SlideShare uma empresa Scribd logo
© 2004 Cintia Cecília Barreto




Concordância Verbal

a) O verbo vai para a 3ª pessoa do plural caso o sujeito seja composto e anteposto ao verbo.
Se o sujeito composto é posposto ao verbo, este irá para o plural ou concordará com o
substantivo mais próximo. Mesmo na concordância atrativa, o verbo refere-se,
ideologicamente, a todos os elementos mencionados.


 Ex1.: Luís e Laura passaram na prova.
 Ex2.: Chegaram o aluno e a professora cedo à palestra.
 Ex3.: Chegou o professor e a aluna cedo à palestra. (os dois chegaram cedo à palestra)
 Ex4.: Entraram os professores e o aluno representante na sala do diretor.


b) O verbo haver, no sentido existir ou referindo-se a tempo, é impessoal, não admite
sujeito. O mesmo ocorre com o verbo fazer referindo-se a tempo. Estes verbos ficam na 3ª
pessoa do singular. As locuções, com esses verbos, ficarão no singular também.


 Ex1.: Há meses não vejo meus amigos.
 Ex2.: Havia pessoas interessantes no curso.
 Ex3.: Faz vinte minutos que ele saiu daqui.
 Ex4.: Deve haver pessoas que não fizeram a prova. (deve haver = há = impessoal no sentido de existir)
 Ex5.: Deve fazer oito anos que não o vejo. (deve fazer = faz = impessoal = tempo decorrido)
 Obs.: o verbo haver, quando não possui o sentido de existir, ele é o primeiro verbo da
 locução.
 Ex1.: Haviam ocorrido fraudes no último concurso.
 Ex2.: Haviam feito boas provas de português.


c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com
substantivo no plural.

 Ex1.: Um bando chegou ao estádio.
 Ex2.: Um bando de torcedores chegou (ou chegaram) ao estádio.



Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que
ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da
autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
© 2004 Cintia Cecília Barreto


d) Havendo exclusão na palavra ou, o verbo fica no singular. Se o verbo se referir aos dois
sujeitos, irá para o plural.


 Ex1.: Flamengo ou Fluminense ganhará o campeonato.
 (Somente um time poderá ser campeão, portanto há idéia de exclusão)
 Ex2.: O ônibus ou a barca passam em Niterói.
 (Os dois transportes passam em Niterói.)

e) Quando o sujeito é composto por pessoas diferentes, o verbo vai para o plural, de acordo
com a pessoa mais importante
(a 1ª pessoa é mais importante que a 2ª e a 2ª pessoa é mais importante que a 3ª).




 Ex1.: Eu, tu e ele viajaremos.
 Ex2.: Tu e ele viajareis. (vós) Ou
 Ex3.: Tu e ele viajarão. (vocês)




f) Se aparecerem os sujeitos expressos relógio, sino, etc., o verbo concordará com esses
sujeitos. Se não aparecerem sujeitos, o verbo concordará coma palavra hora ou horas.


 Ex1.: Deram doze horas no sino da igreja. (no sino = adjunto adverbial)
 Ex2.: O sino da igreja deu doze horas. (o sino = sujeito)


g) Se o substantivo é um nome próprio usado com artigo plural, o verbo concordará com o
artigo.

 Ex1.: Os Estudos Unidos atacaram o Iraque.
 Ex2.: O Amazonas fica no norte do país.

 Ex3.: Os Lusíadas contam a viagem de Vasco da Gama.

 Ex4.: Os Miseráveis é um clássico de Victor Hugo. (Em nomes de obras, dá-se o singular, quando
 o verbo “ser” vier seguido de palavra no singular ou se surgir a palavra “livro”).



Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que
ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da
autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
© 2004 Cintia Cecília Barreto


 Ex5.: Os Sertões é o livro de Euclides da Cunha.

h) Quando aparece nas expressões é muito, é pouco, é suficiente, é bastante, que
denotam quantidade, distância, peso etc., o verbo ser fica sempre no singular.

 Ex1.: Cem metros é pouco.
 Ex2.: Dois reais é pouco.
 Ex3.: Dez quilos é suficiente.


i) O verbo ser concorda com o predicativo, se o sujeito está representado pelos pronomes
interrogativos quem ou que.

 Ex1.: Quem são os rapazes do curso?
 Ex2.: Que são as alegrias do trabalho?


j) Quando o sujeito for o pronome tudo, o verbo ser concorda com o predicativo. O mesmo
ocorre com os sujeitos isto, isso, aquilo.


 Ex.: Na vida, nem tudo são flores.

 (Embora seja admissível a outra forma: Tudo é flores)


l) Quando o sujeito é o pronome relativo que , o verbo concorda com o termo antecedente
do pronome relativo. Por outro lado, quando o sujeito é o pronome relativo quem, o verbo
deve ficar, geralmente, na 3ª pessoa do singular, concordando com ele. Porém, são
freqüentes os casos em que o verbo concorda com o termo antecedente do pronome relativo
quem.

 Ex1.: Fui eu que escrevi a proposta.
 Ex2.: Foste tu que escreveste a proposta.
 Ex3.: Fui eu quem escreveu a proposta. (3ª pessoa do singular)
 Ex4.: Fui eu quem escrevi a proposta.
 Ex5.: Fomos nós quem escreveu a proposta. (3ª pessoa do singular)




Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que
ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da
autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
© 2004 Cintia Cecília Barreto




m) Quando o sujeito, que indica quantidade aproximada, é formado de um número plural
precedido das expressões cerca de, mais de, menos de, o verbo vai para o plural.

 Ex1.: Cerca de cem pessoas compareceram ao salão de convenções.
 Ex2.: Restaram, na reunião, mais de cinco empresários.



n) A expressão mais de um deixa o verbo no singular. Se houver idéia de reciprocidade, o
verbo vai para o plural.

 Ex1.: Mais de um aluno chegou atrasado.
 Ex2.: Mais de um político se criticaram. (idéia de reciprocidade)
 Ex3.: Mais de um amigo se cumprimentaram. (idéia de reciprocidade)
 Ex4.: Mais de dois professores elaboraram o simulado. (o verbo, aqui, concorda com o
 numeral)



o) Quando o sujeito é representado por expressão indicativa de porcentagem, o verbo pode
concordar com o numeral ou com o substantivo a que se refere a porcentagem. Se o
numeral vier com determinantes (artigos, pronomes, etc.), o verbo concordará,
obrigatoriamente, com eles. Por outro lado, o verbo concordará com o numeral, quando
vier anteposto à expressão de porcentagem. Vale lembrar que com as expressões cerca de,
perto de, mais de, menos de, antes da porcentagem, o verbo concordará apenas com a
porcentagem. Com 1%, o verbo fica no singular.


 Ex1.: 20% da população acreditam em suas idéias.
 Ex2.: 20% da população acredita em suas idéias.
 Ex3.: 45% dos estudantes acreditam em suas idéias. (Aqui os dois elementos estão no plural,
 então o verbo só pode ficar no plural)
 Ex4.: Os 75% da turma querem aula aos sábados.
 Ex5.: Os comentados 5% da dívida foram pagos ontem.
 Ex6.: Este 1% dos estudantes estudou pouco crase.
 Ex7.: Foram importados 60% da produção de biquínis brasileiros.
 Ex8.: Fizeram a prova, no domingo, 85% dos candidatos.


Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que
ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da
autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
© 2004 Cintia Cecília Barreto


 Ex9.: Cerca de 30% dos alunos estudaram bastante a gramática.
 Ex10.: Mais de 1% dos convidados levou presentes ao aniversariante.
 Ex11.: 1% dos candidatos faltou à prova de hoje.


p) Quando o sujeito é representado pelas expressões um e outro e nem um nem outro, o
verbo pode ficar no singular ou pode ir para o plural. No entanto, se houver idéia de
reciprocidade de ação, o verbo irá para o plural.


 Ex1.: Um e outro dormia/ dormiam nas aulas da noite.
 Ex2.: Nem e nem outro dormia/ dormiam nas aulas da noite.
 Ex3.: Um e outro amigo se abraçavam freqüentemente. (idéia de reciprocidade)
 Ex4.: Nem um nem outro irmão se agridem mais. (idéia de reciprocidade)


q) Quando o sujeito é ligado pela preposição com, o verbo vai para o plural, se houver
desejo de indicar a ação de todos os elementos do sujeito. Em contrapartida, o verbo ficará
no singular, quando se deseja enfatizar a ação apenas do primeiro elemento do sujeito.
Nesse caso, recomenda-se isolar por meio de vírgulas o adjunto adverbial de companhia.


 Ex1.: A professora com os alunos resolveram as questões da prova anterior.
 Ex2.: A professora, com os alunos, resolveu as questões da prova anterior.
 Ex4.: O presidente com os assessores viajaram para a China.
 Ex5.: O presidente, com os assessores, viajou para a China.


r) Sujeito representado por um ou outro, o verbo fica no singular, já que há idéia de
exclusão.


 Ex1.: Um ou outro estudante ganhará o campeonato de xadrez.


s) Quando o se é pronome apassivador (também chamado de partícula apassivadora), o
verbo concorda com o sujeito paciente. Isso ocorre com os verbos transitivos diretos ou
transitivos diretos e indiretos. Portanto, a frase está na voz passiva sintética.
Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que
ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da
autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
© 2004 Cintia Cecília Barreto




 Ex1.: Aluga-se casa no Itanhangá. (Casa é alugada no Itanhangá – sujeito = casa)
 Ex2.: Vendem-se casas e apartamentos no Itanhangá. (sujeito= casas e apartamentos)
 Ex3.: Consertam-se sapatos.
 Ex4.: Ofereceram-se bolsas de estudo aos melhores alunos do curso.


t) Quando o se é índice de indeterminação do sujeito, o verbo fica no singular. Isso
ocorre com os verbos transitivos indiretos, intransitivos ou de ligação.


 Ex1.: Precisa-se de webdesigners. (v. t. i.)
 Ex2.: Trabalha-se muito aqui. (v. i.)
 Ex3.: Está-se feliz estudando. (v.l.)
 Ex4.: Confia-se em professores especializados. (v.t. i.)


u) Na indicação de datas, horas e distâncias, o verbo ser concorda com a palavra a que se
refere, mesmo sendo impessoal.


 Ex1.: É meio-dia e meia.
 Ex2.: É 13h59min.
 Ex3.: São duas horas da tarde.
 Ex4.: São 26 de dezembro: dia do meu aniversário, lembra?!
 Obs.: deve-se perguntar: “Que horas são?” e não “Que horas tem?”.


v) A expressão Haja vista admite três possibilidades: com preposição, é invariável; sem
preposição, tanto pode ficar no singular quanto concordar com a palavra a que se refere.


 Ex1.: Haja vista a prova feita.
 Ex2.: Haja vista aos exercícios propostos.
 Ex3.: Hajam vista os métodos utilizados.
 Obs.: haja visto é tempo composto do verbo ver.
Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que
ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da
autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
© 2004 Cintia Cecília Barreto


 Ex.: Espero que os alunos já hajam visto todas as exceções sobre o assunto. (tenham visto)


x) Com o verbo parecer + infinitivo, flexiona-se o verbo parecer, e o infinitivo fica
invariável ou flexiona-se o infinitivo e o parecer fica invariável.


 Ex1.: As provas parecem demorar a chegar.
 Ex2.: As provas parece demorarem a chegar.


z) Quando o sujeito vem seguido de aposto resumidor (tudo, nada, ninguém, cada um),
o verbo concorda com o aposto.


 Ex1.: Fiel, carinhoso, divertido, tudo a encantou naquele homem.
 Ex2.: Festas, passeios, jogos, nada o afastava de seu objetivo de passar naquele concurso.
 Ex3.: Diretores, coordenadores, professores, ninguém ficou sem dar sua opinião.




Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que
ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da
autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concordância verbal e nominal certo
Concordância verbal e nominal certoConcordância verbal e nominal certo
Concordância verbal e nominal certo
Ana Paula Dos Santos
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
MGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA
 
Aula concordância verbal e nominal apresentação
Aula concordância verbal e nominal apresentaçãoAula concordância verbal e nominal apresentação
Aula concordância verbal e nominal apresentação
Aline Alves
 
Concordancia%20verbal[1]
Concordancia%20verbal[1]Concordancia%20verbal[1]
Concordancia%20verbal[1]
Sadrak Silva
 
Aula concordância verbal e nominal
Aula concordância verbal e nominalAula concordância verbal e nominal
Aula concordância verbal e nominal
Aline Alves
 
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Concordância Nominal
www.aulaparticularonline.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.aulaparticularonline.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Concordância Nominal
Lucia Silveira
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
Angela Santos
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
Andriane Cursino
 
Crase
CraseCrase
Concordância verbal slide share
Concordância verbal slide shareConcordância verbal slide share
Concordância verbal slide share
Caroline Indayara
 
Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.
Vinicius Selbach
 
05 provas de português
05   provas de português05   provas de português
05 provas de português
Wagner Pereira
 
www.AulaParticularApoio.Com.Br - Português - Concordância Nominal
www.AulaParticularApoio.Com.Br - Português -  Concordância Nominalwww.AulaParticularApoio.Com.Br - Português -  Concordância Nominal
www.AulaParticularApoio.Com.Br - Português - Concordância Nominal
ApoioAulaParticular
 
Concordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominalConcordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominal
Cynthia Funchal
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
guest2efcd1
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
Isabel Sousa
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
Edson Alves
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
gsbq
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
EnsinoFundamental
 

Mais procurados (19)

Concordância verbal e nominal certo
Concordância verbal e nominal certoConcordância verbal e nominal certo
Concordância verbal e nominal certo
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
 
Aula concordância verbal e nominal apresentação
Aula concordância verbal e nominal apresentaçãoAula concordância verbal e nominal apresentação
Aula concordância verbal e nominal apresentação
 
Concordancia%20verbal[1]
Concordancia%20verbal[1]Concordancia%20verbal[1]
Concordancia%20verbal[1]
 
Aula concordância verbal e nominal
Aula concordância verbal e nominalAula concordância verbal e nominal
Aula concordância verbal e nominal
 
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Concordância Nominal
www.aulaparticularonline.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.aulaparticularonline.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.aulaparticularonline.net.br - Português - Concordância Nominal
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Concordância verbal slide share
Concordância verbal slide shareConcordância verbal slide share
Concordância verbal slide share
 
Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.Reforma ortográfica e dicas escrita.
Reforma ortográfica e dicas escrita.
 
05 provas de português
05   provas de português05   provas de português
05 provas de português
 
www.AulaParticularApoio.Com.Br - Português - Concordância Nominal
www.AulaParticularApoio.Com.Br - Português -  Concordância Nominalwww.AulaParticularApoio.Com.Br - Português -  Concordância Nominal
www.AulaParticularApoio.Com.Br - Português - Concordância Nominal
 
Concordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominalConcordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominal
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
 
Aula 10
Aula 10Aula 10
Aula 10
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
 

Semelhante a ConcordâNicia Verbal

[02 11 07] ConcordâNcia Verbal RegêNcia Crase
[02 11 07] ConcordâNcia Verbal   RegêNcia   Crase[02 11 07] ConcordâNcia Verbal   RegêNcia   Crase
[02 11 07] ConcordâNcia Verbal RegêNcia Crase
Fernando Vieira
 
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; CraseConcordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Lidiane Rodrigues
 
Verbos
VerbosVerbos
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbalCefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbal
ProfFernandaBraga
 
Aula 18 concordância verbal
Aula 18   concordância verbalAula 18   concordância verbal
Aula 18 concordância verbal
ProfFernandaBraga
 
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância VerbalCefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
ProfFernandaBraga
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
geisiene strelow
 
02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt
02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt
02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt
Gil Guimarães
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
Kennedy Soares
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
Angela Santos
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
Tio Pablo Virtual
 
Concordância verbal i
Concordância verbal iConcordância verbal i
Concordância verbal i
Nádia França
 
Concordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptxConcordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptx
Ana Vaz
 
Concordancia Verbal
Concordancia VerbalConcordancia Verbal
Concordancia Verbal
guest927573a
 
Concordância verbal 1
Concordância verbal 1Concordância verbal 1
Concordância verbal 1
Vera Pinho
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
Christiane Queiroz
 
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
Christiane Queiroz
 
Concordância verbal 9º ano
Concordância verbal   9º anoConcordância verbal   9º ano
Concordância verbal 9º ano
Christiane Queiroz
 
Concordancia verbal 2015
Concordancia verbal 2015Concordancia verbal 2015
Concordancia verbal 2015
Flávio Ferreira
 
Concrdância verbal
Concrdância verbalConcrdância verbal
Concrdância verbal
Jomari
 

Semelhante a ConcordâNicia Verbal (20)

[02 11 07] ConcordâNcia Verbal RegêNcia Crase
[02 11 07] ConcordâNcia Verbal   RegêNcia   Crase[02 11 07] ConcordâNcia Verbal   RegêNcia   Crase
[02 11 07] ConcordâNcia Verbal RegêNcia Crase
 
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; CraseConcordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
Concordância Verbal; Regência Verbal e Nominal; Crase
 
Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbalCefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbal
 
Aula 18 concordância verbal
Aula 18   concordância verbalAula 18   concordância verbal
Aula 18 concordância verbal
 
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância VerbalCefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt
02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt
02-11-07-concordncia-verbal-regncia-crase-1198038839748798-4.ppt
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
 
Concordância verbal i
Concordância verbal iConcordância verbal i
Concordância verbal i
 
Concordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptxConcordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptx
 
Concordancia Verbal
Concordancia VerbalConcordancia Verbal
Concordancia Verbal
 
Concordância verbal 1
Concordância verbal 1Concordância verbal 1
Concordância verbal 1
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
 
Concordância verbal 9º ano
Concordância verbal   9º anoConcordância verbal   9º ano
Concordância verbal 9º ano
 
Concordancia verbal 2015
Concordancia verbal 2015Concordancia verbal 2015
Concordancia verbal 2015
 
Concrdância verbal
Concrdância verbalConcrdância verbal
Concrdância verbal
 

ConcordâNicia Verbal

  • 1. © 2004 Cintia Cecília Barreto Concordância Verbal a) O verbo vai para a 3ª pessoa do plural caso o sujeito seja composto e anteposto ao verbo. Se o sujeito composto é posposto ao verbo, este irá para o plural ou concordará com o substantivo mais próximo. Mesmo na concordância atrativa, o verbo refere-se, ideologicamente, a todos os elementos mencionados. Ex1.: Luís e Laura passaram na prova. Ex2.: Chegaram o aluno e a professora cedo à palestra. Ex3.: Chegou o professor e a aluna cedo à palestra. (os dois chegaram cedo à palestra) Ex4.: Entraram os professores e o aluno representante na sala do diretor. b) O verbo haver, no sentido existir ou referindo-se a tempo, é impessoal, não admite sujeito. O mesmo ocorre com o verbo fazer referindo-se a tempo. Estes verbos ficam na 3ª pessoa do singular. As locuções, com esses verbos, ficarão no singular também. Ex1.: Há meses não vejo meus amigos. Ex2.: Havia pessoas interessantes no curso. Ex3.: Faz vinte minutos que ele saiu daqui. Ex4.: Deve haver pessoas que não fizeram a prova. (deve haver = há = impessoal no sentido de existir) Ex5.: Deve fazer oito anos que não o vejo. (deve fazer = faz = impessoal = tempo decorrido) Obs.: o verbo haver, quando não possui o sentido de existir, ele é o primeiro verbo da locução. Ex1.: Haviam ocorrido fraudes no último concurso. Ex2.: Haviam feito boas provas de português. c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural. Ex1.: Um bando chegou ao estádio. Ex2.: Um bando de torcedores chegou (ou chegaram) ao estádio. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  • 2. © 2004 Cintia Cecília Barreto d) Havendo exclusão na palavra ou, o verbo fica no singular. Se o verbo se referir aos dois sujeitos, irá para o plural. Ex1.: Flamengo ou Fluminense ganhará o campeonato. (Somente um time poderá ser campeão, portanto há idéia de exclusão) Ex2.: O ônibus ou a barca passam em Niterói. (Os dois transportes passam em Niterói.) e) Quando o sujeito é composto por pessoas diferentes, o verbo vai para o plural, de acordo com a pessoa mais importante (a 1ª pessoa é mais importante que a 2ª e a 2ª pessoa é mais importante que a 3ª). Ex1.: Eu, tu e ele viajaremos. Ex2.: Tu e ele viajareis. (vós) Ou Ex3.: Tu e ele viajarão. (vocês) f) Se aparecerem os sujeitos expressos relógio, sino, etc., o verbo concordará com esses sujeitos. Se não aparecerem sujeitos, o verbo concordará coma palavra hora ou horas. Ex1.: Deram doze horas no sino da igreja. (no sino = adjunto adverbial) Ex2.: O sino da igreja deu doze horas. (o sino = sujeito) g) Se o substantivo é um nome próprio usado com artigo plural, o verbo concordará com o artigo. Ex1.: Os Estudos Unidos atacaram o Iraque. Ex2.: O Amazonas fica no norte do país. Ex3.: Os Lusíadas contam a viagem de Vasco da Gama. Ex4.: Os Miseráveis é um clássico de Victor Hugo. (Em nomes de obras, dá-se o singular, quando o verbo “ser” vier seguido de palavra no singular ou se surgir a palavra “livro”). Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  • 3. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex5.: Os Sertões é o livro de Euclides da Cunha. h) Quando aparece nas expressões é muito, é pouco, é suficiente, é bastante, que denotam quantidade, distância, peso etc., o verbo ser fica sempre no singular. Ex1.: Cem metros é pouco. Ex2.: Dois reais é pouco. Ex3.: Dez quilos é suficiente. i) O verbo ser concorda com o predicativo, se o sujeito está representado pelos pronomes interrogativos quem ou que. Ex1.: Quem são os rapazes do curso? Ex2.: Que são as alegrias do trabalho? j) Quando o sujeito for o pronome tudo, o verbo ser concorda com o predicativo. O mesmo ocorre com os sujeitos isto, isso, aquilo. Ex.: Na vida, nem tudo são flores. (Embora seja admissível a outra forma: Tudo é flores) l) Quando o sujeito é o pronome relativo que , o verbo concorda com o termo antecedente do pronome relativo. Por outro lado, quando o sujeito é o pronome relativo quem, o verbo deve ficar, geralmente, na 3ª pessoa do singular, concordando com ele. Porém, são freqüentes os casos em que o verbo concorda com o termo antecedente do pronome relativo quem. Ex1.: Fui eu que escrevi a proposta. Ex2.: Foste tu que escreveste a proposta. Ex3.: Fui eu quem escreveu a proposta. (3ª pessoa do singular) Ex4.: Fui eu quem escrevi a proposta. Ex5.: Fomos nós quem escreveu a proposta. (3ª pessoa do singular) Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  • 4. © 2004 Cintia Cecília Barreto m) Quando o sujeito, que indica quantidade aproximada, é formado de um número plural precedido das expressões cerca de, mais de, menos de, o verbo vai para o plural. Ex1.: Cerca de cem pessoas compareceram ao salão de convenções. Ex2.: Restaram, na reunião, mais de cinco empresários. n) A expressão mais de um deixa o verbo no singular. Se houver idéia de reciprocidade, o verbo vai para o plural. Ex1.: Mais de um aluno chegou atrasado. Ex2.: Mais de um político se criticaram. (idéia de reciprocidade) Ex3.: Mais de um amigo se cumprimentaram. (idéia de reciprocidade) Ex4.: Mais de dois professores elaboraram o simulado. (o verbo, aqui, concorda com o numeral) o) Quando o sujeito é representado por expressão indicativa de porcentagem, o verbo pode concordar com o numeral ou com o substantivo a que se refere a porcentagem. Se o numeral vier com determinantes (artigos, pronomes, etc.), o verbo concordará, obrigatoriamente, com eles. Por outro lado, o verbo concordará com o numeral, quando vier anteposto à expressão de porcentagem. Vale lembrar que com as expressões cerca de, perto de, mais de, menos de, antes da porcentagem, o verbo concordará apenas com a porcentagem. Com 1%, o verbo fica no singular. Ex1.: 20% da população acreditam em suas idéias. Ex2.: 20% da população acredita em suas idéias. Ex3.: 45% dos estudantes acreditam em suas idéias. (Aqui os dois elementos estão no plural, então o verbo só pode ficar no plural) Ex4.: Os 75% da turma querem aula aos sábados. Ex5.: Os comentados 5% da dívida foram pagos ontem. Ex6.: Este 1% dos estudantes estudou pouco crase. Ex7.: Foram importados 60% da produção de biquínis brasileiros. Ex8.: Fizeram a prova, no domingo, 85% dos candidatos. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  • 5. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex9.: Cerca de 30% dos alunos estudaram bastante a gramática. Ex10.: Mais de 1% dos convidados levou presentes ao aniversariante. Ex11.: 1% dos candidatos faltou à prova de hoje. p) Quando o sujeito é representado pelas expressões um e outro e nem um nem outro, o verbo pode ficar no singular ou pode ir para o plural. No entanto, se houver idéia de reciprocidade de ação, o verbo irá para o plural. Ex1.: Um e outro dormia/ dormiam nas aulas da noite. Ex2.: Nem e nem outro dormia/ dormiam nas aulas da noite. Ex3.: Um e outro amigo se abraçavam freqüentemente. (idéia de reciprocidade) Ex4.: Nem um nem outro irmão se agridem mais. (idéia de reciprocidade) q) Quando o sujeito é ligado pela preposição com, o verbo vai para o plural, se houver desejo de indicar a ação de todos os elementos do sujeito. Em contrapartida, o verbo ficará no singular, quando se deseja enfatizar a ação apenas do primeiro elemento do sujeito. Nesse caso, recomenda-se isolar por meio de vírgulas o adjunto adverbial de companhia. Ex1.: A professora com os alunos resolveram as questões da prova anterior. Ex2.: A professora, com os alunos, resolveu as questões da prova anterior. Ex4.: O presidente com os assessores viajaram para a China. Ex5.: O presidente, com os assessores, viajou para a China. r) Sujeito representado por um ou outro, o verbo fica no singular, já que há idéia de exclusão. Ex1.: Um ou outro estudante ganhará o campeonato de xadrez. s) Quando o se é pronome apassivador (também chamado de partícula apassivadora), o verbo concorda com o sujeito paciente. Isso ocorre com os verbos transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos. Portanto, a frase está na voz passiva sintética. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  • 6. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex1.: Aluga-se casa no Itanhangá. (Casa é alugada no Itanhangá – sujeito = casa) Ex2.: Vendem-se casas e apartamentos no Itanhangá. (sujeito= casas e apartamentos) Ex3.: Consertam-se sapatos. Ex4.: Ofereceram-se bolsas de estudo aos melhores alunos do curso. t) Quando o se é índice de indeterminação do sujeito, o verbo fica no singular. Isso ocorre com os verbos transitivos indiretos, intransitivos ou de ligação. Ex1.: Precisa-se de webdesigners. (v. t. i.) Ex2.: Trabalha-se muito aqui. (v. i.) Ex3.: Está-se feliz estudando. (v.l.) Ex4.: Confia-se em professores especializados. (v.t. i.) u) Na indicação de datas, horas e distâncias, o verbo ser concorda com a palavra a que se refere, mesmo sendo impessoal. Ex1.: É meio-dia e meia. Ex2.: É 13h59min. Ex3.: São duas horas da tarde. Ex4.: São 26 de dezembro: dia do meu aniversário, lembra?! Obs.: deve-se perguntar: “Que horas são?” e não “Que horas tem?”. v) A expressão Haja vista admite três possibilidades: com preposição, é invariável; sem preposição, tanto pode ficar no singular quanto concordar com a palavra a que se refere. Ex1.: Haja vista a prova feita. Ex2.: Haja vista aos exercícios propostos. Ex3.: Hajam vista os métodos utilizados. Obs.: haja visto é tempo composto do verbo ver. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.
  • 7. © 2004 Cintia Cecília Barreto Ex.: Espero que os alunos já hajam visto todas as exceções sobre o assunto. (tenham visto) x) Com o verbo parecer + infinitivo, flexiona-se o verbo parecer, e o infinitivo fica invariável ou flexiona-se o infinitivo e o parecer fica invariável. Ex1.: As provas parecem demorar a chegar. Ex2.: As provas parece demorarem a chegar. z) Quando o sujeito vem seguido de aposto resumidor (tudo, nada, ninguém, cada um), o verbo concorda com o aposto. Ex1.: Fiel, carinhoso, divertido, tudo a encantou naquele homem. Ex2.: Festas, passeios, jogos, nada o afastava de seu objetivo de passar naquele concurso. Ex3.: Diretores, coordenadores, professores, ninguém ficou sem dar sua opinião. Este texto está disponível via Internet no endereço http://www.cintiabarreto.com.br Seu uso está sujeito à condição de que ele não pode, por nenhum meio, ser reproduzido em todo ou em parte ou comercializado sem a autorização escrita da autora. Impressão para uso pessoal é permitida assim como o empréstimo para fins de divulgação.