SlideShare uma empresa Scribd logo
A Cartomante, de Machado de Assis - Questões
A CARTOMANTE - MACHADO DE ASSIS
01. Que reação a ida de Rita a uma cartomante provocou em Camilo?
A) Raiva. B) Decepção. C) Alegria. D) Divertimento. E) Satisfação.
Leia o fragmento abaixo e responda às questões.
“Não queria arrancar-lhe as ilusões. Também ele, em criança, e ainda depois, foi
supersticioso, teve um arsenal inteiro de crendices, que a mãe lhe incutiu e que
aos vinte anos desapareceram. No dia em que deixou cair toda essa vegetação
parasita, e ficou só o tronco da religião, ele, como tivesse recebido da mãe
ambos os ensinos, envolveu-os na mesma dúvida, e logo depois em uma só
negação total. Camilo não acreditava em nada. Por quê? Não poderia dizê-lo,
não possuía um só argumento; limitava-se a negar tudo. E digo mal, porque
negar é ainda afirmar, e ele não formulava incredulidade; diante do mistério,
contentou-se em levantar os ombros, e foi andando”. [12º
parágrafo]
02. Segundo o trecho acima, Camilo
A) Ainda criança, preferiu não acreditar em nada.
B) Desde criança desprezava superstições.
C) Diante do desconhecido, preferiu ficar indiferente.
D) Era crédulo, apesar de negar qualquer fé.
E) Negava qualquer envolvimento com religião.
03. Em relação às descrenças de Camilo, há uma opinião do narrador em:
A) “ diante do mistério, contentou-se em levantar os ombros, e foi andando.”
B) “ Camilo não acreditava em nada. Por quê? Não poderia dizê-lo (...)”
C) “ E digo mal, porque negar é ainda afirmar, e ele não formulava a
incredulidade”
D) “ No dia em que deixou cair toda essa vegetação parasita, e ficou só o tronco
da religião.”
E) “ Também ele, em criança, e ainda depois foi supersticioso”.
04. “ No dia em que deixou cair toda essa vegetação parasita...” , a expressão
destacada refere-se a
A) Crendices. B) Ensinos. C) Ilusões. D) Mistério. E) Religião.
05. “...que a mãe lhe incutiu e que aos vinte anos desapareceram.” , de acordo
com o contexto a palavra destacada significa
A) Insinuar. B) Informar. C) Indicar. D) Introduzir. E) Invocar.
06. Em alguns momentos, o narrador deixa escapar juízos de valor em relação
aos personagens e fatos. Podemos observar isso em
A) “ Os dois primeiros eram amigos de infância.”
B) “...onde casara com uma dama formosa e tonta”
C) “ Camilo ensinou-lhe as damas e o xadrez...”
D) “ Era um pouco mais velha que ambos...”
E) “ abandonou a magistratura e veio abrir banca de advogado”
07. Ao receber a primeira carta anônima Camilo deixou de ir com frequência a
casa de Vilela pois
A) arrependeu-se da traição.
B) cansou-se da aventura.
C) ficou envergonhado.
D) já não gostava de Rita.
E) queria afastar a desconfiança.
08. Rita procurou a cartomante para saber
A) se o marido ainda a amava.
B) se ficaria com o amado.
C) porque Camilo tinha se afastado.
D) quem Camilo amava de verdade.
E) quem mandava as cartas anônimas.
09. Rita e Camilo consultaram uma cartomante motivados pela
A) insatisfação B) paixão C) insegurança D) fé E) orgulho
10. A fraca resistência de Camilo a sedução de Rita é caracterizada no texto pelo
trecho
A) “ Camilo quis sinceramente fugir...”
B) “ Ele ficou atordoado e subjugado.”
C) “Camilo ensinou-lhe as damas...”
D) “ ...a batalha foi curta e a vitória delirante.”
E) “ iam juntos a teatros e passeios”
11. De acordo com o narrador do texto, Camilo era um ingênuo na vida moral e
prática pois
A) não resistiu a sedução de Rita.
B) ria de quem consultava cartomantes.
C) não tinha experiência nem intuição.
D) entrou no funcionalismo contra a vontade do pai.
E) foi a mãe que lhe arranjou um emprego público.
12. A morte da mãe de Camilo no texto tem um papel fundamental para
A) estreitar a relação de Rita e Camilo.
B) fazer Camilo acreditar em cartomantes.
C) afastar Camilo da casa de Rita e Vilela.
D) Vilela mostrar-se sombrio.
E) Rita procurar uma cartomante.
.
13. A história é repleta de “conversas” que o narrador estabelece com o leitor
transformando-o em cúmplice e participante do enredo. Podemos perceber
esse recurso em
A) “ Nem por isso Camilo ficou mais sossegado;”
B) “ Camilo ia andando inquieto e nervoso...”
C) “Vilela não lhe respondeu; tinha as feições decomposta;”
D) “ Vimos que a cartomante restituiu-lhe a confiança...”
E) “Um dia, porém, recebeu Camilo uma carta anônima...”
14. Ao perceber as mudanças no comportamento do marido Rita
A) acha melhor que Camilo se afaste.
B) fica mais carinhosa com marido traído.
C) quer que Camilo volte a frequentar sua casa.
D) sugere uma nova ida a cartomante.
E) prefere contar a verdade ao marido.
15. O chamado de Vilela causou estranheza a Camilo porque
A) era mais de meio dia.
B) a letra não parecia com a de Vilela.
C) exigia pressa ao usar a expressão “vem já, já”.
D) era mais natural chamá-lo ao escritório.
E) nada de especial tinha acontecido nos últimos dias.
16. No conto, o personagem de Camilo oscila entre incredulidade, dúvida e
credulidade sobre “os mistérios que há entre o céu e a terra”. Revela um
momento de credulidadede Camilo o trecho
A) “Não queria arrancar-lhe as ilusões”
B) “...nunca ele desejou tanto crer na lição das cartas.”
C) “...pensou rapidamente no inexplicável de tantas coisas.”
D) “ A senhora restituiu-me a paz de espírito...”
E) “ a ideia de ouvir a cartomante , que lhe passava ao longe...”
17. O fato que motivou a narrativa foi
A) as cartas anônimas recebidas por Camilo.
B) a mudança de comportamento de Vilela.
C) o bilhete que Vilela enviou para Camilo.
D) a previsão feita pela cartomante para Camilo.
E) O triângulo amoroso Camilo – Rita – Vilela.
18. Ao receber Camilo, a cartomante posiciona-o na sala de modo que a pouca
luz de fora bata em cheio em seu rosto para
A) dificultar a visão dele.
B) observá-lo bem.
C) deixá-lo confortável.
D) impressioná-lo com a luminosidade.
E) evitar que ele reparasse na sala.
19. De acordo com o narrador, o ar de pobreza da salinha da cartomante
A) era repugnante. B) causava piedade. C) provocava respeito. D) elevava a
consideração. E) assustava.
20. No conto, a cartomante era
A) uma justiceira. B) uma farsante. C) uma iluminada. D) uma
ingênua. E) uma arrogante.
Gabarito: 1.D 2.C 3.C 4.A 5. D 6. B 7. E 8. C 9.C 10.D 11.C 12.A 13.D 14.C 15. D 16.D 17.E 18.B 19.D 20.B

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicas
Estudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicasEstudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicas
Estudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicas
Ronaldo Santana
 
Tabela direitos e deveres
Tabela direitos e deveresTabela direitos e deveres
Tabela direitos e deveres
Daniela Menezes
 
D4 (5º ano l.p.)
D4 (5º ano   l.p.)D4 (5º ano   l.p.)
D4 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
Caderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantis
Caderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantisCaderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantis
Caderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantis
simone pereira
 
Apresentação discurso direto e indireto
Apresentação discurso direto e indiretoApresentação discurso direto e indireto
Apresentação discurso direto e indireto
Fernanda Oliveira Barbosa
 
Quiz ambiental / Questões
Quiz ambiental / QuestõesQuiz ambiental / Questões
Quiz ambiental / Questões
Glauber Eduardo Aragon Pereira
 
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e  ensinar Matemática no Ensino FundamentalAprender e  ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
valdivina
 
Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente
Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente
Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente
eacpf
 
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Claudia Elisabete Silva
 
Mapa mental coleta seletiva
Mapa mental coleta seletivaMapa mental coleta seletiva
Mapa mental coleta seletiva
Atividades Diversas Cláudia
 
atividade maquina simples para hoje 2.pdf
atividade maquina simples para hoje  2.pdfatividade maquina simples para hoje  2.pdf
atividade maquina simples para hoje 2.pdf
FernandaCruzDeAraujo
 
Metodos de-alfabetizacao
Metodos de-alfabetizacaoMetodos de-alfabetizacao
Metodos de-alfabetizacao
pac virgínia
 
Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel
Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papelAlfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel
Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel
Cecilia Pinheiro
 
Adivinhas profissoes[1]
Adivinhas profissoes[1]Adivinhas profissoes[1]
Adivinhas profissoes[1]
Crescendo EAprendendo
 
Relatório do projeto
Relatório do projetoRelatório do projeto
Relatório do projeto
Fabiana Vieira
 
25 Charadas Para Crianças e Adultos
25 Charadas Para Crianças e Adultos25 Charadas Para Crianças e Adultos
25 Charadas Para Crianças e Adultos
Blogueiro Errante
 
Negrinho do Pastoreio
Negrinho do PastoreioNegrinho do Pastoreio
Negrinho do Pastoreio
eveeberle
 
ATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docx
ATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docxATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docx
ATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docx
VivianeCristinaMedei
 
Substantivos
SubstantivosSubstantivos
Teatro menina bonita do laço de fita
Teatro menina bonita do laço de fitaTeatro menina bonita do laço de fita
Teatro menina bonita do laço de fita
Mare Zoé Machado
 

Mais procurados (20)

Estudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicas
Estudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicasEstudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicas
Estudo dirigido origem da vida ecologia_relações ecologicas
 
Tabela direitos e deveres
Tabela direitos e deveresTabela direitos e deveres
Tabela direitos e deveres
 
D4 (5º ano l.p.)
D4 (5º ano   l.p.)D4 (5º ano   l.p.)
D4 (5º ano l.p.)
 
Caderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantis
Caderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantisCaderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantis
Caderno de apoio a pratica pedagogica cantigas de roda e musicas infantis
 
Apresentação discurso direto e indireto
Apresentação discurso direto e indiretoApresentação discurso direto e indireto
Apresentação discurso direto e indireto
 
Quiz ambiental / Questões
Quiz ambiental / QuestõesQuiz ambiental / Questões
Quiz ambiental / Questões
 
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e  ensinar Matemática no Ensino FundamentalAprender e  ensinar Matemática no Ensino Fundamental
Aprender e ensinar Matemática no Ensino Fundamental
 
Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente
Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente
Oficina 3 - Cidadania Sustentabilidade e Meio Ambiente
 
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
Planejamento e Avaliação Diagnostica EF-LP-2013
 
Mapa mental coleta seletiva
Mapa mental coleta seletivaMapa mental coleta seletiva
Mapa mental coleta seletiva
 
atividade maquina simples para hoje 2.pdf
atividade maquina simples para hoje  2.pdfatividade maquina simples para hoje  2.pdf
atividade maquina simples para hoje 2.pdf
 
Metodos de-alfabetizacao
Metodos de-alfabetizacaoMetodos de-alfabetizacao
Metodos de-alfabetizacao
 
Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel
Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papelAlfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel
Alfabetização matemática, ambiente alfabetizador e o papel
 
Adivinhas profissoes[1]
Adivinhas profissoes[1]Adivinhas profissoes[1]
Adivinhas profissoes[1]
 
Relatório do projeto
Relatório do projetoRelatório do projeto
Relatório do projeto
 
25 Charadas Para Crianças e Adultos
25 Charadas Para Crianças e Adultos25 Charadas Para Crianças e Adultos
25 Charadas Para Crianças e Adultos
 
Negrinho do Pastoreio
Negrinho do PastoreioNegrinho do Pastoreio
Negrinho do Pastoreio
 
ATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docx
ATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docxATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docx
ATIVIDADES DE FORTALECIMENTO DAS HABILIDADES.docx
 
Substantivos
SubstantivosSubstantivos
Substantivos
 
Teatro menina bonita do laço de fita
Teatro menina bonita do laço de fitaTeatro menina bonita do laço de fita
Teatro menina bonita do laço de fita
 

Semelhante a A cartomante

A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
Andreia Castagna
 
Leitura e analise do conto a cartomante
Leitura e analise do conto  a cartomanteLeitura e analise do conto  a cartomante
Leitura e analise do conto a cartomante
solange candido da silva
 
Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015
Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015
Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015
Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP
 
Realismo no texto "A Cartomante"
Realismo no texto "A Cartomante"Realismo no texto "A Cartomante"
Realismo no texto "A Cartomante"
Yana Sofia
 
A cartomante 2
A cartomante 2A cartomante 2
A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
kellyrhayann
 
Várias histórias, de machado de assis
Várias histórias, de machado de assisVárias histórias, de machado de assis
Várias histórias, de machado de assis
Andre Cardoso
 
A cartomante machado de assis
A cartomante machado de assisA cartomante machado de assis
A cartomante machado de assis
Geyse Ortega
 
A cartomante, machado de assis
A cartomante, machado de assisA cartomante, machado de assis
A cartomante, machado de assis
joelsonlessa
 
5
55
a cartomante
a cartomantea cartomante
a cartomante
ruanat
 
Variashistorias
VariashistoriasVariashistorias
Variashistorias
Joao Maria John Sincero
 
A cartomante
A cartomante A cartomante
A cartomante
cristina resende
 
A CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDF
A CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDFA CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDF
A CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDF
Mariana Rodrigues
 
A cartomante - Machado de Assis
A cartomante - Machado de AssisA cartomante - Machado de Assis
A cartomante - Machado de Assis
Thalita Lameira
 
A CARTOMANTE.pdf
A CARTOMANTE.pdfA CARTOMANTE.pdf
A CARTOMANTE.pdf
AnaPaulaToratti1
 
A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
Anne Clea Lima
 
Acartomante
AcartomanteAcartomante
26
2626
A cartomante
A cartomanteA cartomante

Semelhante a A cartomante (20)

A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
 
Leitura e analise do conto a cartomante
Leitura e analise do conto  a cartomanteLeitura e analise do conto  a cartomante
Leitura e analise do conto a cartomante
 
Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015
Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015
Prova sobre o conto A cartomante de Machado de Assis 2015
 
Realismo no texto "A Cartomante"
Realismo no texto "A Cartomante"Realismo no texto "A Cartomante"
Realismo no texto "A Cartomante"
 
A cartomante 2
A cartomante 2A cartomante 2
A cartomante 2
 
A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
 
Várias histórias, de machado de assis
Várias histórias, de machado de assisVárias histórias, de machado de assis
Várias histórias, de machado de assis
 
A cartomante machado de assis
A cartomante machado de assisA cartomante machado de assis
A cartomante machado de assis
 
A cartomante, machado de assis
A cartomante, machado de assisA cartomante, machado de assis
A cartomante, machado de assis
 
5
55
5
 
a cartomante
a cartomantea cartomante
a cartomante
 
Variashistorias
VariashistoriasVariashistorias
Variashistorias
 
A cartomante
A cartomante A cartomante
A cartomante
 
A CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDF
A CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDFA CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDF
A CARTOMANTE_MACHADO DE ASSIS.PDF
 
A cartomante - Machado de Assis
A cartomante - Machado de AssisA cartomante - Machado de Assis
A cartomante - Machado de Assis
 
A CARTOMANTE.pdf
A CARTOMANTE.pdfA CARTOMANTE.pdf
A CARTOMANTE.pdf
 
A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
 
Acartomante
AcartomanteAcartomante
Acartomante
 
26
2626
26
 
A cartomante
A cartomanteA cartomante
A cartomante
 

Mais de Andréa Sousa Silveira Silva

Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)
Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)
Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)
Andréa Sousa Silveira Silva
 
Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)
Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)
Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)
Andréa Sousa Silveira Silva
 
2ª etapa da ii gincana literária
2ª etapa da ii gincana literária 2ª etapa da ii gincana literária
2ª etapa da ii gincana literária
Andréa Sousa Silveira Silva
 
Aval de leitura comédias para se ler na escola
Aval de leitura comédias para se ler na escolaAval de leitura comédias para se ler na escola
Aval de leitura comédias para se ler na escola
Andréa Sousa Silveira Silva
 
Deveres do aluno e do pai eca
Deveres do aluno e do pai ecaDeveres do aluno e do pai eca
Deveres do aluno e do pai eca
Andréa Sousa Silveira Silva
 

Mais de Andréa Sousa Silveira Silva (6)

Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)
Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)
Aap lp ago 2015_ caderno do professor_ 6_ef_intranet (2) (1)
 
Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)
Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)
Aap lp ago 2015 caderno do professor_2 em_intranet (3)
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
2ª etapa da ii gincana literária
2ª etapa da ii gincana literária 2ª etapa da ii gincana literária
2ª etapa da ii gincana literária
 
Aval de leitura comédias para se ler na escola
Aval de leitura comédias para se ler na escolaAval de leitura comédias para se ler na escola
Aval de leitura comédias para se ler na escola
 
Deveres do aluno e do pai eca
Deveres do aluno e do pai ecaDeveres do aluno e do pai eca
Deveres do aluno e do pai eca
 

Último

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 

Último (20)

Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 

A cartomante

  • 1. A Cartomante, de Machado de Assis - Questões A CARTOMANTE - MACHADO DE ASSIS 01. Que reação a ida de Rita a uma cartomante provocou em Camilo? A) Raiva. B) Decepção. C) Alegria. D) Divertimento. E) Satisfação. Leia o fragmento abaixo e responda às questões. “Não queria arrancar-lhe as ilusões. Também ele, em criança, e ainda depois, foi supersticioso, teve um arsenal inteiro de crendices, que a mãe lhe incutiu e que aos vinte anos desapareceram. No dia em que deixou cair toda essa vegetação parasita, e ficou só o tronco da religião, ele, como tivesse recebido da mãe ambos os ensinos, envolveu-os na mesma dúvida, e logo depois em uma só negação total. Camilo não acreditava em nada. Por quê? Não poderia dizê-lo, não possuía um só argumento; limitava-se a negar tudo. E digo mal, porque negar é ainda afirmar, e ele não formulava incredulidade; diante do mistério, contentou-se em levantar os ombros, e foi andando”. [12º parágrafo] 02. Segundo o trecho acima, Camilo A) Ainda criança, preferiu não acreditar em nada. B) Desde criança desprezava superstições. C) Diante do desconhecido, preferiu ficar indiferente. D) Era crédulo, apesar de negar qualquer fé. E) Negava qualquer envolvimento com religião. 03. Em relação às descrenças de Camilo, há uma opinião do narrador em: A) “ diante do mistério, contentou-se em levantar os ombros, e foi andando.” B) “ Camilo não acreditava em nada. Por quê? Não poderia dizê-lo (...)” C) “ E digo mal, porque negar é ainda afirmar, e ele não formulava a incredulidade” D) “ No dia em que deixou cair toda essa vegetação parasita, e ficou só o tronco da religião.” E) “ Também ele, em criança, e ainda depois foi supersticioso”. 04. “ No dia em que deixou cair toda essa vegetação parasita...” , a expressão destacada refere-se a A) Crendices. B) Ensinos. C) Ilusões. D) Mistério. E) Religião. 05. “...que a mãe lhe incutiu e que aos vinte anos desapareceram.” , de acordo com o contexto a palavra destacada significa A) Insinuar. B) Informar. C) Indicar. D) Introduzir. E) Invocar. 06. Em alguns momentos, o narrador deixa escapar juízos de valor em relação aos personagens e fatos. Podemos observar isso em A) “ Os dois primeiros eram amigos de infância.” B) “...onde casara com uma dama formosa e tonta” C) “ Camilo ensinou-lhe as damas e o xadrez...” D) “ Era um pouco mais velha que ambos...” E) “ abandonou a magistratura e veio abrir banca de advogado” 07. Ao receber a primeira carta anônima Camilo deixou de ir com frequência a casa de Vilela pois A) arrependeu-se da traição. B) cansou-se da aventura. C) ficou envergonhado. D) já não gostava de Rita. E) queria afastar a desconfiança. 08. Rita procurou a cartomante para saber A) se o marido ainda a amava. B) se ficaria com o amado. C) porque Camilo tinha se afastado. D) quem Camilo amava de verdade. E) quem mandava as cartas anônimas. 09. Rita e Camilo consultaram uma cartomante motivados pela A) insatisfação B) paixão C) insegurança D) fé E) orgulho 10. A fraca resistência de Camilo a sedução de Rita é caracterizada no texto pelo trecho A) “ Camilo quis sinceramente fugir...” B) “ Ele ficou atordoado e subjugado.” C) “Camilo ensinou-lhe as damas...” D) “ ...a batalha foi curta e a vitória delirante.” E) “ iam juntos a teatros e passeios” 11. De acordo com o narrador do texto, Camilo era um ingênuo na vida moral e prática pois A) não resistiu a sedução de Rita. B) ria de quem consultava cartomantes. C) não tinha experiência nem intuição. D) entrou no funcionalismo contra a vontade do pai. E) foi a mãe que lhe arranjou um emprego público. 12. A morte da mãe de Camilo no texto tem um papel fundamental para A) estreitar a relação de Rita e Camilo. B) fazer Camilo acreditar em cartomantes. C) afastar Camilo da casa de Rita e Vilela. D) Vilela mostrar-se sombrio. E) Rita procurar uma cartomante. . 13. A história é repleta de “conversas” que o narrador estabelece com o leitor transformando-o em cúmplice e participante do enredo. Podemos perceber esse recurso em A) “ Nem por isso Camilo ficou mais sossegado;” B) “ Camilo ia andando inquieto e nervoso...” C) “Vilela não lhe respondeu; tinha as feições decomposta;” D) “ Vimos que a cartomante restituiu-lhe a confiança...” E) “Um dia, porém, recebeu Camilo uma carta anônima...” 14. Ao perceber as mudanças no comportamento do marido Rita A) acha melhor que Camilo se afaste. B) fica mais carinhosa com marido traído. C) quer que Camilo volte a frequentar sua casa. D) sugere uma nova ida a cartomante. E) prefere contar a verdade ao marido. 15. O chamado de Vilela causou estranheza a Camilo porque A) era mais de meio dia. B) a letra não parecia com a de Vilela. C) exigia pressa ao usar a expressão “vem já, já”. D) era mais natural chamá-lo ao escritório. E) nada de especial tinha acontecido nos últimos dias. 16. No conto, o personagem de Camilo oscila entre incredulidade, dúvida e credulidade sobre “os mistérios que há entre o céu e a terra”. Revela um momento de credulidadede Camilo o trecho A) “Não queria arrancar-lhe as ilusões” B) “...nunca ele desejou tanto crer na lição das cartas.” C) “...pensou rapidamente no inexplicável de tantas coisas.” D) “ A senhora restituiu-me a paz de espírito...” E) “ a ideia de ouvir a cartomante , que lhe passava ao longe...” 17. O fato que motivou a narrativa foi A) as cartas anônimas recebidas por Camilo. B) a mudança de comportamento de Vilela. C) o bilhete que Vilela enviou para Camilo. D) a previsão feita pela cartomante para Camilo. E) O triângulo amoroso Camilo – Rita – Vilela. 18. Ao receber Camilo, a cartomante posiciona-o na sala de modo que a pouca luz de fora bata em cheio em seu rosto para A) dificultar a visão dele. B) observá-lo bem. C) deixá-lo confortável. D) impressioná-lo com a luminosidade. E) evitar que ele reparasse na sala. 19. De acordo com o narrador, o ar de pobreza da salinha da cartomante A) era repugnante. B) causava piedade. C) provocava respeito. D) elevava a consideração. E) assustava. 20. No conto, a cartomante era A) uma justiceira. B) uma farsante. C) uma iluminada. D) uma ingênua. E) uma arrogante.
  • 2. Gabarito: 1.D 2.C 3.C 4.A 5. D 6. B 7. E 8. C 9.C 10.D 11.C 12.A 13.D 14.C 15. D 16.D 17.E 18.B 19.D 20.B