SlideShare uma empresa Scribd logo
1
• Pesquisadores (Grob K. et al.,
2016) encontraram um 5º
músculo entre o Vasto Lateral e
Vasto Intermédio músculo,
chamado de Tensor do Vasto
Intermédio. Cerca de 26
cadáveres foram dissecados e
investigados, todos os
componentes musculares desde
sua origem e inserção,
inervação e vascularização
foram rastreados.
Autores
Grob K, Ackland T, Kuster MS, Manestar M, Filgueira L.
Novo Músculo no Quadríceps
Aplicação de testes
- saber empregar técnicas e instrumentos;
- especificidade;
- controle de variáveis;
- credibilidade.
Diferença entre:
- TESTE
- MEDIDA
- AVALIAÇÃO
2
TESTE:
É um instrumento, procedimento ou técnica usado
para se obter uma informação.
Formas: escrito, observação e performance.
Exemplo: Teste da estatura.
CONCEITOS DE TESTES, MEDIDAS
E AVALIAÇÕES
MEDIDA:
É o processo utilizado para coletar as informações
obtidas pelo teste, atribuindo um valor numérico aos
resultados. As medidas devem ser precisas e objetivas.
Podem ser coletadas de duas formas: FORMAL (sabe
que é testada) ou INFORMAL.
Exemplo: medida (em cm) da estatura do testando.
Para uma perfeita aplicação de uma
medida:
O que medir?
Por que medir?
Como medir?
AVALIAÇÃO:
Determina a importância ou o valor da informação
coletada.
Decisão: classifica os testandos, reflete o
progresso, indica se os objetivos estão ou não sendo
atingidos, indica se o sistema de ensino está sendo
satisfatório, etc.
3
AVALIAÇÃO
Faz comparação com algum padrão.
Exemplo: o testando é classificado como
sendo de estatura alta, média ou baixa.
Principal diferença entre
MEDIDA E AVALIAÇÃO
Medida: Abrange o aspecto
quantitativo
Avaliação: Abrange o aspecto
qualitativo
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA
AVALIAÇÃO FORMATIVA
AVALIAÇÃO SOMATIVA
Tipos de Avaliação:
Análise dos pontos fortes e fracos do indivíduo (ou turma
– homogênia ou heterogênia) em relação a uma
determinada característica;
Comumente efetuada no início do programa;
Auxilia o profissional a calcular as necessidades dos
indivíduos e, elaborar o seu planejamento de atividades.
Avaliação DiagnósticaAvaliação Diagnóstica
4
Informa sobre o progresso dos indivíduos, no decorrer do
processo ensino-aprendizagem;
Passa informações, tanto ao profissional como p/ o
aluno, do nível de aperfeiçoamento;
Auxilia na readequação, ou não, do programa de
atividades (conteúdo certo, da maneira certa, para as
pessoas certas).
Avaliação FormativaAvaliação Formativa
É a soma de todas as avaliações realizadas no fim
de cada unidade do planejamento, com o objetivo de
obter um quadro geral da evolução do indivíduo.
Avaliação SomativaAvaliação Somativa
Diagnosticar;
Classificar os indivíduos;
Determinar o progresso do indivíduo;
Motivar;
Manter padrões – determinar se um programa está
fornecendo suficiente instruções.
Experiência indivíduo/profissional;
Desenvolver a pesquisa na Ed. Física.
Objetivos das Medidas e Avaliações:Objetivos das Medidas e Avaliações:
Determinar os objetivos do programa (as metas a serem
atingidas);
Os dados coletados devem ser conduzidos e
supervisionados por pessoas treinadas;
Deve-se sempre lembrar da diferença entre teste, medida
e avaliação (tomada de decisão);
Nenhum teste ou medida é perfeito (atual e adequado a
população);
Princípios das Medidas e Avaliações:Princípios das Medidas e Avaliações:
5
Não há teste que substitua o julgamento profissional
(mulher: 1,60 estatura - 95Kg);
Deve sempre existir o re-teste para se observar o
desempenho (Avaliação diagnóstica é necessária);
Usar os testes que mais se aproximem da situação da
atividade;
Usar os testes mais válidos, fidedignos e objetivos.
Princípios das Medidas e Avaliações:Princípios das Medidas e Avaliações:
A precisão das medidas depende,
principalmente, da exatidão dos instrumentos e
da prática do avaliador.
Existem dois tipos de erros mais comuns:
Erro de Medida e Erro Sistemático.
Precisão das medidas:Precisão das medidas:
ERRO DE MEDIDA
a) Erro de Equipamento: quando o equipamento não é
aferido previamente.
b) Erro do Medidor: quando o medidor erra ao executar a
medição.
c) Erro Administrativo: quando existe algo errado na
administração do teste. Ex: aquecimento prévio p/
execução do teste.
PRECISÃO DAS MEDIDASPRECISÃO DAS MEDIDAS
ERRO SISTEMÁTICO -
Como erro sistemático podem-se citar as
diferenças biológicas. Exemplo: diferença nas
medidas de estatura na manhã e a noite.
PRECISÃO DAS MEDIDASPRECISÃO DAS MEDIDAS
6
Procedimentos dasProcedimentos das
Coletas de DadosColetas de Dados
Avaliação da Força MuscularAvaliação da Força Muscular
Força dinâmica máxima
Teste de 1-RM
Objetivo: determinar a capacidade máxima de forçaObjetivo: determinar a capacidade máxima de força
dinâmica desenvolvida por um grupo muscular emdinâmica desenvolvida por um grupo muscular em
um dado movimento.um dado movimento.
Força isocinética máxima
Teste Isocinético (Cybex)
Objetivo: medir força, resistência e potência muscular.Objetivo: medir força, resistência e potência muscular.
Avaliação da Potência AeróbiaAvaliação da Potência Aeróbia
Teste Cardiopulmonar de Exercício
VO2máx.
O consumo máximo de O2 significa, em fisiologia do
exercício, o máximo de oxigênio que as células de uma
pessoa são capazes de captar, transportar e utilizar
durante um exercício de intensidade máxima.
7
Avaliação da Composição CorporalAvaliação da Composição Corporal
Densitometria ósseaDensitometria óssea
Constitui o método de laboratório mais amplamente
usado para a estimativa de massa magra de gordura (2
a 4% de lipídios no qual o organismo não consegue ter
um funcionamento fisiológico adequado) e massa livre
de gordura (gordura extraível – sem lipídios).
Pontos ImportantesPontos Importantes
• Instrumentos: A escolha correta garantirá êxito nas medidas,
escolher instrumentos válidos, fidedignos, adequados à
população e atualizados.
• Comparação de dados: se formos comparar dados, devemos
observar se foram coletados pelo mesmo avaliador e se foi
utilizado o mesmo método.
• Local adequado e limpo.
• Orientar o aluno/cliente que utilize a roupa adequada para a
avaliação e os procedimentos do testes.
• Seguir rigorosamente as indicações, normas e padrões dos
testes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Art03 sugestão avaliação
Art03  sugestão avaliaçãoArt03  sugestão avaliação
Art03 sugestão avaliação
drpl82
 
REABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONAL
REABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONALREABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONAL
REABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONAL
resenfe2013
 
Jose_Clemente_Avaliacao_funcional
Jose_Clemente_Avaliacao_funcionalJose_Clemente_Avaliacao_funcional
Jose_Clemente_Avaliacao_funcional
comunidadedepraticas
 
Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...
Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...
Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...
resenfe2013
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
resenfe2013
 
cif em fisioterapia
cif em fisioterapiacif em fisioterapia
cif em fisioterapia
Eduardo Santana Cordeiro
 

Mais procurados (6)

Art03 sugestão avaliação
Art03  sugestão avaliaçãoArt03  sugestão avaliação
Art03 sugestão avaliação
 
REABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONAL
REABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONALREABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONAL
REABILITAÇÃO CARDÍACA E TERAPIA OCUPACIONAL
 
Jose_Clemente_Avaliacao_funcional
Jose_Clemente_Avaliacao_funcionalJose_Clemente_Avaliacao_funcional
Jose_Clemente_Avaliacao_funcional
 
Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...
Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...
Alteração de áreas e componentes de desempenho ocupacional de pacientes hospi...
 
Técnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energiaTécnicas de conservação de energia
Técnicas de conservação de energia
 
cif em fisioterapia
cif em fisioterapiacif em fisioterapia
cif em fisioterapia
 

Semelhante a Aula 1 avaliação funcional

Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)
Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)
Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)
Amarildo César
 
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptxAula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
TavaresJana
 
Avaliacao de força
Avaliacao  de forçaAvaliacao  de força
Avaliacao de força
LUCIANO SOUSA FISIOLOGISTA
 
Composição corporal Hudson Junior
Composição corporal Hudson JuniorComposição corporal Hudson Junior
Composição corporal Hudson Junior
Hudson Junior
 
Rbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetiva
Rbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetivaRbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetiva
Rbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetiva
Alexandra Nurhan
 
CDH_Estudo de Caso.pdf
CDH_Estudo de Caso.pdfCDH_Estudo de Caso.pdf
CDH_Estudo de Caso.pdf
KlvinMendes
 
Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...
Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...
Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...
Proqualis
 
Medidas e avaliação
Medidas e avaliaçãoMedidas e avaliação
Medidas e avaliação
washington carlos vieira
 
A importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios
A importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercíciosA importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios
A importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios
Natalia Aquino
 
Metodologia da musculação teste de força
Metodologia da musculação   teste de forçaMetodologia da musculação   teste de força
Metodologia da musculação teste de força
washington carlos vieira
 
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
gemusc
 
Slides avaliação física
Slides avaliação físicaSlides avaliação física
Slides avaliação física
Ana Lucia Costa
 
Avaliação física
Avaliação físicaAvaliação física
Avaliação física
Cycyro Soares
 
AULA 2.pdf
AULA 2.pdfAULA 2.pdf
AULA 2.pdf
redessocias
 
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoesAlongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alexandra Nurhan
 
Alongamento e prev lesoes
Alongamento e prev lesoesAlongamento e prev lesoes
Alongamento e prev lesoes
juuliacarolina
 
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoesAlongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alexandra Nurhan
 
Treinamento esportivo i
Treinamento esportivo iTreinamento esportivo i
Treinamento esportivo i
Marcus Prof
 
treinamento_desportivo-unit1 (1).pptx
treinamento_desportivo-unit1 (1).pptxtreinamento_desportivo-unit1 (1).pptx
treinamento_desportivo-unit1 (1).pptx
DaniloAlmeida442192
 
ALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesões
ALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesõesALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesões
ALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesões
Fernando Farias
 

Semelhante a Aula 1 avaliação funcional (20)

Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)
Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)
Cineantropometria - (ProfºAmarildoCésar)
 
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptxAula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
Aula 3- parâmetros fundamentais na prescrição e realização da ginástica.pptx
 
Avaliacao de força
Avaliacao  de forçaAvaliacao  de força
Avaliacao de força
 
Composição corporal Hudson Junior
Composição corporal Hudson JuniorComposição corporal Hudson Junior
Composição corporal Hudson Junior
 
Rbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetiva
Rbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetivaRbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetiva
Rbcm 2000 flexibilidade e percepçao subjetiva
 
CDH_Estudo de Caso.pdf
CDH_Estudo de Caso.pdfCDH_Estudo de Caso.pdf
CDH_Estudo de Caso.pdf
 
Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...
Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...
Usar métodos de melhoria da qualidade para melhorar os cuidados - Tópico 7_Gu...
 
Medidas e avaliação
Medidas e avaliaçãoMedidas e avaliação
Medidas e avaliação
 
A importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios
A importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercíciosA importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios
A importância de fazer uma avaliação física antes de iniciar os exercícios
 
Metodologia da musculação teste de força
Metodologia da musculação   teste de forçaMetodologia da musculação   teste de força
Metodologia da musculação teste de força
 
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
Comparação entre dois sistemas de treino de força no desenvolvimento da força...
 
Slides avaliação física
Slides avaliação físicaSlides avaliação física
Slides avaliação física
 
Avaliação física
Avaliação físicaAvaliação física
Avaliação física
 
AULA 2.pdf
AULA 2.pdfAULA 2.pdf
AULA 2.pdf
 
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoesAlongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
 
Alongamento e prev lesoes
Alongamento e prev lesoesAlongamento e prev lesoes
Alongamento e prev lesoes
 
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoesAlongamento muscular   suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
Alongamento muscular suas implicacoes na performance e na prevencao de lesoes
 
Treinamento esportivo i
Treinamento esportivo iTreinamento esportivo i
Treinamento esportivo i
 
treinamento_desportivo-unit1 (1).pptx
treinamento_desportivo-unit1 (1).pptxtreinamento_desportivo-unit1 (1).pptx
treinamento_desportivo-unit1 (1).pptx
 
ALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesões
ALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesõesALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesões
ALONGAMENTO MUSCULAR: suas implicações na performance e na prevenção de lesões
 

Aula 1 avaliação funcional

  • 1. 1 • Pesquisadores (Grob K. et al., 2016) encontraram um 5º músculo entre o Vasto Lateral e Vasto Intermédio músculo, chamado de Tensor do Vasto Intermédio. Cerca de 26 cadáveres foram dissecados e investigados, todos os componentes musculares desde sua origem e inserção, inervação e vascularização foram rastreados. Autores Grob K, Ackland T, Kuster MS, Manestar M, Filgueira L. Novo Músculo no Quadríceps Aplicação de testes - saber empregar técnicas e instrumentos; - especificidade; - controle de variáveis; - credibilidade. Diferença entre: - TESTE - MEDIDA - AVALIAÇÃO
  • 2. 2 TESTE: É um instrumento, procedimento ou técnica usado para se obter uma informação. Formas: escrito, observação e performance. Exemplo: Teste da estatura. CONCEITOS DE TESTES, MEDIDAS E AVALIAÇÕES MEDIDA: É o processo utilizado para coletar as informações obtidas pelo teste, atribuindo um valor numérico aos resultados. As medidas devem ser precisas e objetivas. Podem ser coletadas de duas formas: FORMAL (sabe que é testada) ou INFORMAL. Exemplo: medida (em cm) da estatura do testando. Para uma perfeita aplicação de uma medida: O que medir? Por que medir? Como medir? AVALIAÇÃO: Determina a importância ou o valor da informação coletada. Decisão: classifica os testandos, reflete o progresso, indica se os objetivos estão ou não sendo atingidos, indica se o sistema de ensino está sendo satisfatório, etc.
  • 3. 3 AVALIAÇÃO Faz comparação com algum padrão. Exemplo: o testando é classificado como sendo de estatura alta, média ou baixa. Principal diferença entre MEDIDA E AVALIAÇÃO Medida: Abrange o aspecto quantitativo Avaliação: Abrange o aspecto qualitativo AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA AVALIAÇÃO FORMATIVA AVALIAÇÃO SOMATIVA Tipos de Avaliação: Análise dos pontos fortes e fracos do indivíduo (ou turma – homogênia ou heterogênia) em relação a uma determinada característica; Comumente efetuada no início do programa; Auxilia o profissional a calcular as necessidades dos indivíduos e, elaborar o seu planejamento de atividades. Avaliação DiagnósticaAvaliação Diagnóstica
  • 4. 4 Informa sobre o progresso dos indivíduos, no decorrer do processo ensino-aprendizagem; Passa informações, tanto ao profissional como p/ o aluno, do nível de aperfeiçoamento; Auxilia na readequação, ou não, do programa de atividades (conteúdo certo, da maneira certa, para as pessoas certas). Avaliação FormativaAvaliação Formativa É a soma de todas as avaliações realizadas no fim de cada unidade do planejamento, com o objetivo de obter um quadro geral da evolução do indivíduo. Avaliação SomativaAvaliação Somativa Diagnosticar; Classificar os indivíduos; Determinar o progresso do indivíduo; Motivar; Manter padrões – determinar se um programa está fornecendo suficiente instruções. Experiência indivíduo/profissional; Desenvolver a pesquisa na Ed. Física. Objetivos das Medidas e Avaliações:Objetivos das Medidas e Avaliações: Determinar os objetivos do programa (as metas a serem atingidas); Os dados coletados devem ser conduzidos e supervisionados por pessoas treinadas; Deve-se sempre lembrar da diferença entre teste, medida e avaliação (tomada de decisão); Nenhum teste ou medida é perfeito (atual e adequado a população); Princípios das Medidas e Avaliações:Princípios das Medidas e Avaliações:
  • 5. 5 Não há teste que substitua o julgamento profissional (mulher: 1,60 estatura - 95Kg); Deve sempre existir o re-teste para se observar o desempenho (Avaliação diagnóstica é necessária); Usar os testes que mais se aproximem da situação da atividade; Usar os testes mais válidos, fidedignos e objetivos. Princípios das Medidas e Avaliações:Princípios das Medidas e Avaliações: A precisão das medidas depende, principalmente, da exatidão dos instrumentos e da prática do avaliador. Existem dois tipos de erros mais comuns: Erro de Medida e Erro Sistemático. Precisão das medidas:Precisão das medidas: ERRO DE MEDIDA a) Erro de Equipamento: quando o equipamento não é aferido previamente. b) Erro do Medidor: quando o medidor erra ao executar a medição. c) Erro Administrativo: quando existe algo errado na administração do teste. Ex: aquecimento prévio p/ execução do teste. PRECISÃO DAS MEDIDASPRECISÃO DAS MEDIDAS ERRO SISTEMÁTICO - Como erro sistemático podem-se citar as diferenças biológicas. Exemplo: diferença nas medidas de estatura na manhã e a noite. PRECISÃO DAS MEDIDASPRECISÃO DAS MEDIDAS
  • 6. 6 Procedimentos dasProcedimentos das Coletas de DadosColetas de Dados Avaliação da Força MuscularAvaliação da Força Muscular Força dinâmica máxima Teste de 1-RM Objetivo: determinar a capacidade máxima de forçaObjetivo: determinar a capacidade máxima de força dinâmica desenvolvida por um grupo muscular emdinâmica desenvolvida por um grupo muscular em um dado movimento.um dado movimento. Força isocinética máxima Teste Isocinético (Cybex) Objetivo: medir força, resistência e potência muscular.Objetivo: medir força, resistência e potência muscular. Avaliação da Potência AeróbiaAvaliação da Potência Aeróbia Teste Cardiopulmonar de Exercício VO2máx. O consumo máximo de O2 significa, em fisiologia do exercício, o máximo de oxigênio que as células de uma pessoa são capazes de captar, transportar e utilizar durante um exercício de intensidade máxima.
  • 7. 7 Avaliação da Composição CorporalAvaliação da Composição Corporal Densitometria ósseaDensitometria óssea Constitui o método de laboratório mais amplamente usado para a estimativa de massa magra de gordura (2 a 4% de lipídios no qual o organismo não consegue ter um funcionamento fisiológico adequado) e massa livre de gordura (gordura extraível – sem lipídios). Pontos ImportantesPontos Importantes • Instrumentos: A escolha correta garantirá êxito nas medidas, escolher instrumentos válidos, fidedignos, adequados à população e atualizados. • Comparação de dados: se formos comparar dados, devemos observar se foram coletados pelo mesmo avaliador e se foi utilizado o mesmo método. • Local adequado e limpo. • Orientar o aluno/cliente que utilize a roupa adequada para a avaliação e os procedimentos do testes. • Seguir rigorosamente as indicações, normas e padrões dos testes.