SlideShare uma empresa Scribd logo

História do teatro no mundo ocidental 2

1 de 33
Baixar para ler offline
HISTÓRIA DO TEATRO NO MUNDO
                  OCIDENTAL

                Linha do tempo
Primitivo
            Grego sec.
            V. aC
                         Romano   Medieval
Conforme o mímico
Marcel Marceau, a
pantomina é a “arte de
identificar o homem     TEATRO   PRIMITIVO
com a natureza e com
os elementos próximos
de nós”. O corpo do ator
torna-se um
instrumento de
transmissão de
mensagens. A mímica
pode “criar a ilusão do
tempo”, sendo a
representação artística
da expressão primitiva
do teatro.
História do teatro no mundo ocidental 2
TEATRO GREGO
DIONÍSIO – DEUS DO TEATRO GREGO
• Mais importante, do
  ponto de vista de Atenas,
  Dionísio próprio
  (representado por sua
  estátua de culto, que
  estava sentado na
  primeira fila) pode-se
  observar não apenas os
  desempenhos coral a ser
  dada em sua honra, mas
  os sacrifícios que foram
  feitos em seu altar.
História do teatro no mundo ocidental 2
O PRIMEIRO ATOR

• Segundo a lenda, no final do
  século VI aC, um homem
  chamado Téspis primeiro
  teve a idéia de adicionar os
  atores falando com os
  resultados de canto coral e
  dança, que ocorreu em
  muitas ocasiões, em toda a
  Grécia à luz do dia, antes
  das audiências de 12.000 ou
  mais em festas em honra de
  Dionísio, o deus do teatro.
Anúncio

Recomendados

GV - Breve História do Teatro
GV - Breve História do TeatroGV - Breve História do Teatro
GV - Breve História do TeatroSusana Sobrenome
 
Teatro origem e evolução
Teatro  origem e evoluçãoTeatro  origem e evolução
Teatro origem e evoluçãojosivaldopassos
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteJesrayne Nascimento
 
Resumão historia do teatro
Resumão historia do teatroResumão historia do teatro
Resumão historia do teatroTaís Ferreira
 
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-ArtesElisa
 
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)  TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes) Wellinton Augusto
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Arte Grega - 6º Ano E.F.
Arte Grega - 6º Ano E.F. Arte Grega - 6º Ano E.F.
Arte Grega - 6º Ano E.F.
 
leitura de uma obra
leitura de uma obraleitura de uma obra
leitura de uma obra
 
Questões simulado
Questões simuladoQuestões simulado
Questões simulado
 
Arte na escola
Arte na escolaArte na escola
Arte na escola
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro
 
Prova arte grega
Prova arte gregaProva arte grega
Prova arte grega
 
Arte Barroca
Arte BarrocaArte Barroca
Arte Barroca
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
Avaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafiteAvaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafite
 
Aula arte egipicia
Aula arte egipiciaAula arte egipicia
Aula arte egipicia
 
1 o que é arte- Texto-
1 o que é arte- Texto-1 o que é arte- Texto-
1 o que é arte- Texto-
 
ARTE GREGA - AULA 4
ARTE GREGA - AULA 4ARTE GREGA - AULA 4
ARTE GREGA - AULA 4
 
Os vários tipos de teatro
Os vários tipos de teatroOs vários tipos de teatro
Os vários tipos de teatro
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
 
Arte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e EgitoArte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e Egito
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
 
Prova de Artes EJA Ensino Médio
Prova de Artes EJA Ensino MédioProva de Artes EJA Ensino Médio
Prova de Artes EJA Ensino Médio
 
Mapa mental arte barroca
Mapa mental   arte barrocaMapa mental   arte barroca
Mapa mental arte barroca
 
[Danca][26 05][2a]gabarito
[Danca][26 05][2a]gabarito[Danca][26 05][2a]gabarito
[Danca][26 05][2a]gabarito
 

Destaque

A Origem Do Teatro
A Origem Do TeatroA Origem Do Teatro
A Origem Do Teatromartinsramon
 
História do teatro
História do teatroHistória do teatro
História do teatroe- Arquivo
 
História do teatro
História do teatroHistória do teatro
História do teatroe- Arquivo
 
As MáScaras Nas Diversas Culturas
As MáScaras Nas Diversas CulturasAs MáScaras Nas Diversas Culturas
As MáScaras Nas Diversas CulturasSílvia Mendonça
 
Medéia - Eurípedes
Medéia - EurípedesMedéia - Eurípedes
Medéia - EurípedesWaldo Peixoto
 
Vinda família real para o Brasil
Vinda família real para o BrasilVinda família real para o Brasil
Vinda família real para o BrasilNúcia História
 
2013 fuga da família real e o primeiro reinado
2013  fuga da família real e o primeiro reinado2013  fuga da família real e o primeiro reinado
2013 fuga da família real e o primeiro reinadoMARIANO C7S
 
Marquês de Pombal
Marquês de PombalMarquês de Pombal
Marquês de PombalInês Lucas
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Silvânio Barcelos
 
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014grupodepaisceb
 
Aula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilAula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilseixasmarianas
 
A governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalA governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalZé Mário
 
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso IISegundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso IICeiClarencio
 
Exercícios sobre o teatro romano
Exercícios sobre o teatro romanoExercícios sobre o teatro romano
Exercícios sobre o teatro romanoSilvana Chaves
 
Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação Cristiene Stephanie
 
A educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasilA educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasilJane Terra
 
As missões jesuíticas
As missões jesuíticasAs missões jesuíticas
As missões jesuíticaslyslley
 

Destaque (20)

A Origem Do Teatro
A Origem Do TeatroA Origem Do Teatro
A Origem Do Teatro
 
História do teatro
História do teatroHistória do teatro
História do teatro
 
História do teatro
História do teatroHistória do teatro
História do teatro
 
As MáScaras Nas Diversas Culturas
As MáScaras Nas Diversas CulturasAs MáScaras Nas Diversas Culturas
As MáScaras Nas Diversas Culturas
 
Máscaras
MáscarasMáscaras
Máscaras
 
Medéia - Eurípedes
Medéia - EurípedesMedéia - Eurípedes
Medéia - Eurípedes
 
Vinda família real para o Brasil
Vinda família real para o BrasilVinda família real para o Brasil
Vinda família real para o Brasil
 
2013 fuga da família real e o primeiro reinado
2013  fuga da família real e o primeiro reinado2013  fuga da família real e o primeiro reinado
2013 fuga da família real e o primeiro reinado
 
Marquês de Pombal
Marquês de PombalMarquês de Pombal
Marquês de Pombal
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)
 
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
Crescimento espiritual - base para a verdadeira felicidade - junho 2014
 
Aula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilAula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasil
 
A governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de PombalA governação do Marquês de Pombal
A governação do Marquês de Pombal
 
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso IISegundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
Segundo Módulo - Aula 09 - Lei do progresso II
 
Exercícios sobre o teatro romano
Exercícios sobre o teatro romanoExercícios sobre o teatro romano
Exercícios sobre o teatro romano
 
Tcc
TccTcc
Tcc
 
Brasil pombal e o renascimento agrícola
Brasil pombal e o renascimento agrícolaBrasil pombal e o renascimento agrícola
Brasil pombal e o renascimento agrícola
 
Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação Jesuitas e a educação - História da educação
Jesuitas e a educação - História da educação
 
A educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasilA educação jesuítica no brasil
A educação jesuítica no brasil
 
As missões jesuíticas
As missões jesuíticasAs missões jesuíticas
As missões jesuíticas
 

Semelhante a História do teatro no mundo ocidental 2

Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédiaApostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédiaIsabella Silva
 
Panorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro OcidentalPanorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro OcidentalClaudia Venturi
 
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia DaEvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Damega
 
2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatroO Ciclista
 
Apresentação de as bacantes
Apresentação de as bacantesApresentação de as bacantes
Apresentação de as bacantesguest09960e
 
O teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antigaO teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antigaVictor Natan
 
Gênero dramático
Gênero dramáticoGênero dramático
Gênero dramáticoJulia Lemos
 
Síntese - História do teatro
Síntese - História do teatroSíntese - História do teatro
Síntese - História do teatroCarla Camuso
 
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.Hca Faro
 

Semelhante a História do teatro no mundo ocidental 2 (20)

Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédiaApostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
Apostila 01 2 ano 2012 grécia tragédia e comédia
 
Documento
DocumentoDocumento
Documento
 
Panorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro OcidentalPanorama Do Teatro Ocidental
Panorama Do Teatro Ocidental
 
Poética da antiguidadade
Poética da antiguidadadePoética da antiguidadade
Poética da antiguidadade
 
Artes cênicas
Artes cênicasArtes cênicas
Artes cênicas
 
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia DaEvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
EvoluçãO Do Teatro Ao Longo Da HistóRia Da
 
Teatro Grego
Teatro GregoTeatro Grego
Teatro Grego
 
2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro2011 08-30 - teatro
2011 08-30 - teatro
 
Teatro grego slide 1
Teatro grego slide 1Teatro grego slide 1
Teatro grego slide 1
 
Teatro grego
Teatro gregoTeatro grego
Teatro grego
 
Historia do teatro
Historia do teatroHistoria do teatro
Historia do teatro
 
comentarios teatrais
comentarios teatraiscomentarios teatrais
comentarios teatrais
 
Teatro
TeatroTeatro
Teatro
 
Teatro Grego
Teatro GregoTeatro Grego
Teatro Grego
 
Apresentação de as bacantes
Apresentação de as bacantesApresentação de as bacantes
Apresentação de as bacantes
 
O teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antigaO teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antiga
 
Gênero dramático
Gênero dramáticoGênero dramático
Gênero dramático
 
História do Teatro
História do TeatroHistória do Teatro
História do Teatro
 
Síntese - História do teatro
Síntese - História do teatroSíntese - História do teatro
Síntese - História do teatro
 
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
O Teatro como manifestação religiosa e como parte do exercício de cidadania.
 

Mais de Silvana Chaves

TEATRO NA IDADE MÉDIA
TEATRO NA IDADE MÉDIATEATRO NA IDADE MÉDIA
TEATRO NA IDADE MÉDIASilvana Chaves
 
Teatro na idade média
Teatro na idade médiaTeatro na idade média
Teatro na idade médiaSilvana Chaves
 
Teatro na idade média
Teatro na idade médiaTeatro na idade média
Teatro na idade médiaSilvana Chaves
 
TRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOS
TRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOSTRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOS
TRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOSSilvana Chaves
 
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3   elementos da linguagem cênicaConteúdo 3   elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênicaSilvana Chaves
 
Exercícios sobre o teatro grego
Exercícios sobre o teatro gregoExercícios sobre o teatro grego
Exercícios sobre o teatro gregoSilvana Chaves
 
Elementos da linguagem cênica exercícios
Elementos da linguagem cênica  exercíciosElementos da linguagem cênica  exercícios
Elementos da linguagem cênica exercíciosSilvana Chaves
 

Mais de Silvana Chaves (12)

Teatro do oprimido
Teatro do oprimidoTeatro do oprimido
Teatro do oprimido
 
TEATRO NA IDADE MÉDIA
TEATRO NA IDADE MÉDIATEATRO NA IDADE MÉDIA
TEATRO NA IDADE MÉDIA
 
Teatro na idade média
Teatro na idade médiaTeatro na idade média
Teatro na idade média
 
Teatro na idade média
Teatro na idade médiaTeatro na idade média
Teatro na idade média
 
Trabalho de cênicas
Trabalho de cênicasTrabalho de cênicas
Trabalho de cênicas
 
TRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOS
TRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOSTRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOS
TRABALHO SOBRE ELEMENTOS CÊNICOS
 
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3   elementos da linguagem cênicaConteúdo 3   elementos da linguagem cênica
Conteúdo 3 elementos da linguagem cênica
 
Exercícios sobre o teatro grego
Exercícios sobre o teatro gregoExercícios sobre o teatro grego
Exercícios sobre o teatro grego
 
Elementos da linguagem cênica exercícios
Elementos da linguagem cênica  exercíciosElementos da linguagem cênica  exercícios
Elementos da linguagem cênica exercícios
 
Teatro romano
Teatro romanoTeatro romano
Teatro romano
 
Teatro grego
Teatro gregoTeatro grego
Teatro grego
 
Teatro romano.ppsx
Teatro romano.ppsxTeatro romano.ppsx
Teatro romano.ppsx
 

Último

004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 

História do teatro no mundo ocidental 2

  • 1. HISTÓRIA DO TEATRO NO MUNDO OCIDENTAL Linha do tempo Primitivo Grego sec. V. aC Romano Medieval
  • 2. Conforme o mímico Marcel Marceau, a pantomina é a “arte de identificar o homem TEATRO PRIMITIVO com a natureza e com os elementos próximos de nós”. O corpo do ator torna-se um instrumento de transmissão de mensagens. A mímica pode “criar a ilusão do tempo”, sendo a representação artística da expressão primitiva do teatro.
  • 4. TEATRO GREGO DIONÍSIO – DEUS DO TEATRO GREGO • Mais importante, do ponto de vista de Atenas, Dionísio próprio (representado por sua estátua de culto, que estava sentado na primeira fila) pode-se observar não apenas os desempenhos coral a ser dada em sua honra, mas os sacrifícios que foram feitos em seu altar.
  • 6. O PRIMEIRO ATOR • Segundo a lenda, no final do século VI aC, um homem chamado Téspis primeiro teve a idéia de adicionar os atores falando com os resultados de canto coral e dança, que ocorreu em muitas ocasiões, em toda a Grécia à luz do dia, antes das audiências de 12.000 ou mais em festas em honra de Dionísio, o deus do teatro.
  • 7. ARQUITETURA DO TEATRO GREGO • a parte mais importante do espaço de atuação foi a orquestra, que significa "um lugar para dançar" ESPAÇO DE ATUAÇÃO (orchesis). Um coro trágico consistiu de 12 ou 15 bailarinos (choreuts), que podem ter sido os jovens prestes a entrar para o serviço militar após alguns anos de formação. Atenienses eram ensinados a cantar e dançar em uma idade muito precoce. O esforço de dançar e cantar com três tragédias e um jogo sátiro foi comparada com a de competir nos Jogos Olímpicos.
  • 9. TEATRO DE DIONÍSIO EM ATENAS Ruínas do teatro de Dionísio
  • 10. Reconstrução em 3D do teatro de Dionísio Orquestra
  • 11. VISTA AÉREA DO TEATRO DE DIONÍSIO COM O PARTHENON EM PRIMEIRO PLANO
  • 12. SKENÉ • Tenda que tinha inicialmente a função de ser um lugar para a troca de roupa dos atores.Era uma estrutura provisória, que depois era construída em madeira apenas para as encenações. Vista do skene a partir do meio do flanco direito do Theatron
  • 13. Grua ou guindaste, a mechané, usada para elevar personagens em voô, deuses ou heróis, como belerofonte em seu cavalo Pégaso. Belerofonte
  • 15. Máscaras teatrais eram feitas de madeira (como as máscaras do teatro Nô japonês), de couro (como as máscaras da Commedia dell 'arte, ou um pano e cola de farinha (como muitas das máscaras usadas no Carnevale de Veneza, e muitas máscaras feitas para as produções de hoje moderno). Várias teorias estão avançadas em favor de cada material, mas não permanecem originais, apenas esculturas de pedra que pode ter sido usado como máscara os moldes e as pinturas em cerâmica.
  • 17. MÁSCARA DA COMÉDIA GREGA MÁSCARA DA TRAGÉDIA GREGA
  • 18. SÁTIROS Cada conjunto de três tragédias se seguiu a encenação de um sátiro, uma paródia curta de um mito relacionado ao tema, pelo menos, uma das tragédias. Os personagens humanos comuns nessas execuções trágico usavam máscaras e fantasias, mas o coro de meia-sátiros humanos usavam pug-nosed, pontudo, orelhas, máscaras barbudo, shorts peludo, e de tamanho normal ereto falos (provavelmente feita de couro). Sátiros dançaram um tipo especial de dança chamada sikinnis, em que aparecem como cavalos.
  • 21. RECONSTRUÇÃO EM 3D DE MÁSCARA GREGA
  • 22. TEATRO DE EPIDAURO – RECONSTRUÇÃO EM 3D
  • 23. DRAMATURGOS GREGOS ÉSQUILO SÓFOCLES EURÍPEDES MENANDRO ARISTÓFANES
  • 24. Sófocles Sófocles (em grego, Σοφοκλῆς – Sophoklês, na transliteração) (496 a.C.?-406 a.C.) foi um dramaturgo grego, um dos mais importantes escritores de tragédia ao lado de Ésquilo e Eurípedes. Suas peças retratam personagens nobres e da realeza. Filho de um rico mercador, nasceu em Colona, perto de Atenas, na época do governo de Péricles, o apogeu da cultura helênica.
  • 26. ARISTÓFANES • Escreveu mais de quarenta peças, das quais apenas onze são conhecidas. Conservador, revela hostilidade às inovações sociais e políticas e aos deuses e homens responsáveis por elas. Seus heróis defendem o passado de Atenas, os valores democráticos tradicionais, as virtudes cívicas e a solidariedade social. Violentamente satírico, critica a pomposidade, a impostura, os desmandos e a corrupção na sociedade em que viveu.
  • 28. ÉSQUILO Ésquilo (em grego, Αἰσχύλος - Aiskhýlos, na transliteração) -- Elêusis c. 525 a.C. - Gela 456 a.C. -- foi um poeta trágico grego. É considerado como o fundador da tragédia Na sua obra destaca-se a importância dada ao sofrimento, narrando as sagas dos Deuses e dos Mitos (como por exemplo em Prometeu Acorrentado). Terá escrito 79 tragédias (segundo alguns autores cerca de 90), das quais se conservaram apenas sete tragédias completas (para além de inúmeros fragmentos dispersos de outras):
  • 31. EURÍPEDES Eurípedes (também grafado Eurípides; do grego antigo: Εὐριπίδης) (Salamina c. 485 a.C. - Pela, Macedônia, 406 a.C.) foi um poeta trágico grego. Eurípedes foi o último dos três grandes autores trágicos da Atenas clássica (os outros dois foram Ésquilo e Sófocles). Para Eurípedes, os mitos (elementos vitais da tragédia) eram apenas coleções de histórias cuja função era perpetuar crenças sobre concepções primitivas. Por tal motivo, opta por relatar em suas tragédias a história dos negados e/ou vencidos, podendo citar como exemplo a obra As Troianas, em que o autor relata a história das mulheres da cidade de Tróia (lembrando que na época as mulheres não eram consideradas como membros da sociedade).
  • 32. MENANDRO Menandro Biografias/Dramaturgia Grega Menandro (em grego Ménandros - c. 342 a.C. - 291 a.C.) foi o principal autor da Comédia nova, última fase da evolução dramática ateniense, que exerceu profunda influência sobre os romanos Plauto e, sobretudo, Terêncio.
  • 33. Atenção • Fazer resumo (no caderno) sobre TEATRO GREGO (da apostila HISTORIA DO TEATRO NO MUNDO) –