SlideShare uma empresa Scribd logo
1
2




1. Atenta à sua história
Ponto de partida: Conferencia de Aparecida
  (2007)

Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da
   Igreja do Brasil (2007-2011)

10° Plano de Pastoral (2009-2012) - “Discípulos-
   missionários na cidade de São Paulo”, na
   Arquidiocese de São Paulo
3




Celebração do Centenário da Arquidiocese, que
coincidiu com o Ano Paulino (2008)

Em 2010, o Congresso de Leigos, com o tema - “Vós
sois o sal da terra... Vós sois a luz do mundo”
(Mt 5,13.14)

Em 2011-2012 - Destaque pastoral - “Paróquia:
comunidade de comunidades” - , com a publicação
da Carta Pastoral - “Paróquia: torna-te o que tu és!”
– do Arcebispo Metropolitano, Cardeal Dom Odilo.
4




Referências: o Projeto de Animação Missionária
Permanente (PAMP) do Regional Sul 1 da CNBB; a
Conferência de Aparecida, a Exortação Apostólica
“Verbum Domini” do Papa Bento XVI (2010), as
Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja
no Brasil (2011-2015), a comemoração dos 50 anos
do Concílio Vaticano II, o “Ano da Fé” (2012-2013) e
a Jornada Mundial da Juventude, de 2013, no Rio de
Janeiro, com repercussão também em São Paulo.
5




Projeto de Evangelização (2013-2016) – “Arquidiocese de
São Paulo: testemunha de Jesus Cristo na cidade” –
estabelece para o próximo quatriênio destaques de ação
pastoral, a partir do Catecismo da Igreja Católica, do
Concilio Vaticano II, e das Urgências da Ação pastoral e
evangelizadora da Igreja do Brasil – visando celebrar o
ANO DA FÉ, proposto pelo Papa Bento XVI, com a
celebração dos 50 anos do Concílio Vaticano II e os 20
anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica, pelo
Beato Papa João Paulo II.
6
7




Iniciativa é divina – É Cristo que nos procura

Experiência de Paulo é emblemática

Jesus Cristo – no Mistério da Encarnação –
(Flp 2, 6-11) – tem implicações: assumir seu jeito
de ser, seu estilo de vida: Serviço e Gratuidade.

Colocar-se a serviço da sua tríplice missão
messiânica, de ensinar, santificar e pastorear,
como paradigma para a vida e a ação da Igreja.
8




Ser testemunha de Jesus Cristo é, portanto, para
a Igreja de São Paulo: Tornar visível Cristo,
Profeta, anunciador do Reino do Pai e da Palavra
da Salvação; Sacerdote, Mediador da Nova
Aliança, que em seu Corpo reconcilia os homens
com Deus e entre Si; e Pastor, Aquele que dá a
vida pelo seu rebanho.
9




3. Diante das possibilidades e desafios

- Possibilidades:

Por maiores que sejam os desafios à ação
pastoral, a Igreja tem a certeza de que vive um
“tempo de graça”, uma ocasião propícia para o
testemunho dos verdadeiros valores humanos e
cristãos. A cidade é também um espaço de
liberdade e de oportunidades.
10




- Desafios para a ação evangelizadora:
Realidades antagônicas, onde convive opulência e
miséria, lugar de decisões políticas e centro
econômico da nação brasileira e pouca formação
política das consciências, casos de corrupção
convivendo com a violência, a juventude sem
oportunidades iguais; consumismo que gera
exclusão; meios de comunicação social muitas
vezes a serviço de interesses de grupos; a
degradação do meio ambiente, as ameaças
constantes à família, inversão de valores que
acabam por descaracterizar a afetividade e a
sexualidade; o drama da saúde pública.
11




- Desafios à ação eclesial:

Religiosidade descompromissada com o ser
humano e dimensão eclesial e comunitária da fé;

Diminuição das vocações ao sacerdócio e à
consagração de vida. Ainda são poucas as
paróquias que têm um serviço de animação
vocacional (SAV) organizado,
12




Necessidade da formação dos leigos para que,
numa eclesiologia de comunhão, estejam
preparados e orientados a difundir a mensagem
divina da salvação a todos, em especial nos
ambientes em que as pessoas não podem ouvir
o Evangelho nem conhecer a Cristo, a não ser
através dos leigos.

Diante da evasão de fiéis católicos da Igreja,
exige, hoje, maior empenho na formação dos
fiéis na fé católica com base na Palavra de Deus,
no Catecismo da Igreja, nas orientações da Igreja
e no testemunho dos santos.
13




Valorizar o Domingo, o “Dia do Senhor”.
A Pastoral Familiar e Movimentos Eclesiais
voltados às famílias e as paróquias no
acompanhamento dos casais e famílias, devem
estimula-las (famílias e casais) a viver a união
matrimonial e a vida em família na graça do
Senhor, e comunicar às novas gerações o
maravilhoso tesouro da fé. Formar as
consciências para os valores humanos e
cristãos, superando a ética do “politicamente
correto”, onde a valorização da vida em todas as
suas etapas (desde o útero até o seu declínio)
torna-se valor absoluto.
14




O imperativo de evangelizar, pelos meios de
comunicação, traz o desafio de apoiar, sustentar,
aprimorar o uso e promover mais os meios de
comunicação, o trabalho da PASCOM em todos os
níveis e a formação de pessoas para atuarem neste
campo.
A falta de condições materiais requer estabelecer
vigorosos laços de solidariedade entre comunidades
e paróquias, num intercâmbio de bens e forças, que
não deixe faltar a ninguém, sobretudo aos pobres, o
anúncio do Evangelho e seus valores de justiça e
defesa dos pequenos e marginalizados ( valorizar as
experiências de “paróquias irmãs”)
15




A   acelerada   movimentação   do    mercado
imobiliário e o surgimento de novos e grandes
empreendimentos habitacionais requerem uma
ação atenta e corajosa para tornar a Igreja
visivelmente presente nessas áreas e para a
formação de novas Comunidades e Paróquias.
16




4. Fiel à Vocação de Evangelizar

“ Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa
alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este
tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor
nos confiou ao nos chamar e nos escolher. Com
os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo
ressuscitado, podemos e queremos contemplar
o mundo, a história, os nossos povos da
América Latina e do Caribe, e cada um dos seus
habitantes” (DAp 18).
17




O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora da
Igreja no Brasil, definido nas Diretrizes Gerais
aprovadas pela      49ª Assembleia Geral dos
Bispos do Brasil (CNBB), em maio de 2011, é o
seguinte:

EVANGELIZAR, a partir de Jesus Cristo e na
força do Espírito Santo, como Igreja discípula,
missionária e profética, alimentada pela Palavra
de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica
opção preferencial pelos pobres, para que todos
tenham vida, rumo ao Reino definitivo.
18




Portanto, este também é o objetivo geral para a
ação evangelizadora na Arquidiocese de São
Paulo,   com      uma   conotação   particular:   a
“conversão pastoral”, para que a Igreja em São
Paulo possa cumprir sua vocação e missão
nesta cidade imensa e complexa, mas cheia de
possibilidades.
19




O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora da
Igreja no Brasil, definido nas Diretrizes Gerais
aprovadas pela      49ª Assembleia Geral dos
Bispos do Brasil (CNBB), em maio de 2011, é o
seguinte:

“Conversão pastoral” - A conversão pastoral,
antes de tudo, é uma decisão e uma nova
postura missionária, que deve impregnar todas
as estruturas eclesiais da Arquidiocese, o 11º
Plano de Pastoral, a vida das paróquias,
comunidades religiosas, movimentos e de
qualquer instituição da Igreja em São Paulo.
20




A conversão pastoral de nossas comunidades
exige que se vá além de uma pastoral de mera
conservação, passando a uma            pastoral
decididamente missionária. Assim será possível
que o único programa do Evangelho continue
introduzindo-se na história de cada comunidade
eclesial com novo ardor missionário, fazendo
com que a Igreja se manifeste como mãe que vai
ao encontro, como casa acolhedora, como
escola permanente de comunhão missionária”
(DAp 370).
21




II PARTE – Urgências na ação evangelizadora e
pastoral

A partir da conversão pastoral e missionária,
entende-se a importância das urgências
pastorais, são urgências na evangelização.
Tendo consciência da sua missão de transmitir e
dar um alicerce sólido à fé, a Igreja do Brasil
destaca cinco urgências na evangelização, às
quais a Arquidiocese de São Paulo acrescenta
uma sexta, relacionada à juventude:
22




Primeira urgência: Igreja em estado permanente de
missão;
Segunda urgência: Igreja - casa da iniciação cristã;
Terceira urgência: Igreja - comunidade animada
pela Palavra de Deus;
Quarta urgência:      Igreja   -   comunidade     de
comunidades;
Quinta urgência: Igreja a serviço da vida plena
para todos;
Sexta urgência: A Igreja e a evangelização dos
jovens.
23




Primeira urgência: Igreja em estado permanente de
missão
  “A atual consciência missionária interpela os
católicos a irem ao encontro das pessoas, famílias,
comunidades e povos, para lhes comunicar e
compartilhar o dom da fé, no encontro com Cristo.
Estamos num tempo de urgente saída ”em todas
as direções para proclamar que o mal e a morte
não têm a última palavra”, um tempo de esquecer
o que ficou para trás e correr em busca d´Aquele
que já nos alcançou (cf. Fl 3,12-14), um tempo que
deve levar a uma forte comoção missionária”
(DGAE 2011-2015, n.31).
24




Segunda urgência: Igreja – Casa da iniciação à
vida cristã
 “A fé é dom de Deus! “Não se começa a ser
cristão por uma decisão ética ou uma grande
ideia, mas pelo encontro com um acontecimento,
com uma Pessoa, que dá um novo horizonte à
vida e, com isso, uma orientação decisiva”
[Bento XVI, DCE,n.1]. Por sua vez, este encontro
é mediado pela ação da Igreja, ação que se
concretiza em cada tempo e lugar, de acordo
com o jeito de ser de cada povo, de cada cultura”
(DGAE 2011-2015, N.37).
25




Terceira urgência: Igreja – comunidade animada pela
Palavra de Deus
“Na alvorada do terceiro milênio, não só existem
muitos povos que ainda não conheceram a Boa-
Nova, mas há também muitos cristãos que têm
necessidade que lhes seja anunciada novamente, de
modo persuasivo, a Palavra de Deus, para poderem
experimentar concretamente a força do Evangelho
[...]; particularmente as novas gerações têm a
necessidade de ser introduzidas na Palavra de Deus
através do encontro e do testemunho autêntico do
adulto, da influência positiva dos amigos e da
grande companhia que é a comunidade eclesial.”
(Bento XVI, Verbum Domini, nn.96.97)
26




Quarta urgência:    Igreja   –   comunidade   de
comunidades
“A dimensão comunitária é intrínseca ao mistério
e à realidade da Igreja, que deve refletir a
Santíssima Trindade (DAp n.304). Sem vida em
comunidade, não há como viver efetivamente a
proposta cristã, isto é, o Reino de Deus. A
comunidade acolhe, forma e transforma, envia
em missão, restaura, celebra, adverte e
sustenta.” (DGAE 2011-2015, n. 56).
27




Quinta urgência: Igreja a serviço da vida plena
para todos
“Ao longo de uma história de solidariedade e
compromisso com as incontáveis vítimas das
inúmeras formas de destruição da vida, a Igreja
se reconhece servidora do Deus da vida. A nova
época que, pela graça deste mesmo Deus,
haverá de surgir precisa ser marcada pelo amor
e pela valorização da vida, em todas as suas
dimensões. A omissão diante de tal desafio será
cobrada por Deus e pela história futura” (DGAE
2011-2015 n. 66).
28




Sexta urgência – A Igreja e a evangelização da
juventude
“A evangelização da juventude interessa muito à
Igreja e aos seus pastores. Temos um
compromisso sério com a formação das novas
gerações que, pressionadas por tantas propostas
de vida, necessitam de muito discernimento, de
coragem,      de     verdadeiros    caminhos   e,
principalmente, de nossa presença amiga. Os
jovens têm o direito de receber da Igreja o
Evangelho e de ser introduzidos na experiência
religiosa, no encontro com Deus e no contato com
as riquezas da fé cristã” (Doc. 85 CNBB, p.5)
29

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
Paulo David
 
O papel da paróquia na formação dos seus agentes
O papel da paróquia na formação dos seus agentesO papel da paróquia na formação dos seus agentes
O papel da paróquia na formação dos seus agentes
Luís Miguel Rodrigues
 
Apresentação missão laguna negra
Apresentação missão laguna negraApresentação missão laguna negra
Apresentação missão laguna negra
psaocamilo
 
SINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo MoraisSINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo Morais
Paulo David
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
Rodrigo Catini Flaibam
 
Sinodo dos bispos formação cdp
Sinodo dos bispos   formação cdpSinodo dos bispos   formação cdp
Sinodo dos bispos formação cdp
PeClaudio
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
José Vieira Dos Santos
 
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
José Vieira Dos Santos
 
As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2
As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2
As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2
MARLI COSTA
 
Documento 25 da CNBB
Documento 25 da CNBBDocumento 25 da CNBB
Documento 25 da CNBB
Carlos Santos
 
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
domeduardo
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
Bernadetecebs .
 
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SPInformativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Bernadetecebs .
 
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
domeduardo
 
PERFIL DO MISSIONÁRIO
PERFIL DO MISSIONÁRIOPERFIL DO MISSIONÁRIO
PERFIL DO MISSIONÁRIO
Paulo David
 
Documento de-aparecida e do caribe
Documento de-aparecida e do caribe Documento de-aparecida e do caribe
Documento de-aparecida e do caribe
Pejota2015
 
DIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIAS
DIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIASDIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIAS
DIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIAS
Paulo David
 
Missão Continental
Missão Continental Missão Continental
Missão Continental
Bernadetecebs .
 
Igreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de ComunidadesIgreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de Comunidades
Adriano Matilha
 
Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015
Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015
Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015
Setor Juventude Sergipe
 

Mais procurados (20)

DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA 2019 - 2023
 
O papel da paróquia na formação dos seus agentes
O papel da paróquia na formação dos seus agentesO papel da paróquia na formação dos seus agentes
O papel da paróquia na formação dos seus agentes
 
Apresentação missão laguna negra
Apresentação missão laguna negraApresentação missão laguna negra
Apresentação missão laguna negra
 
SINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo MoraisSINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo Morais
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
 
Sinodo dos bispos formação cdp
Sinodo dos bispos   formação cdpSinodo dos bispos   formação cdp
Sinodo dos bispos formação cdp
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
 
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
Comunidade de Comunidades Uma Nova Paróquia
 
As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2
As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2
As ce bs-e-seus-desafios-hoje-2
 
Documento 25 da CNBB
Documento 25 da CNBBDocumento 25 da CNBB
Documento 25 da CNBB
 
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
 
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SPInformativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
 
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?COMO FALAR DE DEUS HOJE?
COMO FALAR DE DEUS HOJE?
 
PERFIL DO MISSIONÁRIO
PERFIL DO MISSIONÁRIOPERFIL DO MISSIONÁRIO
PERFIL DO MISSIONÁRIO
 
Documento de-aparecida e do caribe
Documento de-aparecida e do caribe Documento de-aparecida e do caribe
Documento de-aparecida e do caribe
 
DIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIAS
DIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIASDIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIAS
DIOCESE E PARÓQUIAS MISSIONÁRIAS
 
Missão Continental
Missão Continental Missão Continental
Missão Continental
 
Igreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de ComunidadesIgreja Comunidade de Comunidades
Igreja Comunidade de Comunidades
 
Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015
Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015
Arquidiocese de Aracaju - Plano Pastoral 2012 a 2015
 

Destaque

Educação musical bossa nova
Educação musical   bossa novaEducação musical   bossa nova
Educação musical bossa nova
mariahelenaferreirasantos
 
DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015
DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015
DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015
José Vieira Dos Santos
 
Servo bom
Servo bomServo bom
Servo bom
Elias Costa
 
Servos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmenteServos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmente
AdSede Assis
 
04. comunidade-de-comunidades
04. comunidade-de-comunidades04. comunidade-de-comunidades
04. comunidade-de-comunidades
Tiago Osb
 
Organização e gestão na secretaria paroquial
Organização e gestão na secretaria paroquialOrganização e gestão na secretaria paroquial
Organização e gestão na secretaria paroquial
Conage
 
Formação - Conselho Pastoral Paroquial
Formação - Conselho Pastoral ParoquialFormação - Conselho Pastoral Paroquial
Formação - Conselho Pastoral Paroquial
eusouaimaculada
 
Erysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatments
Erysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatmentsErysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatments
Erysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatments
Lazoi Lifecare Private Limited
 

Destaque (8)

Educação musical bossa nova
Educação musical   bossa novaEducação musical   bossa nova
Educação musical bossa nova
 
DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015
DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015
DOC 94 CNBB DIRETRIZES 2011 a 2015
 
Servo bom
Servo bomServo bom
Servo bom
 
Servos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmenteServos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmente
 
04. comunidade-de-comunidades
04. comunidade-de-comunidades04. comunidade-de-comunidades
04. comunidade-de-comunidades
 
Organização e gestão na secretaria paroquial
Organização e gestão na secretaria paroquialOrganização e gestão na secretaria paroquial
Organização e gestão na secretaria paroquial
 
Formação - Conselho Pastoral Paroquial
Formação - Conselho Pastoral ParoquialFormação - Conselho Pastoral Paroquial
Formação - Conselho Pastoral Paroquial
 
Erysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatments
Erysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatmentsErysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatments
Erysipelas : causes, symptoms, diagnosis, prevention and treatments
 

Semelhante a Arquidiocese de São Paulo: Testemunha de Jesus Cristo na cidade - 11º Plano de Pastoral (2012)

Igreja viva
Igreja vivaIgreja viva
Igreja viva
Bernadetecebs .
 
7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas
7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas
7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas
Rodrigo Catini Flaibam
 
SINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICA
SINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICASINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICA
SINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICA
Paulo David
 
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBsMensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Carlos Santos
 
Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
Pejota2015
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
Oswaldo Michaelano
 
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBsMensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Carlos Santos
 
Desafios da gestão
Desafios da gestãoDesafios da gestão
Desafios da gestão
Conage
 
Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_
Flávia Renata
 
Documento de Aparecida
Documento de AparecidaDocumento de Aparecida
Documento de Aparecida
Missão Fonte Avivamento
 
ECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubroECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubro
Lada vitorino
 
Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015
Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015
Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015
familiaregsul4
 
Missão continental
Missão continentalMissão continental
Missão continental
pmgv5
 
Documento de Aparecida
Documento de AparecidaDocumento de Aparecida
Documento de Aparecida
Carlinhos Pregador
 
Documento de Aparecida
Documento de AparecidaDocumento de Aparecida
Documento de Aparecida
GRUPO DE ORAÇÃO ANJO RAFAEL
 
DOCUMENTO 105 CNBB
DOCUMENTO 105 CNBBDOCUMENTO 105 CNBB
DOCUMENTO 105 CNBB
GRUPO DE ORAÇÃO ANJO RAFAEL
 
Eucaristia e Missão, Pedreira
Eucaristia e Missão, PedreiraEucaristia e Missão, Pedreira
Eucaristia e Missão, Pedreira
Andreia Mello
 
Eucarístia e Missão, Pedreira
Eucarístia e Missão, PedreiraEucarístia e Missão, Pedreira
Eucarístia e Missão, Pedreira
Andreia Mello
 
Cnbb 2007 documento_de_aparecida
Cnbb 2007 documento_de_aparecidaCnbb 2007 documento_de_aparecida
Cnbb 2007 documento_de_aparecida
Catequista Josivaldo
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Reinaldo Oliveira Do Carmo
 

Semelhante a Arquidiocese de São Paulo: Testemunha de Jesus Cristo na cidade - 11º Plano de Pastoral (2012) (20)

Igreja viva
Igreja vivaIgreja viva
Igreja viva
 
7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas
7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas
7º Plano de Pastoral Orgânica - Arquidiocese de Campinas
 
SINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICA
SINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICASINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICA
SINODALIDADE - CAMINHADA HISTÓRICA
 
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBsMensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
 
Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
 
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBsMensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
Mensagem ao povo de Deus sobre as CEBs
 
Desafios da gestão
Desafios da gestãoDesafios da gestão
Desafios da gestão
 
Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_
 
Documento de Aparecida
Documento de AparecidaDocumento de Aparecida
Documento de Aparecida
 
ECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubroECOVIDA Setembro-outubro
ECOVIDA Setembro-outubro
 
Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015
Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015
Diretrizes da Pastoral Familiar > 2011 - 2015
 
Missão continental
Missão continentalMissão continental
Missão continental
 
Documento de Aparecida
Documento de AparecidaDocumento de Aparecida
Documento de Aparecida
 
Documento de Aparecida
Documento de AparecidaDocumento de Aparecida
Documento de Aparecida
 
DOCUMENTO 105 CNBB
DOCUMENTO 105 CNBBDOCUMENTO 105 CNBB
DOCUMENTO 105 CNBB
 
Eucaristia e Missão, Pedreira
Eucaristia e Missão, PedreiraEucaristia e Missão, Pedreira
Eucaristia e Missão, Pedreira
 
Eucarístia e Missão, Pedreira
Eucarístia e Missão, PedreiraEucarístia e Missão, Pedreira
Eucarístia e Missão, Pedreira
 
Cnbb 2007 documento_de_aparecida
Cnbb 2007 documento_de_aparecidaCnbb 2007 documento_de_aparecida
Cnbb 2007 documento_de_aparecida
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
 

Último

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 

Último (15)

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 

Arquidiocese de São Paulo: Testemunha de Jesus Cristo na cidade - 11º Plano de Pastoral (2012)

  • 1. 1
  • 2. 2 1. Atenta à sua história Ponto de partida: Conferencia de Aparecida (2007) Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil (2007-2011) 10° Plano de Pastoral (2009-2012) - “Discípulos- missionários na cidade de São Paulo”, na Arquidiocese de São Paulo
  • 3. 3 Celebração do Centenário da Arquidiocese, que coincidiu com o Ano Paulino (2008) Em 2010, o Congresso de Leigos, com o tema - “Vós sois o sal da terra... Vós sois a luz do mundo” (Mt 5,13.14) Em 2011-2012 - Destaque pastoral - “Paróquia: comunidade de comunidades” - , com a publicação da Carta Pastoral - “Paróquia: torna-te o que tu és!” – do Arcebispo Metropolitano, Cardeal Dom Odilo.
  • 4. 4 Referências: o Projeto de Animação Missionária Permanente (PAMP) do Regional Sul 1 da CNBB; a Conferência de Aparecida, a Exortação Apostólica “Verbum Domini” do Papa Bento XVI (2010), as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (2011-2015), a comemoração dos 50 anos do Concílio Vaticano II, o “Ano da Fé” (2012-2013) e a Jornada Mundial da Juventude, de 2013, no Rio de Janeiro, com repercussão também em São Paulo.
  • 5. 5 Projeto de Evangelização (2013-2016) – “Arquidiocese de São Paulo: testemunha de Jesus Cristo na cidade” – estabelece para o próximo quatriênio destaques de ação pastoral, a partir do Catecismo da Igreja Católica, do Concilio Vaticano II, e das Urgências da Ação pastoral e evangelizadora da Igreja do Brasil – visando celebrar o ANO DA FÉ, proposto pelo Papa Bento XVI, com a celebração dos 50 anos do Concílio Vaticano II e os 20 anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica, pelo Beato Papa João Paulo II.
  • 6. 6
  • 7. 7 Iniciativa é divina – É Cristo que nos procura Experiência de Paulo é emblemática Jesus Cristo – no Mistério da Encarnação – (Flp 2, 6-11) – tem implicações: assumir seu jeito de ser, seu estilo de vida: Serviço e Gratuidade. Colocar-se a serviço da sua tríplice missão messiânica, de ensinar, santificar e pastorear, como paradigma para a vida e a ação da Igreja.
  • 8. 8 Ser testemunha de Jesus Cristo é, portanto, para a Igreja de São Paulo: Tornar visível Cristo, Profeta, anunciador do Reino do Pai e da Palavra da Salvação; Sacerdote, Mediador da Nova Aliança, que em seu Corpo reconcilia os homens com Deus e entre Si; e Pastor, Aquele que dá a vida pelo seu rebanho.
  • 9. 9 3. Diante das possibilidades e desafios - Possibilidades: Por maiores que sejam os desafios à ação pastoral, a Igreja tem a certeza de que vive um “tempo de graça”, uma ocasião propícia para o testemunho dos verdadeiros valores humanos e cristãos. A cidade é também um espaço de liberdade e de oportunidades.
  • 10. 10 - Desafios para a ação evangelizadora: Realidades antagônicas, onde convive opulência e miséria, lugar de decisões políticas e centro econômico da nação brasileira e pouca formação política das consciências, casos de corrupção convivendo com a violência, a juventude sem oportunidades iguais; consumismo que gera exclusão; meios de comunicação social muitas vezes a serviço de interesses de grupos; a degradação do meio ambiente, as ameaças constantes à família, inversão de valores que acabam por descaracterizar a afetividade e a sexualidade; o drama da saúde pública.
  • 11. 11 - Desafios à ação eclesial: Religiosidade descompromissada com o ser humano e dimensão eclesial e comunitária da fé; Diminuição das vocações ao sacerdócio e à consagração de vida. Ainda são poucas as paróquias que têm um serviço de animação vocacional (SAV) organizado,
  • 12. 12 Necessidade da formação dos leigos para que, numa eclesiologia de comunhão, estejam preparados e orientados a difundir a mensagem divina da salvação a todos, em especial nos ambientes em que as pessoas não podem ouvir o Evangelho nem conhecer a Cristo, a não ser através dos leigos. Diante da evasão de fiéis católicos da Igreja, exige, hoje, maior empenho na formação dos fiéis na fé católica com base na Palavra de Deus, no Catecismo da Igreja, nas orientações da Igreja e no testemunho dos santos.
  • 13. 13 Valorizar o Domingo, o “Dia do Senhor”. A Pastoral Familiar e Movimentos Eclesiais voltados às famílias e as paróquias no acompanhamento dos casais e famílias, devem estimula-las (famílias e casais) a viver a união matrimonial e a vida em família na graça do Senhor, e comunicar às novas gerações o maravilhoso tesouro da fé. Formar as consciências para os valores humanos e cristãos, superando a ética do “politicamente correto”, onde a valorização da vida em todas as suas etapas (desde o útero até o seu declínio) torna-se valor absoluto.
  • 14. 14 O imperativo de evangelizar, pelos meios de comunicação, traz o desafio de apoiar, sustentar, aprimorar o uso e promover mais os meios de comunicação, o trabalho da PASCOM em todos os níveis e a formação de pessoas para atuarem neste campo. A falta de condições materiais requer estabelecer vigorosos laços de solidariedade entre comunidades e paróquias, num intercâmbio de bens e forças, que não deixe faltar a ninguém, sobretudo aos pobres, o anúncio do Evangelho e seus valores de justiça e defesa dos pequenos e marginalizados ( valorizar as experiências de “paróquias irmãs”)
  • 15. 15 A acelerada movimentação do mercado imobiliário e o surgimento de novos e grandes empreendimentos habitacionais requerem uma ação atenta e corajosa para tornar a Igreja visivelmente presente nessas áreas e para a formação de novas Comunidades e Paróquias.
  • 16. 16 4. Fiel à Vocação de Evangelizar “ Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor nos confiou ao nos chamar e nos escolher. Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado, podemos e queremos contemplar o mundo, a história, os nossos povos da América Latina e do Caribe, e cada um dos seus habitantes” (DAp 18).
  • 17. 17 O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, definido nas Diretrizes Gerais aprovadas pela 49ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil (CNBB), em maio de 2011, é o seguinte: EVANGELIZAR, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo.
  • 18. 18 Portanto, este também é o objetivo geral para a ação evangelizadora na Arquidiocese de São Paulo, com uma conotação particular: a “conversão pastoral”, para que a Igreja em São Paulo possa cumprir sua vocação e missão nesta cidade imensa e complexa, mas cheia de possibilidades.
  • 19. 19 O Objetivo Geral da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, definido nas Diretrizes Gerais aprovadas pela 49ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil (CNBB), em maio de 2011, é o seguinte: “Conversão pastoral” - A conversão pastoral, antes de tudo, é uma decisão e uma nova postura missionária, que deve impregnar todas as estruturas eclesiais da Arquidiocese, o 11º Plano de Pastoral, a vida das paróquias, comunidades religiosas, movimentos e de qualquer instituição da Igreja em São Paulo.
  • 20. 20 A conversão pastoral de nossas comunidades exige que se vá além de uma pastoral de mera conservação, passando a uma pastoral decididamente missionária. Assim será possível que o único programa do Evangelho continue introduzindo-se na história de cada comunidade eclesial com novo ardor missionário, fazendo com que a Igreja se manifeste como mãe que vai ao encontro, como casa acolhedora, como escola permanente de comunhão missionária” (DAp 370).
  • 21. 21 II PARTE – Urgências na ação evangelizadora e pastoral A partir da conversão pastoral e missionária, entende-se a importância das urgências pastorais, são urgências na evangelização. Tendo consciência da sua missão de transmitir e dar um alicerce sólido à fé, a Igreja do Brasil destaca cinco urgências na evangelização, às quais a Arquidiocese de São Paulo acrescenta uma sexta, relacionada à juventude:
  • 22. 22 Primeira urgência: Igreja em estado permanente de missão; Segunda urgência: Igreja - casa da iniciação cristã; Terceira urgência: Igreja - comunidade animada pela Palavra de Deus; Quarta urgência: Igreja - comunidade de comunidades; Quinta urgência: Igreja a serviço da vida plena para todos; Sexta urgência: A Igreja e a evangelização dos jovens.
  • 23. 23 Primeira urgência: Igreja em estado permanente de missão “A atual consciência missionária interpela os católicos a irem ao encontro das pessoas, famílias, comunidades e povos, para lhes comunicar e compartilhar o dom da fé, no encontro com Cristo. Estamos num tempo de urgente saída ”em todas as direções para proclamar que o mal e a morte não têm a última palavra”, um tempo de esquecer o que ficou para trás e correr em busca d´Aquele que já nos alcançou (cf. Fl 3,12-14), um tempo que deve levar a uma forte comoção missionária” (DGAE 2011-2015, n.31).
  • 24. 24 Segunda urgência: Igreja – Casa da iniciação à vida cristã “A fé é dom de Deus! “Não se começa a ser cristão por uma decisão ética ou uma grande ideia, mas pelo encontro com um acontecimento, com uma Pessoa, que dá um novo horizonte à vida e, com isso, uma orientação decisiva” [Bento XVI, DCE,n.1]. Por sua vez, este encontro é mediado pela ação da Igreja, ação que se concretiza em cada tempo e lugar, de acordo com o jeito de ser de cada povo, de cada cultura” (DGAE 2011-2015, N.37).
  • 25. 25 Terceira urgência: Igreja – comunidade animada pela Palavra de Deus “Na alvorada do terceiro milênio, não só existem muitos povos que ainda não conheceram a Boa- Nova, mas há também muitos cristãos que têm necessidade que lhes seja anunciada novamente, de modo persuasivo, a Palavra de Deus, para poderem experimentar concretamente a força do Evangelho [...]; particularmente as novas gerações têm a necessidade de ser introduzidas na Palavra de Deus através do encontro e do testemunho autêntico do adulto, da influência positiva dos amigos e da grande companhia que é a comunidade eclesial.” (Bento XVI, Verbum Domini, nn.96.97)
  • 26. 26 Quarta urgência: Igreja – comunidade de comunidades “A dimensão comunitária é intrínseca ao mistério e à realidade da Igreja, que deve refletir a Santíssima Trindade (DAp n.304). Sem vida em comunidade, não há como viver efetivamente a proposta cristã, isto é, o Reino de Deus. A comunidade acolhe, forma e transforma, envia em missão, restaura, celebra, adverte e sustenta.” (DGAE 2011-2015, n. 56).
  • 27. 27 Quinta urgência: Igreja a serviço da vida plena para todos “Ao longo de uma história de solidariedade e compromisso com as incontáveis vítimas das inúmeras formas de destruição da vida, a Igreja se reconhece servidora do Deus da vida. A nova época que, pela graça deste mesmo Deus, haverá de surgir precisa ser marcada pelo amor e pela valorização da vida, em todas as suas dimensões. A omissão diante de tal desafio será cobrada por Deus e pela história futura” (DGAE 2011-2015 n. 66).
  • 28. 28 Sexta urgência – A Igreja e a evangelização da juventude “A evangelização da juventude interessa muito à Igreja e aos seus pastores. Temos um compromisso sério com a formação das novas gerações que, pressionadas por tantas propostas de vida, necessitam de muito discernimento, de coragem, de verdadeiros caminhos e, principalmente, de nossa presença amiga. Os jovens têm o direito de receber da Igreja o Evangelho e de ser introduzidos na experiência religiosa, no encontro com Deus e no contato com as riquezas da fé cristã” (Doc. 85 CNBB, p.5)
  • 29. 29