SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
A Princesa e a Ervilha de Hans Christian Andersen
História contada e ilustrada pelos alunos do 4ºB da EB João de Deus
Professor Eduardo Ricardo
A princesa e a ervilha é um dos primeiros contos do dinamarquês
Resumo da história
Era uma vez um príncipe que queria encontrar uma princesa verdadeira para casar.
Mas ele via tantas princesas, que não sabia se eram verdadeiras ou não.
Até que um dia, bateram à porta. Era uma princesa que procurava abrigo.
A princesa estava toda molhada por causa de um temporal.
O príncipe levou-a para dentro.
Prepararam-lhe uma cama com vinte colchões, vinte acolchoados de penas e por
baixo, uma ervilha.
Na manhã seguinte, a princesa disse que dormira muito mal.
O príncipe percebeu então que ela era uma princesa verdadeira porque tinha sentido
a ervilha e por ter a pele tão sensível.
Diogo
Verónica
A princesa, que sou eu, e a ervilha
Havia um príncipe que queria casar, mas não encontrava princesas verdadeiras.
Então foi viajar.
Quando voltou, veio muito desconsolado.
Passado alguns dias veio uma tempestade de chuva. Tinha relâmpagos e trovões.
Como eu estava à chuva procurei abrigo e fui até ao castelo e bati à porta.
Quem me abriu a porta foi o rei. Então eu disse-lhe o que era, uma princesa
verdadeira. Eles deixaram-me dormir lá, mas puseram vinte colchões e edredões na cama
onde eu ia dormir.
Não conseguia dormir porque havia alguma coisa que me encheu de nódoas negras.
A rainha perguntou-me se tinha dormido bem, mas eu disse que tinha dormido mal,
porque estava qualquer coisa na cama que não me deixava dormir.
A rainha foi declarar ao príncipe que eu era a princesa que ele procurara.
Casamo-nos e ficamos felizes para sempre!
Irene
A minhaprincesaeaervilha
Eu sou muito esquisito e queria casar com uma princesa verdadeira. Por isso, disse
aos meus pais que viajaria. Os meus pais disseram que podia ser muito perigoso, mas eu
fui.
Princesas havia muitas, mas princesas verdadeiras eram poucas.
Eu cheguei a casa mal disposto e triste.
Nesse momento ouviu-se bater à porta, a minha mãe foi abrir. Jesus! Era uma
princesa procurando abrigo! E o aspeto dela, estava toda molhada.
Ela dizia ser uma princesa verdadeira. Eu deixei-a dormir e a minha mãe disse
sussurrando:
- Isso é o que nós vamos ver!
Eu notei que a princesa estava a gostar, por isso fui falar com ela e disse:
- Vejo que estás a gostar do palácio e és uma princesa muito bonita.
Enquanto eu falava com a princesa, a rainha foi ao quarto da rapariga e pôs na cama
uma ervilha, depois vinte colchões, mais vinte colchoados e um edredão.
Eu acreditava nela, já sabia que ela era uma verdadeira princesa.
A minha mãe foi veio ter comigo a dizer que ela era uma verdadeira princesa. Por isso
perguntei à princesa se queria casar comigo. Ela aceitou e vivemos felizes para sempre.
Pedro Neves
O casamento do meu filho e a ervilha
O meu filho queria casar. Só que não encontrava nenhuma princesa com quem
casar.
Despediu-se de mim e da corte e foi viajar pelo mundo inteiro.
Estava a chover por isso fiquei preocupado com o meu filho, mas ele voltou sem
princesa. Pelo menos não foi apanhado por ninguém…
Certa noite bateram à porta. Eu fui abrir. Estava uma pequena menina no chão e ela
armou-se dizendo que era uma princesa.
A minha mulher pôs muitos acolchoados e cobertores numa cama e disse para ela
dormir ali. Mas para que eram tantos acolchoados? A minha mulher tinha posto uma
ervilha debaixo dos imensos acolchoados.
Eu perguntei à menina se ela tinha dormido bem, mas ela disse que nem conseguiu
fechar o olho e tinha muitas nódoas negras.
A minha mulher disse que ela era uma princesa verdadeira porque tinha uma pele
muito sensível e só as princesas é que a têm.
O meu filho está satisfeito e foi assim que ele encontrou uma princesa para casar e
viver neste reino e reinar até ter um filho, que vai ser o meu neto. E ele vai ter uma
grande aventura para ser um belo rei e depois ter outro filho para este reino reinar.
Mas ainda há muita coisa para fazer até chegar a esse ponto. O meu neto nem
sequer nasceu…
João Pedro
Leonor
A Princesa, a ervilha e o meu filho
Havia um castelo belíssimo onde nós vivemos. O meu filho nasceu no castelo e
cresceu, cresceu e ficou grande e eu tornei- me rainha e ele um príncipe.
O meu filho queria casar e já era a altura de ele casar.
Eu e o rei deixámo-lo casar e então ele despediu-se da corte e de mim e do rei e levou
uns bolos que as pessoas fizeram.
O meu filho percorreu o mundo inteiro à procura de uma princesa.
Quando chegou a casa, chegou triste e chateado porque não encontrou nenhuma
princesa.
Nós todos aquecemo-nos porque os relâmpagos aumentavam e acabámos por
adormecer.
Passados cinco minutos, ouvimos alguém a bater à porta e levantei-me, chamei o
meu marido e ele abriu a porta e viu uma menina molhada, mas belíssima.
Chamou o meu filho e ele apaixonou-se e levou-a ao quarto.
Eu disse que tomava conta dela, e ele foi dormir.
Eu disse para um senhor do castelo levar a menina a conhecer o castelo.
Tirei tudo da cama, pus uma ervilha e vinte colchões por cima.
O senhor deu-lhe um banho cheiroso, ela foi para a cama e, no dia seguinte perguntei
se ela tinha dormido bem.
Ela disse que dormiu mal e eu avisei o meu filho de que ela era uma princesa
verdadeira.
Fizemos um banquete e no dia seguinte eles casaram e, passados muitos anos, fui
avó.
Ana Filipa
A Princesa e a Ervilha, que sou eu
No meu palácio havia um rei, uma rainha e um príncipe que queria casar com uma
princesa verdadeira, mas não encontrava nada.
Eu, ervilha, queria que ele encontrasse alguém porque estava farta de o ouvir a
dizer:
- Eu quero casar e é agora!
Foi assim que o príncipe foi dar uma volta pelo mundo inteiro.
Quando voltou disse:
- Não encontrei nada.
Certo dia vi uma princesa, que bateu à porta porque queria encontrar abrigo e por
isso bateu à porta do meu palácio.
Foram abrir o portão e depois a família veio. Ela tinha a água a atravessá-la porque
era noite de tempestade e estava a chover e também a trovejar.
Acolheram-na e, enquanto eu estava a ver ”Star Wars” é o “Rogue One”, tive de pôr
em pausa para me levarem para um quarto e depois puseram-me debaixo de quarenta
coisas.
No quarto da princesa eu estava a sufocar com os lençóis.
Ela sentou o seu rabo em cima de mim. Que infeliz que eu sou. O que valeu foi que
estava a ver o filme, o mesmo de há bocado, a comer pipocas, umas colas e o resto é
privado.
De noite nem preguei o olho. Foi uma noite terrível! Terrível!
Eu ouvi que de manhã a minha dona disse:
- Dormi que nem um anjinho com o meu pombinho, e tu?
- Não, o rímel não me saiu, e senti a ervilha.
- Quero eu lá saber - disse a rainha - estou a gozar com a tua cara.
Eu disse-lhes que também foi uma noite de sonhos para mim.
A rainha disse ao filho que a princesa era apropriada para ele.
Casaram e os filhos deles são muito fofinhos.
Mas, aqui entre nós, ela é feia. Não digam nada a ninguém.
José
Turma 4ºB
professor Eduardo Ricardo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantarA ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantarOfelia Liborio
 
O Coelhinho que não era de Páscoa
O Coelhinho que não era de PáscoaO Coelhinho que não era de Páscoa
O Coelhinho que não era de PáscoaPatricia Carvalho
 
O menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopaO menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopaDébora Frazao
 
A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!silviaholanda
 
Tudobemserdiferente
Tudobemserdiferente Tudobemserdiferente
Tudobemserdiferente Lenir Moraes
 
A princesa e o sapo
A princesa e o sapoA princesa e o sapo
A princesa e o sapoSuzy Santana
 
Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!LRede
 
O Patinho Feio
O Patinho FeioO Patinho Feio
O Patinho Feioguesta03b6
 
Mais Lengalengas
Mais LengalengasMais Lengalengas
Mais LengalengasLuis Rolhas
 
Ficheiro de lingua port-histórias através de imagens
Ficheiro de lingua port-histórias através de imagensFicheiro de lingua port-histórias através de imagens
Ficheiro de lingua port-histórias através de imagensAna Paula Santos
 
As vacas não voam
As vacas não voamAs vacas não voam
As vacas não voamjleiteg
 
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação Lorena Lopes
 
Leónia devora os livros[1]
Leónia devora os livros[1]Leónia devora os livros[1]
Leónia devora os livros[1]Li Tagarelinhas
 
A maior flor do mundo ficha de trabalho
A maior flor do mundo   ficha de trabalhoA maior flor do mundo   ficha de trabalho
A maior flor do mundo ficha de trabalhorosamfsilva
 
Manual de 28 palavras
Manual de 28 palavrasManual de 28 palavras
Manual de 28 palavrassarafaleiro
 
De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-
De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-
De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-Raquel Caparroz
 
75746399 roteiro-de-peter-pan
75746399 roteiro-de-peter-pan75746399 roteiro-de-peter-pan
75746399 roteiro-de-peter-panKelen Machado
 

Mais procurados (20)

A ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantarA ovelhinha-que-veio-para-jantar
A ovelhinha-que-veio-para-jantar
 
O Coelhinho que não era de Páscoa
O Coelhinho que não era de PáscoaO Coelhinho que não era de Páscoa
O Coelhinho que não era de Páscoa
 
Sapo apaixonado - atividades
Sapo apaixonado - atividades Sapo apaixonado - atividades
Sapo apaixonado - atividades
 
O menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopaO menino que não gostava de sopa
O menino que não gostava de sopa
 
A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!A menina que odiava ler livros!
A menina que odiava ler livros!
 
Tudobemserdiferente
Tudobemserdiferente Tudobemserdiferente
Tudobemserdiferente
 
A princesa e o sapo
A princesa e o sapoA princesa e o sapo
A princesa e o sapo
 
Casos de leitura
Casos de leituraCasos de leitura
Casos de leitura
 
Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!Era uma vez... Não foi bem assim!
Era uma vez... Não foi bem assim!
 
O Patinho Feio
O Patinho FeioO Patinho Feio
O Patinho Feio
 
O príncipe sapo
O príncipe sapoO príncipe sapo
O príncipe sapo
 
Mais Lengalengas
Mais LengalengasMais Lengalengas
Mais Lengalengas
 
Ficheiro de lingua port-histórias através de imagens
Ficheiro de lingua port-histórias através de imagensFicheiro de lingua port-histórias através de imagens
Ficheiro de lingua port-histórias através de imagens
 
As vacas não voam
As vacas não voamAs vacas não voam
As vacas não voam
 
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
Conto: A princesa e o sapo Leitura e interpretação
 
Leónia devora os livros[1]
Leónia devora os livros[1]Leónia devora os livros[1]
Leónia devora os livros[1]
 
A maior flor do mundo ficha de trabalho
A maior flor do mundo   ficha de trabalhoA maior flor do mundo   ficha de trabalho
A maior flor do mundo ficha de trabalho
 
Manual de 28 palavras
Manual de 28 palavrasManual de 28 palavras
Manual de 28 palavras
 
De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-
De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-
De que-tamanho-é-o-pé-do-rei-
 
75746399 roteiro-de-peter-pan
75746399 roteiro-de-peter-pan75746399 roteiro-de-peter-pan
75746399 roteiro-de-peter-pan
 

Semelhante a A princesa e a ervilha 4ºb

A princesa e a ervilha conto
A princesa e a ervilha  contoA princesa e a ervilha  conto
A princesa e a ervilha contoLuísa Marques
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilhavera1979
 
A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaSuzy Santana
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, característicasHelena Coutinho
 
Adivinhas, lengalengas...
Adivinhas, lengalengas...Adivinhas, lengalengas...
Adivinhas, lengalengas...Nome Sobrenome
 
Brochura de Atividades Educativas
Brochura de Atividades EducativasBrochura de Atividades Educativas
Brochura de Atividades EducativasAna Pacheco
 
Histórias, Poesias...
Histórias, Poesias...Histórias, Poesias...
Histórias, Poesias...Maria Pinto
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anõesBranca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anõesFilipa Cunha
 
Branca de neve
Branca de neveBranca de neve
Branca de neveIris Silva
 
A princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineira
A princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineiraA princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineira
A princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineiraRoseli Aparecida Tavares
 
Minha webquest
Minha webquestMinha webquest
Minha webquestVPS1
 

Semelhante a A princesa e a ervilha 4ºb (20)

A princesa e a ervilha conto
A princesa e a ervilha  contoA princesa e a ervilha  conto
A princesa e a ervilha conto
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilha
 
A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Historias Etc
Historias EtcHistorias Etc
Historias Etc
 
A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
 
1.conto, características
1.conto, características1.conto, características
1.conto, características
 
Adivinhas, lengalengas...
Adivinhas, lengalengas...Adivinhas, lengalengas...
Adivinhas, lengalengas...
 
Brochura de Atividades Educativas
Brochura de Atividades EducativasBrochura de Atividades Educativas
Brochura de Atividades Educativas
 
Historias etc
Historias etcHistorias etc
Historias etc
 
Historias etc[1]
Historias etc[1]Historias etc[1]
Historias etc[1]
 
Historias etc
Historias etcHistorias etc
Historias etc
 
Histórias, Poesias...
Histórias, Poesias...Histórias, Poesias...
Histórias, Poesias...
 
Lengalenga
LengalengaLengalenga
Lengalenga
 
Branca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anõesBranca de neve e os sete anões
Branca de neve e os sete anões
 
Livro 2 b
Livro 2 bLivro 2 b
Livro 2 b
 
Branca de neve
Branca de neveBranca de neve
Branca de neve
 
A princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineira
A princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineiraA princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineira
A princesa e a ervilha e caça palavras Oh jardineira
 
Dial5cp pg14 15
Dial5cp pg14 15Dial5cp pg14 15
Dial5cp pg14 15
 
Minha webquest
Minha webquestMinha webquest
Minha webquest
 

Mais de IsabelPereira2010

DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...IsabelPereira2010
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfIsabelPereira2010
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfIsabelPereira2010
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdfIsabelPereira2010
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdfDeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfIsabelPereira2010
 
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdfDeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdfIsabelPereira2010
 

Mais de IsabelPereira2010 (20)

DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
DeClara n.º 75 Abril 2024 - O Jornal digital do Agrupamento de Escolas Clara ...
 
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECRDeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
DeClara n.º 74 março 2024. O Jornal digital do AECR
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdfDeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
DeClara n.º72 janeiro 2024.pdf
 
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdfreferenciaL Aprender Media dez2023.pdf
referenciaL Aprender Media dez2023.pdf
 
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdfDeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
DeClara n.º71 dezembro 2023.pdf
 
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdfDeClara n.º70 novembro 2023.pdf
DeClara n.º70 novembro 2023.pdf
 
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdfDeClara n.º69 outubro 2023.pdf
DeClara n.º69 outubro 2023.pdf
 
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdfDeClara n.º68 setembro 2023.pdf
DeClara n.º68 setembro 2023.pdf
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 1_2023.pdf
 
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdfRumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
Rumos a Oeste_cfepo Revista 2 julho 2023.pdf
 
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdfPropostas_RBE_2023_2024.pdf
Propostas_RBE_2023_2024.pdf
 
Prioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdfPrioridades 2023-2024.pdf
Prioridades 2023-2024.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdfDeClara n.º 67 julho 2023.pdf
DeClara n.º 67 julho 2023.pdf
 
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdfDeClara n.º 66 junho 2023.pdf
DeClara n.º 66 junho 2023.pdf
 
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdfDeClara n.º 65 maio 2023.pdf
DeClara n.º 65 maio 2023.pdf
 
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdfDeClara n.º 64 abril 2023.pdf
DeClara n.º 64 abril 2023.pdf
 
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdfDeClara n.º 63 março 2023.pdf
DeClara n.º 63 março 2023.pdf
 
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdfDeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
DeClara n.º 62 fevereiro 2023.pdf
 

Último

APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docxSílvia Carneiro
 

Último (20)

APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 

A princesa e a ervilha 4ºb

  • 1. A Princesa e a Ervilha de Hans Christian Andersen História contada e ilustrada pelos alunos do 4ºB da EB João de Deus Professor Eduardo Ricardo A princesa e a ervilha é um dos primeiros contos do dinamarquês Resumo da história Era uma vez um príncipe que queria encontrar uma princesa verdadeira para casar. Mas ele via tantas princesas, que não sabia se eram verdadeiras ou não. Até que um dia, bateram à porta. Era uma princesa que procurava abrigo. A princesa estava toda molhada por causa de um temporal. O príncipe levou-a para dentro. Prepararam-lhe uma cama com vinte colchões, vinte acolchoados de penas e por baixo, uma ervilha. Na manhã seguinte, a princesa disse que dormira muito mal. O príncipe percebeu então que ela era uma princesa verdadeira porque tinha sentido a ervilha e por ter a pele tão sensível. Diogo
  • 2. Verónica A princesa, que sou eu, e a ervilha Havia um príncipe que queria casar, mas não encontrava princesas verdadeiras. Então foi viajar. Quando voltou, veio muito desconsolado. Passado alguns dias veio uma tempestade de chuva. Tinha relâmpagos e trovões. Como eu estava à chuva procurei abrigo e fui até ao castelo e bati à porta. Quem me abriu a porta foi o rei. Então eu disse-lhe o que era, uma princesa verdadeira. Eles deixaram-me dormir lá, mas puseram vinte colchões e edredões na cama onde eu ia dormir. Não conseguia dormir porque havia alguma coisa que me encheu de nódoas negras. A rainha perguntou-me se tinha dormido bem, mas eu disse que tinha dormido mal, porque estava qualquer coisa na cama que não me deixava dormir. A rainha foi declarar ao príncipe que eu era a princesa que ele procurara. Casamo-nos e ficamos felizes para sempre! Irene
  • 3. A minhaprincesaeaervilha Eu sou muito esquisito e queria casar com uma princesa verdadeira. Por isso, disse aos meus pais que viajaria. Os meus pais disseram que podia ser muito perigoso, mas eu fui. Princesas havia muitas, mas princesas verdadeiras eram poucas. Eu cheguei a casa mal disposto e triste. Nesse momento ouviu-se bater à porta, a minha mãe foi abrir. Jesus! Era uma princesa procurando abrigo! E o aspeto dela, estava toda molhada. Ela dizia ser uma princesa verdadeira. Eu deixei-a dormir e a minha mãe disse sussurrando: - Isso é o que nós vamos ver! Eu notei que a princesa estava a gostar, por isso fui falar com ela e disse: - Vejo que estás a gostar do palácio e és uma princesa muito bonita. Enquanto eu falava com a princesa, a rainha foi ao quarto da rapariga e pôs na cama uma ervilha, depois vinte colchões, mais vinte colchoados e um edredão. Eu acreditava nela, já sabia que ela era uma verdadeira princesa. A minha mãe foi veio ter comigo a dizer que ela era uma verdadeira princesa. Por isso perguntei à princesa se queria casar comigo. Ela aceitou e vivemos felizes para sempre. Pedro Neves O casamento do meu filho e a ervilha O meu filho queria casar. Só que não encontrava nenhuma princesa com quem casar. Despediu-se de mim e da corte e foi viajar pelo mundo inteiro. Estava a chover por isso fiquei preocupado com o meu filho, mas ele voltou sem princesa. Pelo menos não foi apanhado por ninguém… Certa noite bateram à porta. Eu fui abrir. Estava uma pequena menina no chão e ela armou-se dizendo que era uma princesa.
  • 4. A minha mulher pôs muitos acolchoados e cobertores numa cama e disse para ela dormir ali. Mas para que eram tantos acolchoados? A minha mulher tinha posto uma ervilha debaixo dos imensos acolchoados. Eu perguntei à menina se ela tinha dormido bem, mas ela disse que nem conseguiu fechar o olho e tinha muitas nódoas negras. A minha mulher disse que ela era uma princesa verdadeira porque tinha uma pele muito sensível e só as princesas é que a têm. O meu filho está satisfeito e foi assim que ele encontrou uma princesa para casar e viver neste reino e reinar até ter um filho, que vai ser o meu neto. E ele vai ter uma grande aventura para ser um belo rei e depois ter outro filho para este reino reinar. Mas ainda há muita coisa para fazer até chegar a esse ponto. O meu neto nem sequer nasceu… João Pedro Leonor
  • 5. A Princesa, a ervilha e o meu filho Havia um castelo belíssimo onde nós vivemos. O meu filho nasceu no castelo e cresceu, cresceu e ficou grande e eu tornei- me rainha e ele um príncipe. O meu filho queria casar e já era a altura de ele casar. Eu e o rei deixámo-lo casar e então ele despediu-se da corte e de mim e do rei e levou uns bolos que as pessoas fizeram. O meu filho percorreu o mundo inteiro à procura de uma princesa. Quando chegou a casa, chegou triste e chateado porque não encontrou nenhuma princesa. Nós todos aquecemo-nos porque os relâmpagos aumentavam e acabámos por adormecer. Passados cinco minutos, ouvimos alguém a bater à porta e levantei-me, chamei o meu marido e ele abriu a porta e viu uma menina molhada, mas belíssima. Chamou o meu filho e ele apaixonou-se e levou-a ao quarto. Eu disse que tomava conta dela, e ele foi dormir. Eu disse para um senhor do castelo levar a menina a conhecer o castelo. Tirei tudo da cama, pus uma ervilha e vinte colchões por cima. O senhor deu-lhe um banho cheiroso, ela foi para a cama e, no dia seguinte perguntei se ela tinha dormido bem. Ela disse que dormiu mal e eu avisei o meu filho de que ela era uma princesa verdadeira. Fizemos um banquete e no dia seguinte eles casaram e, passados muitos anos, fui avó. Ana Filipa
  • 6. A Princesa e a Ervilha, que sou eu No meu palácio havia um rei, uma rainha e um príncipe que queria casar com uma princesa verdadeira, mas não encontrava nada. Eu, ervilha, queria que ele encontrasse alguém porque estava farta de o ouvir a dizer: - Eu quero casar e é agora! Foi assim que o príncipe foi dar uma volta pelo mundo inteiro. Quando voltou disse: - Não encontrei nada. Certo dia vi uma princesa, que bateu à porta porque queria encontrar abrigo e por isso bateu à porta do meu palácio. Foram abrir o portão e depois a família veio. Ela tinha a água a atravessá-la porque era noite de tempestade e estava a chover e também a trovejar. Acolheram-na e, enquanto eu estava a ver ”Star Wars” é o “Rogue One”, tive de pôr em pausa para me levarem para um quarto e depois puseram-me debaixo de quarenta coisas. No quarto da princesa eu estava a sufocar com os lençóis. Ela sentou o seu rabo em cima de mim. Que infeliz que eu sou. O que valeu foi que estava a ver o filme, o mesmo de há bocado, a comer pipocas, umas colas e o resto é privado. De noite nem preguei o olho. Foi uma noite terrível! Terrível! Eu ouvi que de manhã a minha dona disse: - Dormi que nem um anjinho com o meu pombinho, e tu? - Não, o rímel não me saiu, e senti a ervilha. - Quero eu lá saber - disse a rainha - estou a gozar com a tua cara. Eu disse-lhes que também foi uma noite de sonhos para mim. A rainha disse ao filho que a princesa era apropriada para ele. Casaram e os filhos deles são muito fofinhos. Mas, aqui entre nós, ela é feia. Não digam nada a ninguém. José Turma 4ºB professor Eduardo Ricardo