SlideShare uma empresa Scribd logo

Slides Mestrado em Educação

Slides da Defesa do Mestrado em Ciências da Educação

1 de 56
Baixar para ler offline
UNIVERSIDAD SAN CARLOS
MESTRADO EN CIENCIAS DE LA EDUCACIÓN
M A N O E L F E L I Z A R D O D O S S A N TO S
ORIENTADORA: Profª. Drª. JUDITE FILGUEIRAS RODRIGUES
CO - ORIENTADOR MS JOSÉ CARLOS SOARES PEREIRA
Banca Examinadora:
Presidente: Dr. Osvaldo Villalba
Drª Cecília Silvera de Piris
Drª Maria Eva Mansfeld
Assunción, julho de 2011.
MARCO INTRODUTÓRIO
TEMA:
ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA
TÍTULO:
ENSINO RELIGIOSO: UMA ABERTURA PARA A
TRANSCENDÊNCIA
PROBLEMA:
COMO O ENSINO RELIGIOSO PODE CONTRIBUIR PARA A
FORMAÇÃO SOCIAL DO DISCENTE?
MARCO INTRODUTÓRIO
PERCEPÇÃO DO PROBLEMA
O Ensino Religioso sendo uma parte
formativa na abertura para o
transcendente, um fato cultural e também
multicultural, trata-se de um instrumento a
ser aplicado no ensino fundamental da
Escola Pública.
[...] como sou monge budista, considero o
budismo o mais conveniente. Para mim, concluí que o
budismo é o melhor. Mas isso não significa que o
budismo é o melhor para todo mundo. [...] Se eu
acreditasse que o budismo é o melhor para todos, seria
uma tolice, porque pessoas diferentes têm disposições
mentais diferentes. Portanto, a variedade das pessoas
exige uma variedade de religiões.
Dalai-Lama, (2001, p. 353).
MARCO INTRODUTÓRIO
A escolha desse tema se deu para verificar a
aplicação do Ensino Religioso no ensino
fundamental na escola pública como determina a
Constituição Federal, a Lei de Diretrizes e Bases e
os Parâmetros Curriculares Nacionais.
MARCO INTRODUTÓRIO
OS PRINCIPAIS FATORES QUE MOTIVARAM A PESQUISA
 Sendo o Ensino Religioso, uma parte formativa essencial na abertura
para o transcendente ele está sendo aplicado de um modo efetivo
na escola pública do ensino fundamental?
 O Ensino Religioso no sistema escolar, influindo e ajudando na
construção do ser humano e no desenvolvimento integral, deve
constar e fazer parte do currículo acadêmico dos discentes.
 A Constituição eleva a educação ao nível dos direitos fundamentais
do ser humano, quando a concebe como um direito social e direito
de todos;
 Trata-se de um instrumento que não poderá deixar de ser aplicado
no ensino fundamental da Escola Pública.
Anúncio

Recomendados

Defesa de Dissertação de Mestrado em Ciência da Computação 2017
Defesa de Dissertação de Mestrado em Ciência da Computação 2017Defesa de Dissertação de Mestrado em Ciência da Computação 2017
Defesa de Dissertação de Mestrado em Ciência da Computação 2017Cloves da Rocha
 
Exemplos de ante projeto
Exemplos de ante projetoExemplos de ante projeto
Exemplos de ante projetoIzabelly Karine
 
Introdução monografia
Introdução   monografiaIntrodução   monografia
Introdução monografiaRafael Machado
 
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolarProjeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolar
Projeto de pesquisa, para comclusão do curso de pós graduação em gestão escolarstones De moura
 
Artigo a didática na formação pedagógica de professores
Artigo   a didática na formação pedagógica de professoresArtigo   a didática na formação pedagógica de professores
Artigo a didática na formação pedagógica de professoresRonilson de Souza Luiz
 
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...christianceapcursos
 
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...christianceapcursos
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_finalOs desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_finalRadar Ufmg
 
Pensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a Educação
Pensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a EducaçãoPensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a Educação
Pensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a Educaçãorevistas - UEPG
 
Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...
Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...
Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...Temas para TCC
 
Capítulo 5 vida no currículo currículo na vida
Capítulo 5 vida no currículo currículo na vidaCapítulo 5 vida no currículo currículo na vida
Capítulo 5 vida no currículo currículo na vidaisabepaiva
 
Didática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino SuperiorDidática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino SuperiorLuci Bonini
 
O uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de Aprendizagem
O uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de AprendizagemO uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de Aprendizagem
O uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de AprendizagemGeorge Gomes
 
A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...
A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...
A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...Temas para TCC
 
Mapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVM
Mapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVMMapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVM
Mapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVMInstituto A Vez do Mestre
 
Projeto monografia 2
Projeto monografia 2Projeto monografia 2
Projeto monografia 2Leonor
 
Resenha do livro transgressao e mudanca na educacao
Resenha do livro transgressao e mudanca na educacaoResenha do livro transgressao e mudanca na educacao
Resenha do livro transgressao e mudanca na educacaoA Nasc
 
O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...
O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...
O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...ProfessorPrincipiante
 
Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento - apresentao_cesar_coll_e_...
Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento -  apresentao_cesar_coll_e_...Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento -  apresentao_cesar_coll_e_...
Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento - apresentao_cesar_coll_e_...Paula Oliveira
 
formaçao pedagogica ensino superior
formaçao pedagogica ensino superiorformaçao pedagogica ensino superior
formaçao pedagogica ensino superiorFabríicio Sampaio
 

Mais procurados (20)

Os desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_finalOs desafios docencia_hoje_final
Os desafios docencia_hoje_final
 
Pensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a Educação
Pensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a EducaçãoPensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a Educação
Pensar, agir e se libertar: Concepções da Pedagogia Freiriana para a Educação
 
Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...
Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...
Interação entre professora e alunos em salas de aula com proposta pedagógica ...
 
Capítulo 5 vida no currículo currículo na vida
Capítulo 5 vida no currículo currículo na vidaCapítulo 5 vida no currículo currículo na vida
Capítulo 5 vida no currículo currículo na vida
 
didatica ensino superior
didatica ensino superiordidatica ensino superior
didatica ensino superior
 
Oficio Professor
Oficio ProfessorOficio Professor
Oficio Professor
 
Didática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino SuperiorDidática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino Superior
 
O uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de Aprendizagem
O uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de AprendizagemO uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de Aprendizagem
O uso pedagógico da Lousa Digital associado à teoria dos Estilos de Aprendizagem
 
A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...
A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...
A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes p...
 
Docência do ensino superior
Docência do ensino superiorDocência do ensino superior
Docência do ensino superior
 
Mapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVM
Mapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVMMapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVM
Mapas Mentais: Docência do Ensino Superior - IAVM
 
Projeto monografia 2
Projeto monografia 2Projeto monografia 2
Projeto monografia 2
 
Resenha do livro transgressao e mudanca na educacao
Resenha do livro transgressao e mudanca na educacaoResenha do livro transgressao e mudanca na educacao
Resenha do livro transgressao e mudanca na educacao
 
V16n48a09
V16n48a09V16n48a09
V16n48a09
 
O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...
O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...
O PAPEL DAS PRÁTICAS DE LICENCIATURA NO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFE...
 
Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento - apresentao_cesar_coll_e_...
Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento -  apresentao_cesar_coll_e_...Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento -  apresentao_cesar_coll_e_...
Aprendizagem Escolar e Construção do Conhecimento - apresentao_cesar_coll_e_...
 
formaçao pedagogica ensino superior
formaçao pedagogica ensino superiorformaçao pedagogica ensino superior
formaçao pedagogica ensino superior
 
Claudia gomes
Claudia gomesClaudia gomes
Claudia gomes
 
Monografia Silvana Pedagogia 2012
Monografia Silvana Pedagogia 2012Monografia Silvana Pedagogia 2012
Monografia Silvana Pedagogia 2012
 
Ciclosaprendizagem
CiclosaprendizagemCiclosaprendizagem
Ciclosaprendizagem
 

Semelhante a Slides Mestrado em Educação

Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º anoCurrículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º anotecnicossme
 
GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...
GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...
GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...Jocilaine Moreira
 
Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...
Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...
Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...Jocilaine Moreira
 
Slides Referencial Curricular
Slides Referencial CurricularSlides Referencial Curricular
Slides Referencial Curricularacs8cre
 
DIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docx
DIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docxDIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docx
DIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docxmagborga
 
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...ClaraAguiar
 
Artigo legislação do ensino religioso
Artigo legislação do ensino religiosoArtigo legislação do ensino religioso
Artigo legislação do ensino religiosoEduardo Oliveira
 
Artigo educação fisica afro brasileira 2
Artigo educação fisica afro brasileira 2 Artigo educação fisica afro brasileira 2
Artigo educação fisica afro brasileira 2 Lipe Barreto
 
Fundamentos Na EducaçãO112
Fundamentos Na EducaçãO112Fundamentos Na EducaçãO112
Fundamentos Na EducaçãO112moacir junior
 
Fp -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_i
Fp  -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_iFp  -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_i
Fp -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_i4444444444ada
 
Currículo Básico Comum do Espírito Santo
Currículo Básico Comum do Espírito SantoCurrículo Básico Comum do Espírito Santo
Currículo Básico Comum do Espírito SantoMaria Lucia Manikowski
 
Atividades relativas aos livros 01 da 2ª etapa
Atividades relativas aos livros 01 da 2ª etapaAtividades relativas aos livros 01 da 2ª etapa
Atividades relativas aos livros 01 da 2ª etapaheder oliveira silva
 
Textos de estrutura para o 1 semestre 2010
Textos de estrutura para o 1 semestre 2010Textos de estrutura para o 1 semestre 2010
Textos de estrutura para o 1 semestre 2010vandersoncf
 

Semelhante a Slides Mestrado em Educação (20)

Slides Doutorado
Slides Doutorado Slides Doutorado
Slides Doutorado
 
_AULA 2 (1).aprov 2021.pptx
_AULA 2 (1).aprov 2021.pptx_AULA 2 (1).aprov 2021.pptx
_AULA 2 (1).aprov 2021.pptx
 
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º anoCurrículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
Currículo referência ensino religioso 6º ao 9º ano
 
MODELOS E PRÁTICAS DO ENSINO RELIGIOSO E DIVERSIDADE RELIGIOSA EM SALA DE AUL...
MODELOS E PRÁTICAS DO ENSINO RELIGIOSO E DIVERSIDADE RELIGIOSA EM SALA DE AUL...MODELOS E PRÁTICAS DO ENSINO RELIGIOSO E DIVERSIDADE RELIGIOSA EM SALA DE AUL...
MODELOS E PRÁTICAS DO ENSINO RELIGIOSO E DIVERSIDADE RELIGIOSA EM SALA DE AUL...
 
GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...
GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...
GESTÃO DEMOCRÁTICA: RESGATANDO OS VALORES HUMANOS DO ENSINO RELIGIOSO NAS ESC...
 
Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...
Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...
Mono.odp jocilaineGestão democrática: Resgatando os Valores Humanos do Ensino...
 
Slides Referencial Curricular
Slides Referencial CurricularSlides Referencial Curricular
Slides Referencial Curricular
 
DIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docx
DIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docxDIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docx
DIDÁTICA DO ENSINO RELIGIOSO.docx
 
Religião
ReligiãoReligião
Religião
 
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
Monografia - A indisciplina no processo de ensino aprendizagem em turmas do p...
 
Artigo legislação do ensino religioso
Artigo legislação do ensino religiosoArtigo legislação do ensino religioso
Artigo legislação do ensino religioso
 
Artigo educação fisica afro brasileira 2
Artigo educação fisica afro brasileira 2 Artigo educação fisica afro brasileira 2
Artigo educação fisica afro brasileira 2
 
Fundamentos Na EducaçãO112
Fundamentos Na EducaçãO112Fundamentos Na EducaçãO112
Fundamentos Na EducaçãO112
 
Fp -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_i
Fp  -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_iFp  -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_i
Fp -fundamentos_da_educacao_de_jovens_e_adultos_i
 
Currículo Básico Comum do Espírito Santo
Currículo Básico Comum do Espírito SantoCurrículo Básico Comum do Espírito Santo
Currículo Básico Comum do Espírito Santo
 
Pedagógico caxias
Pedagógico caxiasPedagógico caxias
Pedagógico caxias
 
Atividades relativas aos livros 01 da 2ª etapa
Atividades relativas aos livros 01 da 2ª etapaAtividades relativas aos livros 01 da 2ª etapa
Atividades relativas aos livros 01 da 2ª etapa
 
Livro er 19_3_2015
Livro er 19_3_2015Livro er 19_3_2015
Livro er 19_3_2015
 
Reexaminando a educação básica na ldb
Reexaminando a educação básica na ldbReexaminando a educação básica na ldb
Reexaminando a educação básica na ldb
 
Textos de estrutura para o 1 semestre 2010
Textos de estrutura para o 1 semestre 2010Textos de estrutura para o 1 semestre 2010
Textos de estrutura para o 1 semestre 2010
 

Último

1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...excellenceeducaciona
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 

Último (20)

1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 

Slides Mestrado em Educação

  • 1. UNIVERSIDAD SAN CARLOS MESTRADO EN CIENCIAS DE LA EDUCACIÓN M A N O E L F E L I Z A R D O D O S S A N TO S ORIENTADORA: Profª. Drª. JUDITE FILGUEIRAS RODRIGUES CO - ORIENTADOR MS JOSÉ CARLOS SOARES PEREIRA Banca Examinadora: Presidente: Dr. Osvaldo Villalba Drª Cecília Silvera de Piris Drª Maria Eva Mansfeld Assunción, julho de 2011.
  • 2. MARCO INTRODUTÓRIO TEMA: ENSINO RELIGIOSO NA EDUCAÇÃO BÁSICA TÍTULO: ENSINO RELIGIOSO: UMA ABERTURA PARA A TRANSCENDÊNCIA PROBLEMA: COMO O ENSINO RELIGIOSO PODE CONTRIBUIR PARA A FORMAÇÃO SOCIAL DO DISCENTE?
  • 3. MARCO INTRODUTÓRIO PERCEPÇÃO DO PROBLEMA O Ensino Religioso sendo uma parte formativa na abertura para o transcendente, um fato cultural e também multicultural, trata-se de um instrumento a ser aplicado no ensino fundamental da Escola Pública.
  • 4. [...] como sou monge budista, considero o budismo o mais conveniente. Para mim, concluí que o budismo é o melhor. Mas isso não significa que o budismo é o melhor para todo mundo. [...] Se eu acreditasse que o budismo é o melhor para todos, seria uma tolice, porque pessoas diferentes têm disposições mentais diferentes. Portanto, a variedade das pessoas exige uma variedade de religiões. Dalai-Lama, (2001, p. 353).
  • 5. MARCO INTRODUTÓRIO A escolha desse tema se deu para verificar a aplicação do Ensino Religioso no ensino fundamental na escola pública como determina a Constituição Federal, a Lei de Diretrizes e Bases e os Parâmetros Curriculares Nacionais.
  • 6. MARCO INTRODUTÓRIO OS PRINCIPAIS FATORES QUE MOTIVARAM A PESQUISA  Sendo o Ensino Religioso, uma parte formativa essencial na abertura para o transcendente ele está sendo aplicado de um modo efetivo na escola pública do ensino fundamental?  O Ensino Religioso no sistema escolar, influindo e ajudando na construção do ser humano e no desenvolvimento integral, deve constar e fazer parte do currículo acadêmico dos discentes.  A Constituição eleva a educação ao nível dos direitos fundamentais do ser humano, quando a concebe como um direito social e direito de todos;  Trata-se de um instrumento que não poderá deixar de ser aplicado no ensino fundamental da Escola Pública.
  • 7. MARCO INTRODUTÓRIO  O PROBLEMA DE PESQUISA GENÉRICO  Qual o papel do Ensino Religioso na formação do cidadão? ESPECÍFICOS  Os docentes que ministram a disciplina Ensino Religioso tem formação específica?  Na concepção do docente o Ensino Religioso deve fazer parte da grade curricular no Ensino Fundamental?  Na visão dos docentes o Ensino Religioso ajuda na construção integral dos discentes?
  • 8. MARCO INTRODUTÓRIO OBJETIVOS  OBJETIVO GERAL:  Analisar o papel do Ensino Religioso na formação do cidadão.  OBJETIVOS ESPECÍFICOS:  Identificar a formação acadêmica dos docentes que ministram o Ensino Religioso;  Detectar se o Ensino Religioso integra o projeto pedagógico do Ensino Fundamental nas Escolas;  Verificar a contribuição do Ensino Religioso na formação integral do ser humano.
  • 9. MARCO INTRODUTÓRIO  A IMPORTÂNCIA DO TEMA SE DÁ PELOS SEGUINTES MOTIVOS:  O Ensino Religioso pode fomentar no cidadão, aceitação do diferente;  O Ensino Religioso sendo aplicado na sala de aula pode fomentar nos discentes a curiosidade para conhecer as diferentes religiões que existe no mundo;  O Ensino Religioso como fenômeno antropológico pode acrescentar no cidadão uma melhor visão do fato histórico.
  • 11. MARCO INTRODUTÓRIO HIPÓTESE O Ensino Religioso melhora as relações interpessoais, morais e o desenvolvimento social e cultural nas escolas.
  • 12. MARCO INTRODUTÓRIO JUSTIFICATIVA Como seres históricos por estarmos inseridos e condicionados em uma realidade com dimensões sociais, política, cultural, econômica e religiosa, fazemos parte de uma sociedade que tem uma organização própria e que também apresenta seus problemas.
  • 13. MARCO INTRODUTÓRIO JUSTIFICATIVA  Procurar entender a complexidade do homem num mundo onde se valoriza o ter e o poder são grandes os desafios que nos impulsiona a olhar para as pessoas e para a vida e pensar em questões que envolvam práticas e crenças religiosas;  Por fim, justifica-se a pesquisa sobre o Ensino Religioso no ensino fundamental na Escola, buscando-se trabalhar com os valores éticos, morais, espirituais e religiosos dentro do processo educacional para que o indivíduo possa situar-se no mundo de uma forma mais CONFIÁVEL e mais fraterna.
  • 14. MARCO TEÓRICO A Constituição Federal em seu artigo 5º, inciso VI, assegura que: “Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
  • 15. MARCO TEÓRICO  (...) VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias; (...)  O estado não pode praticar o laicismo o qual significa que ele não tem, não favorece, não grava nem limita nenhuma religião. A nenhuma privilegia. O fato de não haver religião oficial, não significa restringir religião.
  • 16. MARCO TEÓRICO Ensinar é direito de todos; aprender, também. (Constituição Federal, art. 206, II,III e IV). “Liberdade de transmissão e de recepção do conhecimento;” “Pluralismo de ideias e de concepção pedagógica.”  O § 1º, do artigo 210 da Constituição Federal, instituiu o direito individual de aprender as doutrinas das diferentes religiões na escola pública, como disciplina do ensino fundamental e no horário em que as demais matérias são normalmente ministradas.
  • 17. MARCO TEÓRICO • LEI DE DIRETRIZES E BASES (LDB). 9394/96 Art. 33 – O Ensino Religioso, de matrícula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental,assegurando o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo. sendo oferecido, sem ônus para os cofres público, de acordo com as preferências manifestadas pelos alunos (...) Ao analisarmos o caput desse artigo observamos que o ER seria oferecido sem ônus para os cofres públicos. Assim, em 22 de julho de 1997, apenas (sete) meses após a promulgação da nova LDB (20 de dezembro de 1996), foi sancionada pelo então Presidente Fernando Henrique Cardoso a Lei nº 9.475/97 que extinguia a expressão “sem ônus para os cofres públicos” do art. 33 da LDB.
  • 18. MARCO TEÓRICO I – confessional, de acordo com a opção religiosa do aluno ou do seu responsável ministrada por professores e orientadores religiosos preparados e credenciados (...) II – interconfessional, resultante de acordo entre diversas entidades religiosas, que se responsabilizarão pela elaboração do respectivo programa.
  • 19. MARCO TEÓRICO  Toda religião comporta uma ética e toda ética desemboca numa religião, na mesma medida em que a ética se orienta pelo sentido do transcendente da vida humana.  Catão (1995),  A educação se faz com compromisso tendo como referencial o ser humano.  Morim, (2001)  Não se faz educação sem afeto.  Chalita (2003)  Religião e educação caminham juntas.  Durkheim (2004)  “Não há diálogo, se não há profundo amor ao mundo e aos homens”.  Freire (2005).
  • 20. MARCO METODOLÓGICO ABORDAGEM DA PESQUISA  A linha encontrada para a elaboração da Dissertação foi aplicação de questionários semi-estruturados em duas escolas na cidade de Salvador – Bahia.
  • 21. MARCO METODOLÓGICO  CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO  PROCEDIMENTO DE COLETA DE DADOS  UNIVERSO DA PESQUISA  DELIMITAÇÃO DO ESTUDO  POPULAÇÃO ALVO  PROVA PILOTO  AMOSTRA
  • 22. MARCO ANALÍTICO  ASPECTOS ÉTICOS  A pesquisa foi realizada através de questionários com docentes dos colégios Nossa Senhora da Assunção (confessional) e Senhor do Bonfim (laico) cujas informações coletadas foram preservadas.  TIPOS DE AMOSTRAGEM  Probabilística aleatória simples, onde todos os docentes das escolas pesquisadas tiveram probabilidade de serem incluídos. RETORNO DA INFORMAÇÃO A pesquisa evidenciou que o assunto “ENSINO RELIGIOSO: UMA ABERTURA PARA A TRANSCENDÊNCIA” é um assunto que precisa ser discutido e debatido em todos os níveis.
  • 23. MARCO ANALÍTICO COLÉGIOS: SENHOR DO BONFIM (LAICO) NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO (CONFESSIONAL)
  • 24. 0 200 400 600 800 1000 Nº de Alunos 935 456 Colégio Senhor do Bonfim Instituto Nossa Senhora da AssunçãoFonte. Pesquisador
  • 25. Sim Não 66,67% 33,33% Colégio Nossa Senhora da Assunção Colégio Senhor do Bonfim 75% 1ª É possível aplicar o Ensino Religioso no Ensino fundamental? 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 00% 25% Fonte. Pesquisador
  • 26. Sim Não 55,56% 44,44% Colégio Nossa Senhora da Assunção Colégio Senhor do Bonfim 100% Fonte. Pesquisador 2ª O Ensino Religioso deve fazer parte da grade curricular, segundo a LDB? 100% 80% 60% 40% 20% 00% 00%
  • 27. Sim Não 88,89% 11,11% Colégio Nossa Senhora da Assunção Colégio Senhor do Bonfim 100% 80% 60% 40% 20% 00% 3ª Pode-se diferenciar Ensino Religioso da Religião? 75% 25% Fonte. Pesquisador
  • 28. Sim Não 77,78% 22,22% Colégio Nossa Senhora da Assunção Colégio Senhor do Bonfim 00% 4ª O docente deve ter uma formação específica para ministrar o Ensino Religioso? 100% 100% 80% 60% 40% 20% 00% Fonte. Pesquisador
  • 29. Sim Não 77,78% 22,22% Colégio Nossa Senhora da Assunção Colégio Senhor do Bonfim 37,50% 62,50% 80% 60% 40% 20% 00% 5ª Já ministrou aula de Ensino Religioso? Fonte. Pesquisador
  • 30. Sim Não 66,67% 33.33% Colégio Nossa Senhora da Assunção Colégio Senhor do Bonfim 00% 6ª Você defenderia o Ensino Religioso? 100% 100% 80% 60% 40% 20% 00% Fonte. Pesquisador
  • 31. Sim Não Colégio Nossa Senhora da Assunção Colégio Senhor do Bonfim 100%100% 00% 00% 7ª Você respeitaria a Religião do outro? 100% 80% 60% 40% 20% 00% Fonte. Pesquisador
  • 32. MARCO ANALÍTICO • INSTITUTO NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO • PRINCIPAIS RESPOSTAS SUBJETIVAS
  • 33. MARCO ANALÍTICO 1ª O que entende, de acordo com a LDBEN 9394/97, Art. 33, sobre a formação básica do cidadão? • “Formar cidadãos críticos e reflexivos para uma melhor atuação na sociedade.”
  • 34. MARCO ANALÍTICO 2ª Qual a diferença entre formação básica e formação integral? • “Formação básica consiste em uma formação regular, seja ela sistemática ou não. Já a integral ela tem uma regularidade além da formação, contribuindo com outros complementos”.
  • 35. MARCO ANALÍTICO 3ª Quais os elementos mais importantes nessa formação? “A construção de valores” 4ª O Ensino Religioso tem alguma contribuição nesse sentido? • “Muito! Porque tende a valorizar a pessoa humana em todos os sentidos”
  • 36. MARCO ANALÍTICO • COLÉGIO SENHOR DO BONFIM • PRINCIPAIS RESPOSTAS SUBJETIVAS
  • 37. MARCO ANALÍTICO 1ª O que entende, de acordo com a LDBEN 9394/97, Art. 33, sobre a formação básica do cidadão? • “Necessário para garantir mais tarde um aprendizado de maneira integral.”
  • 38. MARCO ANALÍTICO 2ª Qual a diferença entre formação básica e formação integral? • Ensina-se o necessário para seguir em frente e ampliar seus estudos. É a “base”.
  • 39. MARCO ANALÍTICO 3ª Quais os elementos mais importantes nessa formação? • “Ética, diversidade cultural e amor.” 4ª O Ensino Religioso tem alguma contribuição nesse sentido? • “Teria, se o Estado tivesse responsabilidade com a educação.”
  • 40. MARCO ANALÍTICO RESULTADOS Os resultados obtidos nesta pesquisa após investigação demonstraram que a matéria Ensino Religioso está sendo aplicada de modo parcial na escola de nível fundamental por docentes com formação acadêmica diversificada.
  • 41. MARCO ANALÍTICO Se faz necessário questionar sobre a formação dos docentes que irão trabalhar com conteúdos programáticos, dada a especificidade do mesmo. • Assim, os professores de Ensino Religioso deverão receber em sua formação inicial ou continuada, subsídios teóricos suficientes para poder ministrar esse assunto, sem o qual tal ensino não se efetivará.
  • 42. PROPOSTA  O Ensino Religioso seja concebido na diversidade cultural religiosa do Brasil;  Uma disciplina centrada na antropologia religiosa e não na catequese ou exposição de doutrina;  Uma disciplina escolar que possibilite o acesso ao conhecimento religioso, a partir da pluralidade cultural religiosa em sala de aula;  Uma disciplina curricular do Ensino Fundamental, que a partir de sua especificidade, o religioso, contribua de forma significativa, juntamente com as demais disciplinas escolares, na formação básica do cidadão, conforme o disposto no artigo 33 da Lei e Diretrizes Básicas da Educação, nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996.
  • 43. CONCLUSÃO • Em vista dos argumentos apresentados, e pela observação dos aspectos analisados, acreditamos que o Ensino Religioso pode contribuir para uma melhor e aceitável sustentação da formação ideológica e social do aluno, quando a sua aplicabilidade é apresentada de forma imparcial oferecendo alternativas de escolhas.
  • 44. CONCLUSÃO • Por todos estes aspectos observados, torna-se imprescindível a aplicabilidade da Constituição Federal bem como a LDB e os PCNERs como construtores referenciais dos conteúdos, regras e métodos. • Através do respeito diante das diversidades, entendemos que o ER deve fazer parte do contexto educacional proporcionando ao aluno a necessidade de escolhas na busca do conhecimento.
  • 45. AGRADECIMENTOS  A Deus, que me proporcionou a oportunidade de poder concluir mais este sonho.  Aos meus queridos pais, que me ensinaram a valorizar cada ser humano, com amor e com respeito.  Aos meus irmãos, pelo carinho e pela amizade.  Aos professores e funcionários da Universidad San Carlos, pela competência e profissionalismo.
  • 46. AGRADECIMENTOS  A minha orientadora Profª Drª Judite Filgueiras Rodrigues pelas orientações e pelo zelo.  A Sandra Maria de Souza Costa, minha querida mulher, companheira de caminhada.  Ao meu amigo e irmão Helder Rocha Leite pela sua amizade sincera e verdadeira.  A todos que, esquecidos aqui, contribuíram direta e indiretamente para a elaboração dessa dissertação.
  • 47. OBRIGADO! MANOEL FELIZARDO DOS SANTOS E-mail:manoel-felizardo@hotmail.com Tel. (71) 33975569 / 92240360