SlideShare uma empresa Scribd logo
A Ditadura Salazarista
O Estado Novo O Estado Novo ou a Ditadura Salazarista é um regime político autoritário, em que o poder legislativo, executivo e judicial estão concentrados no chefe de governo. É também chamado de Salazarismo devido ao período que Salazar governou Portugal (1933-1968). Este regime autoritário permaneceu durante 41 anos em Portugal, que foi desde que Salazar subiu ao poder (1933) até a sua saída (1968).
Constituição do Estado Novo Sufrágio Universal Constituição de 1933 Poder executivo Poder legislativo Poder judicial Exercido pelos tribunais Assembleia Nacional Exercido pelo governo
Organismos de Defesa do Estado Como organismos de Defesa do Estado temos: A PIDE A Legião Portuguesa A Mocidade Portuguesa A Censura
A PIDE A PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado) ,  foi criada em Portugal em 22 de Outubro de 1946. A PIDE era uma polícia política que teve como principal função a repressão de qualquer forma de oposição ao Estado Novo.
A Legião Portuguesa A Legião Portuguesa foi uma organização paramilitar, criada em Portugal em 1936, era conhecida como o grupo paramilitar dos camisas castanhas e foi fundamental na sua subida ao poder em 1933 pelo partido  de Salazar, o Partido Único.
A Mocidade Portuguesa A Mocidade Portuguesa foi fundada em 1936 e idealizada de acordo com os exemplos fascistas italianos e alemães, esta preparava a juventude para o “engrandecimento da Nação”.  A Mocidade Portuguesa foi uma das instituições novas tipicamente caracterizadoras do Estado.
A Censura A Censura era um serviço prévio às publicações periódicas, emissões de rádio e de televisão, e de fiscalização de publicações não periódicas nacionais e estrangeiras, protegendo permanentemente a doutrina e ideologia do Estado Novo e defendendo a moral e os bons costumes.
Os Ideais Os ideais da política salazaristas são: - O Proteccionismo (visava a protecção dos produtos portugueses evitando importar produtos estrangeiros) - O Corporativismo (Sistema político ou económico no qual o poder legislativo é atribuído a corporações que representam grupos económicos, industriais ou profissionais.) - O Colonialismo (defendia que Portugal não tinha colónias mas províncias ultramarinas)
A oposição ao Regime
Eleições presidenciais 1949 – General Norton de Matos via-se obrigado a desistir devido a repressão violenta 1958 – Humberto Delgado concorre mas devido as fraudes o candidato o regime, Américo Tomás vence as eleições. Abalo ao Regime que estava perto do fim
Marcellismo - Continuação do Regime Em 1968 Salazar adoeceu e é substituído por Marcello Caetano renovando a esperança aos portugueses para uma abertura do regime A sua politica era definida pelo lema “renovação na continuidade” que apesar de algumas melhorias acabo por agravar a instabilidade do Estado Novo.
Primavera Marcelista Caetano:  Concede alguma liberdade de expressão aos jornais,  Permite a vinda de alguns exilados Incentiva a industrialização Alarga o regime da providência as populações Procura reformar o ensino com vista a democratização da educação
A repressão continuou pois mudaram as designações mas as instituições mantiveram-se as mesmas Com a reeleição de Américo Tomás as esperança de liberalização desapareceu generalizando-se a insatisfação popular que a  repressão e a censura já não calavam.
Trabalho realizado por: Luciano André João André Patrícia Flávio Alves Tiago Lima (âmbito de disciplina de História) Docente Responsável : Sónia Cruz

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Estado novo
O Estado novoO Estado novo
O Estado novo
carol slides
 
Biografia de antónio salazar
Biografia de antónio salazarBiografia de antónio salazar
Biografia de antónio salazar
Anabela Sobral
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
Jorge Almeida
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
jdlimaaear
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
cattonia
 
Salazar e o estado novo
Salazar e o estado novoSalazar e o estado novo
Salazar e o estado novo
Jorge Almeida
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
Carlos Vieira
 
Estado Novo I
Estado Novo IEstado Novo I
Estado Novo I
omeunome07
 
Estado Novo 1
Estado Novo 1Estado Novo 1
Estado Novo 1
Susana Simões
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
Jorge Almeida
 
SALAZARISMO
SALAZARISMOSALAZARISMO
SALAZARISMO
Maria Gomes
 
A Ditadura Salazarista
A Ditadura SalazaristaA Ditadura Salazarista
A Ditadura Salazarista
Carlos Vieira
 
A Oposição Democrática
A Oposição DemocráticaA Oposição Democrática
A Oposição Democrática
Sónia Cruz
 
Regime salazarista
Regime salazaristaRegime salazarista
Regime salazarista
josepinho
 
4.3. o estado novo
4.3. o estado novo4.3. o estado novo
4.3. o estado novo
Sónia Azevedo
 
Portugal PóS 25 De Abril
Portugal PóS 25 De AbrilPortugal PóS 25 De Abril
Portugal PóS 25 De Abril
Inês
 
1ª RepúBlica
1ª RepúBlica1ª RepúBlica
1ª RepúBlica
crie_historia9
 
Salazarismo
SalazarismoSalazarismo
Salazarismo
Inês Oliveira
 
Estado novo portugal
Estado novo portugalEstado novo portugal
Estado novo portugal
Teresa Maia
 
25 de abril - Revolução dos Cravos
25 de abril - Revolução dos Cravos25 de abril - Revolução dos Cravos
25 de abril - Revolução dos Cravos
becastanheiradepera
 

Mais procurados (20)

O Estado novo
O Estado novoO Estado novo
O Estado novo
 
Biografia de antónio salazar
Biografia de antónio salazarBiografia de antónio salazar
Biografia de antónio salazar
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
 
Salazar e o estado novo
Salazar e o estado novoSalazar e o estado novo
Salazar e o estado novo
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
 
Estado Novo I
Estado Novo IEstado Novo I
Estado Novo I
 
Estado Novo 1
Estado Novo 1Estado Novo 1
Estado Novo 1
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
 
SALAZARISMO
SALAZARISMOSALAZARISMO
SALAZARISMO
 
A Ditadura Salazarista
A Ditadura SalazaristaA Ditadura Salazarista
A Ditadura Salazarista
 
A Oposição Democrática
A Oposição DemocráticaA Oposição Democrática
A Oposição Democrática
 
Regime salazarista
Regime salazaristaRegime salazarista
Regime salazarista
 
4.3. o estado novo
4.3. o estado novo4.3. o estado novo
4.3. o estado novo
 
Portugal PóS 25 De Abril
Portugal PóS 25 De AbrilPortugal PóS 25 De Abril
Portugal PóS 25 De Abril
 
1ª RepúBlica
1ª RepúBlica1ª RepúBlica
1ª RepúBlica
 
Salazarismo
SalazarismoSalazarismo
Salazarismo
 
Estado novo portugal
Estado novo portugalEstado novo portugal
Estado novo portugal
 
25 de abril - Revolução dos Cravos
25 de abril - Revolução dos Cravos25 de abril - Revolução dos Cravos
25 de abril - Revolução dos Cravos
 

Semelhante a Ditadura Salazarista

1007
10071007
1007
Pelo Siro
 
1270635509 salazar e_o_estado_novo
1270635509 salazar e_o_estado_novo1270635509 salazar e_o_estado_novo
1270635509 salazar e_o_estado_novo
Pelo Siro
 
Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)
Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)
Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)
7149inesfernandes
 
A Construção do Estado Novo
A Construção do Estado NovoA Construção do Estado Novo
A Construção do Estado Novo
Ana Batista
 
Estado Novo
Estado NovoEstado Novo
Estado Novo
blog-eic
 
Estado novo ana machado
Estado novo  ana machadoEstado novo  ana machado
Estado novo ana machado
AnaRquel
 
André carvalho
André carvalhoAndré carvalho
André carvalho
Ana Barreiros
 
Ditadura salazarista e estado novo
Ditadura salazarista e estado novo Ditadura salazarista e estado novo
Ditadura salazarista e estado novo
Alexandra Teixeira
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
jdlimaaear
 
.
..
Glossário
GlossárioGlossário
Glossário
João Lima
 
Ficha de Trabalho Salazar sobre Historia
Ficha de Trabalho Salazar sobre HistoriaFicha de Trabalho Salazar sobre Historia
Ficha de Trabalho Salazar sobre Historia
PhilippeP3
 
Estado novo- introduçao
Estado novo- introduçaoEstado novo- introduçao
Estado novo- introduçao
Frederico
 
Mihaela e bernardo
Mihaela e bernardoMihaela e bernardo
Mihaela e bernardo
Ana Barreiros
 
A ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).ppt
A ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).pptA ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).ppt
A ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).ppt
MarcelMonteiro3
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Do Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à DemocraciaDo Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à Democracia
Ana Barreiros
 
Fascismo e Fascistas
Fascismo e FascistasFascismo e Fascistas
Fascismo e Fascistas
Phyllipa
 
25 de abril
25 de abril 25 de abril
25 de abril
Jojo Cruz
 

Semelhante a Ditadura Salazarista (20)

1007
10071007
1007
 
1270635509 salazar e_o_estado_novo
1270635509 salazar e_o_estado_novo1270635509 salazar e_o_estado_novo
1270635509 salazar e_o_estado_novo
 
Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)
Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)
Salazarismo - História de Portugal (3.º ciclo)
 
A Construção do Estado Novo
A Construção do Estado NovoA Construção do Estado Novo
A Construção do Estado Novo
 
Estado Novo
Estado NovoEstado Novo
Estado Novo
 
Estado novo ana machado
Estado novo  ana machadoEstado novo  ana machado
Estado novo ana machado
 
André carvalho
André carvalhoAndré carvalho
André carvalho
 
Ditadura salazarista e estado novo
Ditadura salazarista e estado novo Ditadura salazarista e estado novo
Ditadura salazarista e estado novo
 
Estado novo
Estado novoEstado novo
Estado novo
 
.
..
.
 
Glossário
GlossárioGlossário
Glossário
 
Ficha de Trabalho Salazar sobre Historia
Ficha de Trabalho Salazar sobre HistoriaFicha de Trabalho Salazar sobre Historia
Ficha de Trabalho Salazar sobre Historia
 
Estado novo- introduçao
Estado novo- introduçaoEstado novo- introduçao
Estado novo- introduçao
 
Mihaela e bernardo
Mihaela e bernardoMihaela e bernardo
Mihaela e bernardo
 
A ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).ppt
A ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).pptA ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).ppt
A ERA VARGAS - ETAPAS DO GOVERNO(1930-1945).ppt
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Do Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à DemocraciaDo Estado Novo à Democracia
Do Estado Novo à Democracia
 
Fascismo e Fascistas
Fascismo e FascistasFascismo e Fascistas
Fascismo e Fascistas
 
25 de abril
25 de abril 25 de abril
25 de abril
 

Ditadura Salazarista

  • 2. O Estado Novo O Estado Novo ou a Ditadura Salazarista é um regime político autoritário, em que o poder legislativo, executivo e judicial estão concentrados no chefe de governo. É também chamado de Salazarismo devido ao período que Salazar governou Portugal (1933-1968). Este regime autoritário permaneceu durante 41 anos em Portugal, que foi desde que Salazar subiu ao poder (1933) até a sua saída (1968).
  • 3. Constituição do Estado Novo Sufrágio Universal Constituição de 1933 Poder executivo Poder legislativo Poder judicial Exercido pelos tribunais Assembleia Nacional Exercido pelo governo
  • 4. Organismos de Defesa do Estado Como organismos de Defesa do Estado temos: A PIDE A Legião Portuguesa A Mocidade Portuguesa A Censura
  • 5. A PIDE A PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado) , foi criada em Portugal em 22 de Outubro de 1946. A PIDE era uma polícia política que teve como principal função a repressão de qualquer forma de oposição ao Estado Novo.
  • 6. A Legião Portuguesa A Legião Portuguesa foi uma organização paramilitar, criada em Portugal em 1936, era conhecida como o grupo paramilitar dos camisas castanhas e foi fundamental na sua subida ao poder em 1933 pelo partido de Salazar, o Partido Único.
  • 7. A Mocidade Portuguesa A Mocidade Portuguesa foi fundada em 1936 e idealizada de acordo com os exemplos fascistas italianos e alemães, esta preparava a juventude para o “engrandecimento da Nação”. A Mocidade Portuguesa foi uma das instituições novas tipicamente caracterizadoras do Estado.
  • 8. A Censura A Censura era um serviço prévio às publicações periódicas, emissões de rádio e de televisão, e de fiscalização de publicações não periódicas nacionais e estrangeiras, protegendo permanentemente a doutrina e ideologia do Estado Novo e defendendo a moral e os bons costumes.
  • 9. Os Ideais Os ideais da política salazaristas são: - O Proteccionismo (visava a protecção dos produtos portugueses evitando importar produtos estrangeiros) - O Corporativismo (Sistema político ou económico no qual o poder legislativo é atribuído a corporações que representam grupos económicos, industriais ou profissionais.) - O Colonialismo (defendia que Portugal não tinha colónias mas províncias ultramarinas)
  • 10. A oposição ao Regime
  • 11. Eleições presidenciais 1949 – General Norton de Matos via-se obrigado a desistir devido a repressão violenta 1958 – Humberto Delgado concorre mas devido as fraudes o candidato o regime, Américo Tomás vence as eleições. Abalo ao Regime que estava perto do fim
  • 12. Marcellismo - Continuação do Regime Em 1968 Salazar adoeceu e é substituído por Marcello Caetano renovando a esperança aos portugueses para uma abertura do regime A sua politica era definida pelo lema “renovação na continuidade” que apesar de algumas melhorias acabo por agravar a instabilidade do Estado Novo.
  • 13. Primavera Marcelista Caetano: Concede alguma liberdade de expressão aos jornais, Permite a vinda de alguns exilados Incentiva a industrialização Alarga o regime da providência as populações Procura reformar o ensino com vista a democratização da educação
  • 14. A repressão continuou pois mudaram as designações mas as instituições mantiveram-se as mesmas Com a reeleição de Américo Tomás as esperança de liberalização desapareceu generalizando-se a insatisfação popular que a repressão e a censura já não calavam.
  • 15. Trabalho realizado por: Luciano André João André Patrícia Flávio Alves Tiago Lima (âmbito de disciplina de História) Docente Responsável : Sónia Cruz