SlideShare uma empresa Scribd logo
MINERAÇÃO NO BRASIL
A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO
OURO E DO DIAMANTE
MINERAÇÃO NO BRASIL
• O início da mineração no Brasil;
• Mudanças sociais e econômicas;
• Atuação da Coroa portuguesa na região
mineira;
• Revoltas ocorridas pela exploração
aurífera;
• Declínio da exploração do ouro;
• As consequências da descoberta do ouro.
MINERAÇÃO NO BRASIL
• Crise do açúcar (“ouro branco”)devido à
concorrência com as Antilhas (de
exploração holandesa) no final do século
XVII.
MINERAÇÃO NO BRASIL
Como resolver essa crise financeira?
• Incentivo às bandeiras;
Tinham como objetivo: a captura de escravos
fugitivos, o aprisionamento de indígenas e a
busca por metais preciosos;
MINERAÇÃO NO BRASIL
• No final do século XVII e início do século
XVIII... os bandeirantes encontram metais
preciosos no Brasil!
MINERAÇÃO NO BRASIL
MINERAÇÃO NO BRASIL
Formas de exploração do ouro:
LAVRA
FAISCAÇÃO
MINERAÇÃO NO BRASIL
• LAVRA: grande extração em jazidas;
exigiam técnicas, ferramentas e muitos
escravos para esse trabalho.
• FAISCAÇÃO: exploração simples feita nos
leitos dos rios, com auxílio da bateia (
bacia rasa, cônica, feita de madeira ou
metal). Praticada por pequeno número
de escravos.
MINERAÇÃO NO BRASIL
Mudanças
• Intensa migração e imigração;
• Aumento na compra de escravos;
• Urbanização;
• Surgiu uma camada social entre os
escravos e os senhores: comerciantes e
profissionais liberais
MINERAÇÃO NO BRASIL
Acima, as
cidades de
Mariana e
Sabará. Ao
lado, Vila Rica.
MINERAÇÃO NO BRASIL
O caminho percorrido
pela busca do ouro,
originou estradas e
ligações importantes
para a ampliação do
território da colônia.
CAMINHO DO OURO ATÉ O
PORTO DO RIO DE JANEIRO
MINERAÇÃO NO BRASIL
• A extração dos metais preciosos como
principal atividade econômica mineira
gerou grande dependência com o
comércio externo (entre capitanias e
importação).
MINERAÇÃO NO BRASIL
Então, o comércio
entre a região
mineradora e o
restante da
capitania foi
intensificado,
promovendo uma
Integração, antes
limitada.
MINERAÇÃO NO BRASIL
Uma das comidas típicas de
Minas Gerais é o Feijão Tropeiro, você sabe
como é feito e porque tem esse nome?
Abastecimento das cidades
• Tropeiros (carregavam alimentos e
outros produtos);
MINERAÇÃO NO BRASIL
Abastecimento das cidades
• Boiadeiros (gado para o transporte do
ouro);
MINERAÇÃO NO BRASIL
• Comboieiros (transporte de escravos);
• A Coroa Portuguesa possuía uma política
rigorosa na fiscalização e exploração do
ouro. Exercendo seu controle por meio
de impostos e órgãos específicos;
• A idéia era explorar ao máximo e investir
pouco;
MINERAÇÃO NO BRASIL
Principais impostos
• Quinto*: um quinto, ou seja, 20% das
riquezas extraídas;
• Capitação: imposto sobre o número de
escravos;
• Derrama: não um imposto, mas a
cobrança através da força do Quinto
atrasado.
MINERAÇÃO NO BRASIL
*Novo valor do Quinto: posteriormente foi estabelecida a
quantidade de 1.500 quilos de ouro.
Órgãos de controle:
• Intendência das Minas: fiscalizava o
controle e distribuição de terras para
exploração e cobrança dos impostos;
• Casa de fundição: para evitar
contrabando, todo o ouro encontrado
era fundido em barras, com o selo da
Coroa. Também era retirado o Quinto.
MINERAÇÃO NO BRASIL
MINERAÇÃO NO BRASIL
Antiga Intendência e Casa de
fundição (Museu do Ouro),
Sabará.
Casa de fundição de Ouro Preto
(MG)
Para não pagar os impostos, uma alternativa
era o contrabando...
• Você já deve ter ouvido falar..
Mas sabe o que significa
“Santo do Pau Oco”?
MINERAÇÃO NO BRASIL
• Provavelmente você já ouviu falar que se
refere a uma pessoa falsa, que não
parece ser o que aparenta..
Mas sabe o seu significado histórico?
MINERAÇÃO NO BRASIL
Pois bem! Uma das maneiras de transportar o
ouro sem passar pelo selo da Coroa na época, era
utilizando imagens de santos ocos.
MINERAÇÃO NO BRASIL
• Após a descoberta das minas no sudeste e centro-
oeste da colônia, a capital transferiu-se de Salvador
para o Rio de Janeiro, essa medida foi para aumentar o
controle administrativo.
• O ouro era transportado através de cavalos e escravos
até o porto da nova capital.
MINERAÇÃO NO BRASIL
Revoltas ocorridas em decorrência da
exploração aurífera e das medidas da
Coroa portuguesa:
• Guerra dos Emboabas – 1708/09
• Revolta de Vila Rica – 1710
• Inconfidência Mineira - 1789
MINERAÇÃO NO BRASIL
Guerra dos Emboabas
MINERAÇÃO NO BRASIL
A Guerra dos
Emboabas foi a
insatisfação dos
paulistas,
que encontraram as
jazidas e acreditavam
ter o
monopólio da
extração, com as
pessoas vindas de
outros
lugares.
Resultados: Portugal interferiu e as consequências foram a criação da
capitania de Minas Gerais e a saída dos paulistas para Goiás
e Mato Grosso, onde também encontraram ouro.
Revolta de Vila Rica
MINERAÇÃO NO BRASIL
A Revolta de Vila Rica,
foi a reação contra a
criação
das Casas de
Fundição, liderados
por Felipe dos
Santos.
Resultados: o movimento foi sufocado pelas tropas reais e seu
líder condenado, executado e esquartejado.
• A exploração contínua levou o ouro a entrar
em crise e ficou difícil pagar as tributações
da Coroa, o risco de sofrer a derrama era
constante.
• Além dessas questões, a proibição de
manufaturas e a crescente dívida com
Portugal motivaram a elite e pensadores a
organizarem o movimento contra essa
política e a favor da independência, a
Inconfidência Mineira.
MINERAÇÃO NO BRASIL
Inconfidência Mineira
MINERAÇÃO NO BRASIL
A insatisfação dos
mineiros com a
exploração da
metrópole fez brotar o
sentimento de
liberdade e
independência.
Inconfidência Mineira
MINERAÇÃO NO BRASIL
O movimento foi realizado por
elementos da elite intelectual e
econômica de Vila Rica, movidos
pelas idéias de liberdade e
autonomia.
Resultados: o movimento foi reprimido violentamente, sendo
os principais líderes presos e degredados, enquanto Tiradentes foi
enforcado para servir de exemplo.
Consequências da mineração no Brasil
• Expansão territorial;
• Crescimento populacional;
• Desenvolvimento do comércio interno;
• Transferência do pólo econômico e social
para o interior;
• Transferência da capital para o Rio de
Janeiro, em 1763;
• Surgimento de cidades;
• Criação da capitania de Minas Gerais.
MINERAÇÃO NO BRASIL
Tropeiro, Comboieiro Boiadeiro
Descoberta
de ouro
Política
Economia
Sociedade
Migração e
imigração
Escravos
Aumento demográfico Urbanização
Comércio
Profissionais liberais
interna
Externa
Exploração de metais
Importação
Comércio
Fiscalização rigorosa
Impostos
Órgãos
Quinto
Capitação
Novo valor do Quinto
Derrama
Intendência das Minas
Casa de Fundição
MINERAÇÃO NO BRASIL
ESQUEMA FINAL
Bibliografia:
APOLINÁRIO, Maria Raquel. Projeto Araribá:
história.
(8º ano). 2 ed. São Paulo: Moderna, 2007
www.historianet.com
www.sohistoria.com
http://www.historiadobrasil.net
http://www.google.com.br/imghp?hl=pt-
BR&tab=wi
MINERAÇÃO NO BRASIL
OBRIGADO PELA SUA ATENÇÃO!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Brasil na época do Ouro

Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Eliphas Rodrigues
 
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradoraO controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradorajessica Nogueira
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02marlete andrade
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilStephani Coelho
 
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil ColonialCiclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil ColonialLeandroDiniz36
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalAlinnie Moreira
 
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.Lara Lídia
 
Revolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos SantosRevolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos Santospoxalivs
 
Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)Marcelo Ferreira Boia
 
5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasil5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasilvaldeck1
 

Semelhante a Brasil na época do Ouro (20)

Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2
 
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradoraO controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
Ouro em minas gerais
Ouro em minas geraisOuro em minas gerais
Ouro em minas gerais
 
Sociedade mineradora
Sociedade mineradoraSociedade mineradora
Sociedade mineradora
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
 
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil ColonialCiclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
 
Sociedade mineradora - Brasil Colonial
Sociedade mineradora - Brasil ColonialSociedade mineradora - Brasil Colonial
Sociedade mineradora - Brasil Colonial
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
 
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
 
Revolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos SantosRevolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos Santos
 
As bandeiras de ouro e diamante
As bandeiras de ouro e diamanteAs bandeiras de ouro e diamante
As bandeiras de ouro e diamante
 
Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)
 
Aula 6
Aula 6Aula 6
Aula 6
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
 
Revoltas coloniais
Revoltas coloniaisRevoltas coloniais
Revoltas coloniais
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE IBRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
 
5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasil5.ciclo do ouro no brasil
5.ciclo do ouro no brasil
 

Último

AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxGraycyelleCavalcanti
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédioifbauab
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]ESCRIBA DE CRISTO
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkLisaneWerlang
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfLeandroTelesRocha2
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetosLeonardoHenrique931183
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorCasa Ciências
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaComando Resgatai
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 

Último (20)

AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 

Brasil na época do Ouro

  • 1. MINERAÇÃO NO BRASIL A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO OURO E DO DIAMANTE
  • 2. MINERAÇÃO NO BRASIL • O início da mineração no Brasil; • Mudanças sociais e econômicas; • Atuação da Coroa portuguesa na região mineira; • Revoltas ocorridas pela exploração aurífera; • Declínio da exploração do ouro; • As consequências da descoberta do ouro.
  • 3. MINERAÇÃO NO BRASIL • Crise do açúcar (“ouro branco”)devido à concorrência com as Antilhas (de exploração holandesa) no final do século XVII.
  • 4. MINERAÇÃO NO BRASIL Como resolver essa crise financeira? • Incentivo às bandeiras; Tinham como objetivo: a captura de escravos fugitivos, o aprisionamento de indígenas e a busca por metais preciosos;
  • 5. MINERAÇÃO NO BRASIL • No final do século XVII e início do século XVIII... os bandeirantes encontram metais preciosos no Brasil!
  • 7. MINERAÇÃO NO BRASIL Formas de exploração do ouro: LAVRA FAISCAÇÃO
  • 8. MINERAÇÃO NO BRASIL • LAVRA: grande extração em jazidas; exigiam técnicas, ferramentas e muitos escravos para esse trabalho. • FAISCAÇÃO: exploração simples feita nos leitos dos rios, com auxílio da bateia ( bacia rasa, cônica, feita de madeira ou metal). Praticada por pequeno número de escravos.
  • 9. MINERAÇÃO NO BRASIL Mudanças • Intensa migração e imigração; • Aumento na compra de escravos; • Urbanização; • Surgiu uma camada social entre os escravos e os senhores: comerciantes e profissionais liberais
  • 10. MINERAÇÃO NO BRASIL Acima, as cidades de Mariana e Sabará. Ao lado, Vila Rica.
  • 11. MINERAÇÃO NO BRASIL O caminho percorrido pela busca do ouro, originou estradas e ligações importantes para a ampliação do território da colônia. CAMINHO DO OURO ATÉ O PORTO DO RIO DE JANEIRO
  • 12. MINERAÇÃO NO BRASIL • A extração dos metais preciosos como principal atividade econômica mineira gerou grande dependência com o comércio externo (entre capitanias e importação).
  • 13. MINERAÇÃO NO BRASIL Então, o comércio entre a região mineradora e o restante da capitania foi intensificado, promovendo uma Integração, antes limitada.
  • 14. MINERAÇÃO NO BRASIL Uma das comidas típicas de Minas Gerais é o Feijão Tropeiro, você sabe como é feito e porque tem esse nome?
  • 15. Abastecimento das cidades • Tropeiros (carregavam alimentos e outros produtos); MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 16. Abastecimento das cidades • Boiadeiros (gado para o transporte do ouro); MINERAÇÃO NO BRASIL • Comboieiros (transporte de escravos);
  • 17. • A Coroa Portuguesa possuía uma política rigorosa na fiscalização e exploração do ouro. Exercendo seu controle por meio de impostos e órgãos específicos; • A idéia era explorar ao máximo e investir pouco; MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 18. Principais impostos • Quinto*: um quinto, ou seja, 20% das riquezas extraídas; • Capitação: imposto sobre o número de escravos; • Derrama: não um imposto, mas a cobrança através da força do Quinto atrasado. MINERAÇÃO NO BRASIL *Novo valor do Quinto: posteriormente foi estabelecida a quantidade de 1.500 quilos de ouro.
  • 19. Órgãos de controle: • Intendência das Minas: fiscalizava o controle e distribuição de terras para exploração e cobrança dos impostos; • Casa de fundição: para evitar contrabando, todo o ouro encontrado era fundido em barras, com o selo da Coroa. Também era retirado o Quinto. MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 20. MINERAÇÃO NO BRASIL Antiga Intendência e Casa de fundição (Museu do Ouro), Sabará. Casa de fundição de Ouro Preto (MG)
  • 21. Para não pagar os impostos, uma alternativa era o contrabando... • Você já deve ter ouvido falar.. Mas sabe o que significa “Santo do Pau Oco”? MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 22. • Provavelmente você já ouviu falar que se refere a uma pessoa falsa, que não parece ser o que aparenta.. Mas sabe o seu significado histórico? MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 23. Pois bem! Uma das maneiras de transportar o ouro sem passar pelo selo da Coroa na época, era utilizando imagens de santos ocos. MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 24. • Após a descoberta das minas no sudeste e centro- oeste da colônia, a capital transferiu-se de Salvador para o Rio de Janeiro, essa medida foi para aumentar o controle administrativo. • O ouro era transportado através de cavalos e escravos até o porto da nova capital. MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 25. Revoltas ocorridas em decorrência da exploração aurífera e das medidas da Coroa portuguesa: • Guerra dos Emboabas – 1708/09 • Revolta de Vila Rica – 1710 • Inconfidência Mineira - 1789 MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 26. Guerra dos Emboabas MINERAÇÃO NO BRASIL A Guerra dos Emboabas foi a insatisfação dos paulistas, que encontraram as jazidas e acreditavam ter o monopólio da extração, com as pessoas vindas de outros lugares. Resultados: Portugal interferiu e as consequências foram a criação da capitania de Minas Gerais e a saída dos paulistas para Goiás e Mato Grosso, onde também encontraram ouro.
  • 27. Revolta de Vila Rica MINERAÇÃO NO BRASIL A Revolta de Vila Rica, foi a reação contra a criação das Casas de Fundição, liderados por Felipe dos Santos. Resultados: o movimento foi sufocado pelas tropas reais e seu líder condenado, executado e esquartejado.
  • 28. • A exploração contínua levou o ouro a entrar em crise e ficou difícil pagar as tributações da Coroa, o risco de sofrer a derrama era constante. • Além dessas questões, a proibição de manufaturas e a crescente dívida com Portugal motivaram a elite e pensadores a organizarem o movimento contra essa política e a favor da independência, a Inconfidência Mineira. MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 29. Inconfidência Mineira MINERAÇÃO NO BRASIL A insatisfação dos mineiros com a exploração da metrópole fez brotar o sentimento de liberdade e independência.
  • 30. Inconfidência Mineira MINERAÇÃO NO BRASIL O movimento foi realizado por elementos da elite intelectual e econômica de Vila Rica, movidos pelas idéias de liberdade e autonomia. Resultados: o movimento foi reprimido violentamente, sendo os principais líderes presos e degredados, enquanto Tiradentes foi enforcado para servir de exemplo.
  • 31. Consequências da mineração no Brasil • Expansão territorial; • Crescimento populacional; • Desenvolvimento do comércio interno; • Transferência do pólo econômico e social para o interior; • Transferência da capital para o Rio de Janeiro, em 1763; • Surgimento de cidades; • Criação da capitania de Minas Gerais. MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 32. Tropeiro, Comboieiro Boiadeiro Descoberta de ouro Política Economia Sociedade Migração e imigração Escravos Aumento demográfico Urbanização Comércio Profissionais liberais interna Externa Exploração de metais Importação Comércio Fiscalização rigorosa Impostos Órgãos Quinto Capitação Novo valor do Quinto Derrama Intendência das Minas Casa de Fundição MINERAÇÃO NO BRASIL ESQUEMA FINAL
  • 33. Bibliografia: APOLINÁRIO, Maria Raquel. Projeto Araribá: história. (8º ano). 2 ed. São Paulo: Moderna, 2007 www.historianet.com www.sohistoria.com http://www.historiadobrasil.net http://www.google.com.br/imghp?hl=pt- BR&tab=wi MINERAÇÃO NO BRASIL
  • 34. OBRIGADO PELA SUA ATENÇÃO!