mais urbanizada e desenvolvida uma sociedade menor a taxa de fecundidade;
  • 26. Estrutura por idade • Trata-se da distribuição da população por idade, tradicionalmente dividida em três faixas: jovens,adultos e idosos. • Significativa variação frente ao nível de desenvolvimento das sociedades.
  • 27. Estrutura por idade brasileira 1980 1991 2002 2010 Jovens (0 a 19 anos) 48,5% 46,62 % 38,84 % 40% Adultos (20 a 59 anos) 45% 46,79 % 52,06 % 51% Idosos (acima de 60 anos) 6,5% 6,58% 9,1% 9%
  • 28. Curiosidades • Desde a década de 90, o perfil etário da população brasileira tem apresentado significativas mudanças. • Apresentamos atualmente um predomínio de população adulta, com redução do número de jovens. • Dentro de três décadas o Brasil vai estar entre os dez maiores em contingente de idosos. Os dados da estrutura etária de uma população são fundamentais para a elaboração da pirâmide etária.
  • 29. Pirâmide etária • Trata-se da representação gráfica da composição de uma população, segundo o sexo e a idade. • Na construção da pirâmide as mulheres são representadas do lado direito. • A escala vertical representa o grupo de idade (o a 100 anos) geralmente com intervalos de 5 em 5 anos. • Na escala horizontal encontramos os valores absolutos de população ou em porcentagens. A forma da pirâmide é reflexo direto das taxas de natalidade e de mortalidade de um país.
  • 30. Histórico da pirâmide da Alemanha
  • 32. Curiosidades • A base larga de uma pirâmide indica um grande número de jovens devido à alta natalidade. • Ápice estreito, indica o pequeno número de idosos e a baixa expectativa de vida. • As pirâmides podem ser divididas em três conjuntos básicos: pirâmides subdesenvolvidas, de transição e pirâmides de países desenvolvidos. Atualmente o Brasil apresenta uma pirâmide de transição graças ao processo de urbanização, custo de vida e uso de métodos contraceptivos.
  • 33. Teorias demográficas • O crescimento da população despertou preocupação no mundo científico e nos economistas. Idéias e debates surgiram para tentar solucionar o problema, criando-se diversas teorias, entre as quais destacamos: Teoria Malthusiana: elaborada por Thomas Robert Malthus (1776-1834) que salientava que a população crescia em progressão geométrica enquanto a produção de alimentos crescia em progressão aritmética. Teoria Neomalthusiana: destaca que o crescimento populacional levava a situação de pobreza e miséria. Teoria Reformista: Também chamada de Marxista,afirma que as elevadas taxas de crescimento são conseqüência e não causa do subdesenvolvimento.
  • 35. Estrutura por sexo Sexo 1980 2000 2002 2010 Masculino 49,7% 49,2% 48,7% 49% Feminino 50,3% 50,8% 51,3% 51%
  • 36. Curiosidades • O Brasil como a maior parte dos países ocidentais, apresenta um ligeiro predomínio de população feminina. • As diferenças são mais marcantes em estados com maiores movimentos migratórios. • Predomínio de população masculina em áreas de fronteira agrícola. No mundo podemos destacar o predomínio de população masculina, em algumas áreas rurais afastadas da China e algumas áreas do Oriente Médio.
  • 37. Diversidade étnica • Três grupos básicos deram origem à população brasileira: o indígena de provável origem asiática, o branco principalmente da área mediterrânea, germanos e eslavos, e o negro, principalmente os Bantos e Sudaneses. • A miscigenação da população ocorreu de forma intensa desde o período colonial. A tendência é o Brasil se tornar um país de pardos no futuro. No século XX, mais um grupo veio a integrar a população brasileira: o amarelo de origem asiática recente, principalmente os japoneses.
  • 38. Estrutura por cor da pele 1950 1980 1996 2002 2010 Branca 61,7% 54,8% 55,3% 53,06% 53,08% Parda 26,5% 38,5% 39,3% 40,38% 39,1% Negra 11% 5,9% 4,9% 5,64% 6% Amarela 0,6% 0,6% 0,5% 0,46% 2,01 Indígena 1,8% 1,5% 1,3% 1,3% 0,4
  • 39. Principais grupos de imigrantes • Apesar da enorme diversidade de grupos, culturas e religiões que compõem a população brasileira, alguns grupos se destacam, recebendo o nome de períodos para esses grupos: Período Alemão (1850-1871) Período Ítalo-eslavo (1872-1886) Período Italiano (1887-1914) Período Japonês (1920-1934) O grupo dominante foi o português, com algo em torno de 32% do total de imigrantes, seguido pelos italianos com 30% do total.
  • 44. Vídeos • ABCD em Revista: Brasil: A Fronteira da Esperança - 1/3 https://www.youtube.com/watch?v=FDjn1P2OtHM • ABCD em Revista: Brasil: A Fronteira da Esperança - 2/3 https://www.youtube.com/watch?v=UIpbmdaZrIY • ABCD em Revista: Brasil: A Fronteira da Esperança - 3/3 https://www.youtube.com/watch?v=7FPwQyY55PE
  • 45. As migrações podem ser classificadas quanto: •À tomada de decisão (livres, forçadas) •Relação com o estado (legais, clandestinas) •Estado (internas, externas) •Tempo (definitivas , temporárias)
  • 46. Curiosidades • Além dos grupos principais, o Brasil foi destino de correntes migratórias menores. • Podemos destacar a importância em determinadas áreas do território de grupos como os árabes, franceses, holandeses,etc. • Atualmente o Brasil se destaca pela saída de sua população em busca de melhores condições de vida. • Contudo, continuamos a receber imigrantes em menor escala, destacando-se indivíduos de países vizinhos da América do Sul, Africanos de língua portuguesa e orientais (principalmente chineses e coreanos).