SlideShare uma empresa Scribd logo
2013  fuga da família real e o primeiro reinado
PERÍODO JOANINO
1. INTRODUÇÃO:

1.1. A história é resultado de processos
  históricos e não de ações individuais de
  pseudo-heróis.

1.2. A diferença entre mito e realidade.

2. O CONTEXTO HISTÓRICO:
2.1. Europa: o Velho
Continente fervia com as
guerras napoleônicas e as
ideias liberais




                    2.2. Portugal: D.João, príncipe
                    regente; escolha entre a
                    França e a Inglaterra
3. A VINDA DA FAMÍLIA
        PORTUGUESA PARA O
               BRASIL:
                     Portugal rompeu o
3.1. MOTIVOS:
                          bloqueio
                        continental


 Obs: O Tratado de   Invasão das tropas
 Fontanaible entre      napoleônicas
 Espanha e França


                     Fuga para o Brasil,
                       sob escolta da
                         Inglaterra
2013  fuga da família real e o primeiro reinado
3.2. ABERTURA DOS PORTOS
                   (1808):


  o fim do                        A abertura dos
exclusivismo                      portos era uma
  colonial                      necessidade para a
                               economia brasileira,
           Fim do pacto
                                e não apenas uma
             colonial -
                                   imposição do
            Econômico
                                  governo inglês.

                   comércio com as
                    nações amigas

                                        beneficiou
                                     diretamente aos
                                         ingleses.
3.3. OS TRATADOS DE 1810


                       B- A invasão de
                      produtos ingleses.


  A- Redução das                            C- Remodelação do
taxas alfandegárias                           Rio de Janeiro.

                                           A- Faculdade de Medicina

      15% para os                          B- Jardim Botânico
     ingleses; 16%
                                           C- Teatro São João
        para os
   portugueses; 24%                        D- Imprensa Régia
    para os demais)
                                           E- Biblioteca Real
2013  fuga da família real e o primeiro reinado
3.4- Representou,
     para alguns
   historiadores,
   o fim do pacto
     colonial do
   ponto de vista
       político.
3.5- A necessidade de abastecer a
  Corte no Rio de Janeiro aprofundou o
  processo de integração econômica
  entre as diferentes regiões do Brasil.


3.6- Formação de uma elite
  dirigente; alianças entre
  brasileiros e portugueses.
4. MOVIMENTOS DE INSATISFAÇÃO COM A
ADMINISTRAÇÃO DE D.JOÃO, PRINCÍPE
REGENTE:




4.1. REVOLUÇÃO            4.2. REVOLTA
PERNAMBUCANA              LIBERAL DO
     DE 1817:             PORTO - 1820
4.1. REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA DE
1817:
A.Insatisfação dos nordestinos: impostos para sustentar a
Corte;

B. Influências externas: idéias iluministas e a Revolução
Francesa (Diretório)

C. ESTOPIM: Atritos entre o governador e os insatisfeitos.

D. Pernambuco formou um governo independente por dez
semanas, e contou com o apoio, apesar de ineficiente, do
Ceará, Rio Grande do Norte e da Paraíba.

E. Foi decretada a liberdade de imprensa e o governo era
composto por membros da elite e das camadas médias urbanas.

F. A duríssima repressão do governo de D. João, vinda a partir
do Rio de Janeiro e de Salvador, foi implacável.
4.2. REVOLTA
LIBERAL DO
PORTO:
A. Movimento
   burguês liberal:

•   acabar com o
    absolutismo ;

•   Estabelecimento
    de uma monarquia
    constitucional.
B. Em relação ao
Brasil:

•recolonização imediata;

• cancelamento da
abertura dos portos;

• o aumento das tarifas
alfandegárias;

• cancelamento da
elevação do Brasil a
Reino Unido.

•Ordenou o retorno
imediato de D. João VI e
de toda família real para
Portugal.
4.3- A
independência:

a- As Cortes
portuguesas
exigiam o retorno
imediato de
D.Pedro para
Portugal;

b- O “Dia do Fico”
e o “Cumpra-se”,

c- A elite do
Centro-Sul do
Brasil se aliou a
D.Pedro.
O GRITO DO IPIRANGA – PEDRO AMÉRICO - 1888
2013  fuga da família real e o primeiro reinado
2013  fuga da família real e o primeiro reinado
Jean Baptiste Debret - 1834
2013  fuga da família real e o primeiro reinado
PRIMEIRO REINADO
            1822-1831
1. A construção do Estado Nacional e da
  brasilidade:
   1.1- O que significa ser brasileiro?


                 1.2- Lutas de independência e o mito
                   da “tranqüila” transição: Bahia,
                   Maranhão, Grão-Pará e Piauí;
                   Resistência portuguesa.


   1.3- Assembléia Nacional
     Constituinte: deputados eleitos
     pelo voto censitário.
1.4- A independência foi resultado de
         uma aliança política entre os grandes
         latifundiários brasileiros e D.Pedro I,
                     que buscavam:

 A- a manutenção da      b- a autonomia política, que
liberdade econômica;     nos livraria definitivamente
pós-Tratados de 1810        do domínio português;



            C- não queriam nenhuma
           alteração no quadro social
                   brasileiro,


    1.5- O reconhecimento da independência:
      EUA, Inglaterra, Portugal e as nações
      sul-americanas.
2- A Constituição de 1824:

2.1) A “constituição da mandioca”: projeto
  constitucional de 1823 previa o controle dos poderes
  do imperador pelos deputados e senadores.

2.2) Foi elaborada por um Conselho de Estado e foi
  outorgada pelo imperador D.Pedro I(imposta).

2.3) Divisão dos poderes: Executivo, Legislativo,
  Judiciário e Moderador.

2.4) Voto censitário e indireto. Obs.: até 1882
  analfabetos votavam em decorrência do silêncio da
  lei.

2.5) Unitarismo x Federalismo

2.6) Padroado e Beneplácito: subordinação da Igreja ao
  Estado.

2.7) Senado Vitalício
2013  fuga da família real e o primeiro reinado
3- Oposição a D.Pedro I:
3.1) Províncias longe do Sudeste, ou seja, no Norte
(Nordeste) e Sul.

3.2) Confederação do Equador 1824: PE;CE;PB;RN

A)Motivação: insatisfação das províncias do Nordeste
com o unitarismo e o autoritarismo de D.Pedro I.

B) um projeto liberal e republicano, porém a
democracia não agradava a todos.
C) a importância da imprensa: O Tamoio (irmãos Andrada),
    Sentinela da Liberdade (Cipriano Barata) Tífis Pernambucano
    (Frei Caneca)


D) repressão violenta do governo imperial.
4- A economia:

4.1) Vários empréstimos foram feitos à
Inglaterra.

4.2) Renovação dos Tratados de 1810,
em 1827.

4.3) Os altos impostos enfraqueciam a
economia do norte (nordeste)

4.4) Inflação / emissão de moedas com
valor reduzido.

4.5) A crise do produtos tradicionais:
açúcar, algodão, couro, cacau e fumo.
5- A queda de D.Pedro I:

5.1) Autoritarismo, arrogância e
violência do imperador.

5.2) Censura à imprensa.

5.3) Crise econômica e a falência do
Banco do Brasil (1829)
 
5.4) A guerra da Cisplatina:
a- Guerra de independência do Uruguai;
b- A questão da livre navegação do rio da
Prata.
c- Os interesses ingleses.
d- Os mercenários estrangeiros e o
5.5)Aproximação com os portugueses:

• Aliança com o partido português: nomeação e
privilégios.

• A sucessão do trono português

5.6) Assassinato do jornalista Líbero Badaró

5.7) A insatisfação dos militares: soldados
(pobres das cidades) e oficiais brasileiros
(forte presença lusa)

5.8) Noite das Garrafadas: “pés de chumbo”
vs. Cabras

5.9) Abdicação do trono, em 7 de abril de
1831.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vinda da Família Real ao Brasil
Vinda da Família Real ao BrasilVinda da Família Real ao Brasil
Vinda da Família Real ao Brasil
Rayan Gomes
 
Aula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilAula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasil
seixasmarianas
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
Geová da Silva
 
A família real no Brasil
A família real no BrasilA família real no Brasil
A família real no Brasil
Ana Luísa Walterfang
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
Nelia Salles Nantes
 
A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808
ProfessoresColeguium
 
slide aula período joanino
slide aula período joaninoslide aula período joanino
slide aula período joanino
Zivaini Pio de Santana
 
A família Real Portuguesa no Brasil
A família Real Portuguesa no BrasilA família Real Portuguesa no Brasil
A família Real Portuguesa no Brasil
Jefferson Alexandre Prado
 
Chegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesaChegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesa
profdu
 
A corte portuguesa no brasil
A corte portuguesa no brasilA corte portuguesa no brasil
A corte portuguesa no brasil
Alexandre Elias
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
Cristianerocharibas
 
Familia real no_brasil
Familia real no_brasilFamilia real no_brasil
Familia real no_brasil
Priscila Azeredo
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Isabela Espíndola
 
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
henrique.jay
 
A transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o BrasilA transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o Brasil
Isaquel Silva
 
2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI 2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI
Valesca Defante
 
BRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊS
BRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊSBRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊS
BRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊS
Marcelo Celloto
 
FamíLia Real No Brasil
FamíLia Real No BrasilFamíLia Real No Brasil
FamíLia Real No Brasil
Kerol Brombal
 
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o BrasilA transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

Vinda da Família Real ao Brasil
Vinda da Família Real ao BrasilVinda da Família Real ao Brasil
Vinda da Família Real ao Brasil
 
Aula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilAula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasil
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
A família real no Brasil
A família real no BrasilA família real no Brasil
A família real no Brasil
 
A Corte
A CorteA Corte
A Corte
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808
 
slide aula período joanino
slide aula período joaninoslide aula período joanino
slide aula período joanino
 
A família Real Portuguesa no Brasil
A família Real Portuguesa no BrasilA família Real Portuguesa no Brasil
A família Real Portuguesa no Brasil
 
Chegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesaChegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesa
 
A corte portuguesa no brasil
A corte portuguesa no brasilA corte portuguesa no brasil
A corte portuguesa no brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
Familia real no_brasil
Familia real no_brasilFamilia real no_brasil
Familia real no_brasil
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
 
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
 
A transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o BrasilA transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o Brasil
 
2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI 2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI
 
BRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊS
BRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊSBRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊS
BRASIL, SEDE DO IMPÉRIO PORTUGUÊS
 
FamíLia Real No Brasil
FamíLia Real No BrasilFamíLia Real No Brasil
FamíLia Real No Brasil
 
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o BrasilA transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
 

Destaque

O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
Felipe de Souza
 
A vinda da família real portuguesa ao brasil
A vinda da família real portuguesa ao brasilA vinda da família real portuguesa ao brasil
A vinda da família real portuguesa ao brasil
Lilian Larroca
 
Projeto 200 anos
Projeto 200 anosProjeto 200 anos
Projeto 200 anos
sandrabio
 
Medéia - Eurípedes
Medéia - EurípedesMedéia - Eurípedes
Medéia - Eurípedes
Waldo Peixoto
 
Marquês de Pombal
Marquês de PombalMarquês de Pombal
Marquês de Pombal
Inês Lucas
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)
Silvânio Barcelos
 
História do teatro no mundo ocidental 2
História do teatro no mundo ocidental 2História do teatro no mundo ocidental 2
História do teatro no mundo ocidental 2
Silvana Chaves
 
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
grupodepaisceb
 
A governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalA governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de Pombal
Zé Mário
 
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso IISegundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
CeiClarencio
 
Revbichos
RevbichosRevbichos
Brasil pombal e o renascimento agrícola
Brasil pombal e o renascimento agrícolaBrasil pombal e o renascimento agrícola
Brasil pombal e o renascimento agrícola
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação
Cristiene Stephanie
 
A educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasilA educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasil
Jane Terra
 
As missões jesuíticas
As missões jesuíticasAs missões jesuíticas
As missões jesuíticas
lyslley
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
igmateus
 
O TerritóRio Brasileiro
O TerritóRio BrasileiroO TerritóRio Brasileiro
O TerritóRio Brasileiro
leila Cardoso
 
O Despotismo Pombalino MarquêS De Pombal
O Despotismo Pombalino   MarquêS De PombalO Despotismo Pombalino   MarquêS De Pombal
O Despotismo Pombalino MarquêS De Pombal
Sílvia Mendonça
 

Destaque (18)

O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
 
A vinda da família real portuguesa ao brasil
A vinda da família real portuguesa ao brasilA vinda da família real portuguesa ao brasil
A vinda da família real portuguesa ao brasil
 
Projeto 200 anos
Projeto 200 anosProjeto 200 anos
Projeto 200 anos
 
Medéia - Eurípedes
Medéia - EurípedesMedéia - Eurípedes
Medéia - Eurípedes
 
Marquês de Pombal
Marquês de PombalMarquês de Pombal
Marquês de Pombal
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)
 
História do teatro no mundo ocidental 2
História do teatro no mundo ocidental 2História do teatro no mundo ocidental 2
História do teatro no mundo ocidental 2
 
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
 
A governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalA governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de Pombal
 
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso IISegundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
 
Revbichos
RevbichosRevbichos
Revbichos
 
Brasil pombal e o renascimento agrícola
Brasil pombal e o renascimento agrícolaBrasil pombal e o renascimento agrícola
Brasil pombal e o renascimento agrícola
 
Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação
 
A educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasilA educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasil
 
As missões jesuíticas
As missões jesuíticasAs missões jesuíticas
As missões jesuíticas
 
O Homem de Bem
O Homem de BemO Homem de Bem
O Homem de Bem
 
O TerritóRio Brasileiro
O TerritóRio BrasileiroO TerritóRio Brasileiro
O TerritóRio Brasileiro
 
O Despotismo Pombalino MarquêS De Pombal
O Despotismo Pombalino   MarquêS De PombalO Despotismo Pombalino   MarquêS De Pombal
O Despotismo Pombalino MarquêS De Pombal
 

Semelhante a 2013 fuga da família real e o primeiro reinado

2012 os caminhos até a independência
2012  os caminhos até a independência2012  os caminhos até a independência
2012 os caminhos até a independência
MARIANO C7S
 
Brasil período joanino e Independência 2020
Brasil período joanino e Independência 2020Brasil período joanino e Independência 2020
Brasil período joanino e Independência 2020
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Família real no brasil
Família real no brasilFamília real no brasil
Família real no brasil
harlissoncarvalho
 
2013 marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...
2013  marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...2013  marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...
2013 marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...
MARIANO C7S
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
JoanaRitaSilva
 
ATIVIDADES/2ANOS
ATIVIDADES/2ANOSATIVIDADES/2ANOS
ATIVIDADES/2ANOS
felipe_paes
 
Brasil da independencia ao 2 reianado
Brasil  da independencia ao 2 reianadoBrasil  da independencia ao 2 reianado
Brasil da independencia ao 2 reianado
Professor de História
 
Resumo historia brasil_parte_ii (1)
Resumo historia brasil_parte_ii (1)Resumo historia brasil_parte_ii (1)
Resumo historia brasil_parte_ii (1)
Manaahmaninha12
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   CompletoA ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
ricardup
 
Independência Brasil (1).pptx
Independência Brasil (1).pptxIndependência Brasil (1).pptx
Independência Brasil (1).pptx
MichaelAgnes2
 
Chegada ao Brasil.pptx
Chegada ao Brasil.pptxChegada ao Brasil.pptx
Chegada ao Brasil.pptx
RafaelyLeite1
 
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
Vítor Santos
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
Vítor Santos
 
A Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.pptA Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.ppt
RenataRodrigues504820
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
RenataRodrigues504820
 
00 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_500 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_5
Vítor Santos
 
Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007
Jorge Marcos Oliveira
 
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
marianasloureiro
 

Semelhante a 2013 fuga da família real e o primeiro reinado (20)

2012 os caminhos até a independência
2012  os caminhos até a independência2012  os caminhos até a independência
2012 os caminhos até a independência
 
Brasil período joanino e Independência 2020
Brasil período joanino e Independência 2020Brasil período joanino e Independência 2020
Brasil período joanino e Independência 2020
 
Família real no brasil
Família real no brasilFamília real no brasil
Família real no brasil
 
2013 marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...
2013  marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...2013  marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...
2013 marquês de pombal, revoltas anticoloniais, período joanino e primeiro r...
 
Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
 
ATIVIDADES/2ANOS
ATIVIDADES/2ANOSATIVIDADES/2ANOS
ATIVIDADES/2ANOS
 
Brasil da independencia ao 2 reianado
Brasil  da independencia ao 2 reianadoBrasil  da independencia ao 2 reianado
Brasil da independencia ao 2 reianado
 
Resumo historia brasil_parte_ii (1)
Resumo historia brasil_parte_ii (1)Resumo historia brasil_parte_ii (1)
Resumo historia brasil_parte_ii (1)
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   CompletoA ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
 
Independência Brasil (1).pptx
Independência Brasil (1).pptxIndependência Brasil (1).pptx
Independência Brasil (1).pptx
 
Chegada ao Brasil.pptx
Chegada ao Brasil.pptxChegada ao Brasil.pptx
Chegada ao Brasil.pptx
 
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
5 04 a implantacao do liberalismo em portugal
 
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal5 04 a implantação do liberalismo em portugal
5 04 a implantação do liberalismo em portugal
 
A Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.pptA Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.ppt
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
 
00 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_500 05 revisoes_modulo_5
00 05 revisoes_modulo_5
 
Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007Bras indep texto 11_ 2007
Bras indep texto 11_ 2007
 
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
A Fase de Dom João VI - 2M4/G3
 

Mais de MARIANO C7S

A Pré História Humana
A Pré História HumanaA Pré História Humana
A Pré História Humana
MARIANO C7S
 
2016 A produção do conhecimento histórico
2016 A produção do conhecimento histórico2016 A produção do conhecimento histórico
2016 A produção do conhecimento histórico
MARIANO C7S
 
2015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 1964
2015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 19642015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 1964
2015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 1964
MARIANO C7S
 
Islamismo e sahel
Islamismo e sahelIslamismo e sahel
Islamismo e sahel
MARIANO C7S
 
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
MARIANO C7S
 
2014 revolução inglesa
2014  revolução inglesa2014  revolução inglesa
2014 revolução inglesa
MARIANO C7S
 
2015 roma
2015 roma2015 roma
2015 roma
MARIANO C7S
 
2015 Era Vargas
2015  Era Vargas2015  Era Vargas
2015 Era Vargas
MARIANO C7S
 
2015 brasil colônia
2015  brasil colônia2015  brasil colônia
2015 brasil colônia
MARIANO C7S
 
2014 maias, astecas e incas
2014  maias, astecas e incas2014  maias, astecas e incas
2014 maias, astecas e incas
MARIANO C7S
 
A colonização da américa espanhola
A colonização da américa espanholaA colonização da américa espanhola
A colonização da américa espanhola
MARIANO C7S
 
2015 Egito e Mesopotâmia
2015 Egito e Mesopotâmia2015 Egito e Mesopotâmia
2015 Egito e Mesopotâmia
MARIANO C7S
 
2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo
MARIANO C7S
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
MARIANO C7S
 
2014 grandes navegações
2014  grandes navegações2014  grandes navegações
2014 grandes navegações
MARIANO C7S
 
2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...
2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...
2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...
MARIANO C7S
 
A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...
A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...
A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...
MARIANO C7S
 
Academia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditaduraAcademia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditadura
MARIANO C7S
 
2014 Brics - potencialidades e desconfianças
2014 Brics - potencialidades e desconfianças2014 Brics - potencialidades e desconfianças
2014 Brics - potencialidades e desconfianças
MARIANO C7S
 
2014 revolução industrial
2014 revolução industrial2014 revolução industrial
2014 revolução industrial
MARIANO C7S
 

Mais de MARIANO C7S (20)

A Pré História Humana
A Pré História HumanaA Pré História Humana
A Pré História Humana
 
2016 A produção do conhecimento histórico
2016 A produção do conhecimento histórico2016 A produção do conhecimento histórico
2016 A produção do conhecimento histórico
 
2015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 1964
2015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 19642015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 1964
2015 Governos Populistas; República Liberal; 1946 - 1964
 
Islamismo e sahel
Islamismo e sahelIslamismo e sahel
Islamismo e sahel
 
2015 revolução industrial
2015  revolução industrial2015  revolução industrial
2015 revolução industrial
 
2014 revolução inglesa
2014  revolução inglesa2014  revolução inglesa
2014 revolução inglesa
 
2015 roma
2015 roma2015 roma
2015 roma
 
2015 Era Vargas
2015  Era Vargas2015  Era Vargas
2015 Era Vargas
 
2015 brasil colônia
2015  brasil colônia2015  brasil colônia
2015 brasil colônia
 
2014 maias, astecas e incas
2014  maias, astecas e incas2014  maias, astecas e incas
2014 maias, astecas e incas
 
A colonização da américa espanhola
A colonização da américa espanholaA colonização da américa espanhola
A colonização da américa espanhola
 
2015 Egito e Mesopotâmia
2015 Egito e Mesopotâmia2015 Egito e Mesopotâmia
2015 Egito e Mesopotâmia
 
2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo2015 República Velha Extensivo
2015 República Velha Extensivo
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
2014 grandes navegações
2014  grandes navegações2014  grandes navegações
2014 grandes navegações
 
2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...
2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...
2014 Renascimento Cultural - Mecenato, burguesia, transformações no mundo feu...
 
A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...
A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...
A Baixa Idade Média - breve estudo sobre as Cruzadas, Renascimento Comercial ...
 
Academia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditaduraAcademia enem república populista ditadura
Academia enem república populista ditadura
 
2014 Brics - potencialidades e desconfianças
2014 Brics - potencialidades e desconfianças2014 Brics - potencialidades e desconfianças
2014 Brics - potencialidades e desconfianças
 
2014 revolução industrial
2014 revolução industrial2014 revolução industrial
2014 revolução industrial
 

2013 fuga da família real e o primeiro reinado

  • 2. PERÍODO JOANINO 1. INTRODUÇÃO: 1.1. A história é resultado de processos históricos e não de ações individuais de pseudo-heróis. 1.2. A diferença entre mito e realidade. 2. O CONTEXTO HISTÓRICO:
  • 3. 2.1. Europa: o Velho Continente fervia com as guerras napoleônicas e as ideias liberais 2.2. Portugal: D.João, príncipe regente; escolha entre a França e a Inglaterra
  • 4. 3. A VINDA DA FAMÍLIA PORTUGUESA PARA O BRASIL: Portugal rompeu o 3.1. MOTIVOS: bloqueio continental Obs: O Tratado de Invasão das tropas Fontanaible entre napoleônicas Espanha e França Fuga para o Brasil, sob escolta da Inglaterra
  • 6. 3.2. ABERTURA DOS PORTOS (1808): o fim do A abertura dos exclusivismo portos era uma colonial necessidade para a economia brasileira, Fim do pacto e não apenas uma colonial - imposição do Econômico governo inglês. comércio com as nações amigas beneficiou diretamente aos ingleses.
  • 7. 3.3. OS TRATADOS DE 1810 B- A invasão de produtos ingleses. A- Redução das C- Remodelação do taxas alfandegárias Rio de Janeiro. A- Faculdade de Medicina 15% para os B- Jardim Botânico ingleses; 16% C- Teatro São João para os portugueses; 24% D- Imprensa Régia para os demais) E- Biblioteca Real
  • 9. 3.4- Representou, para alguns historiadores, o fim do pacto colonial do ponto de vista político.
  • 10. 3.5- A necessidade de abastecer a Corte no Rio de Janeiro aprofundou o processo de integração econômica entre as diferentes regiões do Brasil. 3.6- Formação de uma elite dirigente; alianças entre brasileiros e portugueses.
  • 11. 4. MOVIMENTOS DE INSATISFAÇÃO COM A ADMINISTRAÇÃO DE D.JOÃO, PRINCÍPE REGENTE: 4.1. REVOLUÇÃO 4.2. REVOLTA PERNAMBUCANA LIBERAL DO DE 1817: PORTO - 1820
  • 12. 4.1. REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA DE 1817: A.Insatisfação dos nordestinos: impostos para sustentar a Corte; B. Influências externas: idéias iluministas e a Revolução Francesa (Diretório) C. ESTOPIM: Atritos entre o governador e os insatisfeitos. D. Pernambuco formou um governo independente por dez semanas, e contou com o apoio, apesar de ineficiente, do Ceará, Rio Grande do Norte e da Paraíba. E. Foi decretada a liberdade de imprensa e o governo era composto por membros da elite e das camadas médias urbanas. F. A duríssima repressão do governo de D. João, vinda a partir do Rio de Janeiro e de Salvador, foi implacável.
  • 13. 4.2. REVOLTA LIBERAL DO PORTO: A. Movimento burguês liberal: • acabar com o absolutismo ; • Estabelecimento de uma monarquia constitucional.
  • 14. B. Em relação ao Brasil: •recolonização imediata; • cancelamento da abertura dos portos; • o aumento das tarifas alfandegárias; • cancelamento da elevação do Brasil a Reino Unido. •Ordenou o retorno imediato de D. João VI e de toda família real para Portugal.
  • 15. 4.3- A independência: a- As Cortes portuguesas exigiam o retorno imediato de D.Pedro para Portugal; b- O “Dia do Fico” e o “Cumpra-se”, c- A elite do Centro-Sul do Brasil se aliou a D.Pedro.
  • 16. O GRITO DO IPIRANGA – PEDRO AMÉRICO - 1888
  • 21. PRIMEIRO REINADO 1822-1831 1. A construção do Estado Nacional e da brasilidade: 1.1- O que significa ser brasileiro? 1.2- Lutas de independência e o mito da “tranqüila” transição: Bahia, Maranhão, Grão-Pará e Piauí; Resistência portuguesa. 1.3- Assembléia Nacional Constituinte: deputados eleitos pelo voto censitário.
  • 22. 1.4- A independência foi resultado de uma aliança política entre os grandes latifundiários brasileiros e D.Pedro I, que buscavam: A- a manutenção da b- a autonomia política, que liberdade econômica; nos livraria definitivamente pós-Tratados de 1810 do domínio português; C- não queriam nenhuma alteração no quadro social brasileiro, 1.5- O reconhecimento da independência: EUA, Inglaterra, Portugal e as nações sul-americanas.
  • 23. 2- A Constituição de 1824: 2.1) A “constituição da mandioca”: projeto constitucional de 1823 previa o controle dos poderes do imperador pelos deputados e senadores. 2.2) Foi elaborada por um Conselho de Estado e foi outorgada pelo imperador D.Pedro I(imposta). 2.3) Divisão dos poderes: Executivo, Legislativo, Judiciário e Moderador. 2.4) Voto censitário e indireto. Obs.: até 1882 analfabetos votavam em decorrência do silêncio da lei. 2.5) Unitarismo x Federalismo 2.6) Padroado e Beneplácito: subordinação da Igreja ao Estado. 2.7) Senado Vitalício
  • 25. 3- Oposição a D.Pedro I: 3.1) Províncias longe do Sudeste, ou seja, no Norte (Nordeste) e Sul. 3.2) Confederação do Equador 1824: PE;CE;PB;RN A)Motivação: insatisfação das províncias do Nordeste com o unitarismo e o autoritarismo de D.Pedro I. B) um projeto liberal e republicano, porém a democracia não agradava a todos. C) a importância da imprensa: O Tamoio (irmãos Andrada), Sentinela da Liberdade (Cipriano Barata) Tífis Pernambucano (Frei Caneca) D) repressão violenta do governo imperial.
  • 26. 4- A economia: 4.1) Vários empréstimos foram feitos à Inglaterra. 4.2) Renovação dos Tratados de 1810, em 1827. 4.3) Os altos impostos enfraqueciam a economia do norte (nordeste) 4.4) Inflação / emissão de moedas com valor reduzido. 4.5) A crise do produtos tradicionais: açúcar, algodão, couro, cacau e fumo.
  • 27. 5- A queda de D.Pedro I: 5.1) Autoritarismo, arrogância e violência do imperador. 5.2) Censura à imprensa. 5.3) Crise econômica e a falência do Banco do Brasil (1829)   5.4) A guerra da Cisplatina: a- Guerra de independência do Uruguai; b- A questão da livre navegação do rio da Prata. c- Os interesses ingleses. d- Os mercenários estrangeiros e o
  • 28. 5.5)Aproximação com os portugueses: • Aliança com o partido português: nomeação e privilégios. • A sucessão do trono português 5.6) Assassinato do jornalista Líbero Badaró 5.7) A insatisfação dos militares: soldados (pobres das cidades) e oficiais brasileiros (forte presença lusa) 5.8) Noite das Garrafadas: “pés de chumbo” vs. Cabras 5.9) Abdicação do trono, em 7 de abril de 1831.