2014 revolução inglesa

406 visualizações

Publicada em

Revolução Inglesa, formação da Inglaterra moderna; expansionismo marítimo; cercamentos; êxodo rural;

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
406
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2014 revolução inglesa

  1. 1. A Construção da Inglaterra Moderna 1- As mudanças na economia: 1.1- O rompimento com a Igreja Católica e a formação da Igreja Anglicana; 1.2 O confisco das terras da Igreja Católica, que foram vendidas para a gentry ( proprietários rurais ingleses); 1.3- As cartas de cercamento: a gentry passou a cercar as terras comuns, o que levou milhares de camponeses à falência. A- Camponeses eram forçados a vender suas terras; B- Revoltas urbanas e rurais; C- Mentalidade capitalista no campo; produção voltada para o mercado.
  2. 2. 2- A MONARQUIA INGLESA 2.1- A venda de títulos nobiliárquicos; 2.2- Aproximação entre os monarcas e a burguesia; 2.3- A vitória inglesa sob a Armada Espanhola; 2.4- O acúmulo de capital com os corsários, as companhias de comércio e os monopólios; 2.5- As leis contra a vadiagem;
  3. 3. Jaime I Carlos I Carlos I
  4. 4. MOTIVAÇÕES PARA O INÍCIO DA GUERRA CIVIL/ REVOLUÇÃO INGLESA 1- O autoritarismo dos reis : Jaime I e Carlos I 2- Cobrança abusiva de impostos ; 3- Perseguição e repressão aos calvinistas ( puritanos); 4- Empréstimos forçados; 5- Fechamento do parlamento.
  5. 5. PARLAMENTOREI NOBREZA BURGUESIA MONOPOLISTA Igreja Anglicana BURGUESIA GENTRY CAMPONESES ARTESÃOS
  6. 6. AVANÇO DAS FORÇAS PARLAMENTARES VITÓRIA DO PARLAMENTO EXTINÇÃO DA MONARQUIA E FORMAÇÃO DA REPÚBLICA PURITANA OLIVER CROMWELL
  7. 7. A REPÚBLICA DE OLIVER CROMWELL (COMMONWEALTH – REPÚBLICA PURITANA): 1- A busca da estabilidade e a aliança com parte dos antigos adversários; 2- Focos de tensão: a- o exército devido a sua diversidade de componentes. b- a luta dos niveladores e dos escavadores; c- revolta na Irlanda: monarquistas católicos vs. puritanismo – Cromwell d- repressão violenta aos movimentos
  8. 8. ATOS DE NAVEGAÇÃO - 1651
  9. 9. A RESTAURAÇÃO MONÁRQUICA: 1- O medo das agitações e reivindicações populares promoveu o retorno da monarquia. 2- Carlos II e o parlamento fortalecido: a- apoio da burguesia. b- instituiu o habeas-corpus. 3- A morte do rei e a coroação do seu irmão Jaime II: a- católico convicto e a suposta conspiração com Luís XIV – “o rei Sol” b- Oposição generalizada: Igreja Anglicana; Parlamento; burguesia;gentry.
  10. 10. A REVOLUÇÃO GLORIOSA: 1- Pressão; ameaça de uma nova guerra civil; abdicação de Jaime II. 2- Coroação de Guilherme de Orange: protestante; holandês; genro de Jaime II. 3- O novo rei assinou e respeitou o Bill of Rights – Declaração de Direitos: a- Monarquia Constitucional Parlamentar. b- “ O rei reina, mas não governa.” 6.4- O voto censitário e a exclusão das camadas populares. 6.5- A burguesia passou a participar das decisões do Estado.
  11. 11. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL. • Início: ING, séc XVIII. • Fases: 1ª REV. INDUSTRIAL 2ª REV. INDUSTRIAL 1760 - 1860 1860 – 1914 ING, FRA e BEL ALE, ITA, RUS, EUA, JAP FERRO – CARVÃO - VAPOR AÇO – PETRÓLEO - ELETRICIDADE CAPITALISMO LIBERAL E INDUSTRIAL CAPITALISMO FINANCEIRO E MONOPOLISTA
  12. 12. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL.• Causas gerais da Revolução Industrial: – Revolução Comercial (séc XV – XVII) • Descoberta de novos continentes e do caminho para as Índias. • Formação de mercado mundial. • Incremento do comércio. – Acumulação primitiva de capital. • Entrada de produtos e riquezas de vários pontos do planeta na Europa.
  13. 13. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL. TEAR MECÂNICO MÁQUINAS A VAPOR Concorrência e a criação das máquinas. Tear mecânico, máquina de fiar, máquina a vapor. Aumento da produtividade
  14. 14. Pioneirismo inglês na Revolução IndustrialCapitais acumulados (colônias, acordos comerciais na Europa). Disponibilidade de mão-de-obra (cercamento dos campos – “enclosures” e artesãos falidos ). Matéria prima disponível (reservas de ferro e carvão e produção de lã – indústria têxtil). Mercado consumidor (colônias, países europeus e assalariados). Marinha mercante poderosa (Atos de Navegação – Oliver Cromwell). Burguesia no poder (parlamento – Revolução Gloriosa 1688). Ética protestante (estímulo ao lucro).
  15. 15. Conseqüências da Revolução Industrial: a) Consolidação do capitalismo e do poder da burguesia. b) Desenvolvimento tecnológico. c) Desenvolvimento dos transportes (barco a vapor, locomotiva) e das comunicações (telégrafo e posteriormente o telefone).
  16. 16. d) Aumento da produtividade (redução de preços). e) Esgotamento de recursos naturais. f) Urbanização intensa. h) Formação do proletariado urbano (operários). e) Surgimento do CAPITALISMO FINANCEIRO – (2ª. Revolução Industrial) grandes bancos controlando indústrias por meio de compra de ações ou dependência financeira (empréstimos).
  17. 17. Aprimoramento da produção em série: FORDISMO, TAYLORISMO
  18. 18. TAYLORISMO a) Racionalização da produção. b) Economia de mão-de-obra. c) Aumento da produtividade no trabalho. d) Corte de “gastos desnecessários de energia” e de “comportamentos supérfluos” por parte do trabalhador. e) Acabar com qualquer desperdício de tempo.
  19. 19. • A exploração de proletários e as lutas operárias: – Proletários destituídos da posse de meios de produção e instrumentos de trabalho. – Sujeitos a jornadas diárias de mais de 14 horas. – Sem nenhum direito trabalhista. – Exploração do trabalho feminino e infantil. – Baixos salários.
  20. 20. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL.Desemprego (“exército industrial de reserva”) Cartismo (1832 – 1848) – movimento de trabalhadores que redigiam reivindicações trabalhistas ao parlamento britânico. Obteve alguns benefícios como a redução da jornada de trabalho para 10 horas e regulamentação do trabalho infantil e feminino - Trade Unions – associações de trabalhadores que deram origem a sindicatos.
  21. 21. Ludismo: nome dado a um movimento ocorrido na Inglaterra entre os anos de 1811 e 1812, que reuniu alguns trabalhadores das indústrias contrários aos avanços tecnológicos em curso, proporcionadas pelo advento da primeira revolução industrial. Os ludistas protestavam contra a substituição da mão-de-obra humana por máquinas.

×