SlideShare uma empresa Scribd logo
Dialogo Diário de
Segurança (DDS)
QUASE ACIDENTES SÃO SINAIS DE ALERTA
Muitos acidentes quase acontecem... São aqueles que não provocam ferimentos
       apenas porque ninguém se encontra numa posição de se machucar.
Provavelmente, se nós tivéssemos conhecimento dos fatos, descobriríamos que
 existem muito mais acidentes que não causam ferimentos do que aqueles que
   causam. No trabalho um quase acidente deve servir como aviso da mesma
maneira. A condição que quase causa um acidente pode facilmente provocar um
  acidente real da próxima vez em que você não estiver tão alerta ou quando
                 seus reflexos não estiverem atuando tão bem.


A conclusão é mais do que óbvia. NÓS DEVEMOS ESTAR EM ALERTA PARA O QUASE
ACIDENTE. Assim evitamos ser pegos por acidentes reais. Lembre-se que os
quase acidentes são sinais claros de que algo está errado. Exemplo: Nosso
material pode estar desorganizado. Vamos verificar nossos locais de trabalho, a
arrumação das ferramentas e ficar de olhos bem abertos para as pequenas
coisas que podem estar erradas. Relate e corrija estas situações. Vamos tratar
os quase acidentes como se fossem um acidente grave, descobrindo suas causas
fundamentais enquanto temos chance, pois só assim conseguiremos fazer de
nosso setor de trabalho um ambiente mais sadio.
ARRUMAÇÃO, LIMPEZA E ORDENAÇÃO SÃO
              BONS HÁBITOS
    Todos nós temos tarefas para fazer. Os 5 S - senso de utilização,
    ordenação, limpeza, asseio e disciplina - fazem parte de nossas
  obrigações. A boa arrumação significa ter livre acesso quando numa
   emergência de primeiros socorros e a equipamentos de combate a
    incêndio. Significa muitas coisas, mas a definição mais curta é:

      "UM LUGAR APROPRIADO PARA CADA COISA E CADA COISA NO
                      SEU DEVIDO LUGAR”

Todos os empregados podem ajudar no esforço de arrumação, fazendo o
seguinte: manter pisos, corredores e áreas de trabalho razoavelmente
livre de itens desnecessários, delimitando os locais com faixas, inclusive
corredores; confinar resíduos em locais apropriados; guardar todos os
equipamentos de proteção individual em locais adequados, organização
de remédios e ferramentas para trabalho. O bom resultado da
arrumação, ordenação, limpeza, asseio e disciplina, não é obtido por
mutirões de limpeza. Ela é o resultado de um esforço diário. Se cada
empregado arrumasse pelo menos uma coisa todos os dias, os resultados
seriam surpreendentes. A hora de fazer a limpeza é toda hora.
ACIDENTES PODEM ACONTECER EM
             QUALQUER LUGAR

- em casa;
- no trajeto de ida para o trabalho;
- no trabalho;
- num parque de diversões


Poderíamos enumerar centenas ou milhares de exemplos de acidentes
que vocês mesmos tem conhecimento no nosso dia-a-dia, seja ele no
lar, na rua, no trabalho. Lembre-se que qualquer destes acidentes
poderia ter acontecido com algum de nós. Assim se você ver alguém
agindo de maneira insegura ou observar uma condição insegura, fale
com a pessoa sobre isto ou procure eliminar esta condição insegura.
Segurança é responsabilidade de todos.

                                          "ACABE COM OS ACIDENTES!"
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
Nós estamos apenas querendo fazer o que é correto e o que é bom para
todos vocês, ou seja, que um empregado fique cego, que outro perca
uma perna, que outro fique doente ou que outro venha até morrer.

É exigido o uso do equipamento de proteção por normas internas. A lei
diz que a Empresa é obrigada a fornecer gratuitamente o equipamento.
E assim ela faz. Mas a lei diz também que a Empresa deve treinar o
empregado e exigir o uso do equipamento. Se o empregado descumprir
as determinações da Empresa, logo ele pode receber uma punição. E
isso é muito óbvio. Mas, vamos deixar uma coisa bem clara. Não
podemos usar o equipamento para você. Não podemos estar o tempo
todo ao lado de cada um de vocês, dizendo "use este equipamento
agora!" "agora este daqui!". Isto é com você e é assim que deve ser,
porque você os tem disponível e para sua proteção. Quanto tempo leva
uma agulha para furar seu dedo e te contaminar? Apenas uma fração de
segundo.

Então pessoal, a partir de hoje, vamos zelar pelo nosso EPI.
PROTEÇÃO DAS MÃOS
 Dois dos instrumentos mais importantes com os quais trabalhamos são
   nossas mãos. Provavelmente não poderíamos usar qualquer outro
   dispositivo capaz de substituir nossas mãos e ainda mantermos a
                precisão e capacidade de manobra delas.


        Luvas
   Devem ser usadas para
prevenir contato da pele das
mãos com sangue, secreções
   ou mucosas, durante a
   prestação de cuidados;

 Um par de luvas exclusivo
   para cada paciente,
  descartando-as após o
      atendimento
PROTEÇÃO DOS OLHOS
Com tanta conversa a respeito de segurança, algumas vezes nos
esquecemos do óbvio. A segurança é uma questão pessoal.

A pior desculpa de todas é aquela que diz que o trabalho é rápido, leva
apenas 1 minuto. O acidente leva muito menos. E o transtorno será o
resto da vida.

Pense no seguinte: não existe uma boa razão para que alguém não
proteja os próprios olhos. A visão não tem preço assim, sendo use a
proteção para seus olhos.

 PROTETORES OCULARES

    Têm por finalidade
proteger a mucosa ocular de
 contaminações e acidente
       ocupacional.
 Após o uso, os protetores
    oculares devem ser
     descontaminados
PROTEÇÃO DE CORPO INTEIRO
                       AVENTAL/JALECO
 O avental deve ser usado sempre. A roupa branca (uniforme) não o
substitui.

 Não use as roupas comuns durante o atendimento, pois elas ficarão
contaminadas, tornando-se fontes de infecção para o profissional, sua
equipe e seus familiares.

 O avental/jaleco deve ter colarinho alto e mangas longas, podendo
ser de pano ou descartável.


     O uso do avental/jaleco é
        para te proteger de
     contaminações na roupa,
   lembrando que não podemos
   levar essa contaminação até
     nossas casas, não esqueça
       de tirar os eu avental!
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA - EPR
 Alguns tipos de EPR que podem ser utilizados nos Serviços de Saúde
  em situações rotineiras e em casos especiais. Com isso, procura-se
  auxiliar o Trabalhador de Saúde a escolher, entre uma variedade de
    tipos, formatos e tamanhos, o EPR mais adequado para algumas
 situações de risco e o que se ajusta melhor e mais confortavelmente
                              ao seu rosto.

Desde uma N95 até um purificador de ar motorizado com cobertura das
vias respiratórias tipo “peça facial inteira” pode ser utilizado para sua
segurança. Portanto, não esqueça da sua mascara!




  USE A SUA!
DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS
Essas doenças são transmitidas por gotículas de saliva e, por contato
com alimento ou objeto contaminado (ou contato sexual).

    • Tuberculose - A infecção se inicia quando o bacilo atinge os alvéolos
    pulmonares e vai se espalhando através da corrente sanguínea para
    tecidos mais distantes onde a doença pode se desenvolver: a parte
    superior dos pulmões, os rins, o cérebro e os ossos.

 Sintomas mais comuns: Tosse com catarro; Febre (geralmente de noite);
Suores noturnos; Falta de apetite; Emagrecimento; Cansaço fácil.
 Transmissão: A tuberculose é transmitida por um indivíduo contaminado
quando este tosse, fala, espirra ou cospe.

    • Lepra ou hanseníase - A lepra é uma doença infecciosa que afeta
    os nervos e a pele e que provoca danos severos.

 Sintomas mais comuns: manchas de coloração mais clara que a pele ao
redor, podendo ser discretamente avermelhada, com alteração de sensibilidade
à temperatura
 Transmissão: A lepra é transmitida por gotículas de saliva.

               Outras; Difteria, coqueluche, tétano, tracoma, disenterias bacterianas
DOENÇAS CAUSADAS POR VÍRUS
 Gripe e resfriado comum
 Sintomas: coriza, obstrução nasal, tosse e espirro; a febre
geralmente só aparece nos casos de gripe
 Transmissão: Ambas as doenças são transmitidas por gotículas
eliminadas pelas vias respiratórias.




Hepatite a Vírus - É uma inflamação do fígado que pode ser
causada também por outros parasitas ou substâncias.

 Sintomas: febre, dor abdominal, náuseas, alguma diarréia que se
mantém durante cerca de um mês.
 Transmissão: A transmissão ocorre por água e alimento contaminados,
principalmente quando há falta de instalações sanitárias adequadas, por
transfusões de sangue contaminados, por seringas e agulhas de injeção
mal esterilizadas.
ESTRATÉGIAS PARA PREVENÇÃO DE
          ACIDENTES PERFURO-CORTANTE
1. Ao transferir instrumentos, evitar que estejam apontados para
   alguém.

2. Apontar os instrumentos para a direção contrária a que você está.

3. Evitar pegar instrumentos cortantes com as mãos, usar pinças,
    alicates ou porta-agulha.

4. Evitar que agulhas fiquem fora dos limites da bandeja.

5. Manter as brocas inseridas nas peças de mão voltadas para o solo,
   evitando arranhões.

6. Não reencapar as agulhas com as mãos, se fizer isso use uma pinça
   ou alicate para a preensão da tampa, evitando que a agulha fique
   apontada para o dedo.

7. Descartar imediatamente agulhas e instrumentos afiados
EM CASO DE ACIDENTES DE
                   CONTAMINAÇÃO

 Mantenha a calma. Você tem cerca de duas horas para agir.
 Lave exaustivamente com água e sabão o ferimento ou a pele exposta ao
sangue ou líquido orgânico
 Dirija-se imediatamente ao Centro de Referência no atendimento de
acidentes ocupacionais.
 Obtenha do paciente-fonte uma analise recente e detalhada sobre seus
hábitos de vida, uso de drogas, vida sexual, uso de preservativos, passado
em presídios ou manicômios, história de hepatite e DSTs.
 Leve sua carteira de vacinação ou informe sobre seu estado vacinal e
dadosrecentes de sua saúde, sorologias anteriores, etc.
 Deverá ser solicitada pelo médico a coleta de amostras de sangue seu e
do paciente-fonte, em tubos de ensaio, sem anticoagulante, devidamente
identificados, que serão encaminhados imediatamente ao laboratório de
referência para serem centrifugados
 Caso o quadro caracterize situação de risco, as quimioprofilaxias contra o
HBV e o HIV serão iniciados.
 O profissional passará por diversos medicamentos semanais, e será
encaminhado para Medicina do Trabalho para orientações legais e a um
centro de referências para o acompanhamento e tratamento necessário.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
Kaiton Andrade
 
Máquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentosMáquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentos
Mauricio Cesar Soares
 
Acidentes maos-dedos seguranca do trabalho
Acidentes maos-dedos seguranca do trabalhoAcidentes maos-dedos seguranca do trabalho
Acidentes maos-dedos seguranca do trabalho
Zanel EPIs de Raspa e Vaqueta
 
Treinamento percepção de risco
Treinamento percepção de riscoTreinamento percepção de risco
Treinamento percepção de risco
Sara Jaqueline
 
Treinamento lixadeira
Treinamento lixadeiraTreinamento lixadeira
Treinamento lixadeira
Andre Cruz
 
Nr 6 treinamento
Nr 6 treinamentoNr 6 treinamento
Nr 6 treinamento
André Kovtun Sliachticas
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
Mauro Sergio Vales de Souza
 
Treinamento sobre epi
Treinamento sobre epiTreinamento sobre epi
Treinamento sobre epi
Nathanael Rodrigues
 
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVOIntegração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Sergio Silva
 
Certificado para treinamento de operador de betoneira segurança do trabalho...
Certificado para treinamento de operador de betoneira   segurança do trabalho...Certificado para treinamento de operador de betoneira   segurança do trabalho...
Certificado para treinamento de operador de betoneira segurança do trabalho...
MAURICIO WILLIAM
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
Leomir Borghardt
 
Política de saúde e segurança do trabalho
Política de saúde e segurança do trabalhoPolítica de saúde e segurança do trabalho
Política de saúde e segurança do trabalho
Gislayne Lemos Fraga
 
134 dialogos diário de segurança
134 dialogos diário de segurança134 dialogos diário de segurança
134 dialogos diário de segurança
Michele Denise
 
Manual dds
Manual ddsManual dds
Manual dds
prevencaonline
 
Campanha adornos
Campanha adornosCampanha adornos
Campanha adornos
Ane Costa
 
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
Ainoan
 
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualNR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
emanueltstegeon
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
HP Safety Engenharia
 
5 proteção ócular
5   proteção ócular5   proteção ócular
5 proteção ócular
Nilton Goulart
 

Mais procurados (20)

Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
 
Máquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentosMáquinas e equipamentos
Máquinas e equipamentos
 
Acidentes maos-dedos seguranca do trabalho
Acidentes maos-dedos seguranca do trabalhoAcidentes maos-dedos seguranca do trabalho
Acidentes maos-dedos seguranca do trabalho
 
Treinamento percepção de risco
Treinamento percepção de riscoTreinamento percepção de risco
Treinamento percepção de risco
 
Treinamento lixadeira
Treinamento lixadeiraTreinamento lixadeira
Treinamento lixadeira
 
Nr 6 treinamento
Nr 6 treinamentoNr 6 treinamento
Nr 6 treinamento
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
 
Treinamento sobre epi
Treinamento sobre epiTreinamento sobre epi
Treinamento sobre epi
 
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVOIntegração de Segurança do Trabalho NOVO
Integração de Segurança do Trabalho NOVO
 
Certificado para treinamento de operador de betoneira segurança do trabalho...
Certificado para treinamento de operador de betoneira   segurança do trabalho...Certificado para treinamento de operador de betoneira   segurança do trabalho...
Certificado para treinamento de operador de betoneira segurança do trabalho...
 
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptxNR18-Treinamento-Integracao.pptx
NR18-Treinamento-Integracao.pptx
 
Política de saúde e segurança do trabalho
Política de saúde e segurança do trabalhoPolítica de saúde e segurança do trabalho
Política de saúde e segurança do trabalho
 
134 dialogos diário de segurança
134 dialogos diário de segurança134 dialogos diário de segurança
134 dialogos diário de segurança
 
Manual dds
Manual ddsManual dds
Manual dds
 
Campanha adornos
Campanha adornosCampanha adornos
Campanha adornos
 
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
Ar comprimido - Segurança na operação (oficial)
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
 
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualNR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
5 proteção ócular
5   proteção ócular5   proteção ócular
5 proteção ócular
 

Destaque

Dds dia dia
Dds dia diaDds dia dia
Dds dia dia
segurancapb
 
20 temas para dds segurança do trabalho nwn
20 temas para dds   segurança do trabalho nwn20 temas para dds   segurança do trabalho nwn
20 temas para dds segurança do trabalho nwn
Luis Araujo
 
Dds acidente de trabalho
Dds   acidente de trabalhoDds   acidente de trabalho
Dds acidente de trabalho
Nilton Goulart
 
Dds 60 temas
Dds 60 temasDds 60 temas
Dds 60 temas
Gilson_
 
40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso
40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso
40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso
wagnernpinto
 
Exemplo de como elaborar uma DDS
Exemplo de como elaborar uma DDSExemplo de como elaborar uma DDS
Exemplo de como elaborar uma DDS
Manoel Sercundes
 
temas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para ddstemas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para dds
Thais Pererira
 
Propostas para DDS
Propostas para DDSPropostas para DDS
Propostas para DDS
carlos ars
 
Dds 50 temas
Dds 50 temasDds 50 temas
Dds 50 temas
Vania Salles
 
DDS
 DDS DDS
Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança
 Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança
Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança
Jucilei Moura
 
Dds ergonomia
Dds   ergonomiaDds   ergonomia
Dds ergonomia
Nilton Goulart
 
Modelo ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...
Modelo   ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...Modelo   ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...
Modelo ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...
Dayvd Ebonys
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Thaysa Brito
 
Como surgiu a APR?
Como surgiu a APR?Como surgiu a APR?
Como surgiu a APR?
Gabriela Coelho Monteiro
 
Opções de dds
Opções de ddsOpções de dds
Opções de dds
segurancapb
 
Igor ciee
Igor cieeIgor ciee
Igor ciee
Igor Morais
 
Manual de Segurança no Trabalho - resumido
Manual de Segurança no Trabalho - resumidoManual de Segurança no Trabalho - resumido
Manual de Segurança no Trabalho - resumido
proftstsergioetm
 
Treinamento de aplicação de dds
Treinamento de aplicação de ddsTreinamento de aplicação de dds
Treinamento de aplicação de dds
Marcos Grisi
 
Dds
DdsDds

Destaque (20)

Dds dia dia
Dds dia diaDds dia dia
Dds dia dia
 
20 temas para dds segurança do trabalho nwn
20 temas para dds   segurança do trabalho nwn20 temas para dds   segurança do trabalho nwn
20 temas para dds segurança do trabalho nwn
 
Dds acidente de trabalho
Dds   acidente de trabalhoDds   acidente de trabalho
Dds acidente de trabalho
 
Dds 60 temas
Dds 60 temasDds 60 temas
Dds 60 temas
 
40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso
40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso
40 temas-gratis-formula-secreta-para-o-dds-de-sucesso
 
Exemplo de como elaborar uma DDS
Exemplo de como elaborar uma DDSExemplo de como elaborar uma DDS
Exemplo de como elaborar uma DDS
 
temas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para ddstemas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para dds
 
Propostas para DDS
Propostas para DDSPropostas para DDS
Propostas para DDS
 
Dds 50 temas
Dds 50 temasDds 50 temas
Dds 50 temas
 
DDS
 DDS DDS
DDS
 
Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança
 Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança
Temas para DDS - Dialogo Diario de Segurança
 
Dds ergonomia
Dds   ergonomiaDds   ergonomia
Dds ergonomia
 
Modelo ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...
Modelo   ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...Modelo   ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...
Modelo ficha de registro do diálogo diário de segurança (dds) - blog segura...
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
 
Como surgiu a APR?
Como surgiu a APR?Como surgiu a APR?
Como surgiu a APR?
 
Opções de dds
Opções de ddsOpções de dds
Opções de dds
 
Igor ciee
Igor cieeIgor ciee
Igor ciee
 
Manual de Segurança no Trabalho - resumido
Manual de Segurança no Trabalho - resumidoManual de Segurança no Trabalho - resumido
Manual de Segurança no Trabalho - resumido
 
Treinamento de aplicação de dds
Treinamento de aplicação de ddsTreinamento de aplicação de dds
Treinamento de aplicação de dds
 
Dds
DdsDds
Dds
 

Semelhante a DDS - Dialogo Diario de Segurança

Dss proteção para as mãos
Dss   proteção para as mãosDss   proteção para as mãos
Dss proteção para as mãos
Everton Silva
 
Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02
Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02
Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02
Marcelo Monteiro
 
Palestra EPI
Palestra EPI  Palestra EPI
Palestra EPI
JhonatanCabralCabral
 
Primeiros Socorros 2
Primeiros Socorros 2Primeiros Socorros 2
Primeiros Socorros 2
Alessandro Silva
 
Dds.livro.zip
Dds.livro.zipDds.livro.zip
Dds.livro.zip
nicobelo
 
OTIMOS DDS
OTIMOS DDS OTIMOS DDS
CIPA - Modulo VI
CIPA - Modulo VICIPA - Modulo VI
CIPA - Modulo VI
Marco Lamim
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
Inês Marques
 
Segurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do Ácido
Segurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do ÁcidoSegurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do Ácido
Segurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do Ácido
RobsonMoraes41
 
PROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalho
PROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalhoPROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalho
PROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalho
MarcosJnio3
 
Biossegurança e riscos ocupacionais
Biossegurança e riscos ocupacionais Biossegurança e riscos ocupacionais
Biossegurança e riscos ocupacionais
Thiago Morəno
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
CNO Ansião
 
Prevencao Gripe
Prevencao GripePrevencao Gripe
Prevencao Gripe
PESES
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
Claudia araujo
 
5 razões para você proteger suas mãos
5 razões para você proteger suas mãos5 razões para você proteger suas mãos
5 razões para você proteger suas mãos
Universidade Federal Fluminense
 
higiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalhohigiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalho
Liliana Sa
 
126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf
126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf
126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf
AgenildoAlvesSoares1
 
APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.
APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.
APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.
ClaySilva5
 
Curso NR 5 Para CIPA
Curso NR 5 Para CIPACurso NR 5 Para CIPA
Curso NR 5 Para CIPA
Gabriel Ribeiro da Cruz
 
Cartilha Laboratório EDUCA60+
Cartilha Laboratório EDUCA60+Cartilha Laboratório EDUCA60+
Cartilha Laboratório EDUCA60+
Fabricio Batistoni
 

Semelhante a DDS - Dialogo Diario de Segurança (20)

Dss proteção para as mãos
Dss   proteção para as mãosDss   proteção para as mãos
Dss proteção para as mãos
 
Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02
Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02
Dss proteoparaasmos-140601173415-phpapp02
 
Palestra EPI
Palestra EPI  Palestra EPI
Palestra EPI
 
Primeiros Socorros 2
Primeiros Socorros 2Primeiros Socorros 2
Primeiros Socorros 2
 
Dds.livro.zip
Dds.livro.zipDds.livro.zip
Dds.livro.zip
 
OTIMOS DDS
OTIMOS DDS OTIMOS DDS
OTIMOS DDS
 
CIPA - Modulo VI
CIPA - Modulo VICIPA - Modulo VI
CIPA - Modulo VI
 
Higiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalhoHigiene e segurança no trabalho
Higiene e segurança no trabalho
 
Segurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do Ácido
Segurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do ÁcidoSegurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do Ácido
Segurança sobre produtos qumicos- Manuseio Seguro do Ácido
 
PROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalho
PROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalhoPROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalho
PROTEÇÃO DAS MÃOS saúde e segurança do trabalho
 
Biossegurança e riscos ocupacionais
Biossegurança e riscos ocupacionais Biossegurança e riscos ocupacionais
Biossegurança e riscos ocupacionais
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
 
Prevencao Gripe
Prevencao GripePrevencao Gripe
Prevencao Gripe
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
 
5 razões para você proteger suas mãos
5 razões para você proteger suas mãos5 razões para você proteger suas mãos
5 razões para você proteger suas mãos
 
higiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalhohigiene e segurança no trabalho
higiene e segurança no trabalho
 
126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf
126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf
126257669-Treinamento-Operador-de-Betoneira.pdf
 
APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.
APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.
APOSTILA DE DIALOGO DIARIO DE SEGURANÇA.
 
Curso NR 5 Para CIPA
Curso NR 5 Para CIPACurso NR 5 Para CIPA
Curso NR 5 Para CIPA
 
Cartilha Laboratório EDUCA60+
Cartilha Laboratório EDUCA60+Cartilha Laboratório EDUCA60+
Cartilha Laboratório EDUCA60+
 

Mais de Tuany Caldas

APR - Extintor
APR - ExtintorAPR - Extintor
APR - Extintor
Tuany Caldas
 
Analise Ergonomica do Trabalho
Analise Ergonomica do TrabalhoAnalise Ergonomica do Trabalho
Analise Ergonomica do Trabalho
Tuany Caldas
 
NR18
NR18NR18
Plano de ação - GLP
Plano de ação - GLPPlano de ação - GLP
Plano de ação - GLP
Tuany Caldas
 
PPRA
PPRAPPRA
Checklist de trabalho em altura.
Checklist de trabalho em altura.Checklist de trabalho em altura.
Checklist de trabalho em altura.
Tuany Caldas
 
Checklist de trabalho a quente.
Checklist de trabalho a quente.Checklist de trabalho a quente.
Checklist de trabalho a quente.
Tuany Caldas
 
PPR
PPRPPR
Leis complementares NR32
Leis complementares NR32Leis complementares NR32
Leis complementares NR32
Tuany Caldas
 
Montanhismo
MontanhismoMontanhismo
Montanhismo
Tuany Caldas
 
Checklist NR12
Checklist NR12Checklist NR12
Checklist NR12
Tuany Caldas
 
Poeiras minerais
Poeiras minerais Poeiras minerais
Poeiras minerais
Tuany Caldas
 
ONA
ONAONA
Clinicas de analise
Clinicas de analiseClinicas de analise
Clinicas de analise
Tuany Caldas
 
NR10
NR10NR10

Mais de Tuany Caldas (15)

APR - Extintor
APR - ExtintorAPR - Extintor
APR - Extintor
 
Analise Ergonomica do Trabalho
Analise Ergonomica do TrabalhoAnalise Ergonomica do Trabalho
Analise Ergonomica do Trabalho
 
NR18
NR18NR18
NR18
 
Plano de ação - GLP
Plano de ação - GLPPlano de ação - GLP
Plano de ação - GLP
 
PPRA
PPRAPPRA
PPRA
 
Checklist de trabalho em altura.
Checklist de trabalho em altura.Checklist de trabalho em altura.
Checklist de trabalho em altura.
 
Checklist de trabalho a quente.
Checklist de trabalho a quente.Checklist de trabalho a quente.
Checklist de trabalho a quente.
 
PPR
PPRPPR
PPR
 
Leis complementares NR32
Leis complementares NR32Leis complementares NR32
Leis complementares NR32
 
Montanhismo
MontanhismoMontanhismo
Montanhismo
 
Checklist NR12
Checklist NR12Checklist NR12
Checklist NR12
 
Poeiras minerais
Poeiras minerais Poeiras minerais
Poeiras minerais
 
ONA
ONAONA
ONA
 
Clinicas de analise
Clinicas de analiseClinicas de analise
Clinicas de analise
 
NR10
NR10NR10
NR10
 

Último

Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 

Último (6)

Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 

DDS - Dialogo Diario de Segurança

  • 2. QUASE ACIDENTES SÃO SINAIS DE ALERTA Muitos acidentes quase acontecem... São aqueles que não provocam ferimentos apenas porque ninguém se encontra numa posição de se machucar. Provavelmente, se nós tivéssemos conhecimento dos fatos, descobriríamos que existem muito mais acidentes que não causam ferimentos do que aqueles que causam. No trabalho um quase acidente deve servir como aviso da mesma maneira. A condição que quase causa um acidente pode facilmente provocar um acidente real da próxima vez em que você não estiver tão alerta ou quando seus reflexos não estiverem atuando tão bem. A conclusão é mais do que óbvia. NÓS DEVEMOS ESTAR EM ALERTA PARA O QUASE ACIDENTE. Assim evitamos ser pegos por acidentes reais. Lembre-se que os quase acidentes são sinais claros de que algo está errado. Exemplo: Nosso material pode estar desorganizado. Vamos verificar nossos locais de trabalho, a arrumação das ferramentas e ficar de olhos bem abertos para as pequenas coisas que podem estar erradas. Relate e corrija estas situações. Vamos tratar os quase acidentes como se fossem um acidente grave, descobrindo suas causas fundamentais enquanto temos chance, pois só assim conseguiremos fazer de nosso setor de trabalho um ambiente mais sadio.
  • 3. ARRUMAÇÃO, LIMPEZA E ORDENAÇÃO SÃO BONS HÁBITOS Todos nós temos tarefas para fazer. Os 5 S - senso de utilização, ordenação, limpeza, asseio e disciplina - fazem parte de nossas obrigações. A boa arrumação significa ter livre acesso quando numa emergência de primeiros socorros e a equipamentos de combate a incêndio. Significa muitas coisas, mas a definição mais curta é: "UM LUGAR APROPRIADO PARA CADA COISA E CADA COISA NO SEU DEVIDO LUGAR” Todos os empregados podem ajudar no esforço de arrumação, fazendo o seguinte: manter pisos, corredores e áreas de trabalho razoavelmente livre de itens desnecessários, delimitando os locais com faixas, inclusive corredores; confinar resíduos em locais apropriados; guardar todos os equipamentos de proteção individual em locais adequados, organização de remédios e ferramentas para trabalho. O bom resultado da arrumação, ordenação, limpeza, asseio e disciplina, não é obtido por mutirões de limpeza. Ela é o resultado de um esforço diário. Se cada empregado arrumasse pelo menos uma coisa todos os dias, os resultados seriam surpreendentes. A hora de fazer a limpeza é toda hora.
  • 4. ACIDENTES PODEM ACONTECER EM QUALQUER LUGAR - em casa; - no trajeto de ida para o trabalho; - no trabalho; - num parque de diversões Poderíamos enumerar centenas ou milhares de exemplos de acidentes que vocês mesmos tem conhecimento no nosso dia-a-dia, seja ele no lar, na rua, no trabalho. Lembre-se que qualquer destes acidentes poderia ter acontecido com algum de nós. Assim se você ver alguém agindo de maneira insegura ou observar uma condição insegura, fale com a pessoa sobre isto ou procure eliminar esta condição insegura. Segurança é responsabilidade de todos. "ACABE COM OS ACIDENTES!"
  • 5. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO Nós estamos apenas querendo fazer o que é correto e o que é bom para todos vocês, ou seja, que um empregado fique cego, que outro perca uma perna, que outro fique doente ou que outro venha até morrer. É exigido o uso do equipamento de proteção por normas internas. A lei diz que a Empresa é obrigada a fornecer gratuitamente o equipamento. E assim ela faz. Mas a lei diz também que a Empresa deve treinar o empregado e exigir o uso do equipamento. Se o empregado descumprir as determinações da Empresa, logo ele pode receber uma punição. E isso é muito óbvio. Mas, vamos deixar uma coisa bem clara. Não podemos usar o equipamento para você. Não podemos estar o tempo todo ao lado de cada um de vocês, dizendo "use este equipamento agora!" "agora este daqui!". Isto é com você e é assim que deve ser, porque você os tem disponível e para sua proteção. Quanto tempo leva uma agulha para furar seu dedo e te contaminar? Apenas uma fração de segundo. Então pessoal, a partir de hoje, vamos zelar pelo nosso EPI.
  • 6. PROTEÇÃO DAS MÃOS Dois dos instrumentos mais importantes com os quais trabalhamos são nossas mãos. Provavelmente não poderíamos usar qualquer outro dispositivo capaz de substituir nossas mãos e ainda mantermos a precisão e capacidade de manobra delas. Luvas  Devem ser usadas para prevenir contato da pele das mãos com sangue, secreções ou mucosas, durante a prestação de cuidados;  Um par de luvas exclusivo para cada paciente, descartando-as após o atendimento
  • 7. PROTEÇÃO DOS OLHOS Com tanta conversa a respeito de segurança, algumas vezes nos esquecemos do óbvio. A segurança é uma questão pessoal. A pior desculpa de todas é aquela que diz que o trabalho é rápido, leva apenas 1 minuto. O acidente leva muito menos. E o transtorno será o resto da vida. Pense no seguinte: não existe uma boa razão para que alguém não proteja os próprios olhos. A visão não tem preço assim, sendo use a proteção para seus olhos. PROTETORES OCULARES  Têm por finalidade proteger a mucosa ocular de contaminações e acidente ocupacional. Após o uso, os protetores oculares devem ser descontaminados
  • 8. PROTEÇÃO DE CORPO INTEIRO AVENTAL/JALECO  O avental deve ser usado sempre. A roupa branca (uniforme) não o substitui.  Não use as roupas comuns durante o atendimento, pois elas ficarão contaminadas, tornando-se fontes de infecção para o profissional, sua equipe e seus familiares.  O avental/jaleco deve ter colarinho alto e mangas longas, podendo ser de pano ou descartável. O uso do avental/jaleco é para te proteger de contaminações na roupa, lembrando que não podemos levar essa contaminação até nossas casas, não esqueça de tirar os eu avental!
  • 9. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA - EPR Alguns tipos de EPR que podem ser utilizados nos Serviços de Saúde em situações rotineiras e em casos especiais. Com isso, procura-se auxiliar o Trabalhador de Saúde a escolher, entre uma variedade de tipos, formatos e tamanhos, o EPR mais adequado para algumas situações de risco e o que se ajusta melhor e mais confortavelmente ao seu rosto. Desde uma N95 até um purificador de ar motorizado com cobertura das vias respiratórias tipo “peça facial inteira” pode ser utilizado para sua segurança. Portanto, não esqueça da sua mascara! USE A SUA!
  • 10. DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS Essas doenças são transmitidas por gotículas de saliva e, por contato com alimento ou objeto contaminado (ou contato sexual). • Tuberculose - A infecção se inicia quando o bacilo atinge os alvéolos pulmonares e vai se espalhando através da corrente sanguínea para tecidos mais distantes onde a doença pode se desenvolver: a parte superior dos pulmões, os rins, o cérebro e os ossos.  Sintomas mais comuns: Tosse com catarro; Febre (geralmente de noite); Suores noturnos; Falta de apetite; Emagrecimento; Cansaço fácil.  Transmissão: A tuberculose é transmitida por um indivíduo contaminado quando este tosse, fala, espirra ou cospe. • Lepra ou hanseníase - A lepra é uma doença infecciosa que afeta os nervos e a pele e que provoca danos severos.  Sintomas mais comuns: manchas de coloração mais clara que a pele ao redor, podendo ser discretamente avermelhada, com alteração de sensibilidade à temperatura  Transmissão: A lepra é transmitida por gotículas de saliva. Outras; Difteria, coqueluche, tétano, tracoma, disenterias bacterianas
  • 11. DOENÇAS CAUSADAS POR VÍRUS Gripe e resfriado comum  Sintomas: coriza, obstrução nasal, tosse e espirro; a febre geralmente só aparece nos casos de gripe  Transmissão: Ambas as doenças são transmitidas por gotículas eliminadas pelas vias respiratórias. Hepatite a Vírus - É uma inflamação do fígado que pode ser causada também por outros parasitas ou substâncias.  Sintomas: febre, dor abdominal, náuseas, alguma diarréia que se mantém durante cerca de um mês.  Transmissão: A transmissão ocorre por água e alimento contaminados, principalmente quando há falta de instalações sanitárias adequadas, por transfusões de sangue contaminados, por seringas e agulhas de injeção mal esterilizadas.
  • 12. ESTRATÉGIAS PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES PERFURO-CORTANTE 1. Ao transferir instrumentos, evitar que estejam apontados para alguém. 2. Apontar os instrumentos para a direção contrária a que você está. 3. Evitar pegar instrumentos cortantes com as mãos, usar pinças, alicates ou porta-agulha. 4. Evitar que agulhas fiquem fora dos limites da bandeja. 5. Manter as brocas inseridas nas peças de mão voltadas para o solo, evitando arranhões. 6. Não reencapar as agulhas com as mãos, se fizer isso use uma pinça ou alicate para a preensão da tampa, evitando que a agulha fique apontada para o dedo. 7. Descartar imediatamente agulhas e instrumentos afiados
  • 13. EM CASO DE ACIDENTES DE CONTAMINAÇÃO  Mantenha a calma. Você tem cerca de duas horas para agir.  Lave exaustivamente com água e sabão o ferimento ou a pele exposta ao sangue ou líquido orgânico  Dirija-se imediatamente ao Centro de Referência no atendimento de acidentes ocupacionais.  Obtenha do paciente-fonte uma analise recente e detalhada sobre seus hábitos de vida, uso de drogas, vida sexual, uso de preservativos, passado em presídios ou manicômios, história de hepatite e DSTs.  Leve sua carteira de vacinação ou informe sobre seu estado vacinal e dadosrecentes de sua saúde, sorologias anteriores, etc.  Deverá ser solicitada pelo médico a coleta de amostras de sangue seu e do paciente-fonte, em tubos de ensaio, sem anticoagulante, devidamente identificados, que serão encaminhados imediatamente ao laboratório de referência para serem centrifugados  Caso o quadro caracterize situação de risco, as quimioprofilaxias contra o HBV e o HIV serão iniciados.  O profissional passará por diversos medicamentos semanais, e será encaminhado para Medicina do Trabalho para orientações legais e a um centro de referências para o acompanhamento e tratamento necessário.