SlideShare uma empresa Scribd logo
O PODER DE JESUS
SOBRE A NATUREZA
E OS DEMÔNIOS
2º Trimestre de
2015
Lição 8
Pr. Moisés Sampaio de Paula
TEXTO ÁUREO
Pr. Moisés Sampaio de Paula 2
"E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E
eles, temendo, maravilharam-se, dizendo
uns aos outros: Quem é este, que até aos
ventos e à água manda, e lhe
obedecem?"
(Lc 8.25)
VERDADE PRÁTICA
Pr. Moisés Sampaio de Paula 3
Ao mostrarem o poder de Jesus
sobre as forças naturais e
sobrenaturais, as Escrituras
sublinham sua natureza divina e
identidade messiânica.
OBJETIVO GERAL
• Jesus, como o Filho de Deus, tem
poder sobre a natureza e os seres
espirituais.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 4
OBJETIVOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 5
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
• Destacar o aspecto sobrenatural da pessoa de Jesus.
• Apresentar a realidade bíblica da existência dos demônios.
• Explicar o aspecto limitado dos demônios.
• Mostrar que a obra de Jesus é oposta à dos demônios.
Interagindo com o Professor
Pr. Moisés Sampaio de Paula 6
• Caro professor, sobre a pessoa de Jesus, a Bíblia diz: "De sorte que haja em
vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo
em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-
se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos
homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo
obediente até à morte e morte de cruz" (Fp 2.5-8). Esse texto ressalta a
dimensão humana de Jesus, o Deus que se tornou homem. Entretanto, a
sua natureza humana não se confunde com a divina: "Pelo que também
Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o
nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos
céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo
é o Senhor, para glória de Deus Pai" (Fp 2.9-11). Assim, a presente lição
objetiva demonstrar o poder de Jesus Cristo sobre a Criação e sobre os
demônios. Ele, o Filho, estava presente quando da criação de todas as
coisas (Jo 1.1-3).
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
1. Poder sobre a natureza.
2. Poder sobre os demônios.
II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS
1. Uma realidade bíblica.
2. Uma realidade experimental.
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
1. Jesus e a oposição dos demônios.
2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
Esboço da Lição
Pr. Moisés Sampaio de Paula 7
Ponto Central
• Embora as forças
espirituais do mal pareçam
maiores que nós, Jesus é
mais poderoso do que
todas elas. Ele é soberano!
Pr. Moisés Sampaio de Paula 8
Uma pergunta
• Os demônios existem?
Pr. Moisés Sampaio de Paula 9
INTRODUÇÃO
Pr. Moisés Sampaio de Paula 10
• Nesta lição, estudaremos os relatos que mostram o poder de
Jesus sobre as forças da natureza e, também, sobre os
demônios.
• Até aqui os discípulos já tinham visto Jesus curando doentes e
libertando pessoas oprimidas pelo Diabo. Todavia, eles ainda
não haviam visto o Mestre dominando as forças da natureza,
nem tampouco alguém que andava nu e vivia nos sepulcros ser
devolvido ao seu convívio familiar.
• Estes fatos ocorreram quando Jesus acalmou uma tempestade
e libertou o endemoninhado gadareno. Em ambos os relatos,
vemos as manifestações do poder e da misericórdia de nosso
Senhor, que sempre procurou o bem do homem, nem que
para isso fosse necessário repreender as leis físicas do
Universo ou quebrar o poder de Satanás.
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
1. Poder sobre a natureza.
2. Poder sobre os demônios.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 11
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 12
1. Poder sobre a natureza.
• Até este ponto, Lucas já havia
mostrado Jesus exercendo
poder sobre demônios e
enfermidades (Lc 4.31-44).
• Agora, ele o mostra
exercendo o seu poder
sobre as forças da
natureza (Lc 8.23-25).
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 13
1. Poder sobre a natureza.
• A tempestade surge, aqui, como uma força impessoal revelando que
a harmonia original da criação se perdeu. Nesse momento, ela se
levanta como uma força poderosa que precisa ser detida.
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 14
1. Poder sobre a natureza.
• Ao receber a voz de comando
do Filho de Deus, as forças
descontroladas da natureza
param.
• Jesus põe ordem no caos. A
cena foi tão dramática para os
discípulos, que arrancou deles
a pergunta: "Quem é este que
até aos ventos e a água
manda?"
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 15
1. Poder sobre a natureza.
• Jesus põe ordem no caos. A cena foi tão dramática
para os discípulos, que arrancou deles a pergunta:
"Quem é este que até aos ventos e a água manda?"
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 16
2. Poder sobre os demônios.
• Se a natureza é uma
força impessoal, o
mesmo não pode se
dizer do Diabo.
• A Bíblia mostra que ele é
um ser pessoal, isto é,
dotado de
personalidade.
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 17
2. Poder sobre os demônios.
• Jesus e seus discípulos tiveram
que enfrentá-lo muitas vezes.
• Ainda quando descrevia o relato
da tentação de Cristo, Lucas
informa que Satanás ausentou-
se de Jesus "por algum tempo"
(Lc 4.13).
• Jesus derrotou o Diabo na
tentação do deserto, mas depois
disso teve outros embates com
ele.
I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 18
2. Poder sobre os demônios.
• De fato, a Escritura registra vários
casos de pessoas oprimidas e
possessas de demônios que
tiveram um encontro com Jesus e
seus discípulos (Lc 4.33-37,41;
6.18; 7.21; 8.27; 9.39; 10.17-19;
11.14; 13.11).
• Em todos os casos, tais pessoas
foram libertas e Satanás derrotado.
SINOPSE DO TÓPICO (1)
Pr. Moisés Sampaio de Paula 19
Jesus tem poder sobre a
natureza e sobre os
demônios.
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Pr. Moisés Sampaio de Paula 20
• Prezado professor, importa ressaltar neste tópico o aspecto divino e humano de
Jesus. Divino porque Ele dá ordem à Criação. Embora achado na forma de homem,
Jesus Cristo controlou a tempestade, revelando não apenas o seu lado divino, mas
humano também. Nosso Senhor sente compaixão das pessoas que necessitam do
seu socorro. Ele compungiu-se com a situação do jovem possesso por demônios,
pois desejou trazê-lo de volta ao seu estado de juízo perfeito. Jesus devolveu
aquele jovem para ele mesmo, para a sua família e para a sociedade.
• Outro ponto importante a destacar neste tópico é que o apaziguamento da
tempestade é a primeira de uma série de quatro milagres no capítulo 8 de Lucas:
Jesus apazigua a tempestade (8.22-25); liberta o endemoninhado de Gadara (8.26-
39); ressuscita a filha de Jairo (8.40-42,49-56); e cura a mulher com fluxo
hemorrágico (8.43-48).
CONHEÇA MAIS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 21
*A terra dos gadarenos
"A terra dos gadarenos era uma região a sudeste
do mar da Galileia, fazia parte da Decápolis.
Estas eram cidades gregas que não pertenciam a
um país, eram autônomas. Embora os judeus
não criassem porcos, porque a religião judaica
os considerava imundos, os gentios não tinham
tal conceito" (Bíblia de Estudo Aplicação
Pessoal, CPAD, p. 1365.)
II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS
1. Uma realidade bíblica.
2. Uma realidade experimental.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 22
II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS
• A Bíblia desconhece a ideia de
um Diabo mitológico ou que é
um produto da cultura humana.
• Nas Escrituras, Satanás e seus
demônios são mostrados como
seres reais.
• Uma das mais poderosas armas
usadas pelo Diabo é tentar
mostrar que ele não existe.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 23
1. Uma realidade bíblica.
II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS
• A Bíblia, no entanto, trata
Satanás e seus demônios como
seres dotados de pessoalidade.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 24
1. Uma realidade bíblica.
• O próprio Cristo enfrentou
pessoalmente Satanás no deserto e
o derrotou (Lc 4.1-13).
• Jesus também revelou que o Diabo
possui um reino e que trabalha de
forma organizada (Lc 11.18).
II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS
• Tal reino é tão "organizado"
que o apóstolo Paulo mostra
que esse reino maligno está
organizado de forma
hierárquica (Ef 6.10-12).
Pr. Moisés Sampaio de Paula 25
1. Uma realidade bíblica.
II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS
• Na Palestina do primeiro
século, a presença de pessoas
oprimidas ou possuídas por
demônios era uma realidade do
dia a dia.
• No Evangelho de Lucas,
encontramos dezenas de textos
mostrando essa verdade (Lc
4.41; 6.18).
Pr. Moisés Sampaio de Paula 26
2. Uma realidade experimental.
II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS
• Lucas diz que Jesus curou muitos
de moléstias (Lc 7.21).
• Além disso, registra ainda que
Jesus repreendeu espíritos
imundos (Lc 9.42); e que via a
queda de Satanás em cada
demônio que era expulso (Lc 10.
17,18).
• À luz da Bíblia, não há, pois, como
negar a realidade dos demônios.Pr. Moisés Sampaio de Paula 27
2. Uma realidade experimental.
SINOPSE DO TÓPICO (2)
Pr. Moisés Sampaio de Paula 28
A Bíblia descreve o Diabo
como um ser real e
experimental.
SUBSÍDIO DIDÁTICO
Pr. Moisés Sampaio de Paula 29
• Professor, após expor o respectivo tópico, sugerimos que faça
as seguintes considerações: um homem possesso por
demônio foi reduzido a um nível subumano. Ele andava nu, e
vivia em lugares lúgubres. Os demônios entraram em sua
personalidade a ponto de distorcê-la e torná-la descontrolada
quanto à realidade espiritual. Eles tiraram toda a sua sanidade
e, quando o tomavam, não havia quem pudesse contê-lo. Ele
esmiuçava todas as correntes que intentavam dominá-lo.
• Por fim, mostre neste tópico que a Bíblia fala claramente
sobre a realidade do mundo espiritual e da forma de o Diabo
trabalhar. Mas com olhar de amor e de misericórdia, o nosso
Senhor está disponível a salvar-nos de tal realidade sombria.
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
1. Jesus e a oposição dos demônios.
2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 30
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
• O caso da libertação do
endemoninhado, que
ocorre logo após Jesus
acalmar a tempestade, é
um dos muitos relatos que
mostra como os demônios
entraram em rota de colisão
com Jesus: "Que tenho eu
contigo Jesus, Filho do Deus
Altíssimo? Peço-te que não
me atormentes" (Lc 8.28),
disse o espírito maligno.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 31
1. Jesus e a oposição dos demônios
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
• Isso era esperado que
acontecesse por causa da
própria natureza da missão
de Jesus, que é destruir as
obras do Diabo (1 Jo 3.8).
Pr. Moisés Sampaio de Paula 32
1. Jesus e a oposição dos demônios
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula 33
1. Jesus e a oposição dos demônios
Essa missão também foi confiada aos
seus discípulos (Mt 10.1; Lc 9.1)
posteriormente posta em
prática por sua igreja (At
5.16; 8.6,7).
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
• Quando questionado sobre ter
curado no sábado uma mulher
com um espírito de enfermidade,
Jesus respondeu:
• " E não convinha soltar desta
prisão, no dia de sábado, esta
filha de Abraão, a qual há dezoito
anos Satanás mantinha presa?"
(Lc 13.16).
Pr. Moisés Sampaio de Paula 34
2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
• O verbo grego traduzido como
"libertar" é luo, e significa, nesse
contexto, "livrar de laços",
"desamarrar", "tornar livre".
• Jesus veio para libertar os cativos
do Diabo.
• Essa libertação é, também, tida
como uma cura ou livramento do
poder do mal (Lc 6.18).
Pr. Moisés Sampaio de Paula 35
2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS
• A palavra "curados" traduz o grego therapeuo, de onde
vem o vocábulo português terapia, e significa "sarar",
"curar", "restaurar a saúde".
• Ao libertar dos demônios, Jesus trata, também, de todos os
efeitos colaterais (Lc 10.19).
Pr. Moisés Sampaio de Paula 36
2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
SINOPSE DO TÓPICO (3)
Pr. Moisés Sampaio de Paula 37
A natureza dos demônios
declara que eles são seres
criados, limitados,
espirituais, malignos e
imundos.
Conclusão
• Quer as forças descontroladas sejam pessoais
ou impessoais, Jesus possui poder sobre todas
elas.
• Em um mundo que nos parece inóspito, onde
forças sobrenaturais se mostram maiores do que
nós, temos a confiança que Deus está no
controle de tudo.
Pr. Moisés Sampaio de Paula 38
Perguntas
Pr. Moisés Sampaio de Paula 39
De que forma a lição retrata o poder absoluto de Jesus?
Essa pergunta busca ressaltar como o texto bíblico demonstra Jesus
absolutamente poderoso. Nesse sentido, a imagem dEle dominando a
natureza e libertando o endemoninhado retrata fielmente tal poder.
O Diabo é um ser pessoal?
Sim, pois a Bíblia trata Satanás e os demônios como seres dotados de
pessoalidade.
Como as Escrituras Sagradas mostram Satanás e seus demônios?
Como seres criados. Tanto Satanás quanto seus demônios possuem poderes
limitados. E também, seres imundos e perversos.
À luz da Bíblia, há como negar a realidade dos demônios?
Não. A Bíblia mostra que eles são seres espirituais e reais.
Qual o significado do vocábulo "terapia"?
Significa sarar, curar, restaurar a saúde. Jesus tem poder para restaurar a
nossa saúde física, emocional e espiritual.
Pr. Moisés Sampaio
Pr. Moisés Sampaio de Paula 40
• Pastor auxiliar da Igreja Assembleia de
Deus em Rio Branco, AC, Brasil.
• Palestrante de seminários e pregador
no Brasil e exterior.
• Contato

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de DeusLição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Éder Tomé
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Éder Tomé
 
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igrejaComo remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Renize Lima
 
109513320 apostila-de-libertacao-office-2003
109513320 apostila-de-libertacao-office-2003109513320 apostila-de-libertacao-office-2003
109513320 apostila-de-libertacao-office-2003
George Átila Moreira
 
Os três campos de batalha parte 1 - NA MENTE
Os três campos de batalha   parte 1 - NA MENTEOs três campos de batalha   parte 1 - NA MENTE
Os três campos de batalha parte 1 - NA MENTE
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
Wander Sousa
 
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
yosseph2013
 
Escatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutórioEscatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutório
Viva a Igreja
 
Nome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoas
Nome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoasNome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoas
Nome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoas
GILMAR BASTOS
 
Curso de batalha espiritual
Curso de batalha  espiritualCurso de batalha  espiritual
Curso de batalha espiritual
ManoelMacerate
 
Lição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetas
Lição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetasLição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetas
Lição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetas
Éder Tomé
 
Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)
Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)
Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)
Caroline Belga
 
As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1
Rômulo Martins
 
Guerra Espiritual
Guerra EspiritualGuerra Espiritual
Guerra Espiritual
lslsls
 
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante VigilânciaLição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Éder Tomé
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
IBMemorialJC
 
Os três campos de batalha parte 2 - NA IGREJA
Os três campos de batalha   parte 2 - NA IGREJAOs três campos de batalha   parte 2 - NA IGREJA
Os três campos de batalha parte 2 - NA IGREJA
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12
Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12
Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12
Centro Cristiano Nueva Vida Int. Cristiano
 
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser ResistidoLição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Éder Tomé
 

Mais procurados (20)

Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
 
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de DeusLição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
Lição 9 – Conhecendo a Armadura de Deus
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
 
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igrejaComo remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
 
109513320 apostila-de-libertacao-office-2003
109513320 apostila-de-libertacao-office-2003109513320 apostila-de-libertacao-office-2003
109513320 apostila-de-libertacao-office-2003
 
Os três campos de batalha parte 1 - NA MENTE
Os três campos de batalha   parte 1 - NA MENTEOs três campos de batalha   parte 1 - NA MENTE
Os três campos de batalha parte 1 - NA MENTE
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
 
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 03
 
Escatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutórioEscatologia - um estudo introdutório
Escatologia - um estudo introdutório
 
Nome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoas
Nome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoasNome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoas
Nome dos demônios e como eles atuam nas vidas das pessoas
 
Curso de batalha espiritual
Curso de batalha  espiritualCurso de batalha  espiritual
Curso de batalha espiritual
 
Lição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetas
Lição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetasLição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetas
Lição 8 O perigo de ser enganado por falsos profetas
 
Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)
Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)
Fechando Portas de Entrada (Caroline Belga)
 
As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1As portas de entrada de demônios parte 1
As portas de entrada de demônios parte 1
 
Guerra Espiritual
Guerra EspiritualGuerra Espiritual
Guerra Espiritual
 
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante VigilânciaLição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
Os três campos de batalha parte 2 - NA IGREJA
Os três campos de batalha   parte 2 - NA IGREJAOs três campos de batalha   parte 2 - NA IGREJA
Os três campos de batalha parte 2 - NA IGREJA
 
Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12
Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12
Guerra Espiritual..Desarrollando Tu Potenc.#12
 
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser ResistidoLição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
 

Semelhante a O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios

Lição 8 o poder de jesus sobre a natureza e os demônios
Lição 8   o poder de jesus sobre a natureza e os demôniosLição 8   o poder de jesus sobre a natureza e os demônios
Lição 8 o poder de jesus sobre a natureza e os demônios
Wander Sousa
 
O poder de Jesus sobre a Natureza e os demonios
O poder de Jesus sobre a Natureza e os demoniosO poder de Jesus sobre a Natureza e os demonios
O poder de Jesus sobre a Natureza e os demonios
Pr. Gerson Eller
 
LIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS
LIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOSLIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS
LIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS
Lourinaldo Serafim
 
liçao 8 O poder de Jesus sobre a natureza e os demonios
liçao 8  O poder de Jesus sobre a natureza e os demoniosliçao 8  O poder de Jesus sobre a natureza e os demonios
liçao 8 O poder de Jesus sobre a natureza e os demonios
Ev.Antonio Vieira
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
Ailton da Silva
 
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os DemôniosLição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Éder Tomé
 
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdfCristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
joabedasilvasouza1
 
Lição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os Demônios
Lição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os DemôniosLição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os Demônios
Lição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os Demônios
Éder Tomé
 
aula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesus
aula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesusaula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesus
aula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesus
Marina de Morais
 
Lição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes
Lição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e AtitudesLição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes
Lição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes
Hamilton Souza
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Qual a opinião da Bíblia sobre os demônios
Qual a opinião da Bíblia sobre os demôniosQual a opinião da Bíblia sobre os demônios
Qual a opinião da Bíblia sobre os demônios
Juraci Rocha
 
Lição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de Jesus
Lição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de JesusLição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de Jesus
Lição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de Jesus
Hamilton Souza
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Lição 9 - A Singularidade de Jesus Cristo
Lição 9 - A Singularidade de Jesus CristoLição 9 - A Singularidade de Jesus Cristo
Lição 9 - A Singularidade de Jesus Cristo
Éder Tomé
 
Lição 4 - A Tentação de Jesus - Classe De Jovens
Lição 4  -  A Tentação de Jesus - Classe De JovensLição 4  -  A Tentação de Jesus - Classe De Jovens
Lição 4 - A Tentação de Jesus - Classe De Jovens
Thauan Soares
 
Lição 2 Hebreus
Lição 2   HebreusLição 2   Hebreus
Alianças e Dispensações - NEP.ppt
Alianças e Dispensações - NEP.pptAlianças e Dispensações - NEP.ppt
Alianças e Dispensações - NEP.ppt
CarlosAzevedo109
 
Lição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo Espiritual
Lição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo EspiritualLição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo Espiritual
Lição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo Espiritual
Éder Tomé
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015
Pr. Andre Luiz
 

Semelhante a O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios (20)

Lição 8 o poder de jesus sobre a natureza e os demônios
Lição 8   o poder de jesus sobre a natureza e os demôniosLição 8   o poder de jesus sobre a natureza e os demônios
Lição 8 o poder de jesus sobre a natureza e os demônios
 
O poder de Jesus sobre a Natureza e os demonios
O poder de Jesus sobre a Natureza e os demoniosO poder de Jesus sobre a Natureza e os demonios
O poder de Jesus sobre a Natureza e os demonios
 
LIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS
LIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOSLIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS
LIÇÃO 08 - O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS
 
liçao 8 O poder de Jesus sobre a natureza e os demonios
liçao 8  O poder de Jesus sobre a natureza e os demoniosliçao 8  O poder de Jesus sobre a natureza e os demonios
liçao 8 O poder de Jesus sobre a natureza e os demonios
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
 
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os DemôniosLição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
Lição 4 - O Poder de Jesus Cristo sobre os Demônios
 
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdfCristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
 
Lição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os Demônios
Lição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os DemôniosLição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os Demônios
Lição 7 - O Senhorio de Jesus Cristo Sobre os Demônios
 
aula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesus
aula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesusaula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesus
aula 4 - possessao demoniaca e a autoridade do nome de Jesus
 
Lição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes
Lição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e AtitudesLição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes
Lição 7 – Tentação – A Batalha por nossas Escolhas e Atitudes
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
Qual a opinião da Bíblia sobre os demônios
Qual a opinião da Bíblia sobre os demôniosQual a opinião da Bíblia sobre os demônios
Qual a opinião da Bíblia sobre os demônios
 
Lição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de Jesus
Lição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de JesusLição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de Jesus
Lição 4 - Possessão Demoníaca e a Autoridade do Nome de Jesus
 
4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos4. O Evangelho Segundo Marcos
4. O Evangelho Segundo Marcos
 
Lição 9 - A Singularidade de Jesus Cristo
Lição 9 - A Singularidade de Jesus CristoLição 9 - A Singularidade de Jesus Cristo
Lição 9 - A Singularidade de Jesus Cristo
 
Lição 4 - A Tentação de Jesus - Classe De Jovens
Lição 4  -  A Tentação de Jesus - Classe De JovensLição 4  -  A Tentação de Jesus - Classe De Jovens
Lição 4 - A Tentação de Jesus - Classe De Jovens
 
Lição 2 Hebreus
Lição 2   HebreusLição 2   Hebreus
Lição 2 Hebreus
 
Alianças e Dispensações - NEP.ppt
Alianças e Dispensações - NEP.pptAlianças e Dispensações - NEP.ppt
Alianças e Dispensações - NEP.ppt
 
Lição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo Espiritual
Lição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo EspiritualLição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo Espiritual
Lição 2 – A Natureza dos Anjos – A Beleza do Mundo Espiritual
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios - Lição 08 - 2ºTrimestre/2015
 

Mais de Moisés Sampaio

Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
Moisés Sampaio
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
Moisés Sampaio
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
Moisés Sampaio
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
Moisés Sampaio
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
Moisés Sampaio
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Moisés Sampaio
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
Moisés Sampaio
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
Moisés Sampaio
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
Moisés Sampaio
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
Moisés Sampaio
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
Moisés Sampaio
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
Moisés Sampaio
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
Moisés Sampaio
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
Moisés Sampaio
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
Moisés Sampaio
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Moisés Sampaio
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
Moisés Sampaio
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
Moisés Sampaio
 
3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima
Moisés Sampaio
 
2-Jaffa
2-Jaffa2-Jaffa

Mais de Moisés Sampaio (20)

Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
 
3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima
 
2-Jaffa
2-Jaffa2-Jaffa
2-Jaffa
 

Último

UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 

Último (20)

UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 

O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios

  • 1. O PODER DE JESUS SOBRE A NATUREZA E OS DEMÔNIOS 2º Trimestre de 2015 Lição 8 Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 2. TEXTO ÁUREO Pr. Moisés Sampaio de Paula 2 "E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?" (Lc 8.25)
  • 3. VERDADE PRÁTICA Pr. Moisés Sampaio de Paula 3 Ao mostrarem o poder de Jesus sobre as forças naturais e sobrenaturais, as Escrituras sublinham sua natureza divina e identidade messiânica.
  • 4. OBJETIVO GERAL • Jesus, como o Filho de Deus, tem poder sobre a natureza e os seres espirituais. Pr. Moisés Sampaio de Paula 4
  • 5. OBJETIVOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 5 Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: • Destacar o aspecto sobrenatural da pessoa de Jesus. • Apresentar a realidade bíblica da existência dos demônios. • Explicar o aspecto limitado dos demônios. • Mostrar que a obra de Jesus é oposta à dos demônios.
  • 6. Interagindo com o Professor Pr. Moisés Sampaio de Paula 6 • Caro professor, sobre a pessoa de Jesus, a Bíblia diz: "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou- se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz" (Fp 2.5-8). Esse texto ressalta a dimensão humana de Jesus, o Deus que se tornou homem. Entretanto, a sua natureza humana não se confunde com a divina: "Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai" (Fp 2.9-11). Assim, a presente lição objetiva demonstrar o poder de Jesus Cristo sobre a Criação e sobre os demônios. Ele, o Filho, estava presente quando da criação de todas as coisas (Jo 1.1-3).
  • 7. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS 1. Poder sobre a natureza. 2. Poder sobre os demônios. II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS 1. Uma realidade bíblica. 2. Uma realidade experimental. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS 1. Jesus e a oposição dos demônios. 2. Jesus e a libertação de endemoninhados. Esboço da Lição Pr. Moisés Sampaio de Paula 7
  • 8. Ponto Central • Embora as forças espirituais do mal pareçam maiores que nós, Jesus é mais poderoso do que todas elas. Ele é soberano! Pr. Moisés Sampaio de Paula 8
  • 9. Uma pergunta • Os demônios existem? Pr. Moisés Sampaio de Paula 9
  • 10. INTRODUÇÃO Pr. Moisés Sampaio de Paula 10 • Nesta lição, estudaremos os relatos que mostram o poder de Jesus sobre as forças da natureza e, também, sobre os demônios. • Até aqui os discípulos já tinham visto Jesus curando doentes e libertando pessoas oprimidas pelo Diabo. Todavia, eles ainda não haviam visto o Mestre dominando as forças da natureza, nem tampouco alguém que andava nu e vivia nos sepulcros ser devolvido ao seu convívio familiar. • Estes fatos ocorreram quando Jesus acalmou uma tempestade e libertou o endemoninhado gadareno. Em ambos os relatos, vemos as manifestações do poder e da misericórdia de nosso Senhor, que sempre procurou o bem do homem, nem que para isso fosse necessário repreender as leis físicas do Universo ou quebrar o poder de Satanás.
  • 11. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS 1. Poder sobre a natureza. 2. Poder sobre os demônios. Pr. Moisés Sampaio de Paula 11
  • 12. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 12 1. Poder sobre a natureza. • Até este ponto, Lucas já havia mostrado Jesus exercendo poder sobre demônios e enfermidades (Lc 4.31-44). • Agora, ele o mostra exercendo o seu poder sobre as forças da natureza (Lc 8.23-25).
  • 13. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 13 1. Poder sobre a natureza. • A tempestade surge, aqui, como uma força impessoal revelando que a harmonia original da criação se perdeu. Nesse momento, ela se levanta como uma força poderosa que precisa ser detida.
  • 14. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 14 1. Poder sobre a natureza. • Ao receber a voz de comando do Filho de Deus, as forças descontroladas da natureza param. • Jesus põe ordem no caos. A cena foi tão dramática para os discípulos, que arrancou deles a pergunta: "Quem é este que até aos ventos e a água manda?"
  • 15. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 15 1. Poder sobre a natureza. • Jesus põe ordem no caos. A cena foi tão dramática para os discípulos, que arrancou deles a pergunta: "Quem é este que até aos ventos e a água manda?"
  • 16. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 16 2. Poder sobre os demônios. • Se a natureza é uma força impessoal, o mesmo não pode se dizer do Diabo. • A Bíblia mostra que ele é um ser pessoal, isto é, dotado de personalidade.
  • 17. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 17 2. Poder sobre os demônios. • Jesus e seus discípulos tiveram que enfrentá-lo muitas vezes. • Ainda quando descrevia o relato da tentação de Cristo, Lucas informa que Satanás ausentou- se de Jesus "por algum tempo" (Lc 4.13). • Jesus derrotou o Diabo na tentação do deserto, mas depois disso teve outros embates com ele.
  • 18. I - JESUS E AS FORÇAS SOBRENATURAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 18 2. Poder sobre os demônios. • De fato, a Escritura registra vários casos de pessoas oprimidas e possessas de demônios que tiveram um encontro com Jesus e seus discípulos (Lc 4.33-37,41; 6.18; 7.21; 8.27; 9.39; 10.17-19; 11.14; 13.11). • Em todos os casos, tais pessoas foram libertas e Satanás derrotado.
  • 19. SINOPSE DO TÓPICO (1) Pr. Moisés Sampaio de Paula 19 Jesus tem poder sobre a natureza e sobre os demônios.
  • 20. SUBSÍDIO TEOLÓGICO Pr. Moisés Sampaio de Paula 20 • Prezado professor, importa ressaltar neste tópico o aspecto divino e humano de Jesus. Divino porque Ele dá ordem à Criação. Embora achado na forma de homem, Jesus Cristo controlou a tempestade, revelando não apenas o seu lado divino, mas humano também. Nosso Senhor sente compaixão das pessoas que necessitam do seu socorro. Ele compungiu-se com a situação do jovem possesso por demônios, pois desejou trazê-lo de volta ao seu estado de juízo perfeito. Jesus devolveu aquele jovem para ele mesmo, para a sua família e para a sociedade. • Outro ponto importante a destacar neste tópico é que o apaziguamento da tempestade é a primeira de uma série de quatro milagres no capítulo 8 de Lucas: Jesus apazigua a tempestade (8.22-25); liberta o endemoninhado de Gadara (8.26- 39); ressuscita a filha de Jairo (8.40-42,49-56); e cura a mulher com fluxo hemorrágico (8.43-48).
  • 21. CONHEÇA MAIS Pr. Moisés Sampaio de Paula 21 *A terra dos gadarenos "A terra dos gadarenos era uma região a sudeste do mar da Galileia, fazia parte da Decápolis. Estas eram cidades gregas que não pertenciam a um país, eram autônomas. Embora os judeus não criassem porcos, porque a religião judaica os considerava imundos, os gentios não tinham tal conceito" (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, CPAD, p. 1365.)
  • 22. II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS 1. Uma realidade bíblica. 2. Uma realidade experimental. Pr. Moisés Sampaio de Paula 22
  • 23. II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS • A Bíblia desconhece a ideia de um Diabo mitológico ou que é um produto da cultura humana. • Nas Escrituras, Satanás e seus demônios são mostrados como seres reais. • Uma das mais poderosas armas usadas pelo Diabo é tentar mostrar que ele não existe. Pr. Moisés Sampaio de Paula 23 1. Uma realidade bíblica.
  • 24. II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS • A Bíblia, no entanto, trata Satanás e seus demônios como seres dotados de pessoalidade. Pr. Moisés Sampaio de Paula 24 1. Uma realidade bíblica. • O próprio Cristo enfrentou pessoalmente Satanás no deserto e o derrotou (Lc 4.1-13). • Jesus também revelou que o Diabo possui um reino e que trabalha de forma organizada (Lc 11.18).
  • 25. II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS • Tal reino é tão "organizado" que o apóstolo Paulo mostra que esse reino maligno está organizado de forma hierárquica (Ef 6.10-12). Pr. Moisés Sampaio de Paula 25 1. Uma realidade bíblica.
  • 26. II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS • Na Palestina do primeiro século, a presença de pessoas oprimidas ou possuídas por demônios era uma realidade do dia a dia. • No Evangelho de Lucas, encontramos dezenas de textos mostrando essa verdade (Lc 4.41; 6.18). Pr. Moisés Sampaio de Paula 26 2. Uma realidade experimental.
  • 27. II - JESUS E A REALIDADE DOS DEMÔNIOS • Lucas diz que Jesus curou muitos de moléstias (Lc 7.21). • Além disso, registra ainda que Jesus repreendeu espíritos imundos (Lc 9.42); e que via a queda de Satanás em cada demônio que era expulso (Lc 10. 17,18). • À luz da Bíblia, não há, pois, como negar a realidade dos demônios.Pr. Moisés Sampaio de Paula 27 2. Uma realidade experimental.
  • 28. SINOPSE DO TÓPICO (2) Pr. Moisés Sampaio de Paula 28 A Bíblia descreve o Diabo como um ser real e experimental.
  • 29. SUBSÍDIO DIDÁTICO Pr. Moisés Sampaio de Paula 29 • Professor, após expor o respectivo tópico, sugerimos que faça as seguintes considerações: um homem possesso por demônio foi reduzido a um nível subumano. Ele andava nu, e vivia em lugares lúgubres. Os demônios entraram em sua personalidade a ponto de distorcê-la e torná-la descontrolada quanto à realidade espiritual. Eles tiraram toda a sua sanidade e, quando o tomavam, não havia quem pudesse contê-lo. Ele esmiuçava todas as correntes que intentavam dominá-lo. • Por fim, mostre neste tópico que a Bíblia fala claramente sobre a realidade do mundo espiritual e da forma de o Diabo trabalhar. Mas com olhar de amor e de misericórdia, o nosso Senhor está disponível a salvar-nos de tal realidade sombria.
  • 30. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS 1. Jesus e a oposição dos demônios. 2. Jesus e a libertação de endemoninhados. Pr. Moisés Sampaio de Paula 30
  • 31. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS • O caso da libertação do endemoninhado, que ocorre logo após Jesus acalmar a tempestade, é um dos muitos relatos que mostra como os demônios entraram em rota de colisão com Jesus: "Que tenho eu contigo Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Peço-te que não me atormentes" (Lc 8.28), disse o espírito maligno. Pr. Moisés Sampaio de Paula 31 1. Jesus e a oposição dos demônios
  • 32. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS • Isso era esperado que acontecesse por causa da própria natureza da missão de Jesus, que é destruir as obras do Diabo (1 Jo 3.8). Pr. Moisés Sampaio de Paula 32 1. Jesus e a oposição dos demônios
  • 33. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 33 1. Jesus e a oposição dos demônios Essa missão também foi confiada aos seus discípulos (Mt 10.1; Lc 9.1) posteriormente posta em prática por sua igreja (At 5.16; 8.6,7).
  • 34. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS • Quando questionado sobre ter curado no sábado uma mulher com um espírito de enfermidade, Jesus respondeu: • " E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás mantinha presa?" (Lc 13.16). Pr. Moisés Sampaio de Paula 34 2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
  • 35. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS • O verbo grego traduzido como "libertar" é luo, e significa, nesse contexto, "livrar de laços", "desamarrar", "tornar livre". • Jesus veio para libertar os cativos do Diabo. • Essa libertação é, também, tida como uma cura ou livramento do poder do mal (Lc 6.18). Pr. Moisés Sampaio de Paula 35 2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
  • 36. III - JESUS E A OBRA DOS DEMÔNIOS • A palavra "curados" traduz o grego therapeuo, de onde vem o vocábulo português terapia, e significa "sarar", "curar", "restaurar a saúde". • Ao libertar dos demônios, Jesus trata, também, de todos os efeitos colaterais (Lc 10.19). Pr. Moisés Sampaio de Paula 36 2. Jesus e a libertação de endemoninhados.
  • 37. SINOPSE DO TÓPICO (3) Pr. Moisés Sampaio de Paula 37 A natureza dos demônios declara que eles são seres criados, limitados, espirituais, malignos e imundos.
  • 38. Conclusão • Quer as forças descontroladas sejam pessoais ou impessoais, Jesus possui poder sobre todas elas. • Em um mundo que nos parece inóspito, onde forças sobrenaturais se mostram maiores do que nós, temos a confiança que Deus está no controle de tudo. Pr. Moisés Sampaio de Paula 38
  • 39. Perguntas Pr. Moisés Sampaio de Paula 39 De que forma a lição retrata o poder absoluto de Jesus? Essa pergunta busca ressaltar como o texto bíblico demonstra Jesus absolutamente poderoso. Nesse sentido, a imagem dEle dominando a natureza e libertando o endemoninhado retrata fielmente tal poder. O Diabo é um ser pessoal? Sim, pois a Bíblia trata Satanás e os demônios como seres dotados de pessoalidade. Como as Escrituras Sagradas mostram Satanás e seus demônios? Como seres criados. Tanto Satanás quanto seus demônios possuem poderes limitados. E também, seres imundos e perversos. À luz da Bíblia, há como negar a realidade dos demônios? Não. A Bíblia mostra que eles são seres espirituais e reais. Qual o significado do vocábulo "terapia"? Significa sarar, curar, restaurar a saúde. Jesus tem poder para restaurar a nossa saúde física, emocional e espiritual.
  • 40. Pr. Moisés Sampaio Pr. Moisés Sampaio de Paula 40 • Pastor auxiliar da Igreja Assembleia de Deus em Rio Branco, AC, Brasil. • Palestrante de seminários e pregador no Brasil e exterior. • Contato