SlideShare uma empresa Scribd logo
Alunas:
Amanda Pereira Kikuti
Gabriella Caixeta Pereira
Série: 8º Ano B
CRISE NA FRANÇA
 A revolução francesa marcou a passagem da idade
moderna para a idade contemporânea.
 Em 1789 a França estava em uma grande crise
econômica, os problemas recaiam sobre o povo,
enquanto o rei Luiz XVI, sua corte e sua esposa Maria
Antonieta viviam luxuosamente no palácio de
Versalhes.
A França estava dividida em três ordens ou estados:
1° estado: era constituído pelo alto e baixo clero não
pagavam impostos porem o baixo clero vivia na miséria.
2°estado: era formado pela nobreza tinha muitos
privilégios inclusive não pagar impostos.
3° estado: era formado por burgueses trabalhadores
urbanos e camponeses viviam na miséria e muitas vezes
a sua situação era agravada pelas secas, enchentes e
mas colheitas .
Em 5 de maio de 1789 o Rei convoca uma
assembleia com os três estados, nessa
assembleia os representantes dos três estados
entram em conflito:
 o 1° e o 2° estado defendiam o voto por
ordem social, enquanto o 3° estado defendia
o voto por cabeça pois de outro modo estaria
sempre em desvantagem, como nenhum dos
lados queria ceder o 3° se retira dando inicio a
revolução francesa.
INÍCIO DA REVOLUÇÃO FRANCESA
O 3° estado, no início da revolução francesa
forma uma própria assembleia, a assembleia
nacional constituinte, com o objetivo de
elaborar uma nova constituição para a França
(1° fase da Revolução Francesa).
A assembleia nacional constituinte decretou
novas leis e proclamou a declaração dos
direitos do homem e do cidadão: os homens
nascem livres e iguais por direito
 Luiz XVI não queria que seu poder fosse reduzido e não
aceitou as medidas da assembleia.
 O povo revoltado em outubro invadiu o palácio de
Versalhes obrigando o monarca a fugir.
 Em 1791 ficou decidida a divisão de poderes:
o Executivo exercido pelo Rei
o Legislativo exercido pela Assembleia
o Judiciário exercido pelos juízes eleitos pelo povo
Os membros republicanos da Assembleia
acusaram o Rei Luiz XVI de traição da
Revolução. A família real foi presa.
A Assembleia é eleita por voto universal
masculino, depôs o Rei e elegeu a Convenção
Nacional
Em 22 de setembro de 1791 foi proclamada a
República
A CONVENÇÃO NACIONAL
Após a proclamação da República os
revolucionários se dividiram em três grupos:
Girondinos: representantes da alta burguesia
Jacobinos ou montanheses: grupo radical
liderado por Robespierre representam a média
e pequena burguesia
Planície: representantes da alta burguesia
(escolhiam o que melhor lhes conviesse)
Período de terror(1794): os Jacobinos
chefiados por Robespierre com violenta
perseguição aos girondinos, causaram a morte
de muitos deles além, de nobres e da Rainha
Maria Antonieta
Robespierre foi guilhotinado pelos Girondinos
em julho de 1794, terminando o terror
Os Girondinos retomam o poder e instalam o
Governo Diretório
O DIRETÓRIO
Em 1795 teve uma nova constituição que
colocou um novo governo no poder O
Diretório.
O poder Executivo foi dado a 5 diretores que
foram eleitos por uma Assembleia eleita por
voto censitário.
O GOLPE DE 18 BRUMÁRIO
O general Napoleão Bonaparte,
em 18 Brumário (9 de novembro)
de 1799, deu o golpe de estado
instalando na França um governo
chamado Consulado.
O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO
O governo de Napoleão consolidou as conquistas
da burguesia na França e desorganizou as
monarquias absolutistas da Europa.
A Era Napoleônica envolveu dois períodos:
Consulado (1799-1804) recuperação econômica
da França e também estabilização do pode
político
Império (1804-1815) corrida imperialista e domínio
de grande parte da Europa
O CONSULADO
O poder executivo era exercido por três
cônsules.
O legislativo ficava a cargo das assembleias.
O primeiro cônsul era Napoleão, com amplos
poderes.
Napoleão promoveu a reforma do Direito,
elaborando o código Civil Napoleônico, o
que consolidou as conquistas da burguesia
ocorridas durante a Revolução Francesa.
Com o apoio da burguesia, em 1802,
Napoleão fez um plebiscito e tornou se
cônsul vitalício.
O IMPÉRIO
Em 1804, Napoleão fez realizar novo plebiscito para
confirmar a instituição do regime político monárquico, se
tornou imperador da França.
Para derrotar a Inglaterra, Napoleão promulgou o Decreto
de Berlim, conhecido com Bloqueio Continental.
Napoleão ordenou a invasão de Portugal e dominava
praticamente toda a Europa, com exceção da
Inglaterra.
O FIM DO IMPÉRIO NAPOLEÔNICO
Em 1812 a Rússia rompeu o Bloqueio Continental.
Napoleão invadiu a Rússia e perdeu quase todo seu
exército.
Alguns países europeus se rebelaram contra a França
e em 1813, Napoleão foi derrotado, e Luis XVIII, foi
convidado para retornar ao poder.
Em 1815, Napoleão retomou o poder, sendo
novamente aclamado imperador, realizou o
Governo dos Cem Dias e na Batalha de Waterloo
foi definitivamente derrotado.
O CONGRESSO DE VIENA
As forças tradicionais absolutistas retomaram o antigo
modelo de governo, Monarcas e ministros reuniram-se
no Congresso de Viena (1814-1815), com a finalidade de
restabelecer o antigo equilíbrio político europeu, anterior
à Revolução Francesa.
Três princípios nortearam o Congresso:
Restauração
Legitimidade
Solidariedade
A SANTA ALIANÇA
Formada pela Rússia, Áustria e Prússia, objetivava
defender as monarquias absolutistas, em nome dos
princípios cristãos.
A Santa Aliança teria o direito de intervi nos países onde
houvesse revoluções liberais e tentativas de
emancipação política.
Na década de 1830, irromperam revoluções liberais e
nacionalistas dentro e fora do continente europeu, o
que provocou o enfraquecimento da Santa Aliança.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolução Francesa ate o fim da era Napolêonica
Revolução Francesa ate o fim da era NapolêonicaRevolução Francesa ate o fim da era Napolêonica
Revolução Francesa ate o fim da era Napolêonica
alunoitv
 
Revolução Francesa (1789)
Revolução Francesa (1789)Revolução Francesa (1789)
Revolução Francesa (1789)
E.E. Prof. João Magiano Pinto
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Nilton Silva Jardim Junior
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império NapoleônicoRevolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Elton Zanoni
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
alunoitv
 
Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império NapoleônicoDa Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico
alunoitv
 
A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.
A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.
A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.
nicollegouveia
 
O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)
Vitor Ferreira
 
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão BonaparteDa Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Darlene Celestina
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções Liberais
Lucas Nunes de Souza
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
alunoitv
 
Napoleão Bonaparte
Napoleão BonaparteNapoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
Edenilson Morais
 
Revolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLaraRevolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLara
alunoitv
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
Isabel Ribeiro
 
fase do terror
fase do terrorfase do terror
fase do terror
wolveninex lol
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
eduardosalgdo
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
Ariel Prado
 
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Celine Bernardo
 
Período napoleônico
Período napoleônicoPeríodo napoleônico
Período napoleônico
Daniel Monteiro
 
Revolução Francesa
Revolução Francesa Revolução Francesa
Revolução Francesa
secretaria estadual de educação
 

Mais procurados (20)

Revolução Francesa ate o fim da era Napolêonica
Revolução Francesa ate o fim da era NapolêonicaRevolução Francesa ate o fim da era Napolêonica
Revolução Francesa ate o fim da era Napolêonica
 
Revolução Francesa (1789)
Revolução Francesa (1789)Revolução Francesa (1789)
Revolução Francesa (1789)
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império NapoleônicoRevolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império Napoleônico
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império NapoleônicoDa Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico
 
A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.
A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.
A Convenção Nacional-Revolução Francesa.8 ano.
 
O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)O período napoleônico (1799 1815)
O período napoleônico (1799 1815)
 
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão BonaparteDa Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
Da Revolução Francesa a Era de Napoleão Bonaparte
 
Revoluções Liberais
Revoluções LiberaisRevoluções Liberais
Revoluções Liberais
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Napoleão Bonaparte
Napoleão BonaparteNapoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
 
Revolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLaraRevolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLara
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
fase do terror
fase do terrorfase do terror
fase do terror
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
 
Período napoleônico
Período napoleônicoPeríodo napoleônico
Período napoleônico
 
Revolução Francesa
Revolução Francesa Revolução Francesa
Revolução Francesa
 

Semelhante a Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico

Revolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° bRevolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° b
alunoitv
 
Revolucoes
RevolucoesRevolucoes
Revolucoes
Norma Almeida
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
alunoitv
 
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºARevolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
alunoitv
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
seixasmarianas
 
Revolução francesa (aula)
Revolução francesa  (aula)Revolução francesa  (aula)
Revolução francesa (aula)
OAB (Brazilian Order of Advocates)
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
MarlenePrado7
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
alunoitv
 
Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesa
Julia Selistre
 
Julia e Ana Vitória
Julia e Ana VitóriaJulia e Ana Vitória
Julia e Ana Vitória
alunoitv
 
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºBRevolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
alunoitv
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Jguiler
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Lutero Ramos
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberais
borgia
 
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Wendell Leonardo .
 
_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa
Lela Leite
 
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era NapoleonicaSlide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
ivonete moresco
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
ceufaias
 
Revolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa Valsé
Revolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa ValséRevolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa Valsé
Revolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa Valsé
jairmrf
 

Semelhante a Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico (20)

Revolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° bRevolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° b
 
Revolucoes
RevolucoesRevolucoes
Revolucoes
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
 
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºARevolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
 
Aula Revolução Francesa 2
Aula Revolução Francesa   2Aula Revolução Francesa   2
Aula Revolução Francesa 2
 
Revolução francesa (aula)
Revolução francesa  (aula)Revolução francesa  (aula)
Revolução francesa (aula)
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)Revol 130802122944-phpapp02 (1)
Revol 130802122944-phpapp02 (1)
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
 
Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesa
 
Julia e Ana Vitória
Julia e Ana VitóriaJulia e Ana Vitória
Julia e Ana Vitória
 
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºBRevolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberais
 
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
 
_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa
 
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era NapoleonicaSlide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Revolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa Valsé
Revolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa ValséRevolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa Valsé
Revolução Francesa - Arthur Rezende e Yuri Galdiano - 8B Teresa Valsé
 

Último

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 

Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico

  • 1. Alunas: Amanda Pereira Kikuti Gabriella Caixeta Pereira Série: 8º Ano B
  • 2. CRISE NA FRANÇA  A revolução francesa marcou a passagem da idade moderna para a idade contemporânea.  Em 1789 a França estava em uma grande crise econômica, os problemas recaiam sobre o povo, enquanto o rei Luiz XVI, sua corte e sua esposa Maria Antonieta viviam luxuosamente no palácio de Versalhes.
  • 3. A França estava dividida em três ordens ou estados: 1° estado: era constituído pelo alto e baixo clero não pagavam impostos porem o baixo clero vivia na miséria. 2°estado: era formado pela nobreza tinha muitos privilégios inclusive não pagar impostos. 3° estado: era formado por burgueses trabalhadores urbanos e camponeses viviam na miséria e muitas vezes a sua situação era agravada pelas secas, enchentes e mas colheitas .
  • 4. Em 5 de maio de 1789 o Rei convoca uma assembleia com os três estados, nessa assembleia os representantes dos três estados entram em conflito:  o 1° e o 2° estado defendiam o voto por ordem social, enquanto o 3° estado defendia o voto por cabeça pois de outro modo estaria sempre em desvantagem, como nenhum dos lados queria ceder o 3° se retira dando inicio a revolução francesa.
  • 5. INÍCIO DA REVOLUÇÃO FRANCESA O 3° estado, no início da revolução francesa forma uma própria assembleia, a assembleia nacional constituinte, com o objetivo de elaborar uma nova constituição para a França (1° fase da Revolução Francesa). A assembleia nacional constituinte decretou novas leis e proclamou a declaração dos direitos do homem e do cidadão: os homens nascem livres e iguais por direito
  • 6.  Luiz XVI não queria que seu poder fosse reduzido e não aceitou as medidas da assembleia.  O povo revoltado em outubro invadiu o palácio de Versalhes obrigando o monarca a fugir.  Em 1791 ficou decidida a divisão de poderes: o Executivo exercido pelo Rei o Legislativo exercido pela Assembleia o Judiciário exercido pelos juízes eleitos pelo povo
  • 7. Os membros republicanos da Assembleia acusaram o Rei Luiz XVI de traição da Revolução. A família real foi presa. A Assembleia é eleita por voto universal masculino, depôs o Rei e elegeu a Convenção Nacional Em 22 de setembro de 1791 foi proclamada a República
  • 8. A CONVENÇÃO NACIONAL Após a proclamação da República os revolucionários se dividiram em três grupos: Girondinos: representantes da alta burguesia Jacobinos ou montanheses: grupo radical liderado por Robespierre representam a média e pequena burguesia Planície: representantes da alta burguesia (escolhiam o que melhor lhes conviesse)
  • 9. Período de terror(1794): os Jacobinos chefiados por Robespierre com violenta perseguição aos girondinos, causaram a morte de muitos deles além, de nobres e da Rainha Maria Antonieta Robespierre foi guilhotinado pelos Girondinos em julho de 1794, terminando o terror Os Girondinos retomam o poder e instalam o Governo Diretório
  • 10. O DIRETÓRIO Em 1795 teve uma nova constituição que colocou um novo governo no poder O Diretório. O poder Executivo foi dado a 5 diretores que foram eleitos por uma Assembleia eleita por voto censitário.
  • 11. O GOLPE DE 18 BRUMÁRIO O general Napoleão Bonaparte, em 18 Brumário (9 de novembro) de 1799, deu o golpe de estado instalando na França um governo chamado Consulado.
  • 12. O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO O governo de Napoleão consolidou as conquistas da burguesia na França e desorganizou as monarquias absolutistas da Europa. A Era Napoleônica envolveu dois períodos: Consulado (1799-1804) recuperação econômica da França e também estabilização do pode político Império (1804-1815) corrida imperialista e domínio de grande parte da Europa
  • 13. O CONSULADO O poder executivo era exercido por três cônsules. O legislativo ficava a cargo das assembleias. O primeiro cônsul era Napoleão, com amplos poderes.
  • 14. Napoleão promoveu a reforma do Direito, elaborando o código Civil Napoleônico, o que consolidou as conquistas da burguesia ocorridas durante a Revolução Francesa. Com o apoio da burguesia, em 1802, Napoleão fez um plebiscito e tornou se cônsul vitalício.
  • 15. O IMPÉRIO Em 1804, Napoleão fez realizar novo plebiscito para confirmar a instituição do regime político monárquico, se tornou imperador da França. Para derrotar a Inglaterra, Napoleão promulgou o Decreto de Berlim, conhecido com Bloqueio Continental. Napoleão ordenou a invasão de Portugal e dominava praticamente toda a Europa, com exceção da Inglaterra.
  • 16. O FIM DO IMPÉRIO NAPOLEÔNICO Em 1812 a Rússia rompeu o Bloqueio Continental. Napoleão invadiu a Rússia e perdeu quase todo seu exército. Alguns países europeus se rebelaram contra a França e em 1813, Napoleão foi derrotado, e Luis XVIII, foi convidado para retornar ao poder. Em 1815, Napoleão retomou o poder, sendo novamente aclamado imperador, realizou o Governo dos Cem Dias e na Batalha de Waterloo foi definitivamente derrotado.
  • 17. O CONGRESSO DE VIENA As forças tradicionais absolutistas retomaram o antigo modelo de governo, Monarcas e ministros reuniram-se no Congresso de Viena (1814-1815), com a finalidade de restabelecer o antigo equilíbrio político europeu, anterior à Revolução Francesa. Três princípios nortearam o Congresso: Restauração Legitimidade Solidariedade
  • 18. A SANTA ALIANÇA Formada pela Rússia, Áustria e Prússia, objetivava defender as monarquias absolutistas, em nome dos princípios cristãos. A Santa Aliança teria o direito de intervi nos países onde houvesse revoluções liberais e tentativas de emancipação política. Na década de 1830, irromperam revoluções liberais e nacionalistas dentro e fora do continente europeu, o que provocou o enfraquecimento da Santa Aliança.