SlideShare uma empresa Scribd logo
António de Oliveira Salazar
António de Oliveira Salazar nasceu dia 28 de Abril de 1889
em Stª Comba Dão e morreu em Lisboa dia 27 de Julho de
1970.

Foi estadista, um importante político português, e foi
professor na Universidade de Coimbra. Notabilizou- se pelo
facto de ter exercido, de forma autoritária e em ditadura, o
poder político, em Portugal, entre 1932 e 1968.

Foi também     Ministro das finanças entre 1932     e 1968,
procedendo     ao   saneamento    das  finanças     públicas
portuguesas.

Instituidor do Estado Novo (1933-1974) e da sua organização
política de suporte, a União Nacional , Salazar dirigiu os
destinos de Portugal , como Presidente do Conselho de
Ministros, entre 1932 e 1968.
Apoiando-se na doutrina social da Igreja Católica, Salazar
orienta-se para um corporativismo de Estado autoritário.

O seu nacionalismo económico levou- o a tomar medidas de
proteccionismo e isolacionismo de natureza fiscal, tarifária,
alfandegária, para Portugal e suas colónias, que tiveram
grande impacto sobretudo até aos anos sessenta.




                                                           2
Em 1900 , após completar os seus estudos na escola
primária, com 11 anos de idade, Oliveira Salazar ingressou
no Seminário de Viseu, onde permaneceu por oito anos. Em
1908 , o seu último ano lectivo no seminário, tomou
finalmente contacto com toda a agitação que reinava em
Viseu e também em todo o país. Surgiam artigos que
atacavam o Governo, o Rei e a Igreja Católica . Foi também
nesse ano que se deu o assassínio do Rei D. Carlos e do seu
filho, o Príncipe D. Luís Filipe. Não ficando indiferente a
esses    acontecimentos,    Salazar,   católico    praticante,
começou a insurgir- se contra os republicanos jacobinos em
defesa da Igreja, escrevendo vários artigos nos jornais.

  Em 1914 , concluiu o curso de Direito com a alta
classificação de 19 valores, acabando por se doutorar em
1918 .

Durante esse período em Coimbra, materializa o seu pendor
para a política no Centro Académico da Democracia Cristã
onde faz amigos. Combate o anticlericalismo da Primeira
República através de artigos de opinião que escreve para
jornais católicos.

Com a crise económica e a agitação política da 1ª República
(que se prolongou inclusive após o Golpe militar de 28 de
Maio de 1926 ), a Ditadura Militar chamou o Dr. Salazar em
Junho de 1926 para a pasta das finanças ; passados treze
dias renuncia ao cargo e retorna a Coimbra por não lhe
haverem satisfeito as condições que achava indispensáveis
ao seu exercício.

Em 27 de Abril de 1928 , após a eleição do Marechal Carmona
e na sequência do fracasso do seu antecessor em conseguir
um avultado empréstimo externo com vista ao equilíbrio das
contas públicas, reassumiu a pasta, mas exigindo o controlo
sobre as despesas e receitas de todos os ministérios.
Satisfeita a exigência, impôs forte austeridade e rigoroso
controlo de contas, conseguindo um "milagre" nas finanças
públicas logo no exercício económico de 1928- 29.




                                                            3
Na imprensa, que era controlada pela censura , Salazar seria
muitas vezes retratado como salvador da pátria. O prestígio
ganho, a propaganda, a habilidade política na manipulação
das correntes da direita republicana, de alguns sectores
monárquicos e dos católicos consolidavam o seu poder.

Em 1932 era publicado o projecto de uma nova Constituição
que seria aprovada em 1933 através de um plebiscito. Com
esta constituição, Salazar, como Presidente do Conselho de
Ministros, cria o Estado Novo, uma ditadura antiliberal e
anticomunista, que se orienta segundo os princípios
conservadores autoritários: Deus, Pátria e Família . Portugal
afirmava-se    como    "um    Estado    pluricontinental    e
multirracial". Durante o Estado Novo, os Presidentes da
República, que foram regularmente eleitos por sufrágio
universal até 1958, tinham na prática funções meramente
cerimoniais. O detentor real do poder era o Presidente do
Conselho de Ministros e era ele que dirigia os destinos da
Nação.

Na Guerra Civil Espanhola , deflagrada em Julho de 1936,
Salazar alinhou-se com o General Francisco Franco , enviando
forças militares portuguesas para Espanha (o que nunca foi
reconhecido oficialmente).

Salazar adopta um regime de separação de poderes entre o
Estado e a Igreja , que virá a ficar definido na Concordata
entre a Santa Sé e Portugal, em 1940.

Oliveira Salazar assumira a pasta dos negócios estrangeiros
desde a Guerra Civil Espanhola. Com a Segunda Guerra
Mundial o imperativo do governo de Salazar é manter a
neutralidade. A hábil gestão desta neutralidade trouxe-lhe,
no final da guerra, os benefícios da paz sem ter de pagar o
preço    da  guerra.   As  exportações    ultrapassaram  as
importações, facto que não se verificava desde dezenas de
anos. Portugal serviu de refúgio a muitas pessoas de várias
proveniências. Um desses refugiados foi o arménio Calouste
Gulbenkian .

Em Portugal, embora se reconhecesse o mérito da obra de
Salazar no que respeita à reorganização financeira, à
restauração  económica   e  à  defesa  da  paz,  muitos
entenderam que tinha chegado a oportunidade de mudança
política.



                                                           4
Militarmente   Portugal   foi   membro   fundador   da   NATO   em
1949.

Apesar de não ter relações diplomáticas com países do bloco
Comunista, manteve relações comerciais com a República
Popular da China e outros países Asiáticos Comunistas.

Desde o final da Segunda Guerra Mundial , em 1945, que a
comunidade internacional e a ONU vinham a defender a
implementação de uma política de descolonização em todo o
mundo. Salazar, defensor de uma política colonialista, não
cedeu querendo manter as chamadas províncias ultramarinas
sob a bandeira portuguesa. A Guerra Colonial teve como
consequências milhares de vítimas entre os povos que
acabariam por se tornar independentes e entre portugueses.
Este facto abalou as estruturas políticas e sociais do País,
tendo sido uma das causas da queda do regime e do 25 de
Abril.

O princípio do fim de Salazar começou a 3 de Agosto de
1968, no terraço do Forte de Santo António, no Estoril. A
queda de uma cadeira de lona, deixada em segredo primeiro,
acabou por ditar o seu afastamento do Governo.

Há quem diga que Salazar não caiu de uma cadeira, e sim de
uma banheira.

Foi afastado do Governo em 1968 após ser vitimado por um
hematoma craniano, que lhe causou danos cerebrais graves,
após a queda, quando passava férias no forte de S. António
do Estoril .

Américo Tomás então Presidente da República chamou,
então, a 27 de Setembro de 1968, Marcelo Caetano para
substituir Salazar.

Até morrer, em 1970, continuou a receber visitas como se
fosse ainda Presidente do Conselho, nunca manifestando
sequer a suspeita de que já o não era.




                                                                5
6

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prós e Contras do Tempo de Salazar
Prós e Contras do Tempo de SalazarPrós e Contras do Tempo de Salazar
Prós e Contras do Tempo de Salazar
Carlos Vieira
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
Jorge Almeida
 
Biografia De Salazar
Biografia De SalazarBiografia De Salazar
Biografia De Salazar
Sílvia Mendonça
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
Jorge Almeida
 
Salazar e o estado novo
Salazar e o estado novoSalazar e o estado novo
Salazar e o estado novo
Jorge Almeida
 
O estado novo
O estado novoO estado novo
O estado novo
Tocestudar
 
O estado novo power point final
O estado novo power point finalO estado novo power point final
O estado novo power point final
Helena Ferreira
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Rui Neto
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
Nigina Ahrorova
 
Estado Novo
Estado NovoEstado Novo
Estado Novo
blog-eic
 
Salazar e o Estado- Novo
Salazar e o Estado- NovoSalazar e o Estado- Novo
Salazar e o Estado- Novo
bandeirolas
 
Estado novo ana machado
Estado novo  ana machadoEstado novo  ana machado
Estado novo ana machado
AnaRquel
 
A Ditadura Salazarista
A Ditadura SalazaristaA Ditadura Salazarista
A Ditadura Salazarista
Carlos Vieira
 
Estado novo- introduçao
Estado novo- introduçaoEstado novo- introduçao
Estado novo- introduçao
Frederico
 
Estado Novo Resumo
Estado Novo ResumoEstado Novo Resumo
Estado Novo Resumo
Escoladocs
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Susana Simões
 
Estado - Novo
Estado - NovoEstado - Novo
Estado - Novo
guestce5692b
 
Regime salazarista
Regime salazaristaRegime salazarista
Regime salazarista
josepinho
 
Hgp salazar 6º f
Hgp salazar 6º fHgp salazar 6º f
Hgp salazar 6º f
Rui Pinto
 
Estado Novo 1
Estado Novo 1Estado Novo 1
Estado Novo 1
Susana Simões
 

Mais procurados (20)

Prós e Contras do Tempo de Salazar
Prós e Contras do Tempo de SalazarPrós e Contras do Tempo de Salazar
Prós e Contras do Tempo de Salazar
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
 
Biografia De Salazar
Biografia De SalazarBiografia De Salazar
Biografia De Salazar
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
 
Salazar e o estado novo
Salazar e o estado novoSalazar e o estado novo
Salazar e o estado novo
 
O estado novo
O estado novoO estado novo
O estado novo
 
O estado novo power point final
O estado novo power point finalO estado novo power point final
O estado novo power point final
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
 
Estado Novo
Estado NovoEstado Novo
Estado Novo
 
Salazar e o Estado- Novo
Salazar e o Estado- NovoSalazar e o Estado- Novo
Salazar e o Estado- Novo
 
Estado novo ana machado
Estado novo  ana machadoEstado novo  ana machado
Estado novo ana machado
 
A Ditadura Salazarista
A Ditadura SalazaristaA Ditadura Salazarista
A Ditadura Salazarista
 
Estado novo- introduçao
Estado novo- introduçaoEstado novo- introduçao
Estado novo- introduçao
 
Estado Novo Resumo
Estado Novo ResumoEstado Novo Resumo
Estado Novo Resumo
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Estado - Novo
Estado - NovoEstado - Novo
Estado - Novo
 
Regime salazarista
Regime salazaristaRegime salazarista
Regime salazarista
 
Hgp salazar 6º f
Hgp salazar 6º fHgp salazar 6º f
Hgp salazar 6º f
 
Estado Novo 1
Estado Novo 1Estado Novo 1
Estado Novo 1
 

Destaque

António de oliveira salazar
António de oliveira salazarAntónio de oliveira salazar
António de oliveira salazar
Luís Reguengo
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
Rainha Maga
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
Rui Nobre
 
Marcello Caetano
Marcello CaetanoMarcello Caetano
Marcello Caetano
Dani Duro
 
O Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLvia
O Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLviaO Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLvia
O Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLvia
Tchuca
 
Biografia Marcelo Caetano
Biografia  Marcelo CaetanoBiografia  Marcelo Caetano
Biografia Marcelo Caetano
Sílvia Mendonça
 
Marcelo caetano
Marcelo caetanoMarcelo caetano
Marcelo caetano
berenvaz
 
Do Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à DemocraciaDo Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à Democracia
Ana Barreiros
 
O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@
O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@
O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@
bestclass6c2011
 
Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonial
João Lima
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
Carlos Vieira
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
Margarida Moreira
 

Destaque (12)

António de oliveira salazar
António de oliveira salazarAntónio de oliveira salazar
António de oliveira salazar
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
 
Marcello Caetano
Marcello CaetanoMarcello Caetano
Marcello Caetano
 
O Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLvia
O Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLviaO Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLvia
O Estado Novo E Mocidade Portuguesa SíLvia
 
Biografia Marcelo Caetano
Biografia  Marcelo CaetanoBiografia  Marcelo Caetano
Biografia Marcelo Caetano
 
Marcelo caetano
Marcelo caetanoMarcelo caetano
Marcelo caetano
 
Do Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à DemocraciaDo Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à Democracia
 
O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@
O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@
O Golpe Militar De 28 De Maio De 1926 @@
 
Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonial
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
 

Semelhante a António de oliveira salazar

Quem Foi Salazar?
Quem Foi Salazar?Quem Foi Salazar?
Quem Foi Salazar?
José Trigo
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
tiagomartinho95
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
tiagomartinho95
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
tiagomartinho95
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
tiagomartinho95
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
tiagomartinho95
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
tiagomartinho95
 
Biografia Personalidades RepúBlica
Biografia Personalidades RepúBlicaBiografia Personalidades RepúBlica
Biografia Personalidades RepúBlica
ricardocostacruz
 
Salazarismo.pptx
Salazarismo.pptxSalazarismo.pptx
Salazarismo.pptx
FabricioGomes66
 
.
..
Ditadura Salazarista
Ditadura SalazaristaDitadura Salazarista
Ditadura Salazarista
bestclass6c2011
 
Biografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XXBiografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XX
José Fernando Rodrigues
 
Biografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XXBiografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XX
José Fernando Rodrigues
 
Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A
Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 ABiografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A
Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A
ricardocostacruz
 
Mihaela e bernardo
Mihaela e bernardoMihaela e bernardo
Mihaela e bernardo
Ana Barreiros
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
cruchinho
 
Membros da Revolução do 5 de Outubro
Membros da Revolução do 5 de OutubroMembros da Revolução do 5 de Outubro
Membros da Revolução do 5 de Outubro
anapaulaoliveira
 
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras iRoteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Escola Secundaria luis de freitas Branco
 
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras iRoteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Escola Secundaria luis de freitas Branco
 
14 estadonovo
14 estadonovo14 estadonovo
14 estadonovo
R C
 

Semelhante a António de oliveira salazar (20)

Quem Foi Salazar?
Quem Foi Salazar?Quem Foi Salazar?
Quem Foi Salazar?
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
 
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
Dtrabalhosdosalunos2008 09salazareoestadonovo-090423104627-phpapp02
 
Biografia Personalidades RepúBlica
Biografia Personalidades RepúBlicaBiografia Personalidades RepúBlica
Biografia Personalidades RepúBlica
 
Salazarismo.pptx
Salazarismo.pptxSalazarismo.pptx
Salazarismo.pptx
 
.
..
.
 
Ditadura Salazarista
Ditadura SalazaristaDitadura Salazarista
Ditadura Salazarista
 
Biografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XXBiografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XX
 
Biografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XXBiografias ditadores século XX
Biografias ditadores século XX
 
Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A
Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 ABiografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A
Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A
 
Mihaela e bernardo
Mihaela e bernardoMihaela e bernardo
Mihaela e bernardo
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Membros da Revolução do 5 de Outubro
Membros da Revolução do 5 de OutubroMembros da Revolução do 5 de Outubro
Membros da Revolução do 5 de Outubro
 
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras iRoteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
 
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras iRoteiros republicanos do concelho de oeiras i
Roteiros republicanos do concelho de oeiras i
 
14 estadonovo
14 estadonovo14 estadonovo
14 estadonovo
 

Mais de andreaires

Catastrophes
CatastrophesCatastrophes
Catastrophes
andreaires
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
andreaires
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
andreaires
 
Gps (global positioning system)
Gps (global positioning system)Gps (global positioning system)
Gps (global positioning system)
andreaires
 
The car of the future
The car of the futureThe car of the future
The car of the future
andreaires
 
Vida de b.p. e de s.jorge
Vida de b.p. e de s.jorgeVida de b.p. e de s.jorge
Vida de b.p. e de s.jorge
andreaires
 
Vasco da gama
Vasco da gamaVasco da gama
Vasco da gama
andreaires
 
Saraus no séc. XVIII
Saraus no séc. XVIIISaraus no séc. XVIII
Saraus no séc. XVIII
andreaires
 
Trabalho D.João II
Trabalho D.João IITrabalho D.João II
Trabalho D.João II
andreaires
 
Biografia de José Saramago
Biografia de José SaramagoBiografia de José Saramago
Biografia de José Saramago
andreaires
 
Redes de computadores, tipologias e elementos de rede
Redes de computadores, tipologias e elementos de redeRedes de computadores, tipologias e elementos de rede
Redes de computadores, tipologias e elementos de rede
andreaires
 
Protecção e conservação do ambiente
Protecção e conservação do ambiente Protecção e conservação do ambiente
Protecção e conservação do ambiente
andreaires
 
Os sólidos platónicos
Os sólidos platónicosOs sólidos platónicos
Os sólidos platónicos
andreaires
 
Oceanário
OceanárioOceanário
Oceanário
andreaires
 
Nelson mandela
Nelson mandelaNelson mandela
Nelson mandela
andreaires
 
Lírio
LírioLírio
Lírio
andreaires
 
Carros
CarrosCarros
Carros
andreaires
 
Carros do futuro 2
Carros do futuro 2Carros do futuro 2
Carros do futuro 2
andreaires
 
Carros do futuro
Carros do futuro Carros do futuro
Carros do futuro
andreaires
 

Mais de andreaires (20)

Catastrophes
CatastrophesCatastrophes
Catastrophes
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
Gps (global positioning system)
Gps (global positioning system)Gps (global positioning system)
Gps (global positioning system)
 
The car of the future
The car of the futureThe car of the future
The car of the future
 
Vida de b.p. e de s.jorge
Vida de b.p. e de s.jorgeVida de b.p. e de s.jorge
Vida de b.p. e de s.jorge
 
Vasco da gama
Vasco da gamaVasco da gama
Vasco da gama
 
Saraus no séc. XVIII
Saraus no séc. XVIIISaraus no séc. XVIII
Saraus no séc. XVIII
 
Trabalho D.João II
Trabalho D.João IITrabalho D.João II
Trabalho D.João II
 
Biografia de José Saramago
Biografia de José SaramagoBiografia de José Saramago
Biografia de José Saramago
 
Redes de computadores, tipologias e elementos de rede
Redes de computadores, tipologias e elementos de redeRedes de computadores, tipologias e elementos de rede
Redes de computadores, tipologias e elementos de rede
 
Protecção e conservação do ambiente
Protecção e conservação do ambiente Protecção e conservação do ambiente
Protecção e conservação do ambiente
 
Os sólidos platónicos
Os sólidos platónicosOs sólidos platónicos
Os sólidos platónicos
 
Oceanário
OceanárioOceanário
Oceanário
 
Nelson mandela
Nelson mandelaNelson mandela
Nelson mandela
 
Lírio
LírioLírio
Lírio
 
Carros
CarrosCarros
Carros
 
Carros do futuro 2
Carros do futuro 2Carros do futuro 2
Carros do futuro 2
 
Carros do futuro
Carros do futuro Carros do futuro
Carros do futuro
 
Carros
Carros Carros
Carros
 

António de oliveira salazar

  • 2. António de Oliveira Salazar nasceu dia 28 de Abril de 1889 em Stª Comba Dão e morreu em Lisboa dia 27 de Julho de 1970. Foi estadista, um importante político português, e foi professor na Universidade de Coimbra. Notabilizou- se pelo facto de ter exercido, de forma autoritária e em ditadura, o poder político, em Portugal, entre 1932 e 1968. Foi também Ministro das finanças entre 1932 e 1968, procedendo ao saneamento das finanças públicas portuguesas. Instituidor do Estado Novo (1933-1974) e da sua organização política de suporte, a União Nacional , Salazar dirigiu os destinos de Portugal , como Presidente do Conselho de Ministros, entre 1932 e 1968. Apoiando-se na doutrina social da Igreja Católica, Salazar orienta-se para um corporativismo de Estado autoritário. O seu nacionalismo económico levou- o a tomar medidas de proteccionismo e isolacionismo de natureza fiscal, tarifária, alfandegária, para Portugal e suas colónias, que tiveram grande impacto sobretudo até aos anos sessenta. 2
  • 3. Em 1900 , após completar os seus estudos na escola primária, com 11 anos de idade, Oliveira Salazar ingressou no Seminário de Viseu, onde permaneceu por oito anos. Em 1908 , o seu último ano lectivo no seminário, tomou finalmente contacto com toda a agitação que reinava em Viseu e também em todo o país. Surgiam artigos que atacavam o Governo, o Rei e a Igreja Católica . Foi também nesse ano que se deu o assassínio do Rei D. Carlos e do seu filho, o Príncipe D. Luís Filipe. Não ficando indiferente a esses acontecimentos, Salazar, católico praticante, começou a insurgir- se contra os republicanos jacobinos em defesa da Igreja, escrevendo vários artigos nos jornais. Em 1914 , concluiu o curso de Direito com a alta classificação de 19 valores, acabando por se doutorar em 1918 . Durante esse período em Coimbra, materializa o seu pendor para a política no Centro Académico da Democracia Cristã onde faz amigos. Combate o anticlericalismo da Primeira República através de artigos de opinião que escreve para jornais católicos. Com a crise económica e a agitação política da 1ª República (que se prolongou inclusive após o Golpe militar de 28 de Maio de 1926 ), a Ditadura Militar chamou o Dr. Salazar em Junho de 1926 para a pasta das finanças ; passados treze dias renuncia ao cargo e retorna a Coimbra por não lhe haverem satisfeito as condições que achava indispensáveis ao seu exercício. Em 27 de Abril de 1928 , após a eleição do Marechal Carmona e na sequência do fracasso do seu antecessor em conseguir um avultado empréstimo externo com vista ao equilíbrio das contas públicas, reassumiu a pasta, mas exigindo o controlo sobre as despesas e receitas de todos os ministérios. Satisfeita a exigência, impôs forte austeridade e rigoroso controlo de contas, conseguindo um "milagre" nas finanças públicas logo no exercício económico de 1928- 29. 3
  • 4. Na imprensa, que era controlada pela censura , Salazar seria muitas vezes retratado como salvador da pátria. O prestígio ganho, a propaganda, a habilidade política na manipulação das correntes da direita republicana, de alguns sectores monárquicos e dos católicos consolidavam o seu poder. Em 1932 era publicado o projecto de uma nova Constituição que seria aprovada em 1933 através de um plebiscito. Com esta constituição, Salazar, como Presidente do Conselho de Ministros, cria o Estado Novo, uma ditadura antiliberal e anticomunista, que se orienta segundo os princípios conservadores autoritários: Deus, Pátria e Família . Portugal afirmava-se como "um Estado pluricontinental e multirracial". Durante o Estado Novo, os Presidentes da República, que foram regularmente eleitos por sufrágio universal até 1958, tinham na prática funções meramente cerimoniais. O detentor real do poder era o Presidente do Conselho de Ministros e era ele que dirigia os destinos da Nação. Na Guerra Civil Espanhola , deflagrada em Julho de 1936, Salazar alinhou-se com o General Francisco Franco , enviando forças militares portuguesas para Espanha (o que nunca foi reconhecido oficialmente). Salazar adopta um regime de separação de poderes entre o Estado e a Igreja , que virá a ficar definido na Concordata entre a Santa Sé e Portugal, em 1940. Oliveira Salazar assumira a pasta dos negócios estrangeiros desde a Guerra Civil Espanhola. Com a Segunda Guerra Mundial o imperativo do governo de Salazar é manter a neutralidade. A hábil gestão desta neutralidade trouxe-lhe, no final da guerra, os benefícios da paz sem ter de pagar o preço da guerra. As exportações ultrapassaram as importações, facto que não se verificava desde dezenas de anos. Portugal serviu de refúgio a muitas pessoas de várias proveniências. Um desses refugiados foi o arménio Calouste Gulbenkian . Em Portugal, embora se reconhecesse o mérito da obra de Salazar no que respeita à reorganização financeira, à restauração económica e à defesa da paz, muitos entenderam que tinha chegado a oportunidade de mudança política. 4
  • 5. Militarmente Portugal foi membro fundador da NATO em 1949. Apesar de não ter relações diplomáticas com países do bloco Comunista, manteve relações comerciais com a República Popular da China e outros países Asiáticos Comunistas. Desde o final da Segunda Guerra Mundial , em 1945, que a comunidade internacional e a ONU vinham a defender a implementação de uma política de descolonização em todo o mundo. Salazar, defensor de uma política colonialista, não cedeu querendo manter as chamadas províncias ultramarinas sob a bandeira portuguesa. A Guerra Colonial teve como consequências milhares de vítimas entre os povos que acabariam por se tornar independentes e entre portugueses. Este facto abalou as estruturas políticas e sociais do País, tendo sido uma das causas da queda do regime e do 25 de Abril. O princípio do fim de Salazar começou a 3 de Agosto de 1968, no terraço do Forte de Santo António, no Estoril. A queda de uma cadeira de lona, deixada em segredo primeiro, acabou por ditar o seu afastamento do Governo. Há quem diga que Salazar não caiu de uma cadeira, e sim de uma banheira. Foi afastado do Governo em 1968 após ser vitimado por um hematoma craniano, que lhe causou danos cerebrais graves, após a queda, quando passava férias no forte de S. António do Estoril . Américo Tomás então Presidente da República chamou, então, a 27 de Setembro de 1968, Marcelo Caetano para substituir Salazar. Até morrer, em 1970, continuou a receber visitas como se fosse ainda Presidente do Conselho, nunca manifestando sequer a suspeita de que já o não era. 5
  • 6. 6