SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
2 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

                                                    Poesia                                                              Josinel B.
DIÁRIO DA REGIÃO
                                                SAUDADE
                                                                                                                        Carmona                         11  Rubens Cardia

                                                A saudade é uma andorinha,
                                                mas uma andorinha estranha:
                                                quando num peito se aninha,
                                                as outras não acompanha…
                                                Saudade - coisa que a gente
 Editor-chefe                                   não explica nem traduz;
 Fabrício Carareto
 fabricio.carareto@diarioweb.com.br             faz do passado, presente,
 Editora-executiva
                                                e traz sombras, sendo luz…
 Rita Magalhães                                 Saudade - febre que a gente
 rita.magalhaes@diarioweb.com.br
                                                sem querer, pode apanhar,
 Coordenação
 Ligia Ottoboni                                 nunca mata de repente,
 ligia.ottoboni@diarioweb.com.br                vai matando, devagar…
 Editor de Bem-Estar e TV                       Saudade - a princípio é pena                                            Psicólogo escreve sobre a importância
 Igor Galante
                                                que nos deixa uma partida;                                              de enfrentarmos o egoísmo e
 igor.galante@diarioweb.com.br
                                                                                                                        aprendermos a doar presença, a
 Editora de Turismo
                                                depois é dor que condena                                                devolver os cuidados que recebemos
 Cecília Demian                                 a morrer dentro da vida…
 cecilia.demian@diarioweb.com.br
                                                se é triste sentir saudade,
 Editor de Arte
 César A. Belisário                             muita saudade de alguém,
                                                                                                                        Televisão
                                                                                                                                                        14
 cesar.belisario@diarioweb.com.br               maior infelicidade
 Diretora Superintendente                       é não tê-la de ninguém.
 Rosana Polachini
 rosana.polachini@diarioweb.com.br                          Adelaide (Yde) Schloenbach Blumenschein
                                                                                                                                                   Luiza Dantas/Divulgação
 Pesquisa de fotos
 Mara Lúcia de Sousa

 Diagramação
                                                    Editorial
 Cristiane Magalhães

 Tratamento de Imagens
 Arthur Miglionni, Humberto




                                                Transformação é
 Pereira e Luciana Nardelli

 Matérias
 Agência Estado
 Agência O Globo
 TV Press




                                                aperfeiçoamento
                                                   Converse mais consigo mesmo. Você pode ter muito a
                                                aprender (ou a descobrir) com o “carinha” que mora aí
                                                                                                                        Aos 73 anos de idade, 54 de televisão,
                                                dentro. O exercício do diálogo interno é o primeiro passo               Jonas Bloch ainda mostra vigor na pele
                                                para a busca de autoconhecimento, que, por sua vez, é a                 de um chefão na novela “Máscaras”
                                                base para a transformação pessoal, tema da reportagem de
                                                capa deste domingo. Entenda a transformação, na verdade,
                                                                                                                        Turismo
                                                como um aperfeiçoamento (afinal, não é para isso que
                                                existimos, para evoluir em todos os campos, inclusive o
                                                espiritual?). O processo que nos conduzirá ao estágio de
                                                seres humanos melhores passa pelo reconhecimento de
                                                                                                                                                        24
                                                                                                                                                Agência O Globo/Divulgação


                                                nossos defeitos, e, a partir disso, começar a erradicá-los a
                                                fim de que eles não mais aprisionem nossas virtudes.


                                                                                    crianças, imunização de adultos é
                                                COMPORTAMENTO                       capaz de erradicar ou controlar
                                                Crianças e adultos viciados em      diversas doenças como sarampo
                                                internet, que não conseguem se      e poliomelite, entre outras
                                                desconectar do universo on-line,    Páginas 8 e 9
                                                precisam passar por uma “dieta
                                                digital” e redescobrir o convívio   EVENTO
                                                social, defente autor canadense     Especialistas do Brasil e do
                                                Páginas 6 e 7                       mundo discutem as novas
                                                                                    técnicas da ortodontia em           Tel Aviv, Jerusalém, Mar Morto e
                                                SAÚDE                               congresso na Capital                Cesareia: a história viva de Israel,
                                                Menos bem-sucedida do que em        Página 10                           viagem inesquecível
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 3

  Esoterismo




PRINCÍPIOS
DA HARMONIA
Se quisermos transcender, precisamos fazer uma promessa a nós
mesmos: em todas as circunstâncias, cooperar com o mais elevado

 José Trigueirinho Netto                         cooperar com o mais elevado. O que então re-      para o universo. Até mesmo a intenção de
                                                 conhecermos como superior receberá nossa          criar harmonia se transmite, e a humanidade
     Sempre que trabalhamos em grupo, é me-      adesão. E assim vamos nos adaptando a ou-         inteira pode responder, cada indivíduo a par-
 lhor confirmar entre nós os pontos concor-      tra ordem de vida, vamos captando uma no-         tir do ponto evolutivo em que está.
 dantes e não os divergentes. Esse é um signi-   va e mais ampla razão para a existência. Va-          Se temos verdadeira aspiração de vencer
 ficativo princípio para estar em harmonia. E    mos subindo até ver quão pequenos eram os         fronteiras, podemos passar por um processo
 a ele devemos acrescentar a disposição de ir    motivos que antes tínhamos para viver. Mas        libertador, pois hoje energias imateriais co-
                                                                                                   meçam a atuar na esfera terrestre, e isso se re-
 além do que somos, a intenção de colaborar      é bom que se diga: temos de deixar de lado        flete nos seres humanos. Podemos viver sob
 com energias superiores. Assim promove-         todas as resistências ao progresso para coope-    leis imateriais, ver nascer em nós faculdades
 mos de maneira efetiva a evolução do serviço    rar com o que está acima.                         inusitadas. E o primeiro passo para isso é
 que prestamos.                                      Reconhecermo-nos parte do Infinito é          não considerar as próprias resistências e pro-
     É nossa responsabilidade a construção da    um desafio. Temos de lembrar que cada pen-        curar a harmonia.
 harmonia no âmbito humano, porém tendo          samento nosso, cada sentimento, cada movi-            É possível, pois, participar consciente-
 em vista o universo. Para chegarmos a com-      mento e cada respiração influem na vasti-         mente da evolução. É possível melhorar o
 preender isso, foram-nos dados através dos      dão que é o Infinito. Essa influência existe,     destino do planeta, aliviar o sofrimento dos
 tempos ensinamentos, inspirações e o exem-      mesmo que dela não tenhamos a mínima no-          reinos da natureza e estimular o desenvolvi-
 plo de grandes benfeitores da humanidade.       ção. Mas o cuidado com o que emitimos é           mento, bastando que predomine em nós a de-
 Sempre fomos informados de que a vida é         fundamental para uma integração positiva e        voção aos princípios da harmonia. I
 una e de que somos parte do Infinito. Temos     consciente.                                       Serviço
 necessariamente de estar em harmonia com            Diz-nos Morya que, se um ser humano           Extraído do boletim “Sinais de Figueira” (Irdin Editora), de
 tudo que nos cerca. Mas como viver essa rea-    consegue um pensamento de qualidade, na-          Trigueirinho (www.trigueirinho.org.br). Palestras do autor
 lidade com todo o ser?                          quele mesmo instante presta ajuda a alguém        poderão ser ouvidas, gratuitamente, no site:
                                                                                                   www.irdin.org.br, ou no grupo de estudos, que se reúne
     Se quisermos transcender nossa atual eta-   que pode estar do outro lado do mundo. Há         às quintas-feiras, às 20 horas, na rua Porfírio Pimentel,
 pa, precisamos fazer um voto, uma promessa      uma constante comunicação entre todos.            55, Bom Jesus (2ª travessa acima da Av. Alberto Andaló).
 a nós mesmos: em todas as circunstâncias,       Nossas realizações são de suma importância        Mais informações: dgalviolli@gmail.com




                                                                                                            Quem é
                                                                                                                  José Trigueirinho Netto é
                                                                                                            filósofo espiritualista, autor de
                                                                                                            77 livros, com cerca de 2,5
                                                                                                            milhões de exemplares
                                                                                                            publicados até o momento, e
                                                                                                            mais de 1,7 mil palestras
                                                                                                            gravadas ao vivo
4 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

    Autoconhecimento




REFORMA
ÍNTIMA
Viemos ao mundo para crescer
e fazer a diferença. Mas a
mudança começa dentro de nós

Gisele Bortoleto
gisele.bortoleto@diarioweb.com.br



    Dalai Lama, o mais alto sacerdote do budismo ti-
betano, disse certa vez: “Se você quer transformar o
mundo, experimente primeiro promover seu aper-
feiçoamento pessoal e realizar inovações no seu pró-
prio interior. Essas atitudes se refletirão em mudan-
ças positivas no seu ambiente familiar. Deste ponto
em diante, as mudanças se expandirão em propor-
ções cada vez maiores. Tudo o que fazemos produz
efeito, causa algum impacto.”
    Mas como é possível ser diferente do que somos
hoje no mundo atual diante de inúmeras situações
negativas que parecem delinear a cada dia a forma
como conduzimos nossa existência?
    A chave para essa transformação certamente é a
mudança profunda na consciência e na postura a
partir do seu interior.
    O primeiro passo para nossa transformação ínti-
ma é passarmos a nos auto-observar e nos reconhe-
cermos imperfeitos. Mas essa viagem interior que le-
va ao autoconhecimento requer muito diálogo inter-
no, seja para identificar nossas crenças, as máscaras
que foram criadas para nos proteger, compreensão
da sombra, para depois sim, conseguirmos encon-
trar o verdadeiro eu, aquilo que somos em essência,
e que sempre é muito melhor daquela pessoa que
nos fizeram acreditar que éramos.
    Mas para atingirmos este estágio é preciso com-
prometimento em querer realmente se conhecer,
sem medos, resistências, boicotes, para que possa-
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 5
      mos atingir um estágio de paz e harmo-
      nia interna que todos ansiamos. Autoco-
      nhecimento é a base para alcançarmos a
                                                     no mestre, dentro e fora de si.
                                                         “A reforma íntima é o meio de nos li-
                                                     bertarmos das imperfeições e de fazer-
                                                                                                     Busca de propósito
      sabedoria que irá permitir essa transfor-      mos objetivamente o trabalho de burila-
      mação. E transformar é dar nova forma,         mento dentro de nós, conduzindo-nos                 “Um processo de transfor-              ontem já passou e nem sabe-
      tornar diferente do que era, modificar.        compativelmente com as aspirações que           mação depende de um desejo                 mos se haverá amanhã e, dessa
          Ney Prieto Peres, diretor fundador         nos levam ao aprimoramento do nosso             real. Se a transformação é física          forma, conseguimos começar a
      do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psi-      espírito”, justifica Peres. Essa reforma        ou mental, o importante é que              trabalhar a mente e a autoesti-
      cobiofísicas (IBPP), fala no livro “Ma-        precisa ser feita primeiramente dentro          ela tenha um sentido para a pró-           ma”, argumenta.
      nual Prático do Espírita” (Ed. Pensamen-                                                       pria pessoa”, diz o psicólogo                  Segundo ele, temos de pre-
                                                     de nós mesmos, o que se refletirá depois
      to) que uma reforma íntima vai nos levar                                                       cognitivo-comportamental Ale-              parar nossa mente para acredi-
                                                     em todos os campos de nossa existência,         xandre Cáprio.
      a essa transformação. Trata-se de um pro-                                                                                                 tar que podemos viver bem den-
      cesso contínuo de autoconhecimento, de         no nosso relacionamento com familia-                Toda alteração cognitiva e             tro das possibilidades e trans-
      conhecimento da nossa intimidade espi-         res, colegas de trabalho, amigos.               comportamental que esteja den-             formar essa mente muitas ve-
      ritual, modelando-nos progressivamente             Carregamos defeitos que aprisionam          tro do conceito de evolução da             zes acomodada em uma mente
      na vivência do evangelho, em todos os          nossas virtudes, nos tornando muitas ve-        pessoa cria uma cadeia de efei-            produtiva, empreendedora. Is-
      sentidos da nossa existência. É a              zes medíocres, egoístas, vaidosos, orgu-        tos positivos. A motivação, au-            so é um exercício diário. Fo-
      transformação do homem velho, car-             lhosos, fúteis e materialistas. É preciso       toestima e aceitação social au-            mos colocados neste mundo pa-
      regado de tendências e erros secula-           fazer uma verdadeira faxina interna, eli-       mentam, o que faz com que a vi-            ra sermos felizes e temos de
      res, no homem novo, atuante na im-             minando tudo o que nos afasta da nossa          da se torne mais atraente e le-            transformar o que nos faz infeli-
      plantação dos ensinamentos do divi-            evolução.                                       ve. Mudar para melhor, ressal-             zes. “Assim como a lagarta que
                                                                                                     ta, é aceitar nosso processo de            se transforma em uma linda
                                                                                                     evolução. É entender que não               borboleta antes tem uma cami-
                                                                                                     nascemos sabendo tudo e não                nhada, precisamos entrar em
                                                                                                     morreremos sabendo tudo. Tra-              um casulo para levar nossa
                                                                                                     ta-se de buscar sempre mais, de            mente à reflexão e transformar
                                                                                                     ter a ambição, o desejo de me-             nosso pensamento”, diz Sales.
                                                                                                     lhorar todos os dias, como se                  Para que ocorra essa
                                                                                                     fôssemos eternos aprendizes. O             autotransformação, é preciso,
                                                                                                     mais importante é que aprovei-             em primeiro lugar, uma mu-
                                                                                                     temos cada oportunidade ou ca-             dança de consciência”, reforça
                                                                                                     da problema que surja em nos-              a socióloga Luciana Ferraz,
                                                                                                     so caminho para construir essa             coordenadora da Brahma Ku-
                                                                                                     escada que nos projetará cada              maris, organização internacio-
                                                                                                     vez mais alto.                             nal que trabalha pela paz mun-
                                                                                                         “Viemos com um propósito               dial por meio da transformação
                                                                                                     de vida e um dos grandes desa-             pessoal. É preciso entender que
                                                                                                     fios que enfrentamos é desco-              não somos um corpo, mas que
                                                                                                     brir qual é ele”, diz a professor          temos um corpo, que é um ins-
                                                                                                     de ioga e meditação Salvador               trumento de ação e um veículo
                                                                                                     Hernandes. E essa descoberta               de expressão. Portanto, a felici-
                                                                                                     se faz por meio das fases. Vá-             dade, a paz, o amor não virão
                                                                                                     rias filosofias trabalham com a            através dele. “O corpo é um veí-
                                                                                                     ideia de que a cada período o              culo, mas nós somos o motoris-
                                                                                                     ser humano passa por uma fase              ta”, diz.
                                                                                                     de transformação, e essas fases                Temos de entender tam-
                                                                                                     acabam proporcionando opor-                bém que fazemos parte de algo
                                                                                                     tunidades de crescimento.                  maior, de uma família univer-
                                                                                                     “Em cada uma das fases, desen-             sal e estender nossa visão para
                                                                                                     volvemos um determinado as-                o outro. “Tudo está interligado
                                                                                                     pecto, passamos por minados                e o que acontece comigo”, res-
                                                                                                     desafios e em cima disso temos             salta, “acontece com o outro,
                                                                                                     a oportunidade de nos transfor-            portanto, não posso ser feliz so-
                                                                                                     mar, fazer nossas conquistas e             zinho. Para que o mundo possa
                                                                                                     atingir a felicidade”, diz. É isso         melhorar, temos de estender
                                                                                                     o que move o ser humano.                   nossa visão.”
                                                                                                         “O ser humano a cada dia                   Outra questão que tem de
                                                                                                     tem se tornado mais egoísta e              ser compreendida segundo ela
Da lagarta à borboleta                                                                               acredita no que é negativo e               é que, assim como cada um de
                                                                                                     que as coisas convergem para               nós tem sua casa, existe uma ca-
      Trabalhe sua mente. Toda vez que surgir uma   não aceitarem, se afaste                         baixo”, diz o consultor e escri-           sa maior, que é o planeta e, e se
ideia negativa, rejeite. Tenha em mente que você         Procure a companhia de pessoas positivas,   tor Marilam Sales, autor de li-            não cuidarmos dela, algo catas-
nasceu para ser feliz                               que você goste, que o coloquem para cima e o     vros como “Eu Quero” (ed. All              trófico irá acontecer com o
                                                    levem para o crescimento                         Print). Para que isso não acon-            mundo e destruir a todos nós.
    Trabalhe sua felicidade interior
                                                                                                     teça, é preciso transformar nos-           “Para isso, é preciso que haja
                                                         Faça aquilo que gosta. Se não gosta, se     sa mente, a parte predominan-              uma mudança de estilo de vi-
     Acredite que você pode ser feliz. Não se       esforce e, se não funcionar, procure outras
una a pessoas negativas. Se isso acontecer,                                                          te da nossa alma, acordar de               da. Precisamos viver de for-
                                                    coisas que o agradem
irá se tornar mais negativo que elas. Tente                                                          manhã e acreditar que esse se-             ma mais simples e natural e
ajudá-las a se tornar mais positivas. Se elas       Fonte: Marilam Sales                             rá o melhor dia de nossas vi-              desenvolver a ética do cuida-
                                                                                                     das. “Precisamos saber que o               do”, diz. I                 (GB)
6 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

    Comportamento




OBESIDADE
DIGITAL
Você não consegue se desconectar da internet
e enxerga a vida só através da tela de um
computador? Está na hora de fazer uma “dieta”
Jéssica Reis                                         tar irritação, agressividade e violên-
jessica.reis@diarioweb.com.br
                                                     cia diante da frustração de não poder
                                                     usar o computador.
    O excesso do uso de tecnologias                      O vício e a dependência pode cau-
pode transformar as pessoas em obe-                  sar outros problemas, como para a
sos virtuais. Parece exagero, mas é                  saúde física e mental, segundo a psi-
exatamente isso que o segundo livro                  cóloga Veruska Marques de Almei-
do canadense Daniel Sieberg “Digi-                   da. “Um exemplo é o sedentarismo,
tal Diet” (Dieta Digital) afirma. Se-                que ocorre quando a pessoa deixa
gundo o autor, abusar dos bits e                     de praticar exercícios para passar
bytes pode causar obesidade digital.                 mais horas na internet. Esses casos
Ele propõe um programa em quatro                     têm maior incidência em crianças
etapas para acabar com a dependên-                   e adolescentes que utilizam estes
cia e encontrar o equilíbrio.                        recursos como forma de se dis-
    De acordo com Sieberg, a obesi-                  trair”, afirma. O convívio social e
dade digital apresenta alguns sin-                   familiar também podem ser com-
tomas, como não conseguir se des-                    prometido com o uso excessivo da
grudar da internet e perder a cone-                  internet.
xão com o mundo.                                         Para a especialista, é fundamental
                                                     se desligar do virtual para se conectar
    Essa obsessão por estar o tempo
                                                     com a vida, com as pessoas. “É impor-
todo conectado já tem nome: “Fo-
                                                     tante passar um tempo com os ami-
mo”, sigla em inglês para “Fear of                   gos, familiares, dar atenção às pes-
missing out” (medo de perder algu-                   soas com quem convivemos, nos rela-
ma coisa). É uma sensação que as pes-                cionarmos com o outro sem que isso
soas têm de que, se não estiverem co-                seja por meio virtual. O ideal seria
nectadas com o mundo virtual, po-                    uma administração do tempo: reser-
dem perder as fofocas, festas, notí-                 var tempo para o relacionamento fa-
cias, entre outras coisas nem sempre                 miliar, o relacionamento social e até
importantes.                                         o virtual”, recomenda Veruska.
    A psicóloga Sylvia Van Enck, co-                     Sylvia diz que, normalmente, a
laboradora do Pró-AMITI do Nú-                       pessoa pode tentar de alguma for-         Depois de tentar impor limites no
cleo de Dependência de Internet do                   ma controlar esse uso. Por exem-          uso do computador, sem muito
Instituto de Psiquiatria do Hospital                 plo, fazendo uma agenda para que          sucesso, Rosimeire Ferreira Silva,
das Clínicas, em São Paulo, diz que                  ela possa organizar a rotina e abrir      41, resolveu tomar uma atitude
é possível identificar o uso excessivo               espaço para as demais atividades.         mais radical. “Eu desliguei
de internet como dependência quan-                   “Mas quando ela não consegue is-          totalmente o computador. Sei que
do a pessoa passa a usar essa ferra-                 so e passa a ser a única atividade        é importante, mas eles vão ficar
menta de maneira que prejudique a                    que a pessoa exerce no seu período        um tempo sem até entenderem
vida pessoal, o trabalho, os estudos,                do dia ou da noite, então nós pode-       que ná é brincadeira, é coisa séria”
as relações de amizade. Os depen-                    mos considerar como alguém ne-
dentes de internet podem apresen-                    cessitando mesmo de ajuda.”
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 7


                           Como é o tratamento                                                      Quatro passos
                                                                                                    da dieta digital
                               A psicóloga Silvana Parrei-     se atendimento tem uma pro-
                           ra de Jesus explica que esse ti-    posta de 18 semanas consecuti-            1º Não usar smartphone, tablet ou acessar as redes
                           po de dependência precisa de        vas, em que são trabalhados os       sociais como o Facebook e Twitter, por um ou dois dias. O
                           tratamento. “Em relação aos ví-     aspectos de conscientização do       objetivo é avaliar como a tecnologia domina seu dia a dia e o
                           cios tecnológicos, hoje é deno-     uso da internet”, explica.           impacto que tem em suas relações interpessoais
                           minado de “Nomofobia”, uma              A psicóloga diz que as pes-
                           fobia ou sensação de angústia       soas em tratamento gradativa-             2º Faça um balanço do número de gadgets, redes
                           que surge quando alguém se          mente percebem o que elas es-        sociais e blogs que acessa. A dica é guardar tudo em uma
                           sente impossibilitado de se co-     tão deixando de viver enquan-        caixa por um dia, esse tempo deve ser gasto para fazer uma
                                                                                                    coisa de cada vez, por exemplo, ouça música sem fazer mais
                           municar por uma aparelho ce-        to estão conectadas, e o que, de
                                                                                                    nada
                           lular ou aparelho móvel.            alguma maneira, facilita essa
                           Quando percebemos que esse          busca para o computador. O tra-           3º Restabeleça relações pessoais que possam ter sido
                           vício ou fobia atrapalha ao         balho desenvolvido no HC ain-        afetadas de alguma maneira pelo uso da tecnologia. A partir
                           ponto de pessoas se comunica-       da faz com as pessoas vejam co-      desse passo, pode começar a reintroduzir a tecnologia aos
                           rem mais por meio das redes         mo estão de se refugiando de al-     poucos
                           sociais do que pessoalmente,        guma dificuldade maior que te-
                           é necessário tratamento psico-      nham, usando o computador                4º Incorpore as tecnologias que sejam realmente
                           lógico terapêutico”, diz.           como forma de alívio e prazer.       necessárias e algumas que ajudam a gerenciar a sua vida.
                               O Hospital das Clínicas, em     Assim, os dependentes de in-         Uma recomendação de Sieberb é sempre se livrar de algo
                           São Paulo, criou um programa        ternet podem identificar com-        quando adquirir um serviço ou objeto novo
                           para o tratamento da dependên-      petências, novos interesses e
                                                                                                    Fonte: Daniel Sieberg, autor do livro “The Digital Diet”
                           cia de internet. Segundo a psi-     abrir o caminho para outras
                           cóloga Sylvia Van Enck, o pro-      áreas da vida. “O papel da fa-
                           grama atende adultos, adoles-       mília é muito importante,
                           centes e os pais de adolescen-      por esse motivo fazemos o
                           tes. No HC, as pessoas que pre-
                           cisam de ajuda falam da dificul-
                           dade que estão tendo com a in-
                                                               acompanhamento da famí-
                                                               lia”, afirma Sylvia.
                                                                   As informações sobre o tra-
                                                                                                  Conexão ‘de berço’
                           ternet. “A pessoa, tendo interes-   tamento de dependência de in-
                           se, marca uma triagem, depois       ternet do Hospital das Clínicas        A nova geração de crianças                  Segundo a especialista, os pais
                           formamos grupos que são aten-       podem ser acessadas no site        e adolescentes já nasceram co-             podem colocar limites nos filhos.
                           didos uma vez por semana, no        www.dependenciadeinternet.         nectadas. Hoje, é comum ver                Por exemplo, limitar o uso em al-
                           HC, e lá eles passam por uma        com.br. Na página, os interessa-   crianças pequenas que já sa-               gumas situações, como ir para a es-
                           avaliação psiquiátrica e psicoló-   dos podem agendar um horário       bem utilizar o computador,                 cola e não levar o celular, ou levar -
                           gica para serem encaminhados        para consulta. O tratamento é      mesmo que seja apenas para jo-             mas na condição de que seja usado
                           para o tratamento de grupo. Es-     gratuito.                   (JR)   gar, ou utilizar o celular para fa-        nos intervalos ou no momento em
                                                                                                  lar com os pais e enviar mensa-            que a escola permite.
                                                                                                  gens para os amigos. O proble-                  A psicóloga Silvana Parreira
                                                                                                  ma é que, nesse caso, as crian-            de Jesus complementa dizendo
                                                                                                  ças precisam que os pais moni-
                             ‘Precisei desligar’                                                  torem o uso excessivo das tec-
                                                                                                  nologias para que eles não se-
                                                                                                  jam as novas vítimas da depen-
                                                                                                                                             que os pais devem fazer com que
                                                                                                                                             as crianças utilizem as tecnologias
                                                                                                                                             para reais necessidades, que não fa-
                                                                                                                                             çam uma troca com a comunica-
                                                                                                  dência de internet.                        ção visual, isto é, na relação com o
                                 A empresária Rosimeire        ce da vida quando está conec-          A psicóloga Veruska Marques
                             Ferreira Silva, 41, sabe bem      tada, e eu desliguei totalmen-                                                outro. “Para os atuais viciados nes-
                                                                                                  de Almeida afirma que a nova ge-           sa tecnologia, oriento que bus-
                             o que é impor limites aos fi-     te o computador. Eu sei que        ração tem acesso maior às tecnolo-         quem tratamento desse vício e as-
                             lhos quando se trata de inter-    é importante para aprender,        gias. “As crianças que estão nas-
                                                                                                                                             sim modifiquem os comportamen-
                             net. A filha mais velha, Julia-   fazer pesquisas escolares,         cendo conhecem estes aparelhos
                                                                                                                                             tos, não ficando tão dependentes e
                             ni Vitória Silva, 8, pediu que    mas eles vão ficar sem até en-     tecnológicos cedo como os brin-
                                                                                                  quedos da infância. Entretanto, de-        prejudicando sua vida e seu círcu-
                             ela comprasse um computa-         tenderem que não é brinca-                                                    lo social”, recomenda.
                                                               deira, é coisa séria. No come-     vemos nos lembrar que é possível
                             dor. O pedido foi atendido.                                          viver sem essas tecnologias. O                  A orientação de Sylvia é que as
                             “Ela começou a deixar de fa-      ço ela não gostou, mas de-                                                    crianças possam usar a internet
                                                               pois acabou concordando”,          ideal é policiar nossos hábitos na
                             zer os deveres escolares para                                        utilização desses recursos para que        em determinados momentos e in-
                                                               diz a mãe.                                                                    tercalar com atividades como es-
                             entrar no Facebook. Colo-                                            continuem facilitando nosso dia a
                                                                   Rosimeire lembra que                                                      porte, tempo para os estudos. “O
                             quei o limite de que ela só                                          dia, sem nos prejudicar”, alerta.
                                                               até o filho mais novo, o pe-                                                  que nós percebemos é que quando
                             iria entrar de sábado e do-                                              Para a psicóloga Sylvia Van
                                                               queno Otávio Miguel Silva,                                                    chega nesse uso abusivo o contro-
                             mingo, quando estou em ca-                                           Enck, existe uma preocupação em
Edvaldo Santos 30/7/2012




                                                               4, já sabe ligar o computador      relação ao uso desmedido e sabe-           le fica muito difícil e as pessoas aca-
                             sa e posso ver com quem ela       para jogar. Para a empresá-        se que uma das causas do incenti-          bam se distanciando do convívio
                             conversa”, conta.                 ria, as crianças aprendem                                                     familiar, e os pais, para evitar con-
                                                                                                  vo é a compra dos celulares. “A
                                 Mas Juliani não obede-        com muita facilidade e os                                                     frontos, acabam cedendo. O im-
                                                                                                  maioria dos jovens e grande parte
                             ceu a mãe e continuou a aces-     pais precisam impor limites        das crianças já tem o seu celular,         portante seria manter o computa-
                             sar a rede social e deixar os     para que o acesso à internet       com todos esses acessos, e isso é          dor num ambiente que seja co-
                             estudos de lado. “Ela conti-      não se torne um problema           um motivo de preocupação por-              mum à família, para que os pais
                             nuou desobedecendo, esque-        no futuro.                 (JR)    que acaba gerando apego, depen-            possa monitorar o que os filhos es-
                                                                                                  dência”, diz.                              tão acessando.” I                 (JR)
8 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

  Saúde




ADULTOS
VACINADOS
Vacinação infantil no Brasil
                                                                         Elen Valereto                     ta. O problema, no entanto,
é exemplar, o problema                                                   elen.valereto@diarioweb.com.br
                                                                                                           não é exclusivo do Brasil, e foi
                                                                                                           tema de discussão da Socieda-
está no convencimento                                                        Em gotinhas ou em inje-       de Brasileira de Imunização
                                                                         ções, doses de saúde têm sido     (SBIm), na 14ª Jornada Nacio-
dos mais velhos                                                          disponibilizadas em todo o        nal de Imunizações, em Salva-
                                                                         mundo para imunizar a popu-       dor, Bahia, no mês passado.
                                                                         lação, na procura de prevenir e       A abordagem tem seus mo-
                                                                         erradicar várias doenças. Em-     tivos. A cobertura vacinal em
                                                                         bora os estudos não tenham pa-    crianças e adolescentes tem
                                                                         rado para obter novas desco-      atingido números muito posi-
                                                                         bertas nessa área, uma batalha    tivos devido às campanhas e
                                                                         paralela é manter a               parcerias feitas em toda a socie-
                                                                         conscientização nas pessoas so-   dade para promover e oferecer
                                                                         bre a importância de manter a     cada vez mais pontos de distri-
                                                                         vacinação sempre em dia.          buição de vacinas.
                                                                             A preocupação é em razão          O assunto chega às casas pe-
                                                                         da cultura de “esquecer” ou       la televisão, revistas, pelo rá-
                                                                         não achar necessárias as vaci-    dio, jornais, de boca em bo-
                                                                         nas de reforço ou indicadas es-   ca, no carro de som do bair-
                                                                         pecificamente para a fase adul-   ro e por informação de pro-
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 9

 fissionais de saúde. A dedicação          se canal de divulgação, uma vez            SBIm, a Organização Mundial da             ro levantou uma bandeira contra a
 para manter as crianças vacina-           que os próprios profissionais de           Saúde (OMS) evita 3 milhões de             vacinação, reconhecendo a impor-
 das e imunes a doenças que cau-           saúde são o conato direto para             mortes todos os anos com as medi-          tância da imunização.
 savam sérios problemas à saúde            informar e mostrar a necessida-            das preventivas da vacinação. No
 pública é exemplar, o que não             de da vacinação.                           entanto, a organização chama a                  Estratégias
 acontece, contudo, com os pró-                 A imunização também dos adul-         atenção para esses espaços criados
 prios adultos.                            tos é uma forte ferramenta para garan-     pela população, o que pode abrir               O profissional de saúde está ha-
     As medidas preventivas para a         tir a erradicação de doenças como a va-    caminho para o retorno de doen-            bilitado a observar o calendário va-
 saúde são deixadas de lado e substi-      ríola e o controle do sarampo, polio-      ças como o sarampo.                        cinal das pessoas e indicar uma
 tuídas pelas horas de trânsito, traba-    mielite, rotavírus, entre outras. “Man-        A pediatra Isabella Ballalai           atualização de vacinas. Esse proce-
 lho, horas extras e cursos para bus-      ter a caderneta atualizada não é para      lembra que, décadas atrás, doen-           dimento ajuda a diminuir
 car uma promoção profissional. A          proteger apenas um, mas em relação à       ças como poliomielite, rubéola, té-            o número de adultos com vaci-
 saúde, que é a responsável por man-       proteção de todo um grupo. Quanto          tano, difteria e sarampo causavam          nas atrasadas.
 ter toda essa disposição e empenho,       mais pessoas mantêm-se vacinadas,          muitas enfermidades, hospitaliza-              Algumas campanhas de saúde
 nunca é prioridade. A verdade é que       menor a chance da circulação de agen-      ções, deixavam sequelas e até leva-        vão até mais longe. Para evitar o
 o adulto tem o hábito de procurar         tes e transmissão para outras. É uma       vam à morte. “O sarampo era a              avanço desses números de adultos
 ajuda somente quando sente que al-        proteção indireta e garante a qualida-     doença que mais matava. Depois,            displicentes, não só disponibili-
 go realmente não vai bem.                 de de vida para todos”, destaca o pedia-   os índices de mortalidade infantil         zam os pontos de vacinação em
     Segundo a presidente da SBIm-         tra Renato Kfouri, presidente da           mudaram muito com a vacina-                praças, escolas, igrejas e shoppin-
 Rio de Janeiro, a pediatra Isabella       SBIm-Nacional.                             ção”, diz.                                 gs, mas formam parcerias para che-
 Ballalai, a estratégia para reverter                                                     Depois do episódio da Revolta          gar a ambientes de trabalho. Os re-
 esse quadro é sempre a informa-              Prevenção reconhecida                   Vacina, no início da década de             sultados são positivos, mas é preci-
 ção. Uma parceria com o Minis-                                                       1920, no Rio de Janeiro, nunca ne-         so, sempre, conscientização para a
 tério da Saúde pode facilitar es-            De acordo com dados da                  nhum outro movimento brasilei-             proteção coletiva.




Desinformação cria alguns ‘mitos’
    Entre as vacinas que precisam         adulto brasileiro é a crença de que         so como desculpa para deixar de            múltipla, no caso direcionada a
receber doses de reforço na fase          adoecerá, caso seja vacinado.               levar a criança para tomar as pró-         crianças. Equívocos como esses
adulta estão a febre amarela e a du-         Os efeitos negativos são des-            ximas doses.                               compreendem questões defendi-
pla tipo adulto – protege contra          mistificados por Kfouri. Ele diz                “Reações podem dar, mas em             das por algumas doutrinas médi-
difteria e tétano adulto –, que de-       que há a possibilidade de algumas           qualquer vacina, como uma febre            cas e o uso de medicamentos alo-
vem ser tomadas uma vez a cada            sensações adversas, mas muito               leve ou uma dor local, mas são mui-        páticos, o que só atrasa o avanço
                                                                                                                                 da erradicação de mais doenças.
dez anos, e a influenza sazonal, re-      brandas, e não somente com a va-            to passageiras e previstas, e com cer-        “O motivo maior é a não infor-
comendada anualmente. No caso             cina da gripe. Os pais, por exem-           teza compensam pelo afastamento            mação, por isso temos de traba-
da vacina da gripe, amplamente            plo, notam quando os filhos ficam           do risco da doença”, diz o pediatra.       lhar, informar e fazer campanhas
divulgada nos últimos anos após a         mais irritados ou sonolentos em                 Outras crenças fazem ligação           educativas”, destaca a pediatra Isa-
pandemia da HIN1, em 2009, o              uma eventual vacina, mas isso é             das vacinas com o desenvolvimen-           bella Ballalai, presidente da SBIm-
comportamento displicente do              passageiro. Nem por isso usam is-           to de câncer, autismo ou esclerose         Rio de Janeiro. I               (EV)
10 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

    Evento




Todos pela sua boca
Congresso de
                                                                                                                                                                          Saiba
ortodontia reúne                                                                                                                                                          TEMAS DA PROGRAMAÇÃO
profissionais para                                                                                                                                                        CIENTÍFICA
                                                                                                                                                                              Ancoragem absoluta
debater e conhecer                                                                                                                                                        com mini-implantes
                                                                                                                                                                               Aparelhos ortodônticos
novidades na                                                                                                                                                              autoligáveis

área ortodôntica e                                                                                                                                                             Biomecânica em
                                                                                                                                                                          ortodontia
trocar experiências                                                                                                                                                            Diagnóstico e
                                                                                                                                                                          planificação do tratamento
                                                                                                                                                                                Disjunção maxilar
Elen Valereto
elen.valereto@diarioweb.com.br                                                                                                                                                  Distúrbios do sono
                                                                                                                                                                                Estética facial
    Compartilhar técnicas ino-
vadoras, discutir temas contem-                                                                                                                                                 Fios ortodônticos
porâneos nacionais e interna-                                                                                                                                                  Imaginologia em
cionais e apresentar aparelhos                                                                                                                                            ortodontia
novos. Esse é o foco do encon-
                                                                                                                                                                                Oclusão e ATM I
tro entre ortodontistas brasilei-
ros e de várias partes do mundo
no 18º Congresso Brasileiro de
Ortodontia - Orto 2012.                                                                                                                                                 lho, coordenador da Alpha
    O evento, que ocorre en-                                                                                                                                            Smile Centro de Cursos e Pes-
tre os dias 27 e 29 de setem-                                                                                                                                           quisas Odontológicas, em
bro, em São Paulo, é a porta                                                                                                                                            Campinas.
de entrada para a exposição e                                                                                                                                               O tema abordado pelo pro-
troca de novas ideias e estu-                                                                                                                                           fissional será “Mordida aber-
dos, além de experiências                                                                                                                                               ta esquelética cirúrgica trata-
bem-sucedidas entre os pro-                                                                                                                                             da sem cirurgia ortognática –



                                                                                                                                                www.sxc.hu/Divulgação
fissionais da área. Automati-                                                                                                                                           Atualidades e avanços em
camente, o que mostra-se efi-                                                                                                                                           diagnóstico e tratamento”.
caz é incorporado ao trabalho                                                                                                                                           Ele explica que o interesse na
diário dos ortodontistas, dan-                                                                                                                                          área surgiu depois de se frus-
do mais e melhores opções de                                                                                                                                            trar no tratamento de uma
                                                                                                                                                                        pré-adolescente, ocasião em
tratamento para os pacientes.
                                                                                                                                                                        que aplicou tudo o que conhe-
    A programação prevê a                                                                                                                                               cia-se sobre mordida aberta
participação de 12 professo-                                                                                                                                            convencionalmente.
res internacionais, 200 con-                                                                                                                                                “O que parecia fácil era
gressistas nacionais e exposi-                                                                                                                                          muito difícil e na época não
ção de 400 painéis de ativida-                                                                                                                                          tinha subsídios de diagnósti-
des científicas e mesas clíni-               que mostrarão o que há de              uma vez que os ortodontis-         gurança necessária para por                      co suficientes para entender,
cas. De acordo com o coorde-                 mais atual em tecnologia pa-           tas, como profissionais de         em prática esses conhecimen-                     classificar e fazer a previsão
nador científico do Orto                     ra nossa profissão.”                   saúde que são, têm de ter o co-    tos”, destaca Cotrim.                            de crescimento. Hoje, sabe-
2012, o ortodontista Flávio                      A escolha dos assuntos, se-        nhecimento técnico ligado à           Entre os temas discutidos                     mos que há a possibilidade
Cotrim, há ainda 15 cursos                   gundo o coordenador científi-          evolução da ciência.               e abordados inclusos na pro-                     de autocorreção, mas um ter-
nacionais na grade educacio-                 co do evento, procurou ser                “Esses assuntos devem ser       gramação científica estão                        ço evolui para mordida aber-
nal e o comparecimento de                    bem abrangente e atual. A se-          ministrados por professores        “Distúrbios do sono”,                            ta dentoalveolar ou esqueléti-
cerca de 5 mil congressistas.                leção também se baseou em              e profissionais que ancorem        “Disjunção maxilar”, “Estéti-                    ca”, informa. I
    “Apoiando essa grande                    acrescentar temas de grande            sua experiência clínica em         ca facial”, “Oclusão e ATM”
iniciativa estarão ainda cerca               interesse clínico dos ortodon-         forte base científica. Isso por-   e “Aparelhos ortodônticos au-                    Serviço
                                                                                                                                                                        18º Congresso Brasileiro de Ortodontia,
de 80 expositores comerciais                 tistas com a finalidade de se-         que uma programação de con-        toligáveis”. Um dos partici-                     do dia 27 ao 29 de setembro, das 9h às
do setor, apresentando produ-                rem facilmente incorporadas            teúdos baseados em evidên-         pantes das conferências é o                      19h, no Pavilhão Azul da Expo Center
tos nacionais e importados                   ao trabalho nos consultórios,          cias dará ao congressista a se-    ortodontista Daniel Ianni Fi-                    Norte, em São Paulo
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 11

Josinel B. Carmona
                Psicólogo
          Rubens Cardia




                          A criança e o idoso
                          A vida só vale a pena quando temperada de compaixão. Cuidar é o exercitar
                          da gratidão, uma oportunidade de melhorar esse mundo cheio de desequilíbrios

                                                                                                                                                                   www.sxc.hu/Divulgação

                              “Visto que nossa vida come-
                          ça e termina com a necessidade
                          de afeto e cuidados, não seria
                          sensato praticarmos a compai-
                          xão e o amor ao próximo en-
                          quanto podemos?”
                              Essa proposição é atribuída
                          ao atual Dalai Lama. Que ver-
                          dade mais profunda!
                              Numa vida não interrompi-
                          da por nenhum acidente ou
                          doença fatal, certo é que todos
                          fomos crianças e seremos ido-
                          sos. Duas das fases mais impor-
                          tantes da vida; duas lindas fa-
                          ses da vida e tenho certeza que
                          não estou romantizando, basta
                          apenas um pouco de sensibili-
                          dade e coragem para olhar para
                          uma criança e um idoso para
                          perceber sua fragilidade, sua ne-
                          cessidade de assistência e com-
                          panhia. Não me refiro apenas a
                          um cuidar técnico, falo de um
                          olhar carinhoso e amoroso.
                              Quando apelo para a neces-
                          sidade de coragem, estou falan-
                          do de um medo que parece nos
                          rondar quando estamos diante
                          desses dois extremos da vida.
                          Podemos experimentar medo
                          de não saber o que fazer, medo      crianças e ainda não idosos, é      deiras necessidades, para o ou-            de conforto e acolhimento, isso
                          da proximidade, medo de emo-        nossa oportunidade de, no mí-       tro e suas necessidades. Quan-             é uma oportunidade valiosa de
                          ções profundas de amor, medo        nimo, devolver aquilo que rece-     to medo temos de perceber que              melhorar esse mundo cheio de
                          da entrega, medo de tocar e ser     bemos: os cuidados que nos          nos afastamos de maneira peri-             desequilíbrios e sofrimento.
                          tocado, medo da vida e medo         permitiram estar aqui.              gosa de valores importantes da                 Fica aqui uma reflexão so-
                          da morte. A coragem se refere a         Nem sempre pensamos             vida. Que comodismo delator                bre o que cada um pode fazer
                          enfrentar as próprias barreiras     nisso, talvez para mantermos        de uma patologia coletiva: não             para melhorar a vida, para ge-
                          e travas emocionais, enfrentar      a cômoda atitude do nada em         sabemos cuidar.                            rar um sorriso, aquecer um co-
                          o egoísmo e aprender a doar         relação ao outro numa                   A vida só vale a pena quan-            ração e afastar a solidão, o aban-
                          presença, sorriso, o cuidar, a      vivência cada vez mais auto-        do temperada de compaixão e                dono, a rejeição, o descaso e a
                          fraternidade de assistir um que     centrada e egoísta.                 amor, esse é o verdadeiro senti-           ingratidão.
                          ainda nada pode fazer e só pre-         Nessa sociedade violenta,       do da assistência e da materni-                o ser humano é gregário,
                          cisa receber para crescer e ou-     que precisa criar um estatuto       dade. Cuidar é o exercitar da              nos reconhecemos através do
                          tro que já não pode mais fazer e    para proteger a criança, delega-    compaixão e da gratidão.                   outro, precisamos do outro pa-
                          precisa receber para manter-se      cias da mulher, filas especiais         Acredito que ter a possibili-          ra nos sentirmos amados, admi-
                          vivo, alegre e saudável.            para idosos e gestantes, leis pa-   dade de cuidar e poder oferecer            rados e queridos, nossa impor-
                              Como é profunda e verda-        ra as minorias, estamos cheios      qualquer coisa, por menor que              tância pessoal passa pelo outro,
                          deira essa reflexão!                de exemplos de nosso míope          seja, a alguém que precise, con-           mas nem sempre percebemos
                              Agora que não somos mais        olhar para a vida e suas verda-     tribuir para criar uma sensação            que somos o outro do outro. I
TV -   12 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

   Perfil




INTENSIDADE LATENTE
Mayana Neiva se distingue com personagem sedutora e misteriosa em “Amor Eterno Amor”
                                                                                                                                    Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação
TV Press

    A exótica harmonia de                                                                                                                                                Instantâneas
Mayana Neiva explica a diversi-
dade de suas personagens na te-                                                                                                                                               Há poucos meses, em
                                                                                                                                                                         Cannes, Mayana Neiva
vê. Atualmente na pele da mis-                                                                                                                                           estreou o longa argentino
teriosa Elisa, em “Amor Eter-                                                                                                                                            “Infância Clandestina”,
no Amor”, a breve trajetória da                                                                                                                                          onde vive uma guerrilheira
atriz na tevê tem sido ascenden-                                                                                                                                         dos anos 70. “Ele foi
te. Sua primeira aparição foi há                                                                                                                                         aplaudido de pé por 15
cinco anos, como a antagonista                                                                                                                                           minutos. Foi lindo. Me senti
Heliana da microssérie “A Pe-                                                                                                                                            totalmente
dra do Reino”, de Luiz Fernan-                                                                                                                                           latino-americana”, valoriza.
do Carvalho. Foi quando ela te-                                                                                                                                          No final de 2012, entra em
ve de raspar a cabeça para a his-                                                                                                                                        circuito o longa “Vendedor
                                                                                                                                                                         de Passados”, dirigido por
tória gravada no sertão da Pa-                                                                                                                                           Lula Buarque de Hollanda,
raíba, terra natal da atriz de 29              Atriz, de olhos
                                               Atriz, de olhos
                                                                                                                                                                         da Conspiração Filmes, no
anos. No ano seguinte, viveu a                 expressivos e boca
                                               expressivos e boca                                                                                                        qual Mayana contracena
ex-modelo Karina na densa mi-                  carnuda, possui uma
                                               carnuda, possui uma                                                                                                       com Lázaro Ramos
nissérie “Queridos Amigos”,                    extravagância que se
                                               extravagância que se
quando chamou atenção de                       destaca nos papéis
                                               destaca nos papéis                                                                                                             Durante as gravações
Maria Adelaide Amaral, que lo-                 mais exuberantes
                                               mais exuberantes                                                                                                          de “Ti-Ti-Ti”, Mayana
                                                                                                                                                                         operou o joelho e até hoje
go a escalou para viver a explo-                                                                                                                                         faz sessões de fisioterapia
siva Desirée no “remake” de                                                                                                                                              para normalizer os
“Ti-Ti-Ti”. Na verdade, a                                                                                                                                                movimentos na região
atriz de olhos expressivos e bo-
ca carnuda possui uma extrava-                                                                                                                                                A atriz nasceu em
gância que se destaca nos pa-                                                                                                                                            Campina Grande, na
                                           sim como eu, tem muita curio-             mesmo que seja através de rápi-      de Oliveira. “Gente, aqui não                  Paraíba, mas deixou sua
péis mais exuberantes. Foi jus-            sidade com a vida, uma sede de            das participações em produ-          tem glamour nenhum. É só                       cidade natal aos 15 anos
tamente por isso que Mayana                viver enorme, mas é bem mais              ções, como na novela “Cordel         suor! É um sacerdócio de se-                   de idade. Foi fazer o “high
explica que decidiu entrar na              contida. Eu sou de gargalhadas            Encantado”, nas minisséries          gunda a sábado. Mal tenho tem-                 school” na Califórnia, nos
trama das seis suavizando ao               altas”, diverte-se.                       “Dercy de Verdade” e “Dalva e        po de cuidar de mim. Quando                    Estados Unidos
máximo suas expressões fa-                     Especializada em Drama                Herivelto - Uma Canção de            chega domingo, estou exausta
ciais. “Trabalhei com o olhar                                                                                                                                                 Apesar do insistente
                                           pela Faculdade de Artes Cêni-             Amor” ou no seriado “Som &           de viver outras pessoas e só pen-
puro e curioso da Audrey Tau-                                                                                                                                            sotaque nordestino de
                                           cas de São Francisco, na                  Fúria”, a atriz atribui, diploma-    so em ser eu, pelo menos um                    Mayana, a atriz não
tou no longa ‘Amélie Poulan’ e             Califórnia, Mayana morou                  ticamente, suas personagens de       pouquinho”, brinca, antes de                   precisou fazer sessões de
com uma ‘boca de desejo’.                  tempos nos Estados Unidos                 destaque à generosidade das          emendar. “Nessas horas, só                     fonoaudiologia para viver
Construí a Elisa a partir dessa            até decidir voltar ao Brasil pa-          equipes que têm trabalhado.          lembro do Jorginho Fernando                    Elisa. A personagem
contradição”, entrega.                     ra seguir a carreira de atriz.            “Estava louca para ser dirigida      em ‘Ti-Ti-Ti’ me ensinando a                   também exigia um leve
    Na história de Elizabeth               Foi quando chamou a atenção               pelo Papinha. Todo mundo di-         me divertir quando tinha 22 ce-                sotaque interiorano
Jhin, a identificação da atriz             de um olheiro que a convidou              zia que eu ia amar essa equipe e     nas para gravar. Ele dizia: ‘se
com a personagem começa na                 a participar do concurso Miss             não deu outra”, elogia, referin-     apropria do cenário, solta o in-
simpatia pela religião espírita,           Paraíba 2003, de onde saiu ven-           do-se ao diretor Rogério Gomes,      consciente e brinca!’. Isso fez
a mesma da atriz. “Se você já              cedora. “Ser miss foi mais uma            responsável pela trama das seis.     toda a diferença na minha vi-                do nos Estados Unidos, onde
tem familiaridade com o assun-             personagem para mim. Sem-                 “Aqui (os diretores) Pedro Vascon-   da”, destaca.                                morou, chamava-se Lunik em
to, se apropria muito melhor               pre fui desengonçada. Queria é            cellos e a Roberta Richards foram                                                 homenagem ao satélite soviéti-
dele. Mas a trama fala de valo-            que as pessoas me conheces-               atores. Isso muda tudo na hora de       Entonação libertária                      co. Para a atriz, o canto, diferen-
res do ser humano”, observa                sem para levar público para a             dirigir atores. A Roberta chega a                                                 temente da interpretação, tem
Mayana, que não disfarça a pos-            minha peça. Mas me orgulho                dar toques nomeu ouvido ao medi-         O papel dos sonhos de                    uma vertente mais autoral. “O
sível e crescente vilania da per-          de ter representado meu esta-             rigir”, elogia.                      Mayana Neiva é interpretar                   ator vive em seus personagens.
sonagem, que finge ser o amor              do”, avalia.                                  Na trama das seis, a atriz       uma cantora na tevê. A atriz,                Você nunca sabe direito quem
de infância do protagonista Ro-                O que Mayana realmente se             tem ficado a semana inteira no       que mora em São Paulo, já che-               ele é. O cantor não. E cantar
drigo, de Gabriel Braga Nunes.             orgulha é de seu meteórico re-            Rio para conseguir gravar cer-       gou a ter três bandas de rock pa-            me libera. Quando fazia show,
“O público está muito com o                conhecimento na Globo. Sem                ca de 15 cenas diárias na histó-     ralelamente à carreira de atriz.             chegava em casa calminha”,
pé atrás com ela. Mas a Elisa, as-         sair do ar desde a sua estreia,           ria de Filipe Miguez e Izabel        O último grupo musical, forma-               lembra, saudosista. I
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 13 - TV

   Zapping
          TV Press
                                  Pedro Paulo Figueiredo /Divulgação

                                                                       tores Gustavo Sarti e Matheus Mazzafera. A vence-                 quenta classes com uma professora para atenuar o sota-
                                                                       dora ganha um contrato de R$ 150 mil para ser mo-                 que lusitano. Recentemente, Paulo Rocha assinou con-
                                                                       delo exclusiva da marca Ana Hickmann.                             trato com a Globo com exclusividade até 2015. A nove-
                                                                                                                                         la, escrita por Silvio de Abreu, estreia em outubro.

                                                                       Virando gente                                                     Vai e volta
                                                                       grande                                                            A nova temporada da série “Louco Por Elas”, da Globo,
                                                                       As inscrições para o “reality show” “Quem Quer Casar              estreia em outubro. A produção deve ser interrompida
                                                                       com Meu Filho?”, da Band, estão abertas no portal                 por três semanas em dezembro por conta das festivida-
                                                                       “www.band.com.br/quemquercasarcommeufilho”. A                     des de fim de ano e voltará ao ar com inéditas em janeiro
                                                                       produção busca mães que desejam encontrar uma mu-                 de 2013. João Falcão, autor e diretor geral do projeto, já
                                                                       lher para seus marmanjos e rapazes que desejam sair da            está envolvido com os 18 episódios encomendados pela
                                                                       casa dos pais e que ainda buscam um amor. De acordo               emissora.
                                                                       com o formato do programa, a primeira temporada será
                                                                       composta por cinco homens de diferentes idades, cujas
                                                                       pretendentes foram selecionadas pelas mães deles. Em              Rebelde sem causa
‘Se arrependimento                                                     determinado momento, eles decidirão se querem casar
                                                                       ou permanecer sob os cuidados da mãe. O programa de-              Juliana Paiva está em contagem regressiva para a estreia
                                                                                                                                         da nova temporada de “Malhação”, a partir do próximo
                                                                       ve estrear em novembro.
matasse...’                                                                                                                              dia 13. Para viver a rebelde Fatinha, a atriz precisou mu-
                                                                                                                                         dar o visual e agora está com os cabelos louros e compri-
Nado Grimberg foi quem sugeriu que seu personagem,
o Ruço de “Cheias de Charme”, da Globo, tivesse tran-
                                                                       Homem de fé                                                       dos. Na trama, a adolescente adora sentar no fundo da
                                                                                                                                         sala de aula, seduz os garotos e exagera na maquiagem.
                                                                                                                                         Apesar desta propaganda toda, ela é romântica e vir-
ças. “Mas dói muito”, confessa, entre risos. Apesar da                 Rodrigo Lombardi será Theo em “Salve Jorge”, substi-              gem. Ao longo da história, ela irá se apaixonar por Bru-
dor, o ator, que garante adorar o penteado, ainda precisa              tuta de “Avenida Brasil”, na Globo. Na trama, ainda pe-           no, de Rodrigo Simas, que não dará bola para a moça.
conviver com as brincadeiras de parte do elenco. “Eles                 queno, o personagem ficou soterrado durante uma en-
ficam me sacaneando porque falei que ficaria assim o                   chente em Petrópolis, na região serrana do Rio, onde
ano todo. Mas não dá”, admite.                                         morava. Após ser dado como morto, o menino foi acha-
                                                                       do por um vizinho embaixo dos escombros. O garoto foi
                                                                                                                                         Imensidão azul
                                                                       resgatado no Dia de São Jorge. Desde então, até mesmo
Pato Branco                                                            na fase adulta, ele não sai de casa sem uma medalha e fi-
                                                                       ta do santo guerreiro. Por enquanto, o ator segue gravan-
                                                                                                                                         Em “Passado Próximo”, título provisório da substituta
                                                                                                                                         de “Máscaras”, na Record, Juliana Silveira será Isabel.
                                                                                                                                         Na trama, assinada por Gisele Joras, a moça é uma arqui-
A partir do dia 24 de agosto, às 20h30, o Canal Viva re-               do na Turquia, com os demais integrantes do elenco. A             teta de sucesso, que nas horas vagas pratica pesca subma-
prisará a segunda temporada do seriado “Toma Lá, Dá                    novela é de Glória Perez e estreia em outubro.                    rina. Para não fazer feio em cena, a atriz tem feito mergu-
Cá”. O elenco é composto por Adriana Esteves, Miguel                                                                                     lhos e pesca submarina com frequência. A novela estreia
Falabella, Marisa Orth, Diogo Vilela, Arlete Salles,
Stella Miranda e Fernanda Souza, entre outros. O pro-
grama foi exibido originalmente entre 2007 e 2009.
                                                                       Outro formato                                                     em outubro.

                                                                       O filme “Xingu”, de Cao Hamburger, está sendo edita-
                                                                       do e em 2013 estreará na Globo como minissérie. A pro-
                                                                                                                                         Agora vai
Olho gordo                                                             dução será exibida em quatro episódios com material
                                                                       inédito e contará a saga dos irmãos Villas Boas, que des-
                                                                                                                                         Finalmente o seriado policial “A Teia” sairá do papel. A
                                                                                                                                         produção, que será dirigida por Márcio Garcia, tem dire-
Pela primeira vez na carreira, Sheron Menezes interpre-                bravam as florestas do Brasil Central. A obra é protago-          ção de núcleo de Rogério Gomes, o Papinha. Estão pre-
tará uma vilã. Em “Lado a Lado”, próxima novela das                    nizada por João Miguel, Felipe Camargo e Caio Blat,               vistos 10 episódios e a estreia só deve acontecer no se-
seis da Globo, a atriz será Berenice, uma jovem que divi-              que vivem Claudio, Orlando e Leonardo Villas Boas,                gundo semestre de 2013. Com texto de Bráulio Manto-
de o cortiço com Isabel, de Camila Pitanga. “Ela é inve-               respectivamente.                                                  vani e Carolina Kotscho, o projeto luta para conseguir
josa e fará tudo para atrapalhar a vida da colega. Essa per-                                                                             formar o elenco, que está cada vez mais disputado pelas
sonagem é mesquinha e acredita que a beleza é suficien-
te para conseguir o que ela quer”, conta, aos risos, João
Ximenes Braga que assina o folhetim com Claudia La-
                                                                       ‘Se ela dança...’                                                 produções da Globo.


ge. A trama deve estrear em setembro.                                  O quadro “Dança da Galera”, do “Domingão do
                                                                       Faustão”, será gravado a partir de outubro. Por enquan-
                                                                                                                                         Exercício de estilo
                                                                       to, uma equipe do programa viaja em diferentes cidades
Luz na passarela                                                       em busca das candidatas para a segunda edição do proje-
                                                                       to. Apesar disso, a exibição do quadro só acontece no pri-
                                                                                                                                         As gravações de “Subúrbia”, nova minissérie assinada
                                                                                                                                         pelo diretor Luiz Fernando Carvalho, já começaram. A
                                                                                                                                         trama, assinada pelo diretor e por Paulo Lins, contará a
A Record marcou a estreia do “Top Model – O Reali-                     meiro semestre de 2013.                                           história de Conceição, ou Ceição, uma bela jovem negra
ty”, quadro do “Tudo É Possível”, para o próximo                                                                                         e pobre, nascida no interior de Minas e que mudou para
dia 19. As 24 candidatas estão confinadas em Itu, in-
terior de São Paulo, na casa de Ana Hickmann, apre-
sentadora da produção ao lado de Ticiane Pinheiro.
                                                                       Aluno aplicado                                                    o Rio de Janeiro. Por conta da sua beleza, ela passará por
                                                                                                                                         diversas provações ao longo da vida. Os atores do proje-
                                                                                                                                         to não são consagrados. Entre as locações, estão os bair-
Os testes de vídeo, passarela e fotos serão realizados                 Paulo Rocha tem feito aulas de fotografia para viver o fo-        ros de Madureira, Piedade e Ilha do Governador, na Zo-
a partir do dia 15. Entre os jurados estão Zeca                        tógrafo Fábio no “remake” de “Guerra dos Sexos”, pró-             na Norte do Rio. A produção irá ao ar em novembro e
Abreu, dono de uma agência de modelos, e os consul-                    xima novela das sete da Globo. Além disso, o ator fre-            terá oito capítulos. I
TV -   14 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO

   Entrevista




DOCES TIRANOS
Colecionador de vilões na teledramaturgia, Jonas Bloch se sobressai com o poderoso chefão de ‘Máscaras’
                                                                                                                                                                      Luiza Dantas/Divulgação
TV Press                                                   nagens de televisão usando metáforas. Ele
                                                           quebra um pouco os clichês das novelas e
    Jonas Bloch é daqueles atores que ri                   seus estereótipos.
com os olhos enquanto conversa. Por isso                       Pergunta - Você define o Big Blond
se difere tanto da maioria de seus persona-                como um poderoso chefão. Teve algu-
gens na tevê, quase sempre vilões. Como o                  ma inspiração na trilogia do Francis
misterioso Big Blond, o poderoso chefão da                 Ford Coppola?
máfia de “Máscaras”, da Record, que alter-                     Jonas Bloch - Acho que não. Cheguei a
na sua bipolaridade com a paixão explícita                 conversar sobre isso com o autor e diretor,
por Eliza, protagonista vivida por Paloma                  mas criamos um personagem próprio, real-
Duarte. Com inacreditáveis 73 anos de ida-                 mente diferente de todos os vilões que fiz,
de, este ator mineiro, descendente de ju-                  principalmente na Record, que eram empre-
deus ucranianos, pai da atriz Débora Bloch                 sários e grandes canalhas. Esse é uma mistu-
e sobrinho neto de Adolpho Bloch - funda-                  ra. Fico surpreso porque o público gosta
dor da extinta Manchete - percorreu diver-                 muito dele. Percebo pelos meus colegas da
sas emissoras em seus 54 anos de profissão.                novela, que dizem que o Big Blond é sem-
Tamanha dedicação à carreira deixou mar-                   pre assunto nas redes sociais.
cas no diretor e ator, que pensa em se apo-                    Pergunta - Você pode explicar como
sentar em breve. “Quero colocar o pé no                    foi essa composição?
freio, escolher melhor e dizer mais ‘nãos’.                    Jonas Bloch - De muitas formas. Mas os
Mas gosto da profissão. Ainda fico excitado                autores costumam dizer que tem uma hora
quando entro no estúdio”, afirma, apertan-                 que os personagens falam sozinhos. Você
do os olhos azuis pouco antes de avaliar                   não precisa mais criar. Comecei a fazê-lo co-
seus seis anos na Record. “Quando cheguei                  mo uma pessoa bipolar, que tem rompan-
na emissora e vi todo o elenco que era da                  tes. Cheguei a gravar cenas assim, em que
Globo, falei: ficou alguém lá para apagar a                ele estava em um estado e, de uma hora para
luz?’”, diverte-se Jonas, com seu “physique                outra, tinha uma explosão. Depois ele ficou
du rôle” do Leste europeu, que definiu gran-               mais comedido. Agora ele passa por uma sé-
de parte de seus personagens na tevê. “Se a                rie de transformações, ganha e perde poder.
história se passava no Nordeste ou se tinha                Isso é bem interessante porque não é
algum sinhozinho, eu estava fora”, admite,                 monocórdio. Ele é um vilão apaixonado,
aos risos.                                                 que é capaz de fazer loucuras pela mulher.
    Pergunta - O Big Blond é um dos mui-                   Isso é uma coisa rara na vilania.
tos vilões que você já viveu na tevê. Co-                      Pergunta - Já que você “coleciona” vi-
mo você o diferenciou para não cair no lu-                 lões na tevê, a que atribui tantas
gar-comum?                                                 escalações voltadas para a maldade?
    Jonas Bloch - No início eu estava preo-                    Jonas Bloch - Mas também já fiz ho-
cupado se ele seria um vilão igual aos ou-                 mens bons! (risos). Os meus vilões realmen-
tros. Mas percebi que não era e isso me agra-              te são mais marcantes. As pessoas sempre
dou muito. Ele é um vilão apaixonado pela                  lembram mais deles. Fiz desde o bandidão
Eliza (personagem da Paloma Duarte), tem                   barra pesada em “Corpo Santo” (na extinta
sonhos internacionais, é um outro tipo de                  Manchete), como fiz um canalha em “A Via-
malvado. Pensei em começar a fazê-lo mais                  gem”. Com a idade, você vai fazendo mais
racional, mais frio. Em televisão é assim:                 empresários, caras poderosos. Mas eles são
você inicia de um jeito e logo vem o autor e               muito interessantes. Têm um fogo de ambi-
o diretor modificando. Mas ele acabou vi-                  ção e poder que gera interesse no público.
rando um personagem emocional, sanguí-                     Alguns eu tento fazer maus mesmo. Na épo-
neo e calculista. O Lauro César tem uma                    ca que fiz o Russo, do “Corpo Santo”, que
tradição de dramaturgia muito grande e fez                 foi um sucesso imenso, havia uma
uma proposta muito interessante para o                     glamourização da bandidagem. Um margi-
Big Blond, totalmente fora dos padrões de                  nal foi fotografado e virou capa de revista. A
televisão. Ele acaba sendo um galã. Tem                    tendência, até pouco tempo atrás, era mos-
um envolvimento político e aborda questio-                 trar que o herói do garoto do morro era o tra-
namentos distantes do universo dos perso-                  ficante. Depois que houve aquela invasão às      Jonas Bloch, em forma aos 73: “Meus vilões são realmente mais marcantes”
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12
Bem estar  05-08-12

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12
Fernanda Caprio
 
Bem estar Autoamor 24-06-2012
Bem estar Autoamor 24-06-2012Bem estar Autoamor 24-06-2012
Bem estar Autoamor 24-06-2012
Fernanda Caprio
 
JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...
JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...
JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...
Ronaldo de Sousa
 
Retratos do brasil revista 20121001, rb outubro
Retratos do brasil revista 20121001, rb outubroRetratos do brasil revista 20121001, rb outubro
Retratos do brasil revista 20121001, rb outubro
Marcelo Bancalero
 
Hora do Sul 16-03-2012
Hora do Sul 16-03-2012Hora do Sul 16-03-2012
Hora do Sul 16-03-2012
Hora do Sul
 
Jornal ELOY REGIONAL - Ed. de Setembro
Jornal ELOY REGIONAL - Ed. de SetembroJornal ELOY REGIONAL - Ed. de Setembro
Jornal ELOY REGIONAL - Ed. de Setembro
Jefferson Porto
 
O vigilante edicao21 final 221211 (1)
O vigilante edicao21 final 221211 (1)O vigilante edicao21 final 221211 (1)
O vigilante edicao21 final 221211 (1)
Vai Totó
 
Editorial n.24 (jul ago 2009)
Editorial n.24 (jul   ago 2009)Editorial n.24 (jul   ago 2009)
Editorial n.24 (jul ago 2009)
Roberto Arruda
 

Mais procurados (19)

Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12Bem estar seja sincero 01-04-12
Bem estar seja sincero 01-04-12
 
Bem estar Autoamor 24-06-2012
Bem estar Autoamor 24-06-2012Bem estar Autoamor 24-06-2012
Bem estar Autoamor 24-06-2012
 
JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...
JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...
JORNAL FORÇA JOVEM 2ª Edição (Nucleo Adalberto Studart Filho - Projovem Urban...
 
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
Revista Bem Estar "Autoconfiança" 03/07/2011
 
Revista Retrato do Brasil ed. Novembro
Revista Retrato do Brasil ed. NovembroRevista Retrato do Brasil ed. Novembro
Revista Retrato do Brasil ed. Novembro
 
Retratos do brasil revista 20121001, rb outubro
Retratos do brasil revista 20121001, rb outubroRetratos do brasil revista 20121001, rb outubro
Retratos do brasil revista 20121001, rb outubro
 
Rb64 parcial (1)
Rb64 parcial (1)Rb64 parcial (1)
Rb64 parcial (1)
 
Hora do Sul 16-03-2012
Hora do Sul 16-03-2012Hora do Sul 16-03-2012
Hora do Sul 16-03-2012
 
Jornal ELOY REGIONAL - Ed. de Setembro
Jornal ELOY REGIONAL - Ed. de SetembroJornal ELOY REGIONAL - Ed. de Setembro
Jornal ELOY REGIONAL - Ed. de Setembro
 
O vigilante edicao21 final 221211 (1)
O vigilante edicao21 final 221211 (1)O vigilante edicao21 final 221211 (1)
O vigilante edicao21 final 221211 (1)
 
Lessons Learned #2 - Equipa 23
Lessons Learned #2 - Equipa 23Lessons Learned #2 - Equipa 23
Lessons Learned #2 - Equipa 23
 
Quality solutions
Quality solutionsQuality solutions
Quality solutions
 
Pag05
Pag05Pag05
Pag05
 
Acacia julho 2012_
Acacia julho 2012_Acacia julho 2012_
Acacia julho 2012_
 
Revista N1
Revista N1Revista N1
Revista N1
 
Semanário - 27 de fevereiro a 4março de 2012
Semanário - 27 de fevereiro a 4março de 2012Semanário - 27 de fevereiro a 4março de 2012
Semanário - 27 de fevereiro a 4março de 2012
 
Projeto TCC - Tecnisa 2011
Projeto TCC - Tecnisa 2011Projeto TCC - Tecnisa 2011
Projeto TCC - Tecnisa 2011
 
Editorial n.24 (jul ago 2009)
Editorial n.24 (jul   ago 2009)Editorial n.24 (jul   ago 2009)
Editorial n.24 (jul ago 2009)
 
28demaio oexpresso
28demaio oexpresso28demaio oexpresso
28demaio oexpresso
 

Semelhante a Bem estar 05-08-12

Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127
Fernanda Caprio
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de conta
Fernanda Caprio
 
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
Fernanda Caprio
 
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Fernanda Caprio
 
Bem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo risoBem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Fernanda Caprio
 
Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012
Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012
Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012
inbrasci
 
Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14
Fernanda Caprio
 
JUMAP Magazine | Revista JUMAP
JUMAP Magazine | Revista JUMAPJUMAP Magazine | Revista JUMAP
JUMAP Magazine | Revista JUMAP
Wesley Senna
 
Hora do sul edição do dia 19-01-2012
Hora do sul  edição do dia 19-01-2012Hora do sul  edição do dia 19-01-2012
Hora do sul edição do dia 19-01-2012
Hora do Sul
 
3 soc prov. bimestral bc 4bi
3 soc    prov. bimestral bc 4bi3 soc    prov. bimestral bc 4bi
3 soc prov. bimestral bc 4bi
Felipeprofserra
 

Semelhante a Bem estar 05-08-12 (20)

Bem estar 120812
Bem estar 120812Bem estar 120812
Bem estar 120812
 
Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127
 
Bem estar 13-05-2012
Bem estar  13-05-2012Bem estar  13-05-2012
Bem estar 13-05-2012
 
Bem estar 190812
Bem estar  190812Bem estar  190812
Bem estar 190812
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de conta
 
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
Bem estar deixe o amor entrar - 09-23-2012
 
Bem estar 11 11-12
Bem estar 11 11-12Bem estar 11 11-12
Bem estar 11 11-12
 
Bem estar 16-09-12
Bem estar 16-09-12Bem estar 16-09-12
Bem estar 16-09-12
 
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303
 
Bem estar 26-08-12
Bem estar  26-08-12Bem estar  26-08-12
Bem estar 26-08-12
 
Bem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo risoBem estar 18-03-12 a cura pelo riso
Bem estar 18-03-12 a cura pelo riso
 
Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012
Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012
Ano nº04 - nº 14 - maio/junho 2012
 
Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14Revista bem estar-14-09-14
Revista bem estar-14-09-14
 
JUMAP Magazine | Revista JUMAP
JUMAP Magazine | Revista JUMAPJUMAP Magazine | Revista JUMAP
JUMAP Magazine | Revista JUMAP
 
UniAnchieta - Palestra Comunicacão
UniAnchieta - Palestra Comunicacão UniAnchieta - Palestra Comunicacão
UniAnchieta - Palestra Comunicacão
 
Hora do sul edição do dia 19-01-2012
Hora do sul  edição do dia 19-01-2012Hora do sul  edição do dia 19-01-2012
Hora do sul edição do dia 19-01-2012
 
321 an 02_março_2011.ok
321 an 02_março_2011.ok321 an 02_março_2011.ok
321 an 02_março_2011.ok
 
Teste leitura
Teste leituraTeste leitura
Teste leitura
 
3 soc prov. bimestral bc 4bi
3 soc    prov. bimestral bc 4bi3 soc    prov. bimestral bc 4bi
3 soc prov. bimestral bc 4bi
 
Jornal Mente Ativa 12
Jornal Mente Ativa 12Jornal Mente Ativa 12
Jornal Mente Ativa 12
 

Mais de Fernanda Caprio

Mais de Fernanda Caprio (20)

Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"
 
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
 
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
 
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
 
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
 
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
 
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
 
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
 
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
 
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
 
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
 
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
 
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
 
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
 
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
 
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
 

Bem estar 05-08-12

  • 1.
  • 2. 2 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Poesia Josinel B. DIÁRIO DA REGIÃO SAUDADE Carmona 11 Rubens Cardia A saudade é uma andorinha, mas uma andorinha estranha: quando num peito se aninha, as outras não acompanha… Saudade - coisa que a gente Editor-chefe não explica nem traduz; Fabrício Carareto fabricio.carareto@diarioweb.com.br faz do passado, presente, Editora-executiva e traz sombras, sendo luz… Rita Magalhães Saudade - febre que a gente rita.magalhaes@diarioweb.com.br sem querer, pode apanhar, Coordenação Ligia Ottoboni nunca mata de repente, ligia.ottoboni@diarioweb.com.br vai matando, devagar… Editor de Bem-Estar e TV Saudade - a princípio é pena Psicólogo escreve sobre a importância Igor Galante que nos deixa uma partida; de enfrentarmos o egoísmo e igor.galante@diarioweb.com.br aprendermos a doar presença, a Editora de Turismo depois é dor que condena devolver os cuidados que recebemos Cecília Demian a morrer dentro da vida… cecilia.demian@diarioweb.com.br se é triste sentir saudade, Editor de Arte César A. Belisário muita saudade de alguém, Televisão 14 cesar.belisario@diarioweb.com.br maior infelicidade Diretora Superintendente é não tê-la de ninguém. Rosana Polachini rosana.polachini@diarioweb.com.br Adelaide (Yde) Schloenbach Blumenschein Luiza Dantas/Divulgação Pesquisa de fotos Mara Lúcia de Sousa Diagramação Editorial Cristiane Magalhães Tratamento de Imagens Arthur Miglionni, Humberto Transformação é Pereira e Luciana Nardelli Matérias Agência Estado Agência O Globo TV Press aperfeiçoamento Converse mais consigo mesmo. Você pode ter muito a aprender (ou a descobrir) com o “carinha” que mora aí Aos 73 anos de idade, 54 de televisão, dentro. O exercício do diálogo interno é o primeiro passo Jonas Bloch ainda mostra vigor na pele para a busca de autoconhecimento, que, por sua vez, é a de um chefão na novela “Máscaras” base para a transformação pessoal, tema da reportagem de capa deste domingo. Entenda a transformação, na verdade, Turismo como um aperfeiçoamento (afinal, não é para isso que existimos, para evoluir em todos os campos, inclusive o espiritual?). O processo que nos conduzirá ao estágio de seres humanos melhores passa pelo reconhecimento de 24 Agência O Globo/Divulgação nossos defeitos, e, a partir disso, começar a erradicá-los a fim de que eles não mais aprisionem nossas virtudes. crianças, imunização de adultos é COMPORTAMENTO capaz de erradicar ou controlar Crianças e adultos viciados em diversas doenças como sarampo internet, que não conseguem se e poliomelite, entre outras desconectar do universo on-line, Páginas 8 e 9 precisam passar por uma “dieta digital” e redescobrir o convívio EVENTO social, defente autor canadense Especialistas do Brasil e do Páginas 6 e 7 mundo discutem as novas técnicas da ortodontia em Tel Aviv, Jerusalém, Mar Morto e SAÚDE congresso na Capital Cesareia: a história viva de Israel, Menos bem-sucedida do que em Página 10 viagem inesquecível
  • 3. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 3 Esoterismo PRINCÍPIOS DA HARMONIA Se quisermos transcender, precisamos fazer uma promessa a nós mesmos: em todas as circunstâncias, cooperar com o mais elevado José Trigueirinho Netto cooperar com o mais elevado. O que então re- para o universo. Até mesmo a intenção de conhecermos como superior receberá nossa criar harmonia se transmite, e a humanidade Sempre que trabalhamos em grupo, é me- adesão. E assim vamos nos adaptando a ou- inteira pode responder, cada indivíduo a par- lhor confirmar entre nós os pontos concor- tra ordem de vida, vamos captando uma no- tir do ponto evolutivo em que está. dantes e não os divergentes. Esse é um signi- va e mais ampla razão para a existência. Va- Se temos verdadeira aspiração de vencer ficativo princípio para estar em harmonia. E mos subindo até ver quão pequenos eram os fronteiras, podemos passar por um processo a ele devemos acrescentar a disposição de ir motivos que antes tínhamos para viver. Mas libertador, pois hoje energias imateriais co- meçam a atuar na esfera terrestre, e isso se re- além do que somos, a intenção de colaborar é bom que se diga: temos de deixar de lado flete nos seres humanos. Podemos viver sob com energias superiores. Assim promove- todas as resistências ao progresso para coope- leis imateriais, ver nascer em nós faculdades mos de maneira efetiva a evolução do serviço rar com o que está acima. inusitadas. E o primeiro passo para isso é que prestamos. Reconhecermo-nos parte do Infinito é não considerar as próprias resistências e pro- É nossa responsabilidade a construção da um desafio. Temos de lembrar que cada pen- curar a harmonia. harmonia no âmbito humano, porém tendo samento nosso, cada sentimento, cada movi- É possível, pois, participar consciente- em vista o universo. Para chegarmos a com- mento e cada respiração influem na vasti- mente da evolução. É possível melhorar o preender isso, foram-nos dados através dos dão que é o Infinito. Essa influência existe, destino do planeta, aliviar o sofrimento dos tempos ensinamentos, inspirações e o exem- mesmo que dela não tenhamos a mínima no- reinos da natureza e estimular o desenvolvi- plo de grandes benfeitores da humanidade. ção. Mas o cuidado com o que emitimos é mento, bastando que predomine em nós a de- Sempre fomos informados de que a vida é fundamental para uma integração positiva e voção aos princípios da harmonia. I una e de que somos parte do Infinito. Temos consciente. Serviço necessariamente de estar em harmonia com Diz-nos Morya que, se um ser humano Extraído do boletim “Sinais de Figueira” (Irdin Editora), de tudo que nos cerca. Mas como viver essa rea- consegue um pensamento de qualidade, na- Trigueirinho (www.trigueirinho.org.br). Palestras do autor lidade com todo o ser? quele mesmo instante presta ajuda a alguém poderão ser ouvidas, gratuitamente, no site: www.irdin.org.br, ou no grupo de estudos, que se reúne Se quisermos transcender nossa atual eta- que pode estar do outro lado do mundo. Há às quintas-feiras, às 20 horas, na rua Porfírio Pimentel, pa, precisamos fazer um voto, uma promessa uma constante comunicação entre todos. 55, Bom Jesus (2ª travessa acima da Av. Alberto Andaló). a nós mesmos: em todas as circunstâncias, Nossas realizações são de suma importância Mais informações: dgalviolli@gmail.com Quem é José Trigueirinho Netto é filósofo espiritualista, autor de 77 livros, com cerca de 2,5 milhões de exemplares publicados até o momento, e mais de 1,7 mil palestras gravadas ao vivo
  • 4. 4 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Autoconhecimento REFORMA ÍNTIMA Viemos ao mundo para crescer e fazer a diferença. Mas a mudança começa dentro de nós Gisele Bortoleto gisele.bortoleto@diarioweb.com.br Dalai Lama, o mais alto sacerdote do budismo ti- betano, disse certa vez: “Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover seu aper- feiçoamento pessoal e realizar inovações no seu pró- prio interior. Essas atitudes se refletirão em mudan- ças positivas no seu ambiente familiar. Deste ponto em diante, as mudanças se expandirão em propor- ções cada vez maiores. Tudo o que fazemos produz efeito, causa algum impacto.” Mas como é possível ser diferente do que somos hoje no mundo atual diante de inúmeras situações negativas que parecem delinear a cada dia a forma como conduzimos nossa existência? A chave para essa transformação certamente é a mudança profunda na consciência e na postura a partir do seu interior. O primeiro passo para nossa transformação ínti- ma é passarmos a nos auto-observar e nos reconhe- cermos imperfeitos. Mas essa viagem interior que le- va ao autoconhecimento requer muito diálogo inter- no, seja para identificar nossas crenças, as máscaras que foram criadas para nos proteger, compreensão da sombra, para depois sim, conseguirmos encon- trar o verdadeiro eu, aquilo que somos em essência, e que sempre é muito melhor daquela pessoa que nos fizeram acreditar que éramos. Mas para atingirmos este estágio é preciso com- prometimento em querer realmente se conhecer, sem medos, resistências, boicotes, para que possa-
  • 5. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 5 mos atingir um estágio de paz e harmo- nia interna que todos ansiamos. Autoco- nhecimento é a base para alcançarmos a no mestre, dentro e fora de si. “A reforma íntima é o meio de nos li- bertarmos das imperfeições e de fazer- Busca de propósito sabedoria que irá permitir essa transfor- mos objetivamente o trabalho de burila- mação. E transformar é dar nova forma, mento dentro de nós, conduzindo-nos “Um processo de transfor- ontem já passou e nem sabe- tornar diferente do que era, modificar. compativelmente com as aspirações que mação depende de um desejo mos se haverá amanhã e, dessa Ney Prieto Peres, diretor fundador nos levam ao aprimoramento do nosso real. Se a transformação é física forma, conseguimos começar a do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psi- espírito”, justifica Peres. Essa reforma ou mental, o importante é que trabalhar a mente e a autoesti- cobiofísicas (IBPP), fala no livro “Ma- precisa ser feita primeiramente dentro ela tenha um sentido para a pró- ma”, argumenta. nual Prático do Espírita” (Ed. Pensamen- pria pessoa”, diz o psicólogo Segundo ele, temos de pre- de nós mesmos, o que se refletirá depois to) que uma reforma íntima vai nos levar cognitivo-comportamental Ale- parar nossa mente para acredi- em todos os campos de nossa existência, xandre Cáprio. a essa transformação. Trata-se de um pro- tar que podemos viver bem den- cesso contínuo de autoconhecimento, de no nosso relacionamento com familia- Toda alteração cognitiva e tro das possibilidades e trans- conhecimento da nossa intimidade espi- res, colegas de trabalho, amigos. comportamental que esteja den- formar essa mente muitas ve- ritual, modelando-nos progressivamente Carregamos defeitos que aprisionam tro do conceito de evolução da zes acomodada em uma mente na vivência do evangelho, em todos os nossas virtudes, nos tornando muitas ve- pessoa cria uma cadeia de efei- produtiva, empreendedora. Is- sentidos da nossa existência. É a zes medíocres, egoístas, vaidosos, orgu- tos positivos. A motivação, au- so é um exercício diário. Fo- transformação do homem velho, car- lhosos, fúteis e materialistas. É preciso toestima e aceitação social au- mos colocados neste mundo pa- regado de tendências e erros secula- fazer uma verdadeira faxina interna, eli- mentam, o que faz com que a vi- ra sermos felizes e temos de res, no homem novo, atuante na im- minando tudo o que nos afasta da nossa da se torne mais atraente e le- transformar o que nos faz infeli- plantação dos ensinamentos do divi- evolução. ve. Mudar para melhor, ressal- zes. “Assim como a lagarta que ta, é aceitar nosso processo de se transforma em uma linda evolução. É entender que não borboleta antes tem uma cami- nascemos sabendo tudo e não nhada, precisamos entrar em morreremos sabendo tudo. Tra- um casulo para levar nossa ta-se de buscar sempre mais, de mente à reflexão e transformar ter a ambição, o desejo de me- nosso pensamento”, diz Sales. lhorar todos os dias, como se Para que ocorra essa fôssemos eternos aprendizes. O autotransformação, é preciso, mais importante é que aprovei- em primeiro lugar, uma mu- temos cada oportunidade ou ca- dança de consciência”, reforça da problema que surja em nos- a socióloga Luciana Ferraz, so caminho para construir essa coordenadora da Brahma Ku- escada que nos projetará cada maris, organização internacio- vez mais alto. nal que trabalha pela paz mun- “Viemos com um propósito dial por meio da transformação de vida e um dos grandes desa- pessoal. É preciso entender que fios que enfrentamos é desco- não somos um corpo, mas que brir qual é ele”, diz a professor temos um corpo, que é um ins- de ioga e meditação Salvador trumento de ação e um veículo Hernandes. E essa descoberta de expressão. Portanto, a felici- se faz por meio das fases. Vá- dade, a paz, o amor não virão rias filosofias trabalham com a através dele. “O corpo é um veí- ideia de que a cada período o culo, mas nós somos o motoris- ser humano passa por uma fase ta”, diz. de transformação, e essas fases Temos de entender tam- acabam proporcionando opor- bém que fazemos parte de algo tunidades de crescimento. maior, de uma família univer- “Em cada uma das fases, desen- sal e estender nossa visão para volvemos um determinado as- o outro. “Tudo está interligado pecto, passamos por minados e o que acontece comigo”, res- desafios e em cima disso temos salta, “acontece com o outro, a oportunidade de nos transfor- portanto, não posso ser feliz so- mar, fazer nossas conquistas e zinho. Para que o mundo possa atingir a felicidade”, diz. É isso melhorar, temos de estender o que move o ser humano. nossa visão.” “O ser humano a cada dia Outra questão que tem de tem se tornado mais egoísta e ser compreendida segundo ela Da lagarta à borboleta acredita no que é negativo e é que, assim como cada um de que as coisas convergem para nós tem sua casa, existe uma ca- Trabalhe sua mente. Toda vez que surgir uma não aceitarem, se afaste baixo”, diz o consultor e escri- sa maior, que é o planeta e, e se ideia negativa, rejeite. Tenha em mente que você Procure a companhia de pessoas positivas, tor Marilam Sales, autor de li- não cuidarmos dela, algo catas- nasceu para ser feliz que você goste, que o coloquem para cima e o vros como “Eu Quero” (ed. All trófico irá acontecer com o levem para o crescimento Print). Para que isso não acon- mundo e destruir a todos nós. Trabalhe sua felicidade interior teça, é preciso transformar nos- “Para isso, é preciso que haja Faça aquilo que gosta. Se não gosta, se sa mente, a parte predominan- uma mudança de estilo de vi- Acredite que você pode ser feliz. Não se esforce e, se não funcionar, procure outras una a pessoas negativas. Se isso acontecer, te da nossa alma, acordar de da. Precisamos viver de for- coisas que o agradem irá se tornar mais negativo que elas. Tente manhã e acreditar que esse se- ma mais simples e natural e ajudá-las a se tornar mais positivas. Se elas Fonte: Marilam Sales rá o melhor dia de nossas vi- desenvolver a ética do cuida- das. “Precisamos saber que o do”, diz. I (GB)
  • 6. 6 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Comportamento OBESIDADE DIGITAL Você não consegue se desconectar da internet e enxerga a vida só através da tela de um computador? Está na hora de fazer uma “dieta” Jéssica Reis tar irritação, agressividade e violên- jessica.reis@diarioweb.com.br cia diante da frustração de não poder usar o computador. O excesso do uso de tecnologias O vício e a dependência pode cau- pode transformar as pessoas em obe- sar outros problemas, como para a sos virtuais. Parece exagero, mas é saúde física e mental, segundo a psi- exatamente isso que o segundo livro cóloga Veruska Marques de Almei- do canadense Daniel Sieberg “Digi- da. “Um exemplo é o sedentarismo, tal Diet” (Dieta Digital) afirma. Se- que ocorre quando a pessoa deixa gundo o autor, abusar dos bits e de praticar exercícios para passar bytes pode causar obesidade digital. mais horas na internet. Esses casos Ele propõe um programa em quatro têm maior incidência em crianças etapas para acabar com a dependên- e adolescentes que utilizam estes cia e encontrar o equilíbrio. recursos como forma de se dis- De acordo com Sieberg, a obesi- trair”, afirma. O convívio social e dade digital apresenta alguns sin- familiar também podem ser com- tomas, como não conseguir se des- prometido com o uso excessivo da grudar da internet e perder a cone- internet. xão com o mundo. Para a especialista, é fundamental se desligar do virtual para se conectar Essa obsessão por estar o tempo com a vida, com as pessoas. “É impor- todo conectado já tem nome: “Fo- tante passar um tempo com os ami- mo”, sigla em inglês para “Fear of gos, familiares, dar atenção às pes- missing out” (medo de perder algu- soas com quem convivemos, nos rela- ma coisa). É uma sensação que as pes- cionarmos com o outro sem que isso soas têm de que, se não estiverem co- seja por meio virtual. O ideal seria nectadas com o mundo virtual, po- uma administração do tempo: reser- dem perder as fofocas, festas, notí- var tempo para o relacionamento fa- cias, entre outras coisas nem sempre miliar, o relacionamento social e até importantes. o virtual”, recomenda Veruska. A psicóloga Sylvia Van Enck, co- Sylvia diz que, normalmente, a laboradora do Pró-AMITI do Nú- pessoa pode tentar de alguma for- Depois de tentar impor limites no cleo de Dependência de Internet do ma controlar esse uso. Por exem- uso do computador, sem muito Instituto de Psiquiatria do Hospital plo, fazendo uma agenda para que sucesso, Rosimeire Ferreira Silva, das Clínicas, em São Paulo, diz que ela possa organizar a rotina e abrir 41, resolveu tomar uma atitude é possível identificar o uso excessivo espaço para as demais atividades. mais radical. “Eu desliguei de internet como dependência quan- “Mas quando ela não consegue is- totalmente o computador. Sei que do a pessoa passa a usar essa ferra- so e passa a ser a única atividade é importante, mas eles vão ficar menta de maneira que prejudique a que a pessoa exerce no seu período um tempo sem até entenderem vida pessoal, o trabalho, os estudos, do dia ou da noite, então nós pode- que ná é brincadeira, é coisa séria” as relações de amizade. Os depen- mos considerar como alguém ne- dentes de internet podem apresen- cessitando mesmo de ajuda.”
  • 7. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 7 Como é o tratamento Quatro passos da dieta digital A psicóloga Silvana Parrei- se atendimento tem uma pro- ra de Jesus explica que esse ti- posta de 18 semanas consecuti- 1º Não usar smartphone, tablet ou acessar as redes po de dependência precisa de vas, em que são trabalhados os sociais como o Facebook e Twitter, por um ou dois dias. O tratamento. “Em relação aos ví- aspectos de conscientização do objetivo é avaliar como a tecnologia domina seu dia a dia e o cios tecnológicos, hoje é deno- uso da internet”, explica. impacto que tem em suas relações interpessoais minado de “Nomofobia”, uma A psicóloga diz que as pes- fobia ou sensação de angústia soas em tratamento gradativa- 2º Faça um balanço do número de gadgets, redes que surge quando alguém se mente percebem o que elas es- sociais e blogs que acessa. A dica é guardar tudo em uma sente impossibilitado de se co- tão deixando de viver enquan- caixa por um dia, esse tempo deve ser gasto para fazer uma coisa de cada vez, por exemplo, ouça música sem fazer mais municar por uma aparelho ce- to estão conectadas, e o que, de nada lular ou aparelho móvel. alguma maneira, facilita essa Quando percebemos que esse busca para o computador. O tra- 3º Restabeleça relações pessoais que possam ter sido vício ou fobia atrapalha ao balho desenvolvido no HC ain- afetadas de alguma maneira pelo uso da tecnologia. A partir ponto de pessoas se comunica- da faz com as pessoas vejam co- desse passo, pode começar a reintroduzir a tecnologia aos rem mais por meio das redes mo estão de se refugiando de al- poucos sociais do que pessoalmente, guma dificuldade maior que te- é necessário tratamento psico- nham, usando o computador 4º Incorpore as tecnologias que sejam realmente lógico terapêutico”, diz. como forma de alívio e prazer. necessárias e algumas que ajudam a gerenciar a sua vida. O Hospital das Clínicas, em Assim, os dependentes de in- Uma recomendação de Sieberb é sempre se livrar de algo São Paulo, criou um programa ternet podem identificar com- quando adquirir um serviço ou objeto novo para o tratamento da dependên- petências, novos interesses e Fonte: Daniel Sieberg, autor do livro “The Digital Diet” cia de internet. Segundo a psi- abrir o caminho para outras cóloga Sylvia Van Enck, o pro- áreas da vida. “O papel da fa- grama atende adultos, adoles- mília é muito importante, centes e os pais de adolescen- por esse motivo fazemos o tes. No HC, as pessoas que pre- cisam de ajuda falam da dificul- dade que estão tendo com a in- acompanhamento da famí- lia”, afirma Sylvia. As informações sobre o tra- Conexão ‘de berço’ ternet. “A pessoa, tendo interes- tamento de dependência de in- se, marca uma triagem, depois ternet do Hospital das Clínicas A nova geração de crianças Segundo a especialista, os pais formamos grupos que são aten- podem ser acessadas no site e adolescentes já nasceram co- podem colocar limites nos filhos. didos uma vez por semana, no www.dependenciadeinternet. nectadas. Hoje, é comum ver Por exemplo, limitar o uso em al- HC, e lá eles passam por uma com.br. Na página, os interessa- crianças pequenas que já sa- gumas situações, como ir para a es- avaliação psiquiátrica e psicoló- dos podem agendar um horário bem utilizar o computador, cola e não levar o celular, ou levar - gica para serem encaminhados para consulta. O tratamento é mesmo que seja apenas para jo- mas na condição de que seja usado para o tratamento de grupo. Es- gratuito. (JR) gar, ou utilizar o celular para fa- nos intervalos ou no momento em lar com os pais e enviar mensa- que a escola permite. gens para os amigos. O proble- A psicóloga Silvana Parreira ma é que, nesse caso, as crian- de Jesus complementa dizendo ças precisam que os pais moni- ‘Precisei desligar’ torem o uso excessivo das tec- nologias para que eles não se- jam as novas vítimas da depen- que os pais devem fazer com que as crianças utilizem as tecnologias para reais necessidades, que não fa- çam uma troca com a comunica- dência de internet. ção visual, isto é, na relação com o A empresária Rosimeire ce da vida quando está conec- A psicóloga Veruska Marques Ferreira Silva, 41, sabe bem tada, e eu desliguei totalmen- outro. “Para os atuais viciados nes- de Almeida afirma que a nova ge- sa tecnologia, oriento que bus- o que é impor limites aos fi- te o computador. Eu sei que ração tem acesso maior às tecnolo- quem tratamento desse vício e as- lhos quando se trata de inter- é importante para aprender, gias. “As crianças que estão nas- sim modifiquem os comportamen- net. A filha mais velha, Julia- fazer pesquisas escolares, cendo conhecem estes aparelhos tos, não ficando tão dependentes e ni Vitória Silva, 8, pediu que mas eles vão ficar sem até en- tecnológicos cedo como os brin- quedos da infância. Entretanto, de- prejudicando sua vida e seu círcu- ela comprasse um computa- tenderem que não é brinca- lo social”, recomenda. deira, é coisa séria. No come- vemos nos lembrar que é possível dor. O pedido foi atendido. viver sem essas tecnologias. O A orientação de Sylvia é que as “Ela começou a deixar de fa- ço ela não gostou, mas de- crianças possam usar a internet pois acabou concordando”, ideal é policiar nossos hábitos na zer os deveres escolares para utilização desses recursos para que em determinados momentos e in- diz a mãe. tercalar com atividades como es- entrar no Facebook. Colo- continuem facilitando nosso dia a Rosimeire lembra que porte, tempo para os estudos. “O quei o limite de que ela só dia, sem nos prejudicar”, alerta. até o filho mais novo, o pe- que nós percebemos é que quando iria entrar de sábado e do- Para a psicóloga Sylvia Van queno Otávio Miguel Silva, chega nesse uso abusivo o contro- mingo, quando estou em ca- Enck, existe uma preocupação em Edvaldo Santos 30/7/2012 4, já sabe ligar o computador relação ao uso desmedido e sabe- le fica muito difícil e as pessoas aca- sa e posso ver com quem ela para jogar. Para a empresá- se que uma das causas do incenti- bam se distanciando do convívio conversa”, conta. ria, as crianças aprendem familiar, e os pais, para evitar con- vo é a compra dos celulares. “A Mas Juliani não obede- com muita facilidade e os frontos, acabam cedendo. O im- maioria dos jovens e grande parte ceu a mãe e continuou a aces- pais precisam impor limites das crianças já tem o seu celular, portante seria manter o computa- sar a rede social e deixar os para que o acesso à internet com todos esses acessos, e isso é dor num ambiente que seja co- estudos de lado. “Ela conti- não se torne um problema um motivo de preocupação por- mum à família, para que os pais nuou desobedecendo, esque- no futuro. (JR) que acaba gerando apego, depen- possa monitorar o que os filhos es- dência”, diz. tão acessando.” I (JR)
  • 8. 8 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Saúde ADULTOS VACINADOS Vacinação infantil no Brasil Elen Valereto ta. O problema, no entanto, é exemplar, o problema elen.valereto@diarioweb.com.br não é exclusivo do Brasil, e foi tema de discussão da Socieda- está no convencimento Em gotinhas ou em inje- de Brasileira de Imunização ções, doses de saúde têm sido (SBIm), na 14ª Jornada Nacio- dos mais velhos disponibilizadas em todo o nal de Imunizações, em Salva- mundo para imunizar a popu- dor, Bahia, no mês passado. lação, na procura de prevenir e A abordagem tem seus mo- erradicar várias doenças. Em- tivos. A cobertura vacinal em bora os estudos não tenham pa- crianças e adolescentes tem rado para obter novas desco- atingido números muito posi- bertas nessa área, uma batalha tivos devido às campanhas e paralela é manter a parcerias feitas em toda a socie- conscientização nas pessoas so- dade para promover e oferecer bre a importância de manter a cada vez mais pontos de distri- vacinação sempre em dia. buição de vacinas. A preocupação é em razão O assunto chega às casas pe- da cultura de “esquecer” ou la televisão, revistas, pelo rá- não achar necessárias as vaci- dio, jornais, de boca em bo- nas de reforço ou indicadas es- ca, no carro de som do bair- pecificamente para a fase adul- ro e por informação de pro-
  • 9. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 9 fissionais de saúde. A dedicação se canal de divulgação, uma vez SBIm, a Organização Mundial da ro levantou uma bandeira contra a para manter as crianças vacina- que os próprios profissionais de Saúde (OMS) evita 3 milhões de vacinação, reconhecendo a impor- das e imunes a doenças que cau- saúde são o conato direto para mortes todos os anos com as medi- tância da imunização. savam sérios problemas à saúde informar e mostrar a necessida- das preventivas da vacinação. No pública é exemplar, o que não de da vacinação. entanto, a organização chama a Estratégias acontece, contudo, com os pró- A imunização também dos adul- atenção para esses espaços criados prios adultos. tos é uma forte ferramenta para garan- pela população, o que pode abrir O profissional de saúde está ha- As medidas preventivas para a tir a erradicação de doenças como a va- caminho para o retorno de doen- bilitado a observar o calendário va- saúde são deixadas de lado e substi- ríola e o controle do sarampo, polio- ças como o sarampo. cinal das pessoas e indicar uma tuídas pelas horas de trânsito, traba- mielite, rotavírus, entre outras. “Man- A pediatra Isabella Ballalai atualização de vacinas. Esse proce- lho, horas extras e cursos para bus- ter a caderneta atualizada não é para lembra que, décadas atrás, doen- dimento ajuda a diminuir car uma promoção profissional. A proteger apenas um, mas em relação à ças como poliomielite, rubéola, té- o número de adultos com vaci- saúde, que é a responsável por man- proteção de todo um grupo. Quanto tano, difteria e sarampo causavam nas atrasadas. ter toda essa disposição e empenho, mais pessoas mantêm-se vacinadas, muitas enfermidades, hospitaliza- Algumas campanhas de saúde nunca é prioridade. A verdade é que menor a chance da circulação de agen- ções, deixavam sequelas e até leva- vão até mais longe. Para evitar o o adulto tem o hábito de procurar tes e transmissão para outras. É uma vam à morte. “O sarampo era a avanço desses números de adultos ajuda somente quando sente que al- proteção indireta e garante a qualida- doença que mais matava. Depois, displicentes, não só disponibili- go realmente não vai bem. de de vida para todos”, destaca o pedia- os índices de mortalidade infantil zam os pontos de vacinação em Segundo a presidente da SBIm- tra Renato Kfouri, presidente da mudaram muito com a vacina- praças, escolas, igrejas e shoppin- Rio de Janeiro, a pediatra Isabella SBIm-Nacional. ção”, diz. gs, mas formam parcerias para che- Ballalai, a estratégia para reverter Depois do episódio da Revolta gar a ambientes de trabalho. Os re- esse quadro é sempre a informa- Prevenção reconhecida Vacina, no início da década de sultados são positivos, mas é preci- ção. Uma parceria com o Minis- 1920, no Rio de Janeiro, nunca ne- so, sempre, conscientização para a tério da Saúde pode facilitar es- De acordo com dados da nhum outro movimento brasilei- proteção coletiva. Desinformação cria alguns ‘mitos’ Entre as vacinas que precisam adulto brasileiro é a crença de que so como desculpa para deixar de múltipla, no caso direcionada a receber doses de reforço na fase adoecerá, caso seja vacinado. levar a criança para tomar as pró- crianças. Equívocos como esses adulta estão a febre amarela e a du- Os efeitos negativos são des- ximas doses. compreendem questões defendi- pla tipo adulto – protege contra mistificados por Kfouri. Ele diz “Reações podem dar, mas em das por algumas doutrinas médi- difteria e tétano adulto –, que de- que há a possibilidade de algumas qualquer vacina, como uma febre cas e o uso de medicamentos alo- vem ser tomadas uma vez a cada sensações adversas, mas muito leve ou uma dor local, mas são mui- páticos, o que só atrasa o avanço da erradicação de mais doenças. dez anos, e a influenza sazonal, re- brandas, e não somente com a va- to passageiras e previstas, e com cer- “O motivo maior é a não infor- comendada anualmente. No caso cina da gripe. Os pais, por exem- teza compensam pelo afastamento mação, por isso temos de traba- da vacina da gripe, amplamente plo, notam quando os filhos ficam do risco da doença”, diz o pediatra. lhar, informar e fazer campanhas divulgada nos últimos anos após a mais irritados ou sonolentos em Outras crenças fazem ligação educativas”, destaca a pediatra Isa- pandemia da HIN1, em 2009, o uma eventual vacina, mas isso é das vacinas com o desenvolvimen- bella Ballalai, presidente da SBIm- comportamento displicente do passageiro. Nem por isso usam is- to de câncer, autismo ou esclerose Rio de Janeiro. I (EV)
  • 10. 10 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Evento Todos pela sua boca Congresso de Saiba ortodontia reúne TEMAS DA PROGRAMAÇÃO profissionais para CIENTÍFICA Ancoragem absoluta debater e conhecer com mini-implantes Aparelhos ortodônticos novidades na autoligáveis área ortodôntica e Biomecânica em ortodontia trocar experiências Diagnóstico e planificação do tratamento Disjunção maxilar Elen Valereto elen.valereto@diarioweb.com.br Distúrbios do sono Estética facial Compartilhar técnicas ino- vadoras, discutir temas contem- Fios ortodônticos porâneos nacionais e interna- Imaginologia em cionais e apresentar aparelhos ortodontia novos. Esse é o foco do encon- Oclusão e ATM I tro entre ortodontistas brasilei- ros e de várias partes do mundo no 18º Congresso Brasileiro de Ortodontia - Orto 2012. lho, coordenador da Alpha O evento, que ocorre en- Smile Centro de Cursos e Pes- tre os dias 27 e 29 de setem- quisas Odontológicas, em bro, em São Paulo, é a porta Campinas. de entrada para a exposição e O tema abordado pelo pro- troca de novas ideias e estu- fissional será “Mordida aber- dos, além de experiências ta esquelética cirúrgica trata- bem-sucedidas entre os pro- da sem cirurgia ortognática – www.sxc.hu/Divulgação fissionais da área. Automati- Atualidades e avanços em camente, o que mostra-se efi- diagnóstico e tratamento”. caz é incorporado ao trabalho Ele explica que o interesse na diário dos ortodontistas, dan- área surgiu depois de se frus- do mais e melhores opções de trar no tratamento de uma pré-adolescente, ocasião em tratamento para os pacientes. que aplicou tudo o que conhe- A programação prevê a cia-se sobre mordida aberta participação de 12 professo- convencionalmente. res internacionais, 200 con- “O que parecia fácil era gressistas nacionais e exposi- muito difícil e na época não ção de 400 painéis de ativida- tinha subsídios de diagnósti- des científicas e mesas clíni- que mostrarão o que há de uma vez que os ortodontis- gurança necessária para por co suficientes para entender, cas. De acordo com o coorde- mais atual em tecnologia pa- tas, como profissionais de em prática esses conhecimen- classificar e fazer a previsão nador científico do Orto ra nossa profissão.” saúde que são, têm de ter o co- tos”, destaca Cotrim. de crescimento. Hoje, sabe- 2012, o ortodontista Flávio A escolha dos assuntos, se- nhecimento técnico ligado à Entre os temas discutidos mos que há a possibilidade Cotrim, há ainda 15 cursos gundo o coordenador científi- evolução da ciência. e abordados inclusos na pro- de autocorreção, mas um ter- nacionais na grade educacio- co do evento, procurou ser “Esses assuntos devem ser gramação científica estão ço evolui para mordida aber- nal e o comparecimento de bem abrangente e atual. A se- ministrados por professores “Distúrbios do sono”, ta dentoalveolar ou esqueléti- cerca de 5 mil congressistas. leção também se baseou em e profissionais que ancorem “Disjunção maxilar”, “Estéti- ca”, informa. I “Apoiando essa grande acrescentar temas de grande sua experiência clínica em ca facial”, “Oclusão e ATM” iniciativa estarão ainda cerca interesse clínico dos ortodon- forte base científica. Isso por- e “Aparelhos ortodônticos au- Serviço 18º Congresso Brasileiro de Ortodontia, de 80 expositores comerciais tistas com a finalidade de se- que uma programação de con- toligáveis”. Um dos partici- do dia 27 ao 29 de setembro, das 9h às do setor, apresentando produ- rem facilmente incorporadas teúdos baseados em evidên- pantes das conferências é o 19h, no Pavilhão Azul da Expo Center tos nacionais e importados ao trabalho nos consultórios, cias dará ao congressista a se- ortodontista Daniel Ianni Fi- Norte, em São Paulo
  • 11. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 11 Josinel B. Carmona Psicólogo Rubens Cardia A criança e o idoso A vida só vale a pena quando temperada de compaixão. Cuidar é o exercitar da gratidão, uma oportunidade de melhorar esse mundo cheio de desequilíbrios www.sxc.hu/Divulgação “Visto que nossa vida come- ça e termina com a necessidade de afeto e cuidados, não seria sensato praticarmos a compai- xão e o amor ao próximo en- quanto podemos?” Essa proposição é atribuída ao atual Dalai Lama. Que ver- dade mais profunda! Numa vida não interrompi- da por nenhum acidente ou doença fatal, certo é que todos fomos crianças e seremos ido- sos. Duas das fases mais impor- tantes da vida; duas lindas fa- ses da vida e tenho certeza que não estou romantizando, basta apenas um pouco de sensibili- dade e coragem para olhar para uma criança e um idoso para perceber sua fragilidade, sua ne- cessidade de assistência e com- panhia. Não me refiro apenas a um cuidar técnico, falo de um olhar carinhoso e amoroso. Quando apelo para a neces- sidade de coragem, estou falan- do de um medo que parece nos rondar quando estamos diante desses dois extremos da vida. Podemos experimentar medo de não saber o que fazer, medo crianças e ainda não idosos, é deiras necessidades, para o ou- de conforto e acolhimento, isso da proximidade, medo de emo- nossa oportunidade de, no mí- tro e suas necessidades. Quan- é uma oportunidade valiosa de ções profundas de amor, medo nimo, devolver aquilo que rece- to medo temos de perceber que melhorar esse mundo cheio de da entrega, medo de tocar e ser bemos: os cuidados que nos nos afastamos de maneira peri- desequilíbrios e sofrimento. tocado, medo da vida e medo permitiram estar aqui. gosa de valores importantes da Fica aqui uma reflexão so- da morte. A coragem se refere a Nem sempre pensamos vida. Que comodismo delator bre o que cada um pode fazer enfrentar as próprias barreiras nisso, talvez para mantermos de uma patologia coletiva: não para melhorar a vida, para ge- e travas emocionais, enfrentar a cômoda atitude do nada em sabemos cuidar. rar um sorriso, aquecer um co- o egoísmo e aprender a doar relação ao outro numa A vida só vale a pena quan- ração e afastar a solidão, o aban- presença, sorriso, o cuidar, a vivência cada vez mais auto- do temperada de compaixão e dono, a rejeição, o descaso e a fraternidade de assistir um que centrada e egoísta. amor, esse é o verdadeiro senti- ingratidão. ainda nada pode fazer e só pre- Nessa sociedade violenta, do da assistência e da materni- o ser humano é gregário, cisa receber para crescer e ou- que precisa criar um estatuto dade. Cuidar é o exercitar da nos reconhecemos através do tro que já não pode mais fazer e para proteger a criança, delega- compaixão e da gratidão. outro, precisamos do outro pa- precisa receber para manter-se cias da mulher, filas especiais Acredito que ter a possibili- ra nos sentirmos amados, admi- vivo, alegre e saudável. para idosos e gestantes, leis pa- dade de cuidar e poder oferecer rados e queridos, nossa impor- Como é profunda e verda- ra as minorias, estamos cheios qualquer coisa, por menor que tância pessoal passa pelo outro, deira essa reflexão! de exemplos de nosso míope seja, a alguém que precise, con- mas nem sempre percebemos Agora que não somos mais olhar para a vida e suas verda- tribuir para criar uma sensação que somos o outro do outro. I
  • 12. TV - 12 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Perfil INTENSIDADE LATENTE Mayana Neiva se distingue com personagem sedutora e misteriosa em “Amor Eterno Amor” Jorge Rodrigues Jorge/Divulgação TV Press A exótica harmonia de Instantâneas Mayana Neiva explica a diversi- dade de suas personagens na te- Há poucos meses, em Cannes, Mayana Neiva vê. Atualmente na pele da mis- estreou o longa argentino teriosa Elisa, em “Amor Eter- “Infância Clandestina”, no Amor”, a breve trajetória da onde vive uma guerrilheira atriz na tevê tem sido ascenden- dos anos 70. “Ele foi te. Sua primeira aparição foi há aplaudido de pé por 15 cinco anos, como a antagonista minutos. Foi lindo. Me senti Heliana da microssérie “A Pe- totalmente dra do Reino”, de Luiz Fernan- latino-americana”, valoriza. do Carvalho. Foi quando ela te- No final de 2012, entra em ve de raspar a cabeça para a his- circuito o longa “Vendedor de Passados”, dirigido por tória gravada no sertão da Pa- Lula Buarque de Hollanda, raíba, terra natal da atriz de 29 Atriz, de olhos Atriz, de olhos da Conspiração Filmes, no anos. No ano seguinte, viveu a expressivos e boca expressivos e boca qual Mayana contracena ex-modelo Karina na densa mi- carnuda, possui uma carnuda, possui uma com Lázaro Ramos nissérie “Queridos Amigos”, extravagância que se extravagância que se quando chamou atenção de destaca nos papéis destaca nos papéis Durante as gravações Maria Adelaide Amaral, que lo- mais exuberantes mais exuberantes de “Ti-Ti-Ti”, Mayana operou o joelho e até hoje go a escalou para viver a explo- faz sessões de fisioterapia siva Desirée no “remake” de para normalizer os “Ti-Ti-Ti”. Na verdade, a movimentos na região atriz de olhos expressivos e bo- ca carnuda possui uma extrava- A atriz nasceu em gância que se destaca nos pa- Campina Grande, na sim como eu, tem muita curio- mesmo que seja através de rápi- de Oliveira. “Gente, aqui não Paraíba, mas deixou sua péis mais exuberantes. Foi jus- sidade com a vida, uma sede de das participações em produ- tem glamour nenhum. É só cidade natal aos 15 anos tamente por isso que Mayana viver enorme, mas é bem mais ções, como na novela “Cordel suor! É um sacerdócio de se- de idade. Foi fazer o “high explica que decidiu entrar na contida. Eu sou de gargalhadas Encantado”, nas minisséries gunda a sábado. Mal tenho tem- school” na Califórnia, nos trama das seis suavizando ao altas”, diverte-se. “Dercy de Verdade” e “Dalva e po de cuidar de mim. Quando Estados Unidos máximo suas expressões fa- Especializada em Drama Herivelto - Uma Canção de chega domingo, estou exausta ciais. “Trabalhei com o olhar Apesar do insistente pela Faculdade de Artes Cêni- Amor” ou no seriado “Som & de viver outras pessoas e só pen- puro e curioso da Audrey Tau- sotaque nordestino de cas de São Francisco, na Fúria”, a atriz atribui, diploma- so em ser eu, pelo menos um Mayana, a atriz não tou no longa ‘Amélie Poulan’ e Califórnia, Mayana morou ticamente, suas personagens de pouquinho”, brinca, antes de precisou fazer sessões de com uma ‘boca de desejo’. tempos nos Estados Unidos destaque à generosidade das emendar. “Nessas horas, só fonoaudiologia para viver Construí a Elisa a partir dessa até decidir voltar ao Brasil pa- equipes que têm trabalhado. lembro do Jorginho Fernando Elisa. A personagem contradição”, entrega. ra seguir a carreira de atriz. “Estava louca para ser dirigida em ‘Ti-Ti-Ti’ me ensinando a também exigia um leve Na história de Elizabeth Foi quando chamou a atenção pelo Papinha. Todo mundo di- me divertir quando tinha 22 ce- sotaque interiorano Jhin, a identificação da atriz de um olheiro que a convidou zia que eu ia amar essa equipe e nas para gravar. Ele dizia: ‘se com a personagem começa na a participar do concurso Miss não deu outra”, elogia, referin- apropria do cenário, solta o in- simpatia pela religião espírita, Paraíba 2003, de onde saiu ven- do-se ao diretor Rogério Gomes, consciente e brinca!’. Isso fez a mesma da atriz. “Se você já cedora. “Ser miss foi mais uma responsável pela trama das seis. toda a diferença na minha vi- do nos Estados Unidos, onde tem familiaridade com o assun- personagem para mim. Sem- “Aqui (os diretores) Pedro Vascon- da”, destaca. morou, chamava-se Lunik em to, se apropria muito melhor pre fui desengonçada. Queria é cellos e a Roberta Richards foram homenagem ao satélite soviéti- dele. Mas a trama fala de valo- que as pessoas me conheces- atores. Isso muda tudo na hora de Entonação libertária co. Para a atriz, o canto, diferen- res do ser humano”, observa sem para levar público para a dirigir atores. A Roberta chega a temente da interpretação, tem Mayana, que não disfarça a pos- minha peça. Mas me orgulho dar toques nomeu ouvido ao medi- O papel dos sonhos de uma vertente mais autoral. “O sível e crescente vilania da per- de ter representado meu esta- rigir”, elogia. Mayana Neiva é interpretar ator vive em seus personagens. sonagem, que finge ser o amor do”, avalia. Na trama das seis, a atriz uma cantora na tevê. A atriz, Você nunca sabe direito quem de infância do protagonista Ro- O que Mayana realmente se tem ficado a semana inteira no que mora em São Paulo, já che- ele é. O cantor não. E cantar drigo, de Gabriel Braga Nunes. orgulha é de seu meteórico re- Rio para conseguir gravar cer- gou a ter três bandas de rock pa- me libera. Quando fazia show, “O público está muito com o conhecimento na Globo. Sem ca de 15 cenas diárias na histó- ralelamente à carreira de atriz. chegava em casa calminha”, pé atrás com ela. Mas a Elisa, as- sair do ar desde a sua estreia, ria de Filipe Miguez e Izabel O último grupo musical, forma- lembra, saudosista. I
  • 13. DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 / 13 - TV Zapping TV Press Pedro Paulo Figueiredo /Divulgação tores Gustavo Sarti e Matheus Mazzafera. A vence- quenta classes com uma professora para atenuar o sota- dora ganha um contrato de R$ 150 mil para ser mo- que lusitano. Recentemente, Paulo Rocha assinou con- delo exclusiva da marca Ana Hickmann. trato com a Globo com exclusividade até 2015. A nove- la, escrita por Silvio de Abreu, estreia em outubro. Virando gente Vai e volta grande A nova temporada da série “Louco Por Elas”, da Globo, As inscrições para o “reality show” “Quem Quer Casar estreia em outubro. A produção deve ser interrompida com Meu Filho?”, da Band, estão abertas no portal por três semanas em dezembro por conta das festivida- “www.band.com.br/quemquercasarcommeufilho”. A des de fim de ano e voltará ao ar com inéditas em janeiro produção busca mães que desejam encontrar uma mu- de 2013. João Falcão, autor e diretor geral do projeto, já lher para seus marmanjos e rapazes que desejam sair da está envolvido com os 18 episódios encomendados pela casa dos pais e que ainda buscam um amor. De acordo emissora. com o formato do programa, a primeira temporada será composta por cinco homens de diferentes idades, cujas pretendentes foram selecionadas pelas mães deles. Em Rebelde sem causa ‘Se arrependimento determinado momento, eles decidirão se querem casar ou permanecer sob os cuidados da mãe. O programa de- Juliana Paiva está em contagem regressiva para a estreia da nova temporada de “Malhação”, a partir do próximo ve estrear em novembro. matasse...’ dia 13. Para viver a rebelde Fatinha, a atriz precisou mu- dar o visual e agora está com os cabelos louros e compri- Nado Grimberg foi quem sugeriu que seu personagem, o Ruço de “Cheias de Charme”, da Globo, tivesse tran- Homem de fé dos. Na trama, a adolescente adora sentar no fundo da sala de aula, seduz os garotos e exagera na maquiagem. Apesar desta propaganda toda, ela é romântica e vir- ças. “Mas dói muito”, confessa, entre risos. Apesar da Rodrigo Lombardi será Theo em “Salve Jorge”, substi- gem. Ao longo da história, ela irá se apaixonar por Bru- dor, o ator, que garante adorar o penteado, ainda precisa tuta de “Avenida Brasil”, na Globo. Na trama, ainda pe- no, de Rodrigo Simas, que não dará bola para a moça. conviver com as brincadeiras de parte do elenco. “Eles queno, o personagem ficou soterrado durante uma en- ficam me sacaneando porque falei que ficaria assim o chente em Petrópolis, na região serrana do Rio, onde ano todo. Mas não dá”, admite. morava. Após ser dado como morto, o menino foi acha- do por um vizinho embaixo dos escombros. O garoto foi Imensidão azul resgatado no Dia de São Jorge. Desde então, até mesmo Pato Branco na fase adulta, ele não sai de casa sem uma medalha e fi- ta do santo guerreiro. Por enquanto, o ator segue gravan- Em “Passado Próximo”, título provisório da substituta de “Máscaras”, na Record, Juliana Silveira será Isabel. Na trama, assinada por Gisele Joras, a moça é uma arqui- A partir do dia 24 de agosto, às 20h30, o Canal Viva re- do na Turquia, com os demais integrantes do elenco. A teta de sucesso, que nas horas vagas pratica pesca subma- prisará a segunda temporada do seriado “Toma Lá, Dá novela é de Glória Perez e estreia em outubro. rina. Para não fazer feio em cena, a atriz tem feito mergu- Cá”. O elenco é composto por Adriana Esteves, Miguel lhos e pesca submarina com frequência. A novela estreia Falabella, Marisa Orth, Diogo Vilela, Arlete Salles, Stella Miranda e Fernanda Souza, entre outros. O pro- grama foi exibido originalmente entre 2007 e 2009. Outro formato em outubro. O filme “Xingu”, de Cao Hamburger, está sendo edita- do e em 2013 estreará na Globo como minissérie. A pro- Agora vai Olho gordo dução será exibida em quatro episódios com material inédito e contará a saga dos irmãos Villas Boas, que des- Finalmente o seriado policial “A Teia” sairá do papel. A produção, que será dirigida por Márcio Garcia, tem dire- Pela primeira vez na carreira, Sheron Menezes interpre- bravam as florestas do Brasil Central. A obra é protago- ção de núcleo de Rogério Gomes, o Papinha. Estão pre- tará uma vilã. Em “Lado a Lado”, próxima novela das nizada por João Miguel, Felipe Camargo e Caio Blat, vistos 10 episódios e a estreia só deve acontecer no se- seis da Globo, a atriz será Berenice, uma jovem que divi- que vivem Claudio, Orlando e Leonardo Villas Boas, gundo semestre de 2013. Com texto de Bráulio Manto- de o cortiço com Isabel, de Camila Pitanga. “Ela é inve- respectivamente. vani e Carolina Kotscho, o projeto luta para conseguir josa e fará tudo para atrapalhar a vida da colega. Essa per- formar o elenco, que está cada vez mais disputado pelas sonagem é mesquinha e acredita que a beleza é suficien- te para conseguir o que ela quer”, conta, aos risos, João Ximenes Braga que assina o folhetim com Claudia La- ‘Se ela dança...’ produções da Globo. ge. A trama deve estrear em setembro. O quadro “Dança da Galera”, do “Domingão do Faustão”, será gravado a partir de outubro. Por enquan- Exercício de estilo to, uma equipe do programa viaja em diferentes cidades Luz na passarela em busca das candidatas para a segunda edição do proje- to. Apesar disso, a exibição do quadro só acontece no pri- As gravações de “Subúrbia”, nova minissérie assinada pelo diretor Luiz Fernando Carvalho, já começaram. A trama, assinada pelo diretor e por Paulo Lins, contará a A Record marcou a estreia do “Top Model – O Reali- meiro semestre de 2013. história de Conceição, ou Ceição, uma bela jovem negra ty”, quadro do “Tudo É Possível”, para o próximo e pobre, nascida no interior de Minas e que mudou para dia 19. As 24 candidatas estão confinadas em Itu, in- terior de São Paulo, na casa de Ana Hickmann, apre- sentadora da produção ao lado de Ticiane Pinheiro. Aluno aplicado o Rio de Janeiro. Por conta da sua beleza, ela passará por diversas provações ao longo da vida. Os atores do proje- to não são consagrados. Entre as locações, estão os bair- Os testes de vídeo, passarela e fotos serão realizados Paulo Rocha tem feito aulas de fotografia para viver o fo- ros de Madureira, Piedade e Ilha do Governador, na Zo- a partir do dia 15. Entre os jurados estão Zeca tógrafo Fábio no “remake” de “Guerra dos Sexos”, pró- na Norte do Rio. A produção irá ao ar em novembro e Abreu, dono de uma agência de modelos, e os consul- xima novela das sete da Globo. Além disso, o ator fre- terá oito capítulos. I
  • 14. TV - 14 / São José do Rio Preto, 5 de agosto de 2012 DIÁRIO DA REGIÃO Entrevista DOCES TIRANOS Colecionador de vilões na teledramaturgia, Jonas Bloch se sobressai com o poderoso chefão de ‘Máscaras’ Luiza Dantas/Divulgação TV Press nagens de televisão usando metáforas. Ele quebra um pouco os clichês das novelas e Jonas Bloch é daqueles atores que ri seus estereótipos. com os olhos enquanto conversa. Por isso Pergunta - Você define o Big Blond se difere tanto da maioria de seus persona- como um poderoso chefão. Teve algu- gens na tevê, quase sempre vilões. Como o ma inspiração na trilogia do Francis misterioso Big Blond, o poderoso chefão da Ford Coppola? máfia de “Máscaras”, da Record, que alter- Jonas Bloch - Acho que não. Cheguei a na sua bipolaridade com a paixão explícita conversar sobre isso com o autor e diretor, por Eliza, protagonista vivida por Paloma mas criamos um personagem próprio, real- Duarte. Com inacreditáveis 73 anos de ida- mente diferente de todos os vilões que fiz, de, este ator mineiro, descendente de ju- principalmente na Record, que eram empre- deus ucranianos, pai da atriz Débora Bloch sários e grandes canalhas. Esse é uma mistu- e sobrinho neto de Adolpho Bloch - funda- ra. Fico surpreso porque o público gosta dor da extinta Manchete - percorreu diver- muito dele. Percebo pelos meus colegas da sas emissoras em seus 54 anos de profissão. novela, que dizem que o Big Blond é sem- Tamanha dedicação à carreira deixou mar- pre assunto nas redes sociais. cas no diretor e ator, que pensa em se apo- Pergunta - Você pode explicar como sentar em breve. “Quero colocar o pé no foi essa composição? freio, escolher melhor e dizer mais ‘nãos’. Jonas Bloch - De muitas formas. Mas os Mas gosto da profissão. Ainda fico excitado autores costumam dizer que tem uma hora quando entro no estúdio”, afirma, apertan- que os personagens falam sozinhos. Você do os olhos azuis pouco antes de avaliar não precisa mais criar. Comecei a fazê-lo co- seus seis anos na Record. “Quando cheguei mo uma pessoa bipolar, que tem rompan- na emissora e vi todo o elenco que era da tes. Cheguei a gravar cenas assim, em que Globo, falei: ficou alguém lá para apagar a ele estava em um estado e, de uma hora para luz?’”, diverte-se Jonas, com seu “physique outra, tinha uma explosão. Depois ele ficou du rôle” do Leste europeu, que definiu gran- mais comedido. Agora ele passa por uma sé- de parte de seus personagens na tevê. “Se a rie de transformações, ganha e perde poder. história se passava no Nordeste ou se tinha Isso é bem interessante porque não é algum sinhozinho, eu estava fora”, admite, monocórdio. Ele é um vilão apaixonado, aos risos. que é capaz de fazer loucuras pela mulher. Pergunta - O Big Blond é um dos mui- Isso é uma coisa rara na vilania. tos vilões que você já viveu na tevê. Co- Pergunta - Já que você “coleciona” vi- mo você o diferenciou para não cair no lu- lões na tevê, a que atribui tantas gar-comum? escalações voltadas para a maldade? Jonas Bloch - No início eu estava preo- Jonas Bloch - Mas também já fiz ho- cupado se ele seria um vilão igual aos ou- mens bons! (risos). Os meus vilões realmen- tros. Mas percebi que não era e isso me agra- te são mais marcantes. As pessoas sempre dou muito. Ele é um vilão apaixonado pela lembram mais deles. Fiz desde o bandidão Eliza (personagem da Paloma Duarte), tem barra pesada em “Corpo Santo” (na extinta sonhos internacionais, é um outro tipo de Manchete), como fiz um canalha em “A Via- malvado. Pensei em começar a fazê-lo mais gem”. Com a idade, você vai fazendo mais racional, mais frio. Em televisão é assim: empresários, caras poderosos. Mas eles são você inicia de um jeito e logo vem o autor e muito interessantes. Têm um fogo de ambi- o diretor modificando. Mas ele acabou vi- ção e poder que gera interesse no público. rando um personagem emocional, sanguí- Alguns eu tento fazer maus mesmo. Na épo- neo e calculista. O Lauro César tem uma ca que fiz o Russo, do “Corpo Santo”, que tradição de dramaturgia muito grande e fez foi um sucesso imenso, havia uma uma proposta muito interessante para o glamourização da bandidagem. Um margi- Big Blond, totalmente fora dos padrões de nal foi fotografado e virou capa de revista. A televisão. Ele acaba sendo um galã. Tem tendência, até pouco tempo atrás, era mos- um envolvimento político e aborda questio- trar que o herói do garoto do morro era o tra- namentos distantes do universo dos perso- ficante. Depois que houve aquela invasão às Jonas Bloch, em forma aos 73: “Meus vilões são realmente mais marcantes”