SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO PRÉ-Vestibular PRÓ-VALE - DISCIPLINA: GEOGRAFIA
Prof. Vando Félix – vandogeo@bol.com.br – www.geograficamentecorreto.com
Aquecimento Global
A aceleração do degelo na calota polar da Groenlândia
duplicou nos últimos 25 anos
Ultimamente, o AQUECIMENTO GLOBAL virou assunto nos mais
diversos meios de comunicação, a população está preocupada
com o que poderá acontecer com o nosso planeta.
Como o próprio nome já diz, aquecimento global é a elevação
da temperatura do planeta, gerando sérias complicações como:
furacões, secas, enchentes, extinção de milhares de animais e
vegetais, derretimento dos polos e vários outros problemas que o
homem não tem condições de enfrentar ou controlar.
Há muitos anos, o homem destrói o planeta (matando e poluindo)
e os pesquisadores alertam sobre as consequências graves desses
atos.
Existem várias evidências que a temperatura do planeta
aumentou: os termômetros subiram 0,6ºC desde o meio do
século XIX, o nível dos oceanos também subiu e as regiões glaciais
do planeta estão diminuindo. Os cientistas também consideram
prova do aquecimento global, a diferença de temperatura entre a
superfície terrestre e a troposfera (zona atmosférica mais
próxima do solo).
A maioria dos cientistas climáticos acredita que o aumento da
quantidade de gases estufa (gás carbônico, metano, etc) lançados
na atmosfera provoca uma elevação da temperatura, a emissão
desses gases (fruto do desmatamento e da queima
de combustíveis fósseis) formam uma barreira impedindo que o
calor se propague aumentando a temperatura da terra.
Os maiores responsáveis pela emissão desses gases são os
Estados Unidos (que lideram a lista com cerca de 36% do total
mundial), a União Européia, China, Rússia, Japão e Índia.
O IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas
ou Intergovernamental Panel on Climate Change) criado
pela ONU, ganhou destaque por causa dos seus esperados
relatórios a respeito das causas desse imenso problema e
também por apontar alguns caminhos para reverter a situação.
O Brasil já contribui para mudar esse triste quadro, aqui já
existe o desenvolvimento de matrizes energéticas de origens
vegetais (etanol, biodiesel).
AS CAUSAS DO AQUECIMENTO GLOBAL são muito pesquisadas.
Existe uma parcela da comunidade científica que atribui esse
fenômeno como um processo natural, afirmando que o planeta
Terra está numa fase de transição natural, um processo longo e
dinâmico, saindo da era glacial para a interglacial, sendo o
aumento da temperatura consequência desse fenômeno.
EFEITO ESTUFA: é um fenômeno natural de aquecimento térmico
da Terra. É imprescindível para manter a temperatura do planeta
em condições ideais de sobrevivência. Sem ele, a Terra seria
muito fria, dificultando o desenvolvimento das espécies.
CRÉDITOS DE CARBONO é o nome dado a uma commodity criada
pelos mecanismos de flexibilização do Protocolo de Kyotoe que
permitem a comercialização de cotas de emissão de gases
causadores de efeito estufa (GHG, Green House Gas, em inglês).
O Protocolo de Kyoto (1997, Japão), estabeleceu alguns
mecanismos de flexibilização para que a meta de redução de
emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE) dos países em
desenvolvimento fosse alcançada.
O PRIMEIRO MECANISMO, abordado no artigo 12 do protocolo, é
o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, ou MDL, que prevê a
criação de projetos de redução de emissão de GEE nos países
chamados de “não-anexo 1”: países em desenvolvimento que não
constam no anexo 1 do protocolo. E, posteriormente a aquisição
das “Reduções Certificadas de Emissões” (os tais créditos de
carbono, chamados de CERs) que depois são colocadas
no mercado para que os países “anexo 1” (desenvolvidos), que
tem metas de redução a cumprir, possam adquiri-los. Os projetos
de MDL podem ser executados tanto pela iniciativa privada como
pelo poder público dos países em desenvolvimento de acordo
com seus recursos.
MUDANÇAS CLIMÁTICAS: O aquecimento global altera o clima,
elevando a temperatura dos oceanos, modificando o regime de
chuvas e ventos e ameaçando ecossistemas.
DESENVOLVIEMNTO SUSTENTÁVEL: É a busca por formas de
desenvolver a economia e preservar os recursos naturais, como
as águas, as matas, a qualidade das terras e os minerais, para
garantir a vida no futuro.
CONVENÇÃO SOBRE A MUDANÇA DO CLIMA: Documento das
Nações Unidas sobre o aquecimento global, que criou os
protocolos ambientais (acordos) discutidos em conferências
realizadas anualmente.
PROTOCOLO DE KYOTO: Este protocolo é um acordo
internacional que visa a redução da emissão dos poluentes que
aumentam o efeito estufa no planeta. Entrou em vigor em 16
fevereiro de 2005. O principal objetivo é que ocorra a diminuição
da temperatura global nos próximos anos. Infelizmente
os Estados Unidos, país que mais emite poluentes no mundo, não
aceitou o acordo, pois afirmou que ele prejudicaria o
desenvolvimento industrial do país. Acordo mais importante já
realizado sobre o clima, pois conseguiu compromissos dos países
participantes de limitar as emissões de gases que agravam o
efeito estufa. O acordo expirou no fim de 2012.
NOVO PROTOCOLO: Não houve acordo nas conferências de
Copenhague (2009) e Cancún (2010) para um protocolo a vigorar
a partir de 2013. Ele poderá ser feito na Conferência Mundial da
ONU no Rio de Janeiro, em 2012.
A conferência, realizada de 13 a 22 de
junho de 2012 na cidade do Rio de Janeiro,
é assim conhecida porque marca os vinte
anos de realização da Conferência das
Nações Unidas sobre Meio Ambiente e
Desenvolvimento (Rio-92). O objetivo é
renovar o compromisso político mundial com o desenvolvimento
sustentável. Para isso, foi feita uma avaliação do progresso na
implementação das decisões adotadas pelas principais cúpulas
anteriores sobre o assunto e uma discussão sobre temas novos e
emergentes.
Os dois temas principais
discutidos ali foram a
economia verde no contexto
do desenvolvimento
sustentável e da erradicação
da pobreza; e a estrutura
institucional para o
desenvolvimento sustentável.
O resultado é o documento
final de 49 páginas
denominado “O Futuro Que Queremos” lançado nesta sexta-feira
(22), último dia da Rio+20.
BRASIL: Diferentemente de outros países que contribuem para o
efeito estufa pela dependência excessiva de combustíveis fósseis,
o Brasil emite principalmente por causa do desmatamento na
Amazônia. A política nacional de mudanças climáticas estabelece
a meta de redução do desmatamento na região em 80% até 2020.
VAMOS EXERCITAR O CEREBRO:
1º (UNESP) Muitas espécies no mundo estão ameaçadas de
extinção. Esse fato também se deve
I. à destruição dos hábitats naturais pelos homens.
II. à poluição das águas doces e marinhas.
III. à elevação da temperatura das águas oceânicas.
IV. ao aumento da acidez das águas oceânicas pela elevação
dos níveis de CO2
.
V. à localização de ilhas de calor sobre áreas agricultáveis.
Estão corretas apenas as afirmações:
a) I, II, III e IV. b) I, II, IV e V. c) III e IV.
d) II, III e V. e) I, IV e V.
2º - (UECE) Considere as seguintes afirmações que tratam do
ambiente em grandes centros urbanos:
I. O aumento da temperatura em face do adensamento de
construções, do asfaltamento de ruas e avenidas e da rarefação
ou ausência de vegetação tende a gerar as “ilhas de calor”.
II. Em geral, a expansão nos grandes centros urbanos brasileiros
tem sido realizada em terrenos ambientalmente estáveis e com
baixa vulnerabilidade à ocupação.
III. Comumente, as áreas de risco à ocupação correspondem aos
fundos de vales, topos de morros e vertentes íngremes.
IV. Parques, áreas verdes e matas ciliares, contribuem para a
melhoria do clima urbano, amenizando os gradientes térmicos.
Está correto o que se afirma em
a) I, II, III e IV.
b) I, III e IV apenas.
c) II e III apenas.
d) I, II e IV apenas.
3º (UNPEL) Nosso planeta vem sofrendo mudanças climáticas há
muito tempo. Um fenômeno ocorre sobre áreas urbanas e
consiste na presença de temperaturas à superfície relativamente
maiores que as encontradas nas regiões fora da cidade (áreas
rurais). Alterações da umidade do ar, da precipitação e do vento
também estão associadas à presença desse fenômeno. Ele é
claramente antrópico.
O fenômeno climático descrito acima refere-se
a) às ilhas de calor. b) à inversão térmica. c) ao efeito estufa.
d) ao El Niño. e) às chuvas ácidas.
4º (UCSRS) Entre as maiores causas da poluição atmosférica estão
a queima dos combustíveis fósseis e os resíduos gasosos da
indústria. Isso provoca hoje alguns fenômenos climáticos que
estão sendo acompanhados por cientistas.
Considerando os fenômenos climáticos, listados na Coluna A,
associe-os às características que os identificam, elencadas
na Coluna B
COLUNA A
1. Inversão Térmica
2. Ilhas de Calor
3. Efeito Estufa
COLUNA B
( ) Desequilíbrio da composição atmosférica com elevação de
dióxido de carbono, causada pela queima de combustíveis fósseis,
florestas e outros.
( ) Fenômeno natural, frequente nos meses de inverno,
geralmente ocorre no final da madrugada e no início da manhã.
( ) Fenômeno antrópico, típico de aglomerações urbanas, com
elevação das temperaturas médias, se comparadas às das zonas
rurais.
Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses,
de cima para baixo.
a) 3 – 1 – 2 b) 1 – 2 – 3 c) 2 – 1 – 3 d) 3 – 2 – 1 e) 1 – 3 – 2
PRA SABER MAIS - DICA DE FILMES:
O Dia Depois de Amanhã Uma Verdade Inconveniente
A Última Hora
Gabarito:
1º - A
2º - B
3º - A
4º - A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da ÁguaProblemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Rogério Bartilotti
 
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Myris Silva
 
Impacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticasImpacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticas
Grupo2apcm
 
As alterações-climáticas
As alterações-climáticasAs alterações-climáticas
As alterações-climáticas
Alcina Barbosa
 
Alterações climáticas
Alterações climáticasAlterações climáticas
Alterações climáticas
Professor
 
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - AtmosferaA Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
Vitor Peixoto
 
aquecimento global
aquecimento globalaquecimento global
aquecimento global
treinamentouea
 
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Flávio Pontes Paris
 
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4   efeito estufa alterações climáticas globaisAula 4   efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
Marcelo Gomes
 
A questao ambiental
A questao ambientalA questao ambiental
A questao ambiental
rdbtava
 
Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 
Mudancas climaticas - INPE
Mudancas climaticas - INPEMudancas climaticas - INPE
Mudancas climaticas - INPE
Guellity Marcel
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
picoalto
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
Paulo Gabriel
 
Impactos ambientais
Impactos ambientaisImpactos ambientais
Impactos ambientais
Gabriel Cristiano
 
Mudanças Climáticas
Mudanças ClimáticasMudanças Climáticas
Mudanças Climáticas
vallmachado
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticasMudanças climáticas
Mudanças climáticas
Gabriel Lecoque Francisco
 
Mudanças climáticas globais
Mudanças climáticas globaisMudanças climáticas globais
Mudanças climáticas globais
Fellipe França
 
Aquecimento global e as mudanças climáticas
Aquecimento global e as mudanças climáticasAquecimento global e as mudanças climáticas
Aquecimento global e as mudanças climáticas
gallenoambiental
 
Em defesa do meio ambiente
Em defesa do meio ambienteEm defesa do meio ambiente
Em defesa do meio ambiente
pamelapublicidade
 

Mais procurados (20)

Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da ÁguaProblemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
 
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
 
Impacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticasImpacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticas
 
As alterações-climáticas
As alterações-climáticasAs alterações-climáticas
As alterações-climáticas
 
Alterações climáticas
Alterações climáticasAlterações climáticas
Alterações climáticas
 
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - AtmosferaA Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
A Intervenção Do Homem Nos Subsistemas Terrestres - Atmosfera
 
aquecimento global
aquecimento globalaquecimento global
aquecimento global
 
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
 
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4   efeito estufa alterações climáticas globaisAula 4   efeito estufa alterações climáticas globais
Aula 4 efeito estufa alterações climáticas globais
 
A questao ambiental
A questao ambientalA questao ambiental
A questao ambiental
 
Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012Semana manifesto 2012
Semana manifesto 2012
 
Mudancas climaticas - INPE
Mudancas climaticas - INPEMudancas climaticas - INPE
Mudancas climaticas - INPE
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Impactos ambientais
Impactos ambientaisImpactos ambientais
Impactos ambientais
 
Mudanças Climáticas
Mudanças ClimáticasMudanças Climáticas
Mudanças Climáticas
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticasMudanças climáticas
Mudanças climáticas
 
Mudanças climáticas globais
Mudanças climáticas globaisMudanças climáticas globais
Mudanças climáticas globais
 
Aquecimento global e as mudanças climáticas
Aquecimento global e as mudanças climáticasAquecimento global e as mudanças climáticas
Aquecimento global e as mudanças climáticas
 
Em defesa do meio ambiente
Em defesa do meio ambienteEm defesa do meio ambiente
Em defesa do meio ambiente
 

Destaque

Sagrada escritura (cânon e inspiração)
Sagrada escritura (cânon e inspiração)Sagrada escritura (cânon e inspiração)
Sagrada escritura (cânon e inspiração)
João Carlos Nara Júnior
 
Resultado Final Prova Bolsistas Colégio Certo
Resultado Final Prova Bolsistas  Colégio CertoResultado Final Prova Bolsistas  Colégio Certo
Resultado Final Prova Bolsistas Colégio Certo
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
A questão sinótica
A questão sinóticaA questão sinótica
A questão sinótica
João Carlos Nara Júnior
 
SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016
SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016 SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016
SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Blog
BlogBlog
Em Breve!
Em Breve!Em Breve!
Reaprender fracoes
Reaprender fracoesReaprender fracoes
Reaprender fracoes
Mazze Santos Santos
 
Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013
Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013
Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013
Mazze Santos Santos
 
Bibliologia1 1
Bibliologia1 1Bibliologia1 1
Bibliologia1 1
valmarques
 
Uma visão prática para o ensino de frações completa
Uma visão prática para o ensino de frações completaUma visão prática para o ensino de frações completa
Uma visão prática para o ensino de frações completa
slucarz
 
Geometria com dobraduras para séries iniciais
Geometria com dobraduras para séries iniciaisGeometria com dobraduras para séries iniciais
Geometria com dobraduras para séries iniciais
slucarz
 
Livro principios normas_v1
Livro principios normas_v1Livro principios normas_v1
Livro principios normas_v1
Tarcísio Picaglia
 
Livro principios normas_v3
Livro principios normas_v3Livro principios normas_v3
Livro principios normas_v3
Tarcísio Picaglia
 
Slidestradicaopreevangelica
SlidestradicaopreevangelicaSlidestradicaopreevangelica
Slidestradicaopreevangelica
Brian Kibuuka
 
Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.
Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.
Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.
Jean Paulo Mendes Alves
 
Livro principios normas_v2
Livro principios normas_v2Livro principios normas_v2
Livro principios normas_v2
Tarcísio Picaglia
 
123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial
123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial
123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial
Marcos Vinícius
 
Retratos de santos fiéis herman hanko
Retratos de santos fiéis   herman hankoRetratos de santos fiéis   herman hanko
Retratos de santos fiéis herman hanko
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Autocad professor marcoantonio
Autocad professor marcoantonioAutocad professor marcoantonio
Autocad professor marcoantonio
Bruno Siqueira
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musical
jaconiasmusical
 

Destaque (20)

Sagrada escritura (cânon e inspiração)
Sagrada escritura (cânon e inspiração)Sagrada escritura (cânon e inspiração)
Sagrada escritura (cânon e inspiração)
 
Resultado Final Prova Bolsistas Colégio Certo
Resultado Final Prova Bolsistas  Colégio CertoResultado Final Prova Bolsistas  Colégio Certo
Resultado Final Prova Bolsistas Colégio Certo
 
A questão sinótica
A questão sinóticaA questão sinótica
A questão sinótica
 
SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016
SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016 SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016
SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O ENSINO MÉDIO DO ANO LETIVO 2016
 
Blog
BlogBlog
Blog
 
Em Breve!
Em Breve!Em Breve!
Em Breve!
 
Reaprender fracoes
Reaprender fracoesReaprender fracoes
Reaprender fracoes
 
Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013
Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013
Palestra Magna UVA/SOBRAL_2013
 
Bibliologia1 1
Bibliologia1 1Bibliologia1 1
Bibliologia1 1
 
Uma visão prática para o ensino de frações completa
Uma visão prática para o ensino de frações completaUma visão prática para o ensino de frações completa
Uma visão prática para o ensino de frações completa
 
Geometria com dobraduras para séries iniciais
Geometria com dobraduras para séries iniciaisGeometria com dobraduras para séries iniciais
Geometria com dobraduras para séries iniciais
 
Livro principios normas_v1
Livro principios normas_v1Livro principios normas_v1
Livro principios normas_v1
 
Livro principios normas_v3
Livro principios normas_v3Livro principios normas_v3
Livro principios normas_v3
 
Slidestradicaopreevangelica
SlidestradicaopreevangelicaSlidestradicaopreevangelica
Slidestradicaopreevangelica
 
Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.
Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.
Desenho Técnico - Regras Para Configurar Cota AutoCAD.
 
Livro principios normas_v2
Livro principios normas_v2Livro principios normas_v2
Livro principios normas_v2
 
123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial
123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial
123436039 apostila-auto cad-3d-2012-essencial
 
Retratos de santos fiéis herman hanko
Retratos de santos fiéis   herman hankoRetratos de santos fiéis   herman hanko
Retratos de santos fiéis herman hanko
 
Autocad professor marcoantonio
Autocad professor marcoantonioAutocad professor marcoantonio
Autocad professor marcoantonio
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musical
 

Semelhante a Apostila aquecimento global1

Química texto 2
Química   texto 2Química   texto 2
Química texto 2
bjsjd
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento globalAula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento global
Jeysiane Nunes
 
Meio Ambiente
Meio AmbienteMeio Ambiente
Meio Ambiente
Rogério Bartilotti
 
Aquecimento global max e augusto
Aquecimento global max e augustoAquecimento global max e augusto
Aquecimento global max e augusto
Cristiane Tavolaro
 
Aquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º AAquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º A
Maria Teresa Iannaco Grego
 
AQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sd
AQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sdAQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sd
AQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sd
Pamelladesousa
 
Campanha da Fraternidade 2011
Campanha da Fraternidade 2011Campanha da Fraternidade 2011
Campanha da Fraternidade 2011
FradesEstudantes
 
Questões ambientais globais
Questões ambientais globaisQuestões ambientais globais
Questões ambientais globais
Edenilson Morais
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011
mlfmlopes
 
Aquecimento global & efeito estufa
Aquecimento global & efeito estufaAquecimento global & efeito estufa
Aquecimento global & efeito estufa
Tayane Medrado
 
globalização vantagens e problemas.pptxs
globalização vantagens e problemas.pptxsglobalização vantagens e problemas.pptxs
globalização vantagens e problemas.pptxs
CarladeOliveira25
 
Geo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptx
Geo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptxGeo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptx
Geo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptx
EdmarcioNeres
 

Semelhante a Apostila aquecimento global1 (20)

Química texto 2
Química   texto 2Química   texto 2
Química texto 2
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento globalAula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento global
 
Meio Ambiente
Meio AmbienteMeio Ambiente
Meio Ambiente
 
Aquecimento global max e augusto
Aquecimento global max e augustoAquecimento global max e augusto
Aquecimento global max e augusto
 
Aquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º AAquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º A
 
AQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sd
AQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sdAQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sd
AQUECIMENTO-GLOBAL-8dsbfbfass,bfjfbsadsmfbjsbf,sd
 
Campanha da Fraternidade 2011
Campanha da Fraternidade 2011Campanha da Fraternidade 2011
Campanha da Fraternidade 2011
 
Questões ambientais globais
Questões ambientais globaisQuestões ambientais globais
Questões ambientais globais
 
Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011Apresentação cf 2011
Apresentação cf 2011
 
Aquecimento global & efeito estufa
Aquecimento global & efeito estufaAquecimento global & efeito estufa
Aquecimento global & efeito estufa
 
globalização vantagens e problemas.pptxs
globalização vantagens e problemas.pptxsglobalização vantagens e problemas.pptxs
globalização vantagens e problemas.pptxs
 
Geo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptx
Geo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptxGeo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptx
Geo - Aquecimento Global - Pré-Enem Digital Gold.pptx
 

Mais de Colégio Certo - Rio Tinto/PB

Porcentagem de frequência por carga horária
Porcentagem de frequência por carga horária Porcentagem de frequência por carga horária
Porcentagem de frequência por carga horária
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...
Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...
Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Concurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço Paraibano
Concurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço ParaibanoConcurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço Paraibano
Concurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço Paraibano
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Concurso da PM/PB Geografia Minerais
Concurso da PM/PB  Geografia MineraisConcurso da PM/PB  Geografia Minerais
Concurso da PM/PB Geografia Minerais
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Apostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PMApostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PM
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Apostila Geografia da Paraíba - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba - Concurso da PMApostila Geografia da Paraíba - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba - Concurso da PM
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013
Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013
Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Prova Bolsista Colégio Certo 3º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 3º Ano MédioProva Bolsista Colégio Certo 3º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 3º Ano Médio
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Prova Bolsista Colégio Certo 2º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 2º Ano MédioProva Bolsista Colégio Certo 2º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 2º Ano Médio
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Prova Bolsista Colégio Certo 1º ano
Prova Bolsista Colégio Certo 1º anoProva Bolsista Colégio Certo 1º ano
Prova Bolsista Colégio Certo 1º ano
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Concurso da PM - Geografia da Paraíba
Concurso da PM - Geografia da ParaíbaConcurso da PM - Geografia da Paraíba
Concurso da PM - Geografia da Paraíba
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Apostila fontes energia 2013
Apostila  fontes energia 2013Apostila  fontes energia 2013
Apostila fontes energia 2013
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 

Mais de Colégio Certo - Rio Tinto/PB (12)

Porcentagem de frequência por carga horária
Porcentagem de frequência por carga horária Porcentagem de frequência por carga horária
Porcentagem de frequência por carga horária
 
Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...
Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...
Certo - Colégio de Ensino Fundamental e Médio Seleção de Bolsistas para o Ens...
 
Concurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço Paraibano
Concurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço ParaibanoConcurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço Paraibano
Concurso da PM - Geografia Produção e Organização do Espaço Paraibano
 
Concurso da PM/PB Geografia Minerais
Concurso da PM/PB  Geografia MineraisConcurso da PM/PB  Geografia Minerais
Concurso da PM/PB Geografia Minerais
 
Apostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PMApostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba 3 - Concurso da PM
 
Apostila Geografia da Paraíba - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba - Concurso da PMApostila Geografia da Paraíba - Concurso da PM
Apostila Geografia da Paraíba - Concurso da PM
 
Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013
Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013
Gabarito Seleção Bolsista Colégio Certo 2013
 
Prova Bolsista Colégio Certo 3º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 3º Ano MédioProva Bolsista Colégio Certo 3º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 3º Ano Médio
 
Prova Bolsista Colégio Certo 2º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 2º Ano MédioProva Bolsista Colégio Certo 2º Ano Médio
Prova Bolsista Colégio Certo 2º Ano Médio
 
Prova Bolsista Colégio Certo 1º ano
Prova Bolsista Colégio Certo 1º anoProva Bolsista Colégio Certo 1º ano
Prova Bolsista Colégio Certo 1º ano
 
Concurso da PM - Geografia da Paraíba
Concurso da PM - Geografia da ParaíbaConcurso da PM - Geografia da Paraíba
Concurso da PM - Geografia da Paraíba
 
Apostila fontes energia 2013
Apostila  fontes energia 2013Apostila  fontes energia 2013
Apostila fontes energia 2013
 

Último

Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 

Apostila aquecimento global1

  • 1. CURSO PRÉ-Vestibular PRÓ-VALE - DISCIPLINA: GEOGRAFIA Prof. Vando Félix – vandogeo@bol.com.br – www.geograficamentecorreto.com Aquecimento Global A aceleração do degelo na calota polar da Groenlândia duplicou nos últimos 25 anos Ultimamente, o AQUECIMENTO GLOBAL virou assunto nos mais diversos meios de comunicação, a população está preocupada com o que poderá acontecer com o nosso planeta. Como o próprio nome já diz, aquecimento global é a elevação da temperatura do planeta, gerando sérias complicações como: furacões, secas, enchentes, extinção de milhares de animais e vegetais, derretimento dos polos e vários outros problemas que o homem não tem condições de enfrentar ou controlar. Há muitos anos, o homem destrói o planeta (matando e poluindo) e os pesquisadores alertam sobre as consequências graves desses atos. Existem várias evidências que a temperatura do planeta aumentou: os termômetros subiram 0,6ºC desde o meio do século XIX, o nível dos oceanos também subiu e as regiões glaciais do planeta estão diminuindo. Os cientistas também consideram prova do aquecimento global, a diferença de temperatura entre a superfície terrestre e a troposfera (zona atmosférica mais próxima do solo). A maioria dos cientistas climáticos acredita que o aumento da quantidade de gases estufa (gás carbônico, metano, etc) lançados na atmosfera provoca uma elevação da temperatura, a emissão desses gases (fruto do desmatamento e da queima de combustíveis fósseis) formam uma barreira impedindo que o calor se propague aumentando a temperatura da terra. Os maiores responsáveis pela emissão desses gases são os Estados Unidos (que lideram a lista com cerca de 36% do total mundial), a União Européia, China, Rússia, Japão e Índia. O IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas ou Intergovernamental Panel on Climate Change) criado pela ONU, ganhou destaque por causa dos seus esperados relatórios a respeito das causas desse imenso problema e também por apontar alguns caminhos para reverter a situação. O Brasil já contribui para mudar esse triste quadro, aqui já existe o desenvolvimento de matrizes energéticas de origens vegetais (etanol, biodiesel). AS CAUSAS DO AQUECIMENTO GLOBAL são muito pesquisadas. Existe uma parcela da comunidade científica que atribui esse fenômeno como um processo natural, afirmando que o planeta Terra está numa fase de transição natural, um processo longo e dinâmico, saindo da era glacial para a interglacial, sendo o aumento da temperatura consequência desse fenômeno. EFEITO ESTUFA: é um fenômeno natural de aquecimento térmico da Terra. É imprescindível para manter a temperatura do planeta em condições ideais de sobrevivência. Sem ele, a Terra seria muito fria, dificultando o desenvolvimento das espécies. CRÉDITOS DE CARBONO é o nome dado a uma commodity criada pelos mecanismos de flexibilização do Protocolo de Kyotoe que permitem a comercialização de cotas de emissão de gases causadores de efeito estufa (GHG, Green House Gas, em inglês). O Protocolo de Kyoto (1997, Japão), estabeleceu alguns mecanismos de flexibilização para que a meta de redução de emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE) dos países em desenvolvimento fosse alcançada. O PRIMEIRO MECANISMO, abordado no artigo 12 do protocolo, é o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, ou MDL, que prevê a criação de projetos de redução de emissão de GEE nos países chamados de “não-anexo 1”: países em desenvolvimento que não constam no anexo 1 do protocolo. E, posteriormente a aquisição das “Reduções Certificadas de Emissões” (os tais créditos de carbono, chamados de CERs) que depois são colocadas no mercado para que os países “anexo 1” (desenvolvidos), que tem metas de redução a cumprir, possam adquiri-los. Os projetos de MDL podem ser executados tanto pela iniciativa privada como pelo poder público dos países em desenvolvimento de acordo com seus recursos. MUDANÇAS CLIMÁTICAS: O aquecimento global altera o clima, elevando a temperatura dos oceanos, modificando o regime de chuvas e ventos e ameaçando ecossistemas. DESENVOLVIEMNTO SUSTENTÁVEL: É a busca por formas de desenvolver a economia e preservar os recursos naturais, como as águas, as matas, a qualidade das terras e os minerais, para garantir a vida no futuro. CONVENÇÃO SOBRE A MUDANÇA DO CLIMA: Documento das Nações Unidas sobre o aquecimento global, que criou os protocolos ambientais (acordos) discutidos em conferências realizadas anualmente. PROTOCOLO DE KYOTO: Este protocolo é um acordo internacional que visa a redução da emissão dos poluentes que aumentam o efeito estufa no planeta. Entrou em vigor em 16 fevereiro de 2005. O principal objetivo é que ocorra a diminuição da temperatura global nos próximos anos. Infelizmente os Estados Unidos, país que mais emite poluentes no mundo, não aceitou o acordo, pois afirmou que ele prejudicaria o desenvolvimento industrial do país. Acordo mais importante já realizado sobre o clima, pois conseguiu compromissos dos países participantes de limitar as emissões de gases que agravam o efeito estufa. O acordo expirou no fim de 2012. NOVO PROTOCOLO: Não houve acordo nas conferências de Copenhague (2009) e Cancún (2010) para um protocolo a vigorar
  • 2. a partir de 2013. Ele poderá ser feito na Conferência Mundial da ONU no Rio de Janeiro, em 2012. A conferência, realizada de 13 a 22 de junho de 2012 na cidade do Rio de Janeiro, é assim conhecida porque marca os vinte anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92). O objetivo é renovar o compromisso político mundial com o desenvolvimento sustentável. Para isso, foi feita uma avaliação do progresso na implementação das decisões adotadas pelas principais cúpulas anteriores sobre o assunto e uma discussão sobre temas novos e emergentes. Os dois temas principais discutidos ali foram a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e a estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável. O resultado é o documento final de 49 páginas denominado “O Futuro Que Queremos” lançado nesta sexta-feira (22), último dia da Rio+20. BRASIL: Diferentemente de outros países que contribuem para o efeito estufa pela dependência excessiva de combustíveis fósseis, o Brasil emite principalmente por causa do desmatamento na Amazônia. A política nacional de mudanças climáticas estabelece a meta de redução do desmatamento na região em 80% até 2020. VAMOS EXERCITAR O CEREBRO: 1º (UNESP) Muitas espécies no mundo estão ameaçadas de extinção. Esse fato também se deve I. à destruição dos hábitats naturais pelos homens. II. à poluição das águas doces e marinhas. III. à elevação da temperatura das águas oceânicas. IV. ao aumento da acidez das águas oceânicas pela elevação dos níveis de CO2 . V. à localização de ilhas de calor sobre áreas agricultáveis. Estão corretas apenas as afirmações: a) I, II, III e IV. b) I, II, IV e V. c) III e IV. d) II, III e V. e) I, IV e V. 2º - (UECE) Considere as seguintes afirmações que tratam do ambiente em grandes centros urbanos: I. O aumento da temperatura em face do adensamento de construções, do asfaltamento de ruas e avenidas e da rarefação ou ausência de vegetação tende a gerar as “ilhas de calor”. II. Em geral, a expansão nos grandes centros urbanos brasileiros tem sido realizada em terrenos ambientalmente estáveis e com baixa vulnerabilidade à ocupação. III. Comumente, as áreas de risco à ocupação correspondem aos fundos de vales, topos de morros e vertentes íngremes. IV. Parques, áreas verdes e matas ciliares, contribuem para a melhoria do clima urbano, amenizando os gradientes térmicos. Está correto o que se afirma em a) I, II, III e IV. b) I, III e IV apenas. c) II e III apenas. d) I, II e IV apenas. 3º (UNPEL) Nosso planeta vem sofrendo mudanças climáticas há muito tempo. Um fenômeno ocorre sobre áreas urbanas e consiste na presença de temperaturas à superfície relativamente maiores que as encontradas nas regiões fora da cidade (áreas rurais). Alterações da umidade do ar, da precipitação e do vento também estão associadas à presença desse fenômeno. Ele é claramente antrópico. O fenômeno climático descrito acima refere-se a) às ilhas de calor. b) à inversão térmica. c) ao efeito estufa. d) ao El Niño. e) às chuvas ácidas. 4º (UCSRS) Entre as maiores causas da poluição atmosférica estão a queima dos combustíveis fósseis e os resíduos gasosos da indústria. Isso provoca hoje alguns fenômenos climáticos que estão sendo acompanhados por cientistas. Considerando os fenômenos climáticos, listados na Coluna A, associe-os às características que os identificam, elencadas na Coluna B COLUNA A 1. Inversão Térmica 2. Ilhas de Calor 3. Efeito Estufa COLUNA B ( ) Desequilíbrio da composição atmosférica com elevação de dióxido de carbono, causada pela queima de combustíveis fósseis, florestas e outros. ( ) Fenômeno natural, frequente nos meses de inverno, geralmente ocorre no final da madrugada e no início da manhã. ( ) Fenômeno antrópico, típico de aglomerações urbanas, com elevação das temperaturas médias, se comparadas às das zonas rurais. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo. a) 3 – 1 – 2 b) 1 – 2 – 3 c) 2 – 1 – 3 d) 3 – 2 – 1 e) 1 – 3 – 2 PRA SABER MAIS - DICA DE FILMES: O Dia Depois de Amanhã Uma Verdade Inconveniente A Última Hora Gabarito: 1º - A 2º - B 3º - A 4º - A