SlideShare uma empresa Scribd logo
- No paleolítico os homens pré-históricos eram nômades
e colhiam alimentos Extrativismo
Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola
Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola
- No mesolítico o homem começou a domesticar os animais
e cultivar plantas, neste período passou a ser sedentário.
Agricultura
Domesticação de animais
10.000 a.C
Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola
- No neolítico o homem
antigo desenvolveu
algumas ferramentas, o
arado e a tração animal
aumentando a área
plantada e produção de
alimentos.
Na idade dos metais surgiram as primeiras civilizações situadas no
Egito e Mesopotâmia, nesta época surgiram novas técnicas
agrícolas a irrigação e a drenagem, que associadas a mecanização
aumentaram a produtividade agrícola.
Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola
Rio Nilo
A 1ª Revolução Agrícola e o uso
de máquinas na agricultura
(Europa, Séc. XVIII)
1700
Revolução Agrícola
1º Revolução Industrial
Arranque Revolução Demográfica
1670 1750 1800 1830 19001850
Inglaterra
Trator
A 1 ª Revolução Agrícola provocou...
Alterações na agricultura como:
• O aumento da área de produção agrícola;
• O surgimento de novas técnicas de cultivo
Algo tão significativo...
Ela estimulou o arranque da Revolução Industrial na inglaterra.
arados
cercas vivas
Nos meados do séc. XIX surgiram na Inglaterra, os
protótipos iniciais de tratores. Adiante, em 1890, os
Estados Unidos começaram a sua produção e maior
desenvolvimento.
O invento do trator agrícola foi um marco considerável
para a evolução e transformação da agricultura.
Essa máquina permitiu que diversas operações fossem
realizadas na propriedade agrícola de forma concomitante
e constante.
TRATORES AGRÍCOLAS - HISTÓRICO
Tração motorizada – Potência e produtividade alta.
A 2ª Revolução Agrícola –
“Revolução Verde”
(Europa & USA, séc. xx)
Revolução verde
Este modelo de desenvolvimento agrícola desencadeou no final de 1940, com
o propósito de aumentar a produtividade agrícola com a introdução de máquinas,
sementes melhoradas, fertilizantes químicos e agrotóxicos. Alguns produtores não
se adaptaram as tecnologias e ficaram endividados, além de sair da zona rural.
Mas, a tecnologia da mecanização agrícola européia e
americana ganhou força e espalhou-se por todo o mundo,
apesar dos diferentes biomas e características
edafo-climáticas de cada região.
O modelo de agricultura capitalista, motivou as causas
principais da evolução da mecanização agrícola, devido:
• A necessidade do aumento da capacidade de trabalho
do homem do campo, face à crescente escassez de
mão-de-obra rural;
• A migração das populações rurais para as zonas
urbanas, devido ao processo de desenvolvimento
econômico pelo qual passou os países desenvolvidos.
Para que serve a mecanização agrícola?
- Aumentar a produção (área cultivada) e produtividade
(produção/área) aliado à maior eficiência das atividades
agrícolas, tornando o trabalho menos árduo e mais atraente;
Para que serve a mecanização agrícola?
• Atender a demanda mundial de alimentos devido o
crescimento populacional acompanhado do processo de
urbanização, onde 70% das pessoas residem no meio
urbano;
• Redução dos custos e maximização dos lucros.
TRATORES AGRÍCOLAS - HISTÓRICO
Evolução da mecanização motorizada
1870
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (1890)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 20)
Os autores em geral, consideram o
início da mecanização agrícola
brasileira a partir dos meados da
década de 20 com atuação essencial
nas lavouras canavieiras. Neste
período o nosso parque de máquinas
e implementos era de produtos
importados.
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 30)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 30)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 30)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 40)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 40)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 50)
Ao final da década de 50 um novo impulso foi
dado à agricultura mecanizada nacional.
O decreto 47.473 de 22 de dezembro de 1959
previa que nenhum trator seria importado a partir de
julho de 1960.
Então, em 1960 teve início o Plano Nacional
da Indústria de Tratores, considerado o marco
da fabricação dessas máquinas no nosso país,
onde diversas fábricas começaram a produção
de tratores e implementos.
Assim seriam fabricados: tratores leves de 25 a
35 cv, tratores médios de 35 a 45 cv e tratores
pesados com mais de 45 cv.
A demanda por tratores mais potentes foi
rápida e já em 1962 fabricava-se, no Brasil,
tratores de 81 hp.
Os principais fabricantes eram a Ford,
Deutz, Feudt, Valmet, CBT, Massey-
Ferguson, Agrale, John Deere e Santa
Matilde. Nos dias atuais permanecem
ainda no mercado nacional, alguns destes
fabricantes.
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 60)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 60)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 70)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 70)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 80)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 80)
Após a década de 80, a
mecanização foi novamente
estimulada devido a liberação da
importação de máquinas
agrícolas.
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 90 – atual)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 90 – atual)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 90 – atual)
TRATORES AGRÍCOLAS –
HISTÓRICO (anos 90 – atual)
CASE STEIGER ≈ 500CV

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Preparo do Solo
Preparo do SoloPreparo do Solo
Preparo do Solo
Killer Max
 
Manejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de PragasManejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de Pragas
AgriculturaSustentavel
 
Histórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agriculturaHistórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agricultura
Alex Samuel Rodrigues
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Corretores da acidez superficial do solo
Corretores da acidez superficial do solo Corretores da acidez superficial do solo
Corretores da acidez superficial do solo
Geagra UFG
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
Willian Passos
 
Extensão rural
Extensão ruralExtensão rural
Cultura da Soja
Cultura da SojaCultura da Soja
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
Killer Max
 
Sistemas Agrícolas
Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas
Sistemas Agrícolas
joao paulo
 
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Ediney Dias
 
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
AM Placas Ltda. Placas
 
Manejo de Irrigação
Manejo de IrrigaçãoManejo de Irrigação
Manejo de Irrigação
Sebastião Nascimento
 
Coleta e amostragem de solo.
Coleta e amostragem de solo.Coleta e amostragem de solo.
Coleta e amostragem de solo.
Leandro Araujo
 
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iiiGestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
Rita de Cássia Freitas
 
Pulverização
PulverizaçãoPulverização
Pulverização
Taís Leandro
 
Agricultura orgânica
Agricultura orgânicaAgricultura orgânica
Agricultura orgânica
Lilianlbl
 
eco aula 2 - A administracão rural e o agronegócio
eco aula 2 - A administracão rural e o agronegócioeco aula 2 - A administracão rural e o agronegócio
eco aula 2 - A administracão rural e o agronegócio
Carol Castro
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controle
Geagra UFG
 
02 tipos de maquinas e implementos
02  tipos de maquinas e implementos02  tipos de maquinas e implementos
02 tipos de maquinas e implementos
Instituto Federal de Pernambuco - Campus Barreiros
 

Mais procurados (20)

Preparo do Solo
Preparo do SoloPreparo do Solo
Preparo do Solo
 
Manejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de PragasManejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de Pragas
 
Histórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agriculturaHistórico sobre o início da agricultura
Histórico sobre o início da agricultura
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
Corretores da acidez superficial do solo
Corretores da acidez superficial do solo Corretores da acidez superficial do solo
Corretores da acidez superficial do solo
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
 
Extensão rural
Extensão ruralExtensão rural
Extensão rural
 
Cultura da Soja
Cultura da SojaCultura da Soja
Cultura da Soja
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
 
Sistemas Agrícolas
Sistemas AgrícolasSistemas Agrícolas
Sistemas Agrícolas
 
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
 
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.Preparação do solo,  uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
Preparação do solo, uso de corretivos e tecnologias de aplicação.
 
Manejo de Irrigação
Manejo de IrrigaçãoManejo de Irrigação
Manejo de Irrigação
 
Coleta e amostragem de solo.
Coleta e amostragem de solo.Coleta e amostragem de solo.
Coleta e amostragem de solo.
 
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iiiGestão da propriedade agrícola modulo iii
Gestão da propriedade agrícola modulo iii
 
Pulverização
PulverizaçãoPulverização
Pulverização
 
Agricultura orgânica
Agricultura orgânicaAgricultura orgânica
Agricultura orgânica
 
eco aula 2 - A administracão rural e o agronegócio
eco aula 2 - A administracão rural e o agronegócioeco aula 2 - A administracão rural e o agronegócio
eco aula 2 - A administracão rural e o agronegócio
 
Plantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controlePlantas daninhas e seu controle
Plantas daninhas e seu controle
 
02 tipos de maquinas e implementos
02  tipos de maquinas e implementos02  tipos de maquinas e implementos
02 tipos de maquinas e implementos
 

Semelhante a 1.histórico e importância

O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...
O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...
O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...
Faga1939
 
G1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrialG1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrial
Vítor Santos
 
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrialUnidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Vítor Santos
 
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdfDO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
Henrique Pontes
 
Agricultura brasileira
Agricultura brasileiraAgricultura brasileira
Agricultura brasileira
Thamires Bragança
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Acessa Esterina
 
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômicoA revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
Ricardo Diniz campos
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
Alex Ferreira dos Santos
 
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt   capitalismo e a revolução industrialGeografia ppt   capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Beatriz EAloísio
 
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt   capitalismo e a revolução industrialGeografia ppt   capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Amadeu Neto
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
Carlos Pinheiro
 
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xixA europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
Maria Nogueira
 
Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]
Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]
Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]
Maria
 
Esquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução IndustrialEsquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução Industrial
ProfessoresColeguium
 
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma AgráriaAgricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Paulo Cerqueira
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
felipeimh
 
Hegemonia britânica.
Hegemonia britânica.Hegemonia britânica.
Hegemonia britânica.
barbarafixe
 
Revolução industrial Diego 19.07
Revolução industrial Diego 19.07Revolução industrial Diego 19.07
Revolução industrial Diego 19.07
PIBIDSolondeLucena
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
Robert Plant
 
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptxApresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
FddtBgj
 

Semelhante a 1.histórico e importância (20)

O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...
O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...
O AVANÇO TECNOLÓGICO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL PELAS REVOLUÇÕES ECONÔMICAS Q...
 
G1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrialG1 a revolução agricola e arranque industrial
G1 a revolução agricola e arranque industrial
 
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrialUnidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
Unidade 5 da_revolução_agrivcola_à_revolução_industrial
 
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdfDO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
DO ARTESANATO À INDÚSTRIA.pdf
 
Agricultura brasileira
Agricultura brasileiraAgricultura brasileira
Agricultura brasileira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômicoA revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
A revolução industrial proporcionou o capitalismo econômico
 
A Revolução Industrial
A Revolução IndustrialA Revolução Industrial
A Revolução Industrial
 
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt   capitalismo e a revolução industrialGeografia ppt   capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
 
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt   capitalismo e a revolução industrialGeografia ppt   capitalismo e a revolução industrial
Geografia ppt capitalismo e a revolução industrial
 
A Revolução industrial
A Revolução industrialA Revolução industrial
A Revolução industrial
 
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xixA europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
A europa industrial no século xix e portugal na segunda metade do século xix
 
Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]
Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]
Ficha de trabalho_stc_-_ng6-dr2_-_15-03-2010[1]
 
Esquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução IndustrialEsquema 1: Revolução Industrial
Esquema 1: Revolução Industrial
 
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma AgráriaAgricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
Agricultura brasileira - Estrutura Fundiaria e Reforma Agrária
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
Hegemonia britânica.
Hegemonia britânica.Hegemonia britânica.
Hegemonia britânica.
 
Revolução industrial Diego 19.07
Revolução industrial Diego 19.07Revolução industrial Diego 19.07
Revolução industrial Diego 19.07
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptxApresentação GEOGRAFIA.pptx
Apresentação GEOGRAFIA.pptx
 

1.histórico e importância

  • 1.
  • 2. - No paleolítico os homens pré-históricos eram nômades e colhiam alimentos Extrativismo Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola
  • 3. Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola - No mesolítico o homem começou a domesticar os animais e cultivar plantas, neste período passou a ser sedentário. Agricultura Domesticação de animais 10.000 a.C
  • 4. Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola - No neolítico o homem antigo desenvolveu algumas ferramentas, o arado e a tração animal aumentando a área plantada e produção de alimentos.
  • 5. Na idade dos metais surgiram as primeiras civilizações situadas no Egito e Mesopotâmia, nesta época surgiram novas técnicas agrícolas a irrigação e a drenagem, que associadas a mecanização aumentaram a produtividade agrícola. Surgimento da agricultura e da mecanização agrícola Rio Nilo
  • 6. A 1ª Revolução Agrícola e o uso de máquinas na agricultura (Europa, Séc. XVIII)
  • 7. 1700 Revolução Agrícola 1º Revolução Industrial Arranque Revolução Demográfica 1670 1750 1800 1830 19001850 Inglaterra Trator
  • 8. A 1 ª Revolução Agrícola provocou... Alterações na agricultura como: • O aumento da área de produção agrícola; • O surgimento de novas técnicas de cultivo Algo tão significativo... Ela estimulou o arranque da Revolução Industrial na inglaterra.
  • 10. Nos meados do séc. XIX surgiram na Inglaterra, os protótipos iniciais de tratores. Adiante, em 1890, os Estados Unidos começaram a sua produção e maior desenvolvimento. O invento do trator agrícola foi um marco considerável para a evolução e transformação da agricultura. Essa máquina permitiu que diversas operações fossem realizadas na propriedade agrícola de forma concomitante e constante.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14. TRATORES AGRÍCOLAS - HISTÓRICO
  • 15. Tração motorizada – Potência e produtividade alta.
  • 16. A 2ª Revolução Agrícola – “Revolução Verde” (Europa & USA, séc. xx)
  • 17. Revolução verde Este modelo de desenvolvimento agrícola desencadeou no final de 1940, com o propósito de aumentar a produtividade agrícola com a introdução de máquinas, sementes melhoradas, fertilizantes químicos e agrotóxicos. Alguns produtores não se adaptaram as tecnologias e ficaram endividados, além de sair da zona rural.
  • 18. Mas, a tecnologia da mecanização agrícola européia e americana ganhou força e espalhou-se por todo o mundo, apesar dos diferentes biomas e características edafo-climáticas de cada região.
  • 19. O modelo de agricultura capitalista, motivou as causas principais da evolução da mecanização agrícola, devido: • A necessidade do aumento da capacidade de trabalho do homem do campo, face à crescente escassez de mão-de-obra rural; • A migração das populações rurais para as zonas urbanas, devido ao processo de desenvolvimento econômico pelo qual passou os países desenvolvidos.
  • 20. Para que serve a mecanização agrícola? - Aumentar a produção (área cultivada) e produtividade (produção/área) aliado à maior eficiência das atividades agrícolas, tornando o trabalho menos árduo e mais atraente;
  • 21. Para que serve a mecanização agrícola? • Atender a demanda mundial de alimentos devido o crescimento populacional acompanhado do processo de urbanização, onde 70% das pessoas residem no meio urbano; • Redução dos custos e maximização dos lucros.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. TRATORES AGRÍCOLAS - HISTÓRICO Evolução da mecanização motorizada 1870
  • 29. Os autores em geral, consideram o início da mecanização agrícola brasileira a partir dos meados da década de 20 com atuação essencial nas lavouras canavieiras. Neste período o nosso parque de máquinas e implementos era de produtos importados.
  • 36. Ao final da década de 50 um novo impulso foi dado à agricultura mecanizada nacional. O decreto 47.473 de 22 de dezembro de 1959 previa que nenhum trator seria importado a partir de julho de 1960. Então, em 1960 teve início o Plano Nacional da Indústria de Tratores, considerado o marco da fabricação dessas máquinas no nosso país, onde diversas fábricas começaram a produção de tratores e implementos. Assim seriam fabricados: tratores leves de 25 a 35 cv, tratores médios de 35 a 45 cv e tratores pesados com mais de 45 cv.
  • 37. A demanda por tratores mais potentes foi rápida e já em 1962 fabricava-se, no Brasil, tratores de 81 hp. Os principais fabricantes eram a Ford, Deutz, Feudt, Valmet, CBT, Massey- Ferguson, Agrale, John Deere e Santa Matilde. Nos dias atuais permanecem ainda no mercado nacional, alguns destes fabricantes.
  • 44. Após a década de 80, a mecanização foi novamente estimulada devido a liberação da importação de máquinas agrícolas.
  • 45. TRATORES AGRÍCOLAS – HISTÓRICO (anos 90 – atual)
  • 46. TRATORES AGRÍCOLAS – HISTÓRICO (anos 90 – atual)
  • 47. TRATORES AGRÍCOLAS – HISTÓRICO (anos 90 – atual)
  • 48. TRATORES AGRÍCOLAS – HISTÓRICO (anos 90 – atual) CASE STEIGER ≈ 500CV