SlideShare uma empresa Scribd logo
Informação confidencial e proprietária da Macroplan® Prospectiva Estratégia e Gestão. Não distribuir ou reproduzir sem autorização expressa.
Brasil 2022: tendências e cenários
Glaucio Neves
23 de Agosto de 2013
A Macroplan®
 Empresa brasileira de consultoria especializada em
Gestão Estratégica, fundada em 1989, com
escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília,
e atuação em todo o Brasil.
 Áreas de Competência
 23 anos de análises prospectivas e estratégicas
sobre o ambiente econômico brasileiro
 71 análises prospectivas ou de cenários para 28
clientes em diversos setores, tais como
economia, energia, governo, indústria,
agronegócio entre outros
 A Petrobras já utilizou 24 trabalhos de
análise prospectiva da Macroplan.
 Mais de 250 projetos de consultoria para
grandes organizações, dos quais 140 projetos de
planejamento estratégico.
 40 profissionais com formação pluridisciplinar
em vínculo permanente aliados a uma ampla
rede de especialistas.
 Soluções “sob medida” em construção conjunta
com os clientes.
 Relacionamentos duradouros, por exemplo:
Petrobras há 23 anos; Sistema Eletrobras - 22
anos; e Suzano Papel e Celulose - 5 anos.
Grandes escolhas, coesão e senso de direção a Longo Prazo
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
Transformação estratégias em ações e resultados concretos
GESTÃO PARA RESULTADOS
Criação de valor para ampliar a competitividade/sustentabilidade
GESTÃO ESTRATÉGICA DA INOVAÇÃO
Alinhamento da organização, dos processos e equipe à estratégia
para garantir resultados
DESIGN ORGANIZACIONAL
Antecipações de futuros para iluminar as decisões do presente
ESTUDO DE CENÁRIOS
2
Amostra de Clientes
3
Experiência em Análise Prospectiva
4
» REFERÊNCIA EM ANÁLISE PROSPECTIVA NO BRASIL,
ESPECIALMENTE NA ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS
REFERENCIAIS DE SUPORTE PARA A ATIVIDADE EMPRESARIAL
(23 ANOS DE EXPERIÊNCIA).
» 3 LIVROS, 6 ESTUDOS E 18 ARTIGOS PUBLICADOS
» 78 PROJETOS DE ANÁLISES PROSPECTIVAS PARA 28 CLIENTES
» ÚLTIMOS PROJETOS REALIZADOS: SEBRAE RJ,
PETROBRAS/CENPES, EMBRAPA, IPEA E GOVERNO DE MINAS
As certezas em relação ao Futuro
 O futuro é incerto e indeterminado
 O futuro é um espaço aberto a múltiplas possibilidades
 Para lidar com esses fatores incertos, a construção de
cenários e definição de tendências são técnicas mais
eficazes
 O futuro é fruto de uma construção social
5
Três atitudes face ao futuro
6
AVESTRUZ
 Atitude passiva
 Fecha os olhos frente ao futuro e fica exposto à mudança
BOMBEIRO
• Atitude reativa
• Aguarda que a mudança ocorra para então decidir como agir
VIGILANTE
• Atitude antecipatória
• Busca antever mudanças e preparar respostas
com antecedência
O que são Tendências Consolidadas
Perspectiva cuja
direção é bastante
visível e
suficientemente
consolidada
(movimento com
direção altamente
previsível)
Presente
Tendência
Organização da Exposição
Tendências
MUNDIAIS
Tendências e
incertezas
BRASIL
Quatro
Cenários para o
BRASIL
em 2022
Insights sobre
as mudanças
do perfil de
CONSUMIDOR
do brasileiro
Insights
estratégicos
para o setor de
MÍDIA
8
Organização da Exposição
9
Tendências
MUNDIAIS
Tendências e
incertezas
BRASIL
Quatro
Cenários para o
BRASIL
em 2022
Insights sobre o
perfil de
CONSUMO
do brasileiro
Insights e
possíveis
impactos no
setor de MÍDIA
As tendências de longo prazo apontam para
um MUNDO com mais…
RENDA E
CONSUMO NOS
EMERGENTES
IDOSOS
CONEXÂO ENTRE
PESSOAS E
ORGANIZACOES
GLOBALIZAÇÃO
PRODUTIVA E
FINANCEIRA
EVENTOS
CLIMÁTICOS
EXTREMOS
CENTROS
URBANOS
COMPETIÇÃO
ENTRE
EMPRESAS E
ENTRE PAÍSES
VALORIZAÇÃO
DO
CONHECIMENTO
E DA INOVAÇÃO
10
Seis tendências de destaque
1. Mudanças Demográficas: Ingresso de milhões de novos consumidores à
economia de mercado
2. Novo padrão de competitividade: larga escala de produção, baixo custo e
densidade tecnológica
3. Intensificação da Globalização: comercial, financeira e produtiva baseada
em redes de valor internacionais
4. Sociedade do conhecimento: principal motor da economia mundial
5. Sociedade em rede em tempo real
6. Mudanças climáticas: emergência da economia de baixo carbono
11
Mudanças Demográficas: Ingresso de milhões de
novos consumidores à economia de mercado
12
População
Renda
+
• Aumento da demanda por
commodities industriais, minerais e
energia
• Aumento da demanda por
alimentos (principalmente por grãos
e carnes)
A classe média
mundial* passará de
1,85 bilhões em 2009 para
4,88 bilhões em 2030
MAIORES RESPONSÁVEIS
Fonte: “The Expanding Middle: The Exploding World Middle Class and Falling Global Inequality”, Goldman Sachs Global Economics Paper No: 170,
07/07/2008. Classe média mundo: Renda entre U$6.000 e US$30.000
1.
CHINA ÍNDIA
Projeção da população mundial
Fonte: United Nations, World Population Prospects, The 1998 Revision (NY: UM, 1998); and estimates by the Population Reference Bureau
Regiões mais desenvolvidas
Regiões menos desenvolvidas
0
1000000
2000000
3000000
4000000
5000000
6000000
7000000
8000000
9000000
10000000
1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2020 2030 2040 2050
2010
6,9 bilhões
2030
8,3 bilhões
13
Participação da classe média mundial no
consumo
Fonte: OCDE, em Global Trends 2030: Alternative Worlds, National Intelligence Council
14
Envelhecimento da população
15
Fonte: United Nations, Department of Economics and Social Affairs, World Urbanization Prospects (2011 Revision), Population Division
1950 2010 2050
105
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
300
200
100
0
100
200
300
300
200
100
0
100
200
300
300
200
100
0
100
200
300
Homens Mulheres
A população mundial será 3,6 anos mais velha (em 2022), com expectativa de vida 2,1 anos
maior. A mediana da idade mundial passa de 29,2 anos em 2010 para 32,8 anos em 2025.
Urbanização e Metropolização
16
Porcentagem de População Urbana e Aglomerações Urbanas, por tamanho da cidade, 2025
Fonte: United Nations, Department of Economic and Social Affairs, Population Division: World Urbanization Prospects, The 2011 Revision.
60% da população mundial viverá em cidades em 2022
Existirá 37 aglomerações urbanas com mais de 10 milhões de pessoas até 2025
Novo padrão de competitividade: larga escala de
produção, baixo custo e densidade tecnológica
17
PRODUTOS COM ALTA QUALIDADE E DENSIDADE TECNOLÓGICA A PREÇOS CADA VEZ MAIS BAIXOS
DIFERENCIAL CHINÊS: ALTA CAPACIDADE DE BARATEAR A TECNOLOGIA
ALTA ESCALA DE
PRODUÇÃO
ALTA DENSIDADE
TECNOLÓGICA
BAIXO
CUSTO
CONSUMO EM MASSA
2.
Preço de televisores
18
Dezembro 2006 Agosto 2013
TV LCD 42’ TV LED 42’ (HD)
?? ??± R$ 8.950 ± R$ 2.100
Inovação Reversa como um novo padrão
 Inovação reversa é a habilidade de
inovar especificamente para os
mercados emergentes
 Necessidade de criar mercados, inovar
para atender necessidades específicas
(performance, infraestrutura,
sustentabilidade, leis locais e
preferenciais)
 Futura exportação das inovações para
os países desenvolvidos » inovação
reversa
 Exemplos: GE (Vscan) e Asus (netbooks)
19
Fonte: Govindarajan; Vijay Trimble, Chris. Reverse Innovation: Create far from home, win everywhere. Harvard Business Press, Abril, 2012
FASE 1
FASE 2
FASE 3
FASE 4
GLOBALIZAÇÃO/
GLOCALIZAÇÃO
INOVAÇÃO REVERSA
Produtos dos EUA
simplificados
fabricados nos USA
para os ME
Produtos dos USA
simplificados fabricados
nos ME para o ME
Design e produção em
ME - vendas para ME
Design e produção em
ME para o mundo
PAÍSES EMERGENTES EM DESTAQUE COMO CENTROS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, ATRAINDO O INTERESSE DE
GRANDES CENTROS DE PESQUISA E DE MÃO DE OBRA ALTAMENTE QUALIFICADA
20
PROCESSOS PRODUTIVOS GLOBAIS
FLUXOS GLOBAIS DE
INVESTIMENTOS E CAPITAIS
INTERNACIONAIS
Intensificação da Globalização: comercial, financeira e
produtiva baseada em redes de valor internacionais
Redes de valor integradas e
operando em escala mundial
Ex.: IPAD envolveu na fabricação
EUA, Coréia do Sul, Japão, China e
Hong Kong
Aumento no Fluxo de
Investimentos Globais (IED) em
mais de 6 vezes de 1990 para 2011
Aumento da relação entre o
tamanho do mercado financeiro e
o PIB mundial triplicou entre 1980
e 2006
3.
21
Exportações e fluxo de investimentos
Fonte: World Bank, World Development Indicators, Elaboração Macroplan Fonte: World Bank, World Development Indicators, Elaboração Macroplan
0
5000
10000
15000
20000
25000
2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011
0
500
1000
1500
2000
2500
3000
1990 1993 1996 1999 2002 2005 2008 2011
Exportações mundiais de mercadorias e
serviços a preços correntes (US$
bilhões) – 2003 a 2011
Fluxo de Investimentos Globais (IED),
1990-2011
(US$ bilhões correntes)
22
Total de Mercadorias Exportadas 2011
23
Fonte: World Trade Organization,
http://www.wto.org/english/res_e/statis_e/statis_bis_e.htm?solution=WTO&path=/Dashboards/MAPS&file=Map.wcdf&bookmarkState=%7b%22imp
l%22:%22client%22,%22params%22:%7b%22langParam%22:%22en%22%7d%7d
A figura abaixo representa o volume de exportações por país, acentuando a proeminência comercial
da China, que já ultrapassa os Estado Unidos e caminha para taxas cada vez maiores
Sociedade do conhecimento: principal motor da
economia mundial
CRIAÇÃO
DE VALOR
INTENSIVA
EM
ENERGIA E
MATERIAIS
INTENSIVA EM
CONHECIMENTO
E INOVAÇÃO
TRÊS ÁREAS COM GRANDE POTENCIAL
DISRUPTIVO
Biotecnologia Nanotecnologia Tecnologia da
informação
4.
24
Emergência e Convergência das Novas
Tecnologias – 2012-2030
Elaboração: Macroplan – Prospectiva, Estratégia & Gestão. Adaptado de: TechCast. Technology Revolution, 2011.
85
80
75
70
65
60
55
50
2012 2015 2018 2021 2024 2027 2030
Energia e Meio
Ambiente
Tecnologia da
Informação
E - Commerce
Fabricação e Robótica
Transporte
Medicina e Biogenética
Espaço
Negócio
Sustentável
Controle
Climático
Energia
Alternativa
Aqüicultura
Computação em
nuvem
Interface Inteligente
Realidade Virtual
Inteligência
Artificial
Computação
Quântica
Web
2.0
Acesso Global
Educação Virtual
Teletrabalho
Robôs Inteligentes
Nanotecnologia
Armazenamento de
EnergiaCarros Híbridos
Carros Elétricos
Estradas Automatizadas
Pequenas Aeronaves
Cura do Câncer
Órgãos
Artificiais
Base Lunar
Turismo Espacial
ProbabilidadedeOcorrência(%)
Tamanho da
circunferência
= Tamanho de
mercado
estimado
25
Investimento Global em P&D- 2012
26Nota: O tamanho das circunferências representa o investimento anual dos países em P&D.
Fonte: Batelle, R&D Magazine. “2013 Global R&D Funding Forecast”,
Gastos com P&D e Inovação no setor
industrial e empresas inovadoras
As 10 empresas mais inovadoras do mundo
2011 (em milhões de US$)
Fonte: Booz & Company. “The Global Innovation 1000”. 2012.
POSIÇÃO EMPRESA
GASTO COM
P&D EM 2011
VENDAS EM
2011
GASTO COM
P&D COMO %
DAS VENDAS
1 Apple 2.429 108.249 2.2%
2 Google 5.162 37.905 13.6%
3 3M 1.570 29.611 5.3%
4 Samsung 9.017 149.080 6%
5 GE 4.601 142.237 3.2%
6 Microsoft 9.043 69.943 12.9%
7 Toyota 9.881 235.482 4.2%
8 IBM 6.258 106.916 5.9%
8
Procter &
Gamble
2.001 82.559 2.4%
10 Amazon 2.909 48.077 6.1%
Gasto com P&D por setor industrial no
mundo 2011 (em milhões de US$)
Fonte: Booz & Company. “The Global Innovation 1000”. 2012.
12.060 18.090
42.210
42.210
60.300
96.480126.630
168.840
12.060
Telecomunicações
Saúde
Computação/
Eletrônicos
Consumidor
Aeroespaço/Defesa
Software/Internet
P. Químicos/
Energia
Indústria
Automóveis
INVESTIMENTO TOTAL DE 603 BILHÕES DE DÓLARES
24.120
27
Concessão de patentes no mundo
Patentes concedidas pelo United States Patent and Trademark Office (USPTO)
(% sobre o total mundial) – 1998-2011
Fonte: U.S. Patent and Trademark Office, Calendar Year Patent Statistics - ‘Patents By Country, State, and Year – All Patent Types’
EM 2011, O INPI CONCEDEU 3.801 PATENTES NO BRASIL, UM CRESCIMENTO DE
21,12% EM RELAÇÃO A 2009 (FONTE: INPI, 2011)
2,18% 2,21%
3,97%
5,12%
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011 0,03%
0,23%
0,68%
1,35%
Pre1998
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
China
0,12% 0,11%
0,10%
0,12%
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
Rússia
0,06%
0,10%
0,06%
0,10%
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
Brasil
0,19% 0,19%
0,23% 0,23%
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
Espanha
0,06%
0,14%
0,36%
0,51%
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
Índia
Coréiado Sul
28
29
Conhecimento com escala
Exame de doutorado em Wuhan – China
A China já produz 160 mil pesquisas científicas por ano
Sociedade em rede em tempo real
30
As redes
digitais/sociais
despontam como
poderosas
ferramentas para
comunicação e
colaboração em
massa
5.
Fonte: Newsroom.fb.com/Timeline (período 2004 até 2011); Investors.fb > Earnings > Slides (período 2012 e 2013)
Evolução do numero de usuários do Facebook (em milhões)
Fonte: Knowledge, networks and nations: Global scientific collaboration in the 21st century. The Royal Society, 2011
Proporção de artigos produzidos por autores de mais de um país, 1996-2008
40%
35%
30%
25%
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
31
1 58
608
845
955
1155
0
200
400
600
800
1000
1200
1400
Dez. 2004 Dez. 2007 Dez. 2010 Dez. 2011 Jun. 2012 Jun. 2013
Conexão entre as pessoas
(retweets no mundo mapeados em um espaço de tempo)
32
http://www.theatlanticcities.com/technology/2013/05/how-twitter-changing-geography-
communication/5601/
Mudanças climáticas: emergência da
economia de baixo carbono
33
TENDÊNCIA DE CONSENSO NA COMUNIDADE
CIENTÍFICA
HAVERÁ AQUECIMENTO GLOBAL EM QUALQUER
CENÁRIO
INCERTEZA
QUAL SERÁ A INTENSIDADE DA
MUDANÇA?
Nível de esforço de mitigação
Grau de transição para uma
economia de baixo carbono
+=
6.
Instrumentos da economia de baixo carbono
34
Países com a maior parte dos projetos de
crédito de carbono (em % do volume ofertado
no CDM - Mecanismo de Desenvolvimento
Limpo) - 2011
As principais categorias de oportunidades de
redução de emissão de carbono
Fonte: Pathways to a Low-Carbon Economy – Version 2 of the Global Greenhouse Gas
Abatement Cost Curve, McKinsey&Company, 2009.
DA VISÃO TRADICIONAL DO MEIO AMBIENTE COMO
ENTRAVE AO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO À
SUSTENTABILIDADE CRESCENTE DOS NEGÓCIOS
COMEÇA A EMERGIR A VISÃO DE QUE A BUSCA PELA
SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL TRARÁ MÚLTIPLAS
OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO
Fonte: Banco Mundial (WB). “State and Trends of the Carbon Market”, Maio
de 2012
1,1%
África2,8%
América Latina14%
Oriente Médio1,1%
-5%
- 4%
-12%
-12%
-14%
Mudanças de
comportamento
70
60
50
40
30
20
10
0
Fornecimento de
energia de baixo
carbono
Sumidouros naturais
de carbono
Medidas técnicas
2005 2010 2015 2020 2025 2030
Eficiência
energética
EmissõesglobaisdeGEE(GtCO2e/ano)
23
Europa e Ásia Central
Ásia e Pacífico81%
Fonte: Muller e Outros 2009; Banco mundial 2008 apud World Development Report 2010 – Development and Climate Change, World Bank
Mudanças climáticas reduzirão a produtividade agrícola na
maioria dos países em 2050
Considerando as atuais práticas agrícolas e sementes
35
Variação percentual do rendimento entre o presente e 2050
Sem
dados
-55 -20 0 20 50 100
Emergência da economia de baixo carbono
As pressões por substituição dos combustíveis fósseis resultará no aumento mundial da procura
por fontes de energia de baixo carbono
Fonte: U.S. and World Agricultural Outlook, Food and Agricultural Policy Research Institute, Janeiro de 2012. Elaboração Macroplan.
24,4
2,7
52,3
6,1
1,9
1,3
2,6
64,1
3,6
64,3
12,3
3,9
1,9
3,5
23,6
2,7
49,7
7,5
2,0
1,9
1,0
49,0
4,1
72,4
15,2
3,5
2,5
1,1
0,0
10,0
20,0
30,0
40,0
50,0
60,0
70,0
80,0
Brasil
China
EUA
Europa
Índia
Canadá
Argentina
Brasil
China
EUA
Europa
Índia
Canadá
Argentina
2011 2022
Produção Consumo
26,1
2,0
40,4
3,0
1,1
1,1
1,2
51,4
2,8
65,4
6,9
2,4
1,7
1,8
24,1
1,9
41,2
4,1
1,8
1,7
0,0
35,8
2,8
74,7
9,4
2,7
2,9
0,8
0,0
10,0
20,0
30,0
40,0
50,0
60,0
70,0
80,0
Brasil
China
EUA
Europa
Índia
Canadá
Argentina
Brasil
China
EUA
Europa
Índia
Canadá
Argentina
2009 2019
Produção Consumo
Produção e Consumo de Biodiesel em 2009
e projeção para 2019 (bilhões de litros)
Produção e Consumo de Etanol em 2011
e projeção para 2022 (bilhões de litros)
36
Incidência de desastres naturais
As perdas econômicas chegaram a US$ 3,8 trilhões nesse período. Somente em 2012, as perdas
econômicas causadas pelos 905 eventos catastróficos alcançaram US$ 170 bilhões. O prejuízo foi 2,5
vezes maior que no ano anterior
Fonte: National Climatic Data Center/NESDIS/NOAA, Extraído do relatório MUNICH RE Topics Geo, 2012.
37
Número de catástrofes naturais 1980-2012
Organização da Exposição
Tendências
MUNDIAIS
Tendências e
incertezas
BRASIL
Quatro
Cenários para o
BRASIL
em 2022
Insights sobre o
perfil de
CONSUMO
do brasileiro
Insights e
possíveis
impactos no
setor de MÍDIA
38
E o Brasil Hoje?
Diferenciais Competitivos e Deficiências Estruturais
39
• Disponibilidade de recursos naturais,
inclusive energéticos
• Mercado nacional integrado e de
grande escala
• Solidez e elevado desempenho do
sistema financeiro nacional
• Dinamismo do mercado acionário
• Consolidação da normalidade
democrática vivenciada nas últimas
duas décadas
• Baixo nível de escolaridade e de
capacitação da população. Destaque
negativo para formação superior
• Gargalos na infraestrutura (inclui
tecnológica) e nos sistemas logísticos
• Deficiências institucionais que restringem
a competitividade sistêmica (solidez
institucional, burocracia, legislação, carga
tributária, brechas regulatórias etc.)
• Má qualidade do gasto público
• Escassez de poupança interna
• Baixa capacidade de inovação
DIFERENCIAIS COMPETITIVOS DEFICIÊNCIAS ESTRUTURAIS
Escassez de mão-de-obra qualificada
Fortes impactos para a atividade produtiva
Evolução da taxa de desemprego e
do salário mínimo real
0
2
4
6
8
10
12
14
0
100
200
300
400
500
600
700
800
jan/03
set/03
mai/04
jan/05
set/05
mai/06
jan/07
set/07
mai/08
jan/09
set/09
mai/10
jan/11
set/11
mai/12
jan/13
Salário Mínimo Real (R$) Taxa Desemprego - 30 dias - RM (%)
Fonte: Ipeadata
40
Número de pessoas necessárias por setor
para gerar cada milhão de reais
Fonte: IBGE “ demografia, produtividade e Mudança estrutural” de Regis Bonelli
e Julia Fontes e Tendências.
16
26
45
46
63
96
0 50 100 150
Serviços de alta
qualificação
Industria
Comércio
Construção
Serviços de baixa
qualificação
Agorpecuária
85% dos
postos de
trabalhos
criados em
2011
Ensino superior e baixa produtividade
Fortes impactos para a atividade produtiva
População de 25 a 34 anos com
diploma de ensino superior
Fonte: OCDE, INEP, Federação Nacional dos Engenheiros
63%
56%
43% 41%
12%
0%
10%
20%
30%
40%
50%
60%
70%
Coreia
do Sul
Japão França EUA Brasil
Engenheiros entre os graduados
23%
19%
16%
6% 4%
0%
5%
10%
15%
20%
25%
Coreis
do Sul
Japão França EUA BRASIL
Percentual de empresários com
dificuldades para preencher vagas com
profissionais qualificados
*Pesquisa feita com 38 mil empregadores em 42 países.
Fonte: Manpower, 2013. “Talent Shortage Survey Research Results 2013”
Disponível em http://www.manpowergroup.com. Acessado em 30/07/2013.
85%
68%
61%
58%
41% 39% 38%
35% 35% 33%
17%
13%
6%
3% 3%
Média
Mundial 35%
Tendências Consolidadas para o Brasil
até 2022
1. Uma nova realidade demográfica
2. Emergência da classe média
3. Urbanização e interiorização do desenvolvimento
4. Forte expansão da conectividade
5. Acirramento dos desafios do Brasil na inserção econômica
mundial: qualidade e quantidade
6. Aumento das pressões por melhoria dos serviços públicos
42
Transição demográfica
Pirâmide etária brasileira
43
2020 2030 2040
78
75
72
69
66
63
60
57
54
51
48
45
42
39
36
33
30
27
24
21
18
15
12
9
6
3
0
Homens Mulheres
2.000.000
1.500.000
1.000.000
500.000
0
500.000
1.000.000
1.500.000
2.000.000
2.000.000
1.500.000
1.000.000
500.000
0
500.000
1.000.000
1.500.000
2.000.000
2.000.000
1.500.000
1.000.000
500.000
0
500.000
1.000.000
1.500.000
2.000.000
78
75
72
69
66
63
60
57
54
51
48
45
42
39
36
33
30
27
24
21
18
15
12
9
6
3
0
78
75
72
69
66
63
60
57
54
51
48
45
42
39
36
33
30
27
24
21
18
15
12
9
6
3
0
Fonte: IBGE
1.
Demanda por serviços em função da idade
44
ALIMENTAÇÃO
TRABALHO
HABITAÇÃO
EDUCAÇÃO
SAÚDE
IDADE
DEMANDADESERVIÇOS
0 10 20 30 40 50 60 70
Fonte: Obtida por derivação da pirâmide etária; Adaptado de Corsa e Oakley apud Rogers, 1982 In: FERREIRA; Frederico P. M, Op. Cit, 2007.
Emergência da classe média
Fonte: Projeções Macroplan com base em FGV “Consumidores, Produtores e a Nova Classe Média”.
0
10
20
30
40
50
60
70
Classe A e B
Classe C*
Classe D e E
2001
2003
2005
2007
2009
2011*
2013*
2015*
2017*
2019*
2021*
2023*
2025*
10,6
50,5
38,9
*Classe Média: renda média domiciliar de R$ 1.126,00 até R$ 4.854,00
45
2.
CLASSE C
60% TEM COMPUTADOR EM CASA
89% POSSUI CELULAR
55% POSSUI AUTOMÓVEL
Fonte: IBGE
60
%
1988 2008
13% 13%
1988 2008
56%
1988 2008
18% 17%
1988 2008
4%
5%
1988 2008
5%
9%
Nordeste
Sudeste
Sul
Centro-Oeste
Norte
DISTRIBUIÇÃO DO PIB POR REGIÃO
Biodiversidade
Agro-
negócio
Logística de alta
capacidade
• Adensamento de
cadeias produtivas
• Inclusão social
Terciário
avançado
Difusão de
competitividade
Agregação de valor
Urbanização e interiorização do
desenvolvimento
46
+
DESCONCENTRAÇÃO DA
BASE PRODUTIVA
INTERIORIZAÇÃO DO
DESENVOLVIMENTO
NOVOS
PÓLOS NO
INTERIOR
CRESCIMENTO
DE CIDADES
MÉDIAS
3.
Ranking
Final
Município População 2012
1 Jundiaí - SP 377.183
2 Curitiba - PR 1.776.761
3 Ribeirão Preto - SP 619.746
4 São José do Rio Preto - SP 415.769
5 Piracicaba - SP 369.919
6 Caxias do Sul - RS 446.911
7 São Bernardo do Campo - SP 774.886
8 São José dos Campos - SP 643.603
9 Florianópolis - SC 433.158
10 Campinas - SP 1.098.630
Ranking Macroplan das melhores
cidades do Brasil
Forte expansão da conectividade
48
Grande expansão no percentual de brasileiros conectados à Internet , passando de
27% em 2007 para 48% em 2011.
Fonte: Celulares e banda larga: Anatel e ABTA com Elaboração
Teleco. Computadores: Centro de Tecnologia de Informação
Aplicada - FGV EAESP
Projeção de acessos por banda larga -
fixos e móveis (em milhões)
Fonte: Celulares e banda larga: Anatel e ABTA com Elaboração
Teleco. Computadores: Centro de Tecnologia de Informação
Aplicada - FGV EAESP
Massificação das telecomunicações e da
conectividade
Quantidadeemmilhares
0
10.000
20.000
30.000
40.000
50.000
60.000
70.000
0
20.000
40.000
60.000
80.000
100.000
120.000
140.000
160.000
180.000
200.000
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
Terminais
Celulares - E
Banda Larga
fixa - D
Computadores
em uso - D
2010 2011 2012
80.000
90.000
100.000
220.000
240.000
260.000 180
160
140
120
100
80
60
40
20
0
2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Móvel
Fixa
4.
Porém, a qualidade ainda é muito baixa
49
2,3
15
0 5 10 15 20
Brasil
Corea do Sul
Velocidade media da banda larga em
megabits por segundo
Fonte: OCDE/AKAMAI
Média mundial
3,1 Mbps
Brasil: 72º posição no
ranking de 243 países
Abertura e relação com a economia
mundial
50
Ranking de Abertura*
1° Hong Kong
2° Cingapura
3° Luxemburgo
4° Emirados Árabes Unidos
5° Bélgica
6° Holanda
7° Irlanda
8° Suíça
9° Estônia
10° Dinamarca
68° Brasil
Fonte: MDIC (2010)
Fonte: World Bank, World Development Indicators, Elaboração Macroplan
0
20
40
60
80
100
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011
Brazil Chile China India Russian Federation
28,1 29,3 36,9 47,8
14,8 13,5
13,7
14,1
54,7 55,1 46,8 36,1
2,4 2,1 2,6 2
2002 2005 2008 2011
Operações especiais Manufaturados Semimanufaturados Básicos
EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS POR VALOR AGREGADO
– PARTICIPAÇÃO %
VOLUME DE COMÉRCIO EXTERIOR
(% DE EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES EM RELAÇÃO AO PIB)
*Fonte: International Chamber of Commerce, Open Markets Index 2011
5.
Integração as Cadeias Produtivas Globais
51
82
68
63
50
37
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90
Singapura
Malasia
Corea do Sul
Taiwan
Brasil
Índice de integração das exportações as cadeisa produtivas
globais. Quanto maior os pontos maior a integração
Aumento das pressões por melhoria dos
serviços públicos
52
MANIFESTAÇÃO DE MORADORES DA ROCINHA, RIO DE JANEIRO.
6.
UMA POPULAÇÃO DE MAIOR RENDA, MAIOR ESCOLARIDADE, COM MAIS ACESSO À INFORMAÇÃO TENDE A PRESSIONAR O PODER PÚBLICO
NA ADOÇÃO DE UM NOVO PADRÃO DE GESTÃO. DENTRE AS REIVINDICAÇÕES ESTAVAM: MAIOR TRANSPARÊNCIA, CANAIS DE PARTICIPAÇÃO
MAIS EFETIVOS, GESTÃO PROFISSIONAL, RECRUTAMENTO DE QUADROS DE QUALIDADE, AVALIAÇÃO DE RESULTADOS, PRESTAÇÃO DE CONTAS
E MELHORIA DOS GASTOS PÚBLICOS.
Incertezas Críticas para o Brasil
 Como o Brasil se integrará à economia global?
 Quais serão a natureza e a intensidade da presença do Estado na
economia?
 Qual será o comportamento da taxa de juros no longo prazo?
 Quais as fronteiras de investimento mais promissoras?
 Quais serão a intensidade e a amplitude dos processos de inovação
no país?
 Como se dará as pressões populares nos próximos anos e como irá
influenciar o comportamento dos governantes?
53
Organização da Exposição
Tendências
MUNDIAIS
Tendências e
incertezas
BRASIL
Quatro
Cenários para o
BRASIL
em 2022
Insights sobre o
perfil de
CONSUMO
do brasileiro
Insights e
possíveis
impactos no
setor de MÍDIA
54
D.
B.
UM CHOQUE
DE CAPITALISMO
ORTODOXO
C.
INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO
INTENSAEAMPLA
MODERADAESELETIVA
RESTRITA, MODERADA
AMPLA, CRESCENTE
PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA
CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022
A.
D.
B.
UM CHOQUE
DE CAPITALISMO
ORTODOXO
C.
INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO
INTENSAEAMPLA
MODERADAESELETIVA
RESTRITA, MODERADA
AMPLA, CRESCENTE
PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA
CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022
A. “DE VOLTA AOS ANOS 70”
• Forte ajuste fiscal e desvalorização do
real como estímulo às exportações
• Prioridade ao mercado interno
• Estado é líder na modelagem,
promoção e implementação de
investimentos
D.
UM CHOQUE
DE CAPITALISMO
ORTODOXO
C.
A.
INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO
INTENSAEAMPLA
MODERADAESELETIVA
RESTRITA, MODERADA
AMPLA, CRESCENTE
PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA
B.
CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022
“CAPITALISMO CHINÊS À BRASILEIRA”
• Forte ajuste fiscal com redução
dos juros e progressiva
desvalorização do real
• Amplo programa de
investimentos liderado pelo
Estado em parceria com
empresas nacionais
• Investimentos para superação de
gargalos à competitividade
global do país
D.
B.A.
INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO
PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA
INTENSAEAMPLA
MODERADAESELETIVA
RESTRITA, MODERADA
AMPLA, CRESCENTE
CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022
UM CHOQUE
DE CAPITALISMO
ORTODOXO
C.
“UM CHOQUE DE CAPITALISMO
ORTODOXO”
• Setor privado , nacional ou
estrangeiro, lidera os
investimentos
• Modernização e aumento da
capacidade de inovação do
parque produtivo
• Políticas sociais reorientadas para
dar ênfase à inclusão produtiva
B.
UM CHOQUE
DE CAPITALISMO
ORTODOXO
C.
A.
INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO
PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA
INTENSAEAMPLA
MODERADAESELETIVA
RESTRITA, MODERADA
AMPLA, CRESCENTE
CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022
D.
“UM NOVO RECOLHIMENTO”
• Fracasso dos ajustes fiscais e
econômicos e juros mantidos
altos
• Prioridade ao mercado interno,
que dá sinais de
enfraquecimento
• Com fôlego curto, Estado se
limita a desonerações fiscais
Monitoramento dos Cenários 2022
(Atualizado em 01 de julho de 2013)
Variáveis A. De volta aos anos
1970
B. Capitalismo chinês à
brasileira
C. Um choque de
capitalismo ortodoxo
D. Um novo
recolhimento
Expectativa para 2012
Contexto externo
Baixo crescimento, risco de
crises econômicas e maior
protecionismo
Amplas oportunidades para os
países emergentes
Favorável para os países
emergentes
Crescimento limitado e
ressurgimento de crises
econômicas. Forte
protecionismo
Ajustes fiscais
Forte ajuste fiscal para conter
os gastos do setor
publico
Forte ajuste fiscal, gastos
correntes do setor público
abaixo do crescimento do PIB
Forte ajuste fiscal, gastos do
setor público bem abaixo
do crescimento do PIB
Ajustes fiscais e outras
medidas econômicas patinam
Taxa de juros Redução dos juros
Redução significativa
dos juros
Redução significativa
dos juros
Não há redução
de juros
Crescimento econômico 3 a 4% a.a. 4 a 5% a.a. 4,5 a 5,5% a.a. 2 a 3% a.a.
Investimentos
Ênfase em Infraestrutura e
energia
Infraestrutura e logística,
qualificação profissional e
eliminação dos gargalos à
competitividade
Infraestrutura e elevado
volume de investimentos em
energia. Eliminação de gargalos
à competitividade
Ênfase em energia como
principal vetor de investimento.
Infraestrutura como
2ª opção
Liderança dos
investimentos
Empresas nacionais (estatais ou
privadas) em parcerias
Grandes empresas nacionais
(estatais ou privadas) e
significativa participação
estrangeira
Atração de investimentos
privados. Empresas estatais
com posição relevante, mas
minoritárias
Setor privado nacional
liderando os investimentos,
com participação
minoritária de estrangeiros
60
Predominante Subdominante
Organização da Exposição
Tendências
MUNDIAIS
Tendências e
incertezas
BRASIL
Quatro
Cenários para o
BRASIL
em 2022
Insights sobre o
perfil de
CONSUMO
do brasileiro
Insights e
possíveis
impactos no
setor de MÍDIA
61
1. CONSUMO EXIGENTE E
RESPONSÁVEL
2. CONSUMO +60 3. CONSUMO SAUDÁVEL
AUMENTO DA DEMANDA POR
CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO E SERVIÇO
RASTREABILIDADE DO PRODUTO EM
TODO O SEU CICLO DE VIDA E AO LONGO
DA CADEIA
EM APENAS DUAS DÉCADAS A
EXPECTATIVA DE VIDA NO BRASILEIRO
SALTOU DE 62 ANOS PARA 73 ANOS
ESTIMA-SE QUE EM 2020 SERÃO 32
MI DE IDOSOS (6ª MAIOR DO MUNDO)
O RENDIMENTO DOS IDOSOS CHEGARÁ
A 25 BILHÕES DE REAIS EM 2020
VALORIZAÇÃO DA SAÚDE NAS DECISÕES
DE CONSUMO E MAIOR DEMANDA POR
PRODUTOS E SERVIÇOS ORIENTADOS A
UMA VIDA SAUDÁVEL
• 80% DOS JOVENS PROCURARAM
ALIMENTOS MAIS SAUDÁVEIS
• 21% CONSOMEM PRODUTOS
ORGÂNICOS
• 35% DOS DOMICÍLIOS BRASILEIROS
CONSOMEM PRODUTOS DIET E LIGHT
FONTE:FGV, GOOD LIGHT (PÃO DE AÇÚCAR
4. CONSUMO DE BAIXA
RENDA
5. CONSUMO PRECOCE 6. CONSUMO ONLINE
AUMENTO DA RENDA + ACESSO A
CRÉDITO + ACESSO A PRODUTOS
AUMENTO DO PODER DE DECISÃO DE
COMPRA EXERCIDO PELAS CRIANÇAS E
ADOLESCENTES SOBRE O CONSUMO
FAMILIAR
• EXISTE HOJE 14 MILHÕES DE
CRIANÇAS, DE 0 A 14 ANOS, COM
UM PODER DE INFLUENCIAR AS
FAMÍLIAS AVALIADO EM R$ 90
BILHÕES/ANO
• 75% DAS MÃES ESTÃO DISPOSTAS
A PAGAR MAIS PELA MARCA QUE O
FILHO PEDE (INTERSCIENCE/2007)
AUMENTO DAS TRANSAÇÕES COMERCIAIS
UTILIZANDO A INTERNET
• O BRASILEIRO É O LÍDER MUNDIAL NO
TEMPO NA WEB - 45H POR MÊS;
• FICA EM MÉDIA 10H EM REDES
SOCIAIS (IBOPE 2013) E 1H:50MIN
EM SITES DE FILMES E VÍDEO;
• O VAREJO ONLINE NO BRASIL SAIU DE
500 MI PARA 22 BI EM 10 ANOS (E-
BIT 2012) – ELETRODOMÉSTICO É O
ITEM MAIS VENDIDO
• ESTIMATIVA E-CONSUMIDORES NO
BRASIL: 37,6 MI (E-BIT 2012)
MAIOR IMPORTÂNCIA DE CANAIS
ALTERNATIVOS PARA AS CLASSES DE
EM 2003 – OUTROS CANAIS
RESPONDIA POR 43% DO GASTO DAS
CLASSES DE, HOJE JÁ CHEGA A 49%
7. CONSUMO PRÁTICO 8. CONSUMO DE NICHO 9. CONSUMO DE LUXO E
EXCLUSIVO
AUMENTO DA DEMANDA POR
PRODUTOS E SERVIÇOS DE ELEVADA
PRATICIDADE E QUE CONTRIBUAM PARA
A OTIMIZAÇÃO DO TEMPO
AUMENTO DA PROCURA POR SERVIÇOS
E PRODUTOS DIRECIONADOS A
MERCADOS (PÚBLICOS) ESPECÍFICOS.
AUMENTO DA DEMANDA POR
PRODUTOS DE ALTO LUXO E
DESENVOLVIDOS DE FORMA EXCLUSIVA
• MERCADO SAIU DE 5 BI (2008)
PARA 15 BI (2010)
• MERCADO DE LUXO: AUMENTO DE
80% ENTRE 2005 E 2010
• TENDÊNCIA DE PERSONALIZAÇÃO E
CUSTOMIZAÇÃO PRESENTE EM
DIVERSAS FAIXAS DE RENDA
FONTE: : INSTITUTO GFK/CONSULTORIA MCF
NÚMERO DE PESSOAS MORANDO
SOZINHAS TEM AUMENTADO
(IBGE): 12,1% DOS DOMICÍLIOS
UNIPESSOAIS
• MAIS DE 24
MILHÕES DE
BRASILEIROS (IBGE)
• A VENDA DE
PRODUTOS
RELIGIOSOS CRESCE
30% AO ANO NO
BRASIL
• 18 MILHÕES DE
BRASILEIROS SÃO
HOMOSEXUAIS.
• 36% SÃO DA CLASSE
A, 47% SÃO DA B E
16% DA C E D
Organização da Exposição
Tendências
MUNDIAIS
Tendências e
incertezas
BRASIL
Quatro
Cenários para o
BRASIL
em 2022
Insights sobre o
perfil de
CONSUMO
do brasileiro
Insights e
possíveis
impactos no
setor de MÍDIA
65
 Com o aumento sustentado da conectividade e vendas de celulares e
dispositivos móveis, O MERCADO DE MÍDIA E ENTRETENIMENTO
DIGITAL deve crescer ainda mais no mundo e no Brasil
 Por outro lado, a TV ainda é o canal de comunicação mais relevante
nos lares Brasileiros
Alguns insights estratégicos para o setor de mídia
1.
74
86,2 90 94,8 95,6 96,9
0
20
40
60
80
100
1992 1997 2002 2007 2009 2011
Fonte: IBGE – Estatísticas – Domicílios particulares permanentes com televisão (período 1992 – 1997); IBGE PNAD 2011 (período 2009-2011)
Lares brasileiros que possuem Televisão (em %)
 PORTABILIDADE de conteúdo: com o crescimento e melhora da banda larga
no Brasil, as possibilidades de consumo de informações a qualquer momento
e em todo o lugar tende a aumentar.
 BIG DATA: o volume de informações geradas nos diversos dispositivos e
provenientes da alta conectividade, lançam um desafio para as organizações:
Como tratar e decifrar os dados não estruturados gerados na rede?
 Google – 5 Bi de pesquisas por dia. Uma nova fronteira de conhecimento.
Alguns insights estratégicos para o setor de mídia
3.
2.
67
• CROSS MIDIA 2.0: Conexão de diversas mídias no processo de comunicação.
Nova era da “internet das coisas”.
• Especialistas indicam que em 15 anos haverá 1 trilhão de coisas conectadas no
mundo
4.
 CUSTOMIZAÇÃO E INTERATIVIDADE: conteúdos feitos sob medida para
atender a nichos de mercados e a mudanças de comportamentos
(importância do BIG DATA) e transição da informação de mão única para mão
dupla.
 GLOBALIZAÇÃO DE CONTEÚDO: aumento da produções de conteúdo
compartilhadas (multi empresas, multi-países). Aumento da velocidade do
compartilhamento de conteúdo no mundo.
 INFORMAÇÃO INSTANTÂNEA E AUTO-PRODUÇÃO: Informação instantânea,
prática, produzida para um determinado momento, em tempo real, de curta
duração e disponível para todos.
 O YouTube chegou ao marco de 1 bilhão de usuários únicos por mês em Março de
2013. Uma em cada duas pessoas na internet visita o YouTube.
Alguns insights estratégicos para o setor de mídia
6.
5.
68
7.
Uma mensagem final
 "Embora cada mente humana individual construa
seu próprio significado interpretando seus próprios
termos as informações comunicadas, esse
processamento mental é condicionado pelo
ambiente da comunicação. Assim, a mudança do
ambiente comunicacional afeta diretamente as
normas de construção de significado e, portanto, a
produção de relações de poder."
Manuel Castells
69
70
Contato
 Rio de Janeiro|21 2287.3293
 São Paulo|11 3285.5634
 Brasília|61 3328.6504
 www.macroplan.com.br
Glaucio Neves
Diretor
glaucio@macroplan.com.br
71

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e VendasEstrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e Vendas
Felipe Perlino
 
Aula Empreendedorismo
Aula EmpreendedorismoAula Empreendedorismo
Aula Empreendedorismo
Rafael Gonçalves
 
Planejamento Estratégico da Inovação
Planejamento Estratégico da InovaçãoPlanejamento Estratégico da Inovação
Planejamento Estratégico da Inovação
Patrícia de Sá Freire, PhD. Eng.
 
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKTMaterial da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
ABRACOMEX
 
O Ambiente de Marketing
O Ambiente de MarketingO Ambiente de Marketing
O Ambiente de Marketing
Karina Rocha
 
Modelo Planejamento EstratéGico 2009 Ppt
Modelo   Planejamento EstratéGico 2009   PptModelo   Planejamento EstratéGico 2009   Ppt
Modelo Planejamento EstratéGico 2009 Ppt
Dawison Calheiros
 
Aula 10 downsizing (1)
Aula 10   downsizing (1)Aula 10   downsizing (1)
Aula 10 downsizing (1)RD COACH
 
Comunicação empresarial
Comunicação empresarialComunicação empresarial
Comunicação empresarial
Cleoci Ribeiro
 
People analytics - O RH Data Driven
People analytics - O RH Data DrivenPeople analytics - O RH Data Driven
People analytics - O RH Data Driven
Marcelo Furtado
 
Centralização vs Descentralização / Funções Administrativas
Centralização vs Descentralização / Funções AdministrativasCentralização vs Descentralização / Funções Administrativas
Centralização vs Descentralização / Funções Administrativas
Admturmapita
 
Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...
Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...
Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...
Thiago Santos
 
Analise swot (1)
Analise swot (1)Analise swot (1)
Analise swot (1)
Paulo Borges
 
Aula SIM e Pesquisa de Marketing
Aula   SIM e Pesquisa de MarketingAula   SIM e Pesquisa de Marketing
Aula SIM e Pesquisa de Marketing
Rafael Gonçalves
 
Soft Skills
Soft SkillsSoft Skills
Ambiente de marketing
Ambiente de marketingAmbiente de marketing
Ambiente de marketing
Denise Medeiros
 
Tipos de Planejamento
Tipos de PlanejamentoTipos de Planejamento
Tipos de Planejamento
Doisnovemeia Publicidade
 
Método effectuation - Efetuação
Método effectuation - EfetuaçãoMétodo effectuation - Efetuação
Método effectuation - Efetuação
Orlando Lima Treinamentos
 
Desenvolvimento de Produto Case Geofusion
Desenvolvimento de Produto Case GeofusionDesenvolvimento de Produto Case Geofusion
Desenvolvimento de Produto Case Geofusion
Product Camp Brasil
 
Marketing Digital Imobiliário
Marketing Digital ImobiliárioMarketing Digital Imobiliário
Marketing Digital Imobiliário
Carlos Henrique Muller
 
Sistema de Informação em Marketing
Sistema de Informação em MarketingSistema de Informação em Marketing
Sistema de Informação em Marketing
Elvis Fusco
 

Mais procurados (20)

Estrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e VendasEstrategia de Marketing e Vendas
Estrategia de Marketing e Vendas
 
Aula Empreendedorismo
Aula EmpreendedorismoAula Empreendedorismo
Aula Empreendedorismo
 
Planejamento Estratégico da Inovação
Planejamento Estratégico da InovaçãoPlanejamento Estratégico da Inovação
Planejamento Estratégico da Inovação
 
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKTMaterial da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
Material da aula: Estratégias de Internacionalização e Planejamento de MKT
 
O Ambiente de Marketing
O Ambiente de MarketingO Ambiente de Marketing
O Ambiente de Marketing
 
Modelo Planejamento EstratéGico 2009 Ppt
Modelo   Planejamento EstratéGico 2009   PptModelo   Planejamento EstratéGico 2009   Ppt
Modelo Planejamento EstratéGico 2009 Ppt
 
Aula 10 downsizing (1)
Aula 10   downsizing (1)Aula 10   downsizing (1)
Aula 10 downsizing (1)
 
Comunicação empresarial
Comunicação empresarialComunicação empresarial
Comunicação empresarial
 
People analytics - O RH Data Driven
People analytics - O RH Data DrivenPeople analytics - O RH Data Driven
People analytics - O RH Data Driven
 
Centralização vs Descentralização / Funções Administrativas
Centralização vs Descentralização / Funções AdministrativasCentralização vs Descentralização / Funções Administrativas
Centralização vs Descentralização / Funções Administrativas
 
Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...
Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...
Avaliação do Desempenho na Administração Pública [Diálogos sobre Gestão de Pe...
 
Analise swot (1)
Analise swot (1)Analise swot (1)
Analise swot (1)
 
Aula SIM e Pesquisa de Marketing
Aula   SIM e Pesquisa de MarketingAula   SIM e Pesquisa de Marketing
Aula SIM e Pesquisa de Marketing
 
Soft Skills
Soft SkillsSoft Skills
Soft Skills
 
Ambiente de marketing
Ambiente de marketingAmbiente de marketing
Ambiente de marketing
 
Tipos de Planejamento
Tipos de PlanejamentoTipos de Planejamento
Tipos de Planejamento
 
Método effectuation - Efetuação
Método effectuation - EfetuaçãoMétodo effectuation - Efetuação
Método effectuation - Efetuação
 
Desenvolvimento de Produto Case Geofusion
Desenvolvimento de Produto Case GeofusionDesenvolvimento de Produto Case Geofusion
Desenvolvimento de Produto Case Geofusion
 
Marketing Digital Imobiliário
Marketing Digital ImobiliárioMarketing Digital Imobiliário
Marketing Digital Imobiliário
 
Sistema de Informação em Marketing
Sistema de Informação em MarketingSistema de Informação em Marketing
Sistema de Informação em Marketing
 

Semelhante a Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia

Palestra Macroplan no Instituto da Criança
Palestra Macroplan no Instituto da CriançaPalestra Macroplan no Instituto da Criança
Palestra Macroplan no Instituto da Criança
Cristina Souto
 
Israel Klabin E C Larissa Lins 12 05
Israel Klabin E C Larissa Lins   12 05Israel Klabin E C Larissa Lins   12 05
Israel Klabin E C Larissa Lins 12 05
apimec
 
A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020
A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020
A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020
Miguel Toscano
 
As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...
As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...
As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...
Luis Rasquilha
 
Cbr_folder
Cbr_folderCbr_folder
Cbr_folder
CONSTRUBR_
 
Tese de Impacto Pipa
Tese de Impacto PipaTese de Impacto Pipa
Tese de Impacto Pipa
Pipa_vc
 
Mudancas climaticas
Mudancas climaticasMudancas climaticas
Análise de Mercado e Estratégia Competitiva
Análise de Mercado e Estratégia CompetitivaAnálise de Mercado e Estratégia Competitiva
Análise de Mercado e Estratégia Competitiva
Rodrigo Dantas, PMP, Msc
 
aula-2-estrategias.ppt
aula-2-estrategias.pptaula-2-estrategias.ppt
aula-2-estrategias.ppt
IsisMarques10
 
Ihub
IhubIhub
Mariana meirelles 09 20
Mariana meirelles 09 20Mariana meirelles 09 20
Mariana meirelles 09 20
forumsustentar
 
Inovação Frugal - Lúcio Campos
Inovação Frugal - Lúcio CamposInovação Frugal - Lúcio Campos
Inovação Frugal - Lúcio Campos
Izabela Hendrix / UFMG
 
Consultoria Atm
Consultoria AtmConsultoria Atm
Consultoria Atm
siqueiramt
 
Projeto Desafios da Nação
Projeto Desafios da NaçãoProjeto Desafios da Nação
Projeto Desafios da Nação
Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
 
Lucinaide pinheiro economia criativa
Lucinaide pinheiro   economia criativaLucinaide pinheiro   economia criativa
Lucinaide pinheiro economia criativa
SECONCI-RIO
 
Macrotendências Mundiais - FIESP
Macrotendências Mundiais - FIESPMacrotendências Mundiais - FIESP
Macrotendências Mundiais - FIESP
Wankes Leandro
 
Fiemg simantob 20.10.11
Fiemg simantob 20.10.11Fiemg simantob 20.10.11
Fiemg simantob 20.10.11
kleber.torres
 
Cidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade Urbana
Cidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade UrbanaCidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade Urbana
Cidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade Urbana
Confederação Nacional da Indústria
 
CRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva
CRER no Centro de Portugal - Pedro SaraivaCRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva
CRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva
pedrogfhferreira
 
Documento | Bioeconomia: uma Agenda para o Brasil
Documento | Bioeconomia: uma Agenda para o BrasilDocumento | Bioeconomia: uma Agenda para o Brasil
Documento | Bioeconomia: uma Agenda para o Brasil
Confederação Nacional da Indústria
 

Semelhante a Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia (20)

Palestra Macroplan no Instituto da Criança
Palestra Macroplan no Instituto da CriançaPalestra Macroplan no Instituto da Criança
Palestra Macroplan no Instituto da Criança
 
Israel Klabin E C Larissa Lins 12 05
Israel Klabin E C Larissa Lins   12 05Israel Klabin E C Larissa Lins   12 05
Israel Klabin E C Larissa Lins 12 05
 
A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020
A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020
A Estratégia Europa 2020 e o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020
 
As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...
As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...
As 5 MegaTrends e as 18 Timelines de Negócio. Ciclo de Palestras Cubo: Sessão...
 
Cbr_folder
Cbr_folderCbr_folder
Cbr_folder
 
Tese de Impacto Pipa
Tese de Impacto PipaTese de Impacto Pipa
Tese de Impacto Pipa
 
Mudancas climaticas
Mudancas climaticasMudancas climaticas
Mudancas climaticas
 
Análise de Mercado e Estratégia Competitiva
Análise de Mercado e Estratégia CompetitivaAnálise de Mercado e Estratégia Competitiva
Análise de Mercado e Estratégia Competitiva
 
aula-2-estrategias.ppt
aula-2-estrategias.pptaula-2-estrategias.ppt
aula-2-estrategias.ppt
 
Ihub
IhubIhub
Ihub
 
Mariana meirelles 09 20
Mariana meirelles 09 20Mariana meirelles 09 20
Mariana meirelles 09 20
 
Inovação Frugal - Lúcio Campos
Inovação Frugal - Lúcio CamposInovação Frugal - Lúcio Campos
Inovação Frugal - Lúcio Campos
 
Consultoria Atm
Consultoria AtmConsultoria Atm
Consultoria Atm
 
Projeto Desafios da Nação
Projeto Desafios da NaçãoProjeto Desafios da Nação
Projeto Desafios da Nação
 
Lucinaide pinheiro economia criativa
Lucinaide pinheiro   economia criativaLucinaide pinheiro   economia criativa
Lucinaide pinheiro economia criativa
 
Macrotendências Mundiais - FIESP
Macrotendências Mundiais - FIESPMacrotendências Mundiais - FIESP
Macrotendências Mundiais - FIESP
 
Fiemg simantob 20.10.11
Fiemg simantob 20.10.11Fiemg simantob 20.10.11
Fiemg simantob 20.10.11
 
Cidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade Urbana
Cidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade UrbanaCidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade Urbana
Cidades: Mobilidade, Habitação e Escala | Estudo de Mobilidade Urbana
 
CRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva
CRER no Centro de Portugal - Pedro SaraivaCRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva
CRER no Centro de Portugal - Pedro Saraiva
 
Documento | Bioeconomia: uma Agenda para o Brasil
Documento | Bioeconomia: uma Agenda para o BrasilDocumento | Bioeconomia: uma Agenda para o Brasil
Documento | Bioeconomia: uma Agenda para o Brasil
 

Mais de Macroplan

Desafios da gestão estadual
Desafios da gestão estadualDesafios da gestão estadual
Desafios da gestão estadual
Macroplan
 
Desempenho por estado sem hiperlinks
Desempenho por estado sem hiperlinksDesempenho por estado sem hiperlinks
Desempenho por estado sem hiperlinks
Macroplan
 
Desempenho da gestão pública dos estados brasileiros
Desempenho da gestão pública dos estados brasileirosDesempenho da gestão pública dos estados brasileiros
Desempenho da gestão pública dos estados brasileiros
Macroplan
 
Novos governos
Novos governosNovos governos
Novos governos
Macroplan
 
Melhores e piores resultados
Melhores e piores resultadosMelhores e piores resultados
Melhores e piores resultados
Macroplan
 
Estado modelo
Estado modeloEstado modelo
Estado modelo
Macroplan
 
As Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de CidadesAs Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de Cidades
Macroplan
 
Pde versao de lancamento 2.5
Pde versao de lancamento 2.5Pde versao de lancamento 2.5
Pde versao de lancamento 2.5
Macroplan
 
Conseplan planejamento longo_prazo_macroplan
Conseplan planejamento longo_prazo_macroplanConseplan planejamento longo_prazo_macroplan
Conseplan planejamento longo_prazo_macroplan
Macroplan
 
Desempenho do seu municipio
Desempenho do seu municipioDesempenho do seu municipio
Desempenho do seu municipio
Macroplan
 
Desafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do Brasil
Desafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do BrasilDesafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do Brasil
Desafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do Brasil
Macroplan
 
Gestão para resultados. Como fazer?
Gestão para resultados. Como fazer?Gestão para resultados. Como fazer?
Gestão para resultados. Como fazer?
Macroplan
 
Nordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivasNordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivas
Macroplan
 
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and casesProspective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
Macroplan
 
Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012
Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012
Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012
Macroplan
 
Tendências exploratórias de desenvolvimento regional no Brasil
Tendências exploratórias de desenvolvimento regional no BrasilTendências exploratórias de desenvolvimento regional no Brasil
Tendências exploratórias de desenvolvimento regional no Brasil
Macroplan
 
Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp
Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagespGestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp
Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp
Macroplan
 
Gestão estratégica baseada em cenários
Gestão estratégica baseada em cenáriosGestão estratégica baseada em cenários
Gestão estratégica baseada em cenários
Macroplan
 
Planejamento estratégico no poder legislativo
Planejamento estratégico no poder legislativoPlanejamento estratégico no poder legislativo
Planejamento estratégico no poder legislativo
Macroplan
 
O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios
O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafiosO movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios
O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios
Macroplan
 

Mais de Macroplan (20)

Desafios da gestão estadual
Desafios da gestão estadualDesafios da gestão estadual
Desafios da gestão estadual
 
Desempenho por estado sem hiperlinks
Desempenho por estado sem hiperlinksDesempenho por estado sem hiperlinks
Desempenho por estado sem hiperlinks
 
Desempenho da gestão pública dos estados brasileiros
Desempenho da gestão pública dos estados brasileirosDesempenho da gestão pública dos estados brasileiros
Desempenho da gestão pública dos estados brasileiros
 
Novos governos
Novos governosNovos governos
Novos governos
 
Melhores e piores resultados
Melhores e piores resultadosMelhores e piores resultados
Melhores e piores resultados
 
Estado modelo
Estado modeloEstado modelo
Estado modelo
 
As Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de CidadesAs Grandes Tendências Globais de Cidades
As Grandes Tendências Globais de Cidades
 
Pde versao de lancamento 2.5
Pde versao de lancamento 2.5Pde versao de lancamento 2.5
Pde versao de lancamento 2.5
 
Conseplan planejamento longo_prazo_macroplan
Conseplan planejamento longo_prazo_macroplanConseplan planejamento longo_prazo_macroplan
Conseplan planejamento longo_prazo_macroplan
 
Desempenho do seu municipio
Desempenho do seu municipioDesempenho do seu municipio
Desempenho do seu municipio
 
Desafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do Brasil
Desafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do BrasilDesafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do Brasil
Desafios da Gestão Municipal | Ranking 100 maiores cidades do Brasil
 
Gestão para resultados. Como fazer?
Gestão para resultados. Como fazer?Gestão para resultados. Como fazer?
Gestão para resultados. Como fazer?
 
Nordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivasNordeste: evolução recente e perspectivas
Nordeste: evolução recente e perspectivas
 
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and casesProspective Foresight in Brazil: An overview and cases
Prospective Foresight in Brazil: An overview and cases
 
Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012
Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012
Macroplan forum qualidade_do_gasto_publico_2012
 
Tendências exploratórias de desenvolvimento regional no Brasil
Tendências exploratórias de desenvolvimento regional no BrasilTendências exploratórias de desenvolvimento regional no Brasil
Tendências exploratórias de desenvolvimento regional no Brasil
 
Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp
Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagespGestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp
Gestao estrategica de_processos_no_setor_publico_conagesp
 
Gestão estratégica baseada em cenários
Gestão estratégica baseada em cenáriosGestão estratégica baseada em cenários
Gestão estratégica baseada em cenários
 
Planejamento estratégico no poder legislativo
Planejamento estratégico no poder legislativoPlanejamento estratégico no poder legislativo
Planejamento estratégico no poder legislativo
 
O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios
O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafiosO movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios
O movimento de modernização da gestão pública no Brasil e seus desafios
 

Brasil 2022: Tendências, cenários e insights para o setor de mídia

  • 1. Informação confidencial e proprietária da Macroplan® Prospectiva Estratégia e Gestão. Não distribuir ou reproduzir sem autorização expressa. Brasil 2022: tendências e cenários Glaucio Neves 23 de Agosto de 2013
  • 2. A Macroplan®  Empresa brasileira de consultoria especializada em Gestão Estratégica, fundada em 1989, com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, e atuação em todo o Brasil.  Áreas de Competência  23 anos de análises prospectivas e estratégicas sobre o ambiente econômico brasileiro  71 análises prospectivas ou de cenários para 28 clientes em diversos setores, tais como economia, energia, governo, indústria, agronegócio entre outros  A Petrobras já utilizou 24 trabalhos de análise prospectiva da Macroplan.  Mais de 250 projetos de consultoria para grandes organizações, dos quais 140 projetos de planejamento estratégico.  40 profissionais com formação pluridisciplinar em vínculo permanente aliados a uma ampla rede de especialistas.  Soluções “sob medida” em construção conjunta com os clientes.  Relacionamentos duradouros, por exemplo: Petrobras há 23 anos; Sistema Eletrobras - 22 anos; e Suzano Papel e Celulose - 5 anos. Grandes escolhas, coesão e senso de direção a Longo Prazo PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Transformação estratégias em ações e resultados concretos GESTÃO PARA RESULTADOS Criação de valor para ampliar a competitividade/sustentabilidade GESTÃO ESTRATÉGICA DA INOVAÇÃO Alinhamento da organização, dos processos e equipe à estratégia para garantir resultados DESIGN ORGANIZACIONAL Antecipações de futuros para iluminar as decisões do presente ESTUDO DE CENÁRIOS 2
  • 4. Experiência em Análise Prospectiva 4 » REFERÊNCIA EM ANÁLISE PROSPECTIVA NO BRASIL, ESPECIALMENTE NA ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS REFERENCIAIS DE SUPORTE PARA A ATIVIDADE EMPRESARIAL (23 ANOS DE EXPERIÊNCIA). » 3 LIVROS, 6 ESTUDOS E 18 ARTIGOS PUBLICADOS » 78 PROJETOS DE ANÁLISES PROSPECTIVAS PARA 28 CLIENTES » ÚLTIMOS PROJETOS REALIZADOS: SEBRAE RJ, PETROBRAS/CENPES, EMBRAPA, IPEA E GOVERNO DE MINAS
  • 5. As certezas em relação ao Futuro  O futuro é incerto e indeterminado  O futuro é um espaço aberto a múltiplas possibilidades  Para lidar com esses fatores incertos, a construção de cenários e definição de tendências são técnicas mais eficazes  O futuro é fruto de uma construção social 5
  • 6. Três atitudes face ao futuro 6 AVESTRUZ  Atitude passiva  Fecha os olhos frente ao futuro e fica exposto à mudança BOMBEIRO • Atitude reativa • Aguarda que a mudança ocorra para então decidir como agir VIGILANTE • Atitude antecipatória • Busca antever mudanças e preparar respostas com antecedência
  • 7. O que são Tendências Consolidadas Perspectiva cuja direção é bastante visível e suficientemente consolidada (movimento com direção altamente previsível) Presente Tendência
  • 8. Organização da Exposição Tendências MUNDIAIS Tendências e incertezas BRASIL Quatro Cenários para o BRASIL em 2022 Insights sobre as mudanças do perfil de CONSUMIDOR do brasileiro Insights estratégicos para o setor de MÍDIA 8
  • 9. Organização da Exposição 9 Tendências MUNDIAIS Tendências e incertezas BRASIL Quatro Cenários para o BRASIL em 2022 Insights sobre o perfil de CONSUMO do brasileiro Insights e possíveis impactos no setor de MÍDIA
  • 10. As tendências de longo prazo apontam para um MUNDO com mais… RENDA E CONSUMO NOS EMERGENTES IDOSOS CONEXÂO ENTRE PESSOAS E ORGANIZACOES GLOBALIZAÇÃO PRODUTIVA E FINANCEIRA EVENTOS CLIMÁTICOS EXTREMOS CENTROS URBANOS COMPETIÇÃO ENTRE EMPRESAS E ENTRE PAÍSES VALORIZAÇÃO DO CONHECIMENTO E DA INOVAÇÃO 10
  • 11. Seis tendências de destaque 1. Mudanças Demográficas: Ingresso de milhões de novos consumidores à economia de mercado 2. Novo padrão de competitividade: larga escala de produção, baixo custo e densidade tecnológica 3. Intensificação da Globalização: comercial, financeira e produtiva baseada em redes de valor internacionais 4. Sociedade do conhecimento: principal motor da economia mundial 5. Sociedade em rede em tempo real 6. Mudanças climáticas: emergência da economia de baixo carbono 11
  • 12. Mudanças Demográficas: Ingresso de milhões de novos consumidores à economia de mercado 12 População Renda + • Aumento da demanda por commodities industriais, minerais e energia • Aumento da demanda por alimentos (principalmente por grãos e carnes) A classe média mundial* passará de 1,85 bilhões em 2009 para 4,88 bilhões em 2030 MAIORES RESPONSÁVEIS Fonte: “The Expanding Middle: The Exploding World Middle Class and Falling Global Inequality”, Goldman Sachs Global Economics Paper No: 170, 07/07/2008. Classe média mundo: Renda entre U$6.000 e US$30.000 1. CHINA ÍNDIA
  • 13. Projeção da população mundial Fonte: United Nations, World Population Prospects, The 1998 Revision (NY: UM, 1998); and estimates by the Population Reference Bureau Regiões mais desenvolvidas Regiões menos desenvolvidas 0 1000000 2000000 3000000 4000000 5000000 6000000 7000000 8000000 9000000 10000000 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2020 2030 2040 2050 2010 6,9 bilhões 2030 8,3 bilhões 13
  • 14. Participação da classe média mundial no consumo Fonte: OCDE, em Global Trends 2030: Alternative Worlds, National Intelligence Council 14
  • 15. Envelhecimento da população 15 Fonte: United Nations, Department of Economics and Social Affairs, World Urbanization Prospects (2011 Revision), Population Division 1950 2010 2050 105 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 300 200 100 0 100 200 300 300 200 100 0 100 200 300 300 200 100 0 100 200 300 Homens Mulheres A população mundial será 3,6 anos mais velha (em 2022), com expectativa de vida 2,1 anos maior. A mediana da idade mundial passa de 29,2 anos em 2010 para 32,8 anos em 2025.
  • 16. Urbanização e Metropolização 16 Porcentagem de População Urbana e Aglomerações Urbanas, por tamanho da cidade, 2025 Fonte: United Nations, Department of Economic and Social Affairs, Population Division: World Urbanization Prospects, The 2011 Revision. 60% da população mundial viverá em cidades em 2022 Existirá 37 aglomerações urbanas com mais de 10 milhões de pessoas até 2025
  • 17. Novo padrão de competitividade: larga escala de produção, baixo custo e densidade tecnológica 17 PRODUTOS COM ALTA QUALIDADE E DENSIDADE TECNOLÓGICA A PREÇOS CADA VEZ MAIS BAIXOS DIFERENCIAL CHINÊS: ALTA CAPACIDADE DE BARATEAR A TECNOLOGIA ALTA ESCALA DE PRODUÇÃO ALTA DENSIDADE TECNOLÓGICA BAIXO CUSTO CONSUMO EM MASSA 2.
  • 18. Preço de televisores 18 Dezembro 2006 Agosto 2013 TV LCD 42’ TV LED 42’ (HD) ?? ??± R$ 8.950 ± R$ 2.100
  • 19. Inovação Reversa como um novo padrão  Inovação reversa é a habilidade de inovar especificamente para os mercados emergentes  Necessidade de criar mercados, inovar para atender necessidades específicas (performance, infraestrutura, sustentabilidade, leis locais e preferenciais)  Futura exportação das inovações para os países desenvolvidos » inovação reversa  Exemplos: GE (Vscan) e Asus (netbooks) 19 Fonte: Govindarajan; Vijay Trimble, Chris. Reverse Innovation: Create far from home, win everywhere. Harvard Business Press, Abril, 2012 FASE 1 FASE 2 FASE 3 FASE 4 GLOBALIZAÇÃO/ GLOCALIZAÇÃO INOVAÇÃO REVERSA Produtos dos EUA simplificados fabricados nos USA para os ME Produtos dos USA simplificados fabricados nos ME para o ME Design e produção em ME - vendas para ME Design e produção em ME para o mundo PAÍSES EMERGENTES EM DESTAQUE COMO CENTROS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, ATRAINDO O INTERESSE DE GRANDES CENTROS DE PESQUISA E DE MÃO DE OBRA ALTAMENTE QUALIFICADA
  • 20. 20
  • 21. PROCESSOS PRODUTIVOS GLOBAIS FLUXOS GLOBAIS DE INVESTIMENTOS E CAPITAIS INTERNACIONAIS Intensificação da Globalização: comercial, financeira e produtiva baseada em redes de valor internacionais Redes de valor integradas e operando em escala mundial Ex.: IPAD envolveu na fabricação EUA, Coréia do Sul, Japão, China e Hong Kong Aumento no Fluxo de Investimentos Globais (IED) em mais de 6 vezes de 1990 para 2011 Aumento da relação entre o tamanho do mercado financeiro e o PIB mundial triplicou entre 1980 e 2006 3. 21
  • 22. Exportações e fluxo de investimentos Fonte: World Bank, World Development Indicators, Elaboração Macroplan Fonte: World Bank, World Development Indicators, Elaboração Macroplan 0 5000 10000 15000 20000 25000 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 1990 1993 1996 1999 2002 2005 2008 2011 Exportações mundiais de mercadorias e serviços a preços correntes (US$ bilhões) – 2003 a 2011 Fluxo de Investimentos Globais (IED), 1990-2011 (US$ bilhões correntes) 22
  • 23. Total de Mercadorias Exportadas 2011 23 Fonte: World Trade Organization, http://www.wto.org/english/res_e/statis_e/statis_bis_e.htm?solution=WTO&path=/Dashboards/MAPS&file=Map.wcdf&bookmarkState=%7b%22imp l%22:%22client%22,%22params%22:%7b%22langParam%22:%22en%22%7d%7d A figura abaixo representa o volume de exportações por país, acentuando a proeminência comercial da China, que já ultrapassa os Estado Unidos e caminha para taxas cada vez maiores
  • 24. Sociedade do conhecimento: principal motor da economia mundial CRIAÇÃO DE VALOR INTENSIVA EM ENERGIA E MATERIAIS INTENSIVA EM CONHECIMENTO E INOVAÇÃO TRÊS ÁREAS COM GRANDE POTENCIAL DISRUPTIVO Biotecnologia Nanotecnologia Tecnologia da informação 4. 24
  • 25. Emergência e Convergência das Novas Tecnologias – 2012-2030 Elaboração: Macroplan – Prospectiva, Estratégia & Gestão. Adaptado de: TechCast. Technology Revolution, 2011. 85 80 75 70 65 60 55 50 2012 2015 2018 2021 2024 2027 2030 Energia e Meio Ambiente Tecnologia da Informação E - Commerce Fabricação e Robótica Transporte Medicina e Biogenética Espaço Negócio Sustentável Controle Climático Energia Alternativa Aqüicultura Computação em nuvem Interface Inteligente Realidade Virtual Inteligência Artificial Computação Quântica Web 2.0 Acesso Global Educação Virtual Teletrabalho Robôs Inteligentes Nanotecnologia Armazenamento de EnergiaCarros Híbridos Carros Elétricos Estradas Automatizadas Pequenas Aeronaves Cura do Câncer Órgãos Artificiais Base Lunar Turismo Espacial ProbabilidadedeOcorrência(%) Tamanho da circunferência = Tamanho de mercado estimado 25
  • 26. Investimento Global em P&D- 2012 26Nota: O tamanho das circunferências representa o investimento anual dos países em P&D. Fonte: Batelle, R&D Magazine. “2013 Global R&D Funding Forecast”,
  • 27. Gastos com P&D e Inovação no setor industrial e empresas inovadoras As 10 empresas mais inovadoras do mundo 2011 (em milhões de US$) Fonte: Booz & Company. “The Global Innovation 1000”. 2012. POSIÇÃO EMPRESA GASTO COM P&D EM 2011 VENDAS EM 2011 GASTO COM P&D COMO % DAS VENDAS 1 Apple 2.429 108.249 2.2% 2 Google 5.162 37.905 13.6% 3 3M 1.570 29.611 5.3% 4 Samsung 9.017 149.080 6% 5 GE 4.601 142.237 3.2% 6 Microsoft 9.043 69.943 12.9% 7 Toyota 9.881 235.482 4.2% 8 IBM 6.258 106.916 5.9% 8 Procter & Gamble 2.001 82.559 2.4% 10 Amazon 2.909 48.077 6.1% Gasto com P&D por setor industrial no mundo 2011 (em milhões de US$) Fonte: Booz & Company. “The Global Innovation 1000”. 2012. 12.060 18.090 42.210 42.210 60.300 96.480126.630 168.840 12.060 Telecomunicações Saúde Computação/ Eletrônicos Consumidor Aeroespaço/Defesa Software/Internet P. Químicos/ Energia Indústria Automóveis INVESTIMENTO TOTAL DE 603 BILHÕES DE DÓLARES 24.120 27
  • 28. Concessão de patentes no mundo Patentes concedidas pelo United States Patent and Trademark Office (USPTO) (% sobre o total mundial) – 1998-2011 Fonte: U.S. Patent and Trademark Office, Calendar Year Patent Statistics - ‘Patents By Country, State, and Year – All Patent Types’ EM 2011, O INPI CONCEDEU 3.801 PATENTES NO BRASIL, UM CRESCIMENTO DE 21,12% EM RELAÇÃO A 2009 (FONTE: INPI, 2011) 2,18% 2,21% 3,97% 5,12% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 0,03% 0,23% 0,68% 1,35% Pre1998 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 China 0,12% 0,11% 0,10% 0,12% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Rússia 0,06% 0,10% 0,06% 0,10% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Brasil 0,19% 0,19% 0,23% 0,23% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Espanha 0,06% 0,14% 0,36% 0,51% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Índia Coréiado Sul 28
  • 29. 29 Conhecimento com escala Exame de doutorado em Wuhan – China A China já produz 160 mil pesquisas científicas por ano
  • 30. Sociedade em rede em tempo real 30 As redes digitais/sociais despontam como poderosas ferramentas para comunicação e colaboração em massa 5.
  • 31. Fonte: Newsroom.fb.com/Timeline (período 2004 até 2011); Investors.fb > Earnings > Slides (período 2012 e 2013) Evolução do numero de usuários do Facebook (em milhões) Fonte: Knowledge, networks and nations: Global scientific collaboration in the 21st century. The Royal Society, 2011 Proporção de artigos produzidos por autores de mais de um país, 1996-2008 40% 35% 30% 25% 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 31 1 58 608 845 955 1155 0 200 400 600 800 1000 1200 1400 Dez. 2004 Dez. 2007 Dez. 2010 Dez. 2011 Jun. 2012 Jun. 2013
  • 32. Conexão entre as pessoas (retweets no mundo mapeados em um espaço de tempo) 32 http://www.theatlanticcities.com/technology/2013/05/how-twitter-changing-geography- communication/5601/
  • 33. Mudanças climáticas: emergência da economia de baixo carbono 33 TENDÊNCIA DE CONSENSO NA COMUNIDADE CIENTÍFICA HAVERÁ AQUECIMENTO GLOBAL EM QUALQUER CENÁRIO INCERTEZA QUAL SERÁ A INTENSIDADE DA MUDANÇA? Nível de esforço de mitigação Grau de transição para uma economia de baixo carbono += 6.
  • 34. Instrumentos da economia de baixo carbono 34 Países com a maior parte dos projetos de crédito de carbono (em % do volume ofertado no CDM - Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) - 2011 As principais categorias de oportunidades de redução de emissão de carbono Fonte: Pathways to a Low-Carbon Economy – Version 2 of the Global Greenhouse Gas Abatement Cost Curve, McKinsey&Company, 2009. DA VISÃO TRADICIONAL DO MEIO AMBIENTE COMO ENTRAVE AO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO À SUSTENTABILIDADE CRESCENTE DOS NEGÓCIOS COMEÇA A EMERGIR A VISÃO DE QUE A BUSCA PELA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL TRARÁ MÚLTIPLAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO Fonte: Banco Mundial (WB). “State and Trends of the Carbon Market”, Maio de 2012 1,1% África2,8% América Latina14% Oriente Médio1,1% -5% - 4% -12% -12% -14% Mudanças de comportamento 70 60 50 40 30 20 10 0 Fornecimento de energia de baixo carbono Sumidouros naturais de carbono Medidas técnicas 2005 2010 2015 2020 2025 2030 Eficiência energética EmissõesglobaisdeGEE(GtCO2e/ano) 23 Europa e Ásia Central Ásia e Pacífico81%
  • 35. Fonte: Muller e Outros 2009; Banco mundial 2008 apud World Development Report 2010 – Development and Climate Change, World Bank Mudanças climáticas reduzirão a produtividade agrícola na maioria dos países em 2050 Considerando as atuais práticas agrícolas e sementes 35 Variação percentual do rendimento entre o presente e 2050 Sem dados -55 -20 0 20 50 100
  • 36. Emergência da economia de baixo carbono As pressões por substituição dos combustíveis fósseis resultará no aumento mundial da procura por fontes de energia de baixo carbono Fonte: U.S. and World Agricultural Outlook, Food and Agricultural Policy Research Institute, Janeiro de 2012. Elaboração Macroplan. 24,4 2,7 52,3 6,1 1,9 1,3 2,6 64,1 3,6 64,3 12,3 3,9 1,9 3,5 23,6 2,7 49,7 7,5 2,0 1,9 1,0 49,0 4,1 72,4 15,2 3,5 2,5 1,1 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 Brasil China EUA Europa Índia Canadá Argentina Brasil China EUA Europa Índia Canadá Argentina 2011 2022 Produção Consumo 26,1 2,0 40,4 3,0 1,1 1,1 1,2 51,4 2,8 65,4 6,9 2,4 1,7 1,8 24,1 1,9 41,2 4,1 1,8 1,7 0,0 35,8 2,8 74,7 9,4 2,7 2,9 0,8 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 80,0 Brasil China EUA Europa Índia Canadá Argentina Brasil China EUA Europa Índia Canadá Argentina 2009 2019 Produção Consumo Produção e Consumo de Biodiesel em 2009 e projeção para 2019 (bilhões de litros) Produção e Consumo de Etanol em 2011 e projeção para 2022 (bilhões de litros) 36
  • 37. Incidência de desastres naturais As perdas econômicas chegaram a US$ 3,8 trilhões nesse período. Somente em 2012, as perdas econômicas causadas pelos 905 eventos catastróficos alcançaram US$ 170 bilhões. O prejuízo foi 2,5 vezes maior que no ano anterior Fonte: National Climatic Data Center/NESDIS/NOAA, Extraído do relatório MUNICH RE Topics Geo, 2012. 37 Número de catástrofes naturais 1980-2012
  • 38. Organização da Exposição Tendências MUNDIAIS Tendências e incertezas BRASIL Quatro Cenários para o BRASIL em 2022 Insights sobre o perfil de CONSUMO do brasileiro Insights e possíveis impactos no setor de MÍDIA 38
  • 39. E o Brasil Hoje? Diferenciais Competitivos e Deficiências Estruturais 39 • Disponibilidade de recursos naturais, inclusive energéticos • Mercado nacional integrado e de grande escala • Solidez e elevado desempenho do sistema financeiro nacional • Dinamismo do mercado acionário • Consolidação da normalidade democrática vivenciada nas últimas duas décadas • Baixo nível de escolaridade e de capacitação da população. Destaque negativo para formação superior • Gargalos na infraestrutura (inclui tecnológica) e nos sistemas logísticos • Deficiências institucionais que restringem a competitividade sistêmica (solidez institucional, burocracia, legislação, carga tributária, brechas regulatórias etc.) • Má qualidade do gasto público • Escassez de poupança interna • Baixa capacidade de inovação DIFERENCIAIS COMPETITIVOS DEFICIÊNCIAS ESTRUTURAIS
  • 40. Escassez de mão-de-obra qualificada Fortes impactos para a atividade produtiva Evolução da taxa de desemprego e do salário mínimo real 0 2 4 6 8 10 12 14 0 100 200 300 400 500 600 700 800 jan/03 set/03 mai/04 jan/05 set/05 mai/06 jan/07 set/07 mai/08 jan/09 set/09 mai/10 jan/11 set/11 mai/12 jan/13 Salário Mínimo Real (R$) Taxa Desemprego - 30 dias - RM (%) Fonte: Ipeadata 40 Número de pessoas necessárias por setor para gerar cada milhão de reais Fonte: IBGE “ demografia, produtividade e Mudança estrutural” de Regis Bonelli e Julia Fontes e Tendências. 16 26 45 46 63 96 0 50 100 150 Serviços de alta qualificação Industria Comércio Construção Serviços de baixa qualificação Agorpecuária 85% dos postos de trabalhos criados em 2011
  • 41. Ensino superior e baixa produtividade Fortes impactos para a atividade produtiva População de 25 a 34 anos com diploma de ensino superior Fonte: OCDE, INEP, Federação Nacional dos Engenheiros 63% 56% 43% 41% 12% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% Coreia do Sul Japão França EUA Brasil Engenheiros entre os graduados 23% 19% 16% 6% 4% 0% 5% 10% 15% 20% 25% Coreis do Sul Japão França EUA BRASIL Percentual de empresários com dificuldades para preencher vagas com profissionais qualificados *Pesquisa feita com 38 mil empregadores em 42 países. Fonte: Manpower, 2013. “Talent Shortage Survey Research Results 2013” Disponível em http://www.manpowergroup.com. Acessado em 30/07/2013. 85% 68% 61% 58% 41% 39% 38% 35% 35% 33% 17% 13% 6% 3% 3% Média Mundial 35%
  • 42. Tendências Consolidadas para o Brasil até 2022 1. Uma nova realidade demográfica 2. Emergência da classe média 3. Urbanização e interiorização do desenvolvimento 4. Forte expansão da conectividade 5. Acirramento dos desafios do Brasil na inserção econômica mundial: qualidade e quantidade 6. Aumento das pressões por melhoria dos serviços públicos 42
  • 43. Transição demográfica Pirâmide etária brasileira 43 2020 2030 2040 78 75 72 69 66 63 60 57 54 51 48 45 42 39 36 33 30 27 24 21 18 15 12 9 6 3 0 Homens Mulheres 2.000.000 1.500.000 1.000.000 500.000 0 500.000 1.000.000 1.500.000 2.000.000 2.000.000 1.500.000 1.000.000 500.000 0 500.000 1.000.000 1.500.000 2.000.000 2.000.000 1.500.000 1.000.000 500.000 0 500.000 1.000.000 1.500.000 2.000.000 78 75 72 69 66 63 60 57 54 51 48 45 42 39 36 33 30 27 24 21 18 15 12 9 6 3 0 78 75 72 69 66 63 60 57 54 51 48 45 42 39 36 33 30 27 24 21 18 15 12 9 6 3 0 Fonte: IBGE 1.
  • 44. Demanda por serviços em função da idade 44 ALIMENTAÇÃO TRABALHO HABITAÇÃO EDUCAÇÃO SAÚDE IDADE DEMANDADESERVIÇOS 0 10 20 30 40 50 60 70 Fonte: Obtida por derivação da pirâmide etária; Adaptado de Corsa e Oakley apud Rogers, 1982 In: FERREIRA; Frederico P. M, Op. Cit, 2007.
  • 45. Emergência da classe média Fonte: Projeções Macroplan com base em FGV “Consumidores, Produtores e a Nova Classe Média”. 0 10 20 30 40 50 60 70 Classe A e B Classe C* Classe D e E 2001 2003 2005 2007 2009 2011* 2013* 2015* 2017* 2019* 2021* 2023* 2025* 10,6 50,5 38,9 *Classe Média: renda média domiciliar de R$ 1.126,00 até R$ 4.854,00 45 2. CLASSE C 60% TEM COMPUTADOR EM CASA 89% POSSUI CELULAR 55% POSSUI AUTOMÓVEL
  • 46. Fonte: IBGE 60 % 1988 2008 13% 13% 1988 2008 56% 1988 2008 18% 17% 1988 2008 4% 5% 1988 2008 5% 9% Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Norte DISTRIBUIÇÃO DO PIB POR REGIÃO Biodiversidade Agro- negócio Logística de alta capacidade • Adensamento de cadeias produtivas • Inclusão social Terciário avançado Difusão de competitividade Agregação de valor Urbanização e interiorização do desenvolvimento 46 + DESCONCENTRAÇÃO DA BASE PRODUTIVA INTERIORIZAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO NOVOS PÓLOS NO INTERIOR CRESCIMENTO DE CIDADES MÉDIAS 3.
  • 47. Ranking Final Município População 2012 1 Jundiaí - SP 377.183 2 Curitiba - PR 1.776.761 3 Ribeirão Preto - SP 619.746 4 São José do Rio Preto - SP 415.769 5 Piracicaba - SP 369.919 6 Caxias do Sul - RS 446.911 7 São Bernardo do Campo - SP 774.886 8 São José dos Campos - SP 643.603 9 Florianópolis - SC 433.158 10 Campinas - SP 1.098.630 Ranking Macroplan das melhores cidades do Brasil
  • 48. Forte expansão da conectividade 48 Grande expansão no percentual de brasileiros conectados à Internet , passando de 27% em 2007 para 48% em 2011. Fonte: Celulares e banda larga: Anatel e ABTA com Elaboração Teleco. Computadores: Centro de Tecnologia de Informação Aplicada - FGV EAESP Projeção de acessos por banda larga - fixos e móveis (em milhões) Fonte: Celulares e banda larga: Anatel e ABTA com Elaboração Teleco. Computadores: Centro de Tecnologia de Informação Aplicada - FGV EAESP Massificação das telecomunicações e da conectividade Quantidadeemmilhares 0 10.000 20.000 30.000 40.000 50.000 60.000 70.000 0 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 120.000 140.000 160.000 180.000 200.000 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Terminais Celulares - E Banda Larga fixa - D Computadores em uso - D 2010 2011 2012 80.000 90.000 100.000 220.000 240.000 260.000 180 160 140 120 100 80 60 40 20 0 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 Móvel Fixa 4.
  • 49. Porém, a qualidade ainda é muito baixa 49 2,3 15 0 5 10 15 20 Brasil Corea do Sul Velocidade media da banda larga em megabits por segundo Fonte: OCDE/AKAMAI Média mundial 3,1 Mbps Brasil: 72º posição no ranking de 243 países
  • 50. Abertura e relação com a economia mundial 50 Ranking de Abertura* 1° Hong Kong 2° Cingapura 3° Luxemburgo 4° Emirados Árabes Unidos 5° Bélgica 6° Holanda 7° Irlanda 8° Suíça 9° Estônia 10° Dinamarca 68° Brasil Fonte: MDIC (2010) Fonte: World Bank, World Development Indicators, Elaboração Macroplan 0 20 40 60 80 100 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Brazil Chile China India Russian Federation 28,1 29,3 36,9 47,8 14,8 13,5 13,7 14,1 54,7 55,1 46,8 36,1 2,4 2,1 2,6 2 2002 2005 2008 2011 Operações especiais Manufaturados Semimanufaturados Básicos EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS POR VALOR AGREGADO – PARTICIPAÇÃO % VOLUME DE COMÉRCIO EXTERIOR (% DE EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES EM RELAÇÃO AO PIB) *Fonte: International Chamber of Commerce, Open Markets Index 2011 5.
  • 51. Integração as Cadeias Produtivas Globais 51 82 68 63 50 37 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 Singapura Malasia Corea do Sul Taiwan Brasil Índice de integração das exportações as cadeisa produtivas globais. Quanto maior os pontos maior a integração
  • 52. Aumento das pressões por melhoria dos serviços públicos 52 MANIFESTAÇÃO DE MORADORES DA ROCINHA, RIO DE JANEIRO. 6. UMA POPULAÇÃO DE MAIOR RENDA, MAIOR ESCOLARIDADE, COM MAIS ACESSO À INFORMAÇÃO TENDE A PRESSIONAR O PODER PÚBLICO NA ADOÇÃO DE UM NOVO PADRÃO DE GESTÃO. DENTRE AS REIVINDICAÇÕES ESTAVAM: MAIOR TRANSPARÊNCIA, CANAIS DE PARTICIPAÇÃO MAIS EFETIVOS, GESTÃO PROFISSIONAL, RECRUTAMENTO DE QUADROS DE QUALIDADE, AVALIAÇÃO DE RESULTADOS, PRESTAÇÃO DE CONTAS E MELHORIA DOS GASTOS PÚBLICOS.
  • 53. Incertezas Críticas para o Brasil  Como o Brasil se integrará à economia global?  Quais serão a natureza e a intensidade da presença do Estado na economia?  Qual será o comportamento da taxa de juros no longo prazo?  Quais as fronteiras de investimento mais promissoras?  Quais serão a intensidade e a amplitude dos processos de inovação no país?  Como se dará as pressões populares nos próximos anos e como irá influenciar o comportamento dos governantes? 53
  • 54. Organização da Exposição Tendências MUNDIAIS Tendências e incertezas BRASIL Quatro Cenários para o BRASIL em 2022 Insights sobre o perfil de CONSUMO do brasileiro Insights e possíveis impactos no setor de MÍDIA 54
  • 55. D. B. UM CHOQUE DE CAPITALISMO ORTODOXO C. INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO INTENSAEAMPLA MODERADAESELETIVA RESTRITA, MODERADA AMPLA, CRESCENTE PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022 A.
  • 56. D. B. UM CHOQUE DE CAPITALISMO ORTODOXO C. INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO INTENSAEAMPLA MODERADAESELETIVA RESTRITA, MODERADA AMPLA, CRESCENTE PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022 A. “DE VOLTA AOS ANOS 70” • Forte ajuste fiscal e desvalorização do real como estímulo às exportações • Prioridade ao mercado interno • Estado é líder na modelagem, promoção e implementação de investimentos
  • 57. D. UM CHOQUE DE CAPITALISMO ORTODOXO C. A. INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO INTENSAEAMPLA MODERADAESELETIVA RESTRITA, MODERADA AMPLA, CRESCENTE PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA B. CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022 “CAPITALISMO CHINÊS À BRASILEIRA” • Forte ajuste fiscal com redução dos juros e progressiva desvalorização do real • Amplo programa de investimentos liderado pelo Estado em parceria com empresas nacionais • Investimentos para superação de gargalos à competitividade global do país
  • 58. D. B.A. INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA INTENSAEAMPLA MODERADAESELETIVA RESTRITA, MODERADA AMPLA, CRESCENTE CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022 UM CHOQUE DE CAPITALISMO ORTODOXO C. “UM CHOQUE DE CAPITALISMO ORTODOXO” • Setor privado , nacional ou estrangeiro, lidera os investimentos • Modernização e aumento da capacidade de inovação do parque produtivo • Políticas sociais reorientadas para dar ênfase à inclusão produtiva
  • 59. B. UM CHOQUE DE CAPITALISMO ORTODOXO C. A. INSERÇÃODOBRASILNOMUNDO PRESENÇA DO ESTADO NA ECONOMIA INTENSAEAMPLA MODERADAESELETIVA RESTRITA, MODERADA AMPLA, CRESCENTE CENÁRIOS PARA O BRASIL EM 2022 D. “UM NOVO RECOLHIMENTO” • Fracasso dos ajustes fiscais e econômicos e juros mantidos altos • Prioridade ao mercado interno, que dá sinais de enfraquecimento • Com fôlego curto, Estado se limita a desonerações fiscais
  • 60. Monitoramento dos Cenários 2022 (Atualizado em 01 de julho de 2013) Variáveis A. De volta aos anos 1970 B. Capitalismo chinês à brasileira C. Um choque de capitalismo ortodoxo D. Um novo recolhimento Expectativa para 2012 Contexto externo Baixo crescimento, risco de crises econômicas e maior protecionismo Amplas oportunidades para os países emergentes Favorável para os países emergentes Crescimento limitado e ressurgimento de crises econômicas. Forte protecionismo Ajustes fiscais Forte ajuste fiscal para conter os gastos do setor publico Forte ajuste fiscal, gastos correntes do setor público abaixo do crescimento do PIB Forte ajuste fiscal, gastos do setor público bem abaixo do crescimento do PIB Ajustes fiscais e outras medidas econômicas patinam Taxa de juros Redução dos juros Redução significativa dos juros Redução significativa dos juros Não há redução de juros Crescimento econômico 3 a 4% a.a. 4 a 5% a.a. 4,5 a 5,5% a.a. 2 a 3% a.a. Investimentos Ênfase em Infraestrutura e energia Infraestrutura e logística, qualificação profissional e eliminação dos gargalos à competitividade Infraestrutura e elevado volume de investimentos em energia. Eliminação de gargalos à competitividade Ênfase em energia como principal vetor de investimento. Infraestrutura como 2ª opção Liderança dos investimentos Empresas nacionais (estatais ou privadas) em parcerias Grandes empresas nacionais (estatais ou privadas) e significativa participação estrangeira Atração de investimentos privados. Empresas estatais com posição relevante, mas minoritárias Setor privado nacional liderando os investimentos, com participação minoritária de estrangeiros 60 Predominante Subdominante
  • 61. Organização da Exposição Tendências MUNDIAIS Tendências e incertezas BRASIL Quatro Cenários para o BRASIL em 2022 Insights sobre o perfil de CONSUMO do brasileiro Insights e possíveis impactos no setor de MÍDIA 61
  • 62. 1. CONSUMO EXIGENTE E RESPONSÁVEL 2. CONSUMO +60 3. CONSUMO SAUDÁVEL AUMENTO DA DEMANDA POR CERTIFICAÇÃO DE PRODUTO E SERVIÇO RASTREABILIDADE DO PRODUTO EM TODO O SEU CICLO DE VIDA E AO LONGO DA CADEIA EM APENAS DUAS DÉCADAS A EXPECTATIVA DE VIDA NO BRASILEIRO SALTOU DE 62 ANOS PARA 73 ANOS ESTIMA-SE QUE EM 2020 SERÃO 32 MI DE IDOSOS (6ª MAIOR DO MUNDO) O RENDIMENTO DOS IDOSOS CHEGARÁ A 25 BILHÕES DE REAIS EM 2020 VALORIZAÇÃO DA SAÚDE NAS DECISÕES DE CONSUMO E MAIOR DEMANDA POR PRODUTOS E SERVIÇOS ORIENTADOS A UMA VIDA SAUDÁVEL • 80% DOS JOVENS PROCURARAM ALIMENTOS MAIS SAUDÁVEIS • 21% CONSOMEM PRODUTOS ORGÂNICOS • 35% DOS DOMICÍLIOS BRASILEIROS CONSOMEM PRODUTOS DIET E LIGHT FONTE:FGV, GOOD LIGHT (PÃO DE AÇÚCAR
  • 63. 4. CONSUMO DE BAIXA RENDA 5. CONSUMO PRECOCE 6. CONSUMO ONLINE AUMENTO DA RENDA + ACESSO A CRÉDITO + ACESSO A PRODUTOS AUMENTO DO PODER DE DECISÃO DE COMPRA EXERCIDO PELAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES SOBRE O CONSUMO FAMILIAR • EXISTE HOJE 14 MILHÕES DE CRIANÇAS, DE 0 A 14 ANOS, COM UM PODER DE INFLUENCIAR AS FAMÍLIAS AVALIADO EM R$ 90 BILHÕES/ANO • 75% DAS MÃES ESTÃO DISPOSTAS A PAGAR MAIS PELA MARCA QUE O FILHO PEDE (INTERSCIENCE/2007) AUMENTO DAS TRANSAÇÕES COMERCIAIS UTILIZANDO A INTERNET • O BRASILEIRO É O LÍDER MUNDIAL NO TEMPO NA WEB - 45H POR MÊS; • FICA EM MÉDIA 10H EM REDES SOCIAIS (IBOPE 2013) E 1H:50MIN EM SITES DE FILMES E VÍDEO; • O VAREJO ONLINE NO BRASIL SAIU DE 500 MI PARA 22 BI EM 10 ANOS (E- BIT 2012) – ELETRODOMÉSTICO É O ITEM MAIS VENDIDO • ESTIMATIVA E-CONSUMIDORES NO BRASIL: 37,6 MI (E-BIT 2012) MAIOR IMPORTÂNCIA DE CANAIS ALTERNATIVOS PARA AS CLASSES DE EM 2003 – OUTROS CANAIS RESPONDIA POR 43% DO GASTO DAS CLASSES DE, HOJE JÁ CHEGA A 49%
  • 64. 7. CONSUMO PRÁTICO 8. CONSUMO DE NICHO 9. CONSUMO DE LUXO E EXCLUSIVO AUMENTO DA DEMANDA POR PRODUTOS E SERVIÇOS DE ELEVADA PRATICIDADE E QUE CONTRIBUAM PARA A OTIMIZAÇÃO DO TEMPO AUMENTO DA PROCURA POR SERVIÇOS E PRODUTOS DIRECIONADOS A MERCADOS (PÚBLICOS) ESPECÍFICOS. AUMENTO DA DEMANDA POR PRODUTOS DE ALTO LUXO E DESENVOLVIDOS DE FORMA EXCLUSIVA • MERCADO SAIU DE 5 BI (2008) PARA 15 BI (2010) • MERCADO DE LUXO: AUMENTO DE 80% ENTRE 2005 E 2010 • TENDÊNCIA DE PERSONALIZAÇÃO E CUSTOMIZAÇÃO PRESENTE EM DIVERSAS FAIXAS DE RENDA FONTE: : INSTITUTO GFK/CONSULTORIA MCF NÚMERO DE PESSOAS MORANDO SOZINHAS TEM AUMENTADO (IBGE): 12,1% DOS DOMICÍLIOS UNIPESSOAIS • MAIS DE 24 MILHÕES DE BRASILEIROS (IBGE) • A VENDA DE PRODUTOS RELIGIOSOS CRESCE 30% AO ANO NO BRASIL • 18 MILHÕES DE BRASILEIROS SÃO HOMOSEXUAIS. • 36% SÃO DA CLASSE A, 47% SÃO DA B E 16% DA C E D
  • 65. Organização da Exposição Tendências MUNDIAIS Tendências e incertezas BRASIL Quatro Cenários para o BRASIL em 2022 Insights sobre o perfil de CONSUMO do brasileiro Insights e possíveis impactos no setor de MÍDIA 65
  • 66.  Com o aumento sustentado da conectividade e vendas de celulares e dispositivos móveis, O MERCADO DE MÍDIA E ENTRETENIMENTO DIGITAL deve crescer ainda mais no mundo e no Brasil  Por outro lado, a TV ainda é o canal de comunicação mais relevante nos lares Brasileiros Alguns insights estratégicos para o setor de mídia 1. 74 86,2 90 94,8 95,6 96,9 0 20 40 60 80 100 1992 1997 2002 2007 2009 2011 Fonte: IBGE – Estatísticas – Domicílios particulares permanentes com televisão (período 1992 – 1997); IBGE PNAD 2011 (período 2009-2011) Lares brasileiros que possuem Televisão (em %)
  • 67.  PORTABILIDADE de conteúdo: com o crescimento e melhora da banda larga no Brasil, as possibilidades de consumo de informações a qualquer momento e em todo o lugar tende a aumentar.  BIG DATA: o volume de informações geradas nos diversos dispositivos e provenientes da alta conectividade, lançam um desafio para as organizações: Como tratar e decifrar os dados não estruturados gerados na rede?  Google – 5 Bi de pesquisas por dia. Uma nova fronteira de conhecimento. Alguns insights estratégicos para o setor de mídia 3. 2. 67 • CROSS MIDIA 2.0: Conexão de diversas mídias no processo de comunicação. Nova era da “internet das coisas”. • Especialistas indicam que em 15 anos haverá 1 trilhão de coisas conectadas no mundo 4.
  • 68.  CUSTOMIZAÇÃO E INTERATIVIDADE: conteúdos feitos sob medida para atender a nichos de mercados e a mudanças de comportamentos (importância do BIG DATA) e transição da informação de mão única para mão dupla.  GLOBALIZAÇÃO DE CONTEÚDO: aumento da produções de conteúdo compartilhadas (multi empresas, multi-países). Aumento da velocidade do compartilhamento de conteúdo no mundo.  INFORMAÇÃO INSTANTÂNEA E AUTO-PRODUÇÃO: Informação instantânea, prática, produzida para um determinado momento, em tempo real, de curta duração e disponível para todos.  O YouTube chegou ao marco de 1 bilhão de usuários únicos por mês em Março de 2013. Uma em cada duas pessoas na internet visita o YouTube. Alguns insights estratégicos para o setor de mídia 6. 5. 68 7.
  • 69. Uma mensagem final  "Embora cada mente humana individual construa seu próprio significado interpretando seus próprios termos as informações comunicadas, esse processamento mental é condicionado pelo ambiente da comunicação. Assim, a mudança do ambiente comunicacional afeta diretamente as normas de construção de significado e, portanto, a produção de relações de poder." Manuel Castells 69
  • 70. 70
  • 71. Contato  Rio de Janeiro|21 2287.3293  São Paulo|11 3285.5634  Brasília|61 3328.6504  www.macroplan.com.br Glaucio Neves Diretor glaucio@macroplan.com.br 71