Mioma 73ª Edição, setembro de 2013Mioma 73ª Edição, setembro de 2013Mioma 73ª Edição, setembro de 2013
Santa Beatriz da Si...
2
INDICE
Pág. 3 — Caminhos Marianos, um roteiro que liga Portugal;
Pág. 4, 5— domingo XXII do tempo comum;
Pág. 5, 6, 7 — ...
3
Caminhos Marianos, um roteiro que liga Portugal
Marco Daniel, com o apoio do Turismo de Portugal, escreveu um roteiro so...
4
DOMINGO XXII do Tempo Comum
(1 de setembro de 2013)
LEITURA I Sir 3, 19-21.30-31 (gr.17-18.20.28-29)
«Humilha-te e encon...
5
Vós aproximastes-vos do monte Sião, da cidade do Deus vivo, a Jerusalém
celeste, de muitos milhares de Anjos em reunião ...
6
Quem pode sondar as intenções do Senhor?
Os pensamentos dos mortais são mesquinhos e inseguras as nossas reflexões, por-...
7
Mando-o de volta para ti, como se fosse o meu próprio coração.
Quisera conservá-lo junto de mim, para que me servisse, e...
8
DOMINGO XXIV do Tempo Comum
(15 de setembro de 2013)
LEITURA I Ex 32, 7-11.13-14
«O Senhor desistiu do mal com que tinha...
9
LEITURA II 1 Tim 1, 12-17
«Cristo veio salvar os pecadores»
Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo...
10
Eu vos digo: Assim haverá alegria entre os Anjos de Deus por um só peca-
dor que se arrependa».
Jesus disse-lhes ainda:...
11
DOMINGO XXV do Tempo Comum
(22 de setembro de 2013)
LEITURA I Am 8, 4-7
Contra aqueles que "possuem dinheiro alheio"
Le...
12
Isto é bom e agradável aos olhos de Deus, nosso Salvador; Ele quer que to-
dos os homens se salvem e cheguem ao conheci...
13
DOMINGO XXVI do Tempo Comum
(29 de setembro de 2013)
LEITURA I Am 6, 1a.4-7
«Agora acabará o bando dos voluptuosos»
Lei...
14
Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna, para a qual foste
chamado e sobre a qual fizeste tão bela profiss...
15
Mas ele insistiu:
‘Não, pai Abraão. Se algum dos mortos for ter com eles, arrepender-se-ão’.
Abraão respondeu-lhe:
‘Se ...
16
De acordo com o direito canónico, para a canonização era necessário um novo mila-
gre atribuível à intercessão do Beato...
17
A Voz do Conselho Económico
Publicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de junho de 2013
Contributo...
18
BENEFÍCIOS DE ALGUNS CHÁS…
ABACATE
Combate dores reumáticas, gota e funciona como diurético.
Para dores de cabeça, toma...
19
20
Com a colaboração do JES
Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro.
2013
Lua cheia Lua nova Quarto cres...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Voz da Paróquia - Setembro 2013

150 visualizações

Publicada em

Voz da Paróquia - Setembro 2013

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
150
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Voz da Paróquia - Setembro 2013

  1. 1. Mioma 73ª Edição, setembro de 2013Mioma 73ª Edição, setembro de 2013Mioma 73ª Edição, setembro de 2013 Santa Beatriz da Silva 1 de setembro Nossa Senhora das Dores-15 de setembro Natividade de Nossa Senhora—8 de setembro Arcanjos São Miguel, São Gabriel e São Rafael 29 de setembro
  2. 2. 2 INDICE Pág. 3 — Caminhos Marianos, um roteiro que liga Portugal; Pág. 4, 5— domingo XXII do tempo comum; Pág. 5, 6, 7 — domingo XXIII do tempo comum; Pág. 8, 9, 10 — domingo XXIV do tempo comum; Pág. 11, 12 — domingo XXV do tempo comum; Pág. 13, 14, 15 — domingo XXVI do tempo comum; Pág. 15, 16 — Canonizações conhecidas a 30 de setembro; Pág. 16— Almoço convívio; Pág. 17 — A Voz do Conselho Económico; Pág. 18 — Os benefícios de alguns chás; Pág. 19 — Passatempos; Agradecemos a todos quantos queiram participar com documentos e/ou testemunhos, que os façam chegar ao J.E.S (Grupo de Jovens Do Espírito Santo de Mioma), da seguinte forma e, prazos, para a edição do mês se- guinte: Em mão ou por correio, até dia 15; Para, jesmioma@hotmail.com, até ao dia 20. Se queres receber no teu correio eletrónico um exemplar da “A Voz da Paróquia” envia uma mensagem para o endereço jesmioma@hotmail.com com o assunto “Quero receber a Voz” Versão Digital: http://www.slideshare.net/jesmioma http://issuu.com/jesmioma
  3. 3. 3 Caminhos Marianos, um roteiro que liga Portugal Marco Daniel, com o apoio do Turismo de Portugal, escreveu um roteiro sobre os cami- nhos Marianos onde turismo, culto e cultura se misturam e difundem de norte a sul do país. Para o turismo religioso “uma ação cultual, que tem um sentido meramente religioso, passa a ser também cultural”, assinala o diretor do Museu do Santuário de Fátima, e, por isso, deve ser divulgado e potenciado como produto “com muito potencial”. Marco Daniel começou por explicar no programa ECCLESIA, que para este projeto ‘Caminhos de Fé’, do Turismo de Portugal, foi solicitada ajuda nos conteúdos ao Secre- tariado dos Bens Culturais da Igreja. Fazer o mapeamento de todas as expressões marianas nacionais significa ter um mapa ponteado “a negro” porque “a relação que existe entre os portugueses e o culto maria- no é umbilical e vem desde o início de Portugal”, desenvolve. O autor descreveu que todos os contextos históricos de Portugal tiveram uma evoca- ção mariana como D. Afonso Henriques com a Senhora da Oliveira em Guimarães; D. João I com Santa Maria da Vitória na Batalha ou D. João IV com a Imaculada Concei- ção de Vila Viçosa. O roteiro, que estará brevemente disponível, apresenta mais de 70 caminhos marianos e faz referência a muitos outros, “o número subirá acima da centena”. Os peregrinos cultuais e culturais podem fazer o seu percurso por regiões e visitar os lugares apresentados mesmo que não seja no dia da sua festa porque “o roteiro prevê que encontrem o lugar sem ser em dia festivo”. Desta forma, os visitantes vão poder conhecer a evocação mariana celebrada, inter- pretar as obras de arte, “o percurso artístico” para além de “algumas notas” sobre a forma de cultuar, “que variam de região para região e de santuário para santuário”, informa o autor que acrescentou notas sobre a “antropologia da festa, do canto e das manifestações populares”. Os itinerários para Fátima também estão presentes afinal este santuário é “uma peça fundamental” porque “cruzam-se os caminheiros, os peregrinos cultuais mas também os forasteiros da cultura” que apreciam as várias manifestações de arte. Neste roteiro, que apresenta um país em torno da Virgem Maria, podem ser descober- tas e interpretadas as manifestações desde a “Idade Média até às que são mais deco- radas e quase cenograficamente criadas”. Ou seja, desde a prática da caridade com o bodo, aos andores de vários metros de altura ou celebrações de Fátima “embora tenham sido espontâneas, são mais ligadas à contemporaneidade”, destaca Marco Daniel. Como acontece em inúmeros lugares do mundo a dedicação de igrejas a Nossa Senho- ra é constante e “Portugal não é exceção”. Por exemplo, “à exceção de Castelo Branco, todas as catedrais portuguesas são dedi- cadas a Santa Maria o que explica esta relação filial especial”, conclui o diretor do Mu- seu do Santuário de Fátima. PR/CB
  4. 4. 4 DOMINGO XXII do Tempo Comum (1 de setembro de 2013) LEITURA I Sir 3, 19-21.30-31 (gr.17-18.20.28-29) «Humilha-te e encontrarás graça diante do Senhor» Leitura do Livro de Ben-Sirá Filho, em todas as tuas obras procede com humildade e serás mais estimado do que o homem generoso. Quanto mais importante fores, mais deves humilhar-te, e encontrarás graça diante do Senhor. Porque é grande o poder do Senhor, e os humildes cantam a sua glória. A desgraça do soberbo não tem cura, porque a árvore da maldade criou nele raízes. O coração do sábio compreende as máximas do sábio, e o ouvido atento alegra-se com a sabedoria. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 67 (68), 4-7ab.10-11 (R. cf. 11b) Refrão: Na vossa bondade, Senhor, preparastes uma casa para o pobre. Os justos alegram-se na presença de Deus, exultam e transbordam de alegria. Cantai a Deus, entoai um cântico ao seu nome; o seu nome é Senhor: exultai na sua presença. Pai dos órfãos e defensor das viúvas, é Deus na sua morada santa. Aos abandonados Deus prepara uma casa, conduz os cativos à liberdade. Derramastes, ó Deus, uma chuva de bênçãos, restaurastes a vossa herança enfraquecida. A vossa grei estabeleceu-se numa terra que a vossa bondade, ó Deus, preparara ao oprimido. LEITURA II Hebr 12, 18-19.22-24a «Aproximastes-vos do monte Sião, da cidade do Deus vivo» Leitura da Epístola aos Hebreus Irmãos: Vós não vos aproximastes de uma realidade sensível, como os Israelitas no monte Sinai: o fogo ardente, a nuvem escura, as trevas densas ou a tempestade, o som da trombeta e aquela voz tão retumbante que os ouvintes suplicaram que não lhes falasse mais.
  5. 5. 5 Vós aproximastes-vos do monte Sião, da cidade do Deus vivo, a Jerusalém celeste, de muitos milhares de Anjos em reunião festiva, de uma assembleia de pri- mogénitos inscritos no Céu, de Deus, juiz do universo, dos espíritos dos justos que atingiram a perfeição e de Jesus, mediador da nova aliança. Palavra do Senhor. ALELUIA Mt 11, 29ab Refrão: Aleluia. Repete-se Tomai o meu jugo sobre vós, diz o Senhor, e aprendei de Mim, que sou man- so e humilde de coração. EVANGELHO Lc 14, 1.7-14 «Quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, Jesus entrou, num sábado, em casa de um dos principais fariseus para tomar uma refeição. Todos O observavam. Ao notar como os convidados escolhiam os primeiros lugares, Jesus disse-lhes esta parábola: «Quando fores convidado para um banquete nupcial, não tomes o primeiro lugar. Pode acontecer que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu; então, aquele que vos convidou a ambos, terá que te dizer: ‘Dá o lugar a este’; e fi- carás depois envergonhado, se tiveres de ocupar o último lugar. Por isso, quando fores convidado, vai sentar-te no último lugar; e quando vier aquele que te convidou, dirá: ‘Amigo, sobe mais para cima’; ficarás então honrado aos olhos dos outros convidados. Quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exal- tado». Jesus disse ainda a quem O tinha convidado: «Quando ofereceres um almoço ou um jantar, não convides os teus amigos nem os teus irmãos, nem os teus parentes nem os teus vizinhos ricos, não seja que eles por sua vez te convidem e assim serás retri- buído. Mas quando ofereceres um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás feliz por eles não terem com que retribuir-te: ser-te-á retribuído na ressurreição dos justos. Palavra da salvação. DOMINGO XXIII do Tempo Comum (8 de setembro de 2013) LEITURA I Sab 9, 13-19 (gr. 13-18b) «Quem pode sondar as intenções do Senhor?» Leitura do Livro da Sabedoria Qual o homem que pode conhecer os desígnios de Deus?
  6. 6. 6 Quem pode sondar as intenções do Senhor? Os pensamentos dos mortais são mesquinhos e inseguras as nossas reflexões, por- que o corpo corruptível deprime a alma, e a morada terrestre oprime o espírito que pensa. Mal podemos compreender o que está sobre a terra e com dificuldade encon- tramos o que temos ao alcance da mão. Quem poderá então descobrir o que há nos céus? Quem poderá conhecer, Senhor, os vossos desígnios, se Vós não lhe dais a sabedoria e não lhe enviais o vosso espírito santo? Deste modo foi corrigido o procedimento dos que estão na terra, os homens aprende- ram as coisas que Vos agradam e pela sabedoria foram salvos. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 89 (90), 3-6.12-14.17 (R. 1) Refrão: Senhor, tendes sido o nosso refúgio através das gerações. Vós reduzis o homem ao pó da terra e dizeis: «Voltai, filhos de Adão». Mil anos a vossos olhos são como o dia de ontem que passou e como uma vigília da noite. Vós os arrebatais como um sonho, como a erva que de manhã reverdece; de manhã floresce e viceja, à tarde ela murcha e seca. Ensinai-nos a contar os nossos dias, para chegarmos à sabedoria do coração. Voltai, Senhor! Até quando... Tende piedade dos vossos servos. Saciai-nos desde a manhã com a vossa bondade, para nos alegrarmos e exultarmos todos os dias. Desça sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus. Confirmai, Senhor, a obra das nossas mãos. LEITURA II Flm 9b-10.12-17 «Recebe-o, não já como escravo, mas como irmão muito querido» Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo a Filémon Caríssimo: Eu, Paulo, prisioneiro por amor de Cristo Jesus, rogo-te por este meu fi- lho, Onésimo, que eu gerei na prisão.
  7. 7. 7 Mando-o de volta para ti, como se fosse o meu próprio coração. Quisera conservá-lo junto de mim, para que me servisse, em teu lugar, enquanto estou preso por causa do Evangelho. Mas, sem o teu consentimento, nada quis fazer, para que a tua boa ação não pare- cesse forçada, mas feita de livre vontade. Talvez ele se tenha afastado de ti durante algum tempo, a fim de o recuperares para sempre, não já como escravo, mas muito melhor do que escravo: como irmão muito querido. É isto que ele é para mim e muito mais para ti, não só pela natureza, mas também aos olhos do Senhor. Se me consideras teu amigo, recebe-o como a mim próprio. Palavra do Senhor. ALELUIA Salmo 118 (119), 135 Refrão: Aleluia. Repete-se Fazei brilhar sobre mim, Senhor, a luz do vosso rosto e ensinai-me os vossos mandamentos. EVANGELHO Lc 14, 25-33 «Quem não renunciar a todos os seus bens não pode ser meu discípulo» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, seguia Jesus uma grande multidão. Jesus voltou-Se e disse-lhes: «Se alguém vem ter comigo, e não Me preferir ao pai, à mãe, à esposa, aos filhos, aos irmãos, às irmãs e até à própria vida, não pode ser meu discípulo. Quem não toma a sua cruz para Me seguir, não pode ser meu discípu- lo. Quem de vós, desejando construir uma torre, não se senta primeiro a calcular a despesa, para ver se tem com que terminá-la? Não suceda que, depois de assentar os alicerces, se mostre incapaz de a concluir, e todos os que olharem comecem a fa- zer troça, dizendo: ‘Esse homem começou a edificar, mas não foi capaz de concluir’. E qual é o rei que parte para a guerra contra outro rei e não se senta primeiro a con- siderar se é capaz de se opor, com dez mil soldados, àquele que vem contra ele com vinte mil? Aliás, enquanto o outro ainda está longe, manda-lhe uma delegação a pedir as condi- ções de paz. Assim, quem de entre vós não renunciar a todos os seus bens, não pode ser meu discípulo». Palavra da salvação.
  8. 8. 8 DOMINGO XXIV do Tempo Comum (15 de setembro de 2013) LEITURA I Ex 32, 7-11.13-14 «O Senhor desistiu do mal com que tinha ameaçado o seu povo» Leitura do Livro do Êxodo Naqueles dias, o Senhor falou a Moisés, dizendo: «Desce depressa, porque o teu po- vo, que tiraste da terra do Egipto, corrompeu-se. Não tardaram em desviar-se do caminho que lhes tracei. Fizeram um bezerro de metal fundido, prostraram-se diante dele, ofereceram-lhe sacrifícios e disseram: ‘Este é o teu Deus, Israel, que te fez sair da terra do Egipto’». O Senhor disse ainda a Moisés: «Tenho observado este povo: é um povo de dura cer- viz. Agora deixa que a minha indignação se inflame contra eles e os destrua. De ti farei uma grande nação». Então Moisés procurou aplacar o Senhor, seu Deus, dizen- do: «Por que razão, Senhor, se há-de inflamar a vossa indignação contra o vosso povo, que libertastes da terra do Egipto com tão grande força e mão tão poderosa? Lembrai-Vos dos vossos servos Abraão, Isaac e Israel, a quem jurastes pelo vosso nome, dizendo: ‘Farei a vossa descendência tão numerosa como as estrelas do céu e dar-lhe-ei para sempre em herança toda a terra que vos prometi’». Então o Senhor desistiu do mal com que tinha ameaçado o seu povo. Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 50 (51), 3-4.12-13.17.19 (R. Lc 15, 18) Refrão: Vou partir e vou ter com meu pai. Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade, pela vossa grande misericórdia, apagai os meus pecados. Lavai-me de toda a iniquidade e purificai-me de todas as faltas. Criai em mim, ó Deus, um coração puro e fazei nascer dentro de mim um espírito firme. Não queirais repelir-me da vossa presença e não retireis de mim o vosso espírito de santidade. Abri, Senhor, os meus lábios, e a minha boca anunciará o vosso louvor. Sacrifício agradável a Deus é um espírito arrependido: não desprezeis, Senhor, um espírito humilhado e contrito
  9. 9. 9 LEITURA II 1 Tim 1, 12-17 «Cristo veio salvar os pecadores» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Dou graças Àquele que me deu força, Jesus Cristo, Nosso Senhor, que me julgou digno de confiança e me chamou ao seu serviço, a mim que tinha sido blasfe- mo, perseguidor e violento. Mas alcancei misericórdia, porque agi por ignorância, quando ainda era descrente. A graça de Nosso Senhor superabundou em mim, com a fé e a caridade que temos em Cristo Jesus. É digna de fé esta palavra e merecedora de toda a aceitação: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, e eu sou o primeiro deles. Mas alcancei misericórdia, para que, em mim primeiramente, Jesus Cristo manifes- tasse toda a sua magnanimidade, como exemplo para os que hão-de acreditar n’Ele, para a vida eterna. Ao Rei dos séculos, Deus imortal, invisível e único, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amen. Palavra do Senhor. ALELUIA 2 Cor 5, 19 Refrão: Aleluia. Repete-se Em Cristo, Deus reconcilia o mundo consigo e confiou-nos a palavra da re- conciliação. EVANGELHO Forma longa Lc 15, 1-32 «Haverá alegria entre os Anjos de Deus por um só pecador que se arrependa» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, os publicanos e os pecadores aproximavam-se todos de Jesus, para O ouvirem. Mas os fariseus e os escribas murmuravam entre si, dizendo: «Este ho- mem acolhe os pecadores e come com eles». Jesus disse-lhes então a seguinte parábola: «Quem de vós, que possua cem ovelhas e tenha perdido uma delas, não deixa as outras noventa e nove no deserto, para ir à procura da que anda perdida, até a encontrar? Quando a encontra, põe-na alegremente aos ombros e, ao chegar a casa, chama os amigos e vizinhos e diz-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque encontrei a minha ovelha perdida’. Eu vos digo: Assim haverá mais alegria no Céu por um só pecador que se arrependa, do que por noventa e nove justos que não precisam de arrependimento. Ou então, qual é a mulher que, possuindo dez dracmas e tendo perdido uma, não acende uma lâmpada, varre a casa e procura cuidadosamente a moeda, até a encon- trar? Quando a encontra, chama as amigas e vizinhas e diz-lhes: ‘Alegrai-vos comigo, porque encontrei a dracma perdida’.
  10. 10. 10 Eu vos digo: Assim haverá alegria entre os Anjos de Deus por um só peca- dor que se arrependa». Jesus disse-lhes ainda: «Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao pai: ‘Pai, dá-me a parte da herança que me toca’. O pai repartiu os bens pelos filhos. Alguns dias depois, o filho mais novo, juntando todos os seus haveres, partiu para um país distante e por lá esbanjou quanto possuía, numa vida dissoluta. Tendo gastado tudo, houve uma grande fome naquela região, e ele começou a passar privações. Entrou então ao serviço de um dos habitantes daquela terra, que o man- dou para os seus campos guardar porcos. Bem desejava ele matar a fome com as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhas dava. Então, caindo em si, disse: ‘Quantos trabalhadores de meu pai têm pão em abundân- cia, e eu aqui a morrer de fome! Vou-me embora, vou ter com meu pai e dizer-lhe: Pai, pequei contra o Céu e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho, mas trata- me como um dos teus trabalhadores’. Pôs-se a caminho e foi ter com o pai. Ainda ele estava longe, quando o pai o viu: enchendo-se de compaixão, correu a lan- çar-se-lhe ao pescoço, cobrindo-o de beijos. Disse-lhe o filho: ‘Pai, pequei contra o Céu e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho’. Mas o pai disse aos servos: ‘Trazei depressa a melhor túnica e vesti-lha. Ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés. Trazei o vitelo gordo e matai-o. Comamos e festejemos, porque este meu filho estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi reencontrado’. E começou a festa. Ora o filho mais velho estava no campo. Quando regressou, ao aproximar-se da casa, ouviu a música e as danças. Chamou um dos servos e perguntou-lhe o que era aqui- lo. O servo respondeu-lhe: ‘O teu irmão voltou e teu pai mandou matar o vitelo gor- do, porque ele chegou são e salvo’. Ele ficou ressentido e não queria entrar. Então o pai veio cá fora instar com ele. Mas ele respondeu ao pai: ‘Há tantos anos que eu te sirvo, sem nunca transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito para fa- zer uma festa com os meus amigos. E agora, quando chegou esse teu filho, que consumiu os teus bens com mulheres de má vida, mataste-lhe o vitelo gordo’. Disse-lhe o pai: ‘Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. Mas tínhamos de fazer uma festa e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi reencontrado’». Palavra da salvação.
  11. 11. 11 DOMINGO XXV do Tempo Comum (22 de setembro de 2013) LEITURA I Am 8, 4-7 Contra aqueles que "possuem dinheiro alheio" Leitura da Profecia de Amós Escutai bem, vós que espezinhais o pobre e quereis eliminar os humildes da terra. Vós dizeis: «Quando passará a lua nova, para podermos vender o nosso grão? Quando chegará o fim de sábado, para podermos abrir os celeiros de trigo? Faremos a medida mais pequena, aumentaremos o preço, arranjaremos balanças fal- sas. Compraremos os necessitados por dinheiro e os indigentes por um par de sandá- lias. Venderemos até as cascas do nosso trigo». Mas o Senhor jurou pela glória de Ja- cob: «Nunca esquecerei nenhuma das suas obras». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 112 (113), 1-2.4-6.7-8 (R. cf. 1a.7b) Refrão: Louvai o Senhor, que levanta os fracos. Louvai, servos do Senhor, louvai o nome do Senhor. Bendito seja o nome do Senhor, agora e para sempre. O Senhor domina sobre todos os povos, a sua glória está acima dos céus. Quem se compara ao Senhor, nosso Deus, que tem o seu trono nas alturas e Se inclina lá do alto a olhar o céu e a terra? Levanta do pó o indigente e tira o pobre da miséria, para o fazer sentar com os grandes, com os grandes do seu povo. LEITURA II 1 Tim 2, 1-8 «Façam-se preces por todos os homens a Deus, que quer salvar todos os homens» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Recomendo, antes de tudo, que se façam preces, orações, súplicas e ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todas as autoridades, para que possamos levar uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.
  12. 12. 12 Isto é bom e agradável aos olhos de Deus, nosso Salvador; Ele quer que to- dos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade. Há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, o homem Jesus Cristo, que Se entregou à morte pela redenção de todos. Tal é o testemunho que foi dado a seu tempo e do qual fui constituído arauto e apóstolo digo a verdade, não minto mestre dos gentios na fé e na verdade. Quero, portanto, que os homens rezem em toda a parte, erguen- do para o Céu as mãos santas, sem ira nem contenda. Palavra do Senhor. ALELUIA 2 Cor 8, 9 Refrão: Aleluia. Repete-se Jesus Cristo, sendo rico, fez-Se pobre, para nos enriquecer na sua pobreza. EVANGELHO Forma longa Lc 16, 1-13 «Não podeis servir a Deus e ao dinheiro» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Um homem rico tinha um adminis- trador, que foi denunciado por andar a desperdiçar os seus bens. Mandou chamá-lo e disse-lhe: ‘Que é isto que ouço dizer de ti? Presta contas da tua administração, porque já não podes continuar a administrar’. O administrador disse consigo: ‘Que hei-de fazer, agora que o meu senhor me vai tirar a administração? Para cavar não tenho força, de mendigar tenho vergonha. Já sei o que hei-de fazer, para que, ao ser despedido da administração, alguém me receba em sua casa’. Mandou chamar um por um os devedores do seu senhor e disse ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu senhor?’. Ele respondeu: ‘Cem talhas de azeite’. O administrador disse-lhe: ‘Toma a tua conta: senta-te depressa e escreve cinquen- ta’. A seguir disse a outro: ‘E tu quanto deves?’, Ele respondeu: ‘Cem medidas de trigo’. Disse-lhe o administrador: ‘Toma a tua conta e escreve oitenta’. E o senhor elogiou o administrador desonesto, por ter procedido com esperteza. De facto, os filhos deste mundo são mais espertos do que os filhos da luz, no trato com os seus semelhantes. Ora Eu digo-vos: Arranjai amigos com o vil dinheiro, para que, quando este vier a faltar, eles vos recebam nas moradas eternas. Quem é fiel nas coisas pequenas também é fiel nas grandes; e quem é injusto nas coisas pequenas também é injusto nas grandes. Se não fostes fiéis no que se refere ao vil dinheiro, quem vos confiará o verdadeiro bem? E se não fostes fiéis no bem alheio, quem vos entregará o que é vosso? Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque, ou não gosta de um deles e esti- ma o outro, ou se dedica a um e despreza o outro. Não podeis servir a Deus e ao di- nheiro». Palavra da salvação.
  13. 13. 13 DOMINGO XXVI do Tempo Comum (29 de setembro de 2013) LEITURA I Am 6, 1a.4-7 «Agora acabará o bando dos voluptuosos» Leitura da Profecia de Amós Eis o que diz o Senhor omnipotente: «Ai daqueles que vivem comodamente em Sião e dos que se sentem tranquilos no monte da Samaria. Deitados em leitos de marfim, estendidos nos seus divãs, comem os cordeiros do re- banho e os vitelos do estábulo. Improvisam ao som da lira e cantam como David as suas próprias melodias. Bebem o vinho em grandes taças e perfumam-se com finos unguentos, mas não os aflige a ruína de José. Por isso, agora partirão para o exílio à frente dos deportados e acabará esse bando de voluptuosos». Palavra do Senhor. SALMO RESPONSORIAL Salmo 145 (146), 7-10 (R.1b) Refrão: Ó minha alma, louva o Senhor. O Senhor faz justiça aos oprimidos, dá pão aos que têm fome e a liberdade aos cativos. O Senhor ilumina os olhos dos cegos, o Senhor levanta os abatidos, o Senhor ama os justos. O Senhor protege os peregrinos, ampara o órfão e a viúva e entrava o caminho aos pecadores. O Senhor reina eternamente. O teu Deus, ó Sião, é rei por todas as gerações. LEITURA II 1 Tim 6, 11-16 «Guarda este mandamento, até à aparição do Senhor» Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo Caríssimo: Tu, homem de Deus, pratica a justiça e a piedade, a fé e a caridade, a perseverança e a mansidão.
  14. 14. 14 Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e sobre a qual fizeste tão bela profissão de fé perante numerosas testemu- nhas. Ordeno-te na presença de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que deu testemunho da verdade diante de Pôncio Pilatos: Guarda o manda- mento do Senhor, sem mancha e acima de toda a censura, até à aparição de Nosso Senhor Jesus Cristo, a qual manifestará a seu tempo o venturoso e único soberano, Rei dos reis e Senhor dos senhores, o único que possui a imortalidade e habita uma luz inacessível, que nenhum homem viu nem pode ver. A Ele a honra e o poder eterno. Amen. Palavra do Senhor. ALELUIA 2 Cor 8, 9 Refrão: Aleluia. Repete-se Jesus Cristo, sendo rico, fez-Se pobre, para nos enriquecer na sua pobreza. EVANGELHO Lc 16, 19-31 «Recebeste os teus bens em vida e Lázaro apenas os males. Agora ele en- contra-se aqui consolado, enquanto tu és atormentado» Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: «Havia um homem rico, que se vestia de púrpura e linho fino e se banqueteava esplendidamente todos os dias. Um pobre, chamado Lázaro, jazia junto do seu portão, coberto de chagas. Bem desejava saciar-se do que caía da mesa do rico, mas até os cães vinham lamber-lhe as chagas. Ora sucedeu que o pobre morreu e foi colocado pelos Anjos ao lado de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. Na mansão dos mortos, estando em tormentos, levantou os olhos e viu Abraão com Lázaro a seu lado. Então ergueu a voz e disse: ‘Pai Abraão, tem compaixão de mim. Envia Lázaro, para que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nestas chamas’. Abraão respondeu-lhe: ‘Filho, lembra-te que recebeste os teus bens em vida, e Lázaro apenas os males. Por isso, agora ele encontra-se aqui consolado, enquanto tu és atormentado.Além disso, há entre nós e vós um grande abismo, de modo que se alguém quisesse passar daqui para junto de vós, ou daí para junto de nós, não poderia fazê-lo’. O rico insistiu: ‘Então peço-te, ó pai, que mandes Lázaro à minha casa paterna pois tenho cinco irmãos para que os previna, a fim de que não venham também para este lugar de tormento’. Disse-lhe Abraão: ‘Eles têm Moisés e os Profetas: que os oiçam’.
  15. 15. 15 Mas ele insistiu: ‘Não, pai Abraão. Se algum dos mortos for ter com eles, arrepender-se-ão’. Abraão respondeu-lhe: ‘Se não dão ouvidos a Moisés nem aos Profetas, também não se deixarão convencer, se alguém ressuscitar dos mortos’». Palavra da salvação. “No próxi- mo dia 30 de setembro o Papa Francisco vai presidir ao Consistório onde irá anunciar a data de canonização de João XXIII e de João Paulo II”, afirmou hoje o cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, durante o «meeting de Rimini», encontro promovido pelo mo- vimento Comunhão e Libertação. Durante a viagem de regresso do Brasil o Papa deu conta da proximidade da canoni- zação a acontecer nos últimos meses de 2013 ou em 2014 recordou o cardeal res- ponsável em declarações à Radio Vaticano, mas a data precisa “dirá o Papa durante o Consistório a que vai presidir que é o lugar próprio para as questões das canoniza- ções”. Segundo o responsável, Angelo Roncalli e Karol Wojtyła são “duas colunas” de “cultura e santidade cristã”. “João XXIII é um grande profeta e criador do Concílio; João Paulo II é quem o pôs em prática e o desenvolveu, em todos os seus componentes e em todas as suas vir- tudes. São verdadeiramente duas colunas não só de cultura cristã mas também de santidade cristã”, acrescentou o cardeal Amato. O Papa Francisco reconheceu oficialmente um segundo milagre de João Paulo II em julho, depois de ter recebido o parecer favorável da Congregação para as Causas dos Santos, o que vai permitiu avançar com a canonização do beato polaco. O decreto segundo o qual a cura inexplicável à luz da ciência atual pode ser atribuída à intercessão do falecido Papa foi assinado por Francisco. O Vaticano não deu qualquer informação sobre a natureza deste segundo milagre. O Papa polaco foi proclamado beato por Bento XVI a 1 de maio de 2011, na Praça de São Pedro. A penúltima etapa para a declaração da santidade, na Igreja Católica, concluiu uma primeira fase de trabalhos, iniciada em maio de 2005, incluindo o processo relativo à cura da freira francesa Marie Simon-Pierre, que o Vaticano considerou um milagre, depois do repentino desaparecimento da doença de Parkinson na religiosa.
  16. 16. 16 De acordo com o direito canónico, para a canonização era necessário um novo mila- gre atribuível à intercessão do Beato João Paulo II a partir da data da beatificação. Karol Jozef Wojtyla, eleito Papa a 16 de outubro de 1978, nasceu em Wadowice (Polónia), a 18 de maio de 1920, e morreu no Vaticano, a 2 de abril de 2005. A Igreja Católica celebra a memória litúrgica de João Paulo II a 22 de outubro, data que assinala o dia de início de pontificado de Karol Wojtyla, em 1978, pouco depois de ter sido eleito Papa. Angelo Giuseppe Roncalli nasceu em 1881 na localidade de Sotto il Monte, Bérgamo, onde foi pároco, professor no Seminário, secretário do bispo e capelão do exército durante a I Guerra Mundial. João XXIII iniciou a sua carreira diplomática como visitador apostólico na Bulgária, de 1925 a 1935; foi depois delegado apostólico na Grécia e Turquia, de 1935 a 1944, e Núncio Apostólico na França, de 1944 a 1953. Em 1953, Angelo Roncalli foi nomeado patriarca de Veneza e no dia 28 de outubro de 1958 foi eleito Papa, sucedendo a Pio XII. João XXIII foi declarado beato pelo Papa João Paulo II no dia 3 de setembro de 2000. 50 anos depois da sua morte a Igreja deve recordar “o seu amor pela tradição” e a “consciência da constante necessidade de atualização (aggiornamento, em italiano), bem como a “intuição profética do Concílio Vaticano II”, afirmou o Papa Francisco durante a missa que assinalou o 50.º aniversário da morte do Papa italiano, a 3 de junho. RV/OC/LS O grupo de jovens do Espirito Santo, no dia 6 de outubro de 2013, vai realizar um almoço conví- vio, para o qual convida todas as crianças e jo- vens da catequese, bem como todos os paroquianos e amigos. Pretendemos neste convívio dar a conhecer o grupo, as atividades que fazemos e convivermos entre amigos em ambiente familiar. Contamos consigo!!! Apenas necessita trazer boa disposição e estar na sede do grupo (antiga escola pri- mária de Mioma) a partir da 12 horas e 30 minutos.
  17. 17. 17 A Voz do Conselho Económico Publicamos nesta edição o relatório de contas, referente ao mês de junho de 2013 Contributos a entregar na diocese Missas plurintencionais 155,00 € RESUMO FINAL Receita Total 646,27 € A entregar na diocese 155,00 € Saldo para o fundo paroquial 491,27 € Despesas da paróquia 636,00 € Saldo Final menos 144,73 € Contas da Festa do Corpo de Deus—2013 Contas da Festa de São Pedro—2013 Receita Despesas Dia/Evento Evento Montante Ofertórios dominicais na igreja matriz 241,27 € Venc. Pároco 600,00 € Missas plurintencionais 310,00 € Evang. Voz Paróquia 36,00 € 2 batizados 90,00 € Oferta para a igreja 5,00 € TOTAL 646,27 € 636,00 € Receita Despesas Peditório na freguesia 2.835,00 € Banda da música 1.100,00 € Ofertas na missa 104,63 € Almoço para os músicos 550,00 € 310,00 € Florista 284,00 € Sacristão 10,00 € TOTAL 2.939,63 € 1.944,00 € SALDO para o fundo paroquial 995,63 € Receita Despesas Peditório na freguesia 4.879,00 € Banda da música e conjuntos 5.500,00 € Leilão em “domingo gordo” 192,00 € Autocarro 220,00 € Ofertas na missa 76,00 € Florista (andores e igreja) 700,00 € Jogos tradicionais 900,00 € Sardinha e almoços 600,00€ Patrocínios 555,00 € Cartazes 110,00 € Bar 1.097,00 € Prémios (sueca e malha) 450,00 € Rifas 500,00 € Direitos de autor 100,00 € Cravanços 196,00 € Iluminação 600,00 € TOTAL 8.395,00 € 8.280,00 € SALDO para o fundo paroquial 115,00 €
  18. 18. 18 BENEFÍCIOS DE ALGUNS CHÁS… ABACATE Combate dores reumáticas, gota e funciona como diurético. Para dores de cabeça, tomar 3 chávenas, por dia, de chá das folhas do abacateiro (50g para 1 litro de água). ALECRIM Tem uma ação estimulante sobre a digestão e o pâncreas. É desinfetante e diurético. Beneficia, por exemplo, pessoas com anemia, asma, gripe, reumatismo, dores articulares, falta de apetite e tosse. Utilizam-se as folhas em infusão, na dosagem de 1 colher (de chá) para 250ml de água. Não deve ferver as folhas; despejar a água sobre as mesmas e abafar. Tomar após as refeições. CARQUEJA Erva digestiva, indicada para diabéticos, em anemias, reumatismos e doenças vené- reas. Melhora a circulação sanguínea, gripes, constipações, enfermidades do baço, be- xiga e fígado, cálculos biliares, diarreias, febres e afeções do aparelho urinário. Usa-se para gargarejo, com 1 colher (de sopa) por cada chávena de água. ERVA-CIDREIRA É um excelente calmante do sistema nervoso. É uma planta di- gestiva que combate insónias, asma, histerismo, cãibras esto- macais e intestinais e auxilia a circulação. Tomar uma infusão de 1 colher (de sopa) de erva-cidreira numa chávena de água. Para dores de cabeça usar toda a planta (40gramas para 1 litro de água) e tomar 4 chávenas por dia. HORTELÃ-PIMENTA Expetorante, tónica, digestiva, anti-espasmódica, estimulante e antisséptica. A hortelã ajuda a expulsar gases, combate náuseas e vómitos nervosos. É ainda indicada para cálculos biliares, na lactação e em menstruações dolorosas. Ameniza calafrios, consti- pações, febre, vertigens, palpitações, reumatismo, cólera e cardiopatias. Tomar infu- sões feitas com 1 colher (sopa) numa chávena de água. LARANJEIRA A tisana de flores de laranjeira relaxa o sistema nervoso e predispõe ao sono. Contra a insónia, pode tomar, antes de ir para a cama, 20g de flores ou folhas de laranjeira dei- xadas em infusão durante 10 minutos num litro de água a ferver. 3 chávenas por dia de 10g de folhas de laranjeira em infusão durante 10 minutos num litro de água a ferver ajudam a acalmar as cefaleias, e a combater as afeções car- díacas; têm virtudes digestivas, tranquilizantes e anti-espásmicas.
  19. 19. 19
  20. 20. 20 Com a colaboração do JES Por favor guarde a nossa voz, pode ser-lhe útil no futuro. 2013 Lua cheia Lua nova Quarto crescente Quarto Minguante Setembro AGRICULTURA. JARDINAGEM. Ceifar arroz. Colher amêndoa. Estercar as terras a semear no Quarto Minguante. No Quarto Crescente continuar a semear centeio e cevada. Nos pomares, aquando da última apanha de fruta, dar início à poda e limpeza das árvores. Enxertar (em fenda) cerejeiras, macieiras e pereiras e curar com calda. Na Horta semear, ao ar livre e local definitivo, agrião, cenoura, chicória, feijão, nabo, rabanete, repolho, salsa; em canteiro, acelga, alface, alho-porro, cebola e tomate. Plantar com as primeiras chuvas, os morangueiros, regando até pegarem. Colher feijões e cebolas maiores para semente. No Jardim ir preparando o composto e semear amores-perfeitos, begónias, cravos, gipsófilas, margaridas, malmequeres, miosótis, papoilas e as de florescimento pri- maveril. Plantar bolbos: jacintos, tulipas e narcisos

×