SlideShare uma empresa Scribd logo
aula_SP_precarizacao.pptx
Transformações no mundo do trabalho
Sociologia – 2ª Série – Ensino Médio
Professoras Jenifer Souza e Fabiana Wharton
Identificar as transformações no mundo do trabalho: as mudanças no processo e na
organização do trabalho.
Habilidade
Vocês conhecem alguma ocupação/ profissão que ao
longo do século XX deixou de existir? Qual ou quais?
Perguntas
gettyimages
Observem as transformações nos anúncios de busca pela ocupação de secretárias:
Mudanças nas exigências de habilidades
Elaborado com informações fictícias para fins didáticos
Com os processos de inovação e incremento
tecnológico no processo produtivo, muitas profissões
deixaram de existir ou tornaram-se muito raras.
Transformações das ocupações
Por exemplo, deixou de existir a
de telegrafista e passaram a
existir as de secretária e web
designer.
Assim, o desenvolvimento da indústria para o setor de serviços
promoveu muitos impactos no mercado de trabalho.
gettyimages
O trabalho é algo importante em nossa sociedade? Vocês já foram perguntados sobre
“o que você vai ser quando crescer”? Para que curso você vai prestar vestibular? Que
profissão você gostaria de exercer? O que significa desemprego na vida das pessoas?
Por que as pessoas ficam desempregadas?
Perguntas
©Pixabay
Atualmente, devido às taxas de desemprego, muitas pessoas têm dificuldade de
entrar no mercado de trabalho. Os jovens são uma grande parcela da população
que sofre com o desemprego, especialmente no primeiro emprego. A cada dia,
aumentam os requisitos para conseguir um emprego (ensino médio, experiência,
formação acadêmica ou técnica etc.). Muitas pessoas, mesmo com esses
requisitos, não conseguem um emprego e entram no mercado informal. Mas
quais são os impactos das mudanças no mundo do trabalho ao longo da
história? – Enfatizar que essas
Compreender a complexidade referente às diferenças entre trabalho, emprego e
desemprego é fundamental. Além disso, faz-se necessário entender as mudanças
entender as mudanças nas reestruturações produtivas e os desafios que todos
enfrentamos para sobrevivermos na contemporaneidade.
Transformações no mercado de trabalho
©Pixabay
Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, 2020. Disponível :
<https://www.ibge.gov.br/explica/desemprego.php>. Acesso em: 07 set. 2020.
De acordo com a metodologia usada pelo IBGE na Pesquisa Nacional por
Amostra de Domicílios Contínua – PNAD, este é o número de
desempregados no Brasil.
Reflita
©Pixabay
1 min
IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, 2020. Disponível em:
<https://www.ibge.gov.br/explica/desemprego. php>. Acesso em: 07 set. 2020.
Reflita
©Pixabay
A economia de um país pode ser dividida em três setores: o Primário envolve a agricultura, a
pecuária e o extrativismo animal e vegetal; o Secundário é o setor da indústria, da construção
civil; e o Terciário é o setor de serviços (advogados, professores, trabalhadores informais etc.).
CC BY-SA 3.0. Wikimedia Commons. Disponível em:
<https://commons.wikimedia.org/wiki/File:The_distribution_
of_the_workforce_among_the_three_sectors.png>.
Relembrar: setores de produção
No Brasil: setores de produção
Segundo o IBGE, mais de dois terços (67,7%) da população
ocupada trabalhava no setor terciário da economia, 14,2% na
indústria em geral, 10,4% no setor primário e 7,7% no setor de
construção.
Disponível em :
<https://www.abbt.org.br/plutofiles/folder_of_rel_ar
quivo/vkixGDEcNMWaMd6QEqnjfpcDxJk65G2CMYCXf
w1W/2017_08_25_08_48_30_5operfildaforcadetrabal
ho.pdf>.
gettyimages
Trabalho, conceito tão antigo quanto a existência
humana, consiste no esforço humano dotado de um
transformação da natureza através do dispêndio de
mentais. Transforma a natureza, produz bens e serviços,
de existir contrato.
Emprego é a forma histórica do trabalho no sistema
capitalista. Pode estabelecer uma relação formal ou
autônomo ou prestador de serviços) e, mais ou menos,
entre quem organiza o trabalho (empregador) e quem
(empregado). O conjunto de leis que regulamentou os
foi a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), instituída
em 1943.
Relembrando os conceitos
gettyimages
Reestruturações produtivas
©Pixabay
https://youtu.be/jFKR0fQYU
mg
As reestruturações produtivas são elementos estruturantes do sistema capitalista. Em tempos em tempos,
com a busca por aumentar os lucros, ocorrem transformações no sistema de produção. Essas mudanças
não são apenas tecnológicas, mas também políticas, ideológicas e sociais.
• Contexto de crescimento da industrialização (séc. XIX e XX);
• O mecanismo central do capital: a busca incessante pelo lucro;
• O que demanda o desenvolvimento e a inovação tecnológica também incessantes;
• Nesse sentido, as reestruturações produtivas têm um papel fundamental na
reprodução do sistema capitalista de produção;
• Algumas vezes, as reestruturações produtivas acontecem em contextos de crises
econômicas;
• Refletiremos sobre os modos Taylorista-Fordista e Toyotista.
Reestruturações produtivas
Ao longo do tempo, a produção industrial teve grandes transformações. Foram
muitas as consequências sociais das reestruturações produtivas. Frederick Taylor
(1856-1915), ainda no século XIX, criou um novo método de administração do
trabalho nas linhas de produção, um tipo de gerência produtiva que mudou
que mudou completamente o ritmo de trabalho.
Em vez de um trabalhador desempenhar várias funções na produção de
mercadorias, ele implantou a divisão do trabalho, o gerenciamento do tempo e de
movimentos. Com a divisão das tarefas (especialização das atividades) em etapas
Reestruturações produtivas
©Pixabay
A fábrica de automóveis de Henry Ford (1863-1947) foi uma das primeiras a executar o
taylorismo através das linhas de montagem. O Fordismo buscava baratear produtos,
aumentar a produtividade e extrair o máximo de lucro.
• Aumentou a produção em massa;
• Acrescentou a esteira mecânica à linha de montagem;
• Criou um ritmo de trabalho mais especializado e repetitivo, sem muitos movimentos;
• Ofereceu um aumento de salário tendo como base o aumento da produção;
• Padronizou a fabricação, sem variedade;
• Dividiu o trabalho em tarefas menores, em que cada trabalhador tinha uma tarefa
muito simples.
• Diminuiu os custos, aumentou o consumo dos produtos e elevou os lucros.
Reestruturações produtivas
©Pixabay
Por volta de 1960, o Toyotismo se desenvolve a partir do contexto científico e tecnológico da
época e da necessidade de maior competitividade no cenário de globalização do capital. A
partir do advento das novas formas de comunicação, desenvolvimento da logística de
transporte e circulação de mercadorias, as empresas deslocaram suas fábricas para outros
territórios, nos quais a legislação trabalhista era mais flexível. O engenheiro da Toyota, Taiichi
Ohno (1912-1990), implementou um novo modelo produtivo.
• O trabalhador passa a ser polivalente, realizando mais de uma tarefa;
• Produção com demanda com estoque mínimo;
• Diversificação da produção;
• Automação das máquinas (várias funções e menor intervenção humana);
humana);
• Sistema just-in-time (sem acúmulo de produtos em estoque);
• Sistema Kaban, controle dos produtos com etiquetas;
• Círculos de Controle de Qualidade (CCQs);
• Com a substituição das antigas máquinas por robôs, poupa-se tempo de trabalho,
dispensam-se trabalhadores e aumentam-se os lucros.
Reestruturações produtivas
©Pixabay
Você conhece mais pessoas empregadas ou desempregadas? Em trabalhos formais ou
em trabalhos informais? Quais trabalhos elas exercem?
2 min
Perguntas
©Pixabay
Desemprego: é a situação em que não existem vagas remuneradas suficientes
para o total de trabalhadores disponíveis e que estão em busca de emprego em
seja um problema que sempre existiu, na atualidade, são muitos os fatores que
empregos entre aqueles que precisam do trabalho para sobreviver.
Desemprego e precarização
Flexibilização/precarização: situações de trabalho sem
estabilidade e com menos garantias para o trabalhador. Sem
a garantia de direitos trabalhistas, aumentam-se os contratos
de serviços temporários. É um processo multifacetado de
institucionalização da instabilidade. Tudo se torna flexível: o
trabalhador, as relações de trabalho, os direitos do trabalho,
os horários de trabalho e os salários.
Terceirização: processo pelo qual uma empresa transfere
parte de sua produção para outra empresa (chamada
Você já ouviu a expressão “uberização”? Esse modelo de trabalho se caracteriza como
uma forma de emprego formal ou informal? Nesse tipo de trabalho, tem-se algum
direito?
Perguntas
2 min
©Pixabay
E aí, como foi a aula?
Lembrando que, como nosso tempo aqui é curto, leve suas
além deste espaço!
Obrigada por participar! ;D
Até a próxima!
Avalie
Você pode usar esse QR Code ou entrar pelo link no final
de cada aula e deixar sua avaliação e seus comentários.
Olha que legal, agora você pode dizer o que achou das
suas aulas!
Conte para gente o que achou
da aula que acabou de assistir :)
https://bit.ly/3fVYJWs
O que você acha? Vamos começar agora mesmo?
Você pode usar esse QR Code ou entrar pelo link no final
de cada aula e deixar sua avaliação e seus comentários.
Olha que legal, agora você pode dizer o que achou das
suas aulas!
Conte para gente o que achou
da aula que acabou de assistir :)
https://bit.ly/3fVYJWs
O que você acha? Vamos começar agora mesmo?
Você pode usar esse QR Code ou entrar pelo link no final
de cada aula e deixar sua avaliação e seus comentários.
Olha que legal, agora você pode dizer o que achou das
suas aulas!
Conte para gente o que achou
da aula que acabou de assistir :)
https://bit.ly/3fVYJWs
O que você acha? Vamos começar agora mesmo?

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a aula_SP_precarizacao.pptx

O ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADE
O ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADEO ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADE
O ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADE
HisrelBlog
 
O capitalismo social
O capitalismo socialO capitalismo social
O capitalismo social
Allan Vieira
 
Capítulo 10 - Temas Contemporâneos da Sociologia
Capítulo 10 - Temas Contemporâneos da SociologiaCapítulo 10 - Temas Contemporâneos da Sociologia
Capítulo 10 - Temas Contemporâneos da Sociologia
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Legislação social roteiros de aula (parte1)
Legislação social   roteiros de aula (parte1)Legislação social   roteiros de aula (parte1)
Legislação social roteiros de aula (parte1)
Gênia Darc
 
Artigo I - Gestao de Cargos e Remunerações
Artigo I - Gestao de Cargos e RemuneraçõesArtigo I - Gestao de Cargos e Remunerações
Artigo I - Gestao de Cargos e Remunerações
Tonigerley Silveira
 
Demandas de serviço social no setor empresarial
Demandas de serviço social no setor empresarialDemandas de serviço social no setor empresarial
Demandas de serviço social no setor empresarial
Jhane Silva
 
Zonas de inovação disruptivas no serviço público
Zonas de inovação disruptivas no serviço públicoZonas de inovação disruptivas no serviço público
Zonas de inovação disruptivas no serviço público
Carlos Nepomuceno (Nepô)
 
complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2
cattonia
 
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdfMaterial 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
WillianVieira54
 
omundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptx
omundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptxomundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptx
omundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptx
Edilene Dias
 
Modelos de acumulação capitalista
Modelos de acumulação capitalistaModelos de acumulação capitalista
Modelos de acumulação capitalista
tamaramsilva
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
Luiz Carlos Oliveira
 
O mundo do trabalho
O mundo do trabalhoO mundo do trabalho
O mundo do trabalho
Colegio
 
Consad final 2008
Consad final 2008Consad final 2008
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
cattonia
 
A produção de bens e serviços
A produção de bens e serviçosA produção de bens e serviços
A produção de bens e serviços
MatheusGomes506497
 
Ebook profissionais do futuro
Ebook   profissionais do futuroEbook   profissionais do futuro
Ebook profissionais do futuro
Eliana Targino
 
Fordismo taylorismo-e-toyotismo-transparencias
Fordismo taylorismo-e-toyotismo-transparenciasFordismo taylorismo-e-toyotismo-transparencias
Fordismo taylorismo-e-toyotismo-transparencias
gigigsg
 
Toyotismo resumos
Toyotismo resumosToyotismo resumos
Toyotismo resumos
Marcelinho Anato
 
0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx
0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx
0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx
PauloFelipeMaximiano1
 

Semelhante a aula_SP_precarizacao.pptx (20)

O ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADE
O ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADEO ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADE
O ESTUDO DA SOCIOLOGIA do TRABALHO NA SOCIEDADE
 
O capitalismo social
O capitalismo socialO capitalismo social
O capitalismo social
 
Capítulo 10 - Temas Contemporâneos da Sociologia
Capítulo 10 - Temas Contemporâneos da SociologiaCapítulo 10 - Temas Contemporâneos da Sociologia
Capítulo 10 - Temas Contemporâneos da Sociologia
 
Legislação social roteiros de aula (parte1)
Legislação social   roteiros de aula (parte1)Legislação social   roteiros de aula (parte1)
Legislação social roteiros de aula (parte1)
 
Artigo I - Gestao de Cargos e Remunerações
Artigo I - Gestao de Cargos e RemuneraçõesArtigo I - Gestao de Cargos e Remunerações
Artigo I - Gestao de Cargos e Remunerações
 
Demandas de serviço social no setor empresarial
Demandas de serviço social no setor empresarialDemandas de serviço social no setor empresarial
Demandas de serviço social no setor empresarial
 
Zonas de inovação disruptivas no serviço público
Zonas de inovação disruptivas no serviço públicoZonas de inovação disruptivas no serviço público
Zonas de inovação disruptivas no serviço público
 
complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2complexidade e mudança - dr2
complexidade e mudança - dr2
 
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdfMaterial 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
Material 2- Relações Contemporâneas de Trabalho.pdf
 
omundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptx
omundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptxomundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptx
omundodotrabalho-150612013523-lva1-app6892.pptx
 
Modelos de acumulação capitalista
Modelos de acumulação capitalistaModelos de acumulação capitalista
Modelos de acumulação capitalista
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
 
O mundo do trabalho
O mundo do trabalhoO mundo do trabalho
O mundo do trabalho
 
Consad final 2008
Consad final 2008Consad final 2008
Consad final 2008
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
A produção de bens e serviços
A produção de bens e serviçosA produção de bens e serviços
A produção de bens e serviços
 
Ebook profissionais do futuro
Ebook   profissionais do futuroEbook   profissionais do futuro
Ebook profissionais do futuro
 
Fordismo taylorismo-e-toyotismo-transparencias
Fordismo taylorismo-e-toyotismo-transparenciasFordismo taylorismo-e-toyotismo-transparencias
Fordismo taylorismo-e-toyotismo-transparencias
 
Toyotismo resumos
Toyotismo resumosToyotismo resumos
Toyotismo resumos
 
0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx
0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx
0. PPT. Inovação e Empreendedorismo.pptx
 

Mais de Everton Pimenta

sociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptx
sociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptxsociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptx
sociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptx
Everton Pimenta
 
Apresentação do PowerPoint.pdf
Apresentação do PowerPoint.pdfApresentação do PowerPoint.pdf
Apresentação do PowerPoint.pdf
Everton Pimenta
 
Origens da sociologia_pe
Origens da sociologia_peOrigens da sociologia_pe
Origens da sociologia_pe
Everton Pimenta
 
Do liberal ao neoliberal
Do liberal ao neoliberalDo liberal ao neoliberal
Do liberal ao neoliberal
Everton Pimenta
 
Escola austríaca de economia história do mundo
Escola austríaca de economia   história do mundoEscola austríaca de economia   história do mundo
Escola austríaca de economia história do mundo
Everton Pimenta
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
Everton Pimenta
 
Pdf vds dvdp_an_c09_m
Pdf vds dvdp_an_c09_mPdf vds dvdp_an_c09_m
Pdf vds dvdp_an_c09_m
Everton Pimenta
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
Everton Pimenta
 
Livro ned
Livro nedLivro ned
Livro ned
Everton Pimenta
 
Slides era-vargas
Slides era-vargasSlides era-vargas
Slides era-vargas
Everton Pimenta
 
Oriental-docsit.pdf
Oriental-docsit.pdfOriental-docsit.pdf
Oriental-docsit.pdf
Everton Pimenta
 

Mais de Everton Pimenta (11)

sociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptx
sociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptxsociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptx
sociologia_tomazi_ensinomedio_2021_C3.pptx
 
Apresentação do PowerPoint.pdf
Apresentação do PowerPoint.pdfApresentação do PowerPoint.pdf
Apresentação do PowerPoint.pdf
 
Origens da sociologia_pe
Origens da sociologia_peOrigens da sociologia_pe
Origens da sociologia_pe
 
Do liberal ao neoliberal
Do liberal ao neoliberalDo liberal ao neoliberal
Do liberal ao neoliberal
 
Escola austríaca de economia história do mundo
Escola austríaca de economia   história do mundoEscola austríaca de economia   história do mundo
Escola austríaca de economia história do mundo
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
 
Pdf vds dvdp_an_c09_m
Pdf vds dvdp_an_c09_mPdf vds dvdp_an_c09_m
Pdf vds dvdp_an_c09_m
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
 
Livro ned
Livro nedLivro ned
Livro ned
 
Slides era-vargas
Slides era-vargasSlides era-vargas
Slides era-vargas
 
Oriental-docsit.pdf
Oriental-docsit.pdfOriental-docsit.pdf
Oriental-docsit.pdf
 

Último

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 

aula_SP_precarizacao.pptx

  • 2. Transformações no mundo do trabalho Sociologia – 2ª Série – Ensino Médio Professoras Jenifer Souza e Fabiana Wharton
  • 3. Identificar as transformações no mundo do trabalho: as mudanças no processo e na organização do trabalho. Habilidade
  • 4. Vocês conhecem alguma ocupação/ profissão que ao longo do século XX deixou de existir? Qual ou quais? Perguntas gettyimages
  • 5. Observem as transformações nos anúncios de busca pela ocupação de secretárias: Mudanças nas exigências de habilidades Elaborado com informações fictícias para fins didáticos
  • 6. Com os processos de inovação e incremento tecnológico no processo produtivo, muitas profissões deixaram de existir ou tornaram-se muito raras. Transformações das ocupações Por exemplo, deixou de existir a de telegrafista e passaram a existir as de secretária e web designer. Assim, o desenvolvimento da indústria para o setor de serviços promoveu muitos impactos no mercado de trabalho. gettyimages
  • 7. O trabalho é algo importante em nossa sociedade? Vocês já foram perguntados sobre “o que você vai ser quando crescer”? Para que curso você vai prestar vestibular? Que profissão você gostaria de exercer? O que significa desemprego na vida das pessoas? Por que as pessoas ficam desempregadas? Perguntas ©Pixabay
  • 8. Atualmente, devido às taxas de desemprego, muitas pessoas têm dificuldade de entrar no mercado de trabalho. Os jovens são uma grande parcela da população que sofre com o desemprego, especialmente no primeiro emprego. A cada dia, aumentam os requisitos para conseguir um emprego (ensino médio, experiência, formação acadêmica ou técnica etc.). Muitas pessoas, mesmo com esses requisitos, não conseguem um emprego e entram no mercado informal. Mas quais são os impactos das mudanças no mundo do trabalho ao longo da história? – Enfatizar que essas Compreender a complexidade referente às diferenças entre trabalho, emprego e desemprego é fundamental. Além disso, faz-se necessário entender as mudanças entender as mudanças nas reestruturações produtivas e os desafios que todos enfrentamos para sobrevivermos na contemporaneidade. Transformações no mercado de trabalho ©Pixabay
  • 9. Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, 2020. Disponível : <https://www.ibge.gov.br/explica/desemprego.php>. Acesso em: 07 set. 2020. De acordo com a metodologia usada pelo IBGE na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD, este é o número de desempregados no Brasil. Reflita ©Pixabay 1 min
  • 10. IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, 2020. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/explica/desemprego. php>. Acesso em: 07 set. 2020. Reflita ©Pixabay
  • 11. A economia de um país pode ser dividida em três setores: o Primário envolve a agricultura, a pecuária e o extrativismo animal e vegetal; o Secundário é o setor da indústria, da construção civil; e o Terciário é o setor de serviços (advogados, professores, trabalhadores informais etc.). CC BY-SA 3.0. Wikimedia Commons. Disponível em: <https://commons.wikimedia.org/wiki/File:The_distribution_ of_the_workforce_among_the_three_sectors.png>. Relembrar: setores de produção
  • 12. No Brasil: setores de produção Segundo o IBGE, mais de dois terços (67,7%) da população ocupada trabalhava no setor terciário da economia, 14,2% na indústria em geral, 10,4% no setor primário e 7,7% no setor de construção. Disponível em : <https://www.abbt.org.br/plutofiles/folder_of_rel_ar quivo/vkixGDEcNMWaMd6QEqnjfpcDxJk65G2CMYCXf w1W/2017_08_25_08_48_30_5operfildaforcadetrabal ho.pdf>. gettyimages
  • 13. Trabalho, conceito tão antigo quanto a existência humana, consiste no esforço humano dotado de um transformação da natureza através do dispêndio de mentais. Transforma a natureza, produz bens e serviços, de existir contrato. Emprego é a forma histórica do trabalho no sistema capitalista. Pode estabelecer uma relação formal ou autônomo ou prestador de serviços) e, mais ou menos, entre quem organiza o trabalho (empregador) e quem (empregado). O conjunto de leis que regulamentou os foi a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), instituída em 1943. Relembrando os conceitos gettyimages
  • 15. As reestruturações produtivas são elementos estruturantes do sistema capitalista. Em tempos em tempos, com a busca por aumentar os lucros, ocorrem transformações no sistema de produção. Essas mudanças não são apenas tecnológicas, mas também políticas, ideológicas e sociais. • Contexto de crescimento da industrialização (séc. XIX e XX); • O mecanismo central do capital: a busca incessante pelo lucro; • O que demanda o desenvolvimento e a inovação tecnológica também incessantes; • Nesse sentido, as reestruturações produtivas têm um papel fundamental na reprodução do sistema capitalista de produção; • Algumas vezes, as reestruturações produtivas acontecem em contextos de crises econômicas; • Refletiremos sobre os modos Taylorista-Fordista e Toyotista. Reestruturações produtivas
  • 16. Ao longo do tempo, a produção industrial teve grandes transformações. Foram muitas as consequências sociais das reestruturações produtivas. Frederick Taylor (1856-1915), ainda no século XIX, criou um novo método de administração do trabalho nas linhas de produção, um tipo de gerência produtiva que mudou que mudou completamente o ritmo de trabalho. Em vez de um trabalhador desempenhar várias funções na produção de mercadorias, ele implantou a divisão do trabalho, o gerenciamento do tempo e de movimentos. Com a divisão das tarefas (especialização das atividades) em etapas Reestruturações produtivas ©Pixabay
  • 17. A fábrica de automóveis de Henry Ford (1863-1947) foi uma das primeiras a executar o taylorismo através das linhas de montagem. O Fordismo buscava baratear produtos, aumentar a produtividade e extrair o máximo de lucro. • Aumentou a produção em massa; • Acrescentou a esteira mecânica à linha de montagem; • Criou um ritmo de trabalho mais especializado e repetitivo, sem muitos movimentos; • Ofereceu um aumento de salário tendo como base o aumento da produção; • Padronizou a fabricação, sem variedade; • Dividiu o trabalho em tarefas menores, em que cada trabalhador tinha uma tarefa muito simples. • Diminuiu os custos, aumentou o consumo dos produtos e elevou os lucros. Reestruturações produtivas ©Pixabay
  • 18. Por volta de 1960, o Toyotismo se desenvolve a partir do contexto científico e tecnológico da época e da necessidade de maior competitividade no cenário de globalização do capital. A partir do advento das novas formas de comunicação, desenvolvimento da logística de transporte e circulação de mercadorias, as empresas deslocaram suas fábricas para outros territórios, nos quais a legislação trabalhista era mais flexível. O engenheiro da Toyota, Taiichi Ohno (1912-1990), implementou um novo modelo produtivo. • O trabalhador passa a ser polivalente, realizando mais de uma tarefa; • Produção com demanda com estoque mínimo; • Diversificação da produção; • Automação das máquinas (várias funções e menor intervenção humana); humana); • Sistema just-in-time (sem acúmulo de produtos em estoque); • Sistema Kaban, controle dos produtos com etiquetas; • Círculos de Controle de Qualidade (CCQs); • Com a substituição das antigas máquinas por robôs, poupa-se tempo de trabalho, dispensam-se trabalhadores e aumentam-se os lucros. Reestruturações produtivas ©Pixabay
  • 19. Você conhece mais pessoas empregadas ou desempregadas? Em trabalhos formais ou em trabalhos informais? Quais trabalhos elas exercem? 2 min Perguntas ©Pixabay
  • 20. Desemprego: é a situação em que não existem vagas remuneradas suficientes para o total de trabalhadores disponíveis e que estão em busca de emprego em seja um problema que sempre existiu, na atualidade, são muitos os fatores que empregos entre aqueles que precisam do trabalho para sobreviver. Desemprego e precarização Flexibilização/precarização: situações de trabalho sem estabilidade e com menos garantias para o trabalhador. Sem a garantia de direitos trabalhistas, aumentam-se os contratos de serviços temporários. É um processo multifacetado de institucionalização da instabilidade. Tudo se torna flexível: o trabalhador, as relações de trabalho, os direitos do trabalho, os horários de trabalho e os salários. Terceirização: processo pelo qual uma empresa transfere parte de sua produção para outra empresa (chamada
  • 21. Você já ouviu a expressão “uberização”? Esse modelo de trabalho se caracteriza como uma forma de emprego formal ou informal? Nesse tipo de trabalho, tem-se algum direito? Perguntas 2 min ©Pixabay
  • 22. E aí, como foi a aula? Lembrando que, como nosso tempo aqui é curto, leve suas além deste espaço! Obrigada por participar! ;D Até a próxima! Avalie
  • 23. Você pode usar esse QR Code ou entrar pelo link no final de cada aula e deixar sua avaliação e seus comentários. Olha que legal, agora você pode dizer o que achou das suas aulas! Conte para gente o que achou da aula que acabou de assistir :) https://bit.ly/3fVYJWs O que você acha? Vamos começar agora mesmo?
  • 24. Você pode usar esse QR Code ou entrar pelo link no final de cada aula e deixar sua avaliação e seus comentários. Olha que legal, agora você pode dizer o que achou das suas aulas! Conte para gente o que achou da aula que acabou de assistir :) https://bit.ly/3fVYJWs O que você acha? Vamos começar agora mesmo?
  • 25. Você pode usar esse QR Code ou entrar pelo link no final de cada aula e deixar sua avaliação e seus comentários. Olha que legal, agora você pode dizer o que achou das suas aulas! Conte para gente o que achou da aula que acabou de assistir :) https://bit.ly/3fVYJWs O que você acha? Vamos começar agora mesmo?

Notas do Editor

  1. https://www.gettyimages.com.br/detail/ilustra%C3%A7%C3%A3o/milkman-ilustra%C3%A7%C3%A3o-royalty-free/1003475762?adppopup=true
  2. https://www.gettyimages.com.br/detail/foto/wartime-morse-code-communications-imagem-royalty-free/157421713?adppopup=true
  3. https://pixabay.com/pt/photos/m%C3%A3os-argila-potter-cer%C3%A2mica-1139098/
  4. https://pixabay.com/pt/photos/menina-tempo-press%C3%A3o-de-tempo-2786277/
  5. https://pixabay.com/pt/photos/diversidade-a-fila-vida-di%C3%A1ria-3201896/
  6. https://pixabay.com/pt/photos/pessoas-p%C3%A9-%C3%A0-espera-linha-fila-431943/
  7. https://www.gettyimages.com.br/detail/foto/ederly-farmer-at-plantation-imagem-royalty-free/990488122?adppopup=true
  8. https://www.gettyimages.com.br/detail/foto/portrait-of-young-beautiful-engineer-woman-working-imagem-royalty-free/1038364390?adppopup=true
  9. Projetar o vídeo com imagens de 1914 sobre a produção de um Ford T. https://pixabay.com/pt/photos/rebarbadora-trabalho-sparks-429757/
  10. https://media.istockphoto.com/photos/african-woman-choosing-clothes-at-store-shopping-day-picture-id1139741363?b=1&k=6&m=1139741363&s=170667a&w=0&h=G1i2Xp6paNsM2XRlrJf3ucKW8y9vcHGCz1gHpKEHB8k=
  11. https://pixabay.com/pt/photos/macro-domesticos-artes-motor-1452987/
  12. https://pixabay.com/pt/photos/rebarbadora-trabalho-sparks-429757/
  13. https://pixabay.com/pt/photos/rob%C3%B4-bra%C3%A7o-tecnologia-2791671/
  14. https://pixabay.com/pt/photos/crian%C3%A7as-tv-crian%C3%A7a-televis%C3%A3o-home-403582/
  15. https://media.istockphoto.com/photos/african-woman-choosing-clothes-at-store-shopping-day-picture-id1139741363?b=1&k=6&m=1139741363&s=170667a&w=0&h=G1i2Xp6paNsM2XRlrJf3ucKW8y9vcHGCz1gHpKEHB8k=
  16. https://pixabay.com/pt/photos/crian%C3%A7as-tv-crian%C3%A7a-televis%C3%A3o-home-403582/