SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
REVOLUÇÃO FRANCESA
E
GOVERNO NAPOLEÔNICO
Letícia Lucena
Maria Clara Arruda Noronha
8º ano A
REVOLUÇÃO
FRANCESA
O INÍCIO
Com a crise econômica na Franca, os estados gerais se juntam (Assembleia dos
Estados Gerais), para tentar achar uma solução para o problema.
 Assim: O primeiro estado era constituído pelo clero, tinha 10% das terras da França
e não pagavam impostos; o segundo estado era constituído pela nobreza,
proprietária de 20% das terras do pais e não pagavam impostos; já o terceiro estado
era constituído pelos burgueses, trabalhadores urbanos e camponeses. Eles eram
80% da população.
Durante a assembleia, os estados logo entraram em conflito, pois o terceiro estado
desejava o voto por cabeça, enquanto o primeiro e segundo estado queria o voto por
classe social. Sem chegarem a um acordo, o terceiro estado se retira da Assembleia
dos Estados Gerais e forma a Assembleia Nacional... Dando início assim, a Revolução
Francesa.
Logo depois de um tempo, essa assembleia é transformada em Asslembleia Nacional
Constituinte, que tinha como objetivo elaborar uma constituição para a França.
Em 13 de julho, o povo tomou as ruas de Paris. Em 14 de julho, uma imensa multidão
invadiu a Bastilha, que na época era uma prisão do Estado e símbolo do poder
absolutista. Essa acontecimento foi chamado de queda da Bastilha, conhecido como
marco histórico da Revolução Francesa.
A ASSEMBLEIA NACIONAL CONSTITUINTE
A Assembleia Nacional Constituinte e conhecida como a primeira fase da
Revolução Francesa, que durou em torno de 2 anos (1789-1791). Ela decretou
novas leis e aprovou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão,
proclamando que os homens nascem livres e são iguais em direitos. Porém, Luís
XVI não gostava da idéia de seu sendo reduzido, e por isso, não quis aceitar as
medidas estabelecidas pela Assembleia.
O povo parisiense revoltado com a atitude do rei, em outubro, invadiu o palácio
e Versalhes, obrigando assim o mocarca a fugir do local.
Por fim, em 1791, foi promulgada a Constituição que estabelecia como forma
de governo a monarquia constitucional e liberal. Ficou decidida a divisão de
poderes:
 Executivo – exercido pelo rei;
 Legislativo – exercido pela Assembleia;
 Judiciário – exercido pelos juízes eleitos.
Os membros republicanos da Assembleia acusaram o rei Luís XVI
de estar traindo a revolução, e com isso a família real foi presa. A
Assembleia depôs o rei e elegeu a Convenção Nacional assembleia
eleita por voto universal masculino. No dia 22 de setembro, foi
proclamada a República.
A CONVENÇÃO NACIONAL
Após proclamada República, os revolucionários diviram-se em:
 Girondinos: grupo majoritário, representante da alta burguesia;
 Jacobinos: grupo radical liderado por Robespierre, Danton e Marat.
Representantes da média e pequena burguesia;
 Planície: também representantes da alta burguesia.
Em 21 de janeiro de 1793, o rei Luís XVI foi condenado e guilhotinado,
considerado inimigo da Revolução. A república francesa começou a
passar por uma série de crises (problemas). Uma delas foi o fato de
que a Inglaterra liderou uma coligação contra o país, e se aliou a
Espanha, Sardenha, Holanda, Nápoles, Prússia e Rússia. Nesse
ambiente de crise interna e externa, a Convenção governou de forma
ditatorial (ou melhor, os Jacobinos roubaram a liderança dos
Girondinos e instalaram a ditadura), assim instalou-se o período
conhecido como Terror (1794), chefiado por Robespierre, no qual
houve violenta perseguição aos girondinos, com a morte de muitos
deles, alem de nobres e da rainha Maria Antonieta.
Em 27 de julho de 1794, Robespierre foi preso e
guilhotinado pelos girondinos, terminando o Terror.
Os girondinos, retornaram ao poder, elaboraram
uma nova Constituição e instalaram um governo
chamado Diretório.
O DIRETÓRIO
Em 1795, foi proclamada outra constituição, que instalou
o novo governo: o Diretório. Manteram o regime
republicano, mas aboliram as instituições criadas no
período anterior. O poder Executivo foi dado a cinco
diretores, escolhidos por uma Assembleia eleita por voto
censitário.
Porém com o passar do tempo, começou a ficar MUITO
FRACO! Então, eles decidiram Napoleão Bonaparte para
ajuda-los que na época era um general que na guerra,
destacou-se. Derrotou a Itália, assinou a paz com a
Áustria e dirigiu a campanha do Egito contra os ingleses.
Napoleão então retirou-se secretamente do Egito.
Ao chegar na França, ele viu que o Diretório era
muito fraco, e ele não sendo bobo nem nada decide
dar um golpe no Diretório.
No dia 18 Brumário (9 de novembro) de 1799, deu
um golpe de Estado, instalando na França um
governo chamado Consulado.
Esse fato ficou conhecido como O golpe de 18
Brumário, e assim a revolução francesa chega ao
fim.
GOVERNO
NAPOLEÔNICO
O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO
Ao governar a França, Napoleão Bonaparte deu inicio a consolidação
das conquistas da burguesia no país. Além disso, empreendeu
campanhas militares que provocaram a desorganização das
monarquias absolutistas da Europa, favorecendo os movimentos
liberais.
Logo após o Golpe 18 Brumário, foi elaborada nova Constituição, que
instaurava o Consulado como forma de governo, inaugurando a Era
Napoleônica.
A chamada Era Napoleônica envolveu dois períodos:
 Consulado (1799 – 1804): caracterizado pela recuperação
econômica da França e também pela estabilização do poder político.
 Império (1804 – 1815): Napoleão Bonaparte desenvolveu sua
corrida imperialista e dominou grande parte da Europa.
O CONSULADO
No consulado, o poder Executivo era exercido por
três consules, e o legislativo ficava a cargo das
assembleias. Napoleão era o primeiro cônsul e tinha
em suas mãos amplos poderes.
Napoleão promoveu a reforma do Direito,
elaborando o código Civil Napoleônico, o que
laicização do Estado, a igualdade entre todos perante
a lei, a propriedade privada, a liberdade econômica, a
proibição das greves e da organização sindical e o
restabelecimento da escravidão nas colônias.
Napoleão fundou a Escola Normal de Paris para a
formação de professores.
Com o apoio da burguesia, em 1802, Napoleão fez
um plebiscito e tornou se cônsul vitalício.
O IMPÉRIO
Em 1804, Napoleão fez realizar um novo plebiscito, no qual 60% dos
votantes cofirmaram a instituição do regime político monárquio, e ele
tornou-se imperador da França.
No plano interno, ocorreu o incentivo á agricultura e a indústria. No
plano externo, Napoleão disputou com a Inglaterra a hegemonia
política e econômica da Europa. Em 1805, enfrentou a terceira
coligação contra a França, formada pela Inglaterra, pela Áustria, e pela
Rússia.
Para derrotar a Inglaterra, em 1806, Napoleão promulgou o decreto
de Berlim, fechando todos os portos europeus aos navios e as
mercadorias que vinham da Inglaterra, ato considerado como Bloqueio
Continental.
Os países que não aderiram ao bloqueio sofreram intervenção de
Bonaparte. O rei Fernando VII, da Espanha, foi deposto e substituído
no poder pelo irmão de Napoleão, José Bonaparte.
Napoleão dominava praticamente toda a Europa, com exceção da
Inglaterra. Tornou-se senhor absoluto da política europeia.
O FIM DO IMPÉRIO NAPOLEÔNICO
A política napoleônica começou a ser contestada até
mesmo pela burguesia. A Inglaterra intensificou seu
comércio com as colônias da América Latina, dos Estados
Unidos, e do Oriente, o Bloqueio Continental prejudicou a
economia francesa e a dos países aliados, em razão da
falta de produtos manufaturados e da paralisação dos
portos. Em 1812 a Rússia rompeu o Bloqueio.
Com a reação, em 1812, Napoleão empreendeu a
Campanha da Rússia, mobilizando um exército de quase
600 mil homens para invadir esse país. Quando o exército
francês chegou a Moscou, nada encontrou, pois o czar
havia retirado toda a população da capital e ateado fogo
na cidade. Sem abrigo e sem alimento, Napoleão resolveu
retornar a França.
Na viagem, contudo, defrontou-se com seu pior inimigo: o
inverno. Em face do frio e dos ataques russos, Napoleão
perdeu quase todo o seu exército.
A desastrosa Campanha da Rússia estimulou os países
europeus a se rebelear contra a dominação francesa. Formou-
se uma nova coligação contra a França, constituída por
Áustria, Prússia, Rússia e Inglaterra.
Era 1813, em Leipzig, Napoleão foi derrotado. Assinou o
Tratado de Fontainebleau, no seu exílio. Em fevereiro de
1815, conseguiu fugir da ilha de Elba, no Mediterrâneo, mas
não foi muito longo sendo novamente aclamado imperador. O
rei Luís XVIII, fugiu para a Bélgica. Napoleão realizou o
Governo dos Cem Dias. Foi definitivamente derrotado pelo
duque de Wellington, na Batalha de Waterloo, na Bélgica.
Aprisionado, foi deportado para a ilha de Santa Helena, onde
faleceu em 1821.
Com a derrota definitiva de Napoleão, a monarquia absolutista
foi restaurada na França, sob o governo de Luís XVIII.
REFERÊNCIAS
 Caderno de História
 Livro R.S.E.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império NapoleônicoDa Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império Napoleônicoalunoitv
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império NapoleônicoRevolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império NapoleônicoElton Zanoni
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliahistoriando
 
Revolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLaraRevolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLaraalunoitv
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesaeduardosalgdo
 
Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)alunoitv
 
Considerar este jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...
Considerar este   jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...Considerar este   jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...
Considerar este jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...alunoitv
 
_Revolução Francesa - Aula1
_Revolução Francesa - Aula1_Revolução Francesa - Aula1
_Revolução Francesa - Aula1Lela Leite
 
Revolucao francesa e era napoleônica
Revolucao francesa e era napoleônicaRevolucao francesa e era napoleônica
Revolucao francesa e era napoleônicaMaria Flores Flores
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revoluçãoCarla Teixeira
 
RevoluçãO Francesa
RevoluçãO FrancesaRevoluçãO Francesa
RevoluçãO FrancesaLianaSuzuki
 
Resumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesaResumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesaDavid Muniz
 

Mais procurados (20)

Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império NapoleônicoDa Revolução Francesa até o Império Napoleônico
Da Revolução Francesa até o Império Napoleônico
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império NapoleônicoRevolução Francesa e Império Napoleônico
Revolução Francesa e Império Napoleônico
 
Revolução Francesa
Revolução Francesa Revolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
 
Revolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLaraRevolução francesa power point - Ana CLara
Revolução francesa power point - Ana CLara
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)
 
Considerar este jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...
Considerar este   jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...Considerar este   jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...
Considerar este jv e pedro - revoluçao francesa ate o fim do imperio napole...
 
_Revolução Francesa - Aula1
_Revolução Francesa - Aula1_Revolução Francesa - Aula1
_Revolução Francesa - Aula1
 
Revolucao francesa e era napoleônica
Revolucao francesa e era napoleônicaRevolucao francesa e era napoleônica
Revolucao francesa e era napoleônica
 
As fases da revolução
As fases da revoluçãoAs fases da revolução
As fases da revolução
 
Revolucao francesa 2o ano
Revolucao francesa 2o anoRevolucao francesa 2o ano
Revolucao francesa 2o ano
 
RevoluçãO Francesa
RevoluçãO FrancesaRevoluçãO Francesa
RevoluçãO Francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Resumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesaResumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 

Destaque

Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesaprofalced04
 
www.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo AulaVídeo Aulas Apoio
 
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)Privada
 
Cruzadas, Renascimento Comercial e Urbano
Cruzadas, Renascimento Comercial e UrbanoCruzadas, Renascimento Comercial e Urbano
Cruzadas, Renascimento Comercial e UrbanoDaniel Dias
 
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era NapoleonicaSlide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonicaivonete moresco
 
Feudalismo- Baixa Idade Média
Feudalismo- Baixa Idade MédiaFeudalismo- Baixa Idade Média
Feudalismo- Baixa Idade MédiaValeria Kosicki
 
Era Napoleônica e Congresso de Viena
Era Napoleônica e Congresso de VienaEra Napoleônica e Congresso de Viena
Era Napoleônica e Congresso de Vienaisameucci
 
Diagrama - Transição feudo-capitalista
Diagrama - Transição feudo-capitalistaDiagrama - Transição feudo-capitalista
Diagrama - Transição feudo-capitalistaElton Zanoni
 
Diagrama - Baixa Idade Média
Diagrama - Baixa Idade MédiaDiagrama - Baixa Idade Média
Diagrama - Baixa Idade MédiaElton Zanoni
 
Napoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de vienaNapoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de vienaProfdaltonjunior
 
Renascimento urbano e comercial
Renascimento urbano e comercialRenascimento urbano e comercial
Renascimento urbano e comercialailguitar
 
Linha do Tempo da Idade Média Européia
Linha do Tempo da Idade Média EuropéiaLinha do Tempo da Idade Média Européia
Linha do Tempo da Idade Média EuropéiaAndré Santos Luigi
 
AS Cruzadas e o Renascimento Comercial e Urbano
AS Cruzadas e o Renascimento Comercial e UrbanoAS Cruzadas e o Renascimento Comercial e Urbano
AS Cruzadas e o Renascimento Comercial e UrbanoFelipe de Souza
 

Destaque (20)

REVOLUÇÃO FRANCESA - 1° PARTE
REVOLUÇÃO FRANCESA - 1° PARTE REVOLUÇÃO FRANCESA - 1° PARTE
REVOLUÇÃO FRANCESA - 1° PARTE
 
Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesa
 
www.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - História - O Império Napoleônico - Vídeo Aula
 
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)
 
Cruzadas, Renascimento Comercial e Urbano
Cruzadas, Renascimento Comercial e UrbanoCruzadas, Renascimento Comercial e Urbano
Cruzadas, Renascimento Comercial e Urbano
 
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era NapoleonicaSlide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
Slide trabalho historia - Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
Feudalismo- Baixa Idade Média
Feudalismo- Baixa Idade MédiaFeudalismo- Baixa Idade Média
Feudalismo- Baixa Idade Média
 
O renascimento com. e urbano
O renascimento com. e urbanoO renascimento com. e urbano
O renascimento com. e urbano
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
 
Era Napoleônica e Congresso de Viena
Era Napoleônica e Congresso de VienaEra Napoleônica e Congresso de Viena
Era Napoleônica e Congresso de Viena
 
Diagrama - Transição feudo-capitalista
Diagrama - Transição feudo-capitalistaDiagrama - Transição feudo-capitalista
Diagrama - Transição feudo-capitalista
 
Diagrama - Baixa Idade Média
Diagrama - Baixa Idade MédiaDiagrama - Baixa Idade Média
Diagrama - Baixa Idade Média
 
As cruzadas
As cruzadasAs cruzadas
As cruzadas
 
Napoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de vienaNapoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de viena
 
A Peste Negra
A Peste NegraA Peste Negra
A Peste Negra
 
Renascimento urbano e comercial
Renascimento urbano e comercialRenascimento urbano e comercial
Renascimento urbano e comercial
 
Linha do Tempo da Idade Média Européia
Linha do Tempo da Idade Média EuropéiaLinha do Tempo da Idade Média Européia
Linha do Tempo da Idade Média Européia
 
AS Cruzadas e o Renascimento Comercial e Urbano
AS Cruzadas e o Renascimento Comercial e UrbanoAS Cruzadas e o Renascimento Comercial e Urbano
AS Cruzadas e o Renascimento Comercial e Urbano
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 

Semelhante a Revolução Francesa e Governo Napoleônico

Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºBRevolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºBalunoitv
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônicoalunoitv
 
Power Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro Lima
Power Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro LimaPower Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro Lima
Power Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro Limaalunoitv
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônicoalunoitv
 
Revolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° bRevolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° balunoitv
 
Revolução francesa
Revolução francesa Revolução francesa
Revolução francesa alunoitv
 
Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico
Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônicoAmanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico
Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônicoAmandaKikuti
 
Julia e Ana Vitória
Julia e Ana VitóriaJulia e Ana Vitória
Julia e Ana Vitóriaalunoitv
 
Trabalho de História
Trabalho de HistóriaTrabalho de História
Trabalho de Históriaalunoitv
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesaceufaias
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberaisborgia
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesaalunoitv
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesaAriel Prado
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptx
Revolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptxRevolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptx
Revolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptxKarinedeParisGaspari
 
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão Wendell Leonardo .
 
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºARevolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºAalunoitv
 
_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução FrancesaLela Leite
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaalunoitv
 
Revolução Francesa João Pedro Leal 8°ano B
Revolução Francesa João Pedro Leal 8°ano BRevolução Francesa João Pedro Leal 8°ano B
Revolução Francesa João Pedro Leal 8°ano Balunoitv
 
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...alunoitv
 

Semelhante a Revolução Francesa e Governo Napoleônico (20)

Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºBRevolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
Revolução Francesa/Governo Napoleônico - Giovanna e Gabriela B. - 8ºB
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
 
Power Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro Lima
Power Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro LimaPower Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro Lima
Power Point de História - 8ºA - Nayara Hadad e Pedro Lima
 
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo NapoleônicoRevolução Francesa e Governo Napoleônico
Revolução Francesa e Governo Napoleônico
 
Revolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° bRevolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° b
 
Revolução francesa
Revolução francesa Revolução francesa
Revolução francesa
 
Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico
Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônicoAmanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico
Amanda e gabriella rev. francesa e império napoleônico
 
Julia e Ana Vitória
Julia e Ana VitóriaJulia e Ana Vitória
Julia e Ana Vitória
 
Trabalho de História
Trabalho de HistóriaTrabalho de História
Trabalho de História
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberais
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Revolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptx
Revolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptxRevolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptx
Revolução Francesa e Império Napoleônico M2.pptx
 
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
 
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºARevolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
Revolução Francesa Juliana e Stella 8ºA
 
_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa_Resumo Revolução Francesa
_Resumo Revolução Francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução Francesa João Pedro Leal 8°ano B
Revolução Francesa João Pedro Leal 8°ano BRevolução Francesa João Pedro Leal 8°ano B
Revolução Francesa João Pedro Leal 8°ano B
 
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
 

Mais de alunoitv

Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaalunoitv
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaalunoitv
 
trabalho de historia- marcela e mariana 8°B
trabalho de historia- marcela e mariana 8°Btrabalho de historia- marcela e mariana 8°B
trabalho de historia- marcela e mariana 8°Balunoitv
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaalunoitv
 
Revolução francesa ana vitoria
Revolução francesa ana vitoriaRevolução francesa ana vitoria
Revolução francesa ana vitoriaalunoitv
 
Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaalunoitv
 
Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)alunoitv
 
Revoluçao Francesa Felipe Rezende
Revoluçao Francesa Felipe RezendeRevoluçao Francesa Felipe Rezende
Revoluçao Francesa Felipe Rezendealunoitv
 
Gustavo vogel e Gabriel Avelar
Gustavo vogel e Gabriel AvelarGustavo vogel e Gabriel Avelar
Gustavo vogel e Gabriel Avelaralunoitv
 
Revoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela morais
Revoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela moraisRevoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela morais
Revoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela moraisalunoitv
 
Jose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano B
Jose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano BJose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano B
Jose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano Balunoitv
 
Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico
Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico
Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico alunoitv
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaalunoitv
 
Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)alunoitv
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesaalunoitv
 

Mais de alunoitv (16)

Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
trabalho de historia- marcela e mariana 8°B
trabalho de historia- marcela e mariana 8°Btrabalho de historia- marcela e mariana 8°B
trabalho de historia- marcela e mariana 8°B
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa ana vitoria
Revolução francesa ana vitoriaRevolução francesa ana vitoria
Revolução francesa ana vitoria
 
Revoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesaRevoluã§ã£o francesa
Revoluã§ã£o francesa
 
Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)
 
Revoluçao Francesa Felipe Rezende
Revoluçao Francesa Felipe RezendeRevoluçao Francesa Felipe Rezende
Revoluçao Francesa Felipe Rezende
 
Gustavo vogel e Gabriel Avelar
Gustavo vogel e Gabriel AvelarGustavo vogel e Gabriel Avelar
Gustavo vogel e Gabriel Avelar
 
Revoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela morais
Revoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela moraisRevoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela morais
Revoluã§ao francesa luisa alvim e gabriela morais
 
Jose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano B
Jose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano BJose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano B
Jose Gabriel Gotardo Soares e Cassiano B
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
 
Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico
Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico
Revolução francesa ate fim do Governo Napoleônico
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)Revolução francesa (1)
Revolução francesa (1)
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 

Último

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 

Último (20)

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 

Revolução Francesa e Governo Napoleônico

  • 1. REVOLUÇÃO FRANCESA E GOVERNO NAPOLEÔNICO Letícia Lucena Maria Clara Arruda Noronha 8º ano A
  • 3. O INÍCIO Com a crise econômica na Franca, os estados gerais se juntam (Assembleia dos Estados Gerais), para tentar achar uma solução para o problema.  Assim: O primeiro estado era constituído pelo clero, tinha 10% das terras da França e não pagavam impostos; o segundo estado era constituído pela nobreza, proprietária de 20% das terras do pais e não pagavam impostos; já o terceiro estado era constituído pelos burgueses, trabalhadores urbanos e camponeses. Eles eram 80% da população. Durante a assembleia, os estados logo entraram em conflito, pois o terceiro estado desejava o voto por cabeça, enquanto o primeiro e segundo estado queria o voto por classe social. Sem chegarem a um acordo, o terceiro estado se retira da Assembleia dos Estados Gerais e forma a Assembleia Nacional... Dando início assim, a Revolução Francesa. Logo depois de um tempo, essa assembleia é transformada em Asslembleia Nacional Constituinte, que tinha como objetivo elaborar uma constituição para a França. Em 13 de julho, o povo tomou as ruas de Paris. Em 14 de julho, uma imensa multidão invadiu a Bastilha, que na época era uma prisão do Estado e símbolo do poder absolutista. Essa acontecimento foi chamado de queda da Bastilha, conhecido como marco histórico da Revolução Francesa.
  • 4. A ASSEMBLEIA NACIONAL CONSTITUINTE A Assembleia Nacional Constituinte e conhecida como a primeira fase da Revolução Francesa, que durou em torno de 2 anos (1789-1791). Ela decretou novas leis e aprovou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, proclamando que os homens nascem livres e são iguais em direitos. Porém, Luís XVI não gostava da idéia de seu sendo reduzido, e por isso, não quis aceitar as medidas estabelecidas pela Assembleia. O povo parisiense revoltado com a atitude do rei, em outubro, invadiu o palácio e Versalhes, obrigando assim o mocarca a fugir do local. Por fim, em 1791, foi promulgada a Constituição que estabelecia como forma de governo a monarquia constitucional e liberal. Ficou decidida a divisão de poderes:  Executivo – exercido pelo rei;  Legislativo – exercido pela Assembleia;  Judiciário – exercido pelos juízes eleitos.
  • 5. Os membros republicanos da Assembleia acusaram o rei Luís XVI de estar traindo a revolução, e com isso a família real foi presa. A Assembleia depôs o rei e elegeu a Convenção Nacional assembleia eleita por voto universal masculino. No dia 22 de setembro, foi proclamada a República.
  • 6. A CONVENÇÃO NACIONAL Após proclamada República, os revolucionários diviram-se em:  Girondinos: grupo majoritário, representante da alta burguesia;  Jacobinos: grupo radical liderado por Robespierre, Danton e Marat. Representantes da média e pequena burguesia;  Planície: também representantes da alta burguesia. Em 21 de janeiro de 1793, o rei Luís XVI foi condenado e guilhotinado, considerado inimigo da Revolução. A república francesa começou a passar por uma série de crises (problemas). Uma delas foi o fato de que a Inglaterra liderou uma coligação contra o país, e se aliou a Espanha, Sardenha, Holanda, Nápoles, Prússia e Rússia. Nesse ambiente de crise interna e externa, a Convenção governou de forma ditatorial (ou melhor, os Jacobinos roubaram a liderança dos Girondinos e instalaram a ditadura), assim instalou-se o período conhecido como Terror (1794), chefiado por Robespierre, no qual houve violenta perseguição aos girondinos, com a morte de muitos deles, alem de nobres e da rainha Maria Antonieta.
  • 7. Em 27 de julho de 1794, Robespierre foi preso e guilhotinado pelos girondinos, terminando o Terror. Os girondinos, retornaram ao poder, elaboraram uma nova Constituição e instalaram um governo chamado Diretório.
  • 8. O DIRETÓRIO Em 1795, foi proclamada outra constituição, que instalou o novo governo: o Diretório. Manteram o regime republicano, mas aboliram as instituições criadas no período anterior. O poder Executivo foi dado a cinco diretores, escolhidos por uma Assembleia eleita por voto censitário. Porém com o passar do tempo, começou a ficar MUITO FRACO! Então, eles decidiram Napoleão Bonaparte para ajuda-los que na época era um general que na guerra, destacou-se. Derrotou a Itália, assinou a paz com a Áustria e dirigiu a campanha do Egito contra os ingleses. Napoleão então retirou-se secretamente do Egito.
  • 9. Ao chegar na França, ele viu que o Diretório era muito fraco, e ele não sendo bobo nem nada decide dar um golpe no Diretório. No dia 18 Brumário (9 de novembro) de 1799, deu um golpe de Estado, instalando na França um governo chamado Consulado. Esse fato ficou conhecido como O golpe de 18 Brumário, e assim a revolução francesa chega ao fim.
  • 11. O IMPÉRIO NAPOLEÔNICO Ao governar a França, Napoleão Bonaparte deu inicio a consolidação das conquistas da burguesia no país. Além disso, empreendeu campanhas militares que provocaram a desorganização das monarquias absolutistas da Europa, favorecendo os movimentos liberais. Logo após o Golpe 18 Brumário, foi elaborada nova Constituição, que instaurava o Consulado como forma de governo, inaugurando a Era Napoleônica. A chamada Era Napoleônica envolveu dois períodos:  Consulado (1799 – 1804): caracterizado pela recuperação econômica da França e também pela estabilização do poder político.  Império (1804 – 1815): Napoleão Bonaparte desenvolveu sua corrida imperialista e dominou grande parte da Europa.
  • 12. O CONSULADO No consulado, o poder Executivo era exercido por três consules, e o legislativo ficava a cargo das assembleias. Napoleão era o primeiro cônsul e tinha em suas mãos amplos poderes. Napoleão promoveu a reforma do Direito, elaborando o código Civil Napoleônico, o que laicização do Estado, a igualdade entre todos perante a lei, a propriedade privada, a liberdade econômica, a proibição das greves e da organização sindical e o restabelecimento da escravidão nas colônias. Napoleão fundou a Escola Normal de Paris para a formação de professores. Com o apoio da burguesia, em 1802, Napoleão fez um plebiscito e tornou se cônsul vitalício.
  • 13. O IMPÉRIO Em 1804, Napoleão fez realizar um novo plebiscito, no qual 60% dos votantes cofirmaram a instituição do regime político monárquio, e ele tornou-se imperador da França. No plano interno, ocorreu o incentivo á agricultura e a indústria. No plano externo, Napoleão disputou com a Inglaterra a hegemonia política e econômica da Europa. Em 1805, enfrentou a terceira coligação contra a França, formada pela Inglaterra, pela Áustria, e pela Rússia. Para derrotar a Inglaterra, em 1806, Napoleão promulgou o decreto de Berlim, fechando todos os portos europeus aos navios e as mercadorias que vinham da Inglaterra, ato considerado como Bloqueio Continental. Os países que não aderiram ao bloqueio sofreram intervenção de Bonaparte. O rei Fernando VII, da Espanha, foi deposto e substituído no poder pelo irmão de Napoleão, José Bonaparte. Napoleão dominava praticamente toda a Europa, com exceção da Inglaterra. Tornou-se senhor absoluto da política europeia.
  • 14. O FIM DO IMPÉRIO NAPOLEÔNICO A política napoleônica começou a ser contestada até mesmo pela burguesia. A Inglaterra intensificou seu comércio com as colônias da América Latina, dos Estados Unidos, e do Oriente, o Bloqueio Continental prejudicou a economia francesa e a dos países aliados, em razão da falta de produtos manufaturados e da paralisação dos portos. Em 1812 a Rússia rompeu o Bloqueio. Com a reação, em 1812, Napoleão empreendeu a Campanha da Rússia, mobilizando um exército de quase 600 mil homens para invadir esse país. Quando o exército francês chegou a Moscou, nada encontrou, pois o czar havia retirado toda a população da capital e ateado fogo na cidade. Sem abrigo e sem alimento, Napoleão resolveu retornar a França.
  • 15. Na viagem, contudo, defrontou-se com seu pior inimigo: o inverno. Em face do frio e dos ataques russos, Napoleão perdeu quase todo o seu exército. A desastrosa Campanha da Rússia estimulou os países europeus a se rebelear contra a dominação francesa. Formou- se uma nova coligação contra a França, constituída por Áustria, Prússia, Rússia e Inglaterra. Era 1813, em Leipzig, Napoleão foi derrotado. Assinou o Tratado de Fontainebleau, no seu exílio. Em fevereiro de 1815, conseguiu fugir da ilha de Elba, no Mediterrâneo, mas não foi muito longo sendo novamente aclamado imperador. O rei Luís XVIII, fugiu para a Bélgica. Napoleão realizou o Governo dos Cem Dias. Foi definitivamente derrotado pelo duque de Wellington, na Batalha de Waterloo, na Bélgica. Aprisionado, foi deportado para a ilha de Santa Helena, onde faleceu em 1821. Com a derrota definitiva de Napoleão, a monarquia absolutista foi restaurada na França, sob o governo de Luís XVIII.
  • 16. REFERÊNCIAS  Caderno de História  Livro R.S.E.