SlideShare uma empresa Scribd logo
AQUECIMENTO GLOBAL E
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
Ilhéus-Ba
set./2013
DIREITO AMBIENTAL
Por: Juciano Santos e Equipe
Acadêmico de Direito
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Conceito
O termo “aquecimento global” refere-se a
principal causa das iminentes alterações
climáticas globais, o aumento da temperatura
da Terra devido ao aumento do efeito estufa.
Quanto ao termo “mudanças climáticas”, se
refere às alterações decorrentes do
aquecimento global.
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
No entanto, as principais atribuições para o
aquecimento global são relacionadas às
atividades humanas, que intensificam o efeito de
estufa através do aumento na queima de gases
de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão
mineral e gás natural.
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
A queima dessas substâncias produz
gases como o dióxido de carbono (CO2), o
metano (CH4) e óxido nitroso (N2O), que
retêm o calor proveniente das radiações
solares, como se funcionassem como o
vidro de uma estufa de plantas, esse
processo causa o aumento da
temperatura. Outros fatores que
contribuem de forma significativa para as
alterações climáticas são os
desmatamentos e a constante
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Surgimento dos termos Aquecimento
Global e Mudanças Climáticas
1975 – Aquecimento Global /Wallace Broecker
1979 – Mudanças Climáticas/ NASA
Final da década de 1980 – Aquecimento Global
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Tratados ambientais internacionais
1925: - Protocolo de Genebra- Proibição do
Emprego na Guerra de Gases Asfixiantes,
Tóxicos ou Similares e de Meios Bacteriológicos
de Guerra
1960: - Convênio sobre Proteção dos
Trabalhadores contra Radiações Ionizantes; -
Convenção sobre Responsabilidade de Terceiros
no Uso da Energia Nuclear
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
1963: - Convenção de Viena sobre Responsabilidade
Civil por Danos Nucleares; - Tratado proibindo
ensaios nucleares na atmosfera, espaço ultra
terrestre (Lua etc.)
1974: - Convenção sobre Proteção Ambiental- países
escandinavos (Dinamarca, Finlândia, Suécia e
Noruega);
1977: - Convenção para Proteção dos Trabalhadores
contra Problemas Ambientais; - Convenção sobre a
Proibição do Uso Militar ou Hostil de Técnicas de
Modificação Ambiental
1981: - Convenção sobre a Proteção Física do
Material Nuclear; - Convenção sobre a Segurança e
Saúde dos Trabalhadores e o Meio Ambiente do
Trabalho
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
1985: - Tratado de Zona Livre de Elementos
Nucleares do Pacífico Sul; Convenção de Viena para
a Proteção da Camada de Ozônio
1986: - Convenção sobre Breve Notificação a
respeito de Acidentes Nucleares
1987: - Protocolo de Montreal sobre as Substâncias
que Esgotam a Camada de Ozônio (emendas em
1990 e 1992); - Convenção e Viena para a Proteção
da Camada de Ozônio
1991: - Protocolo ao Tratado Antártico sobre Proteção
Ambiental;
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
1992: - Declaração do Rio de Janeiro sobre Meio
Ambiente e Desenvolvimento; Convenção sobre
Mudanças Climáticas; - Convenção para Proteção do
Meio Ambiente do Atlântico Nordeste;
1993: - Convenção sobre responsabilidade civil por
danos resultantes de atividades perigosas ao meio
ambiente (Conselho da Europa, CEE, outros países);
1994: - Convenção de Viena sobre segurança nuclear;
- convenção internacional de combate à desertificação
nos países afetados por seca grave e/ou
desertificação, particularmente na África; - Acordo
sobre cooperação para o combate ao tráfico ilícito de
madeira
2005: - Assinado Tratado de Kyoto.
Aquecimento global e o Direito
Ambiental
Segundo André Weyermüller são diversos fatores que
compõem essa complicada equação são muito
diversos e de difícil conciliação, desvelando-se um
quadro de complexidade único na história do
desenvolvimento humano. Fatores econômicos,
elementos de crise, globalização, o papel do Estado
entre outros, são elementos determinantes para um
quadro de deficiência na efetividade de ações
ambientalmente positivas e esperadas pela
humanidade. Temos que nos conscientizar que
criamos intrincadas ligações entre economia, direito e
política que não podem ser desfeitas
facilmente.
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Em busca do “Jus cogens” Ambiental análise de
alguns tratados internacionais
Analisemos agora a Convenção de Viena para Proteção
da Camada de Ozônio. Ao se debruçar sobre referida
Convenção, Édis Milaré atesta:
“Essa convenção tornou-se um marco no Direito Internacional do Ambiente, pelo
fato de que, pela primeira vez na história, diversos países acordaram em combater
um problema ambiental antes que seus efeitos se tornassem irreversíveis e
mesmo antes que tais efeitos restassem cabal e cientificamente comprovados.
Adotou-se tacitamente o Princípio da Precaução.”
Esta Convenção padece de instrumentos jurídicos
internacionais passíveis de estabelecer reprimendas
efetivas aos países que usam o fato de não serem
signatários da convenção em epígrafe para prosseguirem
com a emissão desenfreada de gases CFC, portanto não
traz consigo a nota característica do jus cogens.
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Outro tratado internacional recentemente ratificado
por vários países, o Protocolo de Kyoto cujo objetivo
principal traduz-se em reduzir as emissões dos gases
causadores de efeito estufa. Prioriza a redução da
utilização de energias fósseis, que representam 76%
destas emissões. (Créditos de Carbono) O uso destes
combustíveis aumenta com o crescimento econômico
das nações desenvolvidas.
Novamente, em que pese a extrema necessidade de
se enfrentar os problemas advindos do efeito estufa,
remanesce a obrigação de apenas os Estados-partes
adimplirem as cláusulas consignados no epigrafado
protocolo. Ausente a ideia do jus cogens, os Estados
Unidos se negam peremptoriamente a ratificar o
protocolo, tendo em vista que esperam um aumento
considerável, no ano que principia, da emissão de
Aquecimento Global e
Mudanças Climáticas:
Realidade ou Mito?
Verdade ou Farsa?
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Existe uma parcela da comunidade científica
que atribui esse fenômeno como um
processo natural, afirmando que o planeta
Terra está numa fase de transição natural.
.
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Luiz Carlos Molion
 Meteorologista brasileiro, professor e
pesquisador da Universidade Federal de
Alagoas (UFAL), PhD em Meteorologia e
pós-doutor em Hidrologia de Florestas.
 representante dos países da América do
Sul na Comissão de Climatologia
da Organização Meteorológica
Mundial (OMM).
 Tem mais de 30 artigos publicados em
revistas e livros estrangeiros e mais de
80 artigos em revistas nacionais e
congressos, sendo a maioria absoluta
publicada a partir do ano de 1995, em
particular sobre impactos do
desmatamento da Amazônia no clima,
climatologia e hidrologia da Amazônia,
causas e previsibilidade das secas do
Nordeste, mudanças climáticas globais e
regionais, camada de ozônio e fontes de
energias renováveis.
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
 Luiz Carlos Molion: Essas variações não são
cíclicas, mas são repetitivas.
 As mudanças do clima global não é o CO2 o
vilão.
 A mídia coloca o CO2 como vilão, como um
poluente.
 Combustíveis fósseis são poluentes.
 CO2+ENXOFRE= ÁCIDO SULFÚRICO
 O sol, que é a fonte principal de energia
para todo sistema climático.
 Na época de Galileu, mostram que, por
exemplo, o sol esteve em baixa atividade em
1820, no final do século 19 e no inicio do
século 20. Agora o sol deve repetir esse
pico, passando os próximos 22, 24 anos,
com baixa atividade.
 Vai diminuir a radiação que chega e isso vai
contribuir para diminuir a temperatura
global.
 Boias indicam que os oceanos estão
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS
 Plataforma política e econômica
 Créditos de Carbono
 Os fluxos naturais dos oceanos,
polos, vulcões e vegetação
somam 200 bilhões de
emissões por ano.
 O homem coloca 6 bilhões,
portanto a emissões humanas
representam 3%.
 o que derrete é o gelo flutuante
 Foto feita por desbravadores da
Austrália em 1841 de uma
marca onde estava o nível do
mar, e hoje ela está no mesmo
nível.
 Protocolo de Kyoto
 Entre 2002 e 2008, se
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
FOTOS QUE MOSTRA A DEMARCAÇÃO DO NÍVEL DO MAR DA AUSTRÁLIA ,PELOS
DESBRAVADORES
AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
Referências
Aquecimento Global. Disponível em:
http://traquecimentoglobal.blogspot.com.br/2007/04/tratados-ambientais-
internacionais.html Acesso em: 27 ago. 2013.
BENTO, Luiz. Mudanças Climáticas ou Aquecimento Global? 2009.
Science blogs. Disponível em:
http://scienceblogs.com.br/discutindoecologia/2009/01/mudancas-
climaticas-ou-aquecimento-global/. Acesso em: 27 ago. 2013.
JÚNIOR, Antônio Wellington Brito. Os principais tratados
internacionais concernentes ao meio ambiente: a busca pelo jus
cogens ambiental. Revista Prática Jurídica, Editora Consulex, ano IV,
nº 44, 30 de novembro de 2005, às fls. 26-29. Disponível em:
http://www.prse.mpf.mp.br/artigos/a_buca_pelo_jus_cogens_ambiental.p
df Acesso em:28 ago. 2013.
MADEIRO. Carlos. Especial Uol Ciência. Não existe aquecimento
global", diz representante da OMM na América do Sul. Disponível
em: http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-
noticias/redacao/2009/12/11/nao-existe-aquecimento-global-diz-
representante-da-omm-na-america-do-sul.htm.Acesso em :28 ago.
2013.
MOLION. Luiz Carlos. CANAL LIVRE. As verdades e
os mitos sobre o aquecimento global. Disponível em:
http://agfdag.wordpress.com/2010/11/27/canal-livre-
recebe-o-climatologista-luiz-carlos-molion/ Acesso
em: 28 ago. 2013.
RANGEL. Rodrigo. Entrevista com Luiz Carlos
Molion. Revista Isto é Disponível em:
http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/2
55_AQUECIMENTO+GLOBAL+E+TERRORISMO+C
LIMATICO. Acesso em: 28 ago. 2013.
WEYERMÜLLER. André. Direito ambiental e
aquecimento global. 1ª edição Atlas.2010.
______. Os créditos de carbono e as dificuldades
comunicativas entre direito e economia uma visão
sistêmica . Disponível em:
http://www.amprs.org.br/arquivos/revista_artigo/arquiv
o_1259071509.pdf. Acesso em:28 ago. 2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Flávio Pontes Paris
 
Meio Ambiente
Meio AmbienteMeio Ambiente
Meio Ambiente
Rogério Bartilotti
 
AQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBALAQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBAL
Karina Cunha
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
Diogo Mateus
 
Biomassa
BiomassaBiomassa
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
Carolina Corrêa
 
Energia 6ano
Energia 6anoEnergia 6ano
Energia 6ano
Suely Takahashi
 
Desastres ambientais
Desastres ambientaisDesastres ambientais
Desastres ambientais
Nícolas Rusch Karnopp
 
O Aquecimento Global
O Aquecimento GlobalO Aquecimento Global
O Aquecimento Global
Michele Pó
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticasMudanças climáticas
Mudanças climáticas
Gabriel Lecoque Francisco
 
Problemas globais do meio ambiente
Problemas globais do meio ambienteProblemas globais do meio ambiente
Problemas globais do meio ambiente
João José Ferreira Tojal
 
A produção mundial de energia
A produção mundial de energiaA produção mundial de energia
A produção mundial de energia
UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO
 
Apresentação queimadas
Apresentação queimadasApresentação queimadas
Apresentação queimadas
Juliano Souto Menezes
 
Eco 92 - A Conferência Mundial
Eco 92 - A Conferência MundialEco 92 - A Conferência Mundial
Eco 92 - A Conferência Mundial
Shayenne J. Potter
 
Energia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelEnergia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovável
Wanessa Veloso
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Mayjö .
 
Inversão térmica
Inversão térmicaInversão térmica
Inversão térmica
Laís Hildebrand
 
Recurso minerais do brasil
Recurso minerais do brasilRecurso minerais do brasil
Recurso minerais do brasil
Artur Lara
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
profacacio
 
Conferências ambientais
Conferências ambientaisConferências ambientais
Conferências ambientais
Artur Lara
 

Mais procurados (20)

Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
Mudanças climáticas e aquecimento global natural ou antrópico?
 
Meio Ambiente
Meio AmbienteMeio Ambiente
Meio Ambiente
 
AQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBALAQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBAL
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Biomassa
BiomassaBiomassa
Biomassa
 
fatores e elementos climáticos
 fatores e elementos climáticos fatores e elementos climáticos
fatores e elementos climáticos
 
Energia 6ano
Energia 6anoEnergia 6ano
Energia 6ano
 
Desastres ambientais
Desastres ambientaisDesastres ambientais
Desastres ambientais
 
O Aquecimento Global
O Aquecimento GlobalO Aquecimento Global
O Aquecimento Global
 
Mudanças climáticas
Mudanças climáticasMudanças climáticas
Mudanças climáticas
 
Problemas globais do meio ambiente
Problemas globais do meio ambienteProblemas globais do meio ambiente
Problemas globais do meio ambiente
 
A produção mundial de energia
A produção mundial de energiaA produção mundial de energia
A produção mundial de energia
 
Apresentação queimadas
Apresentação queimadasApresentação queimadas
Apresentação queimadas
 
Eco 92 - A Conferência Mundial
Eco 92 - A Conferência MundialEco 92 - A Conferência Mundial
Eco 92 - A Conferência Mundial
 
Energia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelEnergia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovável
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Inversão térmica
Inversão térmicaInversão térmica
Inversão térmica
 
Recurso minerais do brasil
Recurso minerais do brasilRecurso minerais do brasil
Recurso minerais do brasil
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
 
Conferências ambientais
Conferências ambientaisConferências ambientais
Conferências ambientais
 

Destaque

direito empresarial
direito empresarialdireito empresarial
direito empresarial
JUCIANO PEREIRA DOS SANTOS
 
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Myris Silva
 
Histórias da Antartida: Mudanças Climáticas e Liderança
Histórias da Antartida: Mudanças Climáticas e LiderançaHistórias da Antartida: Mudanças Climáticas e Liderança
Histórias da Antartida: Mudanças Climáticas e Liderança
Henrique Versteeg-Vedana
 
Mudanças climáticas o regime do clima e o agente de transformação
Mudanças climáticas   o regime do clima e o agente de transformaçãoMudanças climáticas   o regime do clima e o agente de transformação
Mudanças climáticas o regime do clima e o agente de transformação
Leo Duarte
 
Mudanças Climáticas
Mudanças ClimáticasMudanças Climáticas
Mudanças Climáticas
vallmachado
 
Aquecimento Global _Efeito Estufa
Aquecimento Global _Efeito EstufaAquecimento Global _Efeito Estufa
Aquecimento Global _Efeito Estufa
marise brandao
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
Charlles Moreira
 

Destaque (7)

direito empresarial
direito empresarialdireito empresarial
direito empresarial
 
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
Mudanças Climáticas Globais e Consequências para o Brasil - Dr. Carlos Nobre ...
 
Histórias da Antartida: Mudanças Climáticas e Liderança
Histórias da Antartida: Mudanças Climáticas e LiderançaHistórias da Antartida: Mudanças Climáticas e Liderança
Histórias da Antartida: Mudanças Climáticas e Liderança
 
Mudanças climáticas o regime do clima e o agente de transformação
Mudanças climáticas   o regime do clima e o agente de transformaçãoMudanças climáticas   o regime do clima e o agente de transformação
Mudanças climáticas o regime do clima e o agente de transformação
 
Mudanças Climáticas
Mudanças ClimáticasMudanças Climáticas
Mudanças Climáticas
 
Aquecimento Global _Efeito Estufa
Aquecimento Global _Efeito EstufaAquecimento Global _Efeito Estufa
Aquecimento Global _Efeito Estufa
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
 

Semelhante a Slides aquecimento global

Aula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento globalAula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento global
Jeysiane Nunes
 
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aulaMeio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Alenilson De Sousa Nobre
 
Apostila aquecimento global1
Apostila  aquecimento global1Apostila  aquecimento global1
Apostila aquecimento global1
Colégio Certo - Rio Tinto/PB
 
Aquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º AAquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º A
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Carlos walter
Carlos walterCarlos walter
Revista eletrônica de jornalismo científico
Revista eletrônica de jornalismo científicoRevista eletrônica de jornalismo científico
Revista eletrônica de jornalismo científico
Guy Valerio Barros dos Santos
 
Como evitar as catástrofes no clima da terra
Como evitar as catástrofes no clima da terraComo evitar as catástrofes no clima da terra
Como evitar as catástrofes no clima da terra
Fernando Alcoforado
 
Como evitar as catastrofes no clima da terra
Como evitar as catastrofes no clima da terraComo evitar as catastrofes no clima da terra
Como evitar as catastrofes no clima da terra
Roberto Rabat Chame
 
4 efeito estufa e aquecimento global
4   efeito estufa e aquecimento global4   efeito estufa e aquecimento global
4 efeito estufa e aquecimento global
elydef
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Luan Furtado
 
Proj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E Edilaine
Proj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E EdilaineProj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E Edilaine
Proj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E Edilaine
ste.rosa
 
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptxNosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
PauloDeTarsoFonseca2
 
EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL
EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBALEFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL
EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL
gestaoambientalUNESA
 

Semelhante a Slides aquecimento global (20)

Aula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento globalAula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento global
 
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aulaMeio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aula
 
Apostila aquecimento global1
Apostila  aquecimento global1Apostila  aquecimento global1
Apostila aquecimento global1
 
Aquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º AAquecimento global 2º A
Aquecimento global 2º A
 
Carlos walter
Carlos walterCarlos walter
Carlos walter
 
Revista eletrônica de jornalismo científico
Revista eletrônica de jornalismo científicoRevista eletrônica de jornalismo científico
Revista eletrônica de jornalismo científico
 
Como evitar as catástrofes no clima da terra
Como evitar as catástrofes no clima da terraComo evitar as catástrofes no clima da terra
Como evitar as catástrofes no clima da terra
 
Como evitar as catastrofes no clima da terra
Como evitar as catastrofes no clima da terraComo evitar as catastrofes no clima da terra
Como evitar as catastrofes no clima da terra
 
4 efeito estufa e aquecimento global
4   efeito estufa e aquecimento global4   efeito estufa e aquecimento global
4 efeito estufa e aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Proj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E Edilaine
Proj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E EdilaineProj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E Edilaine
Proj. Meio Ambiente - Camila, Izabel, Vanuza E Edilaine
 
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptxNosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
Nosso Planeta, Nossa Casa: cuidando do meio ambiente.pptx
 
EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL
EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBALEFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL
EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL
 

Último

Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 

Último (20)

RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 

Slides aquecimento global

  • 1. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS Ilhéus-Ba set./2013 DIREITO AMBIENTAL Por: Juciano Santos e Equipe Acadêmico de Direito
  • 2. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS Conceito O termo “aquecimento global” refere-se a principal causa das iminentes alterações climáticas globais, o aumento da temperatura da Terra devido ao aumento do efeito estufa. Quanto ao termo “mudanças climáticas”, se refere às alterações decorrentes do aquecimento global.
  • 3. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS No entanto, as principais atribuições para o aquecimento global são relacionadas às atividades humanas, que intensificam o efeito de estufa através do aumento na queima de gases de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão mineral e gás natural.
  • 4. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS A queima dessas substâncias produz gases como o dióxido de carbono (CO2), o metano (CH4) e óxido nitroso (N2O), que retêm o calor proveniente das radiações solares, como se funcionassem como o vidro de uma estufa de plantas, esse processo causa o aumento da temperatura. Outros fatores que contribuem de forma significativa para as alterações climáticas são os desmatamentos e a constante
  • 5. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS Surgimento dos termos Aquecimento Global e Mudanças Climáticas 1975 – Aquecimento Global /Wallace Broecker 1979 – Mudanças Climáticas/ NASA Final da década de 1980 – Aquecimento Global
  • 6. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS Tratados ambientais internacionais 1925: - Protocolo de Genebra- Proibição do Emprego na Guerra de Gases Asfixiantes, Tóxicos ou Similares e de Meios Bacteriológicos de Guerra 1960: - Convênio sobre Proteção dos Trabalhadores contra Radiações Ionizantes; - Convenção sobre Responsabilidade de Terceiros no Uso da Energia Nuclear
  • 7. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS 1963: - Convenção de Viena sobre Responsabilidade Civil por Danos Nucleares; - Tratado proibindo ensaios nucleares na atmosfera, espaço ultra terrestre (Lua etc.) 1974: - Convenção sobre Proteção Ambiental- países escandinavos (Dinamarca, Finlândia, Suécia e Noruega); 1977: - Convenção para Proteção dos Trabalhadores contra Problemas Ambientais; - Convenção sobre a Proibição do Uso Militar ou Hostil de Técnicas de Modificação Ambiental 1981: - Convenção sobre a Proteção Física do Material Nuclear; - Convenção sobre a Segurança e Saúde dos Trabalhadores e o Meio Ambiente do Trabalho
  • 8. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS 1985: - Tratado de Zona Livre de Elementos Nucleares do Pacífico Sul; Convenção de Viena para a Proteção da Camada de Ozônio 1986: - Convenção sobre Breve Notificação a respeito de Acidentes Nucleares 1987: - Protocolo de Montreal sobre as Substâncias que Esgotam a Camada de Ozônio (emendas em 1990 e 1992); - Convenção e Viena para a Proteção da Camada de Ozônio 1991: - Protocolo ao Tratado Antártico sobre Proteção Ambiental;
  • 9. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS 1992: - Declaração do Rio de Janeiro sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento; Convenção sobre Mudanças Climáticas; - Convenção para Proteção do Meio Ambiente do Atlântico Nordeste; 1993: - Convenção sobre responsabilidade civil por danos resultantes de atividades perigosas ao meio ambiente (Conselho da Europa, CEE, outros países); 1994: - Convenção de Viena sobre segurança nuclear; - convenção internacional de combate à desertificação nos países afetados por seca grave e/ou desertificação, particularmente na África; - Acordo sobre cooperação para o combate ao tráfico ilícito de madeira 2005: - Assinado Tratado de Kyoto.
  • 10. Aquecimento global e o Direito Ambiental Segundo André Weyermüller são diversos fatores que compõem essa complicada equação são muito diversos e de difícil conciliação, desvelando-se um quadro de complexidade único na história do desenvolvimento humano. Fatores econômicos, elementos de crise, globalização, o papel do Estado entre outros, são elementos determinantes para um quadro de deficiência na efetividade de ações ambientalmente positivas e esperadas pela humanidade. Temos que nos conscientizar que criamos intrincadas ligações entre economia, direito e política que não podem ser desfeitas facilmente.
  • 11. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS Em busca do “Jus cogens” Ambiental análise de alguns tratados internacionais Analisemos agora a Convenção de Viena para Proteção da Camada de Ozônio. Ao se debruçar sobre referida Convenção, Édis Milaré atesta: “Essa convenção tornou-se um marco no Direito Internacional do Ambiente, pelo fato de que, pela primeira vez na história, diversos países acordaram em combater um problema ambiental antes que seus efeitos se tornassem irreversíveis e mesmo antes que tais efeitos restassem cabal e cientificamente comprovados. Adotou-se tacitamente o Princípio da Precaução.” Esta Convenção padece de instrumentos jurídicos internacionais passíveis de estabelecer reprimendas efetivas aos países que usam o fato de não serem signatários da convenção em epígrafe para prosseguirem com a emissão desenfreada de gases CFC, portanto não traz consigo a nota característica do jus cogens.
  • 12. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS Outro tratado internacional recentemente ratificado por vários países, o Protocolo de Kyoto cujo objetivo principal traduz-se em reduzir as emissões dos gases causadores de efeito estufa. Prioriza a redução da utilização de energias fósseis, que representam 76% destas emissões. (Créditos de Carbono) O uso destes combustíveis aumenta com o crescimento econômico das nações desenvolvidas. Novamente, em que pese a extrema necessidade de se enfrentar os problemas advindos do efeito estufa, remanesce a obrigação de apenas os Estados-partes adimplirem as cláusulas consignados no epigrafado protocolo. Ausente a ideia do jus cogens, os Estados Unidos se negam peremptoriamente a ratificar o protocolo, tendo em vista que esperam um aumento considerável, no ano que principia, da emissão de
  • 13. Aquecimento Global e Mudanças Climáticas: Realidade ou Mito? Verdade ou Farsa? AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS
  • 14. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS Existe uma parcela da comunidade científica que atribui esse fenômeno como um processo natural, afirmando que o planeta Terra está numa fase de transição natural. .
  • 15. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS
  • 16. Luiz Carlos Molion  Meteorologista brasileiro, professor e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), PhD em Meteorologia e pós-doutor em Hidrologia de Florestas.  representante dos países da América do Sul na Comissão de Climatologia da Organização Meteorológica Mundial (OMM).  Tem mais de 30 artigos publicados em revistas e livros estrangeiros e mais de 80 artigos em revistas nacionais e congressos, sendo a maioria absoluta publicada a partir do ano de 1995, em particular sobre impactos do desmatamento da Amazônia no clima, climatologia e hidrologia da Amazônia, causas e previsibilidade das secas do Nordeste, mudanças climáticas globais e regionais, camada de ozônio e fontes de energias renováveis. AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS
  • 17.  Luiz Carlos Molion: Essas variações não são cíclicas, mas são repetitivas.  As mudanças do clima global não é o CO2 o vilão.  A mídia coloca o CO2 como vilão, como um poluente.  Combustíveis fósseis são poluentes.  CO2+ENXOFRE= ÁCIDO SULFÚRICO  O sol, que é a fonte principal de energia para todo sistema climático.  Na época de Galileu, mostram que, por exemplo, o sol esteve em baixa atividade em 1820, no final do século 19 e no inicio do século 20. Agora o sol deve repetir esse pico, passando os próximos 22, 24 anos, com baixa atividade.  Vai diminuir a radiação que chega e isso vai contribuir para diminuir a temperatura global.  Boias indicam que os oceanos estão AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS
  • 18.  Plataforma política e econômica  Créditos de Carbono  Os fluxos naturais dos oceanos, polos, vulcões e vegetação somam 200 bilhões de emissões por ano.  O homem coloca 6 bilhões, portanto a emissões humanas representam 3%.  o que derrete é o gelo flutuante  Foto feita por desbravadores da Austrália em 1841 de uma marca onde estava o nível do mar, e hoje ela está no mesmo nível.  Protocolo de Kyoto  Entre 2002 e 2008, se AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS
  • 19. FOTOS QUE MOSTRA A DEMARCAÇÃO DO NÍVEL DO MAR DA AUSTRÁLIA ,PELOS DESBRAVADORES AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS
  • 20. Referências Aquecimento Global. Disponível em: http://traquecimentoglobal.blogspot.com.br/2007/04/tratados-ambientais- internacionais.html Acesso em: 27 ago. 2013. BENTO, Luiz. Mudanças Climáticas ou Aquecimento Global? 2009. Science blogs. Disponível em: http://scienceblogs.com.br/discutindoecologia/2009/01/mudancas- climaticas-ou-aquecimento-global/. Acesso em: 27 ago. 2013. JÚNIOR, Antônio Wellington Brito. Os principais tratados internacionais concernentes ao meio ambiente: a busca pelo jus cogens ambiental. Revista Prática Jurídica, Editora Consulex, ano IV, nº 44, 30 de novembro de 2005, às fls. 26-29. Disponível em: http://www.prse.mpf.mp.br/artigos/a_buca_pelo_jus_cogens_ambiental.p df Acesso em:28 ago. 2013. MADEIRO. Carlos. Especial Uol Ciência. Não existe aquecimento global", diz representante da OMM na América do Sul. Disponível em: http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas- noticias/redacao/2009/12/11/nao-existe-aquecimento-global-diz- representante-da-omm-na-america-do-sul.htm.Acesso em :28 ago. 2013.
  • 21. MOLION. Luiz Carlos. CANAL LIVRE. As verdades e os mitos sobre o aquecimento global. Disponível em: http://agfdag.wordpress.com/2010/11/27/canal-livre- recebe-o-climatologista-luiz-carlos-molion/ Acesso em: 28 ago. 2013. RANGEL. Rodrigo. Entrevista com Luiz Carlos Molion. Revista Isto é Disponível em: http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/2 55_AQUECIMENTO+GLOBAL+E+TERRORISMO+C LIMATICO. Acesso em: 28 ago. 2013. WEYERMÜLLER. André. Direito ambiental e aquecimento global. 1ª edição Atlas.2010. ______. Os créditos de carbono e as dificuldades comunicativas entre direito e economia uma visão sistêmica . Disponível em: http://www.amprs.org.br/arquivos/revista_artigo/arquiv o_1259071509.pdf. Acesso em:28 ago. 2013.