SlideShare uma empresa Scribd logo
Software Educacinal Profª Clevani Barrionuevo
Tipos e classificação de alguns Softwares Educativos (SE) 	   Segundo José Armando Valente, estudioso na área da informática educativa, os softwares educativos podem ser classificados de acordo com a maneira que o conhecimento é manipulado. Sendo as categorias mais comuns desta modalidade os tutoriais, exercício e prática ("drill-and-practice"), jogos e simulação.
		Nos Softwares Educacionais (SE) Tutoriais é adotado o sistema tradicional utilizado em sala de aula em que o aluno escolhe o que deseja estudar, geralmente ricos em inovações tecnológicas (hipertextos, interface com sons, imagens, animações, etc.) e seu conteúdo é predefinido, com isso tendo que escolher entre as opções existentes.
		Os de exercitação e prática (reforço/exercício) onde Gagné propõe duas fases de aprendizagem: a aplicação e a retroalimentação, utilizados para revisão e memorização de algum assunto já estudado pelo aluno.
		Os softwares classificados como simuladores e os jogos educacionais apóiam-se na construção de situações que se assemelham com a realidade, sendo que os jogos apresentam ainda um componente lúdico e de entretenimento. A simulação envolve a criação de modelos dinâmicos e simplificados do mundo real (micro-mundo), dentro do contexto abordado, oferecendo ainda a possibilidade de o aluno desenvolver hipóteses, testá-las, analisar resultados e refinar conceitos.
Tutorial: software no qual a informação é organizada de acordo com uma seqüência pedagógica particular, Exercícios e Práticas: software que utiliza perguntas e respostas, normalmente utilizadas para revisar material já estudado, Programação: softwares onde o aluno programa o computador,
Aplicativos: incluem processadores de texto, planilhas  eletrônicas, etc. Multimídia e Internet: misturam som, imagem e texto, Simulação: simulam situações reais, que sem o uso do computador dificilmente poderiam ser trabalhadas pelos alunos, com a mesma qualidade e realismo nas formas tradicionais de ensino.
Jogos: originalmente programado para entreter, possui grande valor pedagógico, e é defendido por profissionais da educação que acreditam que o aluno aprende melhor quando é livre para descobrir ele próprio as relações existentes em um dado contexto.
Qualidade de Software Educacional A norma ISO/IEC 9126, do ano de 1991, regulamenta a forma de avaliação e descreve a qualidade de um produto de Software genérico. Segundo essa norma, para se alcançar qualidade, faz-se necessário implementar um processo de desenvolvimento definitivo e institucionalizado.
De forma mais abrangente, a norma internacional NRB ISO/IEC 12 207 estabelece um processo de desenvolvimento de software. Poderíamos afirmar que qualidade de software é definida como "a totalidade das características de um produto de software que lhe confere a capacidade de satisfazer necessidades explícitas e implícitas" (Gladcheff, Zuffi, Silva; 2001).  Entendemos por necessidades explicitas  aquelas apresentadas na definição do produto e, as implícitas, aquelas que não são apresentas mas são necessárias para o bom funcionamento do produto.
No caso dos softwares educativos, a qualidade do processo de desenvolvimento é essencial para a obtenção da qualidade do produto. Os softwares devem apresentar fatores que facilitam a atuação do professor. Essas características, em geral, são pedagógicas, facilidade de uso, da interface, adaptabilidade e precisão, entre outras. Poderíamos ainda considerar como subfatores, clareza, concisão, estilo, modularidade, disponibilidade, entre outros.
Métodos de Avaliação de Softwares Educativos Usabilidade-Evidencia a facilidade de utilização do software. Confiabilidade -Evidencia que o desempenho se mantém ao longo do tempo em condições estabelecidas. Eficiência -Evidencia que os recursos e os tempos envolvidos são compatíveis com o nível de desempenho requerido para o produto. Manutenibilidade -Evidencia que há facilidade para correções, atualizações e alterações. Portabilidade - Evidencia que é possível utilizar o produto em diversas plataformas com pequeno esforço de adaptação.
Características Pedagógicas  		As características pedagógicas formam um conjunto de atributos que evidenciam a conveniência e a viabilidade da utilização do software em situações educacionais. Temos as seguintes subcaracterísticas que facilitam a identificação de um software de qualidade.
Ambiente educacional: o software deve permitir a identificação do ambiente educacional e do modelo de aprendizagem que ele privilegia;  Pertinência em relação ao programa curricular: o software deve ser adequado e pertinente em relação ao contexto educacional ou a uma disciplina específica;  Aspectos didáticos: o software deve contribuir para que o aluno alcance o objetivo educacional e para isso deve ser amigável e de fácil utilização, deve possuir aspectos motivacionais e respeitar individualidades. É importante que inclua atributos como: clareza e correção dos conteúdos, recursos motivacionais, carga informacional e tratamento de erros.
Facilidade de uso  Facilidade de aprendizado:avalia a facilidade dos usuários em aprender a usar o software;  Facilidade de memorização: avalia a facilidade dos usuários em memorizar informações importantes para o uso do software;  Robustez: avalia se o software mantém o processamento corretamente a respeito de ações inesperadas.
Características da interface Condução: avalia os meios disponíveis para aconselhar, informar e conduzir o usuário na interação com o computador. Inclui atributos como: presteza, localização, feedback imediato e legibilidade;  Afetividade: avalia se o software proporciona uma relação agradável com o aluno ao longo do processo de aprendizado;  Consistência: avalia se a concepção da interface é conservada igual em contextos idênticos e se ela se altera em contextos diferentes;  Significado de códigos e denominações: avalia a adequação entre objeto ou informação apresentado ou pedido e sua referência;  Gestão de erros:avalia os mecanismos que permitem evitar ou reduzir a ocorrência de erros, e que favoreçam a correção quando eles ocorrem. Inclui os atributos: proteção contra erros, qualidade das mensagens de erro e correção dos erros e reversão fácil das ações.
Adaptabilidade Customização: avalia a facilidade da adaptação da interface para o uso de diferentes usuários;  Adequação ao ambiente: avalia a facilidade de adequação do software ao modelo e aos objetivos educacionais adotados.
Documentação Help online: avalia a existência de auxílio online;  Documentação do usuário: avalia se a documentação sobre o uso do sistema e sua instalação é de fácil compreensão.
Referências: http://pt.wikipedia.org/wiki/Software_educativo, acessado em 07 de março de 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Software educacional
Software educacionalSoftware educacional
Software educacional
Rada Ead
 
ApresentaçãO U2 S4 G5
ApresentaçãO U2 S4 G5ApresentaçãO U2 S4 G5
ApresentaçãO U2 S4 G5
Grupo 5
 
Softwares educacionais
Softwares educacionaisSoftwares educacionais
Softwares educacionais
Naysa Taboada
 
Software educacional roseli
Software educacional roseliSoftware educacional roseli
Software educacional roseli
Roseli Petter Strasser
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 4: Erro
Ergonomia e Usabilidade AULA 4: ErroErgonomia e Usabilidade AULA 4: Erro
Ergonomia e Usabilidade AULA 4: Erro
Dra. Camila Hamdan
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de UsabilidadeErgonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Dra. Camila Hamdan
 
Que características deverá então ter o software educativo
Que características deverá então ter o software educativoQue características deverá então ter o software educativo
Que características deverá então ter o software educativo
Erica Santos
 
Softwares educacionais- Canitar
Softwares educacionais- CanitarSoftwares educacionais- Canitar
Softwares educacionais- Canitar
DanilaNunesDosSantos
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 3:
Ergonomia e Usabilidade AULA 3:Ergonomia e Usabilidade AULA 3:
Ergonomia e Usabilidade AULA 3:
Dra. Camila Hamdan
 

Mais procurados (9)

Software educacional
Software educacionalSoftware educacional
Software educacional
 
ApresentaçãO U2 S4 G5
ApresentaçãO U2 S4 G5ApresentaçãO U2 S4 G5
ApresentaçãO U2 S4 G5
 
Softwares educacionais
Softwares educacionaisSoftwares educacionais
Softwares educacionais
 
Software educacional roseli
Software educacional roseliSoftware educacional roseli
Software educacional roseli
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 4: Erro
Ergonomia e Usabilidade AULA 4: ErroErgonomia e Usabilidade AULA 4: Erro
Ergonomia e Usabilidade AULA 4: Erro
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de UsabilidadeErgonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
Ergonomia e Usabilidade AULA 2: Conceitos, Engenharia de Usabilidade
 
Que características deverá então ter o software educativo
Que características deverá então ter o software educativoQue características deverá então ter o software educativo
Que características deverá então ter o software educativo
 
Softwares educacionais- Canitar
Softwares educacionais- CanitarSoftwares educacionais- Canitar
Softwares educacionais- Canitar
 
Ergonomia e Usabilidade AULA 3:
Ergonomia e Usabilidade AULA 3:Ergonomia e Usabilidade AULA 3:
Ergonomia e Usabilidade AULA 3:
 

Destaque

A Amiga Escovita
A Amiga EscovitaA Amiga Escovita
A Amiga Escovita
Facos - Cnec
 
A amiga escovita
A amiga escovitaA amiga escovita
A amiga escovita
estagio2
 
Apresentação Software Livre e Jogos Educativos
Apresentação Software Livre e Jogos EducativosApresentação Software Livre e Jogos Educativos
Apresentação Software Livre e Jogos Educativos
Edilson Freitas
 
Software educativo
Software educativoSoftware educativo
Software educativo
carrarobernal
 
Software Embutido
Software EmbutidoSoftware Embutido
Software Embutido
Jaime Teixeira
 
Hardware, Software, Como funciona o computador
Hardware, Software, Como funciona o computadorHardware, Software, Como funciona o computador
Hardware, Software, Como funciona o computador
Arthur Emanuel
 
Software para computadores pessoais ( automação de escritório)
Software para computadores pessoais ( automação de escritório)Software para computadores pessoais ( automação de escritório)
Software para computadores pessoais ( automação de escritório)
zamboni17
 
Software livre software proprietário software comercial
Software livre software proprietário  software comercialSoftware livre software proprietário  software comercial
Software livre software proprietário software comercial
Flávio Simões
 
Software livre x Software Proprietário : Propriedade Intelectual
Software livre x Software Proprietário : Propriedade IntelectualSoftware livre x Software Proprietário : Propriedade Intelectual
Software livre x Software Proprietário : Propriedade Intelectual
Wisllay Vitrio
 

Destaque (9)

A Amiga Escovita
A Amiga EscovitaA Amiga Escovita
A Amiga Escovita
 
A amiga escovita
A amiga escovitaA amiga escovita
A amiga escovita
 
Apresentação Software Livre e Jogos Educativos
Apresentação Software Livre e Jogos EducativosApresentação Software Livre e Jogos Educativos
Apresentação Software Livre e Jogos Educativos
 
Software educativo
Software educativoSoftware educativo
Software educativo
 
Software Embutido
Software EmbutidoSoftware Embutido
Software Embutido
 
Hardware, Software, Como funciona o computador
Hardware, Software, Como funciona o computadorHardware, Software, Como funciona o computador
Hardware, Software, Como funciona o computador
 
Software para computadores pessoais ( automação de escritório)
Software para computadores pessoais ( automação de escritório)Software para computadores pessoais ( automação de escritório)
Software para computadores pessoais ( automação de escritório)
 
Software livre software proprietário software comercial
Software livre software proprietário  software comercialSoftware livre software proprietário  software comercial
Software livre software proprietário software comercial
 
Software livre x Software Proprietário : Propriedade Intelectual
Software livre x Software Proprietário : Propriedade IntelectualSoftware livre x Software Proprietário : Propriedade Intelectual
Software livre x Software Proprietário : Propriedade Intelectual
 

Semelhante a A amiga escovita

SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...
SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...
SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...
Vinicius Dantas Dos Santos
 
Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)
Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)
Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)
Fernando Cassola Marques
 
Uso de software nas escolas
Uso de software nas escolasUso de software nas escolas
Uso de software nas escolas
Leonardo Soares
 
Usabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper PrototypeUsabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper Prototype
eudisnet
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
Luiz Agner
 
Forma de uso dos computadores em sala de aula
Forma de uso dos computadores em sala de aulaForma de uso dos computadores em sala de aula
Forma de uso dos computadores em sala de aula
Luciene Mozzer
 
Fazer 3
Fazer 3Fazer 3
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Daniel Brandão
 
4 usabilidade - y
4   usabilidade - y4   usabilidade - y
4 usabilidade - y
Edson Soares
 
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Ronildo Oliveira
 
Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02
igoroliveiracosta
 
User experience ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvao
User experience   ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvaoUser experience   ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvao
User experience ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvao
Vinicius Galvão
 
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Jovert Freire
 
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacionalAs TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
celiafonseca
 
Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...
Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...
Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...
TelEduc
 
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade -  Metas, Principios e HeuristicasUsabilidade -  Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Lidiane Dos Santos Carvalho
 
Desenvolvimento Ágil
Desenvolvimento ÁgilDesenvolvimento Ágil
Desenvolvimento Ágil
Gefferson Vivan
 
Apostila sistemas operacionais
Apostila sistemas operacionaisApostila sistemas operacionais
Apostila sistemas operacionais
fernandao777
 
USABILIDADE
USABILIDADEUSABILIDADE
USABILIDADE
Andrea Dalforno
 
Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]
Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]
Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]
KMRF
 

Semelhante a A amiga escovita (20)

SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...
SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...
SITI - O Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis Voltados à E...
 
Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)
Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)
Ferramentas e recursos digitais - software educativo (S5)
 
Uso de software nas escolas
Uso de software nas escolasUso de software nas escolas
Uso de software nas escolas
 
Usabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper PrototypeUsabilidade com Paper Prototype
Usabilidade com Paper Prototype
 
Palestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de UsabilidadePalestra - Testes de Usabilidade
Palestra - Testes de Usabilidade
 
Forma de uso dos computadores em sala de aula
Forma de uso dos computadores em sala de aulaForma de uso dos computadores em sala de aula
Forma de uso dos computadores em sala de aula
 
Fazer 3
Fazer 3Fazer 3
Fazer 3
 
Heurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na webHeurística, Principios e Usabilidade na web
Heurística, Principios e Usabilidade na web
 
4 usabilidade - y
4   usabilidade - y4   usabilidade - y
4 usabilidade - y
 
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
Fases do desenvolvimento de software baseado no código de ética.
 
Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02Interação Homem Computador Aula 02
Interação Homem Computador Aula 02
 
User experience ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvao
User experience   ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvaoUser experience   ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvao
User experience ihm 2015.2 - felipe pinheiro levi andrade vinicius galvao
 
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
Avmc tarefa semana 5 e 6 Tarefa das Semanas 5 e 6 criando um curso no ambient...
 
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacionalAs TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
As TIC na prática pedagógica: um diferencial no contexto educacional
 
Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...
Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...
Modalidades Síncronas de Comunicação e Elementos de Percepção em Ambientes de...
 
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade -  Metas, Principios e HeuristicasUsabilidade -  Metas, Principios e Heuristicas
Usabilidade - Metas, Principios e Heuristicas
 
Desenvolvimento Ágil
Desenvolvimento ÁgilDesenvolvimento Ágil
Desenvolvimento Ágil
 
Apostila sistemas operacionais
Apostila sistemas operacionaisApostila sistemas operacionais
Apostila sistemas operacionais
 
USABILIDADE
USABILIDADEUSABILIDADE
USABILIDADE
 
Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]
Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]
Como A Informatica Pode Ser Utilizada Na Matematica[1]
 

Último

05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 

Último (20)

05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 

A amiga escovita

  • 1. Software Educacinal Profª Clevani Barrionuevo
  • 2. Tipos e classificação de alguns Softwares Educativos (SE) Segundo José Armando Valente, estudioso na área da informática educativa, os softwares educativos podem ser classificados de acordo com a maneira que o conhecimento é manipulado. Sendo as categorias mais comuns desta modalidade os tutoriais, exercício e prática ("drill-and-practice"), jogos e simulação.
  • 3. Nos Softwares Educacionais (SE) Tutoriais é adotado o sistema tradicional utilizado em sala de aula em que o aluno escolhe o que deseja estudar, geralmente ricos em inovações tecnológicas (hipertextos, interface com sons, imagens, animações, etc.) e seu conteúdo é predefinido, com isso tendo que escolher entre as opções existentes.
  • 4. Os de exercitação e prática (reforço/exercício) onde Gagné propõe duas fases de aprendizagem: a aplicação e a retroalimentação, utilizados para revisão e memorização de algum assunto já estudado pelo aluno.
  • 5. Os softwares classificados como simuladores e os jogos educacionais apóiam-se na construção de situações que se assemelham com a realidade, sendo que os jogos apresentam ainda um componente lúdico e de entretenimento. A simulação envolve a criação de modelos dinâmicos e simplificados do mundo real (micro-mundo), dentro do contexto abordado, oferecendo ainda a possibilidade de o aluno desenvolver hipóteses, testá-las, analisar resultados e refinar conceitos.
  • 6. Tutorial: software no qual a informação é organizada de acordo com uma seqüência pedagógica particular, Exercícios e Práticas: software que utiliza perguntas e respostas, normalmente utilizadas para revisar material já estudado, Programação: softwares onde o aluno programa o computador,
  • 7. Aplicativos: incluem processadores de texto, planilhas eletrônicas, etc. Multimídia e Internet: misturam som, imagem e texto, Simulação: simulam situações reais, que sem o uso do computador dificilmente poderiam ser trabalhadas pelos alunos, com a mesma qualidade e realismo nas formas tradicionais de ensino.
  • 8. Jogos: originalmente programado para entreter, possui grande valor pedagógico, e é defendido por profissionais da educação que acreditam que o aluno aprende melhor quando é livre para descobrir ele próprio as relações existentes em um dado contexto.
  • 9. Qualidade de Software Educacional A norma ISO/IEC 9126, do ano de 1991, regulamenta a forma de avaliação e descreve a qualidade de um produto de Software genérico. Segundo essa norma, para se alcançar qualidade, faz-se necessário implementar um processo de desenvolvimento definitivo e institucionalizado.
  • 10. De forma mais abrangente, a norma internacional NRB ISO/IEC 12 207 estabelece um processo de desenvolvimento de software. Poderíamos afirmar que qualidade de software é definida como "a totalidade das características de um produto de software que lhe confere a capacidade de satisfazer necessidades explícitas e implícitas" (Gladcheff, Zuffi, Silva; 2001). Entendemos por necessidades explicitas aquelas apresentadas na definição do produto e, as implícitas, aquelas que não são apresentas mas são necessárias para o bom funcionamento do produto.
  • 11. No caso dos softwares educativos, a qualidade do processo de desenvolvimento é essencial para a obtenção da qualidade do produto. Os softwares devem apresentar fatores que facilitam a atuação do professor. Essas características, em geral, são pedagógicas, facilidade de uso, da interface, adaptabilidade e precisão, entre outras. Poderíamos ainda considerar como subfatores, clareza, concisão, estilo, modularidade, disponibilidade, entre outros.
  • 12. Métodos de Avaliação de Softwares Educativos Usabilidade-Evidencia a facilidade de utilização do software. Confiabilidade -Evidencia que o desempenho se mantém ao longo do tempo em condições estabelecidas. Eficiência -Evidencia que os recursos e os tempos envolvidos são compatíveis com o nível de desempenho requerido para o produto. Manutenibilidade -Evidencia que há facilidade para correções, atualizações e alterações. Portabilidade - Evidencia que é possível utilizar o produto em diversas plataformas com pequeno esforço de adaptação.
  • 13. Características Pedagógicas As características pedagógicas formam um conjunto de atributos que evidenciam a conveniência e a viabilidade da utilização do software em situações educacionais. Temos as seguintes subcaracterísticas que facilitam a identificação de um software de qualidade.
  • 14. Ambiente educacional: o software deve permitir a identificação do ambiente educacional e do modelo de aprendizagem que ele privilegia; Pertinência em relação ao programa curricular: o software deve ser adequado e pertinente em relação ao contexto educacional ou a uma disciplina específica; Aspectos didáticos: o software deve contribuir para que o aluno alcance o objetivo educacional e para isso deve ser amigável e de fácil utilização, deve possuir aspectos motivacionais e respeitar individualidades. É importante que inclua atributos como: clareza e correção dos conteúdos, recursos motivacionais, carga informacional e tratamento de erros.
  • 15. Facilidade de uso Facilidade de aprendizado:avalia a facilidade dos usuários em aprender a usar o software; Facilidade de memorização: avalia a facilidade dos usuários em memorizar informações importantes para o uso do software; Robustez: avalia se o software mantém o processamento corretamente a respeito de ações inesperadas.
  • 16. Características da interface Condução: avalia os meios disponíveis para aconselhar, informar e conduzir o usuário na interação com o computador. Inclui atributos como: presteza, localização, feedback imediato e legibilidade; Afetividade: avalia se o software proporciona uma relação agradável com o aluno ao longo do processo de aprendizado; Consistência: avalia se a concepção da interface é conservada igual em contextos idênticos e se ela se altera em contextos diferentes; Significado de códigos e denominações: avalia a adequação entre objeto ou informação apresentado ou pedido e sua referência; Gestão de erros:avalia os mecanismos que permitem evitar ou reduzir a ocorrência de erros, e que favoreçam a correção quando eles ocorrem. Inclui os atributos: proteção contra erros, qualidade das mensagens de erro e correção dos erros e reversão fácil das ações.
  • 17. Adaptabilidade Customização: avalia a facilidade da adaptação da interface para o uso de diferentes usuários; Adequação ao ambiente: avalia a facilidade de adequação do software ao modelo e aos objetivos educacionais adotados.
  • 18. Documentação Help online: avalia a existência de auxílio online; Documentação do usuário: avalia se a documentação sobre o uso do sistema e sua instalação é de fácil compreensão.