Contemplação dos mistérios ... exercícios espirituais santo inácio pdf.breve resumo

1.507 visualizações

Publicada em

Breve resumo do método de contemplação de Sto. Inácio de Loyola aplicado aos mistérios da vida de Jesus. A partir de Dom João Evangelista Martins Terra. Os novos movimentos eclesiais. São Paulo: Loyola, 2004.

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Contemplação dos mistérios ... exercícios espirituais santo inácio pdf.breve resumo

  1. 1. Rejane Maria Dias de Castro Bins 4 de fevereiro de 2014
  2. 2. A vida de Jesus
  3. 3. A vida de Jesus A fé cristã é toda centrada em Jesus Cristo, o Filho do Deus Altíssimo, que veio para nos salvar. O nome de Jesus significa “Deus salva”, “pois Ele salvará seu povo de seus pecados” (Mt 1,21). São Pedro disse aos judeus que: “Não existe debaixo do céu outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos” (At 4,12). Jesus é o único Salvador.
  4. 4. A vida de Jesus Toda a vida de Cristo foi um contínuo ensinamento. “Seus silêncios, Seus milagres, Seus gestos, Sua oração, Seu amor ao homem, Sua predileção pelos pequenos e pelos pobres, a aceitação do sacrifício total da Cruz pela redenção do mundo, Sua ressurreição constituem a atuação de Sua Palavra e o cumprimento da Revelação”. (TERRA, João Evangelista Martins. Os novos movimentos eclesiais. São Paulo: Loyola, 2004, p. 118).
  5. 5. O que diz o Vaticano II no documento sobre a Igreja Os discípulos de Cristo devem conformarse com Ele até Ele se formar neles. “É por isso que somos inseridos nos mistérios de Sua vida, com Ele configurados, com Ele mortos e com Ele ressuscitados, até que com ele reinemos” (LG 7).
  6. 6. Santo Inácio de Loyola Desde os primeiros momentos, a Igreja meditou os mistérios da vida de Jesus Cristo. Um dos métodos utilizados para isso foi o de Santo Inácio de Loyola, que viveu entre os séculos XV e XVI: Os Exercícios Espirituais. Sua intuição fundamental é a de que Cristo nos indica a verdadeira vida, à qual se chega imitando-O: “procuremos imitá-Lo, porque Ele é o caminho que leva os homens à vida” (Exame geral c. 4, n. 44, Constituições 101).
  7. 7. O método Cada meditação dos Exercícios Espirituais (EE) apresenta Oração Preparatória, Preâmbulo, Pontos e Colóquio. A oração preparatória consiste em pedir a graça a Deus Nosso Senhor, para que todas as intenções, ações e operações, na oração, sejam puramente ordenadas em serviço e louvor da Divina Majestade (n. 46).
  8. 8. O método 1º Preâmbulo: É a história que está no Evangelho. 2º Preâmbulo: É a composição do lugar, em que o orante vê com a imaginação o que acontece no mistério. 3º Preâmbulo: É o momento de pedir o que se quer: o conhecimento interno do Senhor, que por nós se fez homem, para que mais O ame e O siga.
  9. 9. O método 1º Ponto: Ver as pessoas e depois refletir sobre si para tirar algum proveito. 2º Ponto: Olhar, advertir e contemplar o que falam, e, refletindo sobre si mesmo, tirar algum proveito. 3º Ponto: Olhar e considerar o que fazem as pessoas, tudo por nós, e, refletindo, tirar algum proveito espiritual.
  10. 10. O método O Colóquio: Acabar com uma conversa, na qual se pensa no que se deve dizer às Três Pessoas Divinas, ou ao Verbo Encarnado, ou à Mãe Nossa Senhora, pedindo cada qual conforme sentir em si, para mais seguir e imitar Nosso Senhor.
  11. 11. Um exemplo Meditação do Mistério do Nascimento de Jesus, que é a segunda contemplação da segunda semana dos trinta dias dos Exercícios Espirituais. • No 1º Preâmbulo, ver como Nossa Senhora, grávida de quase nove meses, saiu de Nazaré num jumento, com São José, levando algo para ir a Belém a fim de pagar o tributo que César, imperador de Roma, ordenara para aquelas terras do Império. • No 2º Preâmbulo, ver o caminho de Nazaré a Belém, considerando o comprimento, a largura, se o caminho é plano ou por vales e encostas; olhar a gruta do nascimento, seu tamanho, se alta ou baixa, como estava arrumada. • No 3º Preâmbulo, pedir o conhecimento pelo Senhor que se fez homem por mim.
  12. 12. Ainda o exemplo No 1º Ponto, ver as pessoas: Nossa Senhora, São José, Jesus, depois de nascido, servindo-Os em suas necessidades, como se estivesse presente lá, com toda reverência. Depois refletir. No 2º Ponto: o que eles falam? Refletir. No 3º Ponto, ver como é caminhar e trabalhar para que Nosso Senhor nasça na pobreza, e, ao fim de tantos trabalhos, de fome, de sede, de calor e frio, de injúrias e afrontas, venha a morrer na cruz, POR MIM. Depois refletir. No Colóquio, conversar com Eles.
  13. 13. De novo o método Depois da reflexão anterior, os Exercícios propõem uma outra, sobre o mesmo mistério , aplicando os cinco sentidos. É a quinta contemplação desses Exercícios.
  14. 14. Aplicação dos cinco sentidos Depois da oração preparatória e dos três preâmbulos, passar para os sentidos da seguinte maneira: • 1º Ponto. Ver as pessoas com a vista imaginativa, meditando e contemplando em particular suas circunstâncias e tirando proveito da vista.
  15. 15. Aplicação dos cinco sentidos 2º Ponto. Ouvir o que falam ou podem falar e, refletindo sobre si mesmo, tirar algum proveito.
  16. 16. Aplicação dos cinco sentidos 3º Ponto. Aspirar o perfume com o olfato e saborear com o gosto a infinita suavidade e doçura da divindade, da alma e das suas virtudes e de tudo ali, conforme for a pessoa que se contemple (Jesus, Maria, José), refletindo sobre si mesmo e tirando proveito disto.
  17. 17. Aplicação dos cinco sentidos 4º Ponto. Tocar com o tato, por exemplo, abraçar e beijar os lugares onde as pessoas pisam e sentam, procurando tirar proveito disto.
  18. 18. Observações auxiliares Segundo Santo Inácio, quando meditamos, usamos a memória, o entendimento e a vontade, para compreender e penetrar mais profundamente as verdades de fé meditadas. Quando contemplamos, o importante é a afetividade; não se trata de conhecer coisas novas, mas de saborear o mistério contemplado: ver, ouvir, sentir, tocar e saborear a paisagem ou a pessoa contemplada.
  19. 19. Observações auxiliares A contemplação dos mistérios da vida de Jesus estabelece uma relação interpessoal com Ele.
  20. 20. Observações auxiliares O mistério de uma pessoa só se revela na convivência de anos. Nas contemplações dos Exercícios Espirituais, o orante pede sempre a graça do conhecimento interno de Jesus, que é a pérola preciosa da parábola, cujo encontro causa grande alegria.
  21. 21. Observações auxiliares A partir da contemplação, passa-se a olhar os homens e os acontecimentos com o olhar de Jesus. Vemos nEle o rosto do Pai.
  22. 22. Observações auxiliares Os mistérios evangélicos são realidades históricas, que aconteceram. Ao contemplá-las, as tornamos presentes para nós. Isto é possível porque elas não pertencem somente ao passado, mas, como fatos salvíficos que são, estão acontecendo no presente, salvificamente, para quem as contempla e acolhe na fé. A contemplação prolongada e repetida das palavras e das ações de Jesus, dos Seus sentimentos e de Suas opções, leva a uma crescente identificação com Ele. O confronto da vida com a de Jesus tem de levar o orante ao serviço dos homens. Na contemplação dos mistérios da vida de Jesus, Deus nos revela o que Ele quer concretamente de nós em nossa vida. Crescendo em união com Jesus, o orante se torna mais profundamente ele mesmo. O amor de Jesus continua a criá-lo e renová-lo.
  23. 23. Conclusão Contemplando Jesus, venho a conhecê-Lo melhor, não como se conhece um fato ou dados, mas do modo como se conhece uma pessoa. Esse jeito de conhecer melhor Jesus não é saber mais coisas sobre Ele, como pelo estudo, mas é conhecê-Lo por intermédio do amor!
  24. 24. Convite Experimente este presente que é a meditação contemplativa segundo Santo Inácio de Loyola e verá os frutos em sua vida. Deus falará!

×