Sistema Endócrino

716 visualizações

Publicada em

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
716
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
64
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema Endócrino

  1. 1. HORMÔNIOS MENSAGEIROS QUÍMICOS Lançados no sangue por glândulas Estimulam ou inibem a atividade de órgãos específicos ÓRGÃOS-ALVO
  2. 2. GLANDULAS Endócrina = Não possuem ductos. – Somente as glândulas endócrinas secretam hormônios. • Exócrina = Possuem ductos (controlados pelo sistema nervoso). – As exócrinas secretam substâncias que não podem ser consideradas hormônios por não atuarem em células específicas.
  3. 3. Formação de glândulas endócrinas e exócrinas Glândula exócrina Glândula endócrina Canal de eliminação da secreção Células secretoras Células secretoras Capilar sanguíneo Glândula em formação Início da formação da glândula
  4. 4. MECANISMO DE FEEDBACK O nível de hormônio no sangue pode determinar a estimulação ou a inibição funcional da glândula endócrina responsável pela produção daquele hormônio.
  5. 5. PRINCIPAIS GLANDULAS ENDÓCRINAS HIPÓFISE PARATIREÓIDE A TIMO SUPRARRENAIS PANCREAS OVÁRIOS TESTÍCULOS PINEAL TIREÓIDEA
  6. 6. • Hipófise • Tireóidea • Paratireóides • Pâncreas • Suprarrenais • Glândulas sexuais (ovário e testículos)
  7. 7. HORMÔNIOS PRODUZIDOS PELA HIPÓFISE ● ADH: (HORMÔNIO ANTIDIURÉTICO) ● OCITOCINA O ADH e a ocitocina são produzidos pelo hipotálamo e são armazenados pela hipófise. ● PROLACTINA ● HEC: (HORMÔNIO ESTIMULANTE DO CRESCIMENTO).
  8. 8. disfunção da hipófise : secreção deficiente de HEC secreção em excesso de HEC Na infância Na infância No adulto
  9. 9. secreção deficiente de ADH (hormônio antidiurético). DIABETES INSIPIDA Causam uma sede excessiva (polidipsia) e uma produção exagerada de urina muito diluída (poliúria).
  10. 10. Produz os hormônios: Tiroxina (tetraiodotironina) = T4  Triiodotironina = T3 Aceleram o metabolismo celular
  11. 11. Disfunções Da tireóiDe A baixa produção dos hormônios da tireóide acarreta o HIPOTIREOIDISMO A produção excessiva acarreta o HIPERTIREOIDISMO
  12. 12.  aumento da freqüência cardíaca  nervosismo  aumento da perspiração (sudorese)  fraqueza muscular  tremores das mãos  perda de peso  diminuição do fluxo menstrual  queda de cabelo  mudanças na espessura da pele  bócio  freqüência aumentada dos movimentos intestinais  menstruações menos freqüentes  olhos saltados (parecem saltando de suas Hipertireoidismo
  13. 13. HipotireoiDismo Cretinismo‐
  14. 14. Os possíveis efeitos do hipotireoidismo são:  diminuição na frequência dos batimentos cardíacos (menos que 70 batimentos por minuto),  elevação da pressão sanguínea,  sentir-se cansado ou lento nos movimentos ou raciocínio,  intolerância ao frio  sentir-se sonolento durante o dia, mesmo após dormir toda a noite, Hipotireoidismo
  15. 15.  voz rouca,  rosto inchado, especialmente na parte inferior dos olhos,  cabelo fino, fraco,  pele amarelecida, grossa, áspera e seca,  nas crianças: baixa estatura,  prisão de ventre (constipação intestinal),  fluxo menstrual intenso,  eliminação de leite nas mamas, 
  16. 16. Decorre da carência de iodo na alimentação. Na falta deste elemento químico, a produção de tiroxina torna-se insuficiente. A adenoipófise, então, secreta grandes quantidades de hormônio tireotrófico (TSH) que tem por função estimular a atividade funcional da tireóide. Em conseqüência a tireóide cresce exageradamente (hiperplasia) acarretando o bócio endêmico. Evita- se esta doença adicionando iodo à alimentação.
  17. 17. São quatro glândulas localizadas na face posterior da tireóidea que produzem o hormônio chamado PARATORMÔNIO, responsável pela regulação do metabolismo do cálcio no organismo. O paratormônio contribui para a absorção do cálcio no intestino e atua mobilizando esse elemento químico dos ossos.
  18. 18. Disfunção das paratireóides Produção em excesso do paratormônio = Hiperparatireoidismo Caracteriza-se por uma acentuada retirada de cálcio dos ossos, favorecendo fraturas e deformações ósseas.
  19. 19. Produção deficiente (baixa produção) do paratormônio = Hipoparatireoidismo Acarreta num elevado nível de cálcio no sangue, ocasionando contrações musculares, espasmódicas denominadas tetania muscular.
  20. 20. Regulam a taxa de glicose no sangue
  21. 21. ALIMENTO TAXA ALTA DE GLICOSE NO SANGUE ESTIMULA AS CÉLULAS BETA DO PÂNCREAS A LIBERAR INIBE AS CÉLULAS ALFA DO PÂNCREAS Não liberam
  22. 22. Estimula a absorção de glicose pelas células e sua conversão em glicogênio no fígado.
  23. 23. Estimula a conversão do glicogênio do fígado em glicose que é liberada para a corrente sanguínea
  24. 24. Doença provocada pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina, que leva a sintomas agudos e a complicações crônicas características
  25. 25. O distúrbio envolve o metabolismo da glicose, das gorduras e das proteínas e tem graves consequências tanto quando surge rapidamente como quando se instala lentamente. Nos dias atuais se constitui em problema de saúde pública pelo número de pessoas que apresentam a doença, principalmente no Brasil.
  26. 26. Diabetes Mellitus tipo I: Ocasionado pela destruição da célula beta do pâncreas, em geral por decorrência de doença autoimune, levando a deficiência absoluta de insulina. Diabetes Mellitus tipo II: Provocado predominantemente por um estado de resistência à ação da insulina associado a uma relativa deficiência de sua secreção.
  27. 27. Os sintomas do DM são decorrentes do aumento da glicemia e das complicações crônicas que se desenvolvem a longo prazo. Os sintomas do aumento da glicemia são:   sede excessiva aumento do volume da urina, aumento do número de micções surgimento do hábito de urinar à noite fadiga, fraqueza, tonturas visão borrada aumento de apetite perda de peso.
  28. 28. SUPRARRENAIS
  29. 29. Promove taquicardia (batimento cardíaco acelerado), aumento da pressão arterial e das frequências cardíaca e respiratória, aumento da secreção do suor, da glicose sanguínea, da atividade mental e constrição dos vasos sanguíneos da pele. AdRENAlINA

×