SlideShare uma empresa Scribd logo
GRAUDEMATURIDADEDAINOVAÇÃO
RELATÓRIODIN
NÚCLEODEINOVAÇÃOCORPORATIVA-NUCIN
DIRETORIADEINOVAÇÃO-DIN
1
RELATÓRIO DA DIRETORIA
Diretoria: Diretoria de Inovação
Áreas: DIN / GIE / GTE / GID / NUCIN
Colaboradores: Bruno Gomes, Carlos Coelho, Leonardo Figueiredo, Gabriela Ichimura, Ricardo Diniz
Renata Medeiros, Kelyane da Silva, Giselia Brito, Carla Giordano, Mariana Rodrigues, Florence Vidal
Nathalia Vinhas, Daniella Serrazine, Luiz Felippe, Gabriela Berge, Anderson Rossi, Evanderson
Feliciano, Fabiano Gallindo, Gabriela Padilha, Thaina Oliveira e Fabricius Nascimento.
1. Avaliação das fases da cadeia de valor da inovação
Após o preenchimento do questionário foi possível avaliar o seu potencial na execução e gerenciamento
em cada uma das fases da cadeia da inovação, onde cada fase possui características singulares, sendo
elas:
I. Idealização: criatividade, facilidade de identificar oportunidades, visão de mercado e estratégica
para propor novas ideias.
II. Conceituação: flexibilidade, capacidade de conectar as diferentes áreas do negócio e pessoas
externas à organização para aprofundar a ideia, estruturar uma ideia em um projeto com
objetivos e necessidades.
III. Experimentação: Abertura para aprender com os pilotos, capacidade de identificar as incertezas,
aceitação a riscos.
IV. Implementação: Foco em prazos, no cumprimento de orçamento e atingimento de metas.
A partir das respostas, a diretoria apresentou um perfil:
IDEALIZADOR REFINADOR EXPERIMENTADOR EXECUTOR
A DIN possui um perfil predominantemente Idealizador. Algumas características que se destacam são:
pro-atividade, engajamento, mobilização, abertura para o novo, motivação, criatividade, associação,
questionamento, observação, imaginação. Outras características que podem ser melhor trabalhadas são:
confiança, otimismo, tolerância à ambiguidade, experimentação, persistência, confiança, otimismo.
O resultado obtido pela média das respostas para cada fase da cadeia está ilustrado nos gráficos
apresentados a seguir:
2
I. Idealização:
Na primeira fase do processo de inovação, foram avaliadas as competências: Motivação para
mudanças e Identificação de oportunidades. O cruzamento dessas duas competências
representa trabalhar a geração de ideias e exercitar a colaboração e a criatividade, algo
fundamental para o início de todo o processo de inovação. Vale ressaltar que esta capacidade
deve sempre estar alinhada às necessidades da empresa, de acordo com a sua estratégia,
portanto quanto mais estas habilidades forem exercitadas aliadas a experiência junto ao negócio
da empresa, maior será o potencial de inovação gerado pelo avaliado.
II. Conceituação:
Em relação à fase de Conceituação, foram avaliadas as competências: Comportamento com
relação a desafios, Tolerância às incertezas e Gestão de projetos. Trabalhando tais
competências em conjunto, é possível demonstrar a capacidade de lidar com novas ideias de
potencial inovador, tanto para assumir os seus riscos quanto para enxergá-las sendo executadas
através de um projeto. Estar aberto ao desconhecido, assim como ser capaz de tangibilizar as
ideias em projetos, são características fundamentais para esta fase do processo.
III. Experimentação:
Já na fase de Experimentação, foram avaliadas as competências: Comportamento com relação
a desafios, Adaptação durante os projetos e Gestão de projetos. Aqui é possível demonstrar a
aptidão do colaborador em lidar com projetos de maior potencial inovador, os quais possuem
maiores riscos e por isso passarão por mudanças ao longo da curva de aprendizagem do
projeto. Ser flexível possibilita aprender com as informações percebidas ao longo do projeto,
bem como saber conduzir todo o experimento ao seu objetivo.
IV. Implementação:
Por fim, na última fase do processo de inovação, foram avaliadas as competências: Gestão de
projetos e Foco em resultados. Para trabalhar a inovação nesta fase, deve-se buscar maior
objetividade e focar nos resultados dos projetos, trabalhando de maneira eficaz junto a prazos,
orçamentos e especificações. É importante ser capaz de conduzir os projetos de forma a atingir
melhores resultados através de seus recursos e pessoas, qualificando ainda mais suas entregas.
3
2. Indicador por competência
O indicador por competência apresenta o grau de maturidade de cada uma das sete competências que
compõem o indicador.
Comportamento com relação a desafios Tolerância às incertezas
6,9 6,5
Gestão de projetos Foco em resultados
7,8 7,3
Adaptação durante os projetos
8,2
Identificação de oportunidades Motivação para mudanças
8,1 8,0
4
3. Matriz competências x Fases da cadeia
A matriz abaixo apresenta a relação das sete competências com as quatro fases da cadeia de valor da
inovação. Através dela, é possível observar as características mais positivas e as facilidades do avaliado
frente a cada etapa do processo de inovação. Por outro lado, também se destacam os pontos a serem
trabalhados e aprimorados pelo avaliado, a fim de potencializar suas capacidades no que diz respeito à
inovação.
Equipe GID 8,6 Equipe NUCIN 7,2 Equipe NUCIN 7,2 Equipe GID 8,2
Equipe DIN 8,0 Equipe GID 7,2 Equipe GID 7,2 Equipe DIN 7,8
Equipe GTE 7,9 Equipe GTE 6,9 Equipe GTE 6,9 Equipe GTE 7,7
Equipe GIE 7,4 Equipe DIN 6,9 Equipe DIN 6,9 Equipe NUCIN 7,4
Equipe NUCIN 7,3 Equipe GIE 6,5 Equipe GIE 6,5 Equipe GIE 7,4
Equipe GID 8,5 Equipe NUCIN 7,2 Equipe GID 8,6 Equipe GID 8,0
Equipe NUCIN 8,1 Equipe GID 7,0 Equipe DIN 8,2 Equipe GIE 7,5
Equipe DIN 8,1 Equipe DIN 6,5 Equipe GIE 8,2 Equipe DIN 7,3
Equipe GIE 8,1 Equipe GIE 6,4 Equipe GTE 8,0 Equipe GTE 6,9
Equipe GTE 7,6 Equipe GTE 5,9 Equipe NUCIN 8,0 Equipe NUCIN 6,7
Equipe GID 8,2 Equipe GID 8,2
Equipe DIN 7,8 Equipe DIN 7,8
Equipe GTE 7,7 Equipe GTE 7,7
Equipe NUCIN 7,4 Equipe NUCIN 7,4
Equipe GIE 7,4 Equipe GIE 7,4
MÉDIA GERAL MÉDIA GERAL
7,1 7,6
8,0 7,5
7,7 7,7
8,1 6,6 8,2 7,3
MÉDIA GERAL
Gestão de
Projetos
Gestão de
Projetos
MÉDIA GERAL
7,8 6,9 6,9 7,7
Identificação de
oportunidades
Tolerância às
incertezas
Adaptação durante
os projetos
Foco em
resultados
IDEALIZAÇÃO CONCEITUAÇÃO EXPERIMENTAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO
Motivação para
mudanças
Comportamento com
relação a desafios
Comportamento com
relação a desafios
Gestão de
Projetos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.
Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.
Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.
George Matias de Oliveira, Empreteco
 
Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02
Robson Silva Espig
 
Moderno Gerenciamento de Projetos
Moderno Gerenciamento de ProjetosModerno Gerenciamento de Projetos
Moderno Gerenciamento de Projetos
José Borba
 
Webinar gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...
Webinar  gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...Webinar  gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...
Webinar gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...
Projetos e TI
 
Liderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organização
Liderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organizaçãoLiderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organização
Liderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organização
EdnaEngenheiro
 
Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio
Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio
Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio
Projetos e TI
 
Governancaemtic
GovernancaemticGovernancaemtic
Governancaemtic
gueste8f73
 
Apostila fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...
Apostila   fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...Apostila   fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...
Apostila fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...
Mateus Duncke de Oliveira
 
Gestão e gerência de projetos 2010
Gestão e gerência de projetos   2010Gestão e gerência de projetos   2010
Gestão e gerência de projetos 2010
Gilda Almeida Sandes
 
Pmbok
PmbokPmbok
Aula1 - Gerenciamento de Projetos
Aula1 - Gerenciamento de ProjetosAula1 - Gerenciamento de Projetos
Aula1 - Gerenciamento de Projetos
MairaM
 
Apresentação palestra amp
Apresentação palestra ampApresentação palestra amp
Apresentação palestra amp
Marilane Carneiro Di Mario
 
Palestra gestão de projetos empresariais
Palestra   gestão de projetos empresariaisPalestra   gestão de projetos empresariais
Palestra gestão de projetos empresariais
Nifriti
 
Gerencia projeto e pmo
Gerencia projeto e pmoGerencia projeto e pmo
Gerencia projeto e pmo
Eduardo Castro
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Paulo Junior
 

Mais procurados (15)

Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.
Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.
Gestão de Portfólio de Projetos com B.S.C.
 
Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02Gestao Projetos - Aula 02
Gestao Projetos - Aula 02
 
Moderno Gerenciamento de Projetos
Moderno Gerenciamento de ProjetosModerno Gerenciamento de Projetos
Moderno Gerenciamento de Projetos
 
Webinar gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...
Webinar  gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...Webinar  gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...
Webinar gestão de mudanças organizacionais - o fator humano na liderança de ...
 
Liderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organização
Liderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organizaçãoLiderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organização
Liderança/coordenação de equipas de projetos de comissões de organização
 
Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio
Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio
Web aula: Visão IPMA no Gerenciamento de Projetos Programas e Portfólio
 
Governancaemtic
GovernancaemticGovernancaemtic
Governancaemtic
 
Apostila fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...
Apostila   fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...Apostila   fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...
Apostila fgv - gestão de projetos - pmi - gestão de projetos no contexto de...
 
Gestão e gerência de projetos 2010
Gestão e gerência de projetos   2010Gestão e gerência de projetos   2010
Gestão e gerência de projetos 2010
 
Pmbok
PmbokPmbok
Pmbok
 
Aula1 - Gerenciamento de Projetos
Aula1 - Gerenciamento de ProjetosAula1 - Gerenciamento de Projetos
Aula1 - Gerenciamento de Projetos
 
Apresentação palestra amp
Apresentação palestra ampApresentação palestra amp
Apresentação palestra amp
 
Palestra gestão de projetos empresariais
Palestra   gestão de projetos empresariaisPalestra   gestão de projetos empresariais
Palestra gestão de projetos empresariais
 
Gerencia projeto e pmo
Gerencia projeto e pmoGerencia projeto e pmo
Gerencia projeto e pmo
 
Gerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - IniciaçãoGerenciamento de projetos - Iniciação
Gerenciamento de projetos - Iniciação
 

Destaque

Bm brandsters grp7_sec_a
Bm brandsters grp7_sec_aBm brandsters grp7_sec_a
Bm brandsters grp7_sec_a
Rahul Ranjan
 
Legal Cloud Soluciones
Legal Cloud SolucionesLegal Cloud Soluciones
Legal Cloud Soluciones
Jesus Vargas Espinosa-Mireles
 
Artigo Livro CJB Felix Rigoli
Artigo Livro CJB Felix RigoliArtigo Livro CJB Felix Rigoli
Artigo Livro CJB Felix Rigoli
Felix Rigoli
 
Nova Conexão - Maio 2016
Nova Conexão - Maio 2016Nova Conexão - Maio 2016
Nova Conexão - Maio 2016
Viviam Santos
 
Construindo famílias que suportam tempestades.
Construindo famílias que suportam tempestades.Construindo famílias que suportam tempestades.
Construindo famílias que suportam tempestades.
Rev. Giovanni Guimarães
 
CV_Clodoaldo
CV_ClodoaldoCV_Clodoaldo
CV_Clodoaldo
Clodoaldo Bondezan
 
Chuck m ppp
Chuck m pppChuck m ppp
Chuck m ppp
ChuckMinion
 
DanLachance_Resume_4-18
DanLachance_Resume_4-18DanLachance_Resume_4-18
DanLachance_Resume_4-18
Daniel Lachance
 
the 48 best self improvement books on the planet
the 48 best self improvement books on the planetthe 48 best self improvement books on the planet
the 48 best self improvement books on the planet
Cary Richards
 
CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02
CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02
CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02
Sandra Pinto
 
Bs 5 6 environment issues
Bs 5 6 environment issuesBs 5 6 environment issues
Bs 5 6 environment issues
Mohiuddin Murad
 
Institutional framework of environmental management in bangladesh
Institutional framework of environmental management in bangladeshInstitutional framework of environmental management in bangladesh
Institutional framework of environmental management in bangladesh
SamiSharmin
 
Oportunidades no Panmá e Região
Oportunidades no Panmá e RegiãoOportunidades no Panmá e Região
Oportunidades no Panmá e Região
Camila Meyer
 

Destaque (13)

Bm brandsters grp7_sec_a
Bm brandsters grp7_sec_aBm brandsters grp7_sec_a
Bm brandsters grp7_sec_a
 
Legal Cloud Soluciones
Legal Cloud SolucionesLegal Cloud Soluciones
Legal Cloud Soluciones
 
Artigo Livro CJB Felix Rigoli
Artigo Livro CJB Felix RigoliArtigo Livro CJB Felix Rigoli
Artigo Livro CJB Felix Rigoli
 
Nova Conexão - Maio 2016
Nova Conexão - Maio 2016Nova Conexão - Maio 2016
Nova Conexão - Maio 2016
 
Construindo famílias que suportam tempestades.
Construindo famílias que suportam tempestades.Construindo famílias que suportam tempestades.
Construindo famílias que suportam tempestades.
 
CV_Clodoaldo
CV_ClodoaldoCV_Clodoaldo
CV_Clodoaldo
 
Chuck m ppp
Chuck m pppChuck m ppp
Chuck m ppp
 
DanLachance_Resume_4-18
DanLachance_Resume_4-18DanLachance_Resume_4-18
DanLachance_Resume_4-18
 
the 48 best self improvement books on the planet
the 48 best self improvement books on the planetthe 48 best self improvement books on the planet
the 48 best self improvement books on the planet
 
CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02
CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02
CerConclusao_SupDip_2010130210_10-10-2016_09_53_02
 
Bs 5 6 environment issues
Bs 5 6 environment issuesBs 5 6 environment issues
Bs 5 6 environment issues
 
Institutional framework of environmental management in bangladesh
Institutional framework of environmental management in bangladeshInstitutional framework of environmental management in bangladesh
Institutional framework of environmental management in bangladesh
 
Oportunidades no Panmá e Região
Oportunidades no Panmá e RegiãoOportunidades no Panmá e Região
Oportunidades no Panmá e Região
 

Semelhante a Corporate Innovation Matrix

Relatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em Inovação Relatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em Inovação
Fundação Dom Cabral - FDC
 
UNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do Óbvio
UNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do ÓbvioUNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do Óbvio
UNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do Óbvio
Debora Modesto
 
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
Ueliton da Costa Leonidio
 
PMCD - Project Manager Competency Development
PMCD - Project Manager Competency DevelopmentPMCD - Project Manager Competency Development
PMCD - Project Manager Competency Development
Robes Baima, PMI-PMP, PMI-RMP
 
Revisão Bibliográfica - Design & Inovação
Revisão Bibliográfica - Design & InovaçãoRevisão Bibliográfica - Design & Inovação
Revisão Bibliográfica - Design & Inovação
DeDeus12
 
Tecnologia e processos
Tecnologia e processosTecnologia e processos
Tecnologia e processos
Alatur
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Levi Tancredo
 
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes EmpresasGestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
Renato Lacerda
 
Corporate Innovation Management
Corporate Innovation ManagementCorporate Innovation Management
Corporate Innovation Management
Leonardo Figueiredo, MBA, BBA
 
Relatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em InovaçãoRelatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em Inovação
Fundação Dom Cabral - FDC
 
@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx
@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx
@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx
AdrianaSilva227685
 
Gerente de Produto - PLM
Gerente de Produto - PLMGerente de Produto - PLM
Gerente de Produto - PLM
Carlos Eduardo Silva Castro
 
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARBFGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
Marco Coghi
 
Laboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósito
Laboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósitoLaboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósito
Laboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósito
Juliana Feitosa Andrade
 
Pmweb
PmwebPmweb
Case IDDS Plano de Negocios
Case IDDS Plano de NegociosCase IDDS Plano de Negocios
Case IDDS Plano de Negocios
Sérgio Nunes
 
PMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e Certificações
PMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e CertificaçõesPMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e Certificações
PMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e Certificações
Antonio Carlos Jr.
 
Empresa Plataforma - 平台公司
Empresa Plataforma - 平台公司Empresa Plataforma - 平台公司
Empresa Plataforma - 平台公司
Carlos Sousa
 
Mercado externo (1)
Mercado externo (1)Mercado externo (1)
Mercado externo (1)
ed.moreira
 
Processo para gerar Inovação
Processo para gerar InovaçãoProcesso para gerar Inovação
Processo para gerar Inovação
SuperClient Solutions
 

Semelhante a Corporate Innovation Matrix (20)

Relatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em Inovação Relatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em Inovação
 
UNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do Óbvio
UNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do ÓbvioUNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do Óbvio
UNIFESO 2019 - Gestão de Projetos Além do Óbvio
 
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3Administração de projetos  Gerenciamento de projetos - Aula 3
Administração de projetos Gerenciamento de projetos - Aula 3
 
PMCD - Project Manager Competency Development
PMCD - Project Manager Competency DevelopmentPMCD - Project Manager Competency Development
PMCD - Project Manager Competency Development
 
Revisão Bibliográfica - Design & Inovação
Revisão Bibliográfica - Design & InovaçãoRevisão Bibliográfica - Design & Inovação
Revisão Bibliográfica - Design & Inovação
 
Tecnologia e processos
Tecnologia e processosTecnologia e processos
Tecnologia e processos
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
 
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes EmpresasGestão da Inovação nas Grandes Empresas
Gestão da Inovação nas Grandes Empresas
 
Corporate Innovation Management
Corporate Innovation ManagementCorporate Innovation Management
Corporate Innovation Management
 
Relatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em InovaçãoRelatório Centro de Referência em Inovação
Relatório Centro de Referência em Inovação
 
@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx
@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx
@@Guia_de_Inovacao_Corporativa_-_Atlantico_.docx
 
Gerente de Produto - PLM
Gerente de Produto - PLMGerente de Produto - PLM
Gerente de Produto - PLM
 
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARBFGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
 
Laboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósito
Laboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósitoLaboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósito
Laboratório Criatividade - Inovação e Marketing com propósito
 
Pmweb
PmwebPmweb
Pmweb
 
Case IDDS Plano de Negocios
Case IDDS Plano de NegociosCase IDDS Plano de Negocios
Case IDDS Plano de Negocios
 
PMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e Certificações
PMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e CertificaçõesPMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e Certificações
PMI, PMBOK, MPS.Br, CMMI, TOGAF e Certificações
 
Empresa Plataforma - 平台公司
Empresa Plataforma - 平台公司Empresa Plataforma - 平台公司
Empresa Plataforma - 平台公司
 
Mercado externo (1)
Mercado externo (1)Mercado externo (1)
Mercado externo (1)
 
Processo para gerar Inovação
Processo para gerar InovaçãoProcesso para gerar Inovação
Processo para gerar Inovação
 

Corporate Innovation Matrix

  • 2. 1 RELATÓRIO DA DIRETORIA Diretoria: Diretoria de Inovação Áreas: DIN / GIE / GTE / GID / NUCIN Colaboradores: Bruno Gomes, Carlos Coelho, Leonardo Figueiredo, Gabriela Ichimura, Ricardo Diniz Renata Medeiros, Kelyane da Silva, Giselia Brito, Carla Giordano, Mariana Rodrigues, Florence Vidal Nathalia Vinhas, Daniella Serrazine, Luiz Felippe, Gabriela Berge, Anderson Rossi, Evanderson Feliciano, Fabiano Gallindo, Gabriela Padilha, Thaina Oliveira e Fabricius Nascimento. 1. Avaliação das fases da cadeia de valor da inovação Após o preenchimento do questionário foi possível avaliar o seu potencial na execução e gerenciamento em cada uma das fases da cadeia da inovação, onde cada fase possui características singulares, sendo elas: I. Idealização: criatividade, facilidade de identificar oportunidades, visão de mercado e estratégica para propor novas ideias. II. Conceituação: flexibilidade, capacidade de conectar as diferentes áreas do negócio e pessoas externas à organização para aprofundar a ideia, estruturar uma ideia em um projeto com objetivos e necessidades. III. Experimentação: Abertura para aprender com os pilotos, capacidade de identificar as incertezas, aceitação a riscos. IV. Implementação: Foco em prazos, no cumprimento de orçamento e atingimento de metas. A partir das respostas, a diretoria apresentou um perfil: IDEALIZADOR REFINADOR EXPERIMENTADOR EXECUTOR A DIN possui um perfil predominantemente Idealizador. Algumas características que se destacam são: pro-atividade, engajamento, mobilização, abertura para o novo, motivação, criatividade, associação, questionamento, observação, imaginação. Outras características que podem ser melhor trabalhadas são: confiança, otimismo, tolerância à ambiguidade, experimentação, persistência, confiança, otimismo. O resultado obtido pela média das respostas para cada fase da cadeia está ilustrado nos gráficos apresentados a seguir:
  • 3. 2 I. Idealização: Na primeira fase do processo de inovação, foram avaliadas as competências: Motivação para mudanças e Identificação de oportunidades. O cruzamento dessas duas competências representa trabalhar a geração de ideias e exercitar a colaboração e a criatividade, algo fundamental para o início de todo o processo de inovação. Vale ressaltar que esta capacidade deve sempre estar alinhada às necessidades da empresa, de acordo com a sua estratégia, portanto quanto mais estas habilidades forem exercitadas aliadas a experiência junto ao negócio da empresa, maior será o potencial de inovação gerado pelo avaliado. II. Conceituação: Em relação à fase de Conceituação, foram avaliadas as competências: Comportamento com relação a desafios, Tolerância às incertezas e Gestão de projetos. Trabalhando tais competências em conjunto, é possível demonstrar a capacidade de lidar com novas ideias de potencial inovador, tanto para assumir os seus riscos quanto para enxergá-las sendo executadas através de um projeto. Estar aberto ao desconhecido, assim como ser capaz de tangibilizar as ideias em projetos, são características fundamentais para esta fase do processo. III. Experimentação: Já na fase de Experimentação, foram avaliadas as competências: Comportamento com relação a desafios, Adaptação durante os projetos e Gestão de projetos. Aqui é possível demonstrar a aptidão do colaborador em lidar com projetos de maior potencial inovador, os quais possuem maiores riscos e por isso passarão por mudanças ao longo da curva de aprendizagem do projeto. Ser flexível possibilita aprender com as informações percebidas ao longo do projeto, bem como saber conduzir todo o experimento ao seu objetivo. IV. Implementação: Por fim, na última fase do processo de inovação, foram avaliadas as competências: Gestão de projetos e Foco em resultados. Para trabalhar a inovação nesta fase, deve-se buscar maior objetividade e focar nos resultados dos projetos, trabalhando de maneira eficaz junto a prazos, orçamentos e especificações. É importante ser capaz de conduzir os projetos de forma a atingir melhores resultados através de seus recursos e pessoas, qualificando ainda mais suas entregas.
  • 4. 3 2. Indicador por competência O indicador por competência apresenta o grau de maturidade de cada uma das sete competências que compõem o indicador. Comportamento com relação a desafios Tolerância às incertezas 6,9 6,5 Gestão de projetos Foco em resultados 7,8 7,3 Adaptação durante os projetos 8,2 Identificação de oportunidades Motivação para mudanças 8,1 8,0
  • 5. 4 3. Matriz competências x Fases da cadeia A matriz abaixo apresenta a relação das sete competências com as quatro fases da cadeia de valor da inovação. Através dela, é possível observar as características mais positivas e as facilidades do avaliado frente a cada etapa do processo de inovação. Por outro lado, também se destacam os pontos a serem trabalhados e aprimorados pelo avaliado, a fim de potencializar suas capacidades no que diz respeito à inovação. Equipe GID 8,6 Equipe NUCIN 7,2 Equipe NUCIN 7,2 Equipe GID 8,2 Equipe DIN 8,0 Equipe GID 7,2 Equipe GID 7,2 Equipe DIN 7,8 Equipe GTE 7,9 Equipe GTE 6,9 Equipe GTE 6,9 Equipe GTE 7,7 Equipe GIE 7,4 Equipe DIN 6,9 Equipe DIN 6,9 Equipe NUCIN 7,4 Equipe NUCIN 7,3 Equipe GIE 6,5 Equipe GIE 6,5 Equipe GIE 7,4 Equipe GID 8,5 Equipe NUCIN 7,2 Equipe GID 8,6 Equipe GID 8,0 Equipe NUCIN 8,1 Equipe GID 7,0 Equipe DIN 8,2 Equipe GIE 7,5 Equipe DIN 8,1 Equipe DIN 6,5 Equipe GIE 8,2 Equipe DIN 7,3 Equipe GIE 8,1 Equipe GIE 6,4 Equipe GTE 8,0 Equipe GTE 6,9 Equipe GTE 7,6 Equipe GTE 5,9 Equipe NUCIN 8,0 Equipe NUCIN 6,7 Equipe GID 8,2 Equipe GID 8,2 Equipe DIN 7,8 Equipe DIN 7,8 Equipe GTE 7,7 Equipe GTE 7,7 Equipe NUCIN 7,4 Equipe NUCIN 7,4 Equipe GIE 7,4 Equipe GIE 7,4 MÉDIA GERAL MÉDIA GERAL 7,1 7,6 8,0 7,5 7,7 7,7 8,1 6,6 8,2 7,3 MÉDIA GERAL Gestão de Projetos Gestão de Projetos MÉDIA GERAL 7,8 6,9 6,9 7,7 Identificação de oportunidades Tolerância às incertezas Adaptação durante os projetos Foco em resultados IDEALIZAÇÃO CONCEITUAÇÃO EXPERIMENTAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO Motivação para mudanças Comportamento com relação a desafios Comportamento com relação a desafios Gestão de Projetos