SlideShare uma empresa Scribd logo
Infecções Sexualmente Transmissíveis
(ISTs) HIV/AIDS
São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros
microrganismos.
São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral,
vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina, com
uma pessoa que esteja infectada.
A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a
criança durante a gestação, parto ou amamentação.
O que são as ISTs (DSTs)?
Como se manifestam as ISTs?
Principais sinais e sintomas das ISTs
Aparecem no pênis, vagina ou ânus.
Podem ser esbranquiçados,
esverdeados ou amarelados,
dependendo da IST.
Podem ter cheiro forte e/ou causar
coceira.
Provocam dor ao urinar ou durante a
relação sexual.
Leucorreia (corrimento)
Principais sinais e sintomas das ISTs
Aparecem nos órgãos
genitais ou em qualquer
parte do corpo, com ou sem
dor.
Feridas
Principais sinais e sintomas das ISTs
Podem aparecer em forma de
couve-flor, quando a infecção
está em estágio avançado.
Em geral, não doem, mas pode
ocorrer irritação ou coceira.
Verrugas anogenitais
Principais ISTs
•Hepatites virais
•Sífilis
•Linfogranuloma Venéreo
•Cancro mole (cancróide)
•Herpes genital
•Gonorreia
•Papiloma Vírus Humano-HPV
(Condiloma acuminado)
•HIV/AIDS
•Hepatite C: é causada pelo vírus C
(HCV), a principal forma de transmissão
é por sangue contaminado, porém a
transmissão por via sexual ocorre.
Hepatites virais
Hepatite B: causada pelo vírus B (HBV), é uma doença
infecciosa, que provoca inflamação no fígado. O VHB está
presente no sangue, no esperma e no leite materno.
A hepatite B é considerada uma IST.
Sífilis
A sífilis é uma IST causada pela
bactéria Treponema palidum;
É uma infecção sistêmica, evolui de
forma crônica apresentando fases
assintomáticas e período de latência;
Seus sinais e sintomas são variados e
inespecíficos, o que dificulta o
diagnóstico;
Sífilis
Em muitos casos, a sífilis não apresenta sintomas o que
favorece a transmissão doença de uma pessoa infectada
para outros parceiros;
Apesar de existir um tratamento eficaz, a sífilis é um
problema de saúde mundial devido as altas taxas de
reinfecção.
Sífilis
Sífilis
Sífilis
É uma infecção causada pela
Chlamydia, que atinge os órgãos
genitais e os gânglios da virilha;
Presença de feridas nos órgãos
genitais;
Caroços na virilha que se rompem e
soltam pus;
Linfogranuloma venéreo
Linfogranuloma venéreo
Herpes genital
É uma IST de alta prevalência, causada pelo vírus do herpes
simples (HSV), que provoca lesões na pele e nas mucosas dos
órgãos genitais masculinos e femininos, com ardência e
vermelhidão, seguidas de pequenas bolhas agrupadas que
rompem e formam feridas dolorosas nos órgão genitais
Herpes genital
Herpes genital
Gonorreia
É causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae,
popularmente chamada de gonococo, que infecta o
revestimento da uretra, do colo do útero, do reto e da
garganta ou das membranas que cobrem a parte frontal do
olho (conjuntiva e córnea).
É tratável, mas especialistas em todo mundo têm alertado
para o surgimento de linhagens resistentes ao tratamento
hoje disponível, o que tem feito dela um grave problema de
saúde pública
Gonorreia
Clinicamente, apresenta-se de forma completamente
diferente no homem e na mulher.
Gonorreia no homem
Consiste em um dos tipos mais frequentes de uretrite
masculina.
Após 1 a 3 dias, o doente já se queixa de ardência miccional
(disúria), seguida por corrimento, inicialmente mucoide que,
com o tempo, vai se tornando, mais abundante e purulento.
Gonorreia na mulher
Uma cervicite gonocócica prolongada, sem tratamento
adequado, pode se estender ao endométrio e às trompas,
causando doença inflamatória pélvica (DIP).
Papiloma vírus humano (HPV)
O HPV (papilomavírus humano), nome genérico de um
grupo de vírus que engloba mais de cem tipos diferentes,
pode provocar a formação de verrugas na pele e nas
regiões oral (lábios, boca, cordas vocais, etc.), anal, genital e
da uretra.
As lesões genitais podem ser de alto risco, porque são
precursoras de tumores malignos, especialmente do câncer
de colo do útero e do pênis
Papiloma vírus humano (HPV)
Papiloma vírus humano (HPV)
A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida,
como também é chamada, é causada pelo
HIV.
Como esse vírus ataca as células de defesa do
nosso corpo, o organismo fica mais vulnerável
a diversas doenças, de um simples resfriado a
infecções mais graves como tuberculose ou
câncer.
HIV/AIDS
A AIDS é o estágio mais avançado da
doença que ataca o sistema imunológico,
tornando o organismo mais vulnerável ao
aparecimento de doenças oportunistas;
Com frequência pacientes com AIDS
apresentam episódios de pneumonia,
candidíase oral, tuberculose, herpes simples,
herpes zoster, toxoplasmose, meningite, entre
outras.
HIV/AIDS
HIV/AIDS
Atualmente existem novas estratégias de prevenção que
podem ser utilizadas como ferramentas complementares no
controle da epidemia do HIV, como o uso da Profilaxia Pós-
exposição (PEP) e a Profilaxia Pré-exposição (PrEP);
Assim como o preservativo, a PEP e a PrEP devem ser
consideradas como opções dentre as formas disponíveis e que
compõem a prevenção combinada contra o HV.
Profilaxia pré-exposição (PrEP)
A PrEP consiste no uso de medicamentos antirretrovirais que
reduzem o risco de infecção pelo HIV antes de uma situação
de exposição ao vírus.
Ela pode ser de uso contínuo, quando a pessoa toma o
remédio todos os dias; ou sob demanda, quando ela toma
apenas diante de uma relação sexual prevista;
O método está disponível gratuitamente pelo SUS;
A PrEP é mais adequada para quem tem a vida sexual ativa
ou quando o sexo é imprevisível.
Profilaxia pós-exposição (PEP)
A PEP, por sua vez, é uma medida de emergência feita após o
contato com o vírus do HIV ou de outras ISTs.
Ela precisa ser iniciada entre 2 e 72 horas após a exposição e
o tratamento dura 28 dias, sendo realizado com
acompanhamento médico.
A PEP também é oferecida gratuitamente pelo SUS.
É uma estratégia que faz uso simultâneo de
diferentes abordagens de prevenção
(biomédica, comportamental e estrutural)
aplicadas em múltiplos níveis (individual,
nas parcerias/relacionamentos, comunitário,
social) para responder a necessidades
específicas de determinados segmentos
populacionais e de determinadas formas de
transmissão do HIV.
Prevenção combinada
Referências
HINRICHSEN. S.L. Doenças Infecciosas e Parasitárias. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2009.
Instituto do HPV. Guia do HPV. Disponível em: <
http://www.incthpv.org.br/SobreHpv/Default.aspx> Acesso em
10/02/2022.
Ministério da Saúde. Condiloma acuminado (HPV). Departamento de
DST, Aids e Hepatite. Disponível em:
<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/236_condiloma.html>. Acessado
em 10/02/2022.
Varella, D. HPV (Papilomavírus Humano). Disponível em:
<http://drauziovarella.com.br/sexualidade/hpv-papilomavirus-humano/>.
Acesso em 10/02/2022.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf

Primeiros Socorros Modulo VI
Primeiros Socorros Modulo VIPrimeiros Socorros Modulo VI
Primeiros Socorros Modulo VI
emanueltstegeon
 
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DSTO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
Trabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveis
Trabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveisTrabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveis
Trabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveis
WeslleySSGamers
 
DST
DSTDST
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
Cristina0910
 
IST E AIDS.pptx
IST E AIDS.pptxIST E AIDS.pptx
IST E AIDS.pptx
DeuzeliaAlvesDosSant
 
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELdst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
LuanMiguelCosta
 
Dst
DstDst
Doenças infeciosas
Doenças infeciosas Doenças infeciosas
Doenças infeciosas
Alcina Barbosa
 
Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
Monique Esline
 
DST-AIDS.pptx
DST-AIDS.pptxDST-AIDS.pptx
DST-AIDS.pptx
LidianeCarmo1
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
Fernanda Gonçalves
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
Vania Ribeiro
 
DST
DSTDST
DST
DSTDST
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
Vania Ribeiro
 
IST'S.pdf
IST'S.pdfIST'S.pdf
IST'S.pdf
TrcioSantos4
 
Herpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hivHerpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hiv
Estephane ingrid Souza Pessoa
 
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
Dst  telma, mafalda, teresa e marianaDst  telma, mafalda, teresa e mariana
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
BESL
 
Cartilha dst aids
Cartilha dst aidsCartilha dst aids
Cartilha dst aids
karol_ribeiro
 

Semelhante a AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf (20)

Primeiros Socorros Modulo VI
Primeiros Socorros Modulo VIPrimeiros Socorros Modulo VI
Primeiros Socorros Modulo VI
 
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DSTO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
 
Trabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveis
Trabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveisTrabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveis
Trabalho sobre a doenças sexualmente transmissiveis
 
DST
DSTDST
DST
 
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
InfecçõEs%20 Sexualmente%20 TransmissíVeis[1]
 
IST E AIDS.pptx
IST E AIDS.pptxIST E AIDS.pptx
IST E AIDS.pptx
 
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVELdst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
dst parte 1. DOENÇA SEXUALEMTE TRANSMISSIVEL
 
Dst
DstDst
Dst
 
Doenças infeciosas
Doenças infeciosas Doenças infeciosas
Doenças infeciosas
 
Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
 
DST-AIDS.pptx
DST-AIDS.pptxDST-AIDS.pptx
DST-AIDS.pptx
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
 
DST
DSTDST
DST
 
DST
DSTDST
DST
 
Trabalholll
TrabalholllTrabalholll
Trabalholll
 
IST'S.pdf
IST'S.pdfIST'S.pdf
IST'S.pdf
 
Herpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hivHerpes vírus e vírus hiv
Herpes vírus e vírus hiv
 
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
Dst  telma, mafalda, teresa e marianaDst  telma, mafalda, teresa e mariana
Dst telma, mafalda, teresa e mariana
 
Cartilha dst aids
Cartilha dst aidsCartilha dst aids
Cartilha dst aids
 

Último

Guia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudávelGuia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudável
barbosakennedy04
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Fabiano Pessanha
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
ClarissaNiederuaer
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
AdrianoPompiroCarval
 
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
LuFelype
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia  voltada a ASB.pptxintrodução a psicologia  voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
profafernandacesa
 

Último (7)

Guia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudávelGuia completo para secar de maneira saudável
Guia completo para secar de maneira saudável
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
 
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
1-A Organização do Sistema de Saúde e a Atenção Primária à Saúde (APS) no Bra...
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia  voltada a ASB.pptxintrodução a psicologia  voltada a ASB.pptx
introdução a psicologia voltada a ASB.pptx
 

AULA+5+Mod.+II-+ISTS+e+HIV-AIDS_compressed.pdf

  • 2. São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de camisinha masculina ou feminina, com uma pessoa que esteja infectada. A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, parto ou amamentação. O que são as ISTs (DSTs)?
  • 3.
  • 5. Principais sinais e sintomas das ISTs Aparecem no pênis, vagina ou ânus. Podem ser esbranquiçados, esverdeados ou amarelados, dependendo da IST. Podem ter cheiro forte e/ou causar coceira. Provocam dor ao urinar ou durante a relação sexual. Leucorreia (corrimento)
  • 6. Principais sinais e sintomas das ISTs Aparecem nos órgãos genitais ou em qualquer parte do corpo, com ou sem dor. Feridas
  • 7. Principais sinais e sintomas das ISTs Podem aparecer em forma de couve-flor, quando a infecção está em estágio avançado. Em geral, não doem, mas pode ocorrer irritação ou coceira. Verrugas anogenitais
  • 8. Principais ISTs •Hepatites virais •Sífilis •Linfogranuloma Venéreo •Cancro mole (cancróide) •Herpes genital •Gonorreia •Papiloma Vírus Humano-HPV (Condiloma acuminado) •HIV/AIDS
  • 9. •Hepatite C: é causada pelo vírus C (HCV), a principal forma de transmissão é por sangue contaminado, porém a transmissão por via sexual ocorre. Hepatites virais Hepatite B: causada pelo vírus B (HBV), é uma doença infecciosa, que provoca inflamação no fígado. O VHB está presente no sangue, no esperma e no leite materno. A hepatite B é considerada uma IST.
  • 10.
  • 11. Sífilis A sífilis é uma IST causada pela bactéria Treponema palidum; É uma infecção sistêmica, evolui de forma crônica apresentando fases assintomáticas e período de latência; Seus sinais e sintomas são variados e inespecíficos, o que dificulta o diagnóstico;
  • 13. Em muitos casos, a sífilis não apresenta sintomas o que favorece a transmissão doença de uma pessoa infectada para outros parceiros; Apesar de existir um tratamento eficaz, a sífilis é um problema de saúde mundial devido as altas taxas de reinfecção. Sífilis
  • 14.
  • 17.
  • 18. É uma infecção causada pela Chlamydia, que atinge os órgãos genitais e os gânglios da virilha; Presença de feridas nos órgãos genitais; Caroços na virilha que se rompem e soltam pus; Linfogranuloma venéreo
  • 20. Herpes genital É uma IST de alta prevalência, causada pelo vírus do herpes simples (HSV), que provoca lesões na pele e nas mucosas dos órgãos genitais masculinos e femininos, com ardência e vermelhidão, seguidas de pequenas bolhas agrupadas que rompem e formam feridas dolorosas nos órgão genitais
  • 23. Gonorreia É causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, popularmente chamada de gonococo, que infecta o revestimento da uretra, do colo do útero, do reto e da garganta ou das membranas que cobrem a parte frontal do olho (conjuntiva e córnea). É tratável, mas especialistas em todo mundo têm alertado para o surgimento de linhagens resistentes ao tratamento hoje disponível, o que tem feito dela um grave problema de saúde pública
  • 24. Gonorreia Clinicamente, apresenta-se de forma completamente diferente no homem e na mulher.
  • 25. Gonorreia no homem Consiste em um dos tipos mais frequentes de uretrite masculina. Após 1 a 3 dias, o doente já se queixa de ardência miccional (disúria), seguida por corrimento, inicialmente mucoide que, com o tempo, vai se tornando, mais abundante e purulento.
  • 26. Gonorreia na mulher Uma cervicite gonocócica prolongada, sem tratamento adequado, pode se estender ao endométrio e às trompas, causando doença inflamatória pélvica (DIP).
  • 27. Papiloma vírus humano (HPV) O HPV (papilomavírus humano), nome genérico de um grupo de vírus que engloba mais de cem tipos diferentes, pode provocar a formação de verrugas na pele e nas regiões oral (lábios, boca, cordas vocais, etc.), anal, genital e da uretra. As lesões genitais podem ser de alto risco, porque são precursoras de tumores malignos, especialmente do câncer de colo do útero e do pênis
  • 30. A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, como também é chamada, é causada pelo HIV. Como esse vírus ataca as células de defesa do nosso corpo, o organismo fica mais vulnerável a diversas doenças, de um simples resfriado a infecções mais graves como tuberculose ou câncer. HIV/AIDS
  • 31. A AIDS é o estágio mais avançado da doença que ataca o sistema imunológico, tornando o organismo mais vulnerável ao aparecimento de doenças oportunistas; Com frequência pacientes com AIDS apresentam episódios de pneumonia, candidíase oral, tuberculose, herpes simples, herpes zoster, toxoplasmose, meningite, entre outras. HIV/AIDS
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38. HIV/AIDS Atualmente existem novas estratégias de prevenção que podem ser utilizadas como ferramentas complementares no controle da epidemia do HIV, como o uso da Profilaxia Pós- exposição (PEP) e a Profilaxia Pré-exposição (PrEP); Assim como o preservativo, a PEP e a PrEP devem ser consideradas como opções dentre as formas disponíveis e que compõem a prevenção combinada contra o HV.
  • 39. Profilaxia pré-exposição (PrEP) A PrEP consiste no uso de medicamentos antirretrovirais que reduzem o risco de infecção pelo HIV antes de uma situação de exposição ao vírus. Ela pode ser de uso contínuo, quando a pessoa toma o remédio todos os dias; ou sob demanda, quando ela toma apenas diante de uma relação sexual prevista; O método está disponível gratuitamente pelo SUS; A PrEP é mais adequada para quem tem a vida sexual ativa ou quando o sexo é imprevisível.
  • 40. Profilaxia pós-exposição (PEP) A PEP, por sua vez, é uma medida de emergência feita após o contato com o vírus do HIV ou de outras ISTs. Ela precisa ser iniciada entre 2 e 72 horas após a exposição e o tratamento dura 28 dias, sendo realizado com acompanhamento médico. A PEP também é oferecida gratuitamente pelo SUS.
  • 41.
  • 42.
  • 43. É uma estratégia que faz uso simultâneo de diferentes abordagens de prevenção (biomédica, comportamental e estrutural) aplicadas em múltiplos níveis (individual, nas parcerias/relacionamentos, comunitário, social) para responder a necessidades específicas de determinados segmentos populacionais e de determinadas formas de transmissão do HIV. Prevenção combinada
  • 44.
  • 45.
  • 46.
  • 47.
  • 48. Referências HINRICHSEN. S.L. Doenças Infecciosas e Parasitárias. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009. Instituto do HPV. Guia do HPV. Disponível em: < http://www.incthpv.org.br/SobreHpv/Default.aspx> Acesso em 10/02/2022. Ministério da Saúde. Condiloma acuminado (HPV). Departamento de DST, Aids e Hepatite. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/236_condiloma.html>. Acessado em 10/02/2022. Varella, D. HPV (Papilomavírus Humano). Disponível em: <http://drauziovarella.com.br/sexualidade/hpv-papilomavirus-humano/>. Acesso em 10/02/2022.