SlideShare uma empresa Scribd logo
FÍSICA – Aula 1
Prof. Daniel
A eletricidade é a área da Física
responsável pelo estudo de
fenômenos associados a cargas
elétricas.
Eletricidade
A eletricidade pode ser dividida em três partes:
• Eletrostática: Refere-se ao comportamento das
cargas elétricas em repouso e seu estudo engloba
os processos de eletrização, campo elétrico, força
eletrostática e potencial elétrico.
Eletricidade
• Eletrodinâmica: É a parte da eletricidade responsável
pelo estudo das cargas elétricas em movimento. O
foco dessa área é a corrente elétrica e os
componentes de circuitos elétricos, como capacitores
e resistores.
Eletricidade
• Eletromagnetismo: Estuda a relação entre os
fenômenos elétricos e magnéticos, tais como campo
magnético produzido por cargas elétricas em
movimento e campo elétrico produzido pela variação
de fluxo magnético.
 Grécia Antiga (VI) – Tales de Mileto
descobre que ao se esfregar âmbar com
pele de carneiro, observa-se que
pedaços de palha eram atraídos pelo
âmbar. A palavra eléktron (ἤλεκτρον)
significa âmbar em grego.
 Ásia Menor - descobre-se as
propriedades de um pedaço de rocha
atrair pequenos pedaços de ferro.
 Em 1550, Gerolamo Cardano discute no seu livro
“De Subtilitate” as diferenças entre forças elétricas
e forças magnéticas.
 No ano de 1600, o cientista inglês William Gilbert,
primeiro a estudar sistematicamente a eletricidade
e o magnetismo publica “De Magnete”, onde
explica que outros materiais, além do âmbar,
adquiriam a propriedade de atrair outros corpos, e
chamou à força observada de elétrica. Atribuiu
essa eletrificação à existência de um "fluido" que,
depois de removido de um corpo por fricção,
deixava uma "emanação".
 Em 1660, Otto Von Guericke, inventa a primeira máquina eletrostática,
chamada de Elektrisiermaschine. Era feita de uma esfera de enxofre
atravessada por uma barra presa a uma manivela, que quando
movimentada fazia a bola girar em alta velocidade. Otto protegeu a mão
com uma luva que ao ser encostada na bola eletrizou-a instantaneamente.
A bola começou a atrair outras bolas de enxofre suspensas por fios, que
após encostar na bola maior começaram a atrair outros objetos menores.
Otto conclui então que a eletricidade podia passar de um corpo para o
outro.
 1675 - Robert Boyle observa que as forças
elétricas podem atuar através do vácuo.
 1729 – Stephen Gray fez a distinção entre
materiais condutores e não condutores.
 1730 – Charles Francis Dufay descobriu que
a eletricidade produzida por fricção podia
ser de duas classes – positiva ou negativa.
Robert Boyle
 No século XVIII acreditava-se que a eletricidade era um fluido.
 Com base nesta teoria Franklin estabeleceu (1750) os termos
“eletricidade positiva” e “eletricidade negativa” assim como as
propriedades de atracção e repulsão entre corpos carregados.
 Em 1752 - A partir das suas observações sobre descargas
atmosféricas, Franklin inventa o pára-raios.
 1780 - Itália – Luigi Galvani, professor de Anatomia, descobre que
as pernas de um sapo morto, que estava sobre uma placa metálica,
sofriam uma contracção quando tocadas com um bisturi.
 Constatou a presença do chamado "fluido de energia", revelou-se
neste momento a bioeletricidade.
 O seu trabalho foi compartilhado e a sua ideia desdobrada, sendo
imprescindível na criação de Alessandro Volta, a Pilha Voltaica
(1800).
 O italiano Alessandro Volta, descobre que
ocorre uma reação química quando dois
metais diferentes entram em contacto com
uma solução ácida. Devido a esta reação
surge uma corrente elétrica.
 Em 1796, Volta construiu a primeira pilha
utilizando discos de cobre e zinco, separados
por um material que continha uma solução
ácida.
Video 2 – Entre o mais e o menos
 Em 1820, na Dinamarca Hans Christian Oersted
descobre que uma corrente elétrica fluindo num
condutor é capaz de alterar a agulha de uma
bússola.
 No ano de 1831, em Inglaterra Michael Faraday
descobriu que se um condutor se movimentasse
dentro do campo magnético de um ímã, uma
força eletromotriz era induzida nos terminais do
condutor.
 No ano de 1800 na França Charles Augustin
Coulomb descobriu que a força entre dois pólos
carregados é inversamente proporcional ao
quadrado da distância entre eles e diretamente
proporcional às suas magnitudes.
 Em 1820, na França, André Maria Ampere,
demonstrou que condutores percorridos
por correntes elétricas desenvolvem forças
de atracção ou de repulsão. Ele inventou o
solenóide.
 Em 1827, Ampere elaborou a fórmula
matemática do eletromagnetismo, a
conhecida “Lei de Ampere”.
 Em 1827, na Alemanha, George Simon Ohm
descobre a relação entre corrente, tensão e
resistência num condutor elétrico surgindo uma das
mais utilizadas expressões na eletricidade , “ Lei de
Ohm”.
 No ano de 1833, na Alemanha Wilhelm Weber
e Karl Gauss desenvolveram um telégrafo
eletromagnético que posteriormente foi
aperfeiçoado por Werner Von Siemens e
Samuel Morse.
 No mesmo ano em Inglaterra Michael Faraday
estabeleceu as leis da eletrólise, da capacidade
elétrica e inventou o motor elétrico, o dínamo
e o transformador.
 Em 1830, nos Estados Unidos, Joseph Henry
descobriu a “indução eletromagnética” e a
conversão do magnetismo em eletricidade.
 E em 1880, nos Estados Unidos, Thomas Edison
desenvolveu a lâmpada elétrica incandescente.
1ª lâmpada Posteriormente
 Em 1882, Thomas Edison, projetou e
construiu as primeiras máquinas geradoras,
uma em Londres e duas nos Estados Unidos.
Ambas eram de pequeno porte e forneciam
eletricidade em corrente contínua.
 Em 1864, na Inglaterra, James Maxwell
desenvolveu as equações fundamentais do
eletromagnetismo. As Leis de Maxwell.
Thomas Edison
James Maxwell
 Em 1886, nos Estados Unidos, George
Westhinghouse inaugurou o primeiro sistema
de energia elétrica na Califórnia utilizando um
transformador eficiente desenvolvido por
William Stanley.
 No ano de 1887, já havia algumas máquinas na
Califórnia que alimentavam cerca de 135.000
lâmpadas. A transmissão era feita em 1000 volts.
George Westhinghouse
 Em 1890, na Sérvia, Nikola Tesla criou o sistema de geração
de energia elétrica trifásico, que passou a ser utilizado em
1896.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 
A Electricidade
A ElectricidadeA Electricidade
A Electricidade
carlos santana
 
Aula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energiaAula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energia
João Paulo Luna
 
Magnetismo 9°ano
Magnetismo 9°anoMagnetismo 9°ano
Magnetismo 9°ano
Wellington Sampaio
 
Cicuito elétrico
Cicuito elétricoCicuito elétrico
Cicuito elétrico
O mundo da FÍSICA
 
O que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétricoO que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétrico
carolinacarrito
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
O mundo da FÍSICA
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
joaberb
 
condutores e isolantes
condutores e isolantescondutores e isolantes
condutores e isolantes
Daniela Lana
 
Consumo de energia eletrica
Consumo de energia eletricaConsumo de energia eletrica
Consumo de energia eletrica
Creuza201011
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
Sergio Madureira
 
Eletrodinâmica
EletrodinâmicaEletrodinâmica
Eletrodinâmica
Paulo Filho
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
Warlle1992
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
Marcos Júnior
 
Magnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismoMagnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismo
Armando Ferreira Alvferreira
 
Força elétrica
Força elétricaForça elétrica
Força elétrica
Marco Antonio Sanches
 
Campo magnético
Campo magnéticoCampo magnético
Campo magnético
fisicaatual
 
Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
Vlamir Gama Rocha
 
Escalas termométricas
Escalas termométricasEscalas termométricas
Escalas termométricas
O mundo da FÍSICA
 
Eletrostatica
EletrostaticaEletrostatica

Mais procurados (20)

Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
A Electricidade
A ElectricidadeA Electricidade
A Electricidade
 
Aula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energiaAula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energia
 
Magnetismo 9°ano
Magnetismo 9°anoMagnetismo 9°ano
Magnetismo 9°ano
 
Cicuito elétrico
Cicuito elétricoCicuito elétrico
Cicuito elétrico
 
O que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétricoO que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétrico
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
condutores e isolantes
condutores e isolantescondutores e isolantes
condutores e isolantes
 
Consumo de energia eletrica
Consumo de energia eletricaConsumo de energia eletrica
Consumo de energia eletrica
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
 
Eletrodinâmica
EletrodinâmicaEletrodinâmica
Eletrodinâmica
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Magnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismoMagnetismo e eletromagnetismo
Magnetismo e eletromagnetismo
 
Força elétrica
Força elétricaForça elétrica
Força elétrica
 
Campo magnético
Campo magnéticoCampo magnético
Campo magnético
 
Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
 
Escalas termométricas
Escalas termométricasEscalas termométricas
Escalas termométricas
 
Eletrostatica
EletrostaticaEletrostatica
Eletrostatica
 

Semelhante a Aula 1 história da eletricidade

Historia do eletromagnetismo
Historia do eletromagnetismoHistoria do eletromagnetismo
Historia do eletromagnetismo
Armando Ferreira Alvferreira
 
A história da eletricidade
A história da eletricidadeA história da eletricidade
A história da eletricidade
Italo Fortes Tavares
 
1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe
1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe
1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe
isaacnewtonmulasboy
 
Electricidade
ElectricidadeElectricidade
Electricidade
Inês Mota
 
Aula 8 introdução à eletrostática
Aula 8 introdução à eletrostáticaAula 8 introdução à eletrostática
Aula 8 introdução à eletrostática
dayanesilva141
 
Sistemas Digitais - Aula 01 - Eletricidade
Sistemas Digitais - Aula 01 - EletricidadeSistemas Digitais - Aula 01 - Eletricidade
Sistemas Digitais - Aula 01 - Eletricidade
Suzana Viana Mota
 
Obrigada Sr. Maxwell
Obrigada Sr. MaxwellObrigada Sr. Maxwell
Obrigada Sr. Maxwell
Maria Teresa Thomaz
 
Emilly
EmillyEmilly
HiistElectrom.ppt
HiistElectrom.pptHiistElectrom.ppt
HiistElectrom.ppt
MVEducacional
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Física - Modelos Atômicos
Física - Modelos AtômicosFísica - Modelos Atômicos
Física - Modelos Atômicos
Vania Lima "Somos Físicos"
 
Slides apresentação sábado a tarde
Slides apresentação sábado a tardeSlides apresentação sábado a tarde
Slides apresentação sábado a tarde
Valdecir Silva
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
Ricardo Bonaldo
 
Das primeiras ideias da eletricidade até a pilha de volta
Das primeiras ideias da eletricidade até a pilha de voltaDas primeiras ideias da eletricidade até a pilha de volta
Das primeiras ideias da eletricidade até a pilha de volta
PIBID QUÍMICA UNIFESP
 
Desenvolvimento dos meios de comunicação a longas distâncias
Desenvolvimento dos meios de comunicação a longas distânciasDesenvolvimento dos meios de comunicação a longas distâncias
Desenvolvimento dos meios de comunicação a longas distâncias
Pedro Oliveira
 
eletricidade.pdf
eletricidade.pdfeletricidade.pdf
eletricidade.pdf
Emerson Assis
 
Apostila processos eletroeletronicos_2014
Apostila processos eletroeletronicos_2014Apostila processos eletroeletronicos_2014
Apostila processos eletroeletronicos_2014
Marcio Oliani
 
Reatividade metais 2006
Reatividade metais 2006Reatividade metais 2006
Reatividade metais 2006
Tuninho Do Rock
 
propriedades físicas dos materiais
propriedades  físicas dos materiaispropriedades  físicas dos materiais
propriedades físicas dos materiais
Bruna Camargo Lemos
 
Hans christian oersted (1777-1851)
Hans christian oersted    (1777-1851)Hans christian oersted    (1777-1851)
Hans christian oersted (1777-1851)
FilipaFonseca
 

Semelhante a Aula 1 história da eletricidade (20)

Historia do eletromagnetismo
Historia do eletromagnetismoHistoria do eletromagnetismo
Historia do eletromagnetismo
 
A história da eletricidade
A história da eletricidadeA história da eletricidade
A história da eletricidade
 
1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe
1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe
1HistoriaEletricidade.pdf Electricidade 9° Classe
 
Electricidade
ElectricidadeElectricidade
Electricidade
 
Aula 8 introdução à eletrostática
Aula 8 introdução à eletrostáticaAula 8 introdução à eletrostática
Aula 8 introdução à eletrostática
 
Sistemas Digitais - Aula 01 - Eletricidade
Sistemas Digitais - Aula 01 - EletricidadeSistemas Digitais - Aula 01 - Eletricidade
Sistemas Digitais - Aula 01 - Eletricidade
 
Obrigada Sr. Maxwell
Obrigada Sr. MaxwellObrigada Sr. Maxwell
Obrigada Sr. Maxwell
 
Emilly
EmillyEmilly
Emilly
 
HiistElectrom.ppt
HiistElectrom.pptHiistElectrom.ppt
HiistElectrom.ppt
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Física - Modelos Atômicos
Física - Modelos AtômicosFísica - Modelos Atômicos
Física - Modelos Atômicos
 
Slides apresentação sábado a tarde
Slides apresentação sábado a tardeSlides apresentação sábado a tarde
Slides apresentação sábado a tarde
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Das primeiras ideias da eletricidade até a pilha de volta
Das primeiras ideias da eletricidade até a pilha de voltaDas primeiras ideias da eletricidade até a pilha de volta
Das primeiras ideias da eletricidade até a pilha de volta
 
Desenvolvimento dos meios de comunicação a longas distâncias
Desenvolvimento dos meios de comunicação a longas distânciasDesenvolvimento dos meios de comunicação a longas distâncias
Desenvolvimento dos meios de comunicação a longas distâncias
 
eletricidade.pdf
eletricidade.pdfeletricidade.pdf
eletricidade.pdf
 
Apostila processos eletroeletronicos_2014
Apostila processos eletroeletronicos_2014Apostila processos eletroeletronicos_2014
Apostila processos eletroeletronicos_2014
 
Reatividade metais 2006
Reatividade metais 2006Reatividade metais 2006
Reatividade metais 2006
 
propriedades físicas dos materiais
propriedades  físicas dos materiaispropriedades  físicas dos materiais
propriedades físicas dos materiais
 
Hans christian oersted (1777-1851)
Hans christian oersted    (1777-1851)Hans christian oersted    (1777-1851)
Hans christian oersted (1777-1851)
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 

Aula 1 história da eletricidade

  • 1. FÍSICA – Aula 1 Prof. Daniel
  • 2. A eletricidade é a área da Física responsável pelo estudo de fenômenos associados a cargas elétricas.
  • 3. Eletricidade A eletricidade pode ser dividida em três partes: • Eletrostática: Refere-se ao comportamento das cargas elétricas em repouso e seu estudo engloba os processos de eletrização, campo elétrico, força eletrostática e potencial elétrico.
  • 4. Eletricidade • Eletrodinâmica: É a parte da eletricidade responsável pelo estudo das cargas elétricas em movimento. O foco dessa área é a corrente elétrica e os componentes de circuitos elétricos, como capacitores e resistores.
  • 5. Eletricidade • Eletromagnetismo: Estuda a relação entre os fenômenos elétricos e magnéticos, tais como campo magnético produzido por cargas elétricas em movimento e campo elétrico produzido pela variação de fluxo magnético.
  • 6.
  • 7.  Grécia Antiga (VI) – Tales de Mileto descobre que ao se esfregar âmbar com pele de carneiro, observa-se que pedaços de palha eram atraídos pelo âmbar. A palavra eléktron (ἤλεκτρον) significa âmbar em grego.  Ásia Menor - descobre-se as propriedades de um pedaço de rocha atrair pequenos pedaços de ferro.
  • 8.  Em 1550, Gerolamo Cardano discute no seu livro “De Subtilitate” as diferenças entre forças elétricas e forças magnéticas.  No ano de 1600, o cientista inglês William Gilbert, primeiro a estudar sistematicamente a eletricidade e o magnetismo publica “De Magnete”, onde explica que outros materiais, além do âmbar, adquiriam a propriedade de atrair outros corpos, e chamou à força observada de elétrica. Atribuiu essa eletrificação à existência de um "fluido" que, depois de removido de um corpo por fricção, deixava uma "emanação".
  • 9.  Em 1660, Otto Von Guericke, inventa a primeira máquina eletrostática, chamada de Elektrisiermaschine. Era feita de uma esfera de enxofre atravessada por uma barra presa a uma manivela, que quando movimentada fazia a bola girar em alta velocidade. Otto protegeu a mão com uma luva que ao ser encostada na bola eletrizou-a instantaneamente. A bola começou a atrair outras bolas de enxofre suspensas por fios, que após encostar na bola maior começaram a atrair outros objetos menores. Otto conclui então que a eletricidade podia passar de um corpo para o outro.
  • 10.  1675 - Robert Boyle observa que as forças elétricas podem atuar através do vácuo.  1729 – Stephen Gray fez a distinção entre materiais condutores e não condutores.  1730 – Charles Francis Dufay descobriu que a eletricidade produzida por fricção podia ser de duas classes – positiva ou negativa. Robert Boyle
  • 11.  No século XVIII acreditava-se que a eletricidade era um fluido.  Com base nesta teoria Franklin estabeleceu (1750) os termos “eletricidade positiva” e “eletricidade negativa” assim como as propriedades de atracção e repulsão entre corpos carregados.  Em 1752 - A partir das suas observações sobre descargas atmosféricas, Franklin inventa o pára-raios.
  • 12.  1780 - Itália – Luigi Galvani, professor de Anatomia, descobre que as pernas de um sapo morto, que estava sobre uma placa metálica, sofriam uma contracção quando tocadas com um bisturi.  Constatou a presença do chamado "fluido de energia", revelou-se neste momento a bioeletricidade.  O seu trabalho foi compartilhado e a sua ideia desdobrada, sendo imprescindível na criação de Alessandro Volta, a Pilha Voltaica (1800).
  • 13.  O italiano Alessandro Volta, descobre que ocorre uma reação química quando dois metais diferentes entram em contacto com uma solução ácida. Devido a esta reação surge uma corrente elétrica.  Em 1796, Volta construiu a primeira pilha utilizando discos de cobre e zinco, separados por um material que continha uma solução ácida.
  • 14.
  • 15. Video 2 – Entre o mais e o menos
  • 16.  Em 1820, na Dinamarca Hans Christian Oersted descobre que uma corrente elétrica fluindo num condutor é capaz de alterar a agulha de uma bússola.  No ano de 1831, em Inglaterra Michael Faraday descobriu que se um condutor se movimentasse dentro do campo magnético de um ímã, uma força eletromotriz era induzida nos terminais do condutor.
  • 17.  No ano de 1800 na França Charles Augustin Coulomb descobriu que a força entre dois pólos carregados é inversamente proporcional ao quadrado da distância entre eles e diretamente proporcional às suas magnitudes.
  • 18.  Em 1820, na França, André Maria Ampere, demonstrou que condutores percorridos por correntes elétricas desenvolvem forças de atracção ou de repulsão. Ele inventou o solenóide.  Em 1827, Ampere elaborou a fórmula matemática do eletromagnetismo, a conhecida “Lei de Ampere”.
  • 19.  Em 1827, na Alemanha, George Simon Ohm descobre a relação entre corrente, tensão e resistência num condutor elétrico surgindo uma das mais utilizadas expressões na eletricidade , “ Lei de Ohm”.
  • 20.  No ano de 1833, na Alemanha Wilhelm Weber e Karl Gauss desenvolveram um telégrafo eletromagnético que posteriormente foi aperfeiçoado por Werner Von Siemens e Samuel Morse.  No mesmo ano em Inglaterra Michael Faraday estabeleceu as leis da eletrólise, da capacidade elétrica e inventou o motor elétrico, o dínamo e o transformador.
  • 21.  Em 1830, nos Estados Unidos, Joseph Henry descobriu a “indução eletromagnética” e a conversão do magnetismo em eletricidade.  E em 1880, nos Estados Unidos, Thomas Edison desenvolveu a lâmpada elétrica incandescente. 1ª lâmpada Posteriormente
  • 22.  Em 1882, Thomas Edison, projetou e construiu as primeiras máquinas geradoras, uma em Londres e duas nos Estados Unidos. Ambas eram de pequeno porte e forneciam eletricidade em corrente contínua.  Em 1864, na Inglaterra, James Maxwell desenvolveu as equações fundamentais do eletromagnetismo. As Leis de Maxwell. Thomas Edison James Maxwell
  • 23.  Em 1886, nos Estados Unidos, George Westhinghouse inaugurou o primeiro sistema de energia elétrica na Califórnia utilizando um transformador eficiente desenvolvido por William Stanley.  No ano de 1887, já havia algumas máquinas na Califórnia que alimentavam cerca de 135.000 lâmpadas. A transmissão era feita em 1000 volts. George Westhinghouse
  • 24.  Em 1890, na Sérvia, Nikola Tesla criou o sistema de geração de energia elétrica trifásico, que passou a ser utilizado em 1896.

Notas do Editor

  1. o fluxo de elétrons que carrega a energia elétrica dentro de um fio não segue um sentido único. Ora os elétrons vão para a frente, ora para trás, mudando de rota 120 vezes por segundo.