SlideShare uma empresa Scribd logo

Cartilha Shantala - Unimed

SHANTALA é uma técnica de massagem milenar Indiana, onde foi transmitida à população pelos monges e veio a tornar-se uma tradição repassada de mãe para filha em todo país.

1 de 24
Baixar para ler offline
Caçapava
CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO.
ANS-Nº33415-4
Shantala
Cartilha
SHANTALA é uma técnica de massagem milenar
Indiana, onde foi transmitida à população pelos
monges e veio a tornar-se uma tradição repassada
de mãe para filha em todo país. Na década 1970, a
Shantala foi trazida ao ocidente pelo obstetra francês
Frederick Leboyer.
Através do toque terapêutico realizado durante
a Shantala, que abrangem todo o corpo do bebê,
proporciona uma estimulação cutânea que auxilia na
produção de endorfina (responsável pela sensação de
alegria e de bem estar).
Consequentemente a criança relaxa, seu sono fica
mais calmo e resistente a barulhos externos, a
amamentação é facilitada, as cólicas diminuem e o
vínculo mãe e filho é ampliado.
Desta forma saberemos que uma adaptação saudável
ajuda os bebês em suas dificuldades, medos e
inseguranças. A pele transcende a tudo, através dela o
bebê percebe todo o resto. Para um recém nascido,
é muito mais importante um carinho, um toque,
do que qualquer outra coisa.
O toque é importante para que o bebê se sinta seguro,
amado e se desenvolva de forma plena.
Para que entre na rotina do bebê, deve ser praticada
diariamente. O horário fica a critério da mãe, desde que
a criança não esteja com fome, com febre, com sono ou
chorando muito. Também é desaconselhável começar
depois da mamada. É importante esperar pelo menos
meia hora depois que o bebê mamou.
BENEFÍCIOS
•	 Aumento do vinculo da mãe com o bebê;
•	 Nutre o corpo com uso de óleo adequado;
•	 O bebê se sente seguro e tranquilo;
•	 O bebê dorme melhor;
•	 Diminui as cólicas;- Desenvolve consciência
corporal;
•	 Ajuda no desenvolvimento geral;
•	 Favorece o sistema imunológico.
MATERIAL NECESSÁRIO
•	 Uma toalha para colocar no colo;
•	 Frasco com óleo vegetal.
PREPARO PARA MASSAGEM
•	 Escolher um ambiente tranquilo, sem corrente de
ar, em temperatura agradável;
•	 Escolher a posição que você vai ficar:
1.	 Sentada no chão com as pernas esticadas e
acomodar a criança em suas pernas;
2.	 Sentada com as pernas cruzadas e a criança em
sua frente;
3.	 De pé em frente ao trocador ou mesa;
•	 É essencial que suas mãos estejam relaxadas.
Isto só será possível se seus ombros estiverem
livres de tensão, sentir sua respiração e se estiver
concentrada;
•	 Tire a roupa do bebê e faça uma higienização com
lenço umedecido se necessário;
•	 Forre suas pernas com uma tolha;
•	 Acomode o bebê em suas pernas, de barriga para
cima, olhando para você;
•	 Aqueça o frasco do óleo em suas mãos.
•	 A massagem
•	 A massagem da Shantala é realizada em várias
partes do corpo: peito, braço, mão, barriga, perna,
pé, costas e rosto.Confira abaixo:
1. PEITO
•	 As duas mãos se apoiam no centro do peito;
•	 Separe as mãos, cada uma para um lado, como se
estivesse com um livro aberto à sua frente e você
quisesse deixar as páginas bem achatadas (de 3 a
10 vezes);

Recomendados

Manual do Bebê: Cuidados, orientações e dicas
Manual do Bebê: Cuidados, orientações e dicasManual do Bebê: Cuidados, orientações e dicas
Manual do Bebê: Cuidados, orientações e dicasblogped1
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOblogped1
 
Cartilha Odete Valadares
Cartilha Odete ValadaresCartilha Odete Valadares
Cartilha Odete ValadaresRebeca - Doula
 
Higiene e saude
Higiene e saudeHigiene e saude
Higiene e saudeestevamdua
 
2.reanimação neonatal
2.reanimação neonatal2.reanimação neonatal
2.reanimação neonatalMickael Gomes
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilAlexandre Donha
 
Doenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infânciaDoenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infânciaRúben Freitas
 
Banho no recem_nascido
Banho no recem_nascidoBanho no recem_nascido
Banho no recem_nascidopryloock
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCamila Oliveira
 
Desenvolvimento Infantil
Desenvolvimento InfantilDesenvolvimento Infantil
Desenvolvimento Infantilaevelynrocha
 
A higienização do recen nascido
A higienização do recen  nascido A higienização do recen  nascido
A higienização do recen nascido Luiz Ramos Vieira
 
aula 6 AIDIP pdf.pdf
aula 6 AIDIP pdf.pdfaula 6 AIDIP pdf.pdf
aula 6 AIDIP pdf.pdfKeniaBarros4
 
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericulturaAssistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericulturaEDSON ALAN QUEIROZ
 
Prevenção de acidentes pjf3
Prevenção de acidentes pjf3Prevenção de acidentes pjf3
Prevenção de acidentes pjf3Ana Figueiredo
 
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017WALFRIDO Farias Gomes
 
Assistencia de enfermagem_no_puerperio
Assistencia de enfermagem_no_puerperioAssistencia de enfermagem_no_puerperio
Assistencia de enfermagem_no_puerperioLuciana de Paula
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento maternoNadjadBarros
 
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)Neto Pontes
 

Mais procurados (20)

Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
Doenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infânciaDoenças mais comuns na infância
Doenças mais comuns na infância
 
Banho no recem_nascido
Banho no recem_nascidoBanho no recem_nascido
Banho no recem_nascido
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
Cuidados ao recém nascido
Cuidados ao recém nascidoCuidados ao recém nascido
Cuidados ao recém nascido
 
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da SaúdeNova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
Nova CADERNETA da GESTANTE - Ministério da Saúde
 
Desenvolvimento Infantil
Desenvolvimento InfantilDesenvolvimento Infantil
Desenvolvimento Infantil
 
A higienização do recen nascido
A higienização do recen  nascido A higienização do recen  nascido
A higienização do recen nascido
 
Caderneta de Saúde da Criança: Avaliação dos Marcos do Desenvolvimento
Caderneta de Saúde da Criança: Avaliação dos Marcos do DesenvolvimentoCaderneta de Saúde da Criança: Avaliação dos Marcos do Desenvolvimento
Caderneta de Saúde da Criança: Avaliação dos Marcos do Desenvolvimento
 
aula 6 AIDIP pdf.pdf
aula 6 AIDIP pdf.pdfaula 6 AIDIP pdf.pdf
aula 6 AIDIP pdf.pdf
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericulturaAssistencia de-enfermagem-em-puericultura
Assistencia de-enfermagem-em-puericultura
 
Prevenção de acidentes pjf3
Prevenção de acidentes pjf3Prevenção de acidentes pjf3
Prevenção de acidentes pjf3
 
Desenvolvimento Psicomotor
Desenvolvimento PsicomotorDesenvolvimento Psicomotor
Desenvolvimento Psicomotor
 
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
Planejamento Reprodutivo: o que há de novo e além do planejamento familiar?
 
Cuidados com o rn
Cuidados com o rnCuidados com o rn
Cuidados com o rn
 
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
TABELA de Sinais Vitais - EEEP WALFRIDO 2017
 
Assistencia de enfermagem_no_puerperio
Assistencia de enfermagem_no_puerperioAssistencia de enfermagem_no_puerperio
Assistencia de enfermagem_no_puerperio
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
Informações Básicas (Cuidados com o RN e Amamentação)
 

Semelhante a Cartilha Shantala - Unimed

Semelhante a Cartilha Shantala - Unimed (20)

Massagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantalaMassagem para gestante e shantala
Massagem para gestante e shantala
 
Shantala – nutricao afetiva
Shantala – nutricao afetivaShantala – nutricao afetiva
Shantala – nutricao afetiva
 
Shantala curso de gestante
Shantala curso de gestanteShantala curso de gestante
Shantala curso de gestante
 
Shantala
Shantala Shantala
Shantala
 
Shantala curso de gestante
Shantala curso de gestanteShantala curso de gestante
Shantala curso de gestante
 
Shantala
ShantalaShantala
Shantala
 
Shantala curso de gestante
Shantala curso de gestanteShantala curso de gestante
Shantala curso de gestante
 
Atividadeocorpo
AtividadeocorpoAtividadeocorpo
Atividadeocorpo
 
Cuidados com a coluna
Cuidados com a colunaCuidados com a coluna
Cuidados com a coluna
 
2 ergonomia
2 ergonomia2 ergonomia
2 ergonomia
 
Exercícios ombro
Exercícios ombroExercícios ombro
Exercícios ombro
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxante
 
gestação do 7 ao 9 meses
gestação do 7 ao 9 mesesgestação do 7 ao 9 meses
gestação do 7 ao 9 meses
 
Esclerose multipla
Esclerose multiplaEsclerose multipla
Esclerose multipla
 
Os 5 s para acalmar um bebê até 3 meses
Os 5 s para acalmar um bebê até 3 mesesOs 5 s para acalmar um bebê até 3 meses
Os 5 s para acalmar um bebê até 3 meses
 
Objetivo e metodologia
Objetivo e metodologiaObjetivo e metodologia
Objetivo e metodologia
 
Auto massagem
Auto massagemAuto massagem
Auto massagem
 
Amamentar
AmamentarAmamentar
Amamentar
 
Ginastica Laboral Interativa.ppt
Ginastica Laboral  Interativa.pptGinastica Laboral  Interativa.ppt
Ginastica Laboral Interativa.ppt
 
Desenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexosDesenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexos
 

Mais de Creche Segura

Números importantes e de emergência para escolas
Números importantes e de emergência para escolasNúmeros importantes e de emergência para escolas
Números importantes e de emergência para escolasCreche Segura
 
Shantala - a arte de dar e receber amor
Shantala - a arte de dar e receber amorShantala - a arte de dar e receber amor
Shantala - a arte de dar e receber amorCreche Segura
 
Guia Prático de Vacinas 2016/2017
Guia Prático de Vacinas 2016/2017Guia Prático de Vacinas 2016/2017
Guia Prático de Vacinas 2016/2017Creche Segura
 
Como atender o engasgo de uma criança
Como atender o engasgo de uma criançaComo atender o engasgo de uma criança
Como atender o engasgo de uma criançaCreche Segura
 
Cartilha sobre o sistema respiratório e a asma
Cartilha sobre o sistema respiratório e a asmaCartilha sobre o sistema respiratório e a asma
Cartilha sobre o sistema respiratório e a asmaCreche Segura
 
Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)Creche Segura
 
Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)Creche Segura
 
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETESMANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETESCreche Segura
 
Um pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolas
Um pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolasUm pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolas
Um pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolasCreche Segura
 
Manual de orientações educador infantil - 2010
Manual de orientações educador infantil - 2010Manual de orientações educador infantil - 2010
Manual de orientações educador infantil - 2010Creche Segura
 
Higiene e seguranca na escola - 2009
Higiene e seguranca na escola - 2009Higiene e seguranca na escola - 2009
Higiene e seguranca na escola - 2009Creche Segura
 
Cartilha como montar uma creche - Sebrae
Cartilha como montar uma creche - SebraeCartilha como montar uma creche - Sebrae
Cartilha como montar uma creche - SebraeCreche Segura
 
ORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL
ORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTILORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL
ORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTILCreche Segura
 
Atenção a saúde do recém nascido volume 1
Atenção a saúde do recém nascido volume 1Atenção a saúde do recém nascido volume 1
Atenção a saúde do recém nascido volume 1Creche Segura
 
ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...
ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...
ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...Creche Segura
 
O CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLA
O CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLAO CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLA
O CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLACreche Segura
 
Novas Diretrizes American Heart Association - 2015
Novas Diretrizes American Heart Association - 2015Novas Diretrizes American Heart Association - 2015
Novas Diretrizes American Heart Association - 2015Creche Segura
 
Livro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetes
Livro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetesLivro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetes
Livro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetesCreche Segura
 
Manual de nutricao sociedade brasileira de diabetes
Manual de nutricao sociedade brasileira de diabetesManual de nutricao sociedade brasileira de diabetes
Manual de nutricao sociedade brasileira de diabetesCreche Segura
 
Manual da criança com diabetes
Manual da criança com diabetesManual da criança com diabetes
Manual da criança com diabetesCreche Segura
 

Mais de Creche Segura (20)

Números importantes e de emergência para escolas
Números importantes e de emergência para escolasNúmeros importantes e de emergência para escolas
Números importantes e de emergência para escolas
 
Shantala - a arte de dar e receber amor
Shantala - a arte de dar e receber amorShantala - a arte de dar e receber amor
Shantala - a arte de dar e receber amor
 
Guia Prático de Vacinas 2016/2017
Guia Prático de Vacinas 2016/2017Guia Prático de Vacinas 2016/2017
Guia Prático de Vacinas 2016/2017
 
Como atender o engasgo de uma criança
Como atender o engasgo de uma criançaComo atender o engasgo de uma criança
Como atender o engasgo de uma criança
 
Cartilha sobre o sistema respiratório e a asma
Cartilha sobre o sistema respiratório e a asmaCartilha sobre o sistema respiratório e a asma
Cartilha sobre o sistema respiratório e a asma
 
Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Criança em idade escolar com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
 
Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
Alimentando o bebe com fissura labial ou fenda palatina (espanhol)
 
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETESMANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
MANUAL DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS PARA PESSOAS COM DIABETES
 
Um pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolas
Um pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolasUm pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolas
Um pacote educativo para informar sobre diabetes nas escolas
 
Manual de orientações educador infantil - 2010
Manual de orientações educador infantil - 2010Manual de orientações educador infantil - 2010
Manual de orientações educador infantil - 2010
 
Higiene e seguranca na escola - 2009
Higiene e seguranca na escola - 2009Higiene e seguranca na escola - 2009
Higiene e seguranca na escola - 2009
 
Cartilha como montar uma creche - Sebrae
Cartilha como montar uma creche - SebraeCartilha como montar uma creche - Sebrae
Cartilha como montar uma creche - Sebrae
 
ORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL
ORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTILORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL
ORIENTAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA PARA INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Atenção a saúde do recém nascido volume 1
Atenção a saúde do recém nascido volume 1Atenção a saúde do recém nascido volume 1
Atenção a saúde do recém nascido volume 1
 
ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...
ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...
ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS DIRECIONADAS À PREVENÇÃO E CONTROLE DA DENGUE EM ESCOL...
 
O CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLA
O CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLAO CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLA
O CONTROLE DE DENGUE A PARTIR DA ESCOLA
 
Novas Diretrizes American Heart Association - 2015
Novas Diretrizes American Heart Association - 2015Novas Diretrizes American Heart Association - 2015
Novas Diretrizes American Heart Association - 2015
 
Livro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetes
Livro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetesLivro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetes
Livro comida que cuida 2 - o prazer na mesa e na vida de quem tem diabetes
 
Manual de nutricao sociedade brasileira de diabetes
Manual de nutricao sociedade brasileira de diabetesManual de nutricao sociedade brasileira de diabetes
Manual de nutricao sociedade brasileira de diabetes
 
Manual da criança com diabetes
Manual da criança com diabetesManual da criança com diabetes
Manual da criança com diabetes
 

Último

FARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdf
FARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdfFARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdf
FARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdfnilsonmarques9
 
Segurança com Explosivos na Mineração.ppt
Segurança com Explosivos na Mineração.pptSegurança com Explosivos na Mineração.ppt
Segurança com Explosivos na Mineração.pptRodineiGoncalves
 
Guia de Vigilância em Saúde 6 ed. vol.1
Guia de Vigilância em  Saúde 6 ed. vol.1Guia de Vigilância em  Saúde 6 ed. vol.1
Guia de Vigilância em Saúde 6 ed. vol.1MarciaFigueiredodeSo
 
NR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdf
NR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdfNR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdf
NR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdfMariadeFtimaUchoas
 
DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...
DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...
DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...bibygmachadodesouza
 

Último (6)

FARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdf
FARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdfFARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdf
FARMACOLOGIA DA DOR E INFLAMAÇÃO PT1.pdf
 
DH ASSESSORIA ACADEMICA 202444 (33).pdf
DH ASSESSORIA ACADEMICA  202444 (33).pdfDH ASSESSORIA ACADEMICA  202444 (33).pdf
DH ASSESSORIA ACADEMICA 202444 (33).pdf
 
Segurança com Explosivos na Mineração.ppt
Segurança com Explosivos na Mineração.pptSegurança com Explosivos na Mineração.ppt
Segurança com Explosivos na Mineração.ppt
 
Guia de Vigilância em Saúde 6 ed. vol.1
Guia de Vigilância em  Saúde 6 ed. vol.1Guia de Vigilância em  Saúde 6 ed. vol.1
Guia de Vigilância em Saúde 6 ed. vol.1
 
NR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdf
NR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdfNR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdf
NR-10-RECICLAGEM-de-Eletricidade-Basica-pptx.pdf
 
DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...
DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...
DESCUBRA O SEGREDOE PARE DE VEZ DE FUMAR...
 

Cartilha Shantala - Unimed

  • 1. Caçapava CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO. ANS-Nº33415-4 Shantala Cartilha
  • 2. SHANTALA é uma técnica de massagem milenar Indiana, onde foi transmitida à população pelos monges e veio a tornar-se uma tradição repassada de mãe para filha em todo país. Na década 1970, a Shantala foi trazida ao ocidente pelo obstetra francês Frederick Leboyer. Através do toque terapêutico realizado durante a Shantala, que abrangem todo o corpo do bebê, proporciona uma estimulação cutânea que auxilia na produção de endorfina (responsável pela sensação de alegria e de bem estar). Consequentemente a criança relaxa, seu sono fica mais calmo e resistente a barulhos externos, a amamentação é facilitada, as cólicas diminuem e o vínculo mãe e filho é ampliado.
  • 3. Desta forma saberemos que uma adaptação saudável ajuda os bebês em suas dificuldades, medos e inseguranças. A pele transcende a tudo, através dela o bebê percebe todo o resto. Para um recém nascido, é muito mais importante um carinho, um toque, do que qualquer outra coisa. O toque é importante para que o bebê se sinta seguro, amado e se desenvolva de forma plena. Para que entre na rotina do bebê, deve ser praticada diariamente. O horário fica a critério da mãe, desde que a criança não esteja com fome, com febre, com sono ou chorando muito. Também é desaconselhável começar depois da mamada. É importante esperar pelo menos meia hora depois que o bebê mamou.
  • 4. BENEFÍCIOS • Aumento do vinculo da mãe com o bebê; • Nutre o corpo com uso de óleo adequado; • O bebê se sente seguro e tranquilo; • O bebê dorme melhor; • Diminui as cólicas;- Desenvolve consciência corporal; • Ajuda no desenvolvimento geral; • Favorece o sistema imunológico.
  • 5. MATERIAL NECESSÁRIO • Uma toalha para colocar no colo; • Frasco com óleo vegetal. PREPARO PARA MASSAGEM • Escolher um ambiente tranquilo, sem corrente de ar, em temperatura agradável; • Escolher a posição que você vai ficar: 1. Sentada no chão com as pernas esticadas e acomodar a criança em suas pernas; 2. Sentada com as pernas cruzadas e a criança em sua frente; 3. De pé em frente ao trocador ou mesa; • É essencial que suas mãos estejam relaxadas. Isto só será possível se seus ombros estiverem livres de tensão, sentir sua respiração e se estiver concentrada; • Tire a roupa do bebê e faça uma higienização com lenço umedecido se necessário; • Forre suas pernas com uma tolha; • Acomode o bebê em suas pernas, de barriga para cima, olhando para você; • Aqueça o frasco do óleo em suas mãos. • A massagem • A massagem da Shantala é realizada em várias partes do corpo: peito, braço, mão, barriga, perna, pé, costas e rosto.Confira abaixo:
  • 6. 1. PEITO • As duas mãos se apoiam no centro do peito; • Separe as mãos, cada uma para um lado, como se estivesse com um livro aberto à sua frente e você quisesse deixar as páginas bem achatadas (de 3 a 10 vezes);
  • 7. • Agora, suas mãos vão trabalhar alternadamente; • Primeiro as mãos ficam apoiadas nas laterais do abdome, cada uma de um lado, a esquerda permanece ali e a direita desliza sobre o peito até o ombro oposto; • Depois, inverta o movimento: a direita permanece no ponto inicial e a sua mão esquerda desliza até o ombro esquerdo do bebê. O movimento forma da linha uma linha diagonal; • Repita algumas vezes, um lado depois do outro, alternadamente.
  • 8. 2. BRAÇOS • Vire o bebê de lado; • Com uma das mãos você segura à mão do bebê para esticar o bracinho e com a outra mão você forma uma espécie de bracelete que vai do ombro e sobe até encontrar com a outra mão. Após você alterna, a mão que segurava a mão do bebê vai para o ombro e sobe envolvendo o bracinho, repetindo o trajeto. As mãos se revezam (de 3 a 10 vezes); • Agora as mãos vão trabalhar simultaneamente, mas em sentido inverso, fazendo um movimento de rosca ao redor do bracinho do bebê, do ombro até o punho. Ao chegar ao punho, as suas mãos voltam ao ombro e recomeçam.
  • 9. 3. MÃOS • Massagear a palma da mão na direção dos dedos; • Puxar delicadamente dedo por dedo (1 vez) e depois puxar todos os dedos juntos (3 vezes); • Virar a criança para o outro lado e fazer o mesmo com o outro braço e a outra mão.
  • 10. 4. BARRIGA • As suas mãos trabalham uma depois da outra. Partindo da base do peito, onde se iniciam as costelas, as mãos descem até a parte debaixo da barriga; • Você traz as suas mãos, uma após a outra, de volta para você. Elas fazem o movimento de ondas, parecendo esvaziar a barriga do bebê (de 3 a 10 vezes); • Agora sua mão esquerda segura os pés do bebê, mantendo as pernas verticalmente esticadas. O seu antebraço direito vai fazer o mesmo movimento de vai e vem sempre do alto para baixo, isto é, de volta para você (de 3 a 6vezes).
  • 11. 5. PERNAS • Você vai proceder exatamente como fez com os braços. Deixar as pernas esticadas para o alto. As suas mãos formam um bracelete e enquanto uma segura o tornozelo a outra escorrega da base da coxa até o tornozelo. Ao se encontrarem as mãos se invertem (de 3 a 10 vezes); • Fazer o movimento de rosca (torção). As duas mãos trabalham juntas, porém em sentido inverso, fazendo movimentos da base da coxa até o tornozelo (de 3 a 10 vezes). Fazer com a outra perna e o outro pé.
  • 12. 6. PÉS • Você vai massagear a planta do pé, usando os polegares massageie os calcanhares, meio do pé. Puxe delicadamente os dedos um por um (1vez) e/ ou puxe todos ao mesmo tempo (3 vezes); • Depois com a palma de sua mão aberta faça movimentos mais rápidos do calcanhar para os dedos do pé (3 vezes); • Fazer com a outra perna e o outro pé.
  • 13. Este é um momento especial. Coloque a criança de bruços (barriga do bebê apoiada nas suas coxas). A criança vai ficar na transversal com a cabeça a sua esquerda. • De um lado a outro: • Você coloca as mãos nas costas da criança na altura dos ombros e alternadamente faz movimentos para frente e para trás, alternando-se e descendo na direção do quadril; • Agora, fazendo o mesmo movimento de vai e vem, você volta, subindo, do quadril até a região dos ombros (de 3 a 10 vezes); 7.COSTAS
  • 14. • Ao longo das costas: Agora apenas a sua mão esquerda vai trabalhar. A mão direita fica apoiada nas nádegas do bebê, descendo da nuca até as nádegas, depois você eleva a mão e volta para a região da nuca, recomeçando o movimento (de 3 a 10 vezes);
  • 15. Ao longo das costas até o pé: Este movimento é parecido com o anterior. Agora a mão direita segura os tornozelos, elevando suavemente as pernas do bebê. A mão esquerda percorre as costas do bebê de alto a baixo, mas em vez de parar na altura das nádegas, continua seu movimento, percorre as coxas, pernas, até os calcanhares. A mão direita continua segurando as pernas do bebê e a esquerda solta o corpo de volta para o ponto de partida, recomeçando o movimento (de 3 a 10 vezes);
  • 16. • Esta parte pode ser feita no inicio ou no final da massagem. De acordo com a receptividade do bebê. • Não use o óleo nas primeiras práticas, até o bebê se acostumar com o óleo. • Depois, quando ele estiver, mas adaptado e você sentir necessidade, pode colocar algumas gotas do óleo nas mãos (2 ou 3 gotas), esfregar bem até sentir que estão aquecidas. • Colocar sobre o rosto do bebê, sem encostar, para que ele sinta a energia e o aroma do óleo. 8. ROSTO
  • 17. • A partir do meio da testa os seus polegares deslocam-se para os lados até as têmporas. A seguir retorna para o meio para recomeçar; • Os polegares se apoiam entre as sobrancelhas e escorregam até a lateral dos lábios; • Apoiar os polegares entre a parte superior dos lábios e o nariz e deslizar até as orelhas, puxando- as levemente.
  • 18. 9. CRUZANDO OS DOIS BRAÇOS Coloque novamente a criança de costas (barriga para cima) e paralela as suas pernas. • Segure as mãos do bebê e faça com que os dois braços se cruzem sobre o peito; • Depois os afaste na direção do chão. Volte a cruzá- los, porem o que estava por cima fica por baixo; • Torne a abri-los;
  • 19. 10. CRUZANDO UM BRAÇO E UMA PERNA • Segure um dos pés do bebê e a mão do lado oposto de modo que o braço e a perna se cruzem. Isto quer dizer que o pé do bebê tocará o ombro, enquanto a mão irá tocar a nádega do lado oposto; • Em seguida volte à posição inicial e alterne, fazendo com a outra perna e o outro braço.
  • 20. • Segure os dois pés do bebê cruzando as perninhas, levando-as para a barriga; • Separe as pernas, a posição inicial; • Depois torne a cruzar as pernas, porém a perna que estava em cima fica por baixo. 11. PADMASANA (POSTURA DE LÓTUS)
  • 21. Considerações: Ao cruzar os braços sobre o peito você libera a tensão das costas do bebe e desse modo libera a caixa torácica e desse modo a respiração fica mais fácil. Trabalha também as articulações dos ombros. Ao cruzar braço com perna você faz uma leve torção na coluna do bebe sob seu eixo, liberando as tensões da coluna, trabalha também articulações do quadril e ombro e ajuda a liberar gases intestinais. Ao cruzar as pernas sob a barriga você relaxa as articulações do quadril e também libera gases intestinais. Os movimentos devem ser feitos com delicadeza, porem firmes, observando sempre com a expressão da criança. Observações gerais • Quando fazer? Não fazer massagem antes que o bebê tenha um mês de idade, neste período fazer somente pequenos contatos. Tocá-lo, mas não massageá-lo completamente, evitando tocar a barriga do bebê. • Quanto tempo a massagem deve durar? No inicio de dois a cinco minutos. À medida que o bebê cresce o tempo aumenta. Não existe um tempo exato, a sessão completa pode durar de 10 a 15 minutos.
  • 22. • Como deve ser o ambiente? Tranquilo, sem corrente de ar, se estiver muito frio pode usar um aquecedor de ambiente. Bebês maiores em dias de calor podem ser massageados ao ar livre (varanda, quintal). Você pode colocar musica agradável, cantar uma canção, ficar em silêncio ou em alguns horários aproveitar o som da natureza. Você pode fechar as cortinas e deixar na penumbra, observando sempre a reação do bebê e o que ele mais gosta. • Que óleo devo usar? Use óleo de origem vegetal extra virgem prensado à frio. Ex.: óleo de gergelim, óleo de amêndoa doce, óleo de girassol. Nunca use cremes ou óleo mineral. Lembre-se: o frasco de óleo deve ser ligeiramente aquecido nas mãos. • Até que idade? Pelo menos nos seis primeiros meses de vida. É importante massagear a criança enquanto ela não consegue se mover sozinha, nada impede de ir mais longe se a criança tiver boa aceitação.
  • 23. • A que horário fazer a massagem? Você pode fazer a massagem em qualquer horário, conciliando-a antes do banho (manhã ou tarde). Após a massagem deve-se dar o banho no bebê para tirar o excesso de óleo e promover o total relaxamento do bebê. Cada movimento das massagens devem ser repetidos de 3 a 6 vezes, de acordo com a tolerância de cada bebê, exceto a finalização que é uma vez para cada lado. • Quando não fazer a massagem . Quando o bebê estiver de barriga cheia, procure fazer pelo menos uma hora depois da ultima mamada. . Quando estiver com febre . Quando estiver com alguma irritação na pele . Se o bebe estiver com muito sono, com fome poderá ficar muito irritado e não aceitar bem a massagem. Não fazer neste momento. . Não massagear a região da barriga ate que o umbigo esteja totalmente cicatrizado. . Quando você não estiver se sentindo bem.
  • 24. Ca apava CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO. Conteúdo produzido pela equipe do Espaço Saúde da Unimed Caçapava ANS - Nº 33415-4