SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Não	
  devemos	
  ser	
  levados	
  a	
  crer	
  que	
  
as	
   Disciplinas	
   são	
   para	
   os	
   gigantes	
  
espirituais	
   e,	
   por	
   isso,	
   estejam	
   além	
  
de	
   nosso	
   alcance;	
   ou	
   para	
   os	
  
contempla:vos	
   que	
   devotam	
   todo	
   o	
  
tempo	
   à	
   oração	
   e	
   à	
   meditação.	
  
Longe	
   disso.	
   Na	
   intenção	
   de	
   Deus,	
   as	
  
Disciplinas	
   da	
   vida	
   espiritual	
   são	
  
para	
   seres	
   humanos	
   comuns:	
  
pessoas	
   que	
   têm	
   empregos,	
   que	
  
cuidam	
   dos	
   filhos,	
   que	
   lavam	
   pratos	
  
e	
  cortam	
  grama.	
  
Na	
  realidade,	
  as	
  Disciplinas	
  são	
  mais	
  
bem	
   exercidas	
   no	
   meio	
   de	
   nossas	
  
a:vidades	
   normais	
   diárias.	
   Se	
   elas	
  
d e v e m	
   t e r	
   q u a l q u e r	
   e f e i t o	
  
transformador,	
   o	
   efeito	
   deve	
  
encontrar-­‐se	
   nas	
   conjunturas	
  
comuns	
   da	
   vida	
   humana:	
   em	
   nossos	
  
relacionamentos	
   com	
   o	
   marido	
   ou	
  
com	
   a	
   esposa,	
   com	
   nossos	
   irmãos	
   e	
  
irmãs,	
   ou	
   com	
   nossos	
   amigos	
   e	
  
vizinhos.	
  
Disciplinas	
  Interiores	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Meditação	
  	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Oração	
  	
  
A	
  Disciplina	
  do	
  Jejum	
  	
  
A	
  Disciplina	
  do	
  Estudo	
  	
  
Disciplinas	
  Exteriores	
  	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Simplicidade	
  	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Solitude	
  
Disciplinas	
  Associadas	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Confissão	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Adoração	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Orientação	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Celebração	
  
Duas	
  Dificuldades	
  para	
  pra.car	
  as	
  disciplinas	
  

1	
  

De	
  ordem	
  Filosófica:	
  A	
  base	
  materialista	
  em	
  nossa	
  
época	
  tornou-­‐se	
  tão	
  penetrante	
  que	
  ela	
  tem	
  feito	
  as	
  
pessoas	
  duvidarem	
  seriamente	
  de	
  sua	
  capacidade	
  de	
  
ir	
  além	
  do	
  mundo	
  Psico.	
  

2	
  

De	
  ordem	
  Prá.ca:	
  Simplesmente	
  não	
  sabemos	
  como	
  
explorar	
  a	
  vida	
  interior.	
  
Por	
  que	
  pra.car	
  as	
  disciplinas?	
  

Deus	
  nos	
  deu	
  as	
  Disciplinas	
  da	
  vida	
  espiritual	
  como	
  meios	
  
de	
  receber	
  sua	
  graça.	
  As	
  Disciplinas	
  permitem-­‐nos	
  colocar-­‐
nos	
  diante	
  de	
  Deus	
  de	
  sorte	
  que	
  ele	
  possa	
  transformar-­‐
nos.	
  
“O	
  que	
  semeia	
  para	
  a	
  sua	
  própria	
  carne,	
  da	
  carne	
  
colherá	
  corrupção;	
  mas	
  o	
  que	
  semeia	
  para	
  o	
  Espírito,	
  
do	
  Espírito	
  colherá	
  vida	
  eterna”	
  (Gálatas	
  6:8)	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Meditação	
  

Isso	
  não	
  é	
  coisa	
  das	
  religiões	
  orientais?	
  

A	
  Meditação	
  Oriental	
  é	
  uma	
  tenta=va	
  para	
  
esvaziar	
  a	
  mente.	
  
A	
  Meditação	
  Cristã	
  é	
  uma	
  tenta=va	
  para	
  
esvaziar	
  a	
  mente	
  a	
  fim	
  de	
  enchê-­‐la	
  
A	
  Disciplina	
  da	
  Oração	
  

“Quando	
  oramos	
  
não	
  é	
  o	
  coração	
  de	
  
Deus	
  que	
  muda,	
  
mas	
  o	
  nosso”.	
  
C.S.	
  Lewis	
  
Mateus	
  6:	
  5-­‐13	
  
5.	
   E,	
   quando	
   orardes,	
   não	
   sereis	
   como	
   os	
   hipócritas;	
  
porque	
   gostam	
   de	
   orar	
   em	
   pé	
   nas	
   sinagogas	
   e	
   nos	
  
cantos	
  das	
  praças,	
  para	
  serem	
  vistos	
  dos	
  homens.	
  Em	
  
verdade	
  vos	
  digo	
  que	
  eles	
  já	
  receberam	
  a	
  recompensa.	
  
	
  

6.	
  Tu,	
  porém,	
  quando	
  orares,	
  entra	
  no	
  teu	
  quarto	
  e,	
  
fechada	
   a	
   porta,	
   orarás	
   a	
   teu	
   Pai,	
   que	
   está	
   em	
  
secreto;	
   e	
   teu	
   Pai,	
   que	
   vê	
   em	
   secreto,	
   te	
  
recompensará.	
  
Mateus	
  6:	
  5-­‐13	
  
7.	
   E,	
   orando,	
   não	
   useis	
   de	
   vãs	
   repe=ções,	
   como	
   os	
  
gen=os;	
   porque	
   presumem	
   que	
   pelo	
   seu	
   muito	
   falar	
  
serão	
  ouvidos.	
  
8.	
   Não	
   vos	
   assemelheis,	
   pois,	
   a	
   eles;	
   porque	
   Deus,	
   o	
  
vosso	
  Pai,	
  sabe	
  o	
  de	
  que	
  tendes	
  necessidade,	
  antes	
  que	
  
lho	
  peçais.	
  
9.	
  Portanto,	
  vós	
  orareis	
  assim:	
  Pai	
  nosso,	
  que	
  estás	
  nos	
  
céus,	
  san=ficado	
  seja	
  o	
  teu	
  nome;	
  
Mateus	
  6:	
  5-­‐13	
  
10.	
  venha	
  o	
  teu	
  reino;	
  faça-­‐se	
  a	
  tua	
  vontade,	
  assim	
  na	
  
terra	
  como	
  no	
  céu;	
  
11.	
  o	
  pão	
  nosso	
  de	
  cada	
  dia	
  dá-­‐nos	
  hoje	
  
12.	
  e	
  perdoa-­‐nos	
  as	
  nossas	
  dívidas,	
  assim	
  como	
  nós	
  
temos	
  perdoado	
  aos	
  nossos	
  devedores;	
  
13.	
  	
  e	
  não	
  nos	
  deixes	
  cair	
  em	
  tentação;	
  mas	
  livra-­‐nos	
  
do	
  mal	
  [pois	
  teu	
  é	
  o	
  reino,	
  o	
  poder	
  e	
  a	
  glória	
  para	
  
sempre.	
  Amém]!	
  
Sensibilidade
Compreendendo	
  a	
  
vontade	
  de	
  Deus	
  

Através	
  da	
  Oração	
  

Na	
  minha	
  vida	
  
Oração	
  do	
  Senhor	
  	
  X	
  	
  Oração	
  dos	
  Discípulos	
  
a)	
   Esta	
   oração	
   não	
   é	
   usada	
   pelo	
   próprio	
   Senhor	
  
Jesus,	
   mas	
   somente	
   por	
   seus	
   seguidores.	
   Nos	
  
Evangelhos,	
   não	
   temos	
   qualquer	
   indício	
   de	
   que	
  
ele	
  tenha	
  orado	
  este	
  conteúdo.	
  Ele	
  parece	
  u:lizá-­‐
lo	
  como	
  exemplo	
  de	
  um	
  formato	
  a	
  ser	
  seguido	
  por	
  
seus	
  discípulos.	
  
Oração	
  do	
  Senhor	
  	
  X	
  	
  Oração	
  dos	
  Discípulos	
  
b)	
   Esta	
   oração,	
   tanto	
   em	
   sua	
   forma,	
   como	
   em	
   seu	
  
conteúdo,	
  revela	
  uma	
  simplicidade	
  e	
  uma	
  didá:ca	
  
apropriada	
   para	
   alguém	
   que	
   deseja	
   ensinar	
   suas	
  
crianças	
  ou	
  seus	
  aprendizes	
  (discípulos)	
  a	
  orarem	
  
de	
  forma	
  simples	
  e	
  básica,	
  mas	
  consistente.	
  
a)	
  Exercício	
  Público	
  ou	
  Secreto?	
  
5.	
  E	
  quando	
  vocês	
  orarem,	
  não	
  sejam	
  como	
  os	
  
hipócritas.	
  Eles	
  gostam	
  de	
  ficar	
  orando	
  em	
  pé	
  nas	
  
sinagogas	
  e	
  nas	
  esquinas,	
  a	
  fim	
  de	
  serem	
  vistos	
  
pelos	
  outros.	
  Eu	
  lhes	
  asseguro	
  que	
  eles	
  já	
  receberam	
  
sua	
  plena	
  recompensa.	
  
	
  
6.	
  Mas	
  quando	
  você	
  orar,	
  vá	
  para	
  seu	
  quarto,	
  feche	
  
a	
  porta	
  e	
  ore	
  a	
  seu	
  Pai,	
  que	
  está	
  em	
  secreto.	
  Então	
  
seu	
  Pai,	
  que	
  vê	
  em	
  secreto,	
  o	
  recompensará.	
  
a)	
  Exercício	
  Público	
  ou	
  Secreto?	
  

Sequência	
  de	
  ações:	
  
1.  Quando	
  for	
  orar,	
  	
  
2.  Vá	
  para	
  o	
  seu	
  quarto,	
  	
  
3.  Feche	
  a	
  porta,	
  	
  
4.  E	
  ore	
  ao	
  seu	
  Pai.	
  
b)	
  Exercício	
  de	
  Pressão	
  ou	
  Confiança?	
  
7.	
  E	
  quando	
  orarem,	
  não	
  fiquem	
  sempre	
  repeAndo	
  
a	
  mesma	
  coisa,	
  como	
  fazem	
  os	
  pagãos.	
  Eles	
  
pensam	
  que	
  por	
  muito	
  falarem	
  serão	
  ouvidos.	
  
	
  
8.	
  Não	
  sejam	
  iguais	
  a	
  eles,	
  porque	
  o	
  seu	
  Pai	
  sabe	
  do	
  
que	
  vocês	
  precisam,	
  antes	
  mesmo	
  de	
  o	
  pedirem.	
  
b)	
  Exercício	
  de	
  Pressão	
  ou	
  Confiança?	
  
1.  O	
   uso	
   de	
   repe=ções	
   com	
   o	
   intuito	
   de	
   vencer	
  
Deus	
  pelo	
  cansaço.	
  
	
  
2.	
   O	
   uso	
   de	
   repe=ções	
   sem	
   qualquer	
   sen=do	
   no	
  
coração.	
  
“Quando	
  começamos	
  a	
  
falar	
  excessivamente	
  
em	
  oração,	
  podemos	
  
estar	
  quase	
  certos	
  que	
  
estamos	
  falando	
  
conosco	
  mesmo”.	
  
A.W.	
  Tozer	
  
A	
  oração	
  como	
  Jesus	
  ensinou	
  

Pai	
  (nosso	
  que	
  estás	
  nos	
  céus)	
  
	
  
Abba	
  =	
  Papai,	
  paizinho,	
  papi.	
  	
  
	
  
Deus	
  está	
  nos	
  céus	
  
Para	
  refle.r	
  e	
  pra.car	
  

A	
  afeição	
  em	
  tempos	
  
de	
  cansaço.	
  
	
  
A	
  afeição	
  em	
  tempos	
  
de	
  adversidade.	
  
	
  
Uma	
  viagem	
  rumo	
  ao	
  
desconhecido.	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Maduraguestc5d870
 
3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com ética3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com éticaRODRIGO FERREIRA
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.Rodrigo Ribeiro
 
Arrependimento e fe para salvacao
Arrependimento e fe para salvacaoArrependimento e fe para salvacao
Arrependimento e fe para salvacaoJessé Lopes
 
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmChristian Lepelletier
 
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02Mariano Silva
 
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULASCAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULASIdpb São Jose I
 
Lição 7 Evangelização: A missão máxima da igreja
Lição 7   Evangelização: A missão máxima da igrejaLição 7   Evangelização: A missão máxima da igreja
Lição 7 Evangelização: A missão máxima da igrejaWander Sousa
 
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germanoA importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germanoJoary Jossué Carlesso
 
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da IgrejaLição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da IgrejaÉder Tomé
 
Apresentação evangelismo
Apresentação evangelismoApresentação evangelismo
Apresentação evangelismoInes Pozzagnolo
 

Mais procurados (20)

Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com ética3 aula administração e liderança crista com ética
3 aula administração e liderança crista com ética
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
 
Arrependimento e fe para salvacao
Arrependimento e fe para salvacaoArrependimento e fe para salvacao
Arrependimento e fe para salvacao
 
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deus
 
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
Apostilaimpacto 130720022214-phpapp02
 
63573803 manual-do-encontro-com-deus
63573803 manual-do-encontro-com-deus63573803 manual-do-encontro-com-deus
63573803 manual-do-encontro-com-deus
 
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULASCAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
 
Lição 7 Evangelização: A missão máxima da igreja
Lição 7   Evangelização: A missão máxima da igrejaLição 7   Evangelização: A missão máxima da igreja
Lição 7 Evangelização: A missão máxima da igreja
 
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germanoA importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
 
LIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃOLIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃO
 
O líder de célula
O líder de célula O líder de célula
O líder de célula
 
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da IgrejaLição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
Lição 2 – O Fundamento e a Edificação da Igreja
 
Intercessão e batalha espiritual
Intercessão e batalha espiritualIntercessão e batalha espiritual
Intercessão e batalha espiritual
 
Meus esboços 1
Meus esboços 1Meus esboços 1
Meus esboços 1
 
Plano da salvação todos
Plano da salvação todosPlano da salvação todos
Plano da salvação todos
 
Apresentação evangelismo
Apresentação evangelismoApresentação evangelismo
Apresentação evangelismo
 
A Oração na Vida Cristã
A Oração na Vida CristãA Oração na Vida Cristã
A Oração na Vida Cristã
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 

Destaque

Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações MinisteriaisSemeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriaispaulodetarsopontes
 
Disciplina emocional
Disciplina emocionalDisciplina emocional
Disciplina emocionalovidiopv
 
Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01
Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01
Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01Mariano Silva
 
CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)
CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)
CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)adson232
 
Oração da Campanha da Fraternidade 2011
Oração da Campanha da Fraternidade 2011Oração da Campanha da Fraternidade 2011
Oração da Campanha da Fraternidade 2011Bernadetecebs .
 
Plano 100-dias-resumido
Plano 100-dias-resumidoPlano 100-dias-resumido
Plano 100-dias-resumidotsb10
 
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_201412 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014Ivanildo Amorim
 
Aula 05 membresia para o site
Aula 05   membresia para o siteAula 05   membresia para o site
Aula 05 membresia para o sitepbmarcelo
 
Providas calef. visão mda. manancial. 12.12.12
Providas   calef. visão mda. manancial. 12.12.12Providas   calef. visão mda. manancial. 12.12.12
Providas calef. visão mda. manancial. 12.12.12CCManancial
 
ORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUM
ORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUMORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUM
ORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUMadson232
 
Jejum de Daniel 21 de oração
Jejum de Daniel 21 de oraçãoJejum de Daniel 21 de oração
Jejum de Daniel 21 de oraçãoEduardo Maciel
 
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJCCampanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJCBernadetecebs .
 
Beneficios do discipulado 3
Beneficios do discipulado 3Beneficios do discipulado 3
Beneficios do discipulado 3Roberto Trindade
 

Destaque (20)

Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações MinisteriaisSemeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
Semeaduraça, Planejamento e Ações Ministeriais
 
A disciplina emocional
A disciplina emocionalA disciplina emocional
A disciplina emocional
 
Disciplina emocional
Disciplina emocionalDisciplina emocional
Disciplina emocional
 
Disciplinas Espirituais
Disciplinas EspirituaisDisciplinas Espirituais
Disciplinas Espirituais
 
Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01
Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01
Questionriodecrescimentodaclula 131217100437-phpapp01
 
Armadura
ArmaduraArmadura
Armadura
 
CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)
CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)
CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2012 em MACAPÁ (AP)
 
Oração
OraçãoOração
Oração
 
Oração da Campanha da Fraternidade 2011
Oração da Campanha da Fraternidade 2011Oração da Campanha da Fraternidade 2011
Oração da Campanha da Fraternidade 2011
 
Plano 100-dias-resumido
Plano 100-dias-resumidoPlano 100-dias-resumido
Plano 100-dias-resumido
 
100 dias depois
100 dias depois100 dias depois
100 dias depois
 
Os benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casaOs benefícios do discipulado em casa
Os benefícios do discipulado em casa
 
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_201412 dias de_clamor_no_ano_de_2014
12 dias de_clamor_no_ano_de_2014
 
Aula 05 membresia para o site
Aula 05   membresia para o siteAula 05   membresia para o site
Aula 05 membresia para o site
 
Providas calef. visão mda. manancial. 12.12.12
Providas   calef. visão mda. manancial. 12.12.12Providas   calef. visão mda. manancial. 12.12.12
Providas calef. visão mda. manancial. 12.12.12
 
ORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUM
ORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUMORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUM
ORIENTAÇÕES SOBRE OS 40 DIAS DE JEJUM
 
Jejum de Daniel 21 de oração
Jejum de Daniel 21 de oraçãoJejum de Daniel 21 de oração
Jejum de Daniel 21 de oração
 
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJCCampanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
Campanha da Fraternidade 2014 - Livreto das CEBs diocese de SJC
 
Beneficios do discipulado 3
Beneficios do discipulado 3Beneficios do discipulado 3
Beneficios do discipulado 3
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
 

Semelhante a Disciplinas Espirituais - Oração

Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Luiza Dayana
 
Apostila de estudos sobre louvor
Apostila de estudos sobre louvorApostila de estudos sobre louvor
Apostila de estudos sobre louvorleandro faistauer
 
Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020WelesonFernandes1
 
Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020Rogerio Sena
 
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdfJEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdfBillyIbn1
 
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6FilipeDuartedeBem
 
A. w. tozer como experimentar um avivamento pessoal
A. w. tozer   como experimentar um avivamento pessoalA. w. tozer   como experimentar um avivamento pessoal
A. w. tozer como experimentar um avivamento pessoalTeologia Qualidade
 
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço   meditação - instrumentalOs pontos concretos de esforço   meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumentalRubens José Terra Campos
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoTiburcio Santos
 
Cairbar schutel espiritismo para as crianças (infantil)
Cairbar schutel   espiritismo para as crianças (infantil)Cairbar schutel   espiritismo para as crianças (infantil)
Cairbar schutel espiritismo para as crianças (infantil)Patricia Simoes
 
Os Pontos Concretos de Esforço - Meditação
Os Pontos Concretos de Esforço - MeditaçãoOs Pontos Concretos de Esforço - Meditação
Os Pontos Concretos de Esforço - MeditaçãoRubens José Terra Campos
 
D 13 Preçe e Culto
D 13  Preçe e CultoD 13  Preçe e Culto
D 13 Preçe e CultoJPS Junior
 

Semelhante a Disciplinas Espirituais - Oração (20)

Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vidaLivro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
 
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
 
John piper a oração que constroi a eternidade
John piper   a oração que constroi a eternidadeJohn piper   a oração que constroi a eternidade
John piper a oração que constroi a eternidade
 
Apostila de estudos sobre louvor
Apostila de estudos sobre louvorApostila de estudos sobre louvor
Apostila de estudos sobre louvor
 
Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020
 
Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020Programa sugestivo 10 h jejum 2020
Programa sugestivo 10 h jejum 2020
 
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdfJEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
 
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
A. w. tozer como experimentar um avivamento pessoal
A. w. tozer   como experimentar um avivamento pessoalA. w. tozer   como experimentar um avivamento pessoal
A. w. tozer como experimentar um avivamento pessoal
 
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço   meditação - instrumentalOs pontos concretos de esforço   meditação - instrumental
Os pontos concretos de esforço meditação - instrumental
 
Um novo conceito de vida
Um novo conceito de vidaUm novo conceito de vida
Um novo conceito de vida
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
 
Introspecção
IntrospecçãoIntrospecção
Introspecção
 
Cairbar schutel espiritismo para as crianças (infantil)
Cairbar schutel   espiritismo para as crianças (infantil)Cairbar schutel   espiritismo para as crianças (infantil)
Cairbar schutel espiritismo para as crianças (infantil)
 
Palestra Prece
Palestra PrecePalestra Prece
Palestra Prece
 
Boletim245
Boletim245  Boletim245
Boletim245
 
Os Pontos Concretos de Esforço - Meditação
Os Pontos Concretos de Esforço - MeditaçãoOs Pontos Concretos de Esforço - Meditação
Os Pontos Concretos de Esforço - Meditação
 
D 13 Preçe e Culto
D 13  Preçe e CultoD 13  Preçe e Culto
D 13 Preçe e Culto
 

Mais de Tiago de Souza

Aula de Inglês - Aula 1
Aula de Inglês - Aula 1Aula de Inglês - Aula 1
Aula de Inglês - Aula 1Tiago de Souza
 
[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicos[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicosTiago de Souza
 
[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicos[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicosTiago de Souza
 
[Desintoxicação da Alma] Emoções Tóxicas
[Desintoxicação da Alma] Emoções Tóxicas[Desintoxicação da Alma] Emoções Tóxicas
[Desintoxicação da Alma] Emoções TóxicasTiago de Souza
 
[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicos
[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicos[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicos
[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicosTiago de Souza
 
Liderança Empreendedora - Um Novo Jeito de Liderar
Liderança Empreendedora - Um Novo Jeito de LiderarLiderança Empreendedora - Um Novo Jeito de Liderar
Liderança Empreendedora - Um Novo Jeito de LiderarTiago de Souza
 
Dia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de Jesus
Dia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de JesusDia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de Jesus
Dia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de JesusTiago de Souza
 
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de Jesus
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de JesusQuando Deus Diz Não! O Exemplo de Jesus
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de JesusTiago de Souza
 
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de Paulo
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de PauloQuando Deus Diz Não! O Exemplo de Paulo
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de PauloTiago de Souza
 
Quando Deus diz Não! O Exemplo de Davi
Quando Deus diz Não! O Exemplo de DaviQuando Deus diz Não! O Exemplo de Davi
Quando Deus diz Não! O Exemplo de DaviTiago de Souza
 
Vivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da EscassezVivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da EscassezTiago de Souza
 
Vivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da EscassezVivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da EscassezTiago de Souza
 
Vivendo Pela Fé - Diante da Descrença
Vivendo Pela Fé - Diante da DescrençaVivendo Pela Fé - Diante da Descrença
Vivendo Pela Fé - Diante da DescrençaTiago de Souza
 
Conversas do Oleiro - Sobre a igreja
Conversas do Oleiro - Sobre a igrejaConversas do Oleiro - Sobre a igreja
Conversas do Oleiro - Sobre a igrejaTiago de Souza
 
Jesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morte
Jesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morteJesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morte
Jesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morteTiago de Souza
 
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nós
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nósJesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nós
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nósTiago de Souza
 
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazio
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazioJesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazio
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazioTiago de Souza
 
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar JesusIgreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar JesusTiago de Souza
 
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir JesusIgreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir JesusTiago de Souza
 
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar JesusIgreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar JesusTiago de Souza
 

Mais de Tiago de Souza (20)

Aula de Inglês - Aula 1
Aula de Inglês - Aula 1Aula de Inglês - Aula 1
Aula de Inglês - Aula 1
 
[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicos[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Comportamentos tóxicos
 
[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicos[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicos
[Desintoxicação da Alma] Relacionamentos tóxicos
 
[Desintoxicação da Alma] Emoções Tóxicas
[Desintoxicação da Alma] Emoções Tóxicas[Desintoxicação da Alma] Emoções Tóxicas
[Desintoxicação da Alma] Emoções Tóxicas
 
[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicos
[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicos[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicos
[Desintoxicando a Alma] Pensamentos toxicos
 
Liderança Empreendedora - Um Novo Jeito de Liderar
Liderança Empreendedora - Um Novo Jeito de LiderarLiderança Empreendedora - Um Novo Jeito de Liderar
Liderança Empreendedora - Um Novo Jeito de Liderar
 
Dia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de Jesus
Dia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de JesusDia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de Jesus
Dia a Dia com Jesus - Vivendo em Nome de Jesus
 
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de Jesus
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de JesusQuando Deus Diz Não! O Exemplo de Jesus
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de Jesus
 
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de Paulo
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de PauloQuando Deus Diz Não! O Exemplo de Paulo
Quando Deus Diz Não! O Exemplo de Paulo
 
Quando Deus diz Não! O Exemplo de Davi
Quando Deus diz Não! O Exemplo de DaviQuando Deus diz Não! O Exemplo de Davi
Quando Deus diz Não! O Exemplo de Davi
 
Vivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da EscassezVivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da Escassez
 
Vivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da EscassezVivendo Pela Fé - Diante da Escassez
Vivendo Pela Fé - Diante da Escassez
 
Vivendo Pela Fé - Diante da Descrença
Vivendo Pela Fé - Diante da DescrençaVivendo Pela Fé - Diante da Descrença
Vivendo Pela Fé - Diante da Descrença
 
Conversas do Oleiro - Sobre a igreja
Conversas do Oleiro - Sobre a igrejaConversas do Oleiro - Sobre a igreja
Conversas do Oleiro - Sobre a igreja
 
Jesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morte
Jesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morteJesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morte
Jesus Ressuscitou, e daí?: Sábado depois da morte
 
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nós
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nósJesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nós
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que Ele veio para morrer e foi por nós
 
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazio
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazioJesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazio
Jesus Ressuscitou, e daí?: E daí que o túmulo está vazio
 
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar JesusIgreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de manifestar Jesus
 
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir JesusIgreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de seguir Jesus
 
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar JesusIgreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar Jesus
Igreja Local, Alcance Mundial: O desafio de anunciar Jesus
 

Disciplinas Espirituais - Oração

  • 1.
  • 2. Não  devemos  ser  levados  a  crer  que   as   Disciplinas   são   para   os   gigantes   espirituais   e,   por   isso,   estejam   além   de   nosso   alcance;   ou   para   os   contempla:vos   que   devotam   todo   o   tempo   à   oração   e   à   meditação.   Longe   disso.   Na   intenção   de   Deus,   as   Disciplinas   da   vida   espiritual   são   para   seres   humanos   comuns:   pessoas   que   têm   empregos,   que   cuidam   dos   filhos,   que   lavam   pratos   e  cortam  grama.  
  • 3. Na  realidade,  as  Disciplinas  são  mais   bem   exercidas   no   meio   de   nossas   a:vidades   normais   diárias.   Se   elas   d e v e m   t e r   q u a l q u e r   e f e i t o   transformador,   o   efeito   deve   encontrar-­‐se   nas   conjunturas   comuns   da   vida   humana:   em   nossos   relacionamentos   com   o   marido   ou   com   a   esposa,   com   nossos   irmãos   e   irmãs,   ou   com   nossos   amigos   e   vizinhos.  
  • 4. Disciplinas  Interiores   A  Disciplina  da  Meditação     A  Disciplina  da  Oração     A  Disciplina  do  Jejum     A  Disciplina  do  Estudo     Disciplinas  Exteriores     A  Disciplina  da  Simplicidade     A  Disciplina  da  Solitude   Disciplinas  Associadas   A  Disciplina  da  Confissão   A  Disciplina  da  Adoração   A  Disciplina  da  Orientação   A  Disciplina  da  Celebração  
  • 5. Duas  Dificuldades  para  pra.car  as  disciplinas   1   De  ordem  Filosófica:  A  base  materialista  em  nossa   época  tornou-­‐se  tão  penetrante  que  ela  tem  feito  as   pessoas  duvidarem  seriamente  de  sua  capacidade  de   ir  além  do  mundo  Psico.   2   De  ordem  Prá.ca:  Simplesmente  não  sabemos  como   explorar  a  vida  interior.  
  • 6. Por  que  pra.car  as  disciplinas?   Deus  nos  deu  as  Disciplinas  da  vida  espiritual  como  meios   de  receber  sua  graça.  As  Disciplinas  permitem-­‐nos  colocar-­‐ nos  diante  de  Deus  de  sorte  que  ele  possa  transformar-­‐ nos.   “O  que  semeia  para  a  sua  própria  carne,  da  carne   colherá  corrupção;  mas  o  que  semeia  para  o  Espírito,   do  Espírito  colherá  vida  eterna”  (Gálatas  6:8)  
  • 7. A  Disciplina  da  Meditação   Isso  não  é  coisa  das  religiões  orientais?   A  Meditação  Oriental  é  uma  tenta=va  para   esvaziar  a  mente.   A  Meditação  Cristã  é  uma  tenta=va  para   esvaziar  a  mente  a  fim  de  enchê-­‐la  
  • 8. A  Disciplina  da  Oração   “Quando  oramos   não  é  o  coração  de   Deus  que  muda,   mas  o  nosso”.   C.S.  Lewis  
  • 9. Mateus  6:  5-­‐13   5.   E,   quando   orardes,   não   sereis   como   os   hipócritas;   porque   gostam   de   orar   em   pé   nas   sinagogas   e   nos   cantos  das  praças,  para  serem  vistos  dos  homens.  Em   verdade  vos  digo  que  eles  já  receberam  a  recompensa.     6.  Tu,  porém,  quando  orares,  entra  no  teu  quarto  e,   fechada   a   porta,   orarás   a   teu   Pai,   que   está   em   secreto;   e   teu   Pai,   que   vê   em   secreto,   te   recompensará.  
  • 10. Mateus  6:  5-­‐13   7.   E,   orando,   não   useis   de   vãs   repe=ções,   como   os   gen=os;   porque   presumem   que   pelo   seu   muito   falar   serão  ouvidos.   8.   Não   vos   assemelheis,   pois,   a   eles;   porque   Deus,   o   vosso  Pai,  sabe  o  de  que  tendes  necessidade,  antes  que   lho  peçais.   9.  Portanto,  vós  orareis  assim:  Pai  nosso,  que  estás  nos   céus,  san=ficado  seja  o  teu  nome;  
  • 11. Mateus  6:  5-­‐13   10.  venha  o  teu  reino;  faça-­‐se  a  tua  vontade,  assim  na   terra  como  no  céu;   11.  o  pão  nosso  de  cada  dia  dá-­‐nos  hoje   12.  e  perdoa-­‐nos  as  nossas  dívidas,  assim  como  nós   temos  perdoado  aos  nossos  devedores;   13.    e  não  nos  deixes  cair  em  tentação;  mas  livra-­‐nos   do  mal  [pois  teu  é  o  reino,  o  poder  e  a  glória  para   sempre.  Amém]!  
  • 12. Sensibilidade Compreendendo  a   vontade  de  Deus   Através  da  Oração   Na  minha  vida  
  • 13. Oração  do  Senhor    X    Oração  dos  Discípulos   a)   Esta   oração   não   é   usada   pelo   próprio   Senhor   Jesus,   mas   somente   por   seus   seguidores.   Nos   Evangelhos,   não   temos   qualquer   indício   de   que   ele  tenha  orado  este  conteúdo.  Ele  parece  u:lizá-­‐ lo  como  exemplo  de  um  formato  a  ser  seguido  por   seus  discípulos.  
  • 14. Oração  do  Senhor    X    Oração  dos  Discípulos   b)   Esta   oração,   tanto   em   sua   forma,   como   em   seu   conteúdo,  revela  uma  simplicidade  e  uma  didá:ca   apropriada   para   alguém   que   deseja   ensinar   suas   crianças  ou  seus  aprendizes  (discípulos)  a  orarem   de  forma  simples  e  básica,  mas  consistente.  
  • 15. a)  Exercício  Público  ou  Secreto?   5.  E  quando  vocês  orarem,  não  sejam  como  os   hipócritas.  Eles  gostam  de  ficar  orando  em  pé  nas   sinagogas  e  nas  esquinas,  a  fim  de  serem  vistos   pelos  outros.  Eu  lhes  asseguro  que  eles  já  receberam   sua  plena  recompensa.     6.  Mas  quando  você  orar,  vá  para  seu  quarto,  feche   a  porta  e  ore  a  seu  Pai,  que  está  em  secreto.  Então   seu  Pai,  que  vê  em  secreto,  o  recompensará.  
  • 16. a)  Exercício  Público  ou  Secreto?   Sequência  de  ações:   1.  Quando  for  orar,     2.  Vá  para  o  seu  quarto,     3.  Feche  a  porta,     4.  E  ore  ao  seu  Pai.  
  • 17. b)  Exercício  de  Pressão  ou  Confiança?   7.  E  quando  orarem,  não  fiquem  sempre  repeAndo   a  mesma  coisa,  como  fazem  os  pagãos.  Eles   pensam  que  por  muito  falarem  serão  ouvidos.     8.  Não  sejam  iguais  a  eles,  porque  o  seu  Pai  sabe  do   que  vocês  precisam,  antes  mesmo  de  o  pedirem.  
  • 18. b)  Exercício  de  Pressão  ou  Confiança?   1.  O   uso   de   repe=ções   com   o   intuito   de   vencer   Deus  pelo  cansaço.     2.   O   uso   de   repe=ções   sem   qualquer   sen=do   no   coração.  
  • 19. “Quando  começamos  a   falar  excessivamente   em  oração,  podemos   estar  quase  certos  que   estamos  falando   conosco  mesmo”.   A.W.  Tozer  
  • 20. A  oração  como  Jesus  ensinou   Pai  (nosso  que  estás  nos  céus)     Abba  =  Papai,  paizinho,  papi.       Deus  está  nos  céus  
  • 21. Para  refle.r  e  pra.car   A  afeição  em  tempos   de  cansaço.     A  afeição  em  tempos   de  adversidade.     Uma  viagem  rumo  ao   desconhecido.