SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
Adolescência e identidade


         "Ser adolescente não é fácil e meus pais não percebem isso", disse-me uma garota de 15 anos,
chorando. Concordo com ela, por vários motivos. De largada, eles foram considerados "aborrecentes", uma
expressão que deve ser riscada do vocabulário, já que sugere que os jovens aborrecem os adultos com suas
crises, mudanças de humor, rebeldias etc. Com sua presença, enfim. A quem considera os adolescentes
desagradáveis, lembro que todo adulto já encarnou um, fato que costuma ser convenientemente esquecido. E
lembro, também, que é preciso entender que deixar de ser criança significa, primeiramente, perder muita
coisa.
         A ansiedade que os jovens sentem com as mudanças que ocorrem no corpo deles não é coisa pequena
nesse mundo em que a aparência é tão valorizada, por exemplo. Mas hoje vou conversar sobre o processo de
crise de identidade nessa fase.
         Os pais são o prolongamento da criança, já que tudo o que ela faz passa por eles. Perder esse apoio e
referência tão fortes provoca vulnerabilidade e é trabalhoso porque significa construir e procurar sua
própria identidade. Isso supõe testar capacidades, aprender a reconhecer limites e riscos, organizar sua
relação com o grupo e reconhecer o que quer e o que pensa, entre outros processos.
         Passar por isso com a fragilidade que os adultos vivem nesse tempo só torna as coisas ainda mais
difíceis. Essa é a crise de identidade, uma das passagens inevitáveis desse período. Para saber quem quer ser,
o adolescente precisa saber quem são seus pais. Para chegar a um local desconhecido é preciso estar bem
localizado, saber onde está e de onde veio, não é? O espírito da lei recentemente aprovada no Senado, que
permite aos filhos adotados conhecer dados de seus pais biológicos, é esse. O problema é que esse
conhecimento tem sido complicado porque muitos pais não dão rumo aos filhos.
         "Você escolhe, você é quem sabe, você decide" são expressões que os pais dizem com frequência a
filhos pequenos acreditando que, com isso, lhes dão autonomia. Não. Desse modo, negam aos filhos o
conhecimento de quem são e de onde estão e a própria condição de criança. "Sou praticamente um adulto",
ouvi um garoto de nove anos dizer. Para tornar-se adulto, o adolescente precisa passar por sua crise dentro da
família para conseguir se organizar fora dela. Por isso, os pais precisam "segurar a onda", apoiá-lo e se fazer
presentes não fisicamente sempre que o filho precisar.
         A família precisa ser continente para o filho em crise, mas muitos pais estão "caindo fora", como
dizem os jovens. Ser incapaz para se relacionar com o filho adolescente parece uma epidemia e isso só
agrega dificuldade à já difícil tarefa deles - como reclamou a garota citada -, que só colabora para o
adiamento da aquisição de uma identidade.
         Um adolescente não pode ser como uma criança, assim como um adulto não pode ser como um
adolescente. Precisamos encontrar soluções para esse duplo problema.
                                                                                                  Roseli Saião
        Atividades no caderno.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1)
Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1) Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1)
Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1) Ana Campelos
 
PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...
PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...
PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...pimpumplay
 
Como meninos e meninas pensam
Como meninos e meninas pensamComo meninos e meninas pensam
Como meninos e meninas pensamilovepao
 
Conflitos entre pais e filhos na adolescëncia
Conflitos entre pais e filhos na adolescënciaConflitos entre pais e filhos na adolescëncia
Conflitos entre pais e filhos na adolescënciaLeticia Rodrigues
 
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?Marcelo Suster
 
Grupo raquel v1
Grupo raquel v1Grupo raquel v1
Grupo raquel v1fcivic
 

Mais procurados (9)

Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1)
Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1) Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1)
Edição especial fevereiro (1) alienaçao parental (1)
 
PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...
PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...
PLAYtalk divórcio, família e crianças | intervenção com crianças e jovens de ...
 
Filhos do divórcio
Filhos do divórcioFilhos do divórcio
Filhos do divórcio
 
Como meninos e meninas pensam
Como meninos e meninas pensamComo meninos e meninas pensam
Como meninos e meninas pensam
 
Adoção tardia
Adoção tardiaAdoção tardia
Adoção tardia
 
Conflitos entre pais e filhos na adolescëncia
Conflitos entre pais e filhos na adolescënciaConflitos entre pais e filhos na adolescëncia
Conflitos entre pais e filhos na adolescëncia
 
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
Adoção: um ato supremo de caridade ou necessidade?
 
Gravidez Precoce
Gravidez PrecoceGravidez Precoce
Gravidez Precoce
 
Grupo raquel v1
Grupo raquel v1Grupo raquel v1
Grupo raquel v1
 

Destaque (14)

Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
Aula sobre Adolescência por Andréa Rosa
Aula sobre Adolescência por Andréa RosaAula sobre Adolescência por Andréa Rosa
Aula sobre Adolescência por Andréa Rosa
 
Adolescência
Adolescência Adolescência
Adolescência
 
Mãe, pai e casal na ADOLESCÊNCIA. Manual LAPREV para profissionais de saúde
Mãe, pai e casal na ADOLESCÊNCIA. Manual LAPREV para profissionais de saúdeMãe, pai e casal na ADOLESCÊNCIA. Manual LAPREV para profissionais de saúde
Mãe, pai e casal na ADOLESCÊNCIA. Manual LAPREV para profissionais de saúde
 
Quem Sou Eu
Quem Sou EuQuem Sou Eu
Quem Sou Eu
 
Identidade adolescente
Identidade adolescenteIdentidade adolescente
Identidade adolescente
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
 
Adolescência, identidade e cidadania
Adolescência, identidade  e cidadaniaAdolescência, identidade  e cidadania
Adolescência, identidade e cidadania
 
Desenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescênciaDesenvolvimento adolescência
Desenvolvimento adolescência
 
Saúde do Adolescente - sexualidade e gravidez
Saúde do Adolescente - sexualidade e gravidezSaúde do Adolescente - sexualidade e gravidez
Saúde do Adolescente - sexualidade e gravidez
 
A Construção da Identidade
A Construção da IdentidadeA Construção da Identidade
A Construção da Identidade
 
Quem sou eu?
Quem sou eu?Quem sou eu?
Quem sou eu?
 
Chegou a adolescência
Chegou a adolescênciaChegou a adolescência
Chegou a adolescência
 
A IDENTIDADE
A IDENTIDADEA IDENTIDADE
A IDENTIDADE
 

Semelhante a Adolescência e identidade

Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidadeJosiane Amaral
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidezregiav1
 
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPrimeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPatriciaOliver29
 
Apresentação livro das famílias
Apresentação livro das famíliasApresentação livro das famílias
Apresentação livro das famíliasCleverton Epormucena
 
Uma Reflexão Pessoal sobre o Filme A Pequena Miss Sunshine
Uma Reflexão Pessoal sobre o Filme  A Pequena Miss SunshineUma Reflexão Pessoal sobre o Filme  A Pequena Miss Sunshine
Uma Reflexão Pessoal sobre o Filme A Pequena Miss SunshineJemima Delgado
 
Maternidade na adolescência
Maternidade na adolescênciaMaternidade na adolescência
Maternidade na adolescênciaJoana Ferreira
 
Adolescentes Antes Da Hora
Adolescentes Antes Da HoraAdolescentes Antes Da Hora
Adolescentes Antes Da Hora-
 
Gravidez na Adolescência e Aborto
Gravidez na Adolescência e AbortoGravidez na Adolescência e Aborto
Gravidez na Adolescência e AbortoDays2Santos
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaAndré Torres
 
Crianasndigo leecarroll
Crianasndigo leecarrollCrianasndigo leecarroll
Crianasndigo leecarrollFort Vela
 

Semelhante a Adolescência e identidade (20)

Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
 
Adolecencia
AdolecenciaAdolecencia
Adolecencia
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidez
 
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamentalPrimeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
Primeira Infância e seus desafios na educação infantil e fundamental
 
Apresentação livro das famílias
Apresentação livro das famíliasApresentação livro das famílias
Apresentação livro das famílias
 
Uma Reflexão Pessoal sobre o Filme A Pequena Miss Sunshine
Uma Reflexão Pessoal sobre o Filme  A Pequena Miss SunshineUma Reflexão Pessoal sobre o Filme  A Pequena Miss Sunshine
Uma Reflexão Pessoal sobre o Filme A Pequena Miss Sunshine
 
ADOLESCÊNCIA
ADOLESCÊNCIAADOLESCÊNCIA
ADOLESCÊNCIA
 
1º série reda cem - 10.15
1º série   reda cem -  10.151º série   reda cem -  10.15
1º série reda cem - 10.15
 
Autoestima Infantil
Autoestima InfantilAutoestima Infantil
Autoestima Infantil
 
Maternidade na adolescência
Maternidade na adolescênciaMaternidade na adolescência
Maternidade na adolescência
 
Adolescência
Adolescência  Adolescência
Adolescência
 
Módulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de AdultecerMódulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de Adultecer
 
Adolescentes Antes Da Hora
Adolescentes Antes Da HoraAdolescentes Antes Da Hora
Adolescentes Antes Da Hora
 
Relacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E FilhosRelacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E Filhos
 
Gravidez na Adolescência e Aborto
Gravidez na Adolescência e AbortoGravidez na Adolescência e Aborto
Gravidez na Adolescência e Aborto
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
 
Jornalzinho do ponci nº 2
Jornalzinho do ponci  nº 2Jornalzinho do ponci  nº 2
Jornalzinho do ponci nº 2
 
Crianasndigo leecarroll
Crianasndigo leecarrollCrianasndigo leecarroll
Crianasndigo leecarroll
 
Adolescer
AdolescerAdolescer
Adolescer
 
Modulo1 unid 2 web
Modulo1 unid 2 webModulo1 unid 2 web
Modulo1 unid 2 web
 

Adolescência e identidade

  • 1. Adolescência e identidade "Ser adolescente não é fácil e meus pais não percebem isso", disse-me uma garota de 15 anos, chorando. Concordo com ela, por vários motivos. De largada, eles foram considerados "aborrecentes", uma expressão que deve ser riscada do vocabulário, já que sugere que os jovens aborrecem os adultos com suas crises, mudanças de humor, rebeldias etc. Com sua presença, enfim. A quem considera os adolescentes desagradáveis, lembro que todo adulto já encarnou um, fato que costuma ser convenientemente esquecido. E lembro, também, que é preciso entender que deixar de ser criança significa, primeiramente, perder muita coisa. A ansiedade que os jovens sentem com as mudanças que ocorrem no corpo deles não é coisa pequena nesse mundo em que a aparência é tão valorizada, por exemplo. Mas hoje vou conversar sobre o processo de crise de identidade nessa fase. Os pais são o prolongamento da criança, já que tudo o que ela faz passa por eles. Perder esse apoio e referência tão fortes provoca vulnerabilidade e é trabalhoso porque significa construir e procurar sua própria identidade. Isso supõe testar capacidades, aprender a reconhecer limites e riscos, organizar sua relação com o grupo e reconhecer o que quer e o que pensa, entre outros processos. Passar por isso com a fragilidade que os adultos vivem nesse tempo só torna as coisas ainda mais difíceis. Essa é a crise de identidade, uma das passagens inevitáveis desse período. Para saber quem quer ser, o adolescente precisa saber quem são seus pais. Para chegar a um local desconhecido é preciso estar bem localizado, saber onde está e de onde veio, não é? O espírito da lei recentemente aprovada no Senado, que permite aos filhos adotados conhecer dados de seus pais biológicos, é esse. O problema é que esse conhecimento tem sido complicado porque muitos pais não dão rumo aos filhos. "Você escolhe, você é quem sabe, você decide" são expressões que os pais dizem com frequência a filhos pequenos acreditando que, com isso, lhes dão autonomia. Não. Desse modo, negam aos filhos o conhecimento de quem são e de onde estão e a própria condição de criança. "Sou praticamente um adulto", ouvi um garoto de nove anos dizer. Para tornar-se adulto, o adolescente precisa passar por sua crise dentro da família para conseguir se organizar fora dela. Por isso, os pais precisam "segurar a onda", apoiá-lo e se fazer presentes não fisicamente sempre que o filho precisar. A família precisa ser continente para o filho em crise, mas muitos pais estão "caindo fora", como dizem os jovens. Ser incapaz para se relacionar com o filho adolescente parece uma epidemia e isso só agrega dificuldade à já difícil tarefa deles - como reclamou a garota citada -, que só colabora para o adiamento da aquisição de uma identidade. Um adolescente não pode ser como uma criança, assim como um adulto não pode ser como um adolescente. Precisamos encontrar soluções para esse duplo problema. Roseli Saião  Atividades no caderno.