SlideShare uma empresa Scribd logo
MÍDIA,
EDUCAÇÃO E
COMUNIDADE
PROF.: MS. LAÉRCIO GÓES
COMUNICAÇÃO
POPULAR,
ALTERNATIVA E
COMUNITÁRIA
COMUNICAÇÃO POPULAR
• Forma alternativa de
comunicação
• Origem nos movimentos
populares dos anos de 1970 e
1980, no Brasil e na América
Latina.
• Um processo de comunicação
que emerge da ação dos grupos
populares.
• Caráter mobilizador coletivo
COMUNICAÇÃO POPULAR
• SENTIDO POLÍTICO:
• Também denominada de alternativa, participativa,
participatória, horizontal, comunitária, dialógica e
radical.
• Trata-se de uma forma de expressão de segmentos
empobrecidos da população, mas em processo de
mobilização visando suprir suas necessidades de
sobrevivência e de participação política com vistas a
estabelecer a justiça social.
COMUNICAÇÃO POPULAR
“Comunicação do povo”, feita por ele e
para ele, por meio de suas organizações
e movimentos emancipatórios visando à
transformação das estruturas opressivas
e condições desumanas de
sobrevivência.
COMUNICAÇÃO POPULAR
• LIBERTADORA E EDUCATIVA:
• As mensagens são produzidas “para que o povo
tome consciência de sua realidade” ou “para
suscitar uma reflexão”, ou ainda “para gerar uma
discussão”.
• Os meios de comunicação são concebidos como
“instrumentos para uma educação popular, como
alimentadores de um processo educativo
transformador” (KAPLÚN, 1985).
COMUNICAÇÃO POPULAR
• MOVIMENTOS SOCIAIS:
• “A comunicação popular
nasce efetivamente a partir
dos movimentos sociais,
mas sobretudo da
emergência do movimento
operário e sindical, tanto na
cidade como no campo”, e
se refere “ao modo de
expressão das classes
populares” (FESTA, 1986).
COMUNICAÇÃO POPULAR
• PAULO FREIRE:
• Diálogo na educação e
a defesa da posição
transformadora do ser
humano no mundo.
COMUNICAÇÃO POPULAR
• CARACTERÍSTICAS:
• Expressão das lutas populares por
melhores condições de vida, que ocorrem a
partir dos movimentos populares.
• Possui conteúdo crítico-emancipador e
reivindicativo.
COMUNICAÇÃO POPULAR
• CARACTERÍSTICAS:
• Tem o “povo” como protagonista principal.
• É um instrumento político das classes
subalternas para externar sua concepção
de mundo, seu anseio e compromisso na
construção de uma sociedade igualitária e
socialmente justa.
COMUNICAÇÃO POPULAR
• FORMATOS:
• Rádios comunitárias
• Fanzines
• Canais comunitários
na televisão a cabo
• Blogs
• Sites alternativos etc.
COMUNICAÇÃO POPULAR
• TRANSFORMAÇÃO:
• Ampliação do alcance por meio da incorporação de meios
massivos, principalmente de radiodifusão e internet.
• Novos conteúdos e linguagens
• Desenvolvimento das atividades de comunicação de forma
mais profissional.
• Incorporação das novas tecnologias de informação e
comunicação (NTIC).
COMUNICAÇÃO POPULAR
• NOVOS MEIOS ALTERNATIVOS
DE COMUNICAÇÃO:
• Adital - Agência de Informação Frei
Tito para a América Latina
• Jornal Brasil de Fato
• Centro de Mídia Independente
• Observatório do Direito à
Comunicação
COMUNICAÇÃO POPULAR
• ESPAÇOS NAS TVs:
• Canal do Poder Judiciário: TV Justiça
• Canais legislativos: TV Câmara, TV Senado, TV Assembleia
• Canais educativo-culturais
• Canais privados de conteúdo educativo: STV (do SESC-
SENAI) e o Canal Futura (da Globo).
• Evidenciam o interesse de aproximação das classes
dominantes para construir a imagem de socialmente
responsáveis.
COMUNICAÇÃO POPULAR
• TENDÊNCIAS:
• O caráter mais combativo das comunicações
populares de contestação e projeto de sociedade foi
cedendo espaço a discursos e experiências mais
realistas e plurais.
• No tratamento da informação, tem se incorporado o
lúdico, a cultura e o divertimento.
• Apropriação de novas tecnologias da comunicação.
IMPRENSA ALTERNATIVA
• A expressão comunicação alternativa é típica dos anos
1960 aos 1980.
• Designa tanto a comunicação popular como para
caracterizar o tipo de imprensa não alinhada às
posturas da mídia tradicional.
• Durante o regime militar no Brasil, a maioria dos
grandes jornais se alinhava à visão oficial do governo,
por opção político-ideológica ou pela coerção, sob a
força da censura.
IMPRENSA ALTERNATIVA
• A imprensa alternativa representada pelos pequenos
jornais, em geral com formato tabloide, ousava analisar
criticamente a realidade e contestar um tipo de
desenvolvimento.
• Jornais dirigidos e elaborados por jornalistas de
esquerda, alguns ligados à pequena burguesia
• Aspiravam a um novo projeto social e preocupavam-se
em informar a população sobre temas de interesse
nacional numa abordagem crítica.
IMPRENSA ALTERNATIVA
• EXEMPLOS:
• PIF-PAF (1964)
• Pasquim (1969)
• Posição (1969)
• Opinião (1972)
• Movimento (1975)
• Coojornal (1975)
• Versus (1974)
• De Fato (1975)
• Extra (1984)
IMPRENSA ALTERNATIVA
IMPRENSA ALTERNATIVA
• LIGADOS AOS MOVIMENTOS
POPULARES:
• Mulherio - produzido por um
grupo de mulheres e que tratava
da situação do público feminino na
• Sociedade.
• Porantin - Conselho Indigenista
Missionário (CIMI), que abordava
a questão do índio.
IMPRENSA ALTERNATIVA
• LIGADOS AOS MOVIMENTOS
POPULARES:
• Jornallivro - produzido por entidades e
grupos voltados ao trabalho de
educação de base.
• Voz da Unidade, Tribuna da Luta
Operária, Companheiros e Em
Tempo - imprensa político-partidária.
• Tribuna Metalúrgica e Folha Bancária
- imprensa sindical.
IMPRENSA ALTERNATIVA
• CARACTERÍSTICAS:
• Representa uma opção enquanto fonte de informação,
pelo conteúdo que oferece e pelo tipo de abordagem.
• Enquadramento e agenda/pauta diferenciadas.
• Outras formas de comunicação: panfletos, alto-falantes,
carro de som, literatura de cordel, slides, blogs etc.
COMUNICAÇÃO POPULAR E
COMUNITÁRIA
“A comunicação popular e comunitária pode ser
entendida de várias maneiras, mas sempre denota
uma comunicação que tem o “povo” (as iniciativas
coletivas ou os movimentos e organizações
populares) como protagonista principal e como
destinatário, desde a literatura de cordel até a
comunicação comunitária”.
COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA
“O canal de expressão de uma comunidade
(independente do seu nível sócioeconômico
e território), por meio do qual os próprios indivíduos
possam manifestar seus interesses comuns e suas
necessidades mais urgentes. Deve ser um instrumento
de prestação de serviços e formação do cidadão, sempre
com a preocupação de estar em sintonia com os temas
da realidade local” (DELIBERADOR; VIEIRA, 2005).
COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA
• CARACTERÍSTICAS:
• Não tem fins lucrativos
• Propicia a participação ativa da população
• Tem, preferencialmente, propriedade coletiva
• Difunde conteúdos com a finalidade de desenvolver a
educação, a cultura e ampliar a cidadania.
• Valorização do local: sentimento de pertencimento, vínculos
identitários.
REFERÊNCIA
PERUZZO, Cicilia. Conceitos de comunicação
popular, alternativa e comunitária revisitados.
Reelaborações no setor. Revista Palabra Clave, Vol
11, No 2 (2008), Universidad de La Sabana.
Colombia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

as tecnologias digitais de informação e comunicação
  as tecnologias digitais de informação e comunicação  as tecnologias digitais de informação e comunicação
as tecnologias digitais de informação e comunicação
nayanepedagoga
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadeAs relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedade
jefersondutra08
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
Douglas Barraqui
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
Elizeu Nascimento Silva
 
Ciberespaco e cibercultura
Ciberespaco e ciberculturaCiberespaco e cibercultura
Ciberespaco e cibercultura
Sebastião Ademir da Silva
 
Efeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazoEfeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazo
aulasdejornalismo
 
Aula 1: Pós Médio- Um mundo de possibilidades
Aula 1: Pós Médio-  Um mundo de possibilidadesAula 1: Pós Médio-  Um mundo de possibilidades
Aula 1: Pós Médio- Um mundo de possibilidades
SmioVeiga
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Elizeu Nascimento Silva
 
TC ESCOLA FRANCESA
TC ESCOLA FRANCESATC ESCOLA FRANCESA
TC ESCOLA FRANCESA
UNIP. Universidade Paulista
 
Teoria Culturológica
Teoria CulturológicaTeoria Culturológica
Teoria Culturológica
nanasimao
 
A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...
A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...
A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...
HUMBERTO COSTA
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Lucio Braga
 
Aula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagem
Aula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagemAula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagem
Aula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagem
Elizeu Nascimento Silva
 
O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?
Aline Corso
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
Jhonatan Max
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
Isaquel Silva
 
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massaAlta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
Aline Corso
 
2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais
2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais
2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais
Karoline Rodrigues de Melo
 
Ciência e tecnologia
Ciência e tecnologiaCiência e tecnologia
Ciência e tecnologia
Pedro Almeida
 
Slides desigualdade social 25 08
Slides desigualdade social 25 08Slides desigualdade social 25 08
Slides desigualdade social 25 08
Geny Carvalho
 

Mais procurados (20)

as tecnologias digitais de informação e comunicação
  as tecnologias digitais de informação e comunicação  as tecnologias digitais de informação e comunicação
as tecnologias digitais de informação e comunicação
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadeAs relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedade
 
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADESOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
SOCIOLOGIA: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE
 
Aula 15 A Sociedade em Rede
Aula 15   A Sociedade em RedeAula 15   A Sociedade em Rede
Aula 15 A Sociedade em Rede
 
Ciberespaco e cibercultura
Ciberespaco e ciberculturaCiberespaco e cibercultura
Ciberespaco e cibercultura
 
Efeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazoEfeitos a longo prazo
Efeitos a longo prazo
 
Aula 1: Pós Médio- Um mundo de possibilidades
Aula 1: Pós Médio-  Um mundo de possibilidadesAula 1: Pós Médio-  Um mundo de possibilidades
Aula 1: Pós Médio- Um mundo de possibilidades
 
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e DefiniçõesAula 01   Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
Aula 01 Teorias da Comunicação - Preliminares e Definições
 
TC ESCOLA FRANCESA
TC ESCOLA FRANCESATC ESCOLA FRANCESA
TC ESCOLA FRANCESA
 
Teoria Culturológica
Teoria CulturológicaTeoria Culturológica
Teoria Culturológica
 
A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...
A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...
A Sociologia Funcionalista da Mídia Segundo Lasswell e o Processo de Comunica...
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Aula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagem
Aula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagemAula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagem
Aula 11 Marshall McLuhan - O meio é a mensagem
 
O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?O que é cibercultura e ciberespaço?
O que é cibercultura e ciberespaço?
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
 
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massaAlta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
 
2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais
2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais
2º Ano - Sociologia: Movimentos Sociais
 
Ciência e tecnologia
Ciência e tecnologiaCiência e tecnologia
Ciência e tecnologia
 
Slides desigualdade social 25 08
Slides desigualdade social 25 08Slides desigualdade social 25 08
Slides desigualdade social 25 08
 

Semelhante a Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária

História do jornalismo
História do jornalismoHistória do jornalismo
História do jornalismo
Daniela Ribeiro
 
Critica da midia
Critica da midiaCritica da midia
Critica da midia
Thais De Mendonça Jorge
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
roberto mosca junior
 
Os mass media géneros
Os mass media génerosOs mass media géneros
Os mass media géneros
Helena Coutinho
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
roberto mosca junior
 
Audiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da Comunicação
Audiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da ComunicaçãoAudiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da Comunicação
Audiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da Comunicação
nanasimao
 
Sociedade e Cultura
Sociedade e CulturaSociedade e Cultura
Sociedade e Cultura
Luis Mello Reis
 
JI_A1: O que é jornalismo?
JI_A1: O que é jornalismo?JI_A1: O que é jornalismo?
JI_A1: O que é jornalismo?
Joseline Pippi
 
Usp 0611
Usp 0611Usp 0611
Estudos latino americanos em comunicação2
Estudos latino americanos em comunicação2Estudos latino americanos em comunicação2
Estudos latino americanos em comunicação2
Jennyffer Mesquita
 
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
Kalyl Rachid
 
Teoria da Comunicação na América Latina
Teoria da Comunicação na América LatinaTeoria da Comunicação na América Latina
Teoria da Comunicação na América Latina
Diego Henrique da Silva
 
Apresentação Celacom
Apresentação CelacomApresentação Celacom
Apresentação Celacom
Maíra Masiero
 
Design gráfico
Design  gráficoDesign  gráfico
Design gráfico
Unip e Uniplan
 
A comunicação institucional como ferramenta de marketing
A comunicação institucional como ferramenta de marketingA comunicação institucional como ferramenta de marketing
A comunicação institucional como ferramenta de marketing
Thiago Castilha
 
Fontes e jornalistas
Fontes e jornalistasFontes e jornalistas
Fontes e jornalistas
Rayza Martins
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialTerceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
L T
 
Aula Jornalismo Empreendedor 2015
Aula Jornalismo Empreendedor 2015Aula Jornalismo Empreendedor 2015
Aula Jornalismo Empreendedor 2015
Renato Delmanto
 
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuaisSimpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Natália Barros
 
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuaisSimpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Natália Barros
 

Semelhante a Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária (20)

História do jornalismo
História do jornalismoHistória do jornalismo
História do jornalismo
 
Critica da midia
Critica da midiaCritica da midia
Critica da midia
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Os mass media géneros
Os mass media génerosOs mass media géneros
Os mass media géneros
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Audiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da Comunicação
Audiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da ComunicaçãoAudiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da Comunicação
Audiência de Massas e Novas perspetivas- Teoria da Comunicação
 
Sociedade e Cultura
Sociedade e CulturaSociedade e Cultura
Sociedade e Cultura
 
JI_A1: O que é jornalismo?
JI_A1: O que é jornalismo?JI_A1: O que é jornalismo?
JI_A1: O que é jornalismo?
 
Usp 0611
Usp 0611Usp 0611
Usp 0611
 
Estudos latino americanos em comunicação2
Estudos latino americanos em comunicação2Estudos latino americanos em comunicação2
Estudos latino americanos em comunicação2
 
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
 
Teoria da Comunicação na América Latina
Teoria da Comunicação na América LatinaTeoria da Comunicação na América Latina
Teoria da Comunicação na América Latina
 
Apresentação Celacom
Apresentação CelacomApresentação Celacom
Apresentação Celacom
 
Design gráfico
Design  gráficoDesign  gráfico
Design gráfico
 
A comunicação institucional como ferramenta de marketing
A comunicação institucional como ferramenta de marketingA comunicação institucional como ferramenta de marketing
A comunicação institucional como ferramenta de marketing
 
Fontes e jornalistas
Fontes e jornalistasFontes e jornalistas
Fontes e jornalistas
 
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização SocialTerceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
Terceiro Setor e Comunicação Estratégica para Mobilização Social
 
Aula Jornalismo Empreendedor 2015
Aula Jornalismo Empreendedor 2015Aula Jornalismo Empreendedor 2015
Aula Jornalismo Empreendedor 2015
 
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuaisSimpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
 
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuaisSimpósi internacional de história da historiografia intelectuais
Simpósi internacional de história da historiografia intelectuais
 

Mais de Laércio Góes

Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em rede
Laércio Góes
 
Aula - Mídia-educação aplicada na escola
Aula - Mídia-educação aplicada na escolaAula - Mídia-educação aplicada na escola
Aula - Mídia-educação aplicada na escola
Laércio Góes
 
Aula Mídia-educação
Aula   Mídia-educaçãoAula   Mídia-educação
Aula Mídia-educação
Laércio Góes
 
Como realizar e preparar apresentações orais
Como realizar e preparar apresentações oraisComo realizar e preparar apresentações orais
Como realizar e preparar apresentações orais
Laércio Góes
 
Assessoria de imprensa - Produtos e Serviços
Assessoria de imprensa - Produtos e ServiçosAssessoria de imprensa - Produtos e Serviços
Assessoria de imprensa - Produtos e Serviços
Laércio Góes
 
Psicologia e comunicação de massa
Psicologia e comunicação de massaPsicologia e comunicação de massa
Psicologia e comunicação de massa
Laércio Góes
 
Enquadramento - teorias da comunicação
Enquadramento - teorias da comunicaçãoEnquadramento - teorias da comunicação
Enquadramento - teorias da comunicação
Laércio Góes
 
Regionalização midiática e coronelismo eletrônico
Regionalização midiática e coronelismo eletrônicoRegionalização midiática e coronelismo eletrônico
Regionalização midiática e coronelismo eletrônico
Laércio Góes
 

Mais de Laércio Góes (8)

Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em rede
 
Aula - Mídia-educação aplicada na escola
Aula - Mídia-educação aplicada na escolaAula - Mídia-educação aplicada na escola
Aula - Mídia-educação aplicada na escola
 
Aula Mídia-educação
Aula   Mídia-educaçãoAula   Mídia-educação
Aula Mídia-educação
 
Como realizar e preparar apresentações orais
Como realizar e preparar apresentações oraisComo realizar e preparar apresentações orais
Como realizar e preparar apresentações orais
 
Assessoria de imprensa - Produtos e Serviços
Assessoria de imprensa - Produtos e ServiçosAssessoria de imprensa - Produtos e Serviços
Assessoria de imprensa - Produtos e Serviços
 
Psicologia e comunicação de massa
Psicologia e comunicação de massaPsicologia e comunicação de massa
Psicologia e comunicação de massa
 
Enquadramento - teorias da comunicação
Enquadramento - teorias da comunicaçãoEnquadramento - teorias da comunicação
Enquadramento - teorias da comunicação
 
Regionalização midiática e coronelismo eletrônico
Regionalização midiática e coronelismo eletrônicoRegionalização midiática e coronelismo eletrônico
Regionalização midiática e coronelismo eletrônico
 

Último

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 

Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária

  • 3. COMUNICAÇÃO POPULAR • Forma alternativa de comunicação • Origem nos movimentos populares dos anos de 1970 e 1980, no Brasil e na América Latina. • Um processo de comunicação que emerge da ação dos grupos populares. • Caráter mobilizador coletivo
  • 4. COMUNICAÇÃO POPULAR • SENTIDO POLÍTICO: • Também denominada de alternativa, participativa, participatória, horizontal, comunitária, dialógica e radical. • Trata-se de uma forma de expressão de segmentos empobrecidos da população, mas em processo de mobilização visando suprir suas necessidades de sobrevivência e de participação política com vistas a estabelecer a justiça social.
  • 5. COMUNICAÇÃO POPULAR “Comunicação do povo”, feita por ele e para ele, por meio de suas organizações e movimentos emancipatórios visando à transformação das estruturas opressivas e condições desumanas de sobrevivência.
  • 6. COMUNICAÇÃO POPULAR • LIBERTADORA E EDUCATIVA: • As mensagens são produzidas “para que o povo tome consciência de sua realidade” ou “para suscitar uma reflexão”, ou ainda “para gerar uma discussão”. • Os meios de comunicação são concebidos como “instrumentos para uma educação popular, como alimentadores de um processo educativo transformador” (KAPLÚN, 1985).
  • 7. COMUNICAÇÃO POPULAR • MOVIMENTOS SOCIAIS: • “A comunicação popular nasce efetivamente a partir dos movimentos sociais, mas sobretudo da emergência do movimento operário e sindical, tanto na cidade como no campo”, e se refere “ao modo de expressão das classes populares” (FESTA, 1986).
  • 8. COMUNICAÇÃO POPULAR • PAULO FREIRE: • Diálogo na educação e a defesa da posição transformadora do ser humano no mundo.
  • 9. COMUNICAÇÃO POPULAR • CARACTERÍSTICAS: • Expressão das lutas populares por melhores condições de vida, que ocorrem a partir dos movimentos populares. • Possui conteúdo crítico-emancipador e reivindicativo.
  • 10. COMUNICAÇÃO POPULAR • CARACTERÍSTICAS: • Tem o “povo” como protagonista principal. • É um instrumento político das classes subalternas para externar sua concepção de mundo, seu anseio e compromisso na construção de uma sociedade igualitária e socialmente justa.
  • 11. COMUNICAÇÃO POPULAR • FORMATOS: • Rádios comunitárias • Fanzines • Canais comunitários na televisão a cabo • Blogs • Sites alternativos etc.
  • 12. COMUNICAÇÃO POPULAR • TRANSFORMAÇÃO: • Ampliação do alcance por meio da incorporação de meios massivos, principalmente de radiodifusão e internet. • Novos conteúdos e linguagens • Desenvolvimento das atividades de comunicação de forma mais profissional. • Incorporação das novas tecnologias de informação e comunicação (NTIC).
  • 13. COMUNICAÇÃO POPULAR • NOVOS MEIOS ALTERNATIVOS DE COMUNICAÇÃO: • Adital - Agência de Informação Frei Tito para a América Latina • Jornal Brasil de Fato • Centro de Mídia Independente • Observatório do Direito à Comunicação
  • 14. COMUNICAÇÃO POPULAR • ESPAÇOS NAS TVs: • Canal do Poder Judiciário: TV Justiça • Canais legislativos: TV Câmara, TV Senado, TV Assembleia • Canais educativo-culturais • Canais privados de conteúdo educativo: STV (do SESC- SENAI) e o Canal Futura (da Globo). • Evidenciam o interesse de aproximação das classes dominantes para construir a imagem de socialmente responsáveis.
  • 15. COMUNICAÇÃO POPULAR • TENDÊNCIAS: • O caráter mais combativo das comunicações populares de contestação e projeto de sociedade foi cedendo espaço a discursos e experiências mais realistas e plurais. • No tratamento da informação, tem se incorporado o lúdico, a cultura e o divertimento. • Apropriação de novas tecnologias da comunicação.
  • 16. IMPRENSA ALTERNATIVA • A expressão comunicação alternativa é típica dos anos 1960 aos 1980. • Designa tanto a comunicação popular como para caracterizar o tipo de imprensa não alinhada às posturas da mídia tradicional. • Durante o regime militar no Brasil, a maioria dos grandes jornais se alinhava à visão oficial do governo, por opção político-ideológica ou pela coerção, sob a força da censura.
  • 17. IMPRENSA ALTERNATIVA • A imprensa alternativa representada pelos pequenos jornais, em geral com formato tabloide, ousava analisar criticamente a realidade e contestar um tipo de desenvolvimento. • Jornais dirigidos e elaborados por jornalistas de esquerda, alguns ligados à pequena burguesia • Aspiravam a um novo projeto social e preocupavam-se em informar a população sobre temas de interesse nacional numa abordagem crítica.
  • 18. IMPRENSA ALTERNATIVA • EXEMPLOS: • PIF-PAF (1964) • Pasquim (1969) • Posição (1969) • Opinião (1972) • Movimento (1975) • Coojornal (1975) • Versus (1974) • De Fato (1975) • Extra (1984)
  • 20. IMPRENSA ALTERNATIVA • LIGADOS AOS MOVIMENTOS POPULARES: • Mulherio - produzido por um grupo de mulheres e que tratava da situação do público feminino na • Sociedade. • Porantin - Conselho Indigenista Missionário (CIMI), que abordava a questão do índio.
  • 21. IMPRENSA ALTERNATIVA • LIGADOS AOS MOVIMENTOS POPULARES: • Jornallivro - produzido por entidades e grupos voltados ao trabalho de educação de base. • Voz da Unidade, Tribuna da Luta Operária, Companheiros e Em Tempo - imprensa político-partidária. • Tribuna Metalúrgica e Folha Bancária - imprensa sindical.
  • 22. IMPRENSA ALTERNATIVA • CARACTERÍSTICAS: • Representa uma opção enquanto fonte de informação, pelo conteúdo que oferece e pelo tipo de abordagem. • Enquadramento e agenda/pauta diferenciadas. • Outras formas de comunicação: panfletos, alto-falantes, carro de som, literatura de cordel, slides, blogs etc.
  • 23. COMUNICAÇÃO POPULAR E COMUNITÁRIA “A comunicação popular e comunitária pode ser entendida de várias maneiras, mas sempre denota uma comunicação que tem o “povo” (as iniciativas coletivas ou os movimentos e organizações populares) como protagonista principal e como destinatário, desde a literatura de cordel até a comunicação comunitária”.
  • 24. COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA “O canal de expressão de uma comunidade (independente do seu nível sócioeconômico e território), por meio do qual os próprios indivíduos possam manifestar seus interesses comuns e suas necessidades mais urgentes. Deve ser um instrumento de prestação de serviços e formação do cidadão, sempre com a preocupação de estar em sintonia com os temas da realidade local” (DELIBERADOR; VIEIRA, 2005).
  • 25. COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA • CARACTERÍSTICAS: • Não tem fins lucrativos • Propicia a participação ativa da população • Tem, preferencialmente, propriedade coletiva • Difunde conteúdos com a finalidade de desenvolver a educação, a cultura e ampliar a cidadania. • Valorização do local: sentimento de pertencimento, vínculos identitários.
  • 26. REFERÊNCIA PERUZZO, Cicilia. Conceitos de comunicação popular, alternativa e comunitária revisitados. Reelaborações no setor. Revista Palabra Clave, Vol 11, No 2 (2008), Universidad de La Sabana. Colombia.